Apostila ds 1 bim

3.117 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.117
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila ds 1 bim

  1. 1. S.J. dos Campos - DutraS.J. dos Campos - Dutra Prof. Dr. Fernando Cruz BarbieriProf. Dr. Fernando Cruz Barbieri UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Apostila deApostila de Desenvolvimento eDesenvolvimento e SustentabilidadeSustentabilidade
  2. 2. 11oo BimestreBimestre UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  3. 3. S.J. dos CamposS.J. dos Campos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA DesenvolvimentoDesenvolvimento econômicoeconômico
  4. 4. Definição:Definição: consiste em um processo de enriquecimento dos países,consiste em um processo de enriquecimento dos países, assim como de seus habitantes, ou seja, na acumulação de ativosassim como de seus habitantes, ou seja, na acumulação de ativos individuais ou públicos.individuais ou públicos. • Em suma, o desenvolvimento econômico é um processo pelo qual aEm suma, o desenvolvimento econômico é um processo pelo qual a renda nacional real de uma economia aumenta durante um longorenda nacional real de uma economia aumenta durante um longo período de tempoperíodo de tempo • Há ativos que são tangíveis (terra e capital) e aqueles que sãoHá ativos que são tangíveis (terra e capital) e aqueles que são financeiros (dinheiro, títulos, etc).financeiros (dinheiro, títulos, etc). Desenvolvimento EconômicoDesenvolvimento Econômico UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  5. 5. Como ocorre:Como ocorre: O processo de desenvolvimento econômico supõe queO processo de desenvolvimento econômico supõe que ajustes institucionais, fiscais e jurídicos são necessários para:ajustes institucionais, fiscais e jurídicos são necessários para: inovações,inovações, empreendedorismo eempreendedorismo e investimentos,investimentos, para oferecer condições para um sistemapara oferecer condições para um sistema eficiente de produção, circulação e distribuição de bens e serviçoseficiente de produção, circulação e distribuição de bens e serviços à população.à população. Desenvolvimento EconômicoDesenvolvimento Econômico UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  6. 6. Definição:Definição: O Produto Interno Bruto (PIB) é usado para medir aO Produto Interno Bruto (PIB) é usado para medir a atividade econômica do país calculado no Brasil pelo IBGE (Institutoatividade econômica do país calculado no Brasil pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).Brasileiro de Geografia e Estatística). •Mede o nível de riqueza de uma região. Quanto mais se produz,Mede o nível de riqueza de uma região. Quanto mais se produz, mais se está consumindo, investindo e vendendo.mais se está consumindo, investindo e vendendo. •O índice só considera os bens e serviços finais, de modo a nãoO índice só considera os bens e serviços finais, de modo a não calcular a mesma coisa duas vezes.calcular a mesma coisa duas vezes. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  7. 7. Exemplo:Exemplo: •A matéria-prima usada na fabricação não é levada em conta. NoA matéria-prima usada na fabricação não é levada em conta. No caso de um pão, a farinha de trigo usada não entra nacaso de um pão, a farinha de trigo usada não entra na contabilidade.contabilidade. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  8. 8. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  9. 9. Como o PIB é calculado?Como o PIB é calculado? •Desde 1990, o cálculo e a divulgação do PIB brasileiro sãoDesde 1990, o cálculo e a divulgação do PIB brasileiro são realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticarealizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – órgão federal subordinado ao Ministério do Planejamento.(IBGE) – órgão federal subordinado ao Ministério do Planejamento. Fórmula de cálculo do PIB:Fórmula de cálculo do PIB: •A fórmula utilizada para calcular o PIB é:A fórmula utilizada para calcular o PIB é: PIB = C + G + I + (X – M)PIB = C + G + I + (X – M) G = Consumo do governo C = consumo das família I = investimento bruto X = exportações de bens e serviços M = importações de bens e serviços PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  10. 10. PIB = C + I + G + XPIB = C + I + G + X – M– M,, o sinal de negativo na frente das importações devido ao fato deo sinal de negativo na frente das importações devido ao fato de que as importações representam o vazamento de renda gerada noque as importações representam o vazamento de renda gerada no país para o exterior.país para o exterior. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  11. 11. Influência:Influência: •O primeiro fator que influencia diretamente a variação do PIB é oO primeiro fator que influencia diretamente a variação do PIB é o consumo da população.consumo da população. •Quanto mais as pessoas gastam, mais o PIB cresce. Se o consumoQuanto mais as pessoas gastam, mais o PIB cresce. Se o consumo é menor, o PIB cai.é menor, o PIB cai. •O consumo depende dos salários e dos juros. Se as pessoasO consumo depende dos salários e dos juros. Se as pessoas ganham mais e pagam menos juros nas prestações, o consumo éganham mais e pagam menos juros nas prestações, o consumo é maior e o PIB cresce.maior e o PIB cresce. •Com salário baixo e juro alto, o gasto pessoal cai e o PIBCom salário baixo e juro alto, o gasto pessoal cai e o PIB também. Por isso os juros altos atrapalham o crescimento do país.também. Por isso os juros altos atrapalham o crescimento do país. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  12. 