MANUAL DA MESA DE SOM MACKIE 1604 VLZ4 (PORTUGUÊS)

5.513 visualizações

Publicada em

MIXER MACKIE COMPACTO 1604VLZ4, 4-BUS 16 CANAIS DE ENTRADA (16 MIC XLR ONYX PREAMP), 16 INSERTS, 6 SAÍDAS AUX SENDS, EQ 3-BAND, PHANTOM POWER.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MANUAL DA MESA DE SOM MACKIE 1604 VLZ4 (PORTUGUÊS)

  1. 1. 1604VLZ4 Mixer Compacto 4 Bus 16 Canais MANUAL DO USUÁRIO
  2. 2. Importantes Informações de Segurança ATENÇÃO Este símbolo, onde quer que apareça, alerta sobre a presença de voltagem não isolada, dentro da unidade - perigosa o suficiente para causar risco de choque. Este símbolo, onde quer que apareça, alerta sobre a importância das instruções de operação e manutenção. Leia o manual.                     Leia estas instruções; Mantenha estas instruções; Siga todos os avisos; Siga todas as instruções; Não use o aparelho perto de água; Limpe somente com pano seco; Não bloqueie os orifícios de ventilação. Instale de acordo com as instruções do fabricante; Não instale próximo a fontes de calor como radiadores, fornos ou qualquer outro aparelho (incluindo amplificadores) que produza calor; Não ignore o objetivo de segurança do plug polarizado ou aterrado. Atendendo às normas de segurança no Brasil (NBR 14136), o conector é composto por 3 pinos, sendo que dois são energizados e o 3º pino central é o terra. Se o plug não encaixar na sua tomada, consulte um eletricista para trocar sua tomada obsoleta; Proteja o cordão de força contra tropeços ou contra qualquer outra eventualidade que possa tirar subitamente o fio da tomada ou do receptáculo de saída do aparelho; Use somente acessórios/anexos especificados pelo fabricante; Use somente carrinho, suporte, tripé, braço ou mesa especificados pelo fabricante, ou vendido com o aparelho. Quando for usado com carrinho, tome muito cuidado quando for movimentar o carrinho e o aparelho, a fim de evitar danos; Desconecte o aparelho durante tempestades com raios ou quando não for usar por um longo período de tempo Reporte-se somente a serviço técnico qualificado. Assistência técnica é requerida quando o aparelho foi danificado de alguma forma, tal como quando o cabo de suprimento de energia foi danificado, líquido foi espirrado, objetos caíram dentro do aparelho, o aparelho foi exposto à chuva ou umidade, não opera normalmente ou foi derrubado; O aparelho não deve ser exposto a goteiras ou espirros de água, e nenhum objeto contendo água (como vasos e copos de cerveja) deve ser colocado sobre ele; Não sobrecarregue as tomadas da parede ou fios de extensão porque podem resultar em fogo ou choque elétrico; Este aparelho foi projetado sob a Construção Classe I e deve ser conectado a uma tomada de energia com conexão de proteção com terra (o terceiro pino); Este aparelho foi equipado com uma chave AC power basculante, que está no painel traseiro e deve permanecer acessível ao usuário; A tomada da rede elétrica ou um acoplador do aparelho é usado no momento da desconexão do aparelho, assim o aparelho desconectado deverá permanecer prontamente operável; NOTA: este aparelho foi testado e achado de acordo com os limites da Classe B de aparelhos digitais, de acordo com as leis. Estes limites estão designados para fornecer proteção razoável contra interferência prejudicial em instalação residencial. Este equipamento gera, usa e pode irradiar energia de rádio-freqüência e, se não instalado de acordo com as instruções, pode causar interferência 2
  3. 3.   prejudicial para rádio-comunicação. No entanto, não há garantias de que a interferência não ocorrerá numa instalação particular. Se o equipamento não causa interferência prejudicial na recepção de rádio ou televisão, que pode ser determinada pela sintonização do equipamento ligado e desligado, o usuário pode tentar corrigir a interferência através de uma das seguintes medidas: reoriente ou realoque a antena receptora; aumente a separação entre o equipamento e o receptor; conecte o equipamento em uma tomada em circuito diferente daquele em que o receptor estiver conectado; Este aparelho não excede os limites das Classes A/B (que são as aplicáveis) de emissões de ruído de rádio nos aparelhos digitais, como estabelecido nas normas; Exposição a altos níveis de ruído pode causar perda permanente de audição. As pessoas variam consideravelmente na suscetibilidade a ruídos, que podem induzir à perda de audição, mas não necessariamente todas as pessoas perderão a audição, caso expostas a um ruído suficientemente intenso por algum período de tempo. As leis americanas (OSHA) especificaram os níveis de exposição permitidos, mostrados na tabela abaixo. De acordo com a OSHA, qualquer exposição em excesso aos limites permitidos pode resultar em perda de audição. Para prevenção contra exposições potencialmente perigosas a altos níveis de pressão sonora, recomenda-se que as pessoas expostas a equipamentos capazes de produzir altos níveis de pressão sonora utilizem protetores de ouvido enquanto o equipamento estiver em operação. Plugs ou protetores nos ouvidos devem ser utilizados quando o equipamento estiver em operação, a fim de prevenir perda permanente de audição, caso a exposição exceder os limites estabelecidos: HORAS DIA X Nível dBALenta Sonoro Resposta 8 90 6 92 4 95 3 97 2 100 1,5 102 1 105 0,5 110 0,25 ou menos 115 Exemplo Típico Duo em clube pequeno Trem subterrâneo Música clássica muito alta Partes mais altas de um concerto de rock AVISOS Mudanças ou modificações neste aparelho, não expressamente aprovadas pela LoudTechnologies, podem esvaziar a autoridade do usuário para operar o equipamento. Para reduzir o risco de choque elétrico, não remova a tampa de cobertura ou quaisquer outras peças, se não for assistência técnica especializada. Para reduzir risco de choque elétrico, não exponha este aparelho à chuva ou umidade. 3
  4. 4. CUIDADO: NÃO ABRA. RISCO DE CHOQUE. Conteúdo IMPORTANTES INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA CONTEÚDO CARACTERÍSTICAS / INTRODUÇÃO INICIANDO DIAGRAMAS DE CONEXÃO CONVERTENDO PARA MODO RACKMOUNT DESCRIÇÃO PATCHBAY INTERFACE EZ 1. MIC INS PHANTOM POWER 2. LINE INS 3. GANHO 4. INSERT 5. DIRECT OUT MONITORAMENTO SPLIT 6. AUX SENDS EFEITOS: SERIAL OU PARALELO? 7. STEREO RETURNS 8. SUB OUTS DOUBLE BUSING 9. CR OUTS (SAÍDAS CONTROL ROOM) 10. PHONES OUT (NO PAINEL FRONTAL) 11. TAPE OUT 12. TAPE IN 13. MAIN INSERT 14. MAIN OUTS 15. MONO OUT 16. MONO LEVEL 17. SELETOR DE VOLTAGEM 18. CONEXÃO DE ENERGIA 19. FUSÍVEL 20. CHAVE POWER 21. LED POWER 22. CHAVE PHANTOM 23. LED 48V 24. BNC LAMP SOCKET DESCRIÇÃO DA FAIXA DE CANAIS “U” – UNIDADE DE GANHO 25. CANAL FADER CLEAN FADE 26. ASSIGN (1–2, 3–4, L–R) 27. SOLO 28. LED –20 (SOLO) 29. LED OL (MUTE) 30. MUTE 31. PAN FONTES ESTÉREO ALTURA CONSTANTE 32. 3-BAND MID-SWEEP EQ 4
  5. 5. 33. LOW CUT 34. AUX 1, 2, 3, & 4 35. PRÉ 36. 5/6 SHIFT DESCRIÇÃO DA SEÇÃO DE SAÍDA 37. FADER MAIN MIX 38. FADERS DE SUBGRUPO 39. ASSIGN TO MAIN MIX 40. TAPE IN (LEVEL) 41. TAPE TO MAIN MIX 42. FONTE 43. CR/PHONES 44. MODO (AFL/PFL) 45. LEVEL SET LED 46. SOLO (LEVEL) 47. RUDE SOLO LIGHT 48. MEDIDORES MEDIDORES VS. REALIDADE AUX TALK 49. AUX SENDS (MASTER) 50. AUX SENDS SOLO 51. STEREO RETURNS (LEVEL) 52. TO AUX 1 E TO AUX 2 53. MAIN MIX TO SUBS (STEREO RET 3) 54. 1–2/3–4 (STEREO RETURN 3) 55. CR/PH ONLY (STEREO RETURN 4) 56. RETURNS SOLO E LED APÊNDICE A: INFORMAÇÃO DE SERVIÇO APÊNDICE B: CONEXÕES APÊNDICE C: INFORMAÇÃO TÉCNICA DIMENSÕES DIAGRAMA DE BLOCOS Características  Mixer de 16 canais, caracterizando nossa assinatura de alto headroom, projeto de baixo ruído;  16 preamps de mic Onyx qualidade luxo • Faixa de ganho de 60dB ultralarga • Faixa dinâmica 128.5 dB • Manejo de entrada de linha + 22 dBu • Resposta de frequência estendida • Distorção sob 0.0007% (20Hz – 50 kHz)  Rejeição RF aperfeiçoada, perfeita para aplicações de broadcast;  Phantom power para mics condensadores;  16 entradas de linha de alto headroom com controle de operação +4/-10;  16 inserts balanceados, perfeitos para integrar equipamento externo;  EQ de 3 bandas de midrange com varredura;  Filtro low-cut 75 Hz 18dB/oit nos canais de entrada mic;  4 LEDs aux sends, level, pan, solo e sobrecarga/mute em cada canal;  4 returns estéreo, 8 direct outs e 4 saídas group/bus;  Faders log-taper 60 mm;  Fonte matrix multientrada control room/phones;  Medidores estéreo de 12 segmentos de alta resolução;  Controle rotativo selado resiste contra poeira e sujeira;  Chassis de aço resistente “construído como um tanque” com acabamento contra pó;  Controle de alto contraste e alta visibilidade dão aparência visual conveniente; 5
  6. 6.  Rack montável com 3 configurações físicas via acessórios Rotopod (vendido separadamente);  Suprimento de energia de multivoltagem para uso mundial. Introdução Uma lenda em projetos de mixers compactos, o 1607VLZ4 agora combina a performance comprovada, os preamps Onyx com o projeto sem compromisso de alto headroom e baixo ruído, que fizeram do 1604 um sustentáculo da indústria. Encontrado em incontáveis broadcast profissionais, com facilidade de colocação, é fácil e comprovadamente o mixer analógico mais simpático: o 1604 está sozinho no mundo dos mixers compactos. Como utilizar este manual Depois da introdução, um guia inicial ajudará você em um rápido estabelecimento das coisas. Estão inclusos diagramas que mostram vários setups típicos. Na sequência, um tour detalhado do mixer inteiro. As descrições estão divididas em seções, mas vale lembrar que seu mixer está organizado em zonas distintas: • patchbay • barra de canal • seção de saídas Nessas seções, você encontrará ilustrações com cada função numerada e descrita nos parágrafos. Este ícone marca informação sobre o que é criticamente importante, ou único, para o mixer. Para seu próprio bem, leia e lembre-se dela. Este ícone traz algumas explicações das funções e dicas práticas. Usualmente, possuem informações valiosas. Iniciando Sabemos que você deve estar ansioso para usar o mixer. Por favor, leia as instruções de segurança e então dê uma olhada nas funções e detalhes deste manual. Setup Utilize o mixer em ambiente limpo e seco, livre de fiapos e poeira. Zere os controles 1. Zere todos os potenciômetros e faders, exceto os equalizadores dos canais e o controle de pan, que devem estar centralizados. 2. Certifique-se que todos os botões estão na posição out. Conexões 1. Certifique-se de que a chave AC power está desligada antes de realizar qualquer conexão; AVISO: Antes de plugar o cabo ACpower no mixer, certifique-se de que a chave VOLTAGESELECTOR está ajustada para a mesma voltagem da fonte AC local. 2. 3. 4. Conecte o cabo de alimentação seguramente no conector IEC no painel traseiro, e plugue em uma tomada AC 3 pinos. O mixer aceitará qualquer voltagem entre 100VAC e 240VAC. Verifique se seu mixer é automático, se não, ele aceitará apenas a voltagem para a qual foi fabricado (110 ou 220volts); Plugue um microfone balanceado em um dos conectores XLR (3 pinos) mic ou conecte qualquer sinal nível-linha (teclado ou pré-amp de guitarra) em um jack entrada de linha utilizando um plug TS ou TRS1/4"; Se seu microfone requer phantompower, ligue o botão phantom power 48V; 6
