Cena 1

3.012 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.012
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cena 1

  1. 1. Compreensão do texto 1. Gil Vicente criou este auto a pedido da Rainha D. Leonor e representou-o (também por vontade da mesma rainha) ao rei D. Manuel I. Acabadas de morrer, as almas são confrontadas com um de dois caminhos: o caminho do bem, da virtude e da salvação, representado pelo Anjo, e o caminho do mal, do vício e da perdição, representado pelo Diabo.
  2. 2. 2. O Diabo e o Companheiro falam acerca da travessia que vão realizar e o Diabo manda o Companheiro preparar a barca para a partida. 3. O Diabo parece muito entusiasmado e alegre. 3.1. O Diabo está muito entusiasmado, porque espera ter muitos passageiros na sua barca. 4. Na minha opinião, o objectivo desta cena inicial é apresentar aos espectadores as duas barcas que estão preparadas para embarcar gente e que o Diabo está confiante de que terá muitos passageiros. O espectador fica, então, à espera para ver os passageiros e em que barca lhes será permitido entrar.
  3. 3. Funcionamento da Língua 1.1. As interjeições são importantes na expressão do entusiasmo, da satisfação, do incitamento e do aplauso do Diabo, mas também da prontidão e obediência do Companheiro. 2.1. O Diabo utiliza muitos verbos no imperativo, pois ele é o comandante da barca do Inferno e o Companheiro está lá para obedecer às suas ordens. 3.1. Estas palavras chamam-se «palavras divergentes». 3.2. A palavra «acto» chegou por via erudita, porque sofreu poucas alterações. A palavra «auto» chegou por via popular, porque sofreu sucessivas transformações fonéticas.

×