12. Influência:Influência: •Os investimentos das empresas também influenciam no PIB.Os investimentos das empresas também influenciam no PIB. •Se as empresas crescem, compram máquinas, expandemSe as empresas crescem, compram máquinas, expandem atividades, contratam trabalhadores, elas movimentam a economia.atividades, contratam trabalhadores, elas movimentam a economia. •Os juros altos também atrapalham aqui: os empresários nãoOs juros altos também atrapalham aqui: os empresários não gastam tanto se tiverem de pagar muito pelos empréstimos paragastam tanto se tiverem de pagar muito pelos empréstimos para investir.investir. •Os gastos do governo são outro fator que impulsiona o PIB.Os gastos do governo são outro fator que impulsiona o PIB. •Quando faz obras, como a construção de uma estrada, sãoQuando faz obras, como a construção de uma estrada, são contratados operários e é gasto material de construção, o que elecontratados operários e é gasto material de construção, o que ele eleva a produção geral da economia.eleva a produção geral da economia. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  13. 13. Fonte:Fonte: IBGE Restrições:Restrições: •O PIB não é um dado 'definitivo'. Porém, um país com maior PIBO PIB não é um dado 'definitivo'. Porém, um país com maior PIB per capita tende a ter maior Índice de Desenvolvimento Humanoper capita tende a ter maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)(IDH) PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  14. 14. PIBPIB UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  15. 15. Definição:Definição: IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é um índiceIDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é um índice que serve de comparação entre os países, com objetivo de medir oque serve de comparação entre os países, com objetivo de medir o grau de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida oferecidagrau de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida oferecida à população de diversos países do mundo.à população de diversos países do mundo. •Este índice é calculado com base em dados econômicos e sociais.Este índice é calculado com base em dados econômicos e sociais. •O IDH vai de 0 (nenhum desenvolvimento humano) a 1O IDH vai de 0 (nenhum desenvolvimento humano) a 1 (desenvolvimento humano total).(desenvolvimento humano total). •Quanto mais próximo de 1, mais desenvolvido é o país.Quanto mais próximo de 1, mais desenvolvido é o país. •Este índice também é usado para apurar o desenvolvimento deEste índice também é usado para apurar o desenvolvimento de cidades, estados e regiões.cidades, estados e regiões. IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  16. 16. Desenvolvimento:Desenvolvimento: O IDH foi desenvolvido em 1990 e vem sendoO IDH foi desenvolvido em 1990 e vem sendo utilizado pelo Programa das Nações Unidas e a partir de dados deutilizado pelo Programa das Nações Unidas e a partir de dados de três combinações detrês combinações de INDICADORESINDICADORES como:como: • expectativa de vidaexpectativa de vida • educação e alfabetizaçãoeducação e alfabetização • PIB (per capita)PIB (per capita) A cada ano, os países, membros da ONU são classificados deA cada ano, os países, membros da ONU são classificados de acordo com essas medidas.acordo com essas medidas. IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  17. 17. Classificação do desenvolvimento de acordo com o IDH:Classificação do desenvolvimento de acordo com o IDH: •De 0 a 0,499 - países com IDH baixo (geralmente paísesDe 0 a 0,499 - países com IDH baixo (geralmente países subdesenvolvidos).subdesenvolvidos). •De 0,500 a 0,799 - países com IDH médio (geralmente países emDe 0,500 a 0,799 - países com IDH médio (geralmente países em processo de desenvolvimento).processo de desenvolvimento). •De 0,800 a 1 - países de IDH elevado (geralmente países ricosDe 0,800 a 1 - países de IDH elevado (geralmente países ricos ou em rápido processo de crescimento econômico - emergentes).ou em rápido processo de crescimento econômico - emergentes). IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  18. 18. Critérios de Avaliação:Critérios de Avaliação: O IDH combina trêsO IDH combina três DIMENSÕES:DIMENSÕES: •Uma vida longa e saudável :Uma vida longa e saudável : Expectativa de vidaExpectativa de vida •Acesso ao conhecimento :Acesso ao conhecimento : Anos médios de estudo e anosAnos médios de estudo e anos esperados de escolaridadeesperados de escolaridade.. •Um padrão de vida decente :Um padrão de vida decente : PIB (per capita)PIB (per capita) IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  19. 19. Colocação no Ranking de IDH de alguns países:Colocação no Ranking de IDH de alguns países: IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  20. 20. Colocação Brasil no Ranking de IDH:Colocação Brasil no Ranking de IDH: •De acordo com dados de 2012 (Relatório 2012-IDH) a nívelDe acordo com dados de 2012 (Relatório 2012-IDH) a nível mundial:mundial: Ocupa 85Ocupa 8500 Posição com um IDH de 0,730Posição com um IDH de 0,730 •Embora apresente deficiências no sistema educacional, o IDH doEmbora apresente deficiências no sistema educacional, o IDH do Brasil é considerado deBrasil é considerado de médio para altomédio para alto, pois o país vem, pois o país vem apresentando bons resultados econômicos.apresentando bons resultados econômicos. •A expectativa de vida em nosso país também tem aumentado,A expectativa de vida em nosso país também tem aumentado, colaborando para o índice.colaborando para o índice. IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  21. 21. IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  22. 22. Colocação cidades do Brasil no Ranking de IDH:Colocação cidades do Brasil no Ranking de IDH: Melhor cidade => 1Melhor cidade => 100 São Caetano do Sul (SP) (IDH = 0,862)São Caetano do Sul (SP) (IDH = 0,862) Pior cidade => 5565Pior cidade => 556500 Melgaço (PA) (IDH = 0,418)Melgaço (PA) (IDH = 0,418) ValeVale 242400 São José dos Campos 0,807São José dos Campos 0,807 404000 TaubatéTaubaté 0.8000.800 767600 CaçapavaCaçapava 0.7880.788 15715700 JacareíJacareí 0.7770.777 30430400 Cachoeira Paulista 0.764Cachoeira Paulista 0.764 IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  23. 23. ESTRUTURA PARA O CÁLCULO DO IDHESTRUTURA PARA O CÁLCULO DO IDH IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  24. 24. ESTRUTURA PARA O CÁLCULO DO IDHESTRUTURA PARA O CÁLCULO DO IDH Valores máximos e mínimos de cada dimensão para o calculo do IDHValores máximos e mínimos de cada dimensão para o calculo do IDH IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Í𝑁𝐷𝐼𝐶� 𝐷� 𝐷𝐼𝑀�𝑁�Ã� = (𝑉�𝐿�� ���𝐿 − 𝑉�𝐿�� 𝑀Í𝑁𝐼𝑀�) 𝑉�𝐿�� 𝑀Á𝑋𝐼𝑀� − 𝑉�𝐿�� 𝑀Í𝑁𝐼𝑀�)