  7. 7. 5. 6. Todos os 16 canais possuem jacks insert que podem ser utilizados para conectar efeitos externos ou processador dinâmico na cadeia de sinal; Conecte as saídas main TRS1/4"do mixer às entradas nível-linha de seu amplificador (com falantes anexados) ou às entradas nível-linha de falantes. Ajuste os níveis Não é nem mesmo necessário ouvir o que você está fazendo para conseguir ótimos ajustes de níveis. Porém, se você desejar fazê-lo: plugue os fones de ouvido nos jacks de saída phones e aumente um pouco o potenciômetro CR/phones. Ligue o mixer pressionando a parte de cima da chave power. 1. Para um canal, pressione e ligue a chave solo; 2. Habilite a chave mode na seção master. Uma luz verde indicando nível irá acender. 3. Toque algo nesta entrada em níveis reais; 4. Ajuste o controle de ganho daquele canal até que o medidor main esquerdo fique por volta do LED 0dB (marcado“levelset”) e nunca maior do que “+7”; 5. Desabilite a chave única do canal; 6. Repita os passos 2 a 6 para os demais canais; 7. Aumente o fader do canal até a marca “U”; 8. Aumente aos poucos o fader mainmix até que você escute os sinais nos fones de ouvido; 9. Caso seja necessário, adicione um pouco de canalEQ sabiamente; 10. Ajuste os faders do canal para obter o melhor mix; 11. Mantenha os controles de ganho e níveis inteiramente zerados nos canais que não estiverem sendo utilizados; 12. Durante a performance, caso note o LED OL de canal acendendo durante picos, cuidadosamente diminua o controle de ganho daquele canal até que OL não acenda mais. Para lembrar  Nunca ouça música alta por períodos prolongados. Por favor, veja a seção “Instruções de Segurança” para informações sobre proteção auditiva;  Sempre desligue o fader do main mix e potenciômetros control room/phones quando fizer conexões no mixer, ou ainda melhor, desligue a energia;  Quando for desligar, desligue primeiramente qualquer amplificador ou falantes. Quando for ligar, ligue-os por último. Isto reduzirá a chance de estalos ao ligar e ao desligar;  Guarde as caixas e embalagens, você pode precisar delas algum dia. Diagramas de Conexão 7
  8. 8. A guitarra base e a solo ou principal tocam através dos processadores de efeito estéreo conectados às entradas line dos canais 1 e 2. Microfones são conectados às entradas mic dos canais 3-14 com compressores vocais conectados aos jacks insert dos canais 3-4 e 13-14 [mic de bateria nos canais 5-12]. Uma contrabaixo é conectado à entrada line do canal 15, enquanto um sincronizador é conectado à entrada line do canal 16. Um compressor estéreo e um EQ gráfico estéreo são conectados aos inserts L/R mains. Digital reverb e processadores de delay são conectados aos aux sends 1 e 3, com os aux sends ajustados pós-nível. Efeitos são adicionados ao main mix via entradas de retorno estéreo e ajustados com o controle de nível de retorno estéreo. Existem inúmeras possibilidades de gravação direcionadas tanto a puristas analógicos quanto a amantes do digital. Listamos aqui alguns exemplos. Sinta-se à vontade para experimentar! (1) As entradas e saídas tape RCA são conectadas à um tape deck estéreo. É um jeito fácil de conseguir uma gravação estéreo da banda inteira, bem como ouvir o playback (over tape). (2) as 8 saídas diretas são conectadas às 8 entradas de um gravador digital multitrack e (3) as 4 outs de subgrupo são conectadas ao laptop. Novamente, existem inúmeras possibilidades para gravação. Faça o que servir melhor à você e ao seu setup! Um par de monitores de estúdio MR8mk3 são conectados às saidas control room para ouvir o playback de sua mais recente obra de arte. Sistema de gravação 8
  9. 9. A guitarra base e guitarra solo ou principal tocam através dos processadores estéreo de efeitos conectados às entradas line dos canais 1 e 2. Microfones são conectados às entradas mic dos canais 3-14 com compressores vocais conectados aos jacks insert dos canais 3-4 e 13-14 [mics de bateria nos canais 5-12]. Um contrabaixo é conectado à entrada line do canal 15, enquanto um sincronizador é conectado à entrada line do canal 16. Um compressor estéreo e um EQ gráfico estéreo são conectados aos mais inserts L/R. As saídas main 1/4" L/R conectam ao EQ gráfico estéreo antes de conectar a um par de subwoofers DLM12S, que estão conectados à um par de falantes DLM8 para servir sua audiência. Aux sends 1 e 2 são conectados à falantes DLM8, utilizados como monitores de palco para servir a banda. Reverb digital e processadores de delay são conectados aos aux sends 3 e 4, com os aux sends ajustados em pós-nível. Efeitos são adicionados ao main mix via entradas return estéreo e ajustadas com o controle de nível return estéreo. As entradas e saídas tape RCA tape são conectadas a um laptop. É um jeito fácil de conseguir uma gravação estéreo do show ao vivo para posteridade e alavancar sua lista por sobre o PA, dentre as bandas. Sistema de PA Estéreo ao Vivo Convertendo ao Modo de Montagem de Rack Não somente o 1604VLZ4 é um mixer compacto, de qualidade profissional, de mesa... mas também montável em rack! O pod de entrada rotatório único torna isso possível. Com uma chave phillips confiável, nervos de aço, determinação, beleza, charme e alguns momentos do seu valioso tempo, pode ser convertido de modo desktop (de fábrica) para modo rackmount: 1. Desligue a energia e remova TODOS os cabos do mixer: cabo de energia, áudio, lâmpadas - tudo; 2. Coloque o mixer com a frente para baixo, em uma superfície macia e limpa, com um cobertor ou um cachorro muito grande; 3. Remova os 4 parafusos segurando a capa do cabo [a] e coloque a placa de lado; 4. Recoloque 2 dos parafusos: os 2 que estão localizados na extremidade do pod do mixer [b]. 5. Remova 2 parafusos de montagem do pod de cada lado do mixer [c]. 9
  10. 10. 6. 7. 8. Gentilmente puxe o pod para fora da cavidade, gire e coloque as guias primeiramente, nas guias de montagem [d], localizadas na parte inferior do chassis principal. Tenha cuidado para não comprimir ou pinçar qualquer um dos cabos de energia. Cuidadosamente instale os parafusos de montagem do pod em seus novos locais [d]. Instale as orelhas de rack que vêm com o mixer, utilizando o pacote de parafusos fornecido. Estes parafusos são um pouco mais longos do que os que você tem de retirar. As orelhas podem ser instaladas em qualquer uma das duas profundidades, como mostrado na imagem abaixo: [e] superfície do mixer nivela com os trilhos do rack, como um equipamento de rack comum ou [f] superfície do mixer afunda no rack, para proteger os potenciômetros contra colisão. NOTA: Se você remover as orelhas em data posterior, utilize os parafusos originais (mais curtos) para proteger os lados. Um acessório opcional chamado Rotopod-VLZ está disponível e pode ser utilizado em instalações de desktop ou rack. Isto colocará os jacks do patchbay no mesmo plano que todos os potenciômetros, botões e faders. Isto é muito útil em aplicações que demandam repatching frequente, e custam bem menos que um patchbay externo, sem mencionar toda a interface e cordões. Por favor, visite um revendedor para mais detalhes interessantes. Certifique-se de solicitar a versão “VLZ4” para que você não fique com o clássico CR1604! Descrição do Patchbay 10
  11. 11. Com o risco de dizer o óbvio, aqui é onde você pluga tudo: microfones, instrumentos e efeitos nível-linha, fones de ouvido e o destino fatal para seu som: sistema PA, DAW,etc. Alguns dos recursos descritos nesta seção estão na parte de cima do mixer, mas a maioria está fora, atrás deste “pod”. Veja o Apêndice B para mais detalhes e alguns desenhos adoráveis dos conectores que você pode utilizar com o 1604VLZ4. Interface EZ Preocupado com ajustes de níveis, balanceamento, impedâncias, polaridades e outros goblins de interface? Você pode encaixar qualquer coisa em praticamente qualquer lugar no 1604VLZ4, com pouca preocupação. Isto porque: •Cada entrada e saída é balanceada (exceto insert, phones e jacks RCA). •Cada entrada e saída também aceitará linhas desbalanceadas (exceto jacks XLR quando o PhantomPower estiver ligado). •Cada entrada é projetada para aceitar virtualmente qualquer impedância de saída. • As saídas mainmix esquerda e direita podem livrar 28dBu tão acessível quanto carga de 600ohm. • Todas as outras saídas podem livrar22dBu tão acessível quanto carga de 600ohm. •Todas as saídas estão em fase com as entradas. Tudo o que pedimos é que você realize o procedimento de configuração de nível, toda vez que encaixar uma nova fonte de som. Então pare de se preocupar e comece a mixar! 1. Mic Ins Este é um conector fêmea XLR que aceita entrada de nível mic ou line balanceada de quase qualquer tipo de fonte. Estes preamps mic Onyx caracterizam alta fidelidade e headroom incomparavelmente melhor a qualquer outro do mercado. Estes circuitos são excelentes em rejeitar zumbido e ruído. As entradas XLR são conectadas como segue: Pino 1= blindado ou terra Pino 2= Positivo (+ ou hot) Pino 3= Negativo (– ou cold) Mics profissionais de fita, dinâmicos e condensadores soarão excelentemente através destas entradas. As entradas mic/line aceitarão qualquer tipo de nível mic que você lhes atribua, sem sobrecarregar. Nem todo instrumento é feito para conectar diretamente em um mixer. Guitarras comumente necessitam de uma caixa DirectInjection(DI) para se conectar às entradas mic do mixer. Estas caixas convertem sinais nível-linha desbalanceados de sua guitarra em saídas nível-mic balanceadas, e fornecem sinal e combinação de impedância. Elas também permitem que você envie seus rendimentos de guitarra através de cabos longos ou “cobras” de áudio, com interferência mínima ou perda de sinal de alta frequência. Pergunte ao seu revendedor ou fabricante da guitarra sobre recomendações para uma boa caixa DI. Phantom Power A maioria dos mic condensadores profissionais são equipados para receber phantom power, permitindo que o mixer envie voltagem DC baixa corrente aos eletrônicos do mic através dos mesmos fios que carregam o áudio (mics condensadores semiprofissionais frequentemente têm baterias para realizar esta função). “Phantom (fantasma)” deve seu nome à habilidade de ser “invisível” por mics dinâmicos (Shure SM57/SM58, por exemplo), que não necessitam de energia externa e não são por ela afetados de nenhuma forma. O phantom power do 1604VLZ4 é globalmente controlado pela chave phantom[22] no painel traseiro (isto significa que o phantompower para todos os canais é ligado e desligado ao mesmo tempo). 11
