LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ
LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ UMA NECESSIDADE PARA O ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO
Visão geral do projeto LIGAÇÃO DAS BACIAS IBICUÍ/JACUÍ UMA ESTRADA PARA O MERCOSUL
MATRIZ DE TRANSPORTE DE CARGAS NO MUNDO FONTE: MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES (REVISTA FEDERASUL  5/2000)
BACIA TIETÊ-PARANA <ul><li>Tem capacidade de transportar 25 milhões de toneladas por ano </li></ul><ul><li>Em junho de 200...
OBJETIVOS <ul><li>A ligação das Bacias hidrográficas dos rios Ibicuí/Jacuí tem por objetivo a ligação, por via hídrica, do...
HISTÓRICO <ul><li>A ligação das bacias, como idéia, remonta ao século XVII. Em 1626, o Padre Gonzales navegava sobre o rio...
HISTÓRICO <ul><li>A 1° de março de 1844, o Duque de Caxias, então Presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Su...
HISTÓRICO <ul><li>Ainda no tempo do Brasil Império, foram os rios Jacuí e Vacacaí explorados por oficiais da Armada que, e...
HISTÓRICO <ul><li>No início do século XX, na bacia do rio Uruguai, houve navegação sobre o rio Ibicuí, através da Navegaçã...
HISTÓRICO <ul><li>Por sua vez, em agosto de 1928, uma lancha da Navegação Rio Jacuí alcançava a cidade de São Gabriel, atr...
HISTÓRICO <ul><li>Até 1951, o Planejamento do aproveitamento das vias navegáveis do Estado do Rio Grande do Sul era simple...
HISTÓRICO <ul><li>Criado o DEPRC, coube ao mesmo organizar o Plano Hidroviário do Estado, que foi aprovado em março de 196...
HISTÓRICO <ul><li>Em 1960, o DNPVN, posteriormente reestruturado como PORTOBRÁS, dizia ter contratado estudos para viabili...
HISTÓRICO <ul><li>Em 1963, na então Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Fronteira Sudoeste do País, foi ...
HISTÓRICO <ul><li>Algumas obras já foram realizadas, porem de forma tímida, em relação ao volume de obras  que seriam nece...
HISTÓRICO - Obras executadas <ul><li>Neste período, que vai até os dias de hoje (Julho/2003), foram executadas: </li></ul>...
TRAÇADO DA LIGAÇÃO <ul><li>Os estudos disponíveis indicam elementos de grande importância na previsão de custo das obras n...
TRAÇADO DA LIGAÇÃO <ul><li>O traçado da via navegável foi feito no sentido de minimizar o número de  obras de eclusas, ao ...
TRAÇADO DA VIA NAVEGÁVEL <ul><li>Rio Grande/Porto Alegre - via: lagoa Patos - trecho navegável </li></ul><ul><li>Porto Ale...
ESQUEMA LONGITUDINAL
Trecho 1
Trecho 2
Trecho 3
PLANTA DE LOCALIZAÇ ÃO
TRECHO URUGUAI CACEQUI
TRECHO DE ECLUSAS
TRECHO CACHOEIRA PORTO ALEGRE
OBRAS NECESSÁRIAS trecho AB <ul><li>KM 81,5  - Barragem eclusa de Amarópolis (5,50) </li></ul><ul><li>KM 181,5 - Barragem ...
OBRAS NECESSÁRIAS trecho BF <ul><li>KM 400,0 - Barragem eclusa Sanga do Pesqueiro (100,00) </li></ul><ul><li>KM 431,1 - Ba...
Metas do projeto <ul><li>A meta final do projeto é a navegação entre os portos de Uruguaiana e Rio grande  </li></ul><ul><...
Descrição <ul><li>O projeto consta da construção de eclusas, canais, barragens e portos. </li></ul><ul><li>Os canais dos c...
OBRAS UTILIZADAS <ul><li>ECLUSAS: São obras, em concreto, formando um canal, com comportas em ambas as extremidades, que i...
Eclusa
OBRAS <ul><li>BARRAGENS: São obras em terra, pedra ou concreto, que permite o armazenamento de água, formando um lago. A á...