  25. 25. Atual:Atual: No Relatório de Desenvolvimento Humano de 2010 o PNUDNo Relatório de Desenvolvimento Humano de 2010 o PNUD começou a usar um novo método de cálculo do IDH.começou a usar um novo método de cálculo do IDH. Os três índices seguintes são utilizados:Os três índices seguintes são utilizados: IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA PNUD=PNUD= Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
  26. 26. Exemplo:Exemplo: Mostre-se o calculo do IDH para a Turquia para o ano deMostre-se o calculo do IDH para a Turquia para o ano de 2005:2005: 1. Índice de expectativa de Vida –1. Índice de expectativa de Vida – Turquia, em 2005 era de 71,4 anos:Turquia, em 2005 era de 71,4 anos: IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  27. 27. 2.Índice de Educação:2.Índice de Educação: Na Turquia , em 2005 a taxa de alfabetização de adultos era de 87,4% eNa Turquia , em 2005 a taxa de alfabetização de adultos era de 87,4% e o percentual da população, recebendo educação primária, secundária eo percentual da população, recebendo educação primária, secundária e terciária era de 68,7%.terciária era de 68,7%. IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  28. 28. 3.Cálculo do Índice do PIB per capita:3.Cálculo do Índice do PIB per capita: O PIB per capita, na Turquia, no ano de 2005 foi de US$ 8.047O PIB per capita, na Turquia, no ano de 2005 foi de US$ 8.047 por habitante:por habitante: IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  29. 29. Cálculo do IDHCálculo do IDH Finalmente, o IDH é a média geométrica dos três índices anterioresFinalmente, o IDH é a média geométrica dos três índices anteriores normalizados:normalizados: ou IDH = 1/3(EV) + 1/3(ED) + 1/3(PIB) =>ou IDH = 1/3(EV) + 1/3(ED) + 1/3(PIB) => média geométrica dos três índicesmédia geométrica dos três índices IDHIDH UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  30. 30. • Entretanto, os economistas consideram que o desenvolvimento éEntretanto, os economistas consideram que o desenvolvimento é consequência do aumento da circulação e da distribuição doconsequência do aumento da circulação e da distribuição do dinheirodinheiro • Devem aprender que o sistema humano está inserido no meioDevem aprender que o sistema humano está inserido no meio ambiente.ambiente. • Mas na verdade essa circulação de dinheiro, na verdade sãoMas na verdade essa circulação de dinheiro, na verdade são fluxos de energia que controlam a economia.fluxos de energia que controlam a economia. • Estimular o crescimento por meio do aumento da circulação deEstimular o crescimento por meio do aumento da circulação de dinheiro só funciona quando há grandes quantidade de recursos edinheiro só funciona quando há grandes quantidade de recursos e energia fornecidos pelo meio ambiente.energia fornecidos pelo meio ambiente. ConclusãoConclusão UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  31. 31. 1) Defina PIB. Qual a sua importância? Como o PIB é utilizado (calculado) para medir1) Defina PIB. Qual a sua importância? Como o PIB é utilizado (calculado) para medir o desenvolvimento?o desenvolvimento? 2) O que significa o sinal de negativo na frente das importações ?2) O que significa o sinal de negativo na frente das importações ? 3) Defina IDH. Qual a sua importância? Como o IDH é calculado ? Qual a posição do3) Defina IDH. Qual a sua importância? Como o IDH é calculado ? Qual a posição do brasil perante o mundo em 2012?brasil perante o mundo em 2012? 4) Qual é a estrutura do IDH perante à dimensão e indicador?4) Qual é a estrutura do IDH perante à dimensão e indicador? 5) Como é a classificação do desenvolvimento de acordo com o IDH?5) Como é a classificação do desenvolvimento de acordo com o IDH? 6) Com o auxilio da tab. do slide 23, e com os dados da tabela abaixo, calcule o IDH6) Com o auxilio da tab. do slide 23, e com os dados da tabela abaixo, calcule o IDH dos países e identifique os países com alto, médio e baixo desenvolvimento humano.dos países e identifique os países com alto, médio e baixo desenvolvimento humano. Lista 1Lista 1 UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  32. 32. S.J. dos CamposS.J. dos Campos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA DesenvolvimentoDesenvolvimento SustentávelSustentável
  33. 33. • Nos dicionários, sustentabilidade implica que uma determinadaNos dicionários, sustentabilidade implica que uma determinada atividade ou ação seja susceptível de ser sustentadaatividade ou ação seja susceptível de ser sustentada (continuada, mantida).(continuada, mantida). • Sustentabilidade também pode ser definida como a capacidadeSustentabilidade também pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meiodo ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos naturais dasambiente para não comprometer os recursos naturais das gerações futuras.gerações futuras. Desenvolvimento Sustentável: definiçãoDesenvolvimento Sustentável: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  34. 34. • Talvez a mais conhecida de definição de sustentabilidade venhaTalvez a mais conhecida de definição de sustentabilidade venha do relatório Brundtland publicado em 1987. Neste documento odo relatório Brundtland publicado em 1987. Neste documento o desenvolvimento sustentável é concebido como:desenvolvimento sustentável é concebido como: ““...o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem...o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suascomprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.próprias necessidades”. Desenvolvimento Sustentável: definiçãoDesenvolvimento Sustentável: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Dra. Gro Harlem Brundtland à época primeira-ministra da Noruega
