Congonhas Mais Bonita

3.230 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Congonhas Mais Bonita

  1. 1. SISTEMA DE GESTÃO PARTICIPATIVA E PLANO DE REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE REQUALIFICAÇ CONGONHAS congonhas I mg I abril 2010 1 diagnóstic o 1.1 circulação urbana 1.2 uso e ocupação dos imóveis 1.3 paisagem urbana 1.4 imóveis de interesse 1.5 apropriação do espaço público 1.6 arborizaçã o mobiliário urbano 1.7 1.8 percepção 2 diretrizes ambiental
  2. 2. 1 diagnóstic 1. o circulação 1 urbana 1 diagnóstic 1. o uso e ocupação dos 2 imóveis
  3. 3. imóveis pesquisados 1. metodologia de pesquisa 2 •cerca de 1.400 imóveis, incluindo lotes edificados e não edificados; •foram levantadas características construtivas e de uso; •informações tabuladas e vinculadas ao mapeamento em base GIS (Sistema de Informações Geográficas). congonhas | imóveis pesquisados 1. 2 congonhas | imóveis pesquisados
  4. 4. tipologia de ocupação 1. •Imóveis/lotes edificados – 1.289 unidades (93,2% do total de2 imóveis): imóvel unifamiliar – 883 unidades (68,5% dos imóveis/lotes edificados); imóvel multifamiliar até 3 pav. – 327 unidades (25,4% dos imóveis/lotes edificados); imóvel multifamiliar acima 3 pav. – 79 unidades (6,1% dos imóveis/lotes edificados). • Predominância da tipologia unifamiliar em toda a área de intervenção; • Verticalização ainda pouco expressiva, mas apresentando tendencia de verticalização no centro a partir das vias/eixos longitudinais, para o Norte. congonhas | tipologia de ocupação unifamiliar 1. 2 Residencial até 2 Comercial 1 pav. pav. congonhas | tipologia de ocupação
  5. 5. unifamiliar 1. 2 Residencial até 2 Igrejas (pé-direito duplo) pav. congonhas | tipologia de ocupação multifamiliar até 3 1. pavimentos 2 Comercial entre 2 e 3 pav. Residencial 3 pav. congonhas | tipologia de ocupação
  6. 6. multifamiliar acima de 3 pavimentos 1. 2 Misto acima de 3 Misto acima de 3 Residencial acima Comercial acima pav. pav. de 3 pav. de 3 pav. congonhas | tipologia de ocupação 1. 2 congonhas | tipologia de ocupação
  7. 7. 1. 2 congonhas | tipologia de ocupação uso do solo 1. 2 Residencial Não Residencial congonhas | uso do solo
  8. 8. uso do solo 1. 2 Misto Institucional congonhas | uso do solo uso do solo 1. 2 Precária Provisória congonhas | uso do solo
  9. 9. uso do solo 1. 2 •Predominância do uso residencial, com destaque para a concentração do mesmo ao norte da Área de Intervenção e ao sul do Rio Maranhão; •Uso não-residencial localizado predominantemente na área central correspondente à faixa entre a região da Prefeitura e o Rio Maranhão e ao longo da Av. Júlia Kubitscheck; •Observa-se uma tendência de substituição do uso residencial na região central e ao longo da Avenida Júlia Kubitscheck; •O eixo histórico (“Ladeira”) acompanha a tendência de ocupação das áreas por onde ele cruza. congonhas | uso do solo 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  10. 10. 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes comércio e serviços 1. bancos, financeiras e seguradoras | comércio de imóveis ou valores 2 •Imóveis não-residenciais/mistos/institucionais – 560 unid.: •Observa-se uma pequena participação percentual desses tipos de comércio e serviços no total das edificações não-residenciais; •Há uma concentração de bancos, financeiras e seguradoras principalmente no eixo Praça Doutor Mário Rodrigues Pereira/Praça JK; •Há uma concentração de comércio de imóveis ou valores na Av. Padre Leonardo Pinto. congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  11. 11. Comércio e Serviços 1. 2 Banco Banco Banco Financeira congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  12. 