  12. 12. Nunca plugue microfones single-ended (não balanceados) ou instrumentos no jack de entrada mic se o phantom power estiver ligado. Não plugue saídas de instrumento nos jacks de entrada mic com o phantom power ligado, a menos que tenha certeza de que é seguro fazê-lo. 2. Line Ins Estes jacks 1/4” compartilham circuitos (mas não phantom power) com preamps de mic e podem ser impulsionados por fontes balanceadas ou não balanceadas em quase todos os níveis. Você pode utilizar estas entradas para praticamente qualquer sinal de áudio com que se deparar: desde níveis de instrumento tão baixos quanto -50dBu, até níveis operacionais de -10dBV à +4dBu, visto que há de -15 à +45dB de ganho (faixa 60dB) disponível para entradas de linha via potenciômetro de ganho [3]. Sempre certifique-se de realizar o procedimento de ajuste de nível. Para conectar linhas balanceadas a estas entradas, utilize um plug TRS (Tip-Ring-Sleeve) 1/4”, conectado como a seguir: Tip = Positivo(+ ou hot) Ring = Negativo(– ou cold) Sleeve = blindado ou terra Para conectar linhas não balanceadas a estas entradas, utilize um plug phone TS mono1⁄4”, conectado como a seguir: Tip = Positivo (+ ou hot) Sleeve = blindado ou terra 3. Ganho Sim, é verdade: estes controles não são mesmo da seção patchbay. São encontrados ao longo da linha superior de potenciômetros na seção de faixa de canal. Porém, o propósito deles está tão ligado aos jacks de entrada mic e line que quase não conseguimos separá-los. Se você ainda não o fez, por favor, leia o procedimento de ajuste de nível. O ganho ajusta a sensibilidade de entrada das entradas mic e line. Isto permite que sinais do mundo externo sejam ajustados a níveis de operação internos ótimos. Se o sinal vem através do jack XLR, haverá 0 dB de ganho com o potenciômetro inteiramente para baixo, aumentando para 60 dB de ganho com o potenciômetro inteiramente para cima. Através da entrada 1⁄4", há 20 dB de atenuação quando inteiramente para baixo, e 40 dB de ganho quando inteiramente para cima, com o “U” (unidade de ganho) estabelecido em 10:00. Estes 20 dB de atenuação podem ser bem úteis quando inserindo um sinal muito “hot” ou quando deseja adicionar certa quantidade de ganho de EQ, ou ambos. Sem este “pad virtual”, este cenário pode levar à clipagem de canal. 4. Insert 12
  13. 13. Estes jacks 1/4" não balanceados são para conectar processador de efeito serial como compressores, equalizadores, de-essers ou filters. O ponto de insert encontra-se após o controle de ganho [3], mas antes dos controles de EQ do canal [32], low cut [33], fader [25] e mute [30]. Cabos insert devem ser conectados dessa forma: Tip = send (saída para dispositivo de efeitos) Ring = return (entrada de dispositivo de entrada) Sleeve = terra comum Apesar de os canais 1–8 já possuírem jacks direct out [5], jacks insert podem também ser utilizados como saídas diretas de canal; pós-ganho, corte pre-low e pré-EQ. Veja a seção Conector, que mostra 3 maneiras de utilizar cabos insert. 5. Direct Out Encontrados apenas nos canais 1–8, estes jacks 1/4" balanceados fornecem o sinal do fim do caminho do canal; pós-ganho [3], pós-EQ[32], pós-lowcut[33], pós-fader[25] e pós-mute[30]. Eles são a chave de tocar em “monitoramento Split”, fazendo o 1604VLZ4 perfeito para um estúdio 8 pistas. Monitoramento Split Com monitoramento split, você utiliza os 8 primeiros canais para suas fontes de som: mics vocais, mics de bateria, saídas de teclado/sintetizador, saídas de efeitos de guitarra, etc. De lá, os canais manipulam o som, mas não são atribuídos à seção de saída. Em vez disso, eles são recuperados dos jacks direct out [5] do canal à entrada multitrack correspondente (direct out 1 para entrada multitrack 1, 2 para 2, 3 para 3, etc.) Os sinais serão agora gravados ou passarão diretamente através da multitrack, dependendo do status “pronto-pra-gravação” de cada faixa. As saídas multitrack são então encaixadas nas próximas 8 entradas line [2] no 1604VLZ4 (multitrack out 1 para entrada line 9, 2 para 10, 3 para 11, etc.). Estes canais (9–16) serão endereçados à seção de saída do mixer, fornecendo os sinais para seu destino final, que pode ser seu mixdown2-track, seu sistema controlroom ou seus fones de ouvido. Porém, não vamos esquecer que o1604VLZ4 é um mixer de 4-bus. Estes buses levam às saídas sub[8] e são projetados para realizar a tarefa de levar canais aos multitrack sem utilizar as saídas direct. Por exemplo, um canal é atribuído à sub out 1. A saída da subout1 é encaixada na entrada multitrack1. De lá, a saída multitrack vai para a entrada line canal 9 do mixer, como já discutimos (dica quente: para alimentar um deck de 8 pistas com 4 saídas sub, simplesmente utilize cabos Y: sub out 1 alimenta trilhas 1 e 5, 2 alimenta 2 e 6, 3 alimenta 3 e 7, e 4 alimenta 4 e 8.Trilhas em modo record aceitarão o sinal, e trilhas em modo safe ignorarão ignorar o sinal). 13
  14. 14. As vantagens: você pode atribuir qualquer canal para qualquer track, sem editar novamente. Você pode atribuir múltiplos canais para uma trilha e controlar o nível geral daquele subgroup. Você não pode pular trilhas sem esta função. Talvez o melhor método seja fazer ambos: utilize as sub outs para alimentar submixes de multicanais (como um kit de bateria) para algumas trilhas e os jacks direct out para alimentar sinais de um único canal (como contrabaixo) às outras trilhas. O ponto é que você nunca escuta diretamente os canais fonte (1–8). Você escuta os canais monitores (9– 16) e eles estão escutando a multitrack que estão ouvindo os canais fontes (certifique-se de endereçar os canais monitores 9-16 ao mix L/R, e não aos canais monitores 1-8). A maior vantagem é que você não será forçado a reeditar constantemente seu multitrack—apenas fazer seu setup e esquecê-lo. Você também saberá com certeza que os sinais estão realmente chegando ao multitrack, já que está constantemente escutando-o. Outro método de interface para multitrack é chamado monitoramento inline e requer console de mixagem dedicado. Cada canal é na verdade 2 canais: um carregando a fonte de som mic/line e outro carregando a saída multitrack. 6. Aux Sends Estes jacks 1/4" geralmente fazem patch para as entradas de um dispositivo de efeitos paralelos ou para as entradas de amplificadores monitores de palco. Para detalhes, veja “Aux Talk”. Efeitos: Serial Ou Paralelo? Até agora, falamos algo sobre os termos “serial” e “paralelo.” Aqui vai então, o que de fato eles significam: “Serial” significa que o sinal inteiro deixa o mixer [insert(4)send] via dispositivo de efeitos, e retorna ao mixer [insertreturn]. Exemplos: compressor/limitadores, equalizadores gráficos. “Paralelo” significa que uma parte do sinal no mixer é retirada para o dispositivo (aux send), processada e retornada ao stereo return, para ser mixada com o sinal “dry” original. Dessa forma, múltiplos canais podem, todos, fazer uso dos mesmos dispositivos de efeito. Exemplos: reverb, digitaldelay. 7. Stereo Returns 14
  15. 15. Este é o local para conectar as saídas de dispositivos de efeitos paralelos (ou fontes extras de áudio). Eles aceitarão praticamente todos dispositivos de efeitos profissionais ou semiprofissionais do mercado. Para aprender como os sinais são encaminhados a partir destas entradas, veja stereoreturnlevel[51]. Mono: se você possui um dispositivo de efeito com uma saída mono (um cabo), plugue-o na entrada esquerda de um stereoreturn e deixe a entrada direita desplugada. Dessa forma, o sinal será enviado para ambos os lados, aparecendo magicamente no centro como um sinal mono. 8. Sub Outs Estes 4 jacks 1/4" são geralmente editados para as entradas de um deck multitrack ou para amplificadores secundários em uma instalação complexa. Para aprender como os sinais são encaminhados para estas saídas, veja Subgroup Faders[38]. Double Busing Como você faz para que 4 jacks alimentem 8 trilhas? Para alimentar um deck 8 trilhas com apenas 4 subouts, simplesmente utilize 4 cabos Y: •SubOut1 alimenta trilhas1 e 5 •SubOut2 alimenta trilhas2 e 6 •SubOut3 alimenta trilhas3 e 7 •SubOut4 alimenta trilhas4 e 8 Trilhas em modo gravação aceitarão o sinal e trilhas em modo safe ignorarão o sinal. É simples assim. Este método é exatamente o mesmo da função double-busing encontrada em outros mixers. Double-busing embutido é nada mais do que cabos Y dentro do mixer, em vez de estarem na parte de trás. Se nós tivéssemos espaço para jacks extras, teríamos colocado internamente, mas como não temos, não o fizemos. Sonoramente, não há diferença. Conselho sobre o cabo Y: não utilize adaptadores splitter estéreo “headphone-toleft/right”. Utilize o tipo que envia o mesmo sinal para 2 lugares; a ponta do plug fonte alimenta as pontas de ambos plugs de destino. 9. C-R Outs (Saídas Control Room) Estes jacks 1/4" são geralmente editados para as entradas de amplificador controlroom ou amplificador de distribuição de headphone. Para aprender como estes sinais são encaminhados para estas saídas, veja Ctlroom/Phones[43]. 10. Phones Out (no Painel Frontal) O jacks phones estéreo1/4"do 1604VLZ4 remeterão qualquer fone de ouvido padrão para níveis muito altos. Para aprender como os sinais são encaminhados para estas saídas, veja ctlroom/phones[43]. Se você estiver conectando seu próprio cabo para a saída phones: Tip = canal esquerdo Ring = canal direito Sleeve = terra comum AVISO: Quando dizemos que o amplificador de fone de ouvido é alto, não estamos brincando. Isto pode causar dano permanente aos ouvidos. Até mesmo níveis intermediários podem ser dolorosamente altos com alguns fones de ouvido. CUIDADO! Sempre diminua até o mínimo o potenciômetro ctlroom/phones[43] antes de conectar fones de ouvido. Mantenha-o no mínimo até que você tenha colocado os fones, e então aumente-o devagar. Por quê? “Engenheiros que fritaram seus ouvidos tiveram carreiras curtas”. 11. Tape Out Estes jacks RCA não balanceados lidam com as saídas mainmix para fazer gravações simultâneas e trabalho PA da maneira mais conveniente. Conecte-os às entradas 2-track do seu gravador. Para aprender como sinais são encaminhados para estas saídas, veja detalhes do Fader Mainmix[37]. Mono: se você deseja alimentar sinal mono para seu deck tape ou outro dispositivo, simplesmente utilize o jack de saída mono 1/4"[15]. 15
  16. 16. 12. Tape In Estes jacks RCA não balanceados são projetados para trabalhar com gravadores semiprofissionais e gravadores profissionais. Conecte as saídas tape 2-track de seu gravador aqui, utilizando cabos RCA hi-fi padrões. Para aprender como sinais são roteados a partir destas entradas, veja Tape In (nível) [40. Utilize estes jacks para mixes de playback de maneira conveniente. Você poderá revisar um mix, então retroceder e tentar outro passo sem reeditar ou atrapalhar os níveis do mixer. Você pode ainda utilizar estes jacks com um CDplayer para alimentar de música, um sistema de PA entre sets. AVISO: Apertar tape para o mainmix[41] na seção de saída pode criar um path de feedback entre a entrada tape e a saída tape. Certifique-se de que seu tape deck não está no modo gravar, pausagravar ou monitor de entrada quando habilitar esta chave, ou certifique-se de que o potenciômetro tapeinlevel está completamente desligado (sentido anti-horário). 13. Main Insert Estes jacks 1/4" são para conectar efeitos seriais como compressores, equalizadores, de-essers ou filters. O ponto insert está após os amplificadores do mix, mas anterior ao fader mainmix[37]. Cabos insert devem ser conectados dessa forma: Tip = send(saída para dispositivo de efeitos) Ring = return(entrada de dispositivo de efeitos) Sleeve = terra comum 14. Saídas Main Estes jacks 1/4" são geralmente editados para as entradas de seu deck mixdown 2-track (a não ser que que você tenha escolhido utilizar jacks RCA de saída tape[11]), ou para o amplificador da casa durante sessões de som ao vivo. Para aprender como sinais são encaminhados para estas saídas, veja detalhes de Fader Mainmix[37]. Na utilização destas saídas para remeter a entradas balanceadas, conecte plugs phone 1/4"TRS (Tip-Ring-Sleeve) dessa maneira: Tip = Positivo (+ ou hot) Ring = Negativo (– ou cold) Sleeve = Blindado ou terra Para utilizar estas saídas para conduzir entradas não balanceadas, conecte plugs phone 1/4"TS (TipSleeve) dessa maneira: Tip = Positivo (+ ou hot) Sleeve = Blindado ou terra 15. Mono Out Acontece com todos mais cedo ou mais tarde: as forças que governam seu mundo demandarão saída monaural de seu panorama estéreo meticulosamente criado. A última coisa que você deseja é bagunçar todas suas configurações pan, cuidadosamente colocadas em um lado. O que fazer? Fixe um cabo neste jack 1/4", leve a outra ponta para o Sr. Mono. E é isso. Ele tem seu mix mono e você ainda tem seu mix estéreo. As saídas mono nada mais são do que uma mistura do main mix esquerdo e direito. 16. Mono Level Então, o Sr. Mono volta correndo, gritando porque o mix mono está tão alto que a camcorder está derretendo. Apenas encontre este potenciômetro e diminua-o um pouco. É o ideal para enviar sinais mono para entradas mic como camcorders, caixas de interface de telefone e até mesmo secretárias eletrônicas. Com o potenciômetro no máximo (inteiramente sentido horário), você obterá 6dB de ganho extra, com unidade de ganho na metade do caminho entre as posições 1 e 2 do relógio. 17. Seletor de Voltagem Localizada no painel inferior, é uma chave seletora de voltagem. 16