  35. 35. O desafio do desenvolvimento sustentávelO desafio do desenvolvimento sustentável •O grande desafio deste século e o de alcançar a situaçãoO grande desafio deste século e o de alcançar a situação denominada de desenvolvimento sustentável.denominada de desenvolvimento sustentável. Isto implica em compreender que a sociedade e a economia estãoIsto implica em compreender que a sociedade e a economia estão inseridas no meio ambiente e definem que:inseridas no meio ambiente e definem que: •Se o meio ambiente obtiver reservas abundantes de materiais eSe o meio ambiente obtiver reservas abundantes de materiais e energia, a economia e o conhecimento dos seres humanosenergia, a economia e o conhecimento dos seres humanos aumentam.aumentam. •Se o meio ambiente for explorado a uma velocidade superiorSe o meio ambiente for explorado a uma velocidade superior aquela que o planeta tem condições de repor, os valores, projetos eaquela que o planeta tem condições de repor, os valores, projetos e economia tendem a desacelerar.economia tendem a desacelerar. Desenvolvimento Sustentável: desafioDesenvolvimento Sustentável: desafio UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  36. 36. Definição:Definição: em biologia "o máximo de população de uma determinadaem biologia "o máximo de população de uma determinada espécie que uma área pode suportar sem reduzir a capacidade deespécie que uma área pode suportar sem reduzir a capacidade de suporte da mesma espécie no futuro".suporte da mesma espécie no futuro". •De forma mais ampla, a capacidade de carga refere-se ao númeroDe forma mais ampla, a capacidade de carga refere-se ao número de indivíduos que podem ser suportados por uma determinada área,de indivíduos que podem ser suportados por uma determinada área, dentro dos limites de seus recursos naturais, e sem degradar osdentro dos limites de seus recursos naturais, e sem degradar os capitais naturais, sociais e econômicos.capitais naturais, sociais e econômicos. •A capacidade de carga para uma determinada área não e fixa.A capacidade de carga para uma determinada área não e fixa. •Ela pode ser alterada pela tecnologia, para melhor ou para pior,Ela pode ser alterada pela tecnologia, para melhor ou para pior, por pressões do aumento populacional ou do aumento da poluiçãopor pressões do aumento populacional ou do aumento da poluição Desenvolvimento Sustentável: Capacidade de cargaDesenvolvimento Sustentável: Capacidade de carga UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  37. 37. • Ao longo do tempo, os seres humanos tem modificado aAo longo do tempo, os seres humanos tem modificado a capacidade de carga do meio ambiente.capacidade de carga do meio ambiente. • Pesquisadores tem desenvolvido métodos para estimar o impactoPesquisadores tem desenvolvido métodos para estimar o impacto ambiental das populações com relação ao uso de recursos perambiental das populações com relação ao uso de recursos per capita, como por exemplo, a Identidade de Ehrlich.capita, como por exemplo, a Identidade de Ehrlich. • Paul Ehrlich, foi um biólogo da universidade de Stanford, nosPaul Ehrlich, foi um biólogo da universidade de Stanford, nos Estados Unidos, relatou que o crescimento sem limites daEstados Unidos, relatou que o crescimento sem limites da população e o hiperconsumo não são compatíveis com a finitudepopulação e o hiperconsumo não são compatíveis com a finitude dos recursos naturais.dos recursos naturais. Desenvolvimento Sustentável: Identidade de EhrlichDesenvolvimento Sustentável: Identidade de Ehrlich UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Anne EhrlichPaul Ehrlich
  38. 38. • Paul junto com sua esposa, Anne Ehrlich, criou uma fórmulaPaul junto com sua esposa, Anne Ehrlich, criou uma fórmula matemática para calcular a pressão dos humanos sobre a Terra:matemática para calcular a pressão dos humanos sobre a Terra: Que pode ser reescrita na forma:Que pode ser reescrita na forma: I = P x A x TI = P x A x T onde:onde: I é o impacto sobre o ambiente resultante do consumo (I é o impacto sobre o ambiente resultante do consumo (adimensionaladimensional)) P é a população que ocupa uma determinada áreaP é a população que ocupa uma determinada área A é o consumo per capita (riqueza- medido pelo PIB per capita)A é o consumo per capita (riqueza- medido pelo PIB per capita) T é o fator tecnológico (emissões de gases de efeito estufa)T é o fator tecnológico (emissões de gases de efeito estufa) Desenvolvimento Sustentável: Identidade de EhrlichDesenvolvimento Sustentável: Identidade de Ehrlich UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Poluição = Habitantes x Produção econômica x Poluição Área área habitantes Produção econômica
  39. 39. • A tabela abaixo, mostra a variação da população do Brasil,A tabela abaixo, mostra a variação da população do Brasil, juntamente com a variação do PIB e da emissão de gases dejuntamente com a variação do PIB e da emissão de gases de efeito estufa (ECOefeito estufa (ECO22) para o intervalo de 1990-2000-2025.) para o intervalo de 1990-2000-2025. Desenvolvimento Sustentável: Identidade de EhrlichDesenvolvimento Sustentável: Identidade de Ehrlich UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  40. 40. Termos da equação de Ehrlich para o BrasilTermos da equação de Ehrlich para o Brasil •Através do método de Ehrlich observa-se que, no exemploAtravés do método de Ehrlich observa-se que, no exemplo tomado, tem-setomado, tem-se Desenvolvimento Sustentável: Identidade de EhrlichDesenvolvimento Sustentável: Identidade de Ehrlich UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  41. 