Barragem
OBRAS <ul><li>CANAIS: Os canais podem ser naturais (rios, arroios) ou artificiais (construídos), e terão como objetivo pro...
Canais
OBRAS DE CANAIS <ul><li>CANAIS: Dos 1.080 km entre os portos de Uruguaiana e Rio Grande, são navegáveis, para barcos de at...
OBRAS DE CANAIS (Cont.) <ul><li>O trecho que  vai de Cachoeira do Sul até a confluência dos rios Vacacaí-Jacuí é navegável...
OBRAS DE CANAIS (Cont.) <ul><li>O trecho que  vai da confluência dos rios  Rio Santa Maria junto ao Cacequí, até o porto d...
OBRAS DE ECLUSAS <ul><li>O trecho que vai da confluência do Jacuí com o Vacacaí até o divisor de água, necessita da constr...
OBRAS <ul><li>O trecho que compreende o divisor de águas e que vai desde a confluência Vacacaí-Jacuí até a confluência Ibi...
<ul><li>No banhado Santa Catarina, junto a foz do rio Vacacaí no Jacuí, esta prevista uma barragem que permitirá, além do ...
ÁREA DE INFLUÊNCIA <ul><li>A área de influência direta da Ligação Ibicuí/Jacuí abrange os municípios (28) de  Itaqui, Urug...
Análise da concorrencia <ul><li>Concorrentes </li></ul><ul><ul><li>O transporte concorrente do fluvial, atualmente, na áre...
CUSTO DO  TRANSPORTE  DE CARGA <ul><li>US$ 1,00 é o custo para movimentar uma tonelada por:   </li></ul><ul><ul><li>24 km ...
Análise do concorrente, cont. <ul><li>Concorrente: O custo do transporte por rodovia, para um trajeto de 1000 km é de  US$...
VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Segundo previsões, sem um aprofundamento técnico maior, poderão ser transportadas...
VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Considerando um trajeto médio de 1000 km, considerando ainda a economia de  US$ 3...
VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Estima-se o custo das obras em US$ 450.000.000,00. </li></ul></ul></ul>
CUSTO DAS OBRAS  DESAPROPRIAÇÕES
CUSTO DAS OBRAS  INSTALAÇÕES DOS CANTEIROS
CUSTO DAS OBRAS  TERRAPLENAGEM GERAL
CUSTO DAS OBRAS OBRAS DE NAVEGAÇÃO
CUSTO DAS OBRAS PROTEÇÃO MARGENS/VIAS SERVIÇO
CUSTO DAS OBRAS RESTABELECIMENTO DAS COMUNICAÇÕES
CUSTO DAS OBRAS DIVERSOS
CUSTO DAS OBRAS RESUMO DOS CUSTOS
CUSTO DAS OBRAS CUSTO TOTAL DO PROJETO
VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Economia alcançada no transporte hidroviário, de US$ 400.000.000,00/ano, </li></u...
RESSARCIMENTO DAS OBRAS <ul><ul><ul><li>Utilizando   5%  DA   ECONOMIA ENTRE O TRANSPORTE FLUVIAL E O  RODOVIÁRIO, AS OBRA...
ECONOMIA <ul><ul><ul><li>REFORÇANDO: A LIGAÇÃO JACUÍ/IBICUÍ GERARÁ UMA  ECONOMIA ANUAL  DE US$  400.000.000,00 (Consideran...
Tecnologia & Operacionalidade <ul><li>A operacionalidade deste sistema, poderá ser posta em prática  sem grandes investime...
CUSTO DAS OBRAS INICIAIS <ul><li>As duas eclusas, mais o porto móvel  custam aproximadamente US$ 28.000.000,00 </li></ul><...
Tecnologia & Operacionalidade <ul><li>Com a utilização do ramal ferroviário existente entre Cacequí e Cachoeira do Sul, po...
Equipe/recursos <ul><li>A operação poderá ser iniciada pela criação de um corpo técnico que além de projetar as obras pass...
Procedimentos <ul><li>A grande diferença do que se propõe agora, é que a ligação pode ser feita aos poucos,em etapas, onde...
