Escola Secundária Jaime Moniz Português Felizmente Há Luar! Carolina Morna Nº2 12º2
Contexto da acção da peça Período Após Invasões Francesas <ul><li>Napoleão  – imperador francês; </li></ul><ul><li>Aliança...
Contexto da acção (cont.) <ul><li>Repressão contra conjurados de 1817; </li></ul><ul><li>Perseguições políticas à: </li></...
Espaço Físico da peça <ul><li>Acto I: </li></ul><ul><ul><li>Ruas da cidade de Lisboa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Palácio d...
Tempo da peça <ul><li>Tempo histórico : século XIX </li></ul><ul><li>Tempo da escrita:  1961, época dos conflitos entre a ...
Personagens <ul><li>Gomes Freire de Andrade; </li></ul><ul><li>Matilde; </li></ul><ul><li>Principal Sousa; </li></ul><ul><...
Caracterização de Personagens <ul><li>General Gomes Freire de Andrade: </li></ul><ul><ul><li>Personagem principal; </li></...
Caracterização (cont.) <ul><li>Sousa Falcão: </li></ul><ul><ul><li>Grande amigo de Gomes Freire de Andrade; </li></ul></ul...
Caracterização (cont.) <ul><li>Vicente: </li></ul><ul><ul><li>Faz parte do povo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Traidor da sua...
Junta Representativa <ul><li>Nobreza:  D. Miguel Forjaz </li></ul><ul><ul><li>Prepotência; </li></ul></ul><ul><ul><li>Abso...
Linguagem Recursos de Estilo <ul><li>Aliteração (p.111) </li></ul><ul><li>Antítese (p.91) </li></ul><ul><li>Comparação (p....
Síntese da acção <ul><li>Perseguição política ao General Gomes Freire; </li></ul><ul><li>Prisão do General; </li></ul><ul>...
“Felizmente Há Luar!” <ul><li>O título da peça aparece duas vezes ao longo da peça, ora inserido nas falas de um dos eleme...
Simbolismos <ul><li>Saia verde: </li></ul><ul><ul><li>Em vida – esperança, felicidade, liberdade; </li></ul></ul><ul><ul><...
Fim !
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Felizmente há luar carolina morna

3.696 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Felizmente há luar carolina morna