12. comércio e serviços 1. louças, ferragens, material de construção e sucatas| máquinas, material elétrico e utilidades domésticas 2 •Imóveis não-residenciais/mistos/institucionais – 560 unid: •Há uma concentração do comércio de louças, ferragens, material de construção e sucatas ao longo da Av. Júlia Kubitscheck, R. Monteiro de Castro e início da Av. Bias Fortes; •Há uma concentração de comércio de máquinas, material elétrico e utilidades domésticas principalmente ao longo da Av. Júlia Kubitscheck. congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes Comércio e Serviços 1. 2 Ferragens Material de Construção Sucatas congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  13. 13. Comércio e Serviços 1. 2 Material Elétrico Peças para veículos Utilidades Domésticas congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  14. 14. comércio e serviços 1. comércio de veículos e afins | serviços de transporte e afins | serviços de reparo e conservação 2 •Imóveis não-residenciais/mistos/institucionais – 560 unid: •Há uma concentração de todos os tipos de comércio citados principalmente ao longo da Av. Júlia Kubitscheck; •Já os serviços de estacionamentos se concentram na região central (Av. Júlia Kubitscheck, Av. Presidente Vargas, Av. Marechal Floriano e Rua Portela). congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes Comércio e Serviços 1. 2 Comércio de Veículos e Serviços de Reparo e Conservação Afins congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  15. 15. 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes comércio e serviços 1. comércio de tecidos, vestuário, calçados, armarinho, acessórios, brinquedos e embalagens 2 •Imóveis não-residenciais/mistos/institucionais – 560 unid: •Esse tipo de comércio varejista é o que aparece com a maior frequência nas edificações não-residenciais pesquisadas; •Ele se concentra predominantemente na região central, não tendo sido encontrado, no levantamento de campo, esse tipo de comércio nas demais áreas pesquisadas. congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  16. 16. Comércio e Serviços 1. 2 Comércio de Presentes, Comércio de Roupas e Comércio de Calçados Acessórios, Brinquedos Calçados congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  17. 17. comércio e serviços 1. serviços de saúde | serviços de educação | serviços de uso coletivo | instituição científica e cultural | instituição 2 religiosa | outros serviços •De modo geral, esses serviços se concentram no centro do município, na Ladeira Bom Jesus e no entorno da Rodoviária; •Os serviços de educação são os mais bem distribuídos ao longo da área de estudo; •Os serviços de saúde tendem a se concentrar na área que se localiza ao norte da Prefeitura e ao sul da Igreja Matriz; •Existem poucas edificações de caráter cultural, correspondendo a apenas duas (um museu em atividade e outro em construção); •Atualmente não existe nenhum cinema ou teatro em funcionamento na área de estudo. Considerando que a área de estudo corresponde às áreas centrais, isso pode significar a inexistência desse tipo de atividade no município. congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes Comércio e Serviços 1. 2 Instituição Científica e CulturalServiços de Uso Instituição Museu da Imagem e Memória Coletivo Religiosa Prefeitura congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  18. 18. Comércio e Serviços 1. 2 Serviços de Serviços de Educação Educação congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes
  19. 19. 1. 2 congonhas | uso do solo | comércio e serviços existentes especialização de atividades 1. 2 •As atividades comerciais varejistas se concentram expressivamente na região central; •As atividades de grande porte e de maior impacto urbanístico se concentram ao longo da Av. Júlia Kubitscheck; •Observa-se uma tendência de concentração dos serviços de saúde ao norte da sede Prefeitura Municipal; •Observa-se uma expressiva concentração de atividades institucionais em toda a área de estudo. congonhas | especialização de atividades