Programação <ul><li>Para operar o sistema na forma proposta, seriam necessários, no máximo  dois anos , tempo necessário p...
JUSTIFICATIVA  <ul><li>A proposta de efetivação da ligação Ibicuí/Jacuí por meio de transbordo via ferroviária se justific...
Status atual <ul><li>Estradas atualmente em péssimas condições </li></ul><ul><li>Mesmo investindo pesadamente em estradas,...
Status atual <ul><li>Uma obra deste porte não se faz de um dia para o outro, deve ser planejada e feita por etapas, de for...
Documentos afins <ul><li>Falta a execução dos projetos executivos: Tempo necessário para duas eclusas:  6 meses . </li></u...
FINALMENTE <ul><li>È IMPORTANTE VISUALIZARMOS A INCAPACIDADE POLÍTICA E ADMINISTRATIVA EM NOSSO ESTADO, POIS DESDE 1626 SE...
FINALMENTE <ul><li>EMQUANTO ISTO EM OUTROS ESTADOS  JÁ SE FEZ  TRANSBRASILIANA ,  TRANSAMAZÔNICA , ETC...,  SE COMPLETAM F...
FINALMENTE <ul><li>A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A OPERA RAMAIS FERROVIÁRIOS NO BRASIL E NA ARGENTI...
FINALMENTE <ul><li>A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A, EM 1999 REALIZOU NEGÓCIOS NO EIXO SÃO PAULO/BUE...
FINALMENTE <ul><li>SÓMENTE A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A, FATUROU EM 1999  410 MILHÕES DE DOLARES...
FINALMENTE <ul><li>O MERCADO FERROVIÁRIO PARTICIPA COM UMA FATIA DE 650.000 (1,33 %) TONELADAS DO TOTAL DE 49.000.000 QUE ...
FINALMENTE <ul><li>DEVEMOS ENCARAR QUE ESTA OBRA É NOSSA </li></ul>
FINALMENTE <ul><li>HIDROVIA DA LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ </li></ul>
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

LIGAÇÃO IBICUI JACUI

3.819 visualizações

Publicada em

Elementos da futura Ligação dos riosIbicui-Jacui.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.819
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

LIGAÇÃO IBICUI JACUI

  1. 2. LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ
  2. 3. LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ UMA NECESSIDADE PARA O ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO
  3. 4. Visão geral do projeto LIGAÇÃO DAS BACIAS IBICUÍ/JACUÍ UMA ESTRADA PARA O MERCOSUL
  4. 5. MATRIZ DE TRANSPORTE DE CARGAS NO MUNDO FONTE: MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES (REVISTA FEDERASUL 5/2000)
  5. 6. BACIA TIETÊ-PARANA <ul><li>Tem capacidade de transportar 25 milhões de toneladas por ano </li></ul><ul><li>Em junho de 2003 a hidrovia transporta 2 milhões de toneladas por ano. * </li></ul><ul><li>* FONTE: Jornal Portos & Comércio Exterior </li></ul>
  6. 7. OBJETIVOS <ul><li>A ligação das Bacias hidrográficas dos rios Ibicuí/Jacuí tem por objetivo a ligação, por via hídrica, dos portos de Rio Grande (porto marítimo) e os portos de Uruguaiana, Itaqui e São Borja, na bacia do rio Uruguai. </li></ul>
  7. 8. HISTÓRICO <ul><li>A ligação das bacias, como idéia, remonta ao século XVII. Em 1626, o Padre Gonzales navegava sobre o rio Ibicuí, atingindo São Martinho, no município de Santa Maria. Já naquela época, os Jesuítas realizaram obras de drenagem, com ajuda dos índios, no rio Santa Maria. </li></ul>
  8. 9. HISTÓRICO <ul><li>A 1° de março de 1844, o Duque de Caxias, então Presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, enviou mensagem à Assembléia dos Representantes, recomendando a ligação das duas bacias. </li></ul>
