CFO / Matemática - Complemento                                                           e    Errata                      ...
Igualando a constante com os valores obtidos depois do               03)	 (Cesgranrio/Assistente/EPE/2007) Gabriel fezmmc,...
239, 64 × e 6 × a  e      6       e     6                        Resolução                =      ⇒ =            ⇒ =      ...
Sabemos que se somarmos antecedentes e conseqüentes ao              Tirar o mmc dos denominadores e depois cancelá-losmesm...
Regra de Três                                                           0 2.000 5                                         ...
Nesse caso as grandezas são inversamente proporcionais,    04)	 (Cesgranrio/Téc./BNDES/2004) O estoque deporque quanto mai...
 Resolução                                                      Vamos multiplicar cruzado:                               ...
 Resolução                                                        Vamos inverter somente a grandeza “máquinas”    Na prim...
 ResoluçãoPorcentagem                                                        Se, em 2.006, foram embarcadas 19.760 tonela...
10      Resolução                                                         Mas a área livre corresponde a 75% da área tota...
1108)	 (Cesgranrio/Téc./Petrobras/2008) Uma em-                         Em que 40% delas são produtoras rurais:     presa ...
1211)	 (Fundep/Auxiliar/Fhemig/2002) Numa loja, o preço                Somar esse valor ao valor inicial:     de um produt...
13                                                                        Desconto comercial simples (por fora)Juros      ...
14     Solução:                                                             02)	 (Fumarc/MGI/2004) Uma concessionária vend...
Proporção
Proporção
Proporção
Proporção
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Proporção

758 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
758
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Proporção

  1. 1. CFO / Matemática - Complemento e Errata Ex: as sequências {3, 6, 9, 12, 15} e {2, 4 , 6 , 8, 10} sãoRazões e Proporções diretamente proporcionais, porque quando escritas na forma de razão teremos sempre valores proporcionais W INTRODUÇÃO 3 6 9 2 5 a = = = = = constante Quando escrevemos dois números na forma de , com 2 4 6 8 0b ≠ 0 ; dizemos que temos uma razão entre eles. b “Sequências Inversamente Proporcionais” são aquelas 3 na qual o produto formado pelos termos correspondentes é Ao escrever estamos escrevendo a razão entre 3 e 2, constante. 2onde a parte de cima é chamada de antecedente e a de baixo Ex: as seqüências {1, 2, 3, 5, 6} e {60, 30, 20, 12, 10} sãode conseqüente. inversamente proporcionais porque o produto formado pelos seus termos correspondentes é sempre o mesmo. 2 4 6 8 As razões , , e são chamadas de razões equi- Ou seja: 1×60 = 2×30 = 3×20 = 5×12 = 6 ×10 = constante 5 0 5 20 2valentes porque representam o mesmo valor e é chamada de W Divisão em Partes Diretamente 5forma irredutível porque é a forma mais simplificada possível Proporcionaisde se escrever essa razão. Ex: dividir o nº 360 em partes diretamente proporcionais a 2, 3 e 5. À igualdade de duas razões equivalentes damos o nomede proporção. Esse número será dividido em três partes que chamaremos 2 4 de A , B e C, e a soma das partes deverá ser igual a 360: Quando escrevemos = estamos escrevendo uma A + B + C = 360 5 0proporção que lê-se: 2 está para 5 assim como 4 está para 10. Representando essas divisões na forma de proporções: O primeiro e o último termos são chamados de extremos A B C = =da proporção (2 e 10 são os extremos). 2 3 5 O segundo e o terceiro termos são chamados de meios daproporção (5 e 4 são os meios). Usando a propriedade 3: Ao último termo de uma proporção chamamos de quarta A B C A + B + C 360proporcional (no exemplo anterior 10 é a quarta proporcional) = = = = = 36 2 3 5 2+3+5 0 Quando o segundo e o terceiro termos são iguais chama-mos de proporção contínua. Ao resultado dessa divisão chamamos de constante de 2 4 proporcionalidade. = é uma proporção contínua, e nesse caso o último 4 8 Para determinar os valores de A , B e C , vamos igualartermo (8) é chamado de terceira proporcional. cada um deles com a constante de proporcionalidade: W Propriedades das proporções A B = 36 ⇒ A = 36 × 2 = 72; = 36 ⇒ B = 36 × 3 = 08 ; 2 3 1. Numa proporção o produto dos meios é igual ao produto 2 4 Cdos extremos: = ⇔ 2 × 0 = 4 × 5 = 36 ⇒ C = 36 × 5 = 80 5 0 5 2. Uma proporção não se altera ao alternarmos os seusmeios, ou os seus extremos: W Divisão em Partes Inversamente Proporcionais 2 4 2 5 0 4 5 0 = ⇒ = ⇒ = ⇒ = Ex: dividir o número 496 em partes inversamente pro- 5 0 4 0 5 2 2 4 porcionais aos números 2, 3 e 5. Nesse caso, toda vez que trocarmos os termos teremos Esse número será dividido em três partes que chamaremosuma nova proporção. de A , B e C, e a soma das partes deverá ser igual a 496: 3. Numa proporção, a soma (ou diferença) dos antece- A B Cdentes está para a soma (ou diferença) dos conseqüentes assim = = como cada antecedente está para seu respectivo consequente: 2 3 5 2 4 2+4 6 2 4 4−2 2 = = = e = = = Usando a propriedade 3 após tirar o MMC. 5 0 5 + 0 5 5 0 0 − 5 5 A B C A B C Nesse caso o resultado da soma ou da diferença é um = = ⇒ = = ⇒número proporcional às razões dadas. 5 0 6 2 3 5 30 30 30 Chamamos de “Sequências Diretamente Proporcionais”àquelas sequências numéricas nas quais a razão formada pelos A B C A + B + C 496seus termos correspondentes é sempre constante. = = = = = 6 5 0 6 5 + 0 + 6 3
