Nascido em 8 de fevereiro de 1944, Sebastião Ribeiro Salgado é um dos mais
respeitados fotógrafos do mundo. Brasileiro, de...
“Mais do que nunca, sinto que a raça
humana é somente uma. Há diferenças de
cores, línguas, culturas e oportunidades,
mas ...
Música: Chopin
Fotografias: Sebastião Salgado
Guida Burt
(guidaburt@gmail.com)
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Sebastião Salgado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sebastião Salgado

459 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
459
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sebastião Salgado

  1. 1. Nascido em 8 de fevereiro de 1944, Sebastião Ribeiro Salgado é um dos mais respeitados fotógrafos do mundo. Brasileiro, de Aimorés, Minas Gerais, Salgado graduou-se em economia, concluindo mestrado na USP – Universidade de São Paulo, no Brasil, em 1967, e doutorado na Escola Nacional de Estatísticas Econômicas, na França, no ano de 1971. Foi em um de seus trabalhos como economista, na Organização Internacional do Café, na década de 1970, que Sebastião descobriu a fotografia como forma de retratar a realidade econômica de diversos locais do mundo. Ao fotografar os cafezais africanos, para ele a fotografia apresentou-se melhor do que textos e estudos estatísticos para retratar a situação econômica dos lugares pelos quais passava. Ao retornar a Paris, começou a trabalhar como free-lancer em fotojornalismo. Trabalhou para grandes agências como Sygma, Gamma e Magnum. Contribuiu com diversas organizações humanitárias como UNICEF, OMS, a ONG Médicos sem Fronteiras e a Anistia Internacional. Tem vários livros publicados, nos quais foram reunidas suas fotografias. São eles: Trabalhadores (1996), Terra (1997), Serra Pelada(1999), Outras Américas (1999), Retrato de Crianças do Êxodo (2000), Êxodos(2000), O Fim da Pólio (2003), Um Incerto Estado de Graça (2004), O Berço da Desigualdade (2005), África (2007) e Gênesis (2013)
  2. 2. “Mais do que nunca, sinto que a raça humana é somente uma. Há diferenças de cores, línguas, culturas e oportunidades, mas os sentimentos e reações das pessoas são semelhantes. Pessoas fogem das guerras para escapar da morte, migram para melhorar sua sorte, constroem novas vidas em terras estrangeiras, adaptam-se a situações extremas…” Sebastião Salgado
  3. 3. Música: Chopin Fotografias: Sebastião Salgado Guida Burt (guidaburt@gmail.com)

×