  17. 17. AVISO: Antes de plugar o cabo de energia AC no 1604VLZ4, você deve se certificar de que esta chave deslizante está configurada para a mesma voltagem da fonte principal AC local. Apenas deslize a chave de voltagem com o cabo de energia desplugado. Utilize chave de fenda de cabeça chata para deslizar a chave, se necessário. A chave permite utilizar o mixer em diferentes países e voltagens, conhecer pessoas interessantes de outras culturas e entretê-las. 18. Conexão de Energia Apenas caso você perca o cabo fornecido com o 1604VLZ4, seu jack de energia aceitará um cabo padrão IEC 3 pinos, como aqueles encontrados na maioria dos gravadores, instrumentos musicais e computadores profissionais. AVISO: Antes de plugar o cabo de energia AC no 1604VLZ4, você deve certificar-se de que a chave deslizante seletora de voltagem [17] está configurada para a mesma voltagem da fonte principal AC. AVISO: Desconectar o pino terra do plug pode ser perigoso. Não faça isso. 19. Fuse O 1604VLZ4 possui fusíveis para sua (e a dele mesmo) proteção. Se você suspeitar de um fusível queimado, desconecte o cabo de energia, abra o compartimento de fusíveis com uma chave de fenda pequena e substitua o fusível por um 1ASLOBLO, 5x20mm, disponível em lojas de eletrônicos (ou um 500mASLOBLO5x20mm se seu 1604VLZ4 estiver configurado para 220V-240V). Se dois fusíveis queimarem em seguida, algo está muito errado. Por favor, ligue para seu distribuidor e descubra o que fazer. 20. Chave Power Empurre a parte de cima desta chave para ligar o mixer. O led power[21] na superfície de cima do mixer acenderá intensamente. Ao menos irá, se você tiver plugado o mixer em uma rede elétrica AC adequada. Pressione a parte debaixo dessa chave para colocar o mixer em modo standby. Ele não terá função, mas os circuitos estão vivos. Para remover a energia, desligue a energia elétrica AC ou desplugue o cabo de energia do mixer e da rede elétrica AC. Como orientação geral, você deve ligar primeiro o mixer, antes do amplificador ou falantes, e desligá-lo por último. Isto irá reduzir as possibilidades de ruídos nos falantes, ao ligar e ao desligar. 21. LED Power Você provavelmente já descobriu isto: se chave power [20] está ligada, este LED (diodo - emissão de luz), localizado na seção de saída, acenderá. Se a chave estiver desligada, bem, você entendeu a ideia. Se a chave power estiver ligada e o LED não acender, uma dessas 3 coisas aconteceu: alguém tropeçou no cabo de energia e arrancou-o da tomada, sua eletricidade foi desligada devido à falta de pagamento ou o fusível queimou. 17
  18. 18. 22. Chave Phantom Esta chave controla o fornecimento de phantom power para todas as entradas mic [1], como discutido anteriormente. Quando ligado (ou desligado), o circuito phantom power leva alguns momentos para aumentar (ou diminuir) a voltagem. Isto é perfeitamente normal. Certifique-se de puxar para baixo o fader master e volume fone de ouvido/control room, antes de habilitar a chave phantom. 23. LED 48V Localizado logo ao lado do LED power, este LED é apenas para informar a configuração da chave phantom[22]. Se seus microfones dinâmicos funcionam e seus condensadores não, é possível que este LED esteja desligado. Então ligue. Você notará, quando desligar o phantompower, que o LED continua acesso por um tempo. Este é um fenômeno natural—o LED é na verdade um voltímetro lhe dizendo que o phantompower leva um tempo para chegar ao zero. Então, se você desligou o phantompower para conectar algo nas entradas mic, aguarde até que o LED pare de acender. Só então faça suas conexões de maneira segura. 24. Soquete de lâmpada BNC Localizado no canto direito da parte de cima da seção de saída, este soquete 12V irá conduzir qualquer lâmpada tipo BNC padrão (uma Littlite®#12G ou #12G-HI – alta intensidade, por exemplo). Descrição da Faixa de Canais As faixas de 16 canais são parecidas e funcionam de maneira idêntica. Então, se você aprender uma, aprenderá todas. A única diferença é que os 8 da esquerda possuem jacks directout[5] e os 8 da direita, não. Bom, vamos começar pelo final e ir subindo. “U” – Ganho de Unidade Mixers VLZ4 possuem o símbolo “U” em quase todos os controles de nível. Este “U” significa “ganho de unidade” e não significa qualquer mudança no nível de sinal. Uma vez realizado o procedimento de configuração de nível, você pode configurar cada controle em “U”, e seus sinais viajarão através do mixer em níveis ótimos. Além disso, todos as denominações no seus controles são medidas em decibéis (dB). Dessa forma, você saberá o que está fazendo em relação ao nível caso escolha mudar as configurações de um controle. 25. Fader Channel O fader é quase o último controle no caminho de sinal do canal. Está localizado depois do controle EQ [32] e do controle mute [30] (pós-EQ/pós-mute), e antes do controle pan [31] (pré-pan). A marca “U”, cerca de ¾ para cima, indica ganho de unidade - o que não significa aumento ou diminuição do nível de sinal. Todo este caminho para cima fornece 10dB adicional, caso necessite impulsionar uma seção de uma música. Se você achar que o nível geral está muito quieto ou muito alto com um fader perto de unidade, você confirmará a configuração realizando o procedimento de configuração de nível. Fade Limpo Faders não são uma ciência complicada—eles operam arrastando um pino de metal (o wiper) através de uma tira à base de carbono (a trilha). É possível que algo voador pouse na 18
  19. 19. trilha. Se isso ocorrer, talvez você ouça ruídos de arranhão ou queda de sinal. Você pode manter todos os pretensos voadores longe de sua profissão. Utilize ambientes com ar condicionado sempre que possível, evite fumar perto do mixer, mantenha comida e bebida longe do mixer, e por favor, nunca coloque o mixer em sua cozinha! Também recomendamos “exercitar” os faders—dê-lhes algumas excursões-viagens completas uma vez por semana mais ou menos, e isto ajudará a espantar os voadores. Não utilize limpadores spray: prefira utilizar ar comprimido ou aspirador com escova acoplada. 26. Assign (1–2, 3–4, L–R) Ao lado de cada fader de canal há 4 botões: solo,1–2,3–4 e L–R. Os últimos 3 são coletivamente chamados como chaves de endereçamento de canal. 1,3 e L são os lados esquerdos destes pares estéreos, e 2,4 e R são os lados direitos. Utilizadas em conjunto com o potenciômetro pan do canal [31], estas chaves determinam o destino do sinal de um canal: com pan configurada no centro de detenção, os lados esquerdo e direito recebem níveis de sinal iguais. Para alimentar apenas um dos lados, apenas gire o potenciômetro pan de acordo. Se você estiver fazendo um mixdown para 2trilhas, simplesmente habilite a chave L–R em cada canal que desejar ouvir, e elas serão enviados ao mainmix. Se você deseja criar subgrupo de determinados canais, habilite as chaves 1–2 ou 3–4 em vez da L–R, e elas serão enviados aos faders de subgrupo apropriados. De lá, os subgrupos podem ser enviados de volta ao mainmix, permitindo que você utilize os faders de subgrupo como controles másteres para estes canais. Se você estiver imprimindo novas trilhas ou pulando as já existentes, você também utilizará as chaves 1–2 e 3–4, mas não a chave L–R. Aqui, você não quer os subgrupos enviados de volta ao mainmix, mas enviados para fora, via jacks subouts[8], para entradas multitrack. No entanto, se estiver imprimindo trilhar via jacks directout[5], todas as chaves de atribuição de canal devem ser desabilitadas (para cima). O 1604VLZ4 é o que nós chamamos de “verdadeiro mixer 4-bus.” Cada canal pode ser atribuído ou não a qualquer um dos subgrupos sem afetar os outros subgrupos ou configurações dentro do canal. Cada subgrupo tem seu próprio fader master e saída dedicada. De fato, desde que há 4 subgrupos e o mainL/Rmix, trata-se na verdade um verdadeiro mixer 6-bus. Poderíamos tê-lo nomeado o 1606VLZ4. Danado! 27. Solo Esta chave adorável permite checar sinais nos fones ou controlroom sem ter de atribuí-los aos mixes LR,1-2 ou 3-4. Você pode fazer solo em quantos canais quiser. Solo não interrompe qualquer outro canal, buses ou entradas— isto é chamado solo não destrutivo. Utilizando a chave mode[44], o sistema solo do 1604VLZ4 vem em dois tipos: normal-AFL (às vezes chamado SIP ou solo-in-place) e levelset-PFL (às vezes chamado PFL ou pre-fader-listen). A chave mode é descrita em detalhes mais adiante. Levelset(PFL) alcança o sinal do canal antes do fader. Se você possui um fader de canal estabelecido bem abaixo de “U” (ganho de unidade), solo não saberá disso e enviará sinal de ganho de unidade ao controlroom, fones de ouvido e display medidor. Isto pode resultar em boost surpreendente nestas saídas, dependendo da posição do potenciômetro de nível solo[46] Resumindo, canais com solo são enviados ao mix [42], que por fim alimentam seu controlroom, seus fones de ouvido e display medidor. Sempre que solo estiver habilitado, todas as seleções de fonte (mainmix,1–2,3–4, e tape) são anuladas, para permitir que o canal com solo faça somente isto—solo! 28. LED –20 (Solo) Um LED que faz duas coisas completamente diferentes: economiza espaço e recicla o planeta. Mas requer alguma explicação. Primeiramente, a parte do “–20”: fequentemente chamado de “atividade de sinal,” este LED piscará no tempo do sinal presente naquele canal. É útil para confirmar que um canal é na verdade ativo, e pode também dar uma pista sobre o que é o sinal. Por exemplo, um kickdrum fará o LED pulsar no tempo do drum, e um pad sintetizador o fará acender mais constantemente. Agora, a parte “solo”: 19