  2. 2. Igualando a constante com os valores obtidos depois do 03) (Cesgranrio/Assistente/EPE/2007) Gabriel fezmmc, temos: refresco misturando 100 ml de suco concentrado e 500 ml A de água. Como o refresco ficou aguado, sua mãe resolveu = 6 ⇒ A = 5 × 6 = 240 acrescentar mais suco concentrado à mistura, até que a 5 quantidade de suco correspondesse a 1/5 da quantidade B de refresco. A mãe de Gabriel precisou acrescentar uma = 6 ⇒ B = 0 × 6 = 60 0 quantidade de suco: C a) menor do que 20 ml. = 6 ⇒ C = 6 × 6 = 96 b) entre 20 ml e 30 ml. d) entre 40 ml e 50 ml. 6 c) entre 30 ml e 40 ml. e) maior do que 50 ml. W Exercícios resolvidos  Resolução01) (Fundep/Aux. Adm./Fhemig/2002) Uma prova de No início temos 100 ml de suco e 500 ml de água, ou matemática, a razão de número de questões que Talita seja, temos 600 ml de refresco. Vamos indicar a quantidade acertou para o número total de questões foi de 5 para 7. de suco que a mãe acrescentou de x. Quantas questões Talita acertou sabendo-se que a prova era composta de 35 questões? Depois de adicionar x ml de suco, a razão entre o suco e a) 21 questões c) 25 questões o refresco passou a ser 1/5: b) 24 questões d) 28 questões 00 + x → veja que ao se aumentar a quantidade de = 600 + x 5  Resolução suco, a quantidade de refresco também aumenta. Vamos chamar de C as questões que ela acertou e de T Vamos fazer os cálculos:ao total de questões, daí podemos fazer: 00 + x C 5 = ⇒ 5 × (00 + x ) = 600 + x ⇒ = → veja que ao construir uma proporção deve- 600 + x 5 T 7mos conservar a ordem na qual os dados do problema foram 500 + 5x = 600 + x ⇒ 5x − x = 600 − 500 ⇒fornecidos. 00 Mas o número total de questões da prova é de 35. 4 x = 00 ⇒ x = ⇒ x = 25 ml 4Substituir T por 35: Alternativa B C 5 C 5 35 × 5 = ⇒ = ⇒C= = 25 “O euro, moeda oficial da União Européia, que existe T 7 35 7 7 como moeda e cédula desde 1º/1/2002, é adotado hoje, por Alternativa C 13 dos 27 Estados-membros. O último Estado-membro a adotar o euro foi a Eslovênia, em 1º/1/2007, que estabeleceu02) (Vunesp/Escrit./Pref. Louveira/2007) No 1º semestre a conversão de 239,64 tolares - o tolar era a moeda até então houve 3 avaliações de matemática, cada uma delas com oficial da Eslovênia - para cada euro” quantidade diferente de questões. A tabela mostra a quan- Tendo o texto por referência, julgue o item a seguir: tidade de questões que 3 determinados alunos acertaram 04) ( ) (UnB/Escrit./BB/2007 -Alterada) Considere que em cada prova. Os valores são tais que os números de o alfa fosse a moeda oficial de um dos 13 Esta- acertos foram proporcionais aos números de questões por dos-membros que adotaram o Euro como moeda prova. oficial. Considere, ainda, que 6 tolares equivaliam O número de questões que Luana acertou na 3ª prova foi a 11 alfas no dia 1/1/2007. Nessa situação, nesse Nº de questões Nº de questões mesmo dia, um euro equivalia a mais de 450 Aluno por prova acertadas alfas. Meire 40 25  Resolução Fran 8 5 A proporção entre tolar e euro é a seguinte: Luana 16 x t 239, 64 = a) 8. b) 9. c) 10. d) 11. e) 12. e 239, 64 × e  Resolução Vamos isolar t: t = Como os valores são proporcionais aos números de ques- t 6 25 5 x A proporção entre tolar e alfa é a seguinte: =tões da prova, podemos escrever que: = = 6a a 40 8 6 Vamos isolar t: t = Nesse caso, para encontrar o valor de x, basta igualar duas des- 5 x 80sas razões: = ⇒ 8x = 6 × 5 ⇒ 8x = 80 ⇒ x = = 0 239, 64 × e 6a 8 6 8 Como as expressões t = e t= são iguais Alternativa C a t, podemos igualar as duas entre si para poder achar a relação entre euro e alfa:
  3. 3. 239, 64 × e 6 × a e 6 e 6  Resolução = ⇒ = ⇒ = a x 239, 64 a 2.636, 04 Vamos chamar a idade atual de Maria de M, sua idade há 10 anos de M – 10 e sua idade daqui a 2 anos de M + 2. Dividindo a segunda razão por 6, temos: Usaremos uma simbologia semelhante para Rita: R, e R – 10 e R + 2. = a 439, 34 M − 0 4 Ou seja, cada euro corresponde a 439,34 alfas. Há 10 anos: = R − 0 3 Resposta: Errado05) (F. C. Chagas/Téc./ TRT/2003) Considere que a carên- M + 2 0 Daqui há 2 anos: = cia de um seguro-saúde é inversamente proporcional ao R+2 9 valor da franquia e diretamente proporcional à idade do Vamos multiplicar cruzado e construir duas equações: segurado. Se o tempo de carência para um segurado de 20 anos, com uma franquia de R$ 1.000,00 é 2 meses, o M − 0 4 = ⇒ 3M − 30 = 4R − 40 ⇒ tempo de carência para um segurado de 60 anos com uma R − 0 3 franquia de R$ 1.500,00 é 3M − 4R = −40 + 30 ⇒ 3M − 4R = −0 a) 4 meses b) 4 meses e meio d) 5 meses e meio M + 2 0 c) 5 meses e) 6 meses = ⇒ 9M + 8 = 0R + 20 ⇒ R+2 9  Resolução 9M − 0R = 20 − 8 ⇒ 9M − 0R = 2 Vamos chamar a carência de C, a franquia de F e a idadedo segurado de I. De acordo com o problema teremos: Temos então o seguinte sistema de equações: C 3M − 4R = −0 → C é inversamente proporcional a F e  9M − 0R = 2 ×I diretamente proporcional a I. F Multiplicar a1ª equação por (– 3) Igualar esses valores a uma constante de proporcionali-dade que chamaremos de K. −9M + 2R = 30  C  9M − 0R = 2 =K ×I Somando as duas equações, temos: F 32 2R = 32 ⇒ R = ⇒ R = 6 Pelo enunciado sabemos que quando um segurado tem 20 2anos e franquia de R$ 1.000,00, sua carência é de dois meses. Substituir o resultado encontrado na primeira equação:Substituindo esses valores na proporção acima para encontraro valor da constante: 3M − 4R = −0 ⇒ 3M − 4.6 = −0 ⇒ C 2 2 .000 2.000 54 K= = = = 2× = = 00 3M − 64 = −0 ⇒ 3M = 64 − 0 ⇒ M = = 8 20 20 20 3 ×I × 20 F .000 .000 A questão pede a soma das duas idades: 16 + 18 = 34 anos. Agora vamos igualar a constante com a segunda situação Alternativa Conde temos um segurado de 60 anos e uma franquia de 07) (Fumarc/IPREM/2007) Na compra de um apartamen-R$ 1.500,00: to em sociedade, Letícia investiu R$ 48.000,00 e Gustavo, C C C R$ 42.000,00. Depois de um certo tempo, venderam o =K⇒ = 00 ⇒ = 00 ⇒ 60 imóvel por R$ 120.000,00. Então, a quantia que Gustavo ×I × 60 recebeu após a venda foi de: F .500 .500 a) R$ 64.000,00. c) R$ 56.000,00. 60 6.000 C= × 00 = = 4 meses b) R$ 58.000,00. d) R$ 52.000,00. .500 .500 Alternativa A  Resolução Nesse caso temos uma divisão em partes diretamente06) (Cesgranrio/Assistente/Pref. Manaus/2004) Há dez proporcionais porque quem investiu mais vai receber mais na 4 hora da venda do apartamento. anos, a razão entre as idades de Maria e Rita era . Daqui 3 a dois anos, será 0 . O número de anos correspondente à A soma das partes que os dois vão receber é igual ao valor 9 total, daí podemos escrever: soma das duas idades é: L + G = 120.000 a) 26 b) 28 c) 34 d) 36 e) 38 Cada parte é proporcional ao valor investido: L G = 48.000 42.000