  20. 20. 1. 2 ESPECIALIZAÇÃO DE ESPECIALIZAÇ ATIVIDADES Comé Comércio varejista Atividades de grande porte Serviç Serviços de saúde saú congonhas | especialização de atividades 1 diagnóstic 1. o paisagem 3 urbana
  21. 21. paisagem urbana 1. pontos nodais centros polarizadores de uma área, focos intensivos. lugares estratégicos através dos quais o observador por 3 entrar. vias canais de circulação habitual, ocasional ou potencial. elementos lineares não entendidos como vias. limites / barreiras fronteiras, quebras de continuidade. marcos referências físicas externas (o observador não precisa entrar nelas) eixos de visibilidade a longa distância, perspectivas e linhas de visada enquadramentos visuais elementos e características que dificultam a legibilidade ruídos visuais do espaço urbano congonhas | paisagem urbana 1. Elementos principais da paisagem 3 urbana se concentram ao longo das adjacências do eixo de ligação principais entre 1. igrejas santuário + alameda as praça cidade matozinhos de portugal 2. praça da matriz 3. praça jk secundários 1. av. mal. floriano, trecho adjacente ao rio 2. policlínica / poliesportivo 3. praça da estação ferroviária 4. praça bandeirantes 5. praça da igreja do rosário 6. praça da rua autari souza 7. trevo av. jk x br-040 8. praça da rodoviária 9. praça sebastião leal congonhas | paisagem urbana mapa síntese
  22. 22. vias 2 eixos principais . av. júlia kubitschek . ladeiras de ligação entre as colinas 1. enfraquecimento do eixo no centro comercial 3 Fonte: estudo para o plano diretor congonhas | paisagem urbana vias e barreiras 1. 3 Basílica Romaria Alameda congonhas | paisagem urbana marcos
  23. 23. 1. 3 Matriz Prefeitura Igreja do Rosário Igreja São José congonhas | paisagem urbana marcos 1. 3 Estação Ferroviária Antenas de Comunicação Museu de Congonhas (futuro marco) congonhas | paisagem urbana marcos
  24. 24. 1. 3 Matriz → Basílica Praça JK → Basílica Rosário → Basílica congonhas | paisagem urbana linhas de visada 1. 3 Av. Marechal Floriano Peixoto → Rua Dr. Joaquim Frederico → Basílica Basílica Pracinha Cemitério → Basílica Largo do Fórum → Basílica congonhas | paisagem urbana linhas de visada
  25. 25. 1. 3 Quarteirão Açominas → Basílica Quarteirão Açominas → Basílica congonhas | paisagem urbana linhas de visada 1. 3 Praça JK → Matriz Praça da Estação → Matriz Ponte Rua Autari Souza → Matriz Basílica → Matriz congonhas | paisagem urbana linhas de visada
  26. 26. 1. 3 Mirante lateral Basílica → Cidade Alameda → Cidade Balaustrada Av. Bias Fortes → Cidade congonhas | paisagem urbana linhas de visada 1. 3 Posteamento e redes elétricas aéreas congonhas | paisagem urbana ruídos visuais
  27. 27. 1. 3 Desarmonia da Arquitetura. Desconformidade com a legislação. Pontilhões muito baixos. congonhas | paisagem urbana ruídos visuais 1. 3 Pó de minério espalhado pela cidade. Publicidade excessiva. Pó de minério espalhado pela cidade. congonhas | paisagem urbana ruídos visuais
  28. 28. 1. 3 Ocupação precária às margens do rio maranhão congonhas | paisagem urbana ruídos visuais 1. 3 Elementos arquitetônicos invadindo o espaço público. congonhas | paisagem urbana ruídos visuais
  29. 29. 1. 3 Calçadas estreitas e com obstáculos. congonhas | paisagem urbana ruídos visuais 1 diagnóstic 1. o imóveis de 4 interesse
  30. 30. imóvel tombado pelo município imóvel tombado pelo iphan 1. imóvel tombado pelo iepha interesse de preservação (município) 4 interesse de preserv (iphan) novas indicação de preserv. perímetro de tombamento perímetro de entorno perímetro de tombamento > santuário do bom jesus do matozinhos e adjacências > matriz e adjacências > igreja do rosário e adjacências imóveis tombados .68 município + 10 iphan + 1 iepha = 79 imóveis de interesse . 103 município + 2 iphan = 105 . 11 novas indicações congonhas | imóveis de interesse 1. 4 congonhas | imóveis de interesse indicações