41. Variação de I ao longos dos anosVariação de I ao longos dos anos •Apesar da melhora apresentada pelo fator tecnológico (T), oApesar da melhora apresentada pelo fator tecnológico (T), o impacto sobre o ambiente resultante continua a aumentarimpacto sobre o ambiente resultante continua a aumentar linearmente.linearmente. Desenvolvimento Sustentável: Identidade de EhrlichDesenvolvimento Sustentável: Identidade de Ehrlich UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  42. 42. Sociedade SustentávelSociedade Sustentável •Para que uma sociedade seja sustentável, alguns fatores devemPara que uma sociedade seja sustentável, alguns fatores devem ser observados.ser observados. •Segundo Herman Daly, ideólogo da Teoria da Sustentabilidade, háSegundo Herman Daly, ideólogo da Teoria da Sustentabilidade, há dois princípios básicos a serem atendidos:dois princípios básicos a serem atendidos: 1º princípio da sustentabilidade ambiental1º princípio da sustentabilidade ambiental •Os recursos naturais não devem ser consumidos a uma velocidadeOs recursos naturais não devem ser consumidos a uma velocidade que impeça sua recuperação.que impeça sua recuperação. 2º princípio da sustentabilidade ambiental2º princípio da sustentabilidade ambiental •A produção de bens não deve gerar resíduos que não possam serA produção de bens não deve gerar resíduos que não possam ser absorvidos pelo ambiente de forma rápida e eficaz.absorvidos pelo ambiente de forma rápida e eficaz. Desenvolvimento Sustentável: SociedadeDesenvolvimento Sustentável: Sociedade UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  43. 43. Modelos de Interação dos Sistemas Humanos.Modelos de Interação dos Sistemas Humanos. Nos modelos de interação dos sistemas humanos (econosfera eNos modelos de interação dos sistemas humanos (econosfera e sociosfera) com o meio ambiente (ecosfera) surgem na literatura,sociosfera) com o meio ambiente (ecosfera) surgem na literatura, três tipos de sustentabilidade:três tipos de sustentabilidade: •a econômica,a econômica, •a social e aa social e a •do meio ambientedo meio ambiente Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  44. 44. 1º Modelo de interação – sustentabilidade fraca:1º Modelo de interação – sustentabilidade fraca: •Representa os sistemas humanos e natural como compartimentosRepresenta os sistemas humanos e natural como compartimentos ilimitados em seu desenvolvimento.ilimitados em seu desenvolvimento. •Tipo de sustentabilidade fraca: soma de todos os capitaisTipo de sustentabilidade fraca: soma de todos os capitais ambiental, econômico e social é mantida constante, semambiental, econômico e social é mantida constante, sem diferenciação do tipo de capital.diferenciação do tipo de capital. •Exemplificando: Uma planta de tratamento de efluentes líquidosExemplificando: Uma planta de tratamento de efluentes líquidos substituiria o serviço ambiental de purificação de água realizadosubstituiria o serviço ambiental de purificação de água realizado por uma floresta.por uma floresta. Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  45. 45. Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA 1º Modelo de interação – sustentabilidade fraca:
  46. 46. 2º Modelo de interação : sustentabilidade média2º Modelo de interação : sustentabilidade média •Considera-se os 3 compartimentos (eco, econo e sociosfera) comoConsidera-se os 3 compartimentos (eco, econo e sociosfera) como áreas de domínio comuns, entretanto, neste modelo há outras áreasáreas de domínio comuns, entretanto, neste modelo há outras áreas interdependentes.interdependentes. •As interações de troca entre os sistemas (humano, social eAs interações de troca entre os sistemas (humano, social e econômico) possuem áreas que não dependem fortemente do sistemaeconômico) possuem áreas que não dependem fortemente do sistema natural.natural. •Neste tipo de sustentabilidade, a soma dos três tipos de capitalNeste tipo de sustentabilidade, a soma dos três tipos de capital (ecológico, econômico e social) é também mantida constante, porém(ecológico, econômico e social) é também mantida constante, porém a substituição entre os diferentes tipos de capital é parcial.a substituição entre os diferentes tipos de capital é parcial. •Exemplificando: O plantio de um bosque substituiria parcialmenteExemplificando: O plantio de um bosque substituiria parcialmente o capital natural de uma floresta natural.o capital natural de uma floresta natural. Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  47. 47. 2º Modelo de interação : sustentabilidade média2º Modelo de interação : sustentabilidade média Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  48. 48. 3º Modelo – sustentabilidade forte3º Modelo – sustentabilidade forte •Neste modelo, o meio ambienta contém os sistemas humanos,Neste modelo, o meio ambienta contém os sistemas humanos, fornecendo recursos (minérios e energia) e prestando serviçosfornecendo recursos (minérios e energia) e prestando serviços ambientais (dispersão de poluentes).ambientais (dispersão de poluentes). •Recursos e serviços ambientais são a base para o desenvolvimentoRecursos e serviços ambientais são a base para o desenvolvimento socioeconômico.socioeconômico. •Os sistemas humanos estão contidos no sistema natural e aOs sistemas humanos estão contidos no sistema natural e a econosfera e a sociosfera não podem crescer além das limitaçõeseconosfera e a sociosfera não podem crescer além das limitações intrísecas da biosfera.intrísecas da biosfera. •Neste tipo de modelo, para alcançar a sustentabilidade éNeste tipo de modelo, para alcançar a sustentabilidade é necessário manter o capital.necessário manter o capital. •Exemplificando: O esgotamento dos combustíveis fósseis éExemplificando: O esgotamento dos combustíveis fósseis é compensado pelo desenvolvimento de outra fonte de energia, como acompensado pelo desenvolvimento de outra fonte de energia, como a renováveis.renováveis. Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  49. 49. 3º Modelo de interação : sustentabilidade forte3º Modelo de interação : sustentabilidade forte Desenvolvimento Sustentável: ModelosDesenvolvimento Sustentável: Modelos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  50. 50. 1) Defina sustentabilidade1) Defina sustentabilidade 2) Defina sustentabilidade segundo Brundtland2) Defina sustentabilidade segundo Brundtland 3) O que é capacidade de carga?3) O que é capacidade de carga? 4) Qual é a fórmula matemática para calcular a pressão dos4) Qual é a fórmula matemática para calcular a pressão dos humanos sobre a Terra criado por Ehrlich e o que significa cadahumanos sobre a Terra criado por Ehrlich e o que significa cada grandeza?grandeza? 5) Dê exemplos de sustentabilidade fraca, media e forte?5) Dê exemplos de sustentabilidade fraca, media e forte? 6) Faça uma analise dos países mostrado na tabela abaixo e calcule6) Faça uma analise dos países mostrado na tabela abaixo e calcule o impacto (I) causado pelo consumo de suas populações da china,o impacto (I) causado pelo consumo de suas populações da china, índia, Nigéria e EUA sobre o meio ambiente no ano de 2000.índia, Nigéria e EUA sobre o meio ambiente no ano de 2000. Lista 2Lista 2 UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  51. 51. S.J. dos CamposS.J. dos Campos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Engenharia daEngenharia da SustentabilidadeSustentabilidade
  52. 52. • Para “nós” engenheiros, tudo está baseado em energia (princípioPara “nós” engenheiros, tudo está baseado em energia (princípio simples).simples). • A energia constitui:A energia constitui: - fonte e o- fonte e o - controle de todos os valores e ações dos seres humanos e- controle de todos os valores e ações dos seres humanos e da natureza.da natureza. Engenharia da Sustentabilidade: definiçãoEngenharia da Sustentabilidade: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  53. 53. Definição de energia:Definição de energia: Energia é um termo que deriva do gregoEnergia é um termo que deriva do grego "ergos" cujo significado original é trabalho."ergos" cujo significado original é trabalho. •Energia na Física está associado à capacidade de qualquer corpoEnergia na Física está associado à capacidade de qualquer corpo produzir trabalho, ação ou movimento.produzir trabalho, ação ou movimento. •O conceito de energia é utilizado no sentido corrente paraO conceito de energia é utilizado no sentido corrente para designar o vigor, a firmeza e a força.designar o vigor, a firmeza e a força. •A energia não pode ser criada, mas apenas transformadaA energia não pode ser criada, mas apenas transformada (primeiro princípio da Termodinâmica).(primeiro princípio da Termodinâmica). Engenharia da Sustentabilidade: definiçãoEngenharia da Sustentabilidade: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  54. 54. Definição de energia sustentável:Definição de energia sustentável: É aquela que é gerada eÉ aquela que é gerada e fornecida de modo a atender as necessidades atuais, porém semfornecida de modo a atender as necessidades atuais, porém sem comprometer a capacidade das futuras gerações de satisfazeremcomprometer a capacidade das futuras gerações de satisfazerem as suas necessidades.as suas necessidades. •As principais fontes de energia sustentável são as renováveis eAs principais fontes de energia sustentável são as renováveis e limpas, com nenhum ou muito pouco índice de geração de COlimpas, com nenhum ou muito pouco índice de geração de CO22 (dióxido de carbono) e outros gases do efeito estufa.(dióxido de carbono) e outros gases do efeito estufa. Principais fontes de energia sustentável (fontes renováveis):Principais fontes de energia sustentável (fontes renováveis): - Energia eólica- Energia eólica - Energia solar- Energia solar - Hidroeletricidade- Hidroeletricidade - Energia das marés- Energia das marés - Energia geotérmica- Energia geotérmica Engenharia da Sustentabilidade: definiçãoEngenharia da Sustentabilidade: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  55. 55. • Se as fontes de energia são exploradas a uma velocidadeSe as fontes de energia são exploradas a uma velocidade superior àquela que o planeta tem condição de regenerar,superior àquela que o planeta tem condição de regenerar, projetos dos seres humanos são desacelerados.projetos dos seres humanos são desacelerados. • Quando a energia disponível é abundante, a economia, oQuando a energia disponível é abundante, a economia, o conhecimento e as aspirações dos seres humanos crescem.conhecimento e as aspirações dos seres humanos crescem. Engenharia da Sustentabilidade: definiçãoEngenharia da Sustentabilidade: definição UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  56. 56. • Busca pela sustentabilidade: Engenheiros devem utilizar técnicasBusca pela sustentabilidade: Engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar os sistemas de fornecimento de energia epara avaliar os sistemas de fornecimento de energia e considerar:considerar: o homem, a natureza e a economia.o homem, a natureza e a economia. • Engenheiros devem utilizar-se de técnicas ou avançosEngenheiros devem utilizar-se de técnicas ou avanços tecnológicos para medir e avaliar os sistemas e suas fontes detecnológicos para medir e avaliar os sistemas e suas fontes de energia.energia. Engenharia da Sustentabilidade: BuscaEngenharia da Sustentabilidade: Busca UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Conhecendo a forma com que a energia produzConhecendo a forma com que a energia produz e mantém a ordem para a humanidade ee mantém a ordem para a humanidade e natureza, será possível oferecer soluções denatureza, será possível oferecer soluções de engenharia para que os indivíduos possamengenharia para que os indivíduos possam escolher sua forma de viver.escolher sua forma de viver.