  4. 4. Sabemos que se somarmos antecedentes e conseqüentes ao Tirar o mmc dos denominadores e depois cancelá-losmesmo tempo, o resultado será proporcional aos valores iniciais: C J C J C J C + J 60 L G L+G 20.000 2 4 = = = = = = = = 32 = = = = = 2 3 2 3 2+3 5 48.000 42.000 48.000 + 42.000 90.000 9 3 3 2 6 6 Como queremos saber quanto Gustavo recebeu, faremos Para encontrar o valor recebido por Joana, igualar o valora igualdade: correspondente a ela com a constante. G 4 42.000 × 4 68.000 J = ⇒G= = = 56.000 = 32 ⇒ J = 3 × 32 = 96 42.000 3 3 3 3 Alternativa C Alternativa D08) (Fumarc/BHTRANS/2007) A soma de dois números naturais é 162. O maior está para 13 assim como o menor 10) (Cesgranrio/Assistente/EPE/2007) Considere um está para 5. Nessas condições, é incorreto afirmar que: segmento AB com 2 metros de comprimento. Deseja-se a) o maior número é um número primo. colocar um ponto C sobre esse segmento, em uma posição b) a diferença entre os números é 72. entre A e B, de tal forma que AB = AC Nessas condi- c) os dois números são múltiplos de 3. AC BC ções, AC mede, em metros: d) o menor número é um múltiplo de 5. a) ( 5 – 1)/2  Resolução b) ( 5 + 1)/2 d) 5 – 1 Vamos chamar esses números de A e B, e como a soma c) 2 5 – 2 e) 5 – 2é 162, temos que: A + B = 162. Supondo que o maior deles seja A, daí podemos construir  Resoluçãoa proporção: Temos a seguinte situação: A B = A C B 3 5 Usando a propriedade 3: 2 A B A + B 62 = = = =9 Como estamos procurando o valor de AC, vamos chamá-lo 3 5 3 + 5 8 de x. Com isso poderemos chamar BC de 2 – x Igualando as duas razões à constante: A x C 2–x B A = 9 ⇒ A = 3 × 9 = 7 3 2 B = 9 ⇒ B = 5 × 9 = 45 AB AC 5 Então a proporção = poderá ser escrita da se- AC BC Verificando as alternativas do exercício observamos que 2 x guinte forma: =a diferença entre eles é 117 – 45 = 72 x 2−x Alternativa B Vamos multiplicar cruzado09) (NCE/Adm./Infraero/2004) Flora tem uma pequena loja 2 x = ⇒ x 2 = 2 × (2 − x ) ⇒ de produtos naturais e duas funcionárias, Joana e Caro- x 2−x lina. No mês de julho Flora decidiu dividir um bônus de R$ 160,00 entre as duas funcionárias, de forma que cada x 2 = 4 − 2 x ⇒ x 2 + 2 x − 4 = 0 ⇒ que é uma equação do uma receberia um valor inversamente proporcional ao segundo grau. número de faltas naquele mês. Carolina faltou 3 vezes e Joana faltou 2. A quantia recebida por Joana, em reais, é ∆ = b 2 − 4ac = 22 − 4 × × (−4) = 4 + 6 = 20 igual a:  a) 55 −b ± ∆ −2 ± 20 −2 ± 22.5 b) 64 d) 96 x= = = = 2a 2 × 2 c) 80 e) 108   −2 ± 2 5 2 × (− ± 5 )  Resolução = = − ± 5 2 2 Fazer uma divisão em partes inversamente, sabendo quea soma das partes é igual a 160: Como um segmento nunca é negativo, somente a raiz positiva será solução do problema: x = − + 5 = 5 − C + J = 160 C J Alternativa D Como a divisão é inversamente proporcional: = 3 2
  5. 5. Regra de Três 0 2.000 5 = × x 3.000 20 ⇒ 0 30.000 = x 60.000 ⇒ W IntroduÇÃO 0 3 = ⇒ 3x = 60 ⇒ x = 60 = 20 dias Regra de três é um método para solucionar problemas que x 6 3contém grandezas, sendo uma grandeza algo que pode ser medido,como, por exemplo, distância, tempo, número de pessoas etc. W Exercícios Resolvidos Quando o problema possui somente duas grandezas,dizemos que é uma regra de três simples e quando tiver três 01) (UnB/Prof./SEED/PR/2003) Os 33 alunos formandos deou mais grandezas é uma regra de três composta. uma escola estão organizando a sua festa de formatura e A primeira coisa que devemos fazer para resolver um 9 desses estudantes ficaram encarregados de preparar osproblema de regra de três é verificar se as grandezas são dire- convites. Esse pequeno grupo trabalhou durante 4 horastamente proporcionais ou inversamente proporcionais. e produziu 2.343 convites. Admitindo-se que todos os estudantes sejam igualmente eficientes, se todos os 33 for- W Grandezas diretamente proporcionais mandos tivessem trabalhado na produção desses convites, São aquelas que se comportam de maneiras iguais (à me- o número de convites que teriam produzido nas mesmasdida que uma grandeza aumenta a outra também aumenta). 4 horas seria igual a a) 7.987. W Grandezas inversamente proporcionais b) 8.591. d) 9.328. São aquelas que se comportam de maneiras inversas (à c) 8.737. e) 8.926.medida que uma grandeza aumenta a outra diminui). Ex: vinte funcionários de uma indústria produzem 2.000  Resoluçãopeças em 10 dias de trabalho. Em quantos dias 15 funcioná- Dados do exercício:rios com a mesma eficiência deverão produzir 3.000 peças do Alunos Convitesmesmo produto? 9 2.343 Nesse caso temos uma regra de três composta, porque há três 33 xgrandezas; número de peças, dias e número de funcionários. Inicialmente vamos colocar as grandezas uma sobre a Veja que a quantidade de horas não está sendo colocadaoutra representando as duas situações do problema, chamando no problema porque ela não se altera.a incógnita de x. Essas grandezas são diretamente proporcionais porque quanto maior for o número de pessoas trabalhando maior será Funcionários Peças dias a quantidade de convites produzidos (uma grandeza aumenta 20 2.000 10 então a outra também irá aumentar). 15 3.000 x Temos a seguinte proporção: Para verificar se as grandezas são direta ou inversamenteproporcionais, escolher uma grandeza para servir de referência. 2.343 9 = ⇒ 9 x = 33 × 2.343 ⇒Para ficar mais fácil, essa grandeza sempre será aquela que x 33estamos procurando - nesse exemplo será o número de dias. Comparar essa grandeza com as outras, mas uma de cada 33 × 2.343 × 2.343 x= = = × 78 = 8.59 convitesvez, e quando estivermos comparando duas grandezas não 9 3vamos nos preocupar com a terceira grandeza. Alternativa B Comparar número de dias com quantidade de peçasproduzidas. 02) (FUNDEP/Téc./ALMG/2008) João e Antonio têm seus Essas duas grandezas são diretamente proporcionais passos aferidos.O passo de Antônio mede 0,90 m e o deporque para se produzir mais peças são necessários mais dias João, 1,10 m. Para ir de A até B, um deu 60 passos a mais(uma grandeza aumenta a outra também aumenta). que o outro. Nessas condições, é correto afirmar que a Comparar agora o número de dias com a quantidade defuncionários. distância de A até B Essas grandezas são inversamente proporcionais porque a) é menor que 260 mquanto mais funcionários estiverem trabalhando gastarão b) está entre 260 m e 280 mmenos dias para fazer um trabalho (quando uma grandeza c) está entre 280 m e 300 maumenta a outra diminui). d) é maior que 300 m Construir uma proporção entre as grandezas colocandosempre a grandeza onde estiver a incógnita X de um lado e o  Resoluçãoproduto das outras grandezas do outro lado. Para resolver esse problema vamos indicar por x o número de passos que João deu e por x + 60 o número de passos que obs: Quando as grandezas forem Antônio deu (como o passo de Antônio é menor, ele tem que inversamente dar mais passos). proporcionais devemos invertê-las. Temos: Tamanho passos Observando a proporção ao lado vemos0 2.000 5 0,90 x + 60 = × que o número de funcionários está inver- 1,10 x x 3.000 20 tida em relação à situação original.