  1. 1. Escola Secundária Jaime Moniz Português Felizmente Há Luar! Carolina Morna Nº2 12º2
  2. 2. Contexto da acção da peça Período Após Invasões Francesas <ul><li>Napoleão – imperador francês; </li></ul><ul><li>Aliança de Portugal com a Inglaterra; </li></ul><ul><li>Partida da Corte Portuguesa para o Brasil; </li></ul><ul><li>Administração do Reino entregue a uma Junta Provisória. </li></ul><ul><li>Instabilidade social; </li></ul>
  3. 3. Contexto da acção (cont.) <ul><li>Repressão contra conjurados de 1817; </li></ul><ul><li>Perseguições políticas à: </li></ul><ul><ul><li>Liberdade de expressão; </li></ul></ul><ul><ul><li>Circulação de ideias; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tentativas de implementar o Liberalismo. </li></ul></ul><ul><li>Condenação do General Gomes Freire de Andrade. </li></ul>
  4. 4. Espaço Físico da peça <ul><li>Acto I: </li></ul><ul><ul><li>Ruas da cidade de Lisboa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Palácio dos governadores; </li></ul></ul><ul><ul><li>Casa do general, para os lados do Rato; </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma loja na rua de S. Bento. </li></ul></ul><ul><li>Acto II: </li></ul><ul><ul><li>Ruas da cidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Casa do general; </li></ul></ul><ul><ul><li>Gabinete do marechal Beresford; </li></ul></ul><ul><ul><li>Casa do D. Miguel (entrada); </li></ul></ul><ul><ul><li>Serra de Santo António; </li></ul></ul><ul><ul><li>Forte de S. Julião da Barra. </li></ul></ul>
  5. 5. Tempo da peça <ul><li>Tempo histórico : século XIX </li></ul><ul><li>Tempo da escrita: 1961, época dos conflitos entre a oposição e o regime salazarista </li></ul><ul><li>Tempo da acção dramática: a acção está concentrada em 2 dias </li></ul><ul><li>Tempo da narração: informações respeitantes a eventos não dramatizados, ocorridos no passado, mas importantes para o desenrolar da acção. </li></ul>
  6. 6. Personagens <ul><li>Gomes Freire de Andrade; </li></ul><ul><li>Matilde; </li></ul><ul><li>Principal Sousa; </li></ul><ul><li>Marechal Beresford; </li></ul><ul><li>D. Miguel Forjaz; </li></ul><ul><li>Sousa Falcão; </li></ul><ul><li>Manuel e Rita; </li></ul><ul><li>Vicente; </li></ul><ul><li>Morais Sarmento; </li></ul><ul><li>Andrade Corvo. </li></ul>
  7. 7. Caracterização de Personagens <ul><li>General Gomes Freire de Andrade: </li></ul><ul><ul><li>Personagem principal; </li></ul></ul><ul><ul><li>Homem honesto e instruído; </li></ul></ul><ul><ul><li>Representa a modernidade , o progresso e a luta pela liberdade. </li></ul></ul><ul><li>Matilde: </li></ul><ul><ul><li>Carácter forte; </li></ul></ul><ul><ul><li>Corajosa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Denunciadora da hipocrisia e da malvadez do Estado e da Igreja; </li></ul></ul>
  8. 8. Caracterização (cont.) <ul><li>Sousa Falcão: </li></ul><ul><ul><li>Grande amigo de Gomes Freire de Andrade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Representa a impotência perante os governantes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Assume a sua cobardia perante o exemplo de Gomes Freire de Andrade. </li></ul></ul><ul><li>Manuel e Rita: </li></ul><ul><ul><li>Representam o povo oprimido e esmagado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Impotentes para alterar a situação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Símbolo da frustração, desespero e desilusão. </li></ul></ul>
  9. 9. Caracterização (cont.) <ul><li>Vicente: </li></ul><ul><ul><li>Faz parte do povo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Traidor da sua classe social; </li></ul></ul><ul><ul><li>Representa o hipocrisia e o oportunismo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Materialista. </li></ul></ul><ul><li>Morais Sarmento e Andrade Corvo: </li></ul><ul><ul><li>Representam a cobardia, a traição e a vilania. </li></ul></ul>
  10. 10. Junta Representativa <ul><li>Nobreza: D. Miguel Forjaz </li></ul><ul><ul><li>Prepotência; </li></ul></ul><ul><ul><li>Absolutismo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Corrupção. </li></ul></ul><ul><li>Clero: Principal Sousa </li></ul><ul><ul><li>Conservadorismo da Igreja; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ódio aos revolucionários e aos franceses; </li></ul></ul><ul><ul><li>Poder da Igreja e influência no poder. </li></ul></ul><ul><li>Exército: Marechal Beresford </li></ul><ul><ul><li>Sentido prático; </li></ul></ul><ul><ul><li>Sentimento de desprezo e superioridade aos portugueses; </li></ul></ul><ul><ul><li>Castigo e denúncia de traidores. </li></ul></ul>
  11. 11. Linguagem Recursos de Estilo <ul><li>Aliteração (p.111) </li></ul><ul><li>Antítese (p.91) </li></ul><ul><li>Comparação (p.27) </li></ul><ul><li>Hipérbole (p.56) </li></ul><ul><li>Hipálage (p.57) </li></ul><ul><li>Interjeição (p.29) </li></ul><ul><li>Ironia (p.23) </li></ul><ul><li>Metáfora (p.53) </li></ul><ul><li>Repetição (p.23) </li></ul><ul><li>Interrogação retórica (p.57) </li></ul><ul><li>Personificação (p.77) </li></ul><ul><li>Paralelismo (p.21) </li></ul><ul><li>Onomatopeia (p.21) </li></ul>
  12. 12. Síntese da acção <ul><li>Perseguição política ao General Gomes Freire; </li></ul><ul><li>Prisão do General; </li></ul><ul><li>Condenação à morte; </li></ul><ul><li>Revolta de Matilde e Sousa Falcão; </li></ul><ul><li>Resignação do povo. </li></ul>
  13. 13. “Felizmente Há Luar!” <ul><li>O título da peça aparece duas vezes ao longo da peça, ora inserido nas falas de um dos elementos do poder – D. Miguel – ora inserido na fala final de Matilde. </li></ul><ul><li>D. Miguel (p.131): </li></ul><ul><ul><li>salientando o efeito dissuasor das execuções, querendo que o castigo de Gomes Freire se torne num exemplo. </li></ul></ul><ul><ul><li>o luar permitiria que as pessoas vissem mais facilmente o clarão da fogueira, isso faria com que elas ficassem atemorizadas e percebessem que aquele é o fim ultimo de quem afronta o regime. A fogueira teria um efeito dissuasor. </li></ul></ul><ul><li>Matilde (p.140): </li></ul><ul><ul><li>na altura da execução são proferidas palavras de coragem e estímulo, para que o povo se revolte contra a tirania. </li></ul></ul><ul><ul><li>fruto de um sofrimento interiorizado reflectido, são a esperança e o não conformismo nascidos após a revolta, a luz que vence as trevas, a vida que triunfa da morte. A luz do luar (liberdade) vencerá a escuridão da noite (opressão) e todos poderão contemplar, enfim, a injustiça que está a ser praticada e tirar dela ilações. </li></ul></ul>
  14. 14. Simbolismos <ul><li>Saia verde: </li></ul><ul><ul><li>Em vida – esperança, felicidade, liberdade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Na morte – alegria do reencontro, tranquilidade. </li></ul></ul><ul><li>A fogueira: </li></ul><ul><ul><li>Presente – Tristeza, escuridão; </li></ul></ul><ul><ul><li>Futuro – Esperança, liberdade. </li></ul></ul><ul><li>O Luar: </li></ul><ul><ul><li>Noite – Mal, morte, infelicidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Luz – Vida, saúde, felicidade. </li></ul></ul>
  15. 15. Fim !

×