Aula 01 So2009

917 visualizações

Publicada em

Aula de Sistema Operacional Aula 01

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
917
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 01 So2009

  1. 1. 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) Sistemas Operacionais A evolução dos Sistemas Operacionais Jocemar Calado Histórico 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • A evolução dos sistemas operacionais foi uma conseqüência dos avanços ocorridos no hardware dos computadores. Temos três níveis de gerações de sistemas operacionais: Jocemar Calado 1
  2. 2. Níveis do SO 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • O primeiro nível – Integrado pelos sistemas operacionais básicos, surgidos nos anos cinqüenta limitava-se a auxiliar os programas nas operações de entrada e saída e na tradução nos programas fonte, escritos em linguagem pouco evoluídas. • O segundo nível – Esteve disponível na década de 60 e a sua ajuda à programação foi mais decisiva, proporcionando tradutores simbólicos mais evoluídos, programas de serviços para transferência de informação entre periféricos e programas de controle de entrada e saída, ou seja, os famosos IOCS( Input Output Control System). • O terceiro nível – Surgiu na década de 70. A contribuição destes sistemas à programação foi tão grande que foram rompidas as normas clássicas do processo informático. Os tradutores de altíssimo rendimento então incorporados têm permitido hoje em dia a utilização de linguagem de programação simbólica quase idênticas à linguagem utilizada pelo homem, reduzindo sensivelmente o tempo gasto na produção bem como o tempo de aprendizagem de novas linguagens. Jocemar Calado Timeline 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) Jocemar Calado 2
  3. 3. Timeline 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) Jocemar Calado 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) Estrutura do Sistema Operacional Jocemar Calado 3
  4. 4. 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • Pode-se criar um sistema tão grande e complexo como um sistema operacional somente dividindo-o em pequenas partes. Cada uma dessas partes deve ser uma porção bem delineada do sistema, com entradas, saídas e funções, cuidadosamente definidas. Logicamente, nem todos os sistemas têm a mesma estrutura, ou seja, não apresentam a mesma forma de ligação entre as partes. Contudo, os sistemas operacionais modernos geralmente possuem as seguintes partes: Jocemar Calado 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • I. Gerenciamento de processos – Criar e eliminar, suspender e retomar, sincronismo e comunicação entre processos; • II. Gerenciamento da memória principal – Manter o controle das partes da memória que estão sendo usadas e por quem, decidir que processos serão carregados para memória quando houver espaço disponível, alocar e desalocar espaço de memória quando necessário; • III. Gerenciamento de memória secundária – O SO é responsável pelas atividades de alocação de espaço livre. Jocemar Calado 4
  5. 5. 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • IV. Gerenciamento de Entrada/Saída – Manter os device drivers para comunicação com os deferentes dispositivos, um buffer-caching para o sistema; • V. Gerenciamento de arquivos – Criar e eliminar arquivos e diretórios, manter mapeamento dos arquivos em disco; • VI. Proteção do sistema – Se um sistema é multiusuário e permite múltiplos processos concorrentes, estes processos devem ser protegidos de outras atividades; Jocemar Calado 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • VII. Networking – Um sistema distribuído (fracamente acoplado) cada processador tem sua própria memória e seus processadores que se comunicam através do SO. A comunicação entre eles deve considerar roteamento e estratégias de conexão; • VIII. Interpretador de comandos – um dos mais importantes programas do SO, que serve de interface entre o usuário e o SO. – Alguns SO’s incluem este programa no próprio núcleo (kernel). – Já outros sistemas, como o DOS e o UNIX, tratam o interpretador de comandos como um programa especial que é executado quando uma sessão é iniciada. – Um sistema operacional fornece um ambiente para execução, melhor dizendo, fornece serviços para os programas e também para os usuários desses programas. Jocemar Calado 5
  6. 6. 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) Arquitetura dos Sistemas Jocemar Calado Windows 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • É fortemente inspirada no princípio de micronúcleo; • Cada funcionalidade do sistema é oferecida e gerenciada por um único componente do sistema operacional. Todavia, módulos fora do micronúcleo executam operações em modo protegido (modo kernel), por isso, não é puramente micronúcleo. • O Windows também segue uma organização em camadas, e explora o modelo orientado a objetos. Foi projetado de modo a permitir a execução de aplicações escritas para outros sistemas operacionais. • A estrutura pode ser dividida em duas partes: – Modo usuário (onde estão localizados os sistemas protegidos) – Modo kernel (o executivo). • O executivo constitui o núcleo do Windows, exportando funções para serem utilizadas no modo usuário e funções que só são acessíveis por componentes (módulos) pertencentes ao próprio núcleo. Os principais componentes do executivo são: – Gerência de objetos; – Gerência de processos; – Gerencia de memória virtual; – Monitor de segurança; – Módulo de suporte; – Gerência de E/S. Jocemar Calado 6
  7. 7. Gnu Linux 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • Linux é um sistema operacional Unix independente, largamente distribuído para máquinas x86, Motorola 68k, Digital Alpha e Motorola PowerPC. • Ele é uma implementação da especificação do POSIX com a qual todas as verdadeiras versões de Unix consentem. • O núcleo de Linux não usa códigos de AT&T ou qualquer outra fonte de proprietário, e muitos dos softwares disponíveis para Linux são desenvolvidos pelo projeto Free Software Foundation's GNU. • Como Unix, Linux é um multi-tarefa robusto, multi- usuário, sistema operacional de rede que ostenta uma longa lista de padrões aceitáveis. Jocemar Calado 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • Possui suporte completo para ambas plataformas de 32 e 64-bits, múltiplas CPUs e alta performance para redes e outros periféricos. • Ele suporta uma vasta variedade de softwares, incluindo X Windows, Emacs e redes TCP/IP (incluindo SLIP/PPP/ISDN). • A parte central de Linux é coberta pela GNU Public License (GPL), e é geralmente "empacotada" com vários binários que consistem em um sistema operacional trabalhando em Unix. • Esses pacotes de softwares são chamados “distribuições” e chegam em muitos tamanhos e estruturas. • Linux está sendo usado hoje por milhões de pessoas em todo o mundo. • Ele é usado para desenvolvimento de software, rede (intra-office e Internet), e como plataforma para usuário. Jocemar Calado 7
  8. 8. Pesquisa 4º NA2009.1 (Sistemas Operacionais) • Pesquisar sobre: 1. Escalonamento do Sistemas Operacionais: 1. Windows; 2. Linux; 2. Gerenciamento de Memória: 3. Portabilidade; 4. Viabilidade de tornar-los Embarcados. Jocemar Calado 8

×