  6. 6. Nesse caso as grandezas são inversamente proporcionais, 04) (Cesgranrio/Téc./BNDES/2004) O estoque deporque quanto maior for o tamanho do passo, menos passos pó de café em um escritório é suficiente para seus 16ele tem que dar para chegar a seu destino. funcionários durante 62 dias. Depois de 12 dias, passam Vamos inverter uma das grandezas: a trabalhar no escritório mais 4 funcionários. Passados mais 15 dias, 10 funcionários são transferidos para outro 0, 90 x = ⇒ ,0 x = 0, 90 × ( x + 60) ⇒ escritório. Quantos dias mais durará o estoque de pó de ,0 x + 60 café? ,0 x = 0, 90 x + 54 ⇒ ,0 x − 0, 90 x = 54 ⇒ a) 23 b) 25 c) 30 d) 35 e) 50 0, 20 x = 54 ⇒ x = 54 = 270 passos  Resolução 0, 20 Situação inicial: Acabamos de determinar a quantidade de passos que João Funcionários diasdeu, mas temos que determinar a distância percorrida por ele. 16 50Para isso, basta multiplicar o número de passos pelo tamanhode cada passo: Como se passaram 12 dias, a quantidade de café irá 270 × 1,10 = 297 metros durar para 62 – 12 = 50 dias com a quantidade inicial de Alternativa C funcionários.03) (CFO/2004) Um cadete do CFO gasta 1h15min para Como o número de funcionários aumentou em mais qua- dar 10 voltas na PAM (Pista de Aplicação Militar), com tro, temos na segunda situação 20 funcionários: velocidade de 20 km/h. Reduzindo sua velocidade para 18 km/h para fazer o mesmo percurso, ele gastará a mais, Funcionários dias o tempo de: 16 50 a) 8min20s c) 10min 20 x b) 9min30s d) 12min15s Essas grandezas são inversamente proporcionais porque  Resolução quanto mais funcionários houver, menos dias o café irá durar Construir a primeira situação do problema: (uma grandeza aumenta e a outra diminui). Vamos inverter Tempo (min) voltas velocidade uma das grandezas: 75 10 20 50 20 800 Veja que passamos o tempo para minutos para facilitar o = ⇒ 20 x = 800 ⇒ x = = 40 dias x 6 20cálculo. Segunda situação: Tempo (min) voltas velocidade Então agora, o café irá durar mais 40 dias. 75 10 20 Mas vão se passar mais 15 dias - o café irá durar por x 10 18 mais 40 – 15 = 25 dias, quando o número de funcionários irá Como o nº de voltas é igual, estas não entrarão na reso- diminuir de 10, daí teremos:lução do exercício. Funcionários dias As grandezas tempo e velocidade são inversamente pro- 20 25porcionais porque à medida que a velocidade vai diminuindo 10 xo tempo que ele gastará para percorrer o mesmo percurso irá As grandezas são inversamente proporcionais:aumentar - temos que inverter uma das grandezas: 75 8 .500 25 0 500 = ⇒ 8x = .500 ⇒ x = = ⇒ 0 x = 500 ⇒ x = = 50 dias x 20 8 x 20 0 Alternativa E Mas essa divisão não é exata. 1500 ÷ 18 = 83 e dá resto 6. 05) (NCE/ANA/2002) Suponha que A, B, C, D sejam Como dividimos por 18, podemos dizer que o resto é igual engrenagens acopladas, com 5, 30, 6 e 10 dentes, res- 6 pectivamente.a = de minutos, e para transformar em segundos, basta 8 3multiplicar esse valor por 60: A 60 × 60 = = 20segundos B 3 3 Se A faz 12 voltas por minuto, Ele irá gastar 83 minutos e 20 segundos. então o número de voltas por mi- nuto para D é: Mas a pergunta é quanto ele gastará a mais de tempo, C a) 3 deve-se diminuir o valor inicial ao resultado obtido: D b) 4 d) 12 83 min 20 seg – 75 min = 8 min 20 seg c) 6 e) 24 Alternativa A
  7. 7.  Resolução Vamos multiplicar cruzado: 50 5 O número de voltas que uma engrenagem dá e o número 20 x = 50 ⇒ x = = da apostila.de dentes que ela possui são grandezas inversamente propor- 20 2cionas, porque quando estiverem acopladas cada volta que 5 7a engrenagem grande der vai fazer com que a engrenagem Então Paula digitou . Com isso ficaram faltando da 2 2pequena dê um número maior de voltas. apostila, que será feito por Ana, cuja capacidade de produção Relacionar as engrenagens duas a duas: é de uma apostila em 3 horas (180 minutos). Engrenagem A com a engrenagem B Tempo apostila Dentes voltas 180 1 5 12 7 30 x x 2 Como as grandezas são inversamente proporcionais, As grandezas continuam sendo diretamente proporcionais,vamos inverter uma das grandezas: porque são as mesmas da situação anterior. 2 30 60 7 = ⇒ 30 x = 60 ⇒ x = = 2 voltas x= × 80 , simplificando 180 e 12 por 12 obtemos; x 5 30 2 Ou seja, enquanto a engrenagem A dá 5 voltas, a engre- x = 7 × 15 = 105 minutosnagem B irá dar 2 voltas. Alternativa D Engrenagem B com engrenagem C: 07) (Fumarc/BHTRANS/2007) Uma máquina funcio- Dentes voltas nando 6 horas por dia conclui um trabalho de perfuração 30 2 fazendo 60 furos por minuto durante 10 dias. Se essa 6 x máquina for programada para fazer 50 furos por minuto As grandezas são as mesmas e continuam sendo inversa- trabalhando 4 horas por dia, a tarefa de perfuração serámente proporcionais, daí temos: concluída em: 2 6 60 a) 12 dias. c) 18 dias. = ⇒ 6 x = 60⇒ x = =0 voltas b) 14 dias. d) 20 dias x 30 6 A engrenagem C irá dar 10 voltas.  Resolução Engrenagem C com engrenagem D: Vamos representar o problema: Dentes voltas Horas/dia furos/min dias 6 10 6 60 10 10 x 4 50 x As grandezas também são inversamente proporcionais, As grandezas horas/dia e dias são inversamente proporcio-daí temos: nais porque quanto menos horas por dia a máquina trabalhar, 0 0 60 mais dias irá gastar para fazer o serviço. = ⇒0 x = 60⇒ x = = 6 voltas x 6 6 As grandezas furos/min e dias também são inversamente Alternativa C proporcionais porque quanto menos furos a máquina fizer por minuto mais dias ela irá demorar.06) (CTSP/2006) Paula digita uma apostila em 2 horas, en- quanto Ana o faz em 3 horas. Se Paula iniciar o trabalho, As grandezas horas/dia e furos/min devem ser invertidas digitando nos primeiros 50 minutos; o tempo necessário 0 4 50 0 200 = × ⇒ = ⇒ 200 x = 3600 ⇒ para Ana terminar a digitação da apostila é: x 6 60 x 360 a) 120 minutos c) 95 minutos 3600 b) 90 minutos d) 105 minutos x= = 8 dias 200  Resolução Alternativa C Como elas trabalharam separadamente, deve-se primeirodeterminar quanto do trabalho foi feito por Paula. 08) (VUNESP/Escrevente/TJ/SP/2007) Numa editora, 8 di- Para fazer o cálculo, vamos trabalhar em minutos, usamos gitadores, trabalhando 6 horas por dia, digitaram 3/5 de um120 minutos para indicar o tempo que Paula demoraria para determinado livro em 15 dias. Então, 2 desses digitadoresfazer uma apostila: foram deslocados para um outro serviço, e os restantes pas- Tempo apostila saram a trabalhar apenas 5 horas por dia na digitação desse 120 1 livro. Mantendo-se a mesma produtividade, para completar 50 x a digitação do referido livro, após o deslocamento dos 2 digitadores, a equipe remanescente terá de trabalhar ainda Essas grandezas são diretamente proporcionais porque a) 18 dias.quanto menor for o tempo que ela digitar, menor será o número b) 16 dias. d) 14 diasde páginas digitadas (quando uma grandeza diminui a outra c) 15 dias. e) 12 dias.também diminui).