  31. 31. 1. 4 congonhas | imóveis de interesse indicações 1. 4 congonhas | imóveis de interesse indicações
  32. 32. 1 diagnóstic 1. o apropriação do espaço 5 público apropriação do espaço 1. público metodologia 5 . vistorias de 90 minutos cobrindo toda a área, 3 técnicos simultaneamente . dia de semana (quarta/quinta): 16h, 18h, 20, 23h, 1h, 9h, 12h . fim de semana (sexta/sábado): 20h, 23h, 1h, 9h, 14h . observação de pessoas e grupos e respectivas atividades no espaço público . desconsideradas pessoas em trânsito congonhas | apropriação
  33. 33. 1. 5 LEGENDA concentração de pessoas em concentraç atividades de permanência congonhas | apropriação apropriação de dia apropriação à tarde 1. > Ladeiras: uso tradicional (pessoas sentadas na porta de casa, observando o movimento e 5 conversando). Áreas residenciais. > Concentração de pessoas na porta de estabelecimentos coincide com áreas comerciais. > Concentração de pessoas na Praça JK e entorno. > Bares da JK já apresentam aglomeração no fim de tarde. > Muitos estudantes na praça da Matriz. LEGENDA pessoas na porta de pessoas em pé turistas pessoas deitadas estabelecimento pessoas sentadas crianças adultos praticando pessoas trabalhando no espaço esportes público pessoas na porta de bar casais pessoas esperando ônibus congonhas | apropriação mapa processual diurno → dia de semana
  34. 34. 1. 5 > Ladeiras: uso tradicional (pessoas sentadas na porta de casa, observando o movimento e conversando). Áreas residenciais. > Concentração de pessoas na porta de estabelecimentos coincide com áreas comerciais. > Concentração de pessoas na Praç JK e entorno. > Bares da JK já apresentam aglomeração no fim de tarde. > Muitos estudantes na praça da Matriz. congonhas | apropriação mapa processual diurno → dia de semana 1. LEGENDA pessoas em pé5 pessoas sentadas pessoas na porta de bar pessoas na porta de estabelecimento pessoas trabalhando no espaço público pessoas esperando ônibus turistas crianças casais pessoas deitadas adultos praticando esportes apropriação à noite > Usos noturnos descentralizam-se, espalhando-se para as bordas da área de estudo. congonhas | apropriação mapa processual noturno → dia de semana
  35. 35. 1. 5 > Entretanto a concentração de pessoas até a madrugada acontece com maior ênfase nos bares da JK. > Bar da estação ferroviária também polariza encontros noturnos (predominância de casais jovens). congonhas | apropriação mapa processual noturno → dia de semana LEGENDA pessoas em pé pessoas sentadas 1. pessoas na porta de bar pessoas na porta de 5 estabelecimento pessoas trabalhando no espaço público pessoas esperando ônibus turistas crianças casais pessoas deitadas adultos praticando esportes apropriação de dia apropriação à tarde apropriação à noite > menor apropriação ligada ao comércio > presença de turistas nos arredores da basílica congonhas | apropriação mapa processual → fim de semana
  36. 36. 1. LEGEND A 5 concentração de pessoas em atividades de permanência pontos nodais > Boa correspondência entre manchas de concentração e os pontos nodais identificados. congonhas | apropriação LEGEND 1. A 5 trechos com notável permanência de pessoas no espaço público alto volume de pessoas em trânsito médio volume de pessoas baixo volume de pessoas manchas de permanência congonhas | apropriação
  37. 37. apropriação do espaço 1. público • 5 Praça Sebastião Leal polariza encontros dos moradores locais • Adolescentes na praça da estação (namorando) • Praça da prefeitura apresenta baixíssima apropriação noturna e presença maior de idosos na parte da manhã • Nichos de apropriação noturna: bares JK, Basílica, Praça Olímpica, Praça da Bandeira congonhas | apropriação 1. 5 Apropriação de permanência em bares e “amontoada” nos poucos espaços públicos disponíveis: mobiliário de grande porte. congonhas | apropriação