  9. 10. HISTÓRICO <ul><li>Ainda no tempo do Brasil Império, foram os rios Jacuí e Vacacaí explorados por oficiais da Armada que, embarcados, alcançaram a Vila de São Gabriel, hoje cidade do mesmo nome. </li></ul>
  10. 11. HISTÓRICO <ul><li>No início do século XX, na bacia do rio Uruguai, houve navegação sobre o rio Ibicuí, através da Navegação Barbará, que ligava a cidade de Uruguaiana às vizinhanças de Santa Maria. Tal ligação foi extinta em 1906, algum tempo antes da conclusão das obras da ligação ferroviária concorrente. </li></ul>
  11. 12. HISTÓRICO <ul><li>Por sua vez, em agosto de 1928, uma lancha da Navegação Rio Jacuí alcançava a cidade de São Gabriel, atracando ao lado da ponte sobre o rio Vacacaí, nas cercanias da cidade. </li></ul>
  12. 13. HISTÓRICO <ul><li>Até 1951, o Planejamento do aproveitamento das vias navegáveis do Estado do Rio Grande do Sul era simplesmente uma referência enfatizada pelos técnicos que sentiam a necessidade de sua concretização. Em 1° de outubro de 1951 foi criado o DEPRC - Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais. </li></ul>
  13. 14. HISTÓRICO <ul><li>Criado o DEPRC, coube ao mesmo organizar o Plano Hidroviário do Estado, que foi aprovado em março de 1961. </li></ul><ul><li>Foram iniciadas as obras de navegação pelo rio Jacuí e Lagoa dos Patos. </li></ul>
  14. 15. HISTÓRICO <ul><li>Em 1960, o DNPVN, posteriormente reestruturado como PORTOBRÁS, dizia ter contratado estudos para viabilizar a referida Ligação. </li></ul><ul><li>Dizem que estes estudos só foram concluídos em 1971, porém até hoje permanecem em análise em Brasília, sem que no Rio Grande do Sul algum Órgão tienha acesso ao mesmo. </li></ul>
  15. 16. HISTÓRICO <ul><li>Em 1963, na então Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Fronteira Sudoeste do País, foi constituído o Grupo de Trabalho da Ligação das Bacias Jacuí-Ibicuí </li></ul><ul><li>Assumiu a Presidência dos trabalhos o Sr. Olimpio Tabajara, realizando em ITAQUI o primeiro Encontro referente a esta Ligação. </li></ul>
  16. 17. HISTÓRICO <ul><li>Algumas obras já foram realizadas, porem de forma tímida, em relação ao volume de obras que seriam necessárias. </li></ul>
  17. 18. HISTÓRICO - Obras executadas <ul><li>Neste período, que vai até os dias de hoje (Julho/2003), foram executadas: </li></ul><ul><ul><li>Três eclusas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Amarópolis </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Anel de Dom Marcos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fandango </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Dragagens em alguns trechos problemáticos do rio Jacuí. </li></ul></ul>
  18. 19. TRAÇADO DA LIGAÇÃO <ul><li>Os estudos disponíveis indicam elementos de grande importância na previsão de custo das obras necessárias a ligação das bacias hidrográficas. </li></ul>
  19. 20. TRAÇADO DA LIGAÇÃO <ul><li>O traçado da via navegável foi feito no sentido de minimizar o número de obras de eclusas, ao mesmo tempo, o de propiciar a construção de obras de armazenamento de água, necessária ao funcionamento da hidrovia e possíveis aproveitamentos múltiplos. </li></ul>
  20. 21. TRAÇADO DA VIA NAVEGÁVEL <ul><li>Rio Grande/Porto Alegre - via: lagoa Patos - trecho navegável </li></ul><ul><li>Porto Alegre/Cachoeira do Sul - via: rio Jacuí - trecho navegável. </li></ul><ul><li>Cachoeira do Sul/Cacequí - via: eclusa e canais - Ligação, necessita obras. </li></ul><ul><li>Cacequí/Uruguaiana - via: rios Ibicuí e Uruguai - trecho necessita obras. </li></ul>