  8. 8.  Resolução Vamos inverter somente a grandeza “máquinas” Na primeira situação temos: 9.000 .200 2 = × ⇒ 9.000 = 2.400 ⇒ Digitadores horas/dia livro dias x 5.000 3 x 5.000 8 6 3/5 15 2.400 x = 9.000 × 5.000 ⇒ Na segunda situação teremos 2 digitadores a menos, ouseja, 6 digitadores e, para terminar o livro, ainda faltarão 2/5 9.000 × 5.000 x= =56.250 segundosdo mesmo para fazer. 2.400 A nossa montagem fica: Dividindo por 3.600: Digitadores horas/dia livro dias 56.250 : 3.600 = 15 horas e sobram 2.250 segundos. 8 6 3/5 15 Dividindo o resto por 60: 6 5 2/5 x 2.250 : 60 = 37 minutos e sobram 30 segundos. As grandezas digitadores e dias são inversamente Elas irão demorar 15 horas 37 minutos e 30 segundosproporcionais porque quanto menos digitadores estiveremtrabalhando, mais dias eles gastarão. Alternativa C As grandezas horas por dia e dias também são inversa-mente proporcionais porque quanto menos horas eles traba- 10) (F. C. Chagas/Téc./TRT/2003) Uma indústria tem 34lharem por dia, mais dias irão gastar. máquinas. Sabe-se que 18 dessas máquinas têm todas a A grandeza livro (quantidade digitada) e dias são dire- mesma eficiência e executam certo serviço em 10 horastamente proporcionais porque quanto menos trabalho eles de funcionamento contínuo. Se as máquinas restantes têmtiverem, menos dias vão gastar. 50% a mais de eficiência que as primeiras, funcionando As grandezas digitadores e horas por dia devem ser ininterruptamente, executariam o mesmo serviço eminvertidas: a) 7 horas e 15 minutos 5 6 5 3 b) 7 horas e 30 minutos d) 8 horas e 20 minutos = × × c) 7 horas e 45 minutos e) 8 horas e 40 minutos x 8 6 2 Veja que pelo fato dos denominadores serem iguais nãoserá necessário usá-los na hora dos cálculos.  Resolução Para indicar a eficiência das 18 primeiras máquinas, va- Simplificar o 6 do numerador com o 6 do denominador: mos usar 100%. A partir daí, podemos dizer que as outras 16 5 5 3 5 5 máquinas têm uma eficiência de 150% (50% a mais). Então = × × ⇒ = ⇒ x = 6 dias (como os nu- x 8 2 x 6 temos:meradores são iguais, podemos simplificá-los) Máquinas eficiência horas Alternativa B 18 100 10 16 150 x09) (F. C. Chagas/TRF/ES/2007) Em uma gráfica, foram impressos 1.200 panfletos referentes à direção defensiva Vamos analisar as grandezas: de veículos oficiais. Esse material foi impresso por três As grandezas quantidades de máquinas e quantidade de máquinas de igual rendimento, em 2 horas e meia de fun- horas são inversamente proporcionais, porque quanto mais cionamento. Para imprimir 5.000 desses panfletos, duas máquinas estiveram trabalhando, menos tempo elas gastarão dessas máquinas deveriam funcionar durante 15 horas, para fazer um serviço. a) 10 minutos e 40 segundos b) 24 minutos e 20 segundos As grandezas eficiência e tempo são inversamente propor- c) 37 minutos e 30 segundos cionais porque quanto maior a eficiência de uma máquina me- d) 42 minutos e 20 segundos nos tempo ela irá gastar para fazer um determinado serviço. e) 58 minutos e 30 segundos 0 6 50 = × ⇒ como as grandezas são inversamente pro-  Resolução x 8 00 Representando o problema: porcionais invertemos as duas na hora de resolver o problema. Panfletos máquinas tempo ( segundos ) 0 6 50 0 8 3 1.200 3 9.000 = × ⇒ = × ⇒ 5.000 2 x x 8 00 x 9 2 0 24 Para passar de horas para segundos, basta multiplicar por = ⇒ 24 x = 80 ⇒ x 83.600 (2,5 × 3.600 = 9.000 seg). As grandezas panfletos e tempo são diretamente pro- Para80 = 7, 5 horas x = transformar aa parte decimal do número em minutos 24 basta multiplicá-lo por 60.porcionais porque, quanto mais panfletos tiverem que serimpressos, mais tempo vai demorar a impressão. 0,5 × 60 = 30 minutos. A resposta é 7 horas e 30 mi- As grandezas máquinas e tempo são inversamente propor- nutos.cionais porque, quanto mais máquinas estiverem trabalhando, Alternativa Bmenos tempo elas gastarão para fazer a impressão.