  20. 20. quando uma chave solo do canal é habilitada, este LED acenderá constantemente, sem oscilar. Também será mais intensa do que o indicador –20. 29. LED OL (Mute) Outro LED que faz duas coisas completamente diferentes! Primeiramente, a parte “OL”: “OL” significa sobrecarga ou clip. Você não quer que isso aconteça. Nunca! Clipagem pode acontecer com qualquer mixer—é o ponto onde a voltagem dos sinais tenta exceder as voltagens da fonte que dá energia ao circuito. O LED OL do 1604VLZ4 acenderá logo antes da clipagem. Se você vir, tome medidas imediatas: realize o procedimento de configuração de nível. Se isto não ajudar, confira se houve uso excessivo de impulso EQ ou ganho fader. Como o LED –20, tenderá a piscar no tempo do sinal daquele canal. Agora, para a parte “mute”. Supondo que seus níveis estejam configurados corretamente, o LED OL nunca acenderá como resultado de clipagem. Isto é bem entediante. Então, para animar as coisas, este LED acenderá constantemente quando a chave mute [30] daquele canal estiver habilitada. Segue uma referência rápida para estes LEDs: Nome Cor Pisca Acende –20 (SOLO) verde sinal presente canal com solo OL (MUTE) vermelho clipagem de canal canal em mute 30. Mute Pressionar esta chave traz os mesmos resultados que diminuir por completo o fader do canal: qualquer atribuição de canal para L-R,1-2 ou 3-4 será interrompida. Todas mandadas auxiliares (auxsend) que estiverem pós fader serão silenciadas, assim como os sinais directout nos canais 1 até 8, e o LED OL (mute) irá acender. As mandadas auxiliares (aux send) que estiverem configuradas pré fader, mandada do insert do canal e solo (em modo PFL) continuarão funcionando durante o mute. Dependendo do conteúdo de áudio em um canal, habilitar a chave mute pode causar ligeiro estalo. Isto não é um problema interno do mixer e pode ser evitado: simplesmente habilite a chave lowcut[33] em cada canal (a não ser que que seu conteúdo de baixa frequência seja vitalmente importante, como um bumbo ou contrabaixo). Lowcut elimina restos subsônicos - o que causa estalo - e seu efeito é geralmente transparente. 31. Pan Ajusta a quantidade de sinal de canal enviado à saída esquerda versus direita. Pan determina o destino da atribuição L-R, subgrupos 1–2 e 3–4 e o solo (em modo AFL). Com o potenciômetro todo para a esquerda, o sinal alimentará o mainmix esquerdo, subgrupo 1, subgrupo 3 e o modo solo normal (AFL) esquerdo (supondo que suas chaves de atribuição estejam habilitadas). Com o potenciômetro todo para a direita, o sinal alimenta o mainmix direito, subgrupo 2, subgrupo 4 e modo solo normal (AFL) direito. Com pan configurado em algum lugar entre direito e esquerdo, o sinal será dividido entre os buses esquerdo e direito. Fontes Estéreo Sua vida será mais fácil se você seguir essa convenção padrão: quando editando fontes de som estéreo para um mixer, sempre plugue o sinal esquerdo em um canal ímpar (1,3,5,etc.) e o sinal direito, nos canais pares adjacentes (2,4,6,etc.). Faça pan do canal ímpar todo para esquerda e do canal par, todo para direita. Sonoridade constante! ! ! Os controles pan do 1604VLZ4 empregam projeto chamado “Sonoridade Constante”. Nada tem a ver com viver ao lado de uma via expressa. Conforme gira o potenciômetro pan da esquerda para a direita (causando, portanto, movimento do som da esquerda para o centro e para a direita), o som parecerá permanecer no mesmo volume (ou altura). Se você tiver um canal com pan todo para a esquerda (ou direita) e lendo 0dB, isto deve ir para baixo cerca de 4dB na esquerda (ou na direita) com pan ao centro. Para fazer o contrário, como aqueles mixers da Marca X, o som pareceria muito mais alto com o pan no centro. 20
  21. 21. 32. EQ Mid-Sweep de 3Bandas O 1604VLZ4 possui equalização de 3 bandas, mid-sweep: lowshelving em 80Hz, midsweep com pico entre 100Hz e 8kHz, e hishelving em 12kHz. É provavelmente todo o EQ que você precisará! Shelving significa que os circuitos impulsionam ou cortam todas as frequências após a frequência especificada. Por exemplo, o low EQ do 1604VLZ4 impulsiona frequências graves abaixo de 80Hz e continua abaixando para a nota mais baixa, que você nunca ouviu. Fazer picos significa que certas frequências formam uma “montanha” ao redor da frequência central. O low EQ fornece até 15dB de boost ou corte abaixo de 80Hz. O circuito é flat (sem ganho ou corte) na posição do centro. Esta frequência representa o punch do bumbo, contrabaixo, patches de fatsynth e alguns cantores muito sérios que comem vidro quebrado no café da manhã. Utilizado em conjunto com a chave lowcut[33], você pode impulsionar o lowEQ sem injetar restos subsônicos no mix. Recomendamos utilizar a função lowcut em todos os canais, exceto sinais de baixa frequência, como kickdrums e contrabaixos. O EQ mid, ou “midrange,” possui largura de banda fixa de 1 oitava. O potenciômetro mid configura a quantidade de ganho ou corte até 15dB, e é efetivamente “bypassed” no centro. O potenciômetro configura a frequência do centro, com varredura de 100Hz para 8kHz. A maioria dos root e harmônicos curtos que definem um som está localizado na faixa de frequência 100Hz–8kHz, e você pode criar mudanças gráficas com estes dois potenciômetros. Muitos engenheiros utilizam EQ mid para cortar frequências midrange, não impulsioná-las. Um truque popular é configurar o mid inteiramente para cima. Gire o potenciômetro até que você ache um ponto onde soe simplesmente terrível, e então volte o mid para baixo na faixa de corte, causando o desaparecimento daquelas frequências terríveis. Parece besteira, mas funciona. Algumas vezes. O hiEQ lhe fornece até 15dB de ganho ou corte abaixo de 12kHz, e também é flat na detenção. Utilize-o para adicionar chiado de pratos e senso de transparência, ou uma borda para teclados, vocais, guitarras e fritar bacon. Diminua-o um pouco para reduzir sibilância ou para mascarar chiados do tape. Com muito EQ, você pode complicar muito as coisas. Projetamos muito impulso e corte em cada circuito equalizador porque sabemos que todos precisam disso ocasionalmente. Porém, se você maximizar o EQ em cada canal, obterá mixmush. Equalize sutilmente e utilize os lados esquerdos dos potenciômetros (corte), bem como os lados diretos (boost). Se você se encontrar utilizando repetidamente boost total ou corte total, considere alterar a fonte de som, como colocar o mic diferentemente, tentando um tipo diferente de mic, mudando as cordas ou gargarejando. 33. Low Cut Esta chave, frequentemente chamada de high pass filter - filtro passa alta (tudo depende de como você olha), corta frequências graves abaixo de 75Hz, em uma faixa de 18dB por oitava. Isto não é um filtro qualquer —uma curva 18dB por oitava requer circuito elaborado. Nada além do melhor. Recomendamos utilizar isto em cada fonte de som, exceto bumbo, contrabaixo ou bassysynth patches. Fora isso, não há muito mais que você queira ouvir. E filtrar torna tudo muito mais crocante e elegante. Não apenas isso: o lowcut ajuda a reduzir as possibilidades de feedback em situações ao vivo – o que conserva a força amplificadora. Com lowcut, você seguramente terá boost em low EQ. Muitas vezes, EQ bassshelving pode realmente beneficiar vozes. O problema é que adicionar lowEQ também gera boost em ruídos subsônicos: barulhos do 21
  22. 22. palco, som de manuseio do microfone, barulho do vento e estalos de respiração. Lowcut remove todos estes ruídos. Assim, você pode ter boost com lowEQ sem estourar seus subwoofers. Aqui uma curva de frequência de lowEQ combinado com lowcut: 34. Aux 1, 2, 3, & 4 Estes quatro potenciômetros pegam uma parte de sinal de canada canal, mistura e envia para as saídas de mandadas auxiliares (aux send) [6]. Eles estão desligados quando girados completamente para baixo, entregam ganho de unidade no centro de detenção e podem fornecer até 15dB de ganho quando girados completamente para cima. Possivelmente, você nunca precisará deste ganho extra, mas é bom saber que está lá caso precise. As saídas das mandadas auxiliares (auxsend) são então endereçadas para entradas de processadores paralelos de efeito ou entradas de monitores amplificadores de palco. Os níveis da mandada auxiliar 1 (auxsend 1) e 2 são controlados não apenas pelos potenciômetros aux do canal, mas também pelo potenciômetro geral de controle da mandada auxiliar (máster aux send)[49]. Mandadas auxiliares também podem ser utilizadas para gerar mixes separados para gravação ou “mix-minuses” para broadcast. Utilizando aux1 ou 2 no modo pré [35], estes níveis mix podem ser obtidos independentemente das configurações do fader de um canal [25]. Recomendamos entrar no reverb estéreo em mono e retornar em estéreo. Descobrimos isto na maioria dos reverbs “estéreos”, a segunda entrada apenas amarra uma mandada auxiliar (aux send) extra e não adiciona nada ao som. Existem exceções: então sinta-se livre para tentar das duas maneiras. Caso escolha utilizar 2 mandadas auxiliares (aux send), utilize o aux “ímpar” (1,3 ou 5) para alimentar sua entrada direita e o aux “par”(2,4 ou 6) para alimentar a entrada direita. Lembre-se: se você também estiver lidando com um sinal de fonte estéreo, você poderá seguir os lados—utilize o aux ímpar no canal carregando o lado esquerdo e o aux par no canal carregando o direito. 35. Pré Esta chave determina o ponto tap de aux1 e 2. De maneira geral, mandadas “pós” são utilizadas para alimentar dispositivos de efeitos e mandadas “pré” são utilizadas para alimentar seus monitores de palco. Veja o diagrama “Pré x. Pós” abaixo. Aux3 a 6 estão sempre em modo pós. Em modo pós (chave para cima), aux 1 e 2 seguirão as configurações EQ [32], low cut [33], fader [25] e mute [30]. Se você usa fade no canal, terá fade na mandada. Isto é uma obrigação para mandadas de efeitos, já que você quer que os níveis de seus sinais “wet” sigam o nível dos sinais “dry.” No modo pré (chave para baixo), aux 1 e 2 seguem apenas as configurações de ganho e lowcut. As configurações de EQ, pan, ader e mute não possuem efeito nas mandadas pré. Este é o método preferido para estabelecer alimentações de monitores de palco—serão controladas independentemente dos movimentos do fader e mute. 22