  21. 22. ESQUEMA LONGITUDINAL
  22. 23. Trecho 1
  23. 24. Trecho 2
  24. 25. Trecho 3
  25. 26. PLANTA DE LOCALIZAÇ ÃO
  26. 27. TRECHO URUGUAI CACEQUI
  27. 28. TRECHO DE ECLUSAS
  28. 29. TRECHO CACHOEIRA PORTO ALEGRE
  29. 30. OBRAS NECESSÁRIAS trecho AB <ul><li>KM 81,5 - Barragem eclusa de Amarópolis (5,50) </li></ul><ul><li>KM 181,5 - Barragem eclusa Anel Dom Marco (13,50) </li></ul><ul><li>KM 242,5 - Barragem eclusa Fandango ( 18,00) </li></ul><ul><li>KM 278,3 - Barragem eclusa Pedreira (35,00) </li></ul><ul><li>KM 296,1 - Barragem eclusa Rincão dos Machados ( 43,00) </li></ul><ul><li>KM 334,75 - Barragem eclusa Vila Block (52,00) </li></ul><ul><li>KM 354,5 - Barragem eclusa Colônia Pavão ( 60,00) </li></ul><ul><li>KM 374,0 - Barragem Eclusa Banhado Sta Catarina ( 80,00) </li></ul>
  30. 31. OBRAS NECESSÁRIAS trecho BF <ul><li>KM 400,0 - Barragem eclusa Sanga do Pesqueiro (100,00) </li></ul><ul><li>KM 431,1 - Barragem eclusa Arroio Castelhano ( 100,00) </li></ul><ul><li>KM 471,2 - Barragem eclusa Cacequí (90,00) </li></ul><ul><li>KM 492,4 - Barragem eclusa Posto Alcides Xavier (80,00) </li></ul><ul><li>KM 628,2 - Barragem Eclusa Posto São Miguel (70,00) </li></ul><ul><li>KM 692,9 - Barragem eclusa Santa Amélia ( 60,00) </li></ul><ul><li>KM 769,5 - Barragem eclusa Rio Uruguai (50,00) </li></ul>
  31. 32. Metas do projeto <ul><li>A meta final do projeto é a navegação entre os portos de Uruguaiana e Rio grande </li></ul><ul><li>O projeto IBICUÍ/JACUÍ terá ampla relação com outros projetos de barragens de múltiplos fins, desta forma propiciando a irrigação, a piscicultura e o lazer. </li></ul>
  32. 33. Descrição <ul><li>O projeto consta da construção de eclusas, canais, barragens e portos. </li></ul><ul><li>Os canais dos cursos d´água serão aproveitados, quando possível. </li></ul><ul><li>As barragens servirão para abastecer as eclusas ao mesmo tempo abastecer projetos de irrigação </li></ul><ul><li>Email: henrique@allocar.com.br </li></ul>PARA MAIS INFORMAÇÕES...
  33. 34. OBRAS UTILIZADAS <ul><li>ECLUSAS: São obras, em concreto, formando um canal, com comportas em ambas as extremidades, que interligam dois canais de níveis diferentes, permitindo a entrada e saída de embarcações, de tal forma que a mesma suba ou desça de nível, saindo de um dos canais alcançando o outro canal. </li></ul>
  34. 35. Eclusa
  35. 36. OBRAS <ul><li>BARRAGENS: São obras em terra, pedra ou concreto, que permite o armazenamento de água, formando um lago. A água armazenada, terá a finalidade de propiciar a navegação por um trecho, fornecer água para o funcionamento de uma eclusa, gerar energia, ou mesmo permitir a irrigação de terras para a agricultura. Poderá satisfazer todas, ou algumas finalidades simultâneamente. </li></ul>
  36. 37. Barragem
  37. 38. OBRAS <ul><li>CANAIS: Os canais podem ser naturais (rios, arroios) ou artificiais (construídos), e terão como objetivo propiciar o deslocamento das barcas (comboios). Os canais deverão ter largura suficiente para duas embarcações. </li></ul>
  38. 39. Canais
  39. 40. OBRAS DE CANAIS <ul><li>CANAIS: Dos 1.080 km entre os portos de Uruguaiana e Rio Grande, são navegáveis, para barcos de até 2,5 metros de calado, 310 km entre Porto Alegre e Rio Grande, 230 km entre Porto Alegre e Cachoeira do Sul, perfazendo um total navegável de 540 km, faltando 540 km para tornar todo o trecho navegável. </li></ul>