  9. 9.  ResoluçãoPorcentagem Se, em 2.006, foram embarcadas 19.760 toneladas a mais O que significa um por cento? do que em 2.005, iremos determinar a quantidade de madeira embarcada em 2.005 fazendo a diferença: Um por cento representa uma parte em cem partes, ou 46.110 – 19.760 = 26.350 toneladasseja quando dizemos um por cento (1%) de duzentos significaque devemos pegar o número duzentos e dividi-lo por cem. Para o cálculo do aumento percentual deve-se considerarO resultado representa 1% de duzentos (200:100=2), então a quantidade embarcada em 2.005 como sendo o nosso 100%,2 é 1% de duzentos. daí calculamos a diferença percentual entre 2.005 e 2.006, fazendo: No caso de 2%, deve-se pegar duas partes, ou seja, 2%de 200 é 4. Toneladas % 26.350 100 Para o cálculo de porcentagem pode-se fazer três tipos 19.760 xde conta: Multiplicando cruzado, temos: W Usando fração 976000 Para isso deve-se escrever uma porcentagem na forma 26350 x = 00 × 9760 ⇒ x = = 75% 26350de fração: 20 Alternativa D 2 1% = ; 12% = ; 120% = . 00 00 00 02) (F. C. Chagas/Soldado/MA/2006) Em dezembro de Calcular 24% de 420: 2.005, a análise de uma amostra de água de um reser- vatório acusou um aumento de 18% de impurezas, em 24 24 × 420 0.080 × 420 = = = 00, 80 relação ao mês anterior. Em janeiro de 2.006, analisada 00 00 00 outra amostra do mesmo reservatório, observou-se que houve uma redução de 5% de impurezas em relação às W Usando regra de três detectadas em dezembro. Relativamente ao mês de no- A maneira mais usada para o cálculo de porcentagem é vembro, é correto afirmar que, em janeiro, as impurezasatravés de uma regra de três. Para isso deve-se sempre com- aumentaram emparar um valor a uma porcentagem. a) 13% b) 12,5% d) 12% Calcular 35% de 580 c) 12,1% e) 11,8% Não se pode esquecer que o “total” de alguma coisa será  Resoluçãoo nosso 100%. Nesse exemplo, o nosso 100% será 580: Considerar 100 como sendo a quantidade de impurezas 580 100% no mês de novembro. x 35% No mês de dezembro, tivemos um aumento de 18% de Ou seja, colocar valor embaixo de valor e porcentagem impurezas:embaixo de porcentagem. Multiplicar cruzado: 8 × 00 = 8, dando um total de 100 + 18 = 118 impurezas. 20300 00 00 x = 580 × 35 ⇒ 00 x = 20300 ⇒ x = = 203 00 No mês de janeiro houve uma redução de 5% em relação ao preço de dezembro: W Usando a representação decimal de uma 5porcentagem × 8 = 5.9 00 Por exemplo, ao dizer 10% significa que estamos divi-dindo 10 por 100, que dá como resultado 0,1. Temos 118 – 5,9 = 112,1 impurezas Calcular 10% de 1.200 De novembro a janeiro tivemos um aumento de 0,1 × 1.200 = 120 112,1 – 100 = 12,1 o que corresponde a 12,1% de 100 Alternativa C W Exercícios resolvidos 03) (NCE/Adm. Finanças/Infraero/2004) João constatou01) (CESGRANRIO/Guarda Port./RO/2007) Em 2006, que, no mês de dezembro, a venda de garrafas de água foram embarcadas, no Porto de Porto Velho, cerca de mineral em sua mercearia teve um aumento percentual 19.760 toneladas de madeira a mais do que em 2005, de 14% com relação ao mês anterior. Sabendo que a totalizando 46.110 toneladas. Assim, em relação a 2005, mercearia de João vendeu 171 garrafas de água mineral o embarque de madeira aumentou aproximadamente x %. em dezembro e que x representa o número de garrafas de Pode-se concluir que x é igual a: água mineral vendidas em novembro, podemos afirmar a) 45 que x é um número entre: b) 58 d) 75 a) 132 e 139 c) 65 e) 80 b) 139 e 146 d) 152 e 157 c) 146 e 152 e) 157 e 164
  10. 10. 10  Resolução Mas a área livre corresponde a 75% da área total. Calcular Em dezembro a venda foi de 171 garrafas, e essa quantida- a área total:de representa 14% a mais do que em novembro. Pode-se dizer Área %que 171 garrafas corresponde a 114% da quantidade vendida 12 75em novembro (para isso consideramos 100% a quantidade x 100vendida em novembro). Multiplicando cruzado, temos: Deve-se resolver a seguinte regra de três: 200 garrafas % 75x = 00 × 2 ⇒ x = = 6m 2 75 171 114 Alternativa A x 100 Multiplicando cruzado temos: 06) (CTSP/2006) Uma loja vende seus artigos nas seguintes condições: à vista com 30% de desconto sobre o preço 700 da tabela ou no cartão de crédito com 10% de acréscimo 4 x = 00 × 7 ⇒ x = = 50 garrafas 4 sobre o preço de tabela. Um artigo que à vista sai por Alternativa C R$ 7.000,00, no cartão sairá por: a) R$ 7.700,00 c) R$ 13.000,0004) (NCE/ANTT/2005) Um comerciante aumentou o preço b) R$ 10.010,00 d) R$ 11.000,00 de um certo produto em 30%. Como a venda do produto caiu, o comerciante, arrependido, pretende dar um des- conto no novo preço de modo a fazê-lo voltar ao valor  Resolução anterior ao aumento. Nesse caso, o comerciante deve O preço à vista está com um desconto de 30%, ou seja, anunciar um desconto de, aproximadamente: esse valor representa 70% do preço de tabela. Calcular o a) 15% preço de tabela: b) 19% d) 28% R$ % c) 23% e) 30% 7.000 70 x 100  Resolução Multiplicando cruzado temos: Supor um preço inicial de R$ 100,00. 700000 Inicialmente o comerciante deu um aumento de 30%: 70 x = 00 × 7000 ⇒ x = = 0000 70 30 × 00 = 30 → o preço do produto passará a ser Ou seja R$ 10.000,00 é o preço de tabela, agora vamos 00 determinar o acréscimo de 10% sobre esse preço:de R$ 100,00 + R$ 30,00 = R$ 130,00 0 × 0000 = 000 Para voltar ao preço original, deve-se retirar os R$ 30,00 00de R$ 130,00, mas agora o nosso 100% será R$ 130,00. O preço no cartão será de R$ 10.000,00 + R$ 1.000,00 R$ % = R$ 11.000,00 130 100 Alternativa D 30 x 07) (Fundep/Aux. Adm./Fhemig/2007) Paulo comprou Multiplicando cruzado, temos: um aparelho de som e o revendeu com um lucro de 20% 3000 sobre o preço de venda. Nesse caso, o lucro que Paulo 30 x = 00 × 30 ⇒ x = = 23% obteve sobre o preço de compra é de 30 a) 10% b) 20% c) 25% d) 40% Alternativa C05) (Vunesp/Monitor/Pref. Louveira/2007) Em uma sala,  Resolução 75% da área total está livre, isto é, sem móveis ou objetos, Como o lucro foi calculado sobre o preço de venda, vamos e nesse espaço será colocado um tapete de 2,4 m por 2,0 considerar esse preço de R$ 100,00, temos um lucro de: m, que ocupará 40% desse espaço livre. A área total de sala corresponde a 20 × 00 = 20 a) 16m2 b) 14m2 c) 12m2 d) 10m2 e) 8m2 00 Se o lucro foi de R$ 20,00, o preço de custo é dado pela Resolução: expressão: Vamos determinar a área do tapete multiplicando suas Custo + lucro = venda → custo = venda – lucro =duas medidas: 100 – 20 = 80 A = 2,4 x 2,0 = 4,8m2 O preço de custo dessa mercadoria foi de R$ 80,00. Esse valor corresponde a 40% da área livre. Calcular a Para calcular o percentual de lucro em relação ao custo,área livre fazendo: considerar o custo como 100%, daí temos: Área % R$ % 4,8 40 80 100 x 100 20 x Multiplicando cruzado, temos: Multiplicando cruzado, temos: 480 2000 40 x = 00 × 4, 8 ⇒ x = = 2m 2 80 x = 00 × 20 ⇒ x = = 25% 40 80 Alternativa C