  23. 23. 36. 5/6 Shift Não deixe o fato de que existem apenas 4 potenciômetros aux por canal lhe enganar: o 1604VLZ4 possui 6 mandadas auxiliares (auxsend)[6]. Com esta chave 5/6shift para cima, os potenciômetros denominados aux3 e aux4 entregam seus sinais para as saídas de mandadas auxiliares (auxsend) 3 e 4. Com a chave para baixo, os sinais aparecem nas saídas de mandada auxiliares (auxsend) 5 e 6. Recomendamos que auxsend3 e 4 sejam patched em seus efeitos “utility”, como um reverb curto ou delay: efeitos que você utiliza sempre. Utilize as mandadas auxiliares (auxsend) 5 e 6 para efeitos “exóticos”, como harmonizadores e delays multi-tap, que geralmente não são utilizados frequentemente. Descrição da Seção de Saída Você acabou de aprender sobre entradas de canal e como os sinais entram e saem. Os sinais entram via jacks de entrada mic [1] e line [2], são manipulados pelos canais e então enviados à seção de saída (master). As coisas ficam um pouco mais complicadas. Então coloque seu chapéu pensante, respire fundo, pegue este manual, suba em uma bicicleta, pedale até o canal, pondere sua vida e todas suas experiências únicas, e então leia esta seção. 37. Fader Main Mix Este fader controla os níveis dos sinais enviados aos jacks de saída main [14] e jacks RCA de saída tape [11]. Todos os canais e stereo returns que são atribuídos ao main mix, que não estejam em mute e não estejam virados completamente para baixo aparecerão nas saídas main. Antes do main mix chegar a este fader, os sinais passam através do main insert [13]. Os sinais do main mix estão desligados com o fader inteiramente para baixo, a marca “U” é ganho de unidade - inteiramente para cima fornece 10dB de ganho adicional. Este ganho adicional tipicamente nunca será necessário, mas, mais uma vez, é bom saber que está lá. O próprio fader é uma versão estéreo dos faders de canal e de subgrupo— ainda que taper personalizado em suave e ainda que em silêncio absoluto quando girado completamente para baixo. Este é o fader para baixar no final da música, quando desejar o “GreatFade-Out.” 38. Faders de Subgrupo Como você poderia esperar, estes faders controlam os níveis dos sinais enviados às saídas sub [8]. Todos os canais atribuídos aos subgrupos com as chaves de atribuição [26] que não estejam em mute e não estejam completamente para baixo aparecerão nas saídas sub. Ao contrário da saída main[14], os sinais de subgrupo não passam através de um jack insert no caminho para os faders de subgrupo. Isto não é problema—se você deseja enviar estes sinais através de um processador de efeito serial, simplesmente faça patch das saídas sub para as entradas do efeito, e das saídas de efeito para qualquer que seja o destino final, geralmente um gravador multitrack. O sinal do subgrupo está desligado quando seu fader estiver completamente para baixo - a marca “U” é ganho de unidade e completamente para cima fornece 10dB de ganho adicional. Lembre-se disso se estiver tratando 2 subgrupos como um par estéreo, subgrupo 1 e 2 por exemplo. Certifique-se que ambos os faders de subgrupo “cavalgam” juntos, para manter o equilíbrio esquerdo/direito. 39. Assign To Main Mix Um uso popular destes subgrupos é utilizá-los como faders másteres para um grupo de canais no caminho ao mainmix. Digamos que você possua um drumkit hoggingup de 7 canais e quer aplicar fadeout em uma faixa diferente dos outros canais. Como você não tentará isto com 7 mãos ou 7 dedos, apenas desenderece estes canais de L–R, reenderece ao subgrupo 1–2, habilite o assigntomainmix: esquerdo em 23
  24. 24. subgrupo 1 e direito em subgrupo 2. Agora você pode cavalgar no drum mix estéreo inteiro com 2 faders—1 e 2. Se você habilitar apenas uma chave assigntomainmix por subgrupo (esquerdo ou direito), o sinal enviado ao main mix será do mesmo nível que as saídas sub[8]. Se você quiser que o subgrupo apareça no centro do main mix, habilite ambos assign to main mix, chaves esquerda e direita. O sinal será enviado para ambos lados, e será atenuado apenas o suficiente para preservar altura constante, assim como os potenciômetros pan do canal [31] quando configurados no centro. 40. Tape In (Level) Este potenciômetro controla o nível de sinal estéreo que chega dos jacks RCA de entrada tape [12]. Sua faixa está desligada quando estiver completamente para baixo, unidade no centro, com 20dB de ganho adicional quando girado inteiramente para cima - o que pode ser útil se você fez patch em um dispositivo com níveis de saída fracos. Após determinando o nível, o sinal estéreo tape pode ser enviado para 2 lugares—o mainmix ou a matrix fonte [42]. 41. Tape para LR Habilitar esta chave é como habilitar a chave L-R em um canal — o sinal, estéreo neste caso, é enviado ao main mix. Isto não interrompe outros sinais, apenas adiciona ele próprio aos canais. Esta chave pode ser muito útil em situações ao vivo, quando você quer tocar música calmante de elevador para plateia ansiosa. AVISO: Habilitar tape para mainmix pode criar endereçamento de retorno entre entrada tape[12] e saída tape[11]. Certifique-se de que seu tapedeck não está em gravação, gravação-pausa ou modo monitor quando habilitar esta chave, ou que o potenciômetro de nível tape in [40] está girado inteiramente para baixo. 42. Fonte Tipicamente, o engenheiro envia o mainmix para uma plateia ou para um deck mixdown (se estiver gravando). Porém, e se o engenheiro precisar ouvir algo além do mainmix? Com o 1604VLZ4, o engenheiro possui diversas opções além do ouvir. Esta é uma daquelas partes complicadas—tome um café antes. Utilizando estas chaves, você pode escolher ouvir qualquer combinação de mainmix, subs1-2, subs3-4 e tape. Seleções feitas aqui entregam sinais estéreos ao controlroom, fones de ouvido e display medidor. Estes sinais são retirados dessa forma — fader pós-mainmix, pós faders de subgrupo [38] e potenciômetro póstapein [40]. Sem qualquer chave habilitada, não haverá sinal nestas saídas, nem indicação nos medidores, com 2 exceções: solo e estéreoreturn4. Independentemente da seleção matrix fonte, habilitar uma chave solo substituirá aquela seleção com o sinal solo, também enviado ao controlroom, fones de ouvido e display medidor. Isto é o que faz o procedimento de configuração de nível tão fácil. Agora, você sabe como selecionar os sinais que deseja enviar ao control room e/ou phones. Uma vez selecionados, estes sinais todos passam através do mesmo controle de nível, apropriadamente nomeado: 43. CR/Phones Como você poderia esperar, este potenciômetro controla os níveis do controlroom estéreo e dos fones de ouvido. Certifique-se de movê-lo para o mínimo antes de selecionar ou adicionar uma nova fonte. Qualquer que seja sua seleção, também pode utilizar as saídas controlroom para outras aplicações. A qualidade do som é tão impecável como a das saídas main. Isto pode ser utilizado como uma saída mainmix 24
  25. 25. adicional e possuirá seu próprio controle de nível. Entretanto, se fizer isto, esteja ciente de que se você habilitar uma chave solo [27], interromperá o mix: Habilitar uma chave solo causará esta dramática mudança de acontecimentos: qualquer seleção matrix fonte será substituída por sinais solo, aparecendo no controlroom, fones de ouvido e display medidor. Os níveis solo audíveis são controlados pelo potenciômetro de nível solo[46]. Os níveis de solo que aparecem no display medidor são controlados por nada — você não iria querer isto. Você quer o nível real no display, independentemente de quão alto está ouvindo. 44. Modo (AFL/PFL) O sistema solo do 1604VLZ4 vem em dois sabores: AFL(às vezes chamado de SIP ou solo-in-place) e PFL(às vezes chamado de PFL ou pre-fader-listen). Em AFL, o sinal dos canais com solo é enviado diretamente ao controlroom, fones de ouvido e display medidor, assim como soaria às chaves de atribuição de canal: pós-EQ[32], pós-fader[25] e pós-pan[31]. A única diferença é que solo funciona independentemente da posição de atribuição do canal e isto o torna muito útil — você pode conferir um canal antes de atribui-lo. AFL é o modo preferido durante o mixdown: se o canal tiver algum boost de médio alcance em 4.236kHz, com um pouquinho de pan para a esquerda, fader em –5.385dB, isto é exatamente o que você ouvirá se aplicar solo durante o modo AFL. É como se você tivesse colocado todos os outros canais em mute. PFLsolo é a chave do procedimento totalmente importante de configuração de canal. Isto enviará os níveis internos reais do canal aos medidores: então, você saberá o que está acontecendo em relação ao nível. Este procedimento deve ser realizado toda vez que uma nova fonte receber patch em jacks de entrada mic [1] ou line[2]. PFL é também o modo preferido para SR (reforço de som ou som ao vivo) e visualização dos canais antes que entrem no mix. Não lhe dará a localização estéreo mas lhe dará sinal mesmo que o fader esteja girado para baixo. Lembre-se: PFL lida com o sinal do canal antes do fader. Se você tiver fader de canal configurado abaixo de “U” (ganho de unidade), solo não saberá disso e enviará sinal de ganho de unidade para controlroom, fones de ouvido e display medidor. Isto pode resultar em impulso de nível inicial nestas saídas, dependendo da posição do potenciômetro de nível solo [46]. 45. Level Set LED Quando a chave mode está [44] habilitada, está em modo PFL - o modo que você deve estar para configurar níveis. Agora, quando você habilitar qualquer chave solo, este LED será uma “luz verde” para configurar níveis. Se você tentasse configurar níveis durante o modo AFL, o display medidor estaria à mercê do fader do canal, e isto seria um grande problema. 46. Solo (Level) Este potenciômetro controla o nível de sinais chegando do sistema solo. Depois do nível do solo ser determinado, os sinais solo continuarão assumir o controlroom, fones de ouvido e display medidor. Mais uma vez, solo PFL lida com o sinal do canal antes do fader. Se você tiver fader de canal configurado bem abaixo de “U” (ganho de unidade), o solo PFL não saberá disso e enviará sinal de ganho de unidade para o controlroom, fones de ouvido e display medidor. Isto pode resultar em impulso de nível inicial nestas saídas, dependendo da posição do potenciômetro de nível solo. 47. Luz Solo Rude Este LED piscante tem 2 propósitos — para lembrar que está em solo e para deixá-lo saber que está mixando em um 1604VLZ4. Nenhuma outra companhia é tão preocupada com sua consciência de nível de solo. Até forçamos o LED –20 do canal com solo a tocar junto. Daí, você pode achar que esta chave trapaceia rapidamente. Se você trabalhar em um mixer que possui função solo sem luzes indicadoras e por acaso esquecer que está em solo, pode facilmente ser levado a pensar que algo está errado com seu mixer. Daí, a luz solo rude. É especialmente útil às 3h da manhã, quando som 25
  26. 26. nenhum estiver saindo dos seus monitores, mesmo que seu multitrack esteja reproduzindo como louco. 48. Medidores O sistema de medição de picos do 1604VLZ4 é composto de 2 colunas de 12 LEDs - aparentemente simples, considerando a infinidade de sinais que podem ser monitorados por ele. Se nada é selecionado na matrix da fonte [42] e nenhum canal estiver em solo [27], o display medidor irá apenas assentar aqui. Para colocá-los para trabalhar, você tem de fazer a seleção na matrix da fonte (ou habilitar a chave solo de um canal). Por quê? - Você quer que o display medidor reflita o que o engenheiro está ouvindo e, como já discutimos, o engenheiro está ouvindo a saída controlroom ou os fones de ouvido. A única diferença é que enquanto os níveis de escuta são controlados pelo potenciômetro CR/phones[43], o display medidor lê a fonte mix antes daquele controle, dando fotos reais em todos os momentos, mesmo que você não esteja ouvindo nada. Quando a chave mode solo [44] está configurada em PFL (para baixo), todos os sinais com solo serão enviados apenas para o medidor esquerdo. Isto, combinado com o LED levelset[45], está ao longo do caminho da iluminação conhecido como procedimento de configuração de nível (página 5). Durante o modo AFL, os medidores irão se comportar normalmente. Medidores x Realidade Você pode já ser um expert no mundo dos níveis de operação “+4”(+4dBu=1.23V) e “–10” (10dBV=0.32V) . Basicamente, o que faz um mixer ser um ou outro é o 0dB VU (ou 0VU) relativo escolhido pelo display medidor. Um mixer “+4”, com um sinal +4dBu pouringouttheback lerá na verdade 0VU no seu display medidor. Um mixer “–10”, com um sinal –10dBV tricklingout, lerá 0VU em seu display medidor. Então, quando 0VU é realmente 0dBu? Agora! Com risco de criar outro padrão, os mixers compactos VLZ4 atendem à necessidade das multidões, nomeando as coisas como elas são: 0dBu(0.775V) na saída mostrado no display medidor como 0VU. O que poderia ser mais fácil? Aliás, a coisa mais maravilhosa sobre padrões é que existem muitos para serem escolhidos. Graças à ampla faixa dinâmica do 1604VLZ4, você pode obter bom mix, com picos brilhando entre –20 e +10dB no display medidor. A maioria dos amplificadores clipam em cerca de +10dB e alguns gravadores também não perdoam. Para melhores resultados reais, tente manter seus picos entre “0” e “+7.” Por favor, lembre-se: displays medidores de áudio são apenas ferramentas para ajudá-lo a assegurar que seus níveis estão “no estádio.” Você não tem que ficar encarando-os (a não ser que você queira). Se você achar que encarar os medidores lhe traz um transe hipnótico, não fique alarmado. Aux Talk Sends são saídas, returns são entradas. Os potenciômetros aux de cada canal [34] retiram o sinal do canal e envia para as saídas auxsend[6]. Aux1 e 2 são enviados aos potenciômetros master auxsends1 e 2[49] antes das saídas auxsend; aux de 3 à 6 são enviados diretamente. Estas saídas podem ser alimentadas pelas entradas de um reverb ou outro dispositivo. Daqui, as saídas de um dispositivo externo são alimentadas de volta para as entradas stereo return do mixer[7]. Então, estes sinais são enviados através dos controles de nível stereo return[51] e finalmente entregues ao mainmix. Os sinais originais “dry” vêm dos canais para o mainmix, e os sinais afetados “wet” vêm dos stereoreturns para o mainmix. Uma vez misturados, os sinais dry e wet se combinam para criar sons gloriosos. Armado com este conhecimento, vamos visitar o Mundo Auxiliar. 49. Aux Sends (Master) 26