  40. 41. OBRAS DE CANAIS (Cont.) <ul><li>O trecho que vai de Cachoeira do Sul até a confluência dos rios Vacacaí-Jacuí é navegável. A montante da Confluência ate o Rio Santa Maria, junto ao Cacequí, trecho que compreende o divisor de água entre as bacias do Ibicuí e Jacuí só é navegável com construção de eclusas. </li></ul>
  41. 42. OBRAS DE CANAIS (Cont.) <ul><li>O trecho que vai da confluência dos rios Rio Santa Maria junto ao Cacequí, até o porto de Uruguaiana no Rio Uruguai, sem obras, atenderá embarcações até 1,5 de calado, porem para calados maiores deverão ser executadas obras. </li></ul>
  42. 43. OBRAS DE ECLUSAS <ul><li>O trecho que vai da confluência do Jacuí com o Vacacaí até o divisor de água, necessita da construção de 7 eclusas . </li></ul><ul><li>O trecho que vai do divisor até o rio Santa Maria, necessita de 2 eclusas. </li></ul><ul><li>O trecho que vai do rio Santa Maria a Uruguaiana, para ser navegável com calado de 2,50 m, necessita de 3 eclusas. </li></ul>
  43. 44. OBRAS <ul><li>O trecho que compreende o divisor de águas e que vai desde a confluência Vacacaí-Jacuí até a confluência Ibicuí-Santa Maria tem extenção virtual de 213 km. A diferença de nível no trecho indicado é de 102 m na vertente Leste e 40 m na vertente Oeste. No estirão do divisor de águas ou canal de partilha, um corte máximo de 20 m reduzirá essas duas alturas a 82 m e 20 m, assim a altura conjugada máxima será de 102 m. </li></ul>
  44. 45. <ul><li>No banhado Santa Catarina, junto a foz do rio Vacacaí no Jacuí, esta prevista uma barragem que permitirá, além do abastecimento de água para a navegação, a irrigação por gravidade de 25.000 hectares com arroz. </li></ul>OBRAS
  45. 46. ÁREA DE INFLUÊNCIA <ul><li>A área de influência direta da Ligação Ibicuí/Jacuí abrange os municípios (28) de Itaqui, Uruguaiana, Alegrete, São Francisco de Assis, Manoel Viana, Cacequi, Juguari, São Vicente, Cacequí, São Pedro, Santa Maria, São Gabriel, Faxinal do Soturno, Restinga Seca, Formigueiro, São Sepé, Cachoeira do Sul, Vera Cruz, Rio Pardo, General Vargas, Butiá, Triunfo, São Jerônimo, Arroio dos Ratos, Canoas, Guaíba, Porto Alegre e Barra do Ribeiro. </li></ul>
  46. 47. Análise da concorrencia <ul><li>Concorrentes </li></ul><ul><ul><li>O transporte concorrente do fluvial, atualmente, na área em questão, é o transporte rodoviário. </li></ul></ul><ul><li>Pontos fortes </li></ul><ul><ul><li>O ponto forte do transporte rodoviário é a sua flexibilidade e agilidade. </li></ul></ul><ul><li>Pontos fracos </li></ul><ul><ul><li>Seu ponto fraco é a falta de boas estradas e o seu alto custo. </li></ul></ul>
  47. 48. CUSTO DO TRANSPORTE DE CARGA <ul><li>US$ 1,00 é o custo para movimentar uma tonelada por: </li></ul><ul><ul><li>24 km em rodovia. </li></ul></ul><ul><ul><li>102 km em ferrovia. </li></ul></ul><ul><ul><li>536 km em hidrovia </li></ul></ul>Fonte: Secretaria Estadual de Transportes (R.Grande do Sul)
  48. 49. Análise do concorrente, cont. <ul><li>Concorrente: O custo do transporte por rodovia, para um trajeto de 1000 km é de US$ 41,66/tonelada . </li></ul><ul><li>O mesmo transporte, por hidrovia, custa US$ 1,87 . </li></ul><ul><li>Uma diferença de US$ 39,79 a favor do transporte por hidrovia </li></ul><ul><li>Engenheiro Henrique Wittler </li></ul>PARA MAIS INFORMAÇÕES...