  38. 38. 1. 5 Pessoas esperando ônibus nos abrigos, concentradas no calçadão e o comércio informal. congonhas | apropriação 1. 5 Turistas na basílica, estudantes e comércio informal na Rua Cornélio Souza Costa. congonhas | apropriação
  39. 39. 1 diagnóstic o 1. arborizaçã 6 o 1. LEGENDA postes 6 árvore de grande porte árvore de médio porte árvore de pequeno porte árvore suprimida muda áreas críticas congonhas | arborização
  40. 40. 1. 6 Distribuição espacial > Trechos mais densos possuem árvores e postes em calçadas opostas. > Existência de plano de arborização da Prefeitura (em andamento) prevê plantio de 12.000 árvores/ano. congonhas | arborização 1. 6 Distribuição espacial > Praças e largos relativamente Bem arborizados, com destaque para a praça da prefeitura. > Trechos permeáveis predominantemente em áreas privadas necessidade de ampliação de áreas permeáveis de domínio público (ex.: parque linear). congonhas | arborização
  41. 41. 1. 6 congonhas | arborização trechos sem 1. foto de rua no centro sem arvore 6 nenhuma congonhas | arborização trechos sem
  42. 42. 1. 6 congonhas | arborização conjuntos 1. 6 congonhas | arborização conjuntos
  43. 43. 1 diagnóstic 1. o mobiliário 7 urbano mobiliário urbano 1. • postes 7 • lixeiras • telefones públicos • bancos • abrigos de ônibus • cabines de táxi • bancas de revista • trailers e camelôs congonhas | mobiliário urbano
  44. 44. 1. 7 congonhas | mobiliário urbano mapa síntese postes 1. 7 • Apesar dos vários tipos distintos, escolha do modelo em cada área geralmente segue um critério básico. • Predominância dos postes altos de concreto. • Postes da ladeira Pe. João Pio não seguem padrão de luminárias da ladeira Bom Jesus. • Postes altos, de concreto, seção retangular nervurada: Rua Cornélio Souza Costa e Rua Dr. Paulo Mendes. • Nas praças, pontes e alamedas os postes são metálicos, em geral padronizados. • Postes nem sempre adequados ao patrimônio. congonhas | mobiliário urbano postes
  45. 45. 1. 7 Concreto Metálico Metálico Luminárias congonhas | mobiliário urbano postes LEGENDA LEGENDA 1. lixeiras lixeiras 7 raio de alcance (50m) raio de alcance (50m) concentração de concentração de pessoas pessoas > Grande concentração no centro Comercial. > Boa correspondência entre concentração de pessoas e concentração de lixeiras. > Distribuição deficiente nos arredores da matriz e ao longo da Av. JK (porção leste). > Notável despadronização. > Modelo predominante no centro comercial (poliestireno laranja) cria conflitos com circulação de pedestres congonhas | mobiliário urbano lixeiras
  46. 46. 1. 7 Metálica pintada, semelhante ao padrão Sudecap/BH e de coleta seletiva: Praça da Estação. congonhas | mobiliário urbano lixeiras telefones públicos 1. • 7 Modelo orelhão, em fibra de vidro, fixado em fuste metálico. geralmente agrupados em 2 ou 3 Telefones. • Modelo orelhão, em fibra de vidro, fixado em fachada. • Bem distribuídos, maior concentração em áreas de perfil Comercial. • Distribuição deficiente no centro histórico. • Locação centralizada inadequada no quarteirão Açominas. congonhas | mobiliário urbano telefones públicos
  47. 47. 1. 7 Bancos em concreto, pedra e madeira. congonhas | mobiliário urbano bancos LEGENDA 1. LEGENDA 7 > concentrados nas praças e largos. > grande variedade de modelos. > tipos predominantes com baixa qualidade estética e Ergonômica. congonhas | mobiliário urbano bancos
  48. 48. 1. 7 Metálicos, ao longo dos eixos de entrada e saída da cidade: Av. JK e Av. Mal. Floriano congonhas | mobiliário urbano abrigos de ônibus 1. 7 Modelo específico de concreto: Praça Olímpica congonhas | mobiliário urbano abrigos de ônibus
  49. 49. LEGENDA LEGENDA 1. 7 > Carência de abrigos em alguns pontos de embarque e desembarque > Modelo metálico é funcionalmente adequado e está presente nos eixos principais de circulação de ônibus e com maior concentração de pessoas > Má conservação dos abrigos congonhas | mobiliário urbano abrigos de ônibus 1. 7 Trailers, camelôs e banca de revistas. Cabines de taxi: Rua Bom Jesus e Praça da Prefeitura. Conflito com circulação de pedestres congonhas | mobiliário urbano mobiliário de grande porte