  11. 11. 1108) (Cesgranrio/Téc./Petrobras/2008) Uma em- Em que 40% delas são produtoras rurais: presa tem, em sua tabela de preços de venda de produtos 40 × 4.000 = .600 aos clientes, o valor sem desconto (cheio) para pagamento 00 à vista de seus produtos. No mês de janeiro de 2008, a empresa deu aos clientes um desconto de 50% sobre o Então 1.600 mulheres são produtoras rurais. valor da tabela. Já em fevereiro, o desconto passou a 40%. Mas no problema foi dito que 40% dos habitantes dessa No mês de fevereiro, comparativamente a janeiro, houve, cidade são produtores rurais: em relação aos preços, a) aumento de 20% 40 b) aumento de 10% d) redução de 20% × 0.000 = 4.000 00 c) redução de 10% e) redução de 25% Temos então 4.000 produtores rurais, e 1.600 deles são  Resolução mulheres. O número de homens que são produtores rurais é Para resolver esta questão, vamos supor um produto cujo igual a:preço seja de R$ 100,00. 4.000 – 1.600 = 2.400 50 Alternativa B Em janeiro foi dado um desconto de 50%: × 00 = 50 00 10) (F. C. Chagas/Téc./TRF/2006) Em agosto de 2.006, Jo- Se o desconto foi de R$ 50,00, então ele deverá pagar sué gastava 20% de seu salário no pagamento do aluguelR$ 100,00 – R$ 50,00 = R$ 50,00. de sua casa. A partir de setembro de 2.006, ele teve um 40 aumento de 8% em seu salário e o aluguel de sua casa foiEm fevereiro foi dado um desconto de 40%: × 00 = 40 00 reajustado em 35%. Nessas condições, para o pagamento do aluguel após os reajustes, a porcentagem do salário que Se o desconto foi de R$ 40,00, então ele deverá pagar Josué deverá desembolsar mensalmente éR$ 100,00 – R$ 40,00 = R$ 60,00 a) 32,5% Vamos, agora, comparar os preços de janeiro e fevereiro. b) 30% d) 25%Como se quer saber qual o aumento que houve de janeiro c) 27,5% e) 22,5%para fevereiro, deve-se considerar o preço de janeiro comosendo 100%.  Resolução Determinar a diferença entre os preços: Vamos supor que o salário de Josué seja de R$ 100,00, R$ 60,00 – R$ 50,00 = R$ 10,00 daí tem-se que ele pagava de aluguel: Considerando o valor de janeiro como 100%, determinar 20qual a porcentagem que a diferença entre os preços representa × 00 = 20através de uma regra de três: 00 R$ % Mas o salário dele teve um aumento de 8% 50 100 8 10 x × 00 = 8 00 Multiplicando cruzado, temos: 000 O novo valor de seu salário é de R$ 100,00 + R$ 8,00 = 50 x = 00 × 0 ⇒ x = = 20% R$ 108,00 50 Alternativa A Mas o aluguel teve um aumento de 35% 35 × 20 = 709) (ESAF/Téc./CGU/2008) Uma pequena cidade possui 00 10.000 habitantes, dos quais 40% são produtores rurais e 60% são do sexo masculino. Sabe-se que 40% das mulheres Daí o novo valor do aluguel será de R$ 20,00 + R$ 7,00 = são produtoras rurais. Desse modo, o número de habitantes R$ 27,00. do sexo masculino e que são produtores rurais é igual a: Determinar qual a porcentagem que o novo aluguel re- a) 1750 presenta do novo salário: b) 2400 d) 3600 R$ % c) 4000 e) 6000 108 100 27 x  Resolução Nessa cidade 60% dos habitantes são do sexo masculino: Multiplicando cruzado, temos: 60 2700 × 0.000 = 6.000 08x = 00 × 27 ⇒ x = = 25% 00 08 Como o restante é do sexo feminino, temos: Alternativa D 10.000 – 6.000 = 4.000 mulheres
  12. 12. 1211) (Fundep/Auxiliar/Fhemig/2002) Numa loja, o preço Somar esse valor ao valor inicial: de um produto sofreu dois descontos consecutivos: o pri- R$ 100,00 + R$ 20,00 = R$ 120,00 meiro de 10% e o segundo de 18%. Qual a porcentagem equivalente se o desconto fosse feito de uma única vez? O segundo aumento irá incidir sobre esse novo valor. a) 11,82% Calcular então, 10% de R$ 120,00: b) 26,2% 0 c) 18,8% × 20 = 2 00 d) 28% Somando R$ 120,00 com o valor do aumento temos: R$  Resolução 120,00 + R$ 12,00 = R$ 132,00. Em relação a R$ 100,00 ele Como neste exercício não foi dado o valor do produto, teve um aumento total de R$ 32,00 o que equivale a 32 %.usar R$ 100,00 como referência. Alternativa C O primeiro desconto foi de 10%: 0 13) (Fundep/Téc./Câm. Mun./2004) Antônio comprou 10% de 100 é igual a × 00 = 0 00 um aparelho de televisão, cujo preço à vista é R$ 500,00. Entretanto preferiu fazer o pagamento em duas parcelas Diminuir esse valor do valor inicial: iguais. A primeira delas foi paga no ato da compra. Nessa R$ 100 – R$ 10 = R$ 90 venda, o vendedor cobrou juros de 4% ao mês. Então é O segundo desconto irá incidir sobre o valor que sobrou, correto afirmar que o valor de cada parcela foiou seja, sobre R$ 90,00. a) R$ 254,50 b) R$ 254,90 8 620 × 90 = = 6, 20 c) R$ 255,00 00 00 d) R$ 260,00 Descontar esse valor de R$ 90: R$ 90 – R$ 16,20 = R$ 73,80  Resolução Após os dois descontos temos R$ 73,80, e para saber a Como não sabemos o valor da primeira parcela vamosporcentagem de desconto, (se ele fosse feito de uma única chamá-la de x.vez) basta subtrair R$ 73,80 do valor inicial: A segunda parcela será o valor que falta para completar R$ 100,00 – R$ 73,80 = R$ 26,20 o pagamento depois de pagar a primeira parcela e pode- Como o nosso valor de referência foi de R$ 100, 00 , então mos indicá-la por 500 – x, mas essa parcela será acrescidaR$ 26,20 irá corresponder a 26,20% desse valor de 4% de juros, então devemos multiplicá-la por 1,04.  00 4 04  Alternativa B , 04 = 00% + 4% = 00 + 00 = 00 = , 04  . A segunda  12) (UFG/Bibliotecário/2007) Paulo trabalha em uma em- parcela será dada por 1,04 (500 – x). presa e obteve uma promoção que acarretou um aumento de 20% em seu salário. No mês seguinte, todos os fun- O enunciado diz que as parcelas devem ser iguais: cionários da empresa obtiveram um aumento salarial de x = , 04 × (500 − x ) ⇒ x = 520 − , 04 x ⇒ 10%. Assim, em relação ao salário antes da promoção, o 520 aumento salarial que Paulo obteve foi de x + , 04 x = 520 ⇒ 2, 04 x = 520 ⇒ x = = 254, 90 2, 04 a) 20%. b) 30%. c) 32%. Alternativa B d) 40%.  Resolução Supor um valor para o salário de Paulo, no caso de por-centagem, o melhor valor é R$ 100,00. Inicialmente calcular 20% de R$ 100,00 20 × 00 = 20 00