  49. 50. VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Segundo previsões, sem um aprofundamento técnico maior, poderão ser transportadas, pela ligação, anualmente 10 milhões de toneladas (capacidade teórica). </li></ul></ul></ul><ul><li>NOTA: A ligação Tietê-Paraná tem uma capacidade máxima de 25 milhões de toneladas/ano. </li></ul>
  50. 51. VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Considerando um trajeto médio de 1000 km, considerando ainda a economia de US$ 39,79 por tonelada transportada, podemos estimar uma economia anual de US$ 400.000.000,00. </li></ul></ul></ul>
  51. 52. VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Estima-se o custo das obras em US$ 450.000.000,00. </li></ul></ul></ul>
  52. 53. CUSTO DAS OBRAS DESAPROPRIAÇÕES
  53. 54. CUSTO DAS OBRAS INSTALAÇÕES DOS CANTEIROS
  54. 55. CUSTO DAS OBRAS TERRAPLENAGEM GERAL
  55. 56. CUSTO DAS OBRAS OBRAS DE NAVEGAÇÃO
  56. 57. CUSTO DAS OBRAS PROTEÇÃO MARGENS/VIAS SERVIÇO
  57. 58. CUSTO DAS OBRAS RESTABELECIMENTO DAS COMUNICAÇÕES
  58. 59. CUSTO DAS OBRAS DIVERSOS
  59. 60. CUSTO DAS OBRAS RESUMO DOS CUSTOS
  60. 61. CUSTO DAS OBRAS CUSTO TOTAL DO PROJETO
  61. 62. VANTAGEM PARA A HIDROVIA <ul><ul><ul><li>Economia alcançada no transporte hidroviário, de US$ 400.000.000,00/ano, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desse total, 5%, seriam considerados para pagamento dos investimentos, ou seja US$ 20.000.000,00/ ano. </li></ul></ul></ul>
  62. 63. RESSARCIMENTO DAS OBRAS <ul><ul><ul><li>Utilizando 5% DA ECONOMIA ENTRE O TRANSPORTE FLUVIAL E O RODOVIÁRIO, AS OBRAS DA LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ SE PAGARIAM EM 20 ANOS. </li></ul></ul></ul>
  63. 64. ECONOMIA <ul><ul><ul><li>REFORÇANDO: A LIGAÇÃO JACUÍ/IBICUÍ GERARÁ UMA ECONOMIA ANUAL DE US$ 400.000.000,00 (Considerando um transporte anual de apenas 10 milhões de toneladas/ano, quando poderemos atingir a 20 milhões de toneladas/ano) </li></ul></ul></ul>
  64. 65. Tecnologia & Operacionalidade <ul><li>A operacionalidade deste sistema, poderá ser posta em prática sem grandes investimentos iniciais. </li></ul><ul><li>Basta a execução de 2 eclusas na bacia do Ibicuí. </li></ul><ul><li>Construção de um porto móvel em Cacequí. </li></ul>
  65. 66. CUSTO DAS OBRAS INICIAIS <ul><li>As duas eclusas, mais o porto móvel custam aproximadamente US$ 28.000.000,00 </li></ul><ul><li>Este o custo inicial. E as obras seriam executadas em dois anos. </li></ul>
  66. 67. Tecnologia & Operacionalidade <ul><li>Com a utilização do ramal ferroviário existente entre Cacequí e Cachoeira do Sul, poderá ser iniciada a utilização da ligação das duas bacias, fazendo o transbordo nos dois locais . </li></ul>
  67. 68. Equipe/recursos <ul><li>A operação poderá ser iniciada pela criação de um corpo técnico que além de projetar as obras passasse a operar o sistema assim que as duas eclusas ficassem prontas. </li></ul><ul><li>Recursos podem ser obtidos no exterior, talvez com a participação de equipes dos financiadores, na execução e operação. </li></ul>