  50. 50. LEGENDA LEGENDA 1. 7 > Poucos exemplares de mobiliário de grande porte. > Baixa qualidade estética. > Despadronização. > grande concentração em espaços públicos de permanência no centro (praças e largos), contrastando com a escassez desse tipo de espaço na cidade. > Sensação de desorganização desses espaços. congonhas | mobiliário urbano cabines, bancas, camelôs, trailers 1 diagnóstic 1. o percepção 8 ambiental
  51. 51. população pesquisada 1. metodologia de pesquisa 8 • questionário semi-estruturado a partir de perguntas sobre o USO DO CENTRO e as PERCEPÇÕES SOBRE A CIDADE; • a pesquisa foi aplicada aos participantes da 4ª Conferência das Cidades, realizada no dia 12 de Dezembro de 2009; • foram distribuídos também alguns questionários a todas as associações de bairro e conselhos de Congonhas no mês de dezembro de 2009 e recolhidos pela Prefeitura Municipal; • no total foram aplicados 267 questionários; • as informações foram tratadas e tabuladas em forma de planilhas e gráficos. congonhas | percepção ambiental população pesquisada perfil dos entrevistados 1. idade e escolaridade 8 • a maioria dos entrevistados se encontram com idade entre 14 e 55 anos e possuem ensino médio completo. congonhas | percepção ambiental perfil dos entrevistados
  52. 52. perfil dos entrevistados 1. ocupação e profissão 8 • cerca de 1/3 dos entrevistados são servidores públicos; • também merecem destaque os estudantes, profissionais de nível superior e aposentados. congonhas | percepção ambiental perfil dos entrevistados perfil dos entrevistados 1. 8 congonhas | percepção ambiental perfil dos entrevistados
  53. 53. uso do centro 1. motivos e meios de transporte 8 • os MOTIVOS pelos quais os entrevistados vão com mais frequência ao centro é para trabalhar (29%) e fazer compras (28%); • os MEIOS DE TRANSPORTE mais utilizados para ir ao centro são “a pé” (37%) e “de carro” (34%); • ORIGEM: da última vez em que foram ao centro, a maior parte dos entrevistados saiu de outros bairros (86%) como a “ Vila São Vicente”, “Boa Vista”, “Pires” ou “Basílica”. congonhas | percepção ambiental uso do centro uso do centro 1. frequência e horários 8 • DURANTE A SEMANA (2ª a 6ª feira): metade dos entrevistados vão ao centro todos os dias durante a semana e a maioria deles o frequenta nos períodos da manhã e da tarde; •FINAIS DE SEMANA: cerca de 1/3 dos vão ao centro em quase todos os finais de semana e a maioria deles o frequenta nos períodos da manhã e da noite. congonhas | percepção ambiental uso do centro
  54. 54. percepção sobre a cidade 1. principais percepções dos entrevistados 8 • os entrevistados guardam uma imagem negativa da cidade (“cidade feia e suja”, “centro tumultuado”); • possuem grande expectativa de mudança; • reconhecem a importância do grande patrimônio que possuem; • sentem falta de espaços para o lazer; • gostam de morar em Congonhas, valorizam as pessoas da cidade, a localização e o clima; • reconhecem as mudanças ocorridas nos últimos 10 anos. congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade percepção sobre a cidade 1. imagens simbólicas Quando você pensa no centro de Congonhas, qual é a primeira 8 imagem que vem à cabeça? congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade
  55. 55. percepção sobre a cidade 1. espaços públicos mais importantes 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade percepção sobre a cidade 1. coisas que a população mais gosta 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade
  56. 56. percepção sobre a cidade 1. coisas que a população menos gosta 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade percepção sobre a cidade 1. avaliação dos itens As avaliações BOM sempre ficaram abaixo das avaliações REGULAR e RUIM. 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade
  57. 57. percepção sobre a cidade 1. avaliação dos itens As avaliações BOM sempre ficaram abaixo das avaliações REGULAR e RUIM. 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade percepção sobre a cidade 1. avaliação dos itens As avaliações BOM sempre ficaram abaixo das avaliações REGULAR e RUIM. 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade
  58. 58. percepção sobre a cidade 1. percepções sobre o Rio Maranhão 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade percepção sobre a cidade 1. Congonhas é um bom lugar para? 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre a cidade
  59. 59. percepção sobre mudanças 1. mudanças nos últimos 10 anos 8 Você tem percebido mudanças nos últimos 10 anos? • 70% dos entrevistados avaliam que existem mudanças nos últimos 10 anos, principalmente: congonhas | percepção ambiental percepção sobre mudanças percepção sobre mudanças sugestões de mudanças 1. 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre mudanças
  60. 60. percepção sobre mudanças 1. sugestões espontâneas 8 congonhas | percepção ambiental percepção sobre mudanças pesquisa qualitativa 1. principais pontos levantados 8 •maior fiscalização do espaço público; •carência dos espaços coletivos; •estímulo ao embelezamento das edificações privadas; •desapropriações ao longo do Rio Maranhão; congonhas | percepção ambiental pesquisa qualitativa
  61. 61. pesquisa qualitativa 1. principais pontos levantados 8 •trânsito caótico; •sinalização viária degradada; •priorização de pedestres; •remoção de vagas de estacionamento (já existe uma pré- disponibilidade para pagar por estacionamentos privados); •alteração do traçado da linha férrea. congonhas | percepção ambiental pesquisa qualitativa 2 diretrize s
  62. 62. diretrizes gerais requalificação do espaço urbano; 2 criação de áreas de lazer e permanência; inserção do Rio Maranhão na paisagem cotidiana de Congonhas; valorização do patrimônio arquitetônico; melhoria das condições de acessibilidade e circulação na região central; tratamento preferencial para o trânsito de pedestre. congonhas | diretrizes diretrizes gerais diretrizes específicas •requalificação do espaço urbano 2 adequação e padronização das calçadas; adequação e padronização do mobiliário urbano; melhoria dos níveis de arborização das calçadas e das áreas de lazer e permanência; despoluição visual; revisão e efetiva implantação dos códigos de obras e posturas (ex: posteamento, ruídos visuais, obstrução de calçadas, altura das edificações, etc); estímulo à melhoria dos aspectos construtivos e de conservação das edificações privadas; valorização da paisagem urbana noturna; Melhoria da iluminação publica. congonhas | diretrizes diretrizes específicas
  63. 63. diretrizes específicas •criação de áreas de lazer e permanência 2 requalificação das praças e largos; renovação das margens do Rio Maranhão com a implantação de Parque Linear; aproveitamento de espaços subutilizados para a criação de novas áreas de lazer e permanência, voltados ao atendimento das diversas faixas etárias. congonhas | diretrizes diretrizes específicas diretrizes específicas •inserção do Rio Maranhão na paisagem cotidiana de 2 Congonhas implantação de Parque Linear ao longo do Rio Maranhão no trecho em que esse corta a área urbana de Congonhas; controle da ocupação nas margens do Rio Maranhão; integração do Parque Linear às áreas de permanência localizadas próximas a ele; valorização dos diversos pontos de visada da cidade para o Rio Maranhão e do Rio Maranhão para a cidade. congonhas | diretrizes diretrizes específicas