  27. 27. Estes potenciômetros fornecem controle de nível geral dos auxsends1 e 2, logo antes de serem entregues às suas saídas auxsend[6]. Isto é perfeito para controlar o nível dos monitores de palco, já que você utilizará aux1 e 2 para isto, com suas chaves pré [35] habilitadas. Auxsends de 3 a 6 não possuem tal controle — apenas enviarão seus mixes diretamente às suas respectivas saídas auxsend em ganho de unidade. Estes potenciômetros vão de desligados (girados completamente para baixo) a ganho de unidade no centro de detenção, a 10dB de ganho extra (girados completamente para cima). Como com outros controles de nível, você talvez nunca precise do ganho adicional, mas caso precise algum dia, ficará feliz de ter adquirido um 1604VLZ4. Este é geralmente o potenciômetro que você liga quando o vocalista lhe encara fixamente, aponta para o monitor de palco dele e estica o dedão pra cima. 50. Aux Sends Solo Mais uma vez, em situações de música ao vivo, auxsend1 e 2 tendem a alimentar seus monitores de palco. Você conferirá o mix que lhe está enviando (e é para isto que servem estes 2 botões. Aux de 3 a 6 não possuem tal chave). Ao lado de cada chave, está um LED verde que, assim como o LED –20 do canal [28], ajuda a encontrar a chave solo. A única diferença sobre os auxsends solo é que não estão realmente em PFL (pre-faderlisten) e não estão realmente emSIP (solo-in-place). Estão na verdade em AFL (after-faderlisten). Durante o modo AFL[44], você obterá sinal solo de auxsend1, pós-aux envia [49] nível máster no lado esquerdo das saídas controlroom, saída phones e display medidor, e auxsend2 no lado direito (se alguma vez utilizar aux1 e 2 para criar um mix monitor estéreo, entenderá o porquê). Em modo PFL, você obterá o centro morto do sinal, mas o pós-aux ainda envia nível máster. 51. Stereo Returns (Level) Estes 4 controles configuram o nível geral dos efeitos recebidos dos jacks de entrada stereoreturn[7]. Estes controles são projetados para lidar com ampla faixa de nível de sinal — cada potenciômetro vai de desligado - para ganho de unidade na detenção – a 20dB de ganho quando inteiramente no sentido horário, para compensar pelos efeitos de baixo nível. Os sinais que passarem através destes controles de nível prosseguirão diretamente ao fader mainmix[37], com exceções que discutiremos logo mais. Tipicamente, estes potenciômetros podem simplesmente viver no centro de detenção e o controle de saída do dispositivo de efeitos deve estar configurado em qualquer ganho de unidade (confira o manual deles). Se isto acabar sendo muito alto ou muito quieto, ajuste as saídas do dispositivo de efeitos, não o mixer. Dessa forma, os potenciômetros do mixer são facilmente realocados no centro de detenção. 52. To Aux 1 e To Aux 2 Se você deseja adicionar reverb ou delay aos mixes dos monitores de palco, estes são os potenciômetros. Operando independentemente de seus respectivos controles de nível stereoreturns[51] numerados, estes potenciômetros são exatamente iguais aos potenciômetros de faixa de canal aux1[34] e aux2. Estes dois potenciômetros alimentam sinais stereoreturn para suas respectivas saídas auxsend[6]: To auxsend1 alimenta stereoreturn1 para auxsend1master e: To auxsend2 alimenta stereoreturn2 para auxsend2master. Eles estão desligados quando girados inteiramente para baixo, entregam ganho de unidade no centro de detenção e podem fornecer até 15dB de ganho quando girados inteiramente para cima. Stereoreturn3 e 4 não possuem tais potenciômetros. 27
  28. 28. 53. Main Mix To Subs (Stereo Return 3) Com esta chave para cima, stereo return 3 se comporta como todos os outros —entrega sinal estéreo, regulado por seu potenciômetro de nível, para o main mix. Quando você habilita esta chave, os sinais são removidos dos buses main mix e enviados à chave 1-2/3-4, que desvia o sinal mais uma vez. Nós ainda não terminamos. Por favor, continue lendo. 54. 1–2/3–4 (Stereo Return 3) Se a chave mainmixtosubs[53] estiver desabilitada, não fará absolutamente nada. Vamos supor que esteja habilitada: o sinal estéreo do stereoreturn3 não será enviado ao mainmix, mas para faders de subgrupo 1 e 2 (esta chave para cima) ou faders de subgrupo 3 e 4(esta chave para baixo). Digamos que você tenha feito um submix drum estéreo em faders de subgrupo 1 e 2. Pode utilizar estes dois fader em vez dos sete canais de onde vem o drum. Fader de subgrupo 1 possui seu endereçamento ao mainmix[39] (botão esquerdo habilitado) e fader de subgrupo 2 possui seu endereçamento ao mainmix (botão direito habilitado), misturando o submix drum de volta ao mainmix. Os canais drum também estão enviando sinais para seu reverb via auxsends[6] e as saídas reverb estão em patch para stereoreturn3[7]. Até aqui, tudo bem. Apesar de poder enviar stereoreturn3 diretamente ao mainmix (chave mainmixtosubs[53] para cima), você não quer isto. Em vez disto, habilite a chave mainmixtosubs e certifique-se que a chave 1–2/3–4 está para cima. Agora o reverbreturn será misturado no submix drum e, como você utiliza aqueles dois faders, o nível reverbseguirá. Por que você quer isto? Porque se você simplesmente enviasse o reverb diretamente ao mainmix (chave mainmixtosubs para cima) e fizesse um drumfade-out utilizando faders de subgrupo 1 e 2, os sinais “dry” iriam fadeout, mas os sinais “wet” iriam continuar cantando. Tudo que você ouviria seria o drumreverb (o “wet”) e nenhum dos sinais drum (o “dry”) originais. Isto é porque o reverb está sendo alimentado pelos auxsends do canal e eles não têm ideia de que você puxou os faders de subgrupo para baixo. É por isto que nós jogamos nestas chaves, ufa! 55. CR/PH Only (Stereo Return 4) Mais uma vez, o default para todos os stereoreturns objetiva alimentá-los diretamente no mainmix. Você acabou de aprender sobre as exceções opcionais envolvendo o stereoreturn3. O stereoreturn4 também possui exceção opcional: ao habilitar esta chave, removerá o sinal estéreo do stereoreturn4 do mainmix e enviará diretamente para a matrix fonte CR/phones[42]. Não importa se nenhuma das chaves matrix fonte estão endereçadas: serão interrompidas, como sempre, se uma chave solo [27] estiver habilitada. Vamos fingir que esteja fazendo um mix ao vivo para um deck 2-track, PA caseiro ou para ambos e quer tocar juntamente com uma trilha click. Você quer rodar a trilha click diretamente no mainmix, mas não quer que o deck mixdown e/ou a plateia escutem. Esta é a meleca: similarmente, isto pode ser utilizado para trilhas sobre-vozes, narração e qualquer coisa que você queira ouvir dos engenheiros e músicos, mas não da plateia e do deck mixdown. 56. LED e Solo Returns Esta chave opera da mesma forma que as chaves solo de canal [27] — ao habilitá-la, envia sinais para o controlroom, fones de ouvido e display medidor, e interrompe o que tiver ocorrido antes de você colocar solo. Ela segue a configuração da chave mode [44] também. A única diferença é que quando você habilita esta chave returnssolo, enviará todos os quatro sinais stereoreturns ao circuito solo. Suponha que você queira solo no snare drum ou caixa de bateria. Toque na chave solo daquele canal e obterá apenas o snare “dry” (sem efeitos). Isto ajuda, mas se quiser ouvi-lo com o reverb, terá que fazer patch em um stereoreturn. Deixe a chave solo daquele canal habilitada e também habilite a chave solo return: agora obterá o drysnare e seu reverb. Já que é uma função global, você também obterá sinais de todos os outros stereoreturns - poderá haver alguns sons que não queria ouvir. Se ofenderem sua sensibilidade, simplesmente diminua os níveis dos stereo returns que não quer ouvir ou coloque os canais em mute, alimentando o sinal que não quer para o dispositivo de efeitos que quiser. Parabéns! Você acaba de ler tudo sobre as funções do seu 1604VLZ4.Provavelmente estará pronto para uma gelada... Vá em frente. O resto do manual pode esperar. Apêndice A: Informação de Serviço 28
  29. 29. Serviço Se seu 402VLZ4 apresentar problema, por favor, verifique “Solução de Problemas”. A seguir, faça o possível para confirmar o problema. Visite a seção de suporte de nosso website (www.720trees.com), onde encontrará diversas informações úteis, como perguntas frequentes e outros documentos. De repente, você encontra respostas ao problema sem ter de enviar seu mixer à assistência. Solução de Problemas Canal Ruim  Os canais estão atribuídos ao mix correto (1-2, 3-4, L-R)?  O fader está para cima?  Tente desplugar qualquer dispositivo insert dos jacks insert.  Tente o mesmo sinal fonte em outro canal. Configure exatamente como o canal suspeito. Saída Ruim  O controle de nível (caso haja) está para cima?  Se você está ouvindo as saídas CR ou as saídas phones, foi feita uma seleção de fonte?  Se for uma das saídas main, tente desplugar seu par. Por exemplo, se é a saída main esquerda 1/4", desplugue a saída RCA. Se o problema for solucionado, não é o mixer.  Se for um par estéreo, tente trocá-los de lugar. Por exemplo, se uma saída esquerda está presumidamente morta, troque o cabo esquerdo e direito, no final do mixer. Se o problema persistir na esquerda, não é o mixer.  Desplugue tudo dos inserts main. Ruído • Abaixe os faders de canal e potenciômetros stero return, um por um. Se o som desaparecer, pode ser o canal ou o que quer que esteja plugado nele; então, desplugue o que for. Se o ruído desaparecer, era o que estava plugado. Power • Desplugue o cabo de energia e confira o fusível. Apêndice B: Conexões Conector de entrada XLR balanceado O mixer 1604VLZ4 tem 16 entradas XLR fêmeas. Tenha certeza de que os cabos estão conectados mediante padrões AES (Sociedade de Engenharia de Áudio): Conector de entrada XLR balanceado Pino 1 – blindado (terra) Pino 2 – positivo (+ ou hot) Pino 3 – negativo ( – ou cold) Conector de Saída XLR Balanceado Os conectores XLR machos fornecem sinal nível-linha balanceado que representa o final do mixer, onde o sinal estéreo totalmente mixado entra no mundo real. Conecte estes às entradas nível-linha esquerda e direita de falantes ou às entradas nível-linha esquerda e direita de um amplificador (com falantes já anexados). Certifique-se de que os cabos estão conectados por padrões AES (Sociedade de Engenharia de Áudio): 29