  68. 69. Procedimentos <ul><li>A grande diferença do que se propõe agora, é que a ligação pode ser feita aos poucos,em etapas, onde cada etapa fosse uma melhoria da anterior, porem permitindo o tráfego, dando continuidade ao sistema. </li></ul>
  69. 70. Programação <ul><li>Para operar o sistema na forma proposta, seriam necessários, no máximo dois anos , tempo necessário para construção das duas eclusas na bacia do Ibicuí. </li></ul>
  70. 71. JUSTIFICATIVA <ul><li>A proposta de efetivação da ligação Ibicuí/Jacuí por meio de transbordo via ferroviária se justifica pelos seguintes elementos: </li></ul>
  71. 72. Status atual <ul><li>Estradas atualmente em péssimas condições </li></ul><ul><li>Mesmo investindo pesadamente em estradas, o sistema necessita vultuosos recursos para manutenção face ao grande volume de tráfego. </li></ul><ul><li>Inexistência de um projeto em elaboração para a ligação proposta </li></ul>
  72. 73. Status atual <ul><li>Uma obra deste porte não se faz de um dia para o outro, deve ser planejada e feita por etapas, de forma continuada. </li></ul>
  73. 74. Documentos afins <ul><li>Falta a execução dos projetos executivos: Tempo necessário para duas eclusas: 6 meses . </li></ul><ul><li>Falta um levantamento plano-altimétrico ao longo do trecho, cujo tempo necessário para execução é de 4 a 5 meses . </li></ul>
  74. 75. FINALMENTE <ul><li>È IMPORTANTE VISUALIZARMOS A INCAPACIDADE POLÍTICA E ADMINISTRATIVA EM NOSSO ESTADO, POIS DESDE 1626 SE FALA NA LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ, E ATÉ HOJE NÃO TEMOS AINDA NEM MESMO UM PROJETO BÁSICO DA OBRA . </li></ul>
  75. 76. FINALMENTE <ul><li>EMQUANTO ISTO EM OUTROS ESTADOS JÁ SE FEZ TRANSBRASILIANA , TRANSAMAZÔNICA , ETC..., SE COMPLETAM FASES DA LIGAÇÃO DO TIETÊ E MESMO NA ARGENTINA E NO PARAGUAI JÁ SE ESTA FALANDO EM LIGAR O RIO PARANÁ AO AMAZONAS . </li></ul>
  76. 77. FINALMENTE <ul><li>A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A OPERA RAMAIS FERROVIÁRIOS NO BRASIL E NA ARGENTINA EM MAIS DE 15.000 KM, 17.000 VAGÕES E 550 LOCOMOTIVAS </li></ul>FONTE: REVISTA DA FEDERASUL NÚMERO 5 MAIO/2000
  77. 78. FINALMENTE <ul><li>A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A, EM 1999 REALIZOU NEGÓCIOS NO EIXO SÃO PAULO/BUENOS AIRES NO VALOR DE R$ 3.000.000.000,00 (TRÊS BILHÕES). </li></ul>FONTE: REVISTA DA FEDERASUL NÚMERO 5 MAIO/2000
  78. 79. FINALMENTE <ul><li>SÓMENTE A EMPRESA ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA DO BRASIL S/A, FATUROU EM 1999 410 MILHÕES DE DOLARES </li></ul>FONTE: REVISTA DA FEDERASUL NÚMERO 5 MAIO/2000
  79. 80. FINALMENTE <ul><li>O MERCADO FERROVIÁRIO PARTICIPA COM UMA FATIA DE 650.000 (1,33 %) TONELADAS DO TOTAL DE 49.000.000 QUE CIRCULA NO EIXO SÃO PAULO/BUENOS AIRES ANUALMENTE </li></ul>FONTE: REVISTA DA FEDERASUL NÚMERO 5 MAIO/2000
  80. 81. FINALMENTE <ul><li>DEVEMOS ENCARAR QUE ESTA OBRA É NOSSA </li></ul>
  81. 82. FINALMENTE <ul><li>HIDROVIA DA LIGAÇÃO IBICUÍ/JACUÍ </li></ul>

×