  57. 57. • Em engenharia, para que se possa avaliar um sistema tãoEm engenharia, para que se possa avaliar um sistema tão complexo como o nosso, utilizam-se “sistemas” e “diagramas decomplexo como o nosso, utilizam-se “sistemas” e “diagramas de sistemas” para que se realizem cálculos sobre fluxos e depósitossistemas” para que se realizem cálculos sobre fluxos e depósitos de recursos.de recursos. • Definição:Definição: Sistema é um “todo” e que interage com as suasSistema é um “todo” e que interage com as suas partes “organizadas”partes “organizadas” • As partes de um sistema não podem ser colocadas de maneiraAs partes de um sistema não podem ser colocadas de maneira aleatória.aleatória. • Em um sistema, as partes devem estar interligadas de umaEm um sistema, as partes devem estar interligadas de uma forma específica, para que o sistema realize seu propósitoforma específica, para que o sistema realize seu propósito específico.específico. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  58. 58. Exemplificando:Exemplificando: •Uma casa é um sistema com tubulações de água, condutoresUma casa é um sistema com tubulações de água, condutores elétricos, materiais de construção, etc.elétricos, materiais de construção, etc. •Um time de futebol é um sistema composto por jogadores comUm time de futebol é um sistema composto por jogadores com funções diferentes, mas que atuam de comum acordo por interaçõesfunções diferentes, mas que atuam de comum acordo por interações combinadas durante o treinamento.combinadas durante o treinamento. •Um bosque é um sistema constituído de árvores, solo, nutrientes,Um bosque é um sistema constituído de árvores, solo, nutrientes, animais e microrganismos. Com a interação entre estes elementos,animais e microrganismos. Com a interação entre estes elementos, o bosque se mantém como unidade.o bosque se mantém como unidade. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  59. 59. • Para todos os sistemas, se podem aplicar as leis da energia ePara todos os sistemas, se podem aplicar as leis da energia e construir diagramas de energia.construir diagramas de energia. • Abaixo mostram os símbolos utilizados na construção dosAbaixo mostram os símbolos utilizados na construção dos diagramas de sistemas:diagramas de sistemas: Caixa:Caixa: símbolo para definir os limites de um sistema.símbolo para definir os limites de um sistema. Caminho energético:Caminho energético: fluxo de energia ou materiais.fluxo de energia ou materiais. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  60. 60. Fonte de energia:Fonte de energia: energia que acompanha cada recurso usado peloenergia que acompanha cada recurso usado pelo ecossistema, como sol, o vento, as mares, as ondas, as chuvas, asecossistema, como sol, o vento, as mares, as ondas, as chuvas, as sementes trazidas pelos ventos e aves.sementes trazidas pelos ventos e aves. Deposito de energia:Deposito de energia: indica o local onde a energia se armazena,indica o local onde a energia se armazena, como os recursos de biomassa, solo, matéria orgânica, areia,como os recursos de biomassa, solo, matéria orgânica, areia, nutrientes e etc.nutrientes e etc. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  61. 61. Consumidor:Consumidor: indica uma unidade de consumo, como um consumidorindica uma unidade de consumo, como um consumidor do alimento ou uma população.do alimento ou uma população. Sistema de produção:Sistema de produção: indica a ocorrência de processos e interaçõesindica a ocorrência de processos e interações necessárias à produção, como a produção de alimentos.necessárias à produção, como a produção de alimentos. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  62. 62. Processo de interação:Processo de interação: Processo que combina diferentes tipos deProcesso que combina diferentes tipos de fluxo de energia e de materiais.fluxo de energia e de materiais. Transação:Transação: intercambio comercial de dinheiro para energia,intercambio comercial de dinheiro para energia, materiais ou serviços prestados.materiais ou serviços prestados. Sumidouro de energia:Sumidouro de energia: energia dissipada, dispersa e que não podeenergia dissipada, dispersa e que não pode ser utilizada na forma de calor.ser utilizada na forma de calor. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA $
  63. 63. A tabela abaixo mostra os principais símbolos empregados naA tabela abaixo mostra os principais símbolos empregados na construção de diagrama de energia de sistemasconstrução de diagrama de energia de sistemas Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  64. 64. Exemplo 1:Exemplo 1: Fluxos Energéticos Necessários para a Produção de AlimentosFluxos Energéticos Necessários para a Produção de Alimentos em uma Fazenda:em uma Fazenda: •De forma simples, o diagrama ilustra de que modo a plantação dependeDe forma simples, o diagrama ilustra de que modo a plantação depende das interações dos fluxos de entrada de energia solar, de chuva,das interações dos fluxos de entrada de energia solar, de chuva, nutrientes do solo, do trabalho humano e do maquinário.nutrientes do solo, do trabalho humano e do maquinário. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  65. 65. • A fazenda é um sistema, composto de partes que interagem paraA fazenda é um sistema, composto de partes que interagem para formar o todo.formar o todo. • O quadrado marca os limites do sistema.O quadrado marca os limites do sistema. • Entrando no sistema, são mostrados os fluxos de energia eEntrando no sistema, são mostrados os fluxos de energia e materiais, necessários para a plantação de alimento.materiais, necessários para a plantação de alimento. • Para que a produção seja possível, deve-se dispor da energia doPara que a produção seja possível, deve-se dispor da energia do sol, da chuva e, também, da mão de obra e de máquinas.sol, da chuva e, também, da mão de obra e de máquinas. • Dentro do limite, são mostrados alguns fluxos que interagem eDentro do limite, são mostrados alguns fluxos que interagem e afetam a produção da fazenda.afetam a produção da fazenda. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  66. 66. • Para que a fazenda produza, é necessária a interação entre osPara que a fazenda produza, é necessária a interação entre os nutrientes fornecidos pelo solo com a mão de obra e as máquinasnutrientes fornecidos pelo solo com a mão de obra e as máquinas (fornecidas pelos sistemas humanos) e com o sol e a chuva(fornecidas pelos sistemas humanos) e com o sol e a chuva (fornecidos pelo meio ambiente).(fornecidos pelo meio ambiente). • O fluxo que sai do sistema é o alimento produzido.O fluxo que sai do sistema é o alimento produzido. • Este fluxo será utilizado por outros sistemas, como uma cidadeEste fluxo será utilizado por outros sistemas, como uma cidade ou um grande mercado.ou um grande mercado. • O fluxo apontando para baixo mostra a energia que foiO fluxo apontando para baixo mostra a energia que foi degradada e que se encontra agora na forma de calor dissipado.degradada e que se encontra agora na forma de calor dissipado. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  67. 