  64. 64. diretrizes específicas •valorização do patrimônio arquitetônico e histórico 2 inserção do patrimônio na paisagem cotidiana (ex: visadas e iluminação); resgate dos eixos históricos: Romaria → Basílica → Matriz → Rosário; estímulo à preservação das edificações privadas de interesse arquitetônico e histórico. congonhas | diretrizes diretrizes específicas diretrizes específicas •melhoria das condições de acessibilidade e circulação 2 na região central redução e desestímulo do fluxo de passagem na área central; estudos para a criação de acessos alternativos à Av. Júlia Kubitscheck; revisão e adequação da sinalização em geral (indicativa / semafórica / horizontal / vertical); reestruturação da política de estacionamento na área central. congonhas | diretrizes diretrizes específicas
  65. 65. diretrizes específicas •tratamento preferencial para o trânsito de pedestre 2 melhoria e padronização das calçadas na área de intervenção e adequação das mesmas segundo as normas de acessibilidade (NBR 9050); tratamento dos principais pontos de travessia de pedestres visando a maior segurança; tratamento preferencial para pontos de embarque e desembarque; inserção da política de priorização do pedestre na revisão da legislação municipal (código de posturas); incentivo à utilização de modos de transporte coletivo e alternativos (“bicicletas” e “a pé”). congonhas | diretrizes diretrizes específicas congonhas I mg I abril 2010
  66. 66. 1. 1 0 -04 BR Av . JK Fe rr ov ia congonhas |circulação urbana descrição do sistema viário|classificação funcional 1. 1 1. Corredor Principal: Av. JK e Marechal Floriano / Monteiro de Castro 2. Principais Acesso ao centro: Av. Bias Fortes; José Magalhães Pinto e Barão de Congonhas congonhas |circulação urbana descrição do sistema viário|classificação funcional
  67. 67. 1. 1 Caminhão Ônibus Moto Auto 1. Horário de Pico: 18:00 – 19:00 2. Significativa participação de Modos particulares congonhas | circulação urbana descrição do tráfego I perfil do tráfego 1. 1 1. Fluxo de Saída do Centro mais concentrado 2. Maior fluxo de entrada congonhas | circulação urbana descrição do tráfego I perfil do tráfego
  68. 68. BR – sentido Casa de Pedra Saída Norte BH 1. 1 Matriz Centro Rosário Gran Park Basílica Lamartine Principais Acessos: 1. Av. JK BR – sentido Rio 2. Monteiro Lobato 3. Barão de Congonhas 4. Magalhães Pinto congonhas | circulação urbana origens e destinos I movimentos radiais Rio → Centro (Prefeitura) Casa de Pedra → Centro (Prefeitura) 1. Belo Horizonte → Centro (Prefeitura) 1 Rotas com demanda superior à 1400 veíc./dia congonhas | circulação urbana origens e destinos I rotas principais
  69. 69. Centro (Prefeitura) → Rio Norte → Centro (Prefeitura) Centro (Prefeitura) → Leste 1. Sudoeste → Centro (Prefeitura) 1 Rotas com demanda entre 1400 e 1000 veíc./dia congonhas | circulação urbana origens e destinos I rotas principais Casa de Pedra → Rio Norte → Rio Rio → Gran Park 1. Rio → Norte Norte → Rosário Norte → Noroeste 1 Rotas de travessia com demanda superior à 500 veíc./dia congonhas | circulação urbana origens e destinos I rotas de travessia
  70. 70. 1. LEGENDA 1 Origem Centro Destino Centro Diametral Perimetral 1. Significativa Parcela de Fluxo de Atravessamento congonhas | circulação urbana origens e destinos I caracterização 1. 1 1. Fluxo Intenso na Interseção da Ladeira x Corredor JK congonhas | circulação urbana volume de tráfego diário | volume de veículos
  71. 71. 1. 1 1. Concentração de Fluxo no Corredor JK congonhas | circulação urbana volume de tráfego diário I volume de 1. 1 1. Altos Índices de Ocupação congonhas | circulação urbana estacionamentos I ocupação
  72. 72. 1. 1 1. Grande Rotatividade congonhas | circulação urbana estacionamentos I caracterização Índices Gerais Tempo Médio de Permanência: 1,17h Taxa de Ocupação: 0,85 1. Rotatividade: 4,18 1 1. Pico de Estacionamento: 15:00 as 17:00 2. Grande Disponibilidade de vagas 3. Grande Demanda por estacionamento congonhas | circulação urbana estacionamentos I caracterização

×