  30. 30. Conector de Saída XLR Balanceado Pino 1 – Blindado (terra) Pino 2 – Positivo (+ ou hot) Pino 3 – Negativo (– ou cold) Conector TRS 1/4" balanceado TRS significa Tip-Ring-Sleeve (ponta-anel-manga) - as três conexões disponíveis em um cabo 1/4" estéreo. Isto permite uma conexão direta aos jacks de entrada de canal. Tenha certeza de que os cabos estão conectados por padrões AES (Sociedade de Engenharia de Áudio): Conector TRS 1/4" Balanceado Sleeve – blindado (terra) Tip – positivo (+ ou hot) Ring – negativo (– ou cold) Jacks TRS e plugs são utilizados em diversas aplicações:  Circuitos mono balanceados. Quando conectado como conector balanceado, um jack 1⁄4" TRS ou plug é assim conectado: tip ao sinal alto (hot), ring ao sinal curto (cold) e sleeve ao terra.  Fones de ouvido e, raramente, microfones estéreo e conexões line estéreo. Quando ligado para estéreo, um jack 1⁄4" TRS ou plug é assim conectado: tip para a esquerda, ring para a direita e sleeve para o terra. Os mixers VLZ4 não aceitam diretamente microfones estéreo tipo 1 plug. Eles devem ser separados em cabo esquerdo e cabo direito, que são plugados nos dois preamps de mic. Você pode forjar seu próprio adaptador para microfone estéreo. Dois cabos out “Y” de um jack 1⁄4" TRS fêmea para dois plugs XLR machos – um para o sinal direito e um para o esquerdo.  Circuitos send/return não balanceados. Quando conectados como um conector “Y” send/return, um jack 1⁄4" TRS ou plug é assim conectado: tip ao sinal enviado (saída do mixer), ring ao sinal return (entrada back into mixer), e sleeve ao terra. Conector TS 1/4" não balanceado TS significa Tip-Sleeve (ponta-manga) – as 2 conexões disponíveis em um cabo 1/4" mono. Isto permite conexão direta aos jacks de entrada do canal. Tenha certeza de que os cabos estão conectados por padrões AES (Sociedade de Engenharia de Áudio): Conector TS1/4" Não Balanceado Sleeve – blindado (terra) Tip – positivo (+ ou hot) 30
  31. 31. Jacks TS e plugs são utilizados em diversas aplicações, sempre não balanceados. Tip é conectado ao sinal de áudio e o sleeve ao terra. Alguns exemplos: • Microfones não balanceados • Guitarra elétrica e instrumentos eletrônicos • Conexões nível-linha não balanceados Jacks Phone 1/4" Chaveáveis Chaves podem ser incorporadas aos jacks phone 1⁄4", que são ativados inserindo-se o plug. Estas chaves podem abrir um loop insert em um circuito, mudar o roteamento de entrada do sinal ou servir para outras funções. O 1604VLZ4 utiliza chaves nos jacks bus insert e channel insert, jacks de entrada e stereo returns. Pode-se usar as chaves para o terra do nível-linha quando nada estiver plugado. Na maioria dos casos, o plug deve ser inserido totalmente para ativar a chave. O 1604VLZ4 tira vantagem disso em alguns circuitos, especificando circunstâncias onde você está para inserir o plug apenas parcialmente. Veja “Conexões Especiais”. Conector RCA Desbalanceado Plugs RCA-type (também conhecidos como phono plugs) e jacks são frequentemente utilizados em home stereo, equipamento de vídeo e em muitas outras aplicações. Plugs RCA são não balanceados. Conecte o sinal no centro e o terra ou blindado na “cesta” ao redor. Tenha certeza de que os cabos estão conectados por padrões AES (Sociedade de Engenharia de Áudio): Conector RCA Não Balanceado Sleeve – blindado (terra) Tip – positivo (+ ou hot) Desbalanceando uma Linha Na maioria dos estúdios, palco e situação de reforço de som, há uma combinação de entradas e saídas balanceadas e não balanceadas nas várias peças do equipamento. Isto geralmente não será um problema ao fazer conexões. Quando conectar uma saída balanceada à uma entrada não balanceada, tenha certeza de que as conexões de sinal high (hot) estão conectadas umas às outras, e que o sinal balanceado low (cold) vai para a conexão ground (terra) na entrada não balanceada. Na maioria dos casos, o ground (terra) será também conectado ao ground (terra) na entrada não balanceada. Se houver problemas com o loop-terra, esta conexão pode estar desconectada no final balanceado. Quando conectar uma saída não balanceada à uma entrada balanceada, tenha certeza de que as conexões do sinal high (hot) estão conectadas umas às outras. A conexão não balanceada blindada (terra) deve ser conectada às conexões ground (terra) de uma entrada balanceada. Se houver problemas no loop-terra, tente efetuar a conexão ground (terra) não balanceada apenas à conexão de entrada low (cold), deixando a conexão de entrada ground (terra) desconectada. Em alguns casos, você terá de fazer adaptadores especiais para interconectar seu equipamento. Exemplo: se precisar de um XLR fêmea balanceado conectado à um plug phone TS 1⁄4" não balanceado. Jacks Insert TRS Send/Receive 31
  32. 32. Inserts simples-jack são condutores triplos, TRS-tipo 1⁄4" phone. Não balanceados, mas possuem tanto os sinais de saída mixer (send) quanto os sinais de entrada mixer (return) em um conector. Veja a ilustração abaixo. O sleeve (manga) é o terra comum para ambos os sinais. O send do mixer para a unidade externa é carregado no tip (ponta); o return da unidade ao mixer é no ring (anel). Conexões Especiais A conexão balanceada-para-não balanceada foi antecipada nos jacks de conexão do 1604VLZ4. Um plug TS 1⁄4" inserido em uma entrada balanceada TRS 1⁄4", por exemplo, irá automaticamente desbalancear a entrada e fazer todas as conexões corretas. Controversamente, um plug TRS 1⁄4" inserido em uma entrada não balanceada 1⁄4" irá automaticamente amarrar o anel (low ou cold) ao ground (terra). Utilizando o Send Only em um Jack Insert Se você inserir um plug TS(mono) 1⁄4" apenas parcialmente (ao primeiro click) em um jack insert VLZ4, o plug não irá ativar a chave jack e não abrirá o loop de insert no circuito (permitindo, assim, que o sinal do canal continue em seu caminho alegre através do mixer). Isto lhe permite retirar o sinal do canal ou do bus sem interromper a operação normal. Se você pressionar o plug TS 1⁄4" no segundo click, abrirá a chave jack e criará saída direta, que interrompe o sinal naquele canal. Veja a ilustração na próxima página. NOTA: Não sobrecarregue o sinal que você está lidando no mixer. Isto afetará o sinal interno. Saída direta sem interrupção de sinal para master. Insira apenas até o primeiro click. Saída direta com interrupção de sinal para master. Insira tudo até o segundo click. Para usar como um loop de efeitos. (Tip = enviado para efeito, Ring = Retorno DO efeito). Entradas e Retornos Estéreo do VLZ4 : Mono, Estéreo e o que for Entradas stereoline e stereoreturns são um belo exemplo da nossa filosofia (que acabamos de inventar) de “Flexibilidade Máxima com Mínima Dor de Cabeça”. As entradas e returns serão automaticamente mono ou estéreo, dependendo de como você utilizar os jacks. Aqui vai como isto funciona: um sinal mono deve ser sofrer patch no jack de entrada ou return, denominado esquerdo (mono). O sinal será encaminhado para os lados esquerdo e direito do circuito return, e mostrará no centro do par estéreo de buses ao qual é atribuído, ou pode receber pan com o controle pan [26]. Um sinal estéreo, possuindo 2 plugs, deve sofrer patch nos jacks de entrada ou return esquerdo (mono) e direito. Uma chave jack no jack direito irá desabilitar a função mono, e os sinais aparecerão em estéreo. Um sinal mono conectado ao jack direito aparecerá apenas no bus direito. Você provavelmente utilizará este efeito sofisticado apenas para ocasiões especiais. 32
  33. 33. Mults e “Y”s Um conector mult ou “Y” permite encaminhar uma saída a duas ou mais entradas, simplesmente fornecendo conexões dos cabos em paralelo. Você pode fazer “Y”s e mults para as saídas de circuitos balanceados e não balanceados. Lembre-se: apenas uma saída mult ou “Y” em várias entradas. Se você precisar combinar várias saídas em uma entrada, deve utilizar um mixer, não um mult ou um “Y.” Apêndice C: Informação Técnica Especificações Ruído Main Mix (20 Hz–20 kHz largura de banda, 1/4" main out, canais ganho @ unidade de ganho, flat EQs de canal, todos os canais endereçados ao Main Mix, canais ímpares com pan na esquerda, até mesmo canais com pan na direita.) Unidade fader Main Mix, faders de canal para baixo: –88.5 dBu (92 dB Razão Sinal/Ruído, ref +4 dBu) Unidade fader Main Mix, fader de canal @unidade: –82.5 dBu Distorção Harmônica Total (THD) (1 kHz @ 35 dB ganho, 20 Hz–20 kHz largura de banda) Mic in para insert send: <0.007% Mic in para Main Out: <0.005% Atenuação (Crosstalk) (1 kHz relativo a 0 dBu, 20 Hz–20 kHz largura de banda, line in, 1⁄4" main out, ganho @ unity) 33
  34. 34. Chave Mute de Canal habilitada: –84 dBu Potenciômetro channel gain para baixo: –84 dBu Resposta de Frequência Entrada Mic para Saída Main (Ganho @Unity) +0, –1 dB, 20 Hz a 50 kHz +0, –3 dB, <10 Hz a >100 kHz Ruído de Entrada Equivalente (EIN) (Entrada Mic para Insert send out, máx ganho) 150 Ω terminação: –128.5 dBu Razão Modo Rejeição Comum (CMRR) (Entrada Mic para Insert send out, máx ganho) 1 kHz: melhor que –70 dB Níveis Máximos Entrada Mic: +22 dBu Todas as outras entradas: +22 dBu Saída TRS Main Mix: +28 dBu Todas as outras saídas: +22 dBu Impedâncias Entrada Mic: 2.55 kΩ Channel Insert return: 2.5 kΩ Todas as outras entradas: 10 kΩ ou maior Saída Tape: 1.1 kΩ Todas as outras saídas: 120Ω EQ High Shelving •±15 dB @ 12 kHz Mid Peaking ±15 dB sweep 100 Hz–8 kHz Low Shelving •±15 dB @ 80 Hz Low Cut Filter 18 dB/ootava, –3 dB @ 75 Hz Consumo de Energia 50 watts Fusível 100–120 VAC 1A Slo Blo, 5 x 20 mm 220–240 VAC 0.5A Slo Blo, 5 x 20 mm Dimensões (Altura x Largura x Profundidade) em posição pod normal Pod 17.0" x 17.3" x 5.1" (433 mm x 440 mm x 129 mm) Peso 20.0 lb (9.1 kg) Visto que estamos sempre nos empenhando para tornar nossos produtos melhores, incorporando materiais, componentes e métodos de manufatura novos e aperfeiçoados, reservamos o direito de mudar estas especificações a qualquer momento, sem aviso prévio. A figura do “Homem Correndo” é marca registrada da LOUD Technologies Inc. Todas as outras marcas mencionadas são marcas registradas de seus respectivos holders e são aqui reconhecidas. O escritor técnico responsável por este manual tende a entrar e sair de várias diferentes realidades, dependendo de quantas xícaras de chá ele tomou. Por favor, confira nosso website para atualizações deste manual: www.720trees.com. 34
  35. 35. ©2013 LOUD Technologies Inc. Todos os direitos reservados. 10 Espaços Rack Dimensões Pod em posição normal Pod 8 Espaços Rack na 11 Espaços Rack posição traseira 35
  36. 36. Pod de frente (com RotoPod opcional) Diagrama de Bloco 36

×