  13. 13. 13 Desconto comercial simples (por fora)Juros No caso do desconto comercial simples calculamos o valor presente ( atual ) multiplicando o valor nominal pelo Podemos dizer que juro é o rendimento de uma aplicação fator ( 1– i × n).financeira como no caso de uma caderneta de poupança, ou éo valor que você paga pelo empréstimo de um dinheiro como VA = N× (1–i × n)no caso de uma financeira. Em que o desconto é dado por: D = N – VA Temos dois tipos de juro: simples e composto. Ex: Um título no valor de R$ 20.500,00 é descontado dois W Juro Simples meses antes de seu vencimento. Sabendo-se que para essa O sistema de juro simples é aquele em que o rendimento é operação foi usada uma taxa de desconto comercial simplescalculado sobre o capital inicial. Para o cálculo de juro simples de 2% ao mês. Calcule o valor do desconto. C ×i×tusamos a seguinte fórmula: J = Solução: 00 onde : VA = N × ( − i.n ) = 20.500 × ( − 0, 02 × 2) = C = capital ou nominal (o valor aplicado ou emprestado ) 20.500 × ( − 0, 04) = 20.500 × 0, 96 = 9.680 i = taxa de juro D = N − VA = 20.500 − 9.680 = 820 t = tempo de aplicação. Nessa fórmula, a taxa de juros e o tempo deverão estar Desconto racional simples (por dentro)na mesma unidade (se a taxa de juros for mensal o tempo tem Neste caso calculamos o valor presente dividindo o valorque estar também em meses). Nominal pelo fator (1+ i×n) Montante é o valor final da aplicação, ou seja : E o desconto é dado por: D = n – vA M=C+J Ex: W Juro Composto Um título no valor de R$ 20.500,00 é descontado dois meses antes de seu vencimento. Sabendo-se que para essa O sistema de juro composto é calculado sobre o último operação foi usada uma taxa de desconto racional simples demontante, ou seja, ele é atualizado periodicamente. 2% ao mês, calcule o valor do desconto. Quando trabalhamos com o sistema composto, calculamos  Resoluçãoo montante da aplicação através da fórmula: N M = C×(1+i)n VA = ( + i × n ) Onde n é o tempo da aplicação (número de períodos). Ao trabalhar com esta fórmula, a taxa ficará na sua forma 20.500 20.500 VA = = = 9.7, 54unitária ou centesimal, ou seja, quando tivermos uma taxa de ( + 0, 02.2) , 042% devemos usar i = 0,02 (2 dividido por 100). D = N − VA = 20.500 − 9.7, 54 = 788, 46 W DESCONTO Imagine que você tem um título que vence daqui a vários DESCONTO COMPOSTOmeses mas você está precisando do dinheiro desse título hoje.Você procura uma instituição financeira para descontar esse No desconto composto também temos as duas modalida-título. Essa instituição irá descontar o título, mas irá cobrar des, comercial e racional. A diferença é que agora devemospelo serviço. O valor cobrado pela instituição é chamado de usar o fator de acumulação de capital ( 1 + i )n para fazer osdesconto. cálculos. Vamos chamar o valor do título na data de seu vencimentode Valor Nominal ou Valor Futuro. O valor que você irá Desconto comercial composto (por fora)receber nessa operação é chamado de Valor Atual ou Valor No caso do desconto comercial composto, calculamos o va-Presente. O desconto será a diferença entre eles: lor presente multiplicando o valor nominal pelo fator (1– i)n: D = N – VA VA = N ( − i ) n Há duas modalidades de desconto: Desconto simples e Onde o desconto é dado por: D = n – vADesconto composto. Ex: DESCONTO SIMPLES Um título no valor de R$ 20.500,00 é descontado dois O desconto simples é aquele calculado usando-se o con- meses antes de seu vencimento. Sabendo-se que para essaceito de juro simples. Existem duas modalidades de desconto operação foi usada uma taxa de desconto comercial compostosimples: comercial e racional. Vamos agora ver como calcular de 2% ao mês, calcule o valor do desconto.o valor atual nesses dois casos:
  14. 14. 14 Solução: 02) (Fumarc/MGI/2004) Uma concessionária vende um VA = N × ( − i) n automóvel por R$ 22.000,00 à vista. A prazo, vende por R$ 24.975,00, sendo R$ 5.000,00 de entrada e o restante VA = 20.500 × ( − 0, 02)2 = 20.500 × 0, 9604 = 9.688, 20 daqui a 5 meses. Na venda a prazo, a taxa de juros simples mensal cobrada foi de: D = N − VA = 20.500 − 9.688, 20 = 8, 80 a) 2,5% c) 3,5% Desconto racional composto (por dentro) b) 3,0% d) 4,0% Neste caso calculamos o valor presente dividindo o valornominal pelo fator de acumulação de capital (ou seja, estamos  Resoluçãodescapitalizando o valor futuro). Vamos inicialmente abater a entrada do valor total: N 22.000,00 – 5.000,00 = 17.000,00 que é o valor que será VA = ( + i)n financiado. E o desconto é dado por: D = n – vA O valor a prazo que o automóvel será vendido é de R$ 24.975,00, abatendo a entrada temos: Ex: Um título no valor de R$ 20.500,00 é descontado dois R$ 24.975,00 – 5.000,00 = 19.975,00meses antes de seu vencimento. Sabendo-se que para essa O que nós dá um total de juros cobrados deoperação foi usada uma taxa de desconto comercial composto 19.975,00 – 17.000,00 = 2.975,00de 2% ao mês, calcule o valor do desconto. Aplicar a fórmula de juros simples sabendo que o prazo  Resolução em que será efetuado o pagamento é de 5 meses: N VA = C ×i×t 7.000 × i × 5 ( + i)n J= ⇒ 2.975 = ⇒ 2.975 = 850 × i ⇒ 00 00 20.500 20.500 2.975 VA = = = 9.703, 96 i= = 3, 5% ao mês ( + 0, 02) 2 , 0404 850 Alternativa C D = N − VA = 20.500 − 9.703, 96 = 796, 04 03) (Vunesp/Oficial/MPE/SP/2006) Um certo capital foi Resumindo: aplicado a juro simples durante 8 meses, gerando um Comercial Racional montante de R$ 9.600,00. Esse montante foi novamente Valor Atual (por fora) (por dentro) aplicado por mais 4 meses, à mesma taxa de juro da N aplicação anterior e gerou R$ 960,00 de juros. O capital Simples VA = N × ( − i × n ) VA = inicialmente aplicado foi ( + i × n ) a) R$ 7.000,00. N b) R$ 7.500,00. d) R$ 7.900,00. Composto VA = N × ( − i)n VA = c) R$ 7.800,00. e) R$ 8.000,00. ( + i)n O desconto bancário é o desconto Comercial (poden-  Resoluçãodo ser simples ou composto) às vezes acrescido de “taxas Para resolver essa questão, fazer a parte final primeiro,bancárias”. em que temos: J = 960,00; t = 4 meses e C = 9.600,00 (o montante da aplicação W Exercícios resolvidos anterior é o capital desta aplicação).01) (Conesul/Carteiro/SP/2006) Aplicando-se R$ 650,00 Determinar a taxa usada através da fórmula de juro durante quinze meses a uma taxa de juros simples de simples: 1,75% ao mês, ao final do período o montante será, em C ×i×t 9600 × i × 4 J= ⇒ 960 = ⇒ reais, igual a 00 00 a) 820,62. 96000 b) 815,75. d) 825,50. 96000 = 38400 × i ⇒ i = = 2, 5 38400 c) 810,87. e) 830,37. A taxa de juros usada foi de 2,5% ao mês  Resolução Vamos calcular o montante inicial através da primeira Nesse exercício temos: C = 650,00; t = 15 meses e i = 1,75% aplicação onde temos: M = 9.600,00; t = 8 meses e i = 2,5%ao mês. Aplicar a fórmula de juro simples: ao mês C × i × t 650 × , 75 × 5 7.062, 50 Substituir na fórmula do montante: J= = = = 70, 62 00 00 00 C × 2, 5 × 8 M = C + J ⇒ 9600 = C + ⇒ 9600 = C + 0, 2C ⇒ Como o montante é a soma do capital aplicado com os 00juros obtidos, temos que: 9600 9600 = , 2C ⇒ C = = 8.000 0 M = 650,00 + 170,62 = 820,62 , 2 Alternativa A Alternativa E

×