67. Exemplo 2:Exemplo 2: Fluxo de energia de uma roda d´aguaFluxo de energia de uma roda d´agua •A medida que a água vai de uma posição mais alta a uma mais baixa,A medida que a água vai de uma posição mais alta a uma mais baixa, libera um pouco de calor e a roda giralibera um pouco de calor e a roda gira •A energia potencial da água se converte em energia cinética e ao mesmoA energia potencial da água se converte em energia cinética e ao mesmo tempo parte desta energia se converte em calor, devido ao atrito.tempo parte desta energia se converte em calor, devido ao atrito. •A energia flui em uma direção, de uma forma concentrada se converte emA energia flui em uma direção, de uma forma concentrada se converte em outras mais dispersas e enquanto faz este trabalho, move materiais.outras mais dispersas e enquanto faz este trabalho, move materiais. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  68. 68. Exemplo 3:Exemplo 3: Fluxo de Energia entre Plantas e ConsumidoresFluxo de Energia entre Plantas e Consumidores •A biosfera utiliza a luz do sol para produzir alimento que os bosquesA biosfera utiliza a luz do sol para produzir alimento que os bosques naturais e os organismos marinhos proporcionam aos consumidores, denaturais e os organismos marinhos proporcionam aos consumidores, de forma semelhante àquela com que os alimentos produzidos em uma fazendaforma semelhante àquela com que os alimentos produzidos em uma fazenda chegam aos seres humanos.chegam aos seres humanos. Engenharia da Sustentabilidade: SistemasEngenharia da Sustentabilidade: Sistemas UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  69. 69. Recursos limitados e ilimitadosRecursos limitados e ilimitados •O desenvolvimento de um sistema está limitado a seus recursosO desenvolvimento de um sistema está limitado a seus recursos energéticos.energéticos. •Se estes podem suportar mais crescimento ou se o sistema deveSe estes podem suportar mais crescimento ou se o sistema deve ser limitado em sua atividade depende da disponibilidade de energiaser limitado em sua atividade depende da disponibilidade de energia externa.externa. Engenharia da Sustentabilidade: RecursosEngenharia da Sustentabilidade: Recursos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  70. 70. Recursos limitados e ilimitadosRecursos limitados e ilimitados •As fontes ilimitadas de energia podem suportar o aumento de consumoAs fontes ilimitadas de energia podem suportar o aumento de consumo e a acumulação de reservas que chamamos de crescimento.e a acumulação de reservas que chamamos de crescimento. •Os fluxos de energia limitada na fonte não podem suportar umOs fluxos de energia limitada na fonte não podem suportar um crescimento ilimitado e os sistemas que empregam estas fontes tem decrescimento ilimitado e os sistemas que empregam estas fontes tem de se desenvolver de forma a manter o armazenamento de energia e dese desenvolver de forma a manter o armazenamento de energia e de reservas em um nível que o fluxo de entrada possa suportar.reservas em um nível que o fluxo de entrada possa suportar. Engenharia da Sustentabilidade: RecursosEngenharia da Sustentabilidade: Recursos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  71. 71. Recursos limitados e ilimitados – exemplo:Recursos limitados e ilimitados – exemplo: •Pensando em uma represa para fornecimento de energia elétrica,Pensando em uma represa para fornecimento de energia elétrica, pode-se distinguir duas situações.pode-se distinguir duas situações. •A represa pode estar limitada pelo fluxo de água que chega a ela,A represa pode estar limitada pelo fluxo de água que chega a ela, se os fluxos que chegam não forem suficientes para fornecer águase os fluxos que chegam não forem suficientes para fornecer água suficiente para girar as turbinas.suficiente para girar as turbinas. •Por outro lado, se o fornecimento de água à represa for maiorPor outro lado, se o fornecimento de água à represa for maior que a pressão necessária para mover as turbinas, esta represaque a pressão necessária para mover as turbinas, esta represa pode ser ilimitada.pode ser ilimitada. Engenharia da Sustentabilidade: RecursosEngenharia da Sustentabilidade: Recursos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  72. 72. Engenharia da Sustentabilidade: RecursosEngenharia da Sustentabilidade: Recursos UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA Recursos limitados e ilimitados – exemplo:
  73. 73. ExercíciosExercícios 1) Engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar e medir o1) Engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar e medir o sistema de energia, que é constituído por?sistema de energia, que é constituído por? 2) Pela busca da sustentabilidade, engenheiros devem utilizar2) Pela busca da sustentabilidade, engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar os sistemas de fornecimento de energia etécnicas para avaliar os sistemas de fornecimento de energia e considerar:___________ , ___________ e ______________.considerar:___________ , ___________ e ______________. 3) Qual a definição de sistemas? Mostre os principais símbolos3) Qual a definição de sistemas? Mostre os principais símbolos empregados na construção de diagrama de energia de sistemas.empregados na construção de diagrama de energia de sistemas. 4) Engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar e medir o4) Engenheiros devem utilizar técnicas para avaliar e medir o sistema de energia. Para isto, podem utilizar diagramas de energiasistema de energia. Para isto, podem utilizar diagramas de energia para estabelecer e organizar os sistemas, explique:para estabelecer e organizar os sistemas, explique: a)a) Exemplo 1: Fluxos Energéticos Necessários para a Produção de Alimentos em umaExemplo 1: Fluxos Energéticos Necessários para a Produção de Alimentos em uma Fazenda.Fazenda. b) Exemplo 2: Fluxo de energia de uma roda d´agua.b) Exemplo 2: Fluxo de energia de uma roda d´agua. c) Exemplo 3: Fluxo de Energia entre Plantas e Consumidoresc) Exemplo 3: Fluxo de Energia entre Plantas e Consumidores 5) Em que o desenvolvimento de um sistema está limitado? Dê5) Em que o desenvolvimento de um sistema está limitado? Dê exemplos.exemplos. Engenharia da Sustentabilidade: ExercíciosEngenharia da Sustentabilidade: Exercícios UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  74. 74. 6) Faça um diagrama de sua casa e responda às seguintes questões:6) Faça um diagrama de sua casa e responda às seguintes questões: a) Que tipo de fonte(s) de energia alimenta(m) sua casa?a) Que tipo de fonte(s) de energia alimenta(m) sua casa? b) Se há fontes ilimitadas de energia, identifique-as e justifique.b) Se há fontes ilimitadas de energia, identifique-as e justifique. c) Quais as oportunidades para otimizar o uso de energia?c) Quais as oportunidades para otimizar o uso de energia? Engenharia da Sustentabilidade: ExercíciosEngenharia da Sustentabilidade: Exercícios UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA
  75. 75. 22oo BimestreBimestre UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP ENGENHARIA

×