Trabalho De HistóRia

18.673 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
3 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
3
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho De HistóRia

  1. 1. Trabalho de História Professora: Carmem
  2. 2. Componentes do grupo: Thiére Melo, Paula Vargas, Ana Carolina Rossoni . <ul><li>Número: 22 – 17- 01 </li></ul><ul><li>Turma: 301 </li></ul><ul><li>Escola: Albert Einstein </li></ul>Sites de pesquisa: WIKIPEDIA e Geocities http://br.geocities.com/fld2001/revregencia.htm
  3. 3. Revolta de Cabanagem : <ul><li>A Cabanagem ( 1835 - 1840 ) foi uma revolta de cunho social ocorrida na então Província do Grão-Pará , no Brasil . </li></ul><ul><li>De cunho popular, contou com a participação de elementos das camadas média e alta da região, entre os quais se destacam os nomes do padre João Batista Gonçalves Campos , do jornalista Vicente Ferreira Lavor Papagaio e do latifundiário Félix Clemente Malcher . </li></ul><ul><li>Entre as causas da revolta encontram-se a extrema pobreza das populações ribeirinhas e a irrelevância política à qual a província foi relegada após a independência do Brasil . </li></ul><ul><li>A denominação &quot;Cabanagem&quot; remete ao tipo de habitação da população ribeirinha, constituída por mestiços, escravos libertos e indígenas . A elite fazendeira do Grão-Pará, embora com melhores condições, ressentia-se da falta de participação nas decisões do governo central, dominado pelas províncias do Sudeste e do Nordeste. </li></ul>
  4. 4. Revolta da Sabinada <ul><li>A Sabinada foi uma revolta autonomista que ocorreu entre 6 de Setembro de 1837 e 16 de Março de 1838 , na então Província da Bahia . </li></ul><ul><li>A tradição de lutas por autonomia política na Bahia remonta à Conjuração Baiana ( 1798 ), às lutas pela Independência da Bahia (1822-1823), à Federação do Guanais ( 1832 ) e à Revolta dos Malês ( 1835 ). </li></ul><ul><li>Durante o Período regencial (1831-1840), o conflito se estabeleceu em torno da questão da centralização monárquica e do federalismo republicano , mobilizando principalmente setores das camadas médias urbanas - comerciantes, profissionais liberais e oficiais militares. </li></ul>
  5. 5. Revolta dos Malês <ul><li>A chamada Revolta dos Malês registrou-se de 25 a 27 de Janeiro de 1835 na cidade de Salvador , capital da então Província da Bahia , no Brasil . </li></ul><ul><li>Consistiu numa sublevação de car áter racial, de escravos africanos das etnias hauçá e nagô , de religião islâmica , organizados em torno de propostas radicais para libertação dos demais escravos africanos. O termo &quot; malê &quot; deriva do iorubá &quot; imale &quot;, designando o muçulmano. </li></ul>
  6. 6. Guerra dos Farrapos <ul><li>Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha são os nomes pelos quais ficou conhecida uma revolução ou guerra regional de car áter republicano contra o governo imperial do Brasil, a então província de São Pedro do Rio Grande do Sul , e que resultou na declaração de independência da província como estado republicano, dando origem à República Rio-Grandense . Foi de 1835 a 1845 : é o conflito armado mais duradouro que ocorreu no continente americano. </li></ul><ul><li>A revolução, que originalmente não tinha caráter separatista, influenciou movimentos que ocorreram em outras províncias brasileiras: irradiando influência para a Revolução Liberal que viria ocorrer em São Paulo em 1842 e para a Revolta denominada Sabinada na Bahia em 1837 , ambas de ideologia do Partido Liberal da época, moldado nas Lojas Maçônicas . Inspirou-se na recém finda guerra de independência do Uruguai , mantendo conexões com a nova república do Rio da Prata , além de províncias independentes argentinas, como Corrientes e Santa Fé . Chegou a expandir-se a costa brasileira, em Laguna , com a proclamação da República Juliana e ao planalto catarinense de Lages . Teve como líderes: Bento Gonçalves , General Neto , Onofre Pires , Lucas de Oliveira , Vicente da Fontoura , Pedro Boticário , David Canabarro , Vicente Ferrer de Almeida , José Mariano de Mattos , além de receber inspiração ideológica de italianos carbonários refugiados, como o cientista Tito Lívio Zambeccari e o jornalista Luigi Rossetti , além de Giuseppe Garibaldi , que embora não pertencesse a carbonária , esteve envolvido em movimentos republicanos na Itália . A questão da abolição da escravatura também esteve envolvida, organizando-se exércitos contando com homens negros com aspiração da liberdade. </li></ul>
  7. 7. Balaiada <ul><li>A Balaiada foi uma revolta de fundo social, ocorrida entre 1838 e 1841 no interior da então Província do Maranhão , no Brasil . Foi feita por pobres da região, escravos, fugitivos e prisioneiros. O motivo era a disputa pelo controle do poder local. A definitiva pacificação só foi conseguida com a anistia concedida pelo imperador aos revoltosos sobreviventes. Durante o Período regencial brasileiro o Maranhão, região exportadora de algodão , passava por uma grave crise econômica, devido à concorrência com o gênero estadunidense. Em paralelo, a atividade pecuária absorvia importante contingente de mão-de-obra livre nessa região. Esses fatores explicam o envolvimento de elementos escravos e de homens livres de baixa renda no movimento. </li></ul>
  8. 8. A Revolta da Praieira <ul><li>A Revolta Praieira , também denominada como Insurreição Praieira , Revolução Praieira ou simplesmente Praieira , foi um movimento de caráter liberal e separatista que eclodiu na então Província de Pernambuco , no Brasil , entre 1848 e 1850 . </li></ul><ul><li>Com fundo social, econômico e político, contou com a participação das camadas menos favorecidas da Província de Pernambuco, oprimidas pela grande concentração fundiária nas mãos de poucos proprietários. Como exemplo, uma quadra popular à época, refere à poderosa família Cavalcanti: </li></ul><ul><ul><li>&quot; Quem viver em Pernambuco </li></ul></ul><ul><ul><li>não há de estar enganado: </li></ul></ul><ul><ul><li>Que, ou há de ser Cavalcanti, </li></ul></ul><ul><ul><li>ou há de ser cavalgado. &quot; (Quadra popular) </li></ul></ul>
  9. 9. Conclusão <ul><li>Divergências entre os partidos conservadores e liberais como a centralização do poder defendida pelos conservadores e a descentralização do poder, dando maior autonomia as províncias, defendida pelos liberais. </li></ul><ul><li>As divergências entre liberais e conservadores somadas a cobrança de inúmeros tributos instituídos pelo Rio de Janeiro com vistas à organização e sustento do novo Estado brasileiro e a situação de miséria que se encontrava a maior parte da população brasileira, reivindicando liberdade e maior acesso ao cenário político, provocaram a eclosão de diversas revoltas em diferentes partes do território brasileiro. As principais revoltas foram: A Cabanagem (Pará 1835-1840), A Sabinada (Bahia 1837-1838), A Balaiada (Maranhão (1938-1941) e a guerra dos Farrapos (Rio Grande do Sul 1835-1845). </li></ul>

×