causas e consequências da degradação ambiental

63.993 visualizações

Publicada em

Análise de impactos ambientais decorrentes da sociedade capitalista.

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
63.993
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.006
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

causas e consequências da degradação ambiental

  1. 1. CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA DEGRADAÇÃO AMBIENTAL Meio Ambiente e Sociedade Professor Roney Gusmão
  2. 2. Situação do Brasil     ARARA AZUL Espécie extinta pela caça predatória no território brasileiro. Hoje são encontrados exemplares exclusivos de cativeiros.  A Diversidade Biológica é uma das prioridades do meio ambiente. A perda da biodiversidade em qualquer nível – ecossistema, espécies ou populações – comprometerá a qualidade dos ambientes. A variabilidade de espécies pode chegar entre 10 e 50 milhões. Até agora os cientistas identificaram e classificaram apenas 1,5 milhões de espécies. O Brasil é considerado um país megadiverso: possui cerca de 15% a 20% das espécies conhecidas no mundo. O futuro da biodiversidade dependerá dos modos de desenvolvimento
  3. 3. A Biodiversidade     Pode ser definida como a variedade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. É a associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida. A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas, sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados. É também a maneira como estes organismos estão organizados, interagem e desempenham suas atividades em um
  4. 4. Ranking da Biodiversidade Os países acima listados engrenaram o processo de industrialização no auge da “conscientização ambiental”;  A questão ambiental se tornou uma das pautas de confronto no cenário geopolítico global;  A desigualdade social decorrente da industrialização periférica acentua a degradação 
  5. 5.    A diversidade biológica é recurso de real utilidade para o ser humano, pois fornece produtos para exploração e consumo da humanidade. As preocupações com a conservação da biodiversidade se justificam: a) pelo valor econômico; b) pela propriedade de gerar equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas. Fala-se de uso sustentável e não do absoluto conservacionismo.
  6. 6. Principais causas dos danos à biodiversidade:           Perda e fragmentação dos habitats; Introdução de espécies e doenças exóticas; Exploração excessiva de espécies de plantas e animais; Uso de monoculturas na agroindústria e nos programas de reflorestamento; Contaminação do solo, água, e atmosfera por poluentes; Mudanças climáticas globais. O crescimento acelerado das populações humanas que leva ao aumento do desmatamento, comércio de espécies ameaçadas de extinção; Distribuição desigual da propriedade; Pobreza e a fome, sistemas e políticas econômicas que não atribuem o devido valor ao meio ambiente e aos recursos naturais; Sistemas jurídicos e institucionais que promovem a exploração não sustentável dos recursos naturais.
  7. 7. Alguns problemas ambientais         Erosão; Desmatamento; Desertificação; Práticas agrícolas; Poluição do solo; Poluição das águas; Poluição do ar; Danos à biodiversidade.
  8. 8.      É um processo naturalmente executado pela natureza. Estão intensificando pela ação antrópica. Resulta na perda da MO, deslizamento de terras e assoreamento, além de enchentes e eutrofização de rios. A maior causa tem sido o desmatamento. A melhor forma de evita-la é pelo uso racional de recurso e urbanização rigorosamente planejada. Erosão
  9. 9. Desmatamento Os principais motivos tem sido a urbanização, a pecuária, a agricultura.  Tem por efeito: danos à fauna, alterações do clima, alterações no regime de chuvas, intensificação dos processos erosivos, assoreamento de rios, desertificação. 
  10. 10. Desertificação A prática agrícola indiscriminada é uma das principais causas da desertificação.  A monocultura associada ao uso de agrotóxicos empobrecem o solo.  Erosão e lixiviação resultam na perda da MO.  Os efeitos podem ser elencados como ambientais (danos à fauna e flora) e sociais (danos à subsistência). 
  11. 11. Práticas Agrícolas A monocultura  provoca a infertilidade do solo.  O plantio requer desmatamento e alteração das características naturais do solo.  O uso de agrotóxicos e fertilizantes interrompe a cadeia alimentar e desequilibra o meio.
  12. 12. Poluição do solo Causas principais:  Aplicação de agrotóxicos;  Despejos de resíduos sólidos (lixões, aterros etc);  Lançamento de resíduos líquidos (esgoto domésticos e industriais);  Atividades que resultam na erosão do solo.
  13. 13. Poluição da água O destino de praticamente todo esgoto tem sido rios e mares.  As águas de lençóis freáticos também têm sofrido danos.  A água é o principal agente de doenças infectocontagiosas.  O desperdício tem comprometido as reservas globais.
  14. 14. Poluição do ar Tem duas causas principais:  Causas naturais, como erupções vulcânicas ou decomposição da matéria orgânica;  Causas antrópicas, especialmente com a queima de combustíveis fósseis e queimadas. Resulta em danos tanto para a saúde humana como para o
  15. 15. Chuvas ácidas A poluição em forma de dióxido de enxofre adentra a atmosfera.  Ao misturar-se com as nuvens, esta poluição se precipita com elevada acidez.  As chuvas danificam o ecossistemas, matando peixes, florestas além de danos ao patrimônio cultural. 
  16. 16. Efeito estufa     É um fenômeno natural, em que a atmosfera terrestre retém o calor solar. A emissão de dióxido de carbono e metano tem desregulado esse fenômeno. Resulta numa elevação excessiva na temperatura global. Efeitos: desregulação de climas, aumento de catástrofes climáticas, derretimento de geleiras, danos a ecossistemas mais frágeis, elevação dos níveis de oceanos.
  17. 17. O aquecimento global
  18. 18.  Camada de ozônioÉ uma película    protetora que reveste a atmosfera terrestre. Composta de enxofre que, na estratosfera, tem o poder de filtrar os raios solares UVA e UVB. A emissão de CFC (Cloro Flúor Carbonetos) rompe com as moléculas de O3. O resultado é o buraco na camada que tem exposto o planeta às
  19. 19. Convenção da Diversidade Biológica (CDB) Foi um compromisso firmado pela maioria das nações do mundo durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento - Rio ou Eco 92.  Teve por objetivo buscar a conservação da diversidade biológica, a utilização sustentável de seus componentes e a  repartição justa e equitativa dos benefícios derivados da utilização dos recursos genéticos.  A CDB foi incorporada à legislação ambiental brasileira pelo Decreto 2.519 de 1998.  A CDB tornou‐se um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao meio ambiente, servindo de guia para: a) regras para a movimentação transfronteiriça de organismos geneticamente modificados (OGMs) vivos; b) combate à biopirataria; c) Diretrizes para o Turismo Sustentável e a Biodiversidade; d) Utilização Sustentável da Biodiversidade; e) Diretrizes para a Prevenção, Controle e Erradicação das Espécies Exóticas Invasoras; 

×