PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE2009-2019
              COMO ELIMINAR ARMADILHAS NATIVAS AO SEU SUCESSO
                       ...
PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE2009-2019
          COMO ELIMINAR ARMADILHAS NATIVAS AO SEU SUCESSO
                         IN...
1-Introdução
É meritória a discussão operacional de reforma do sistema de saúde dos EUA como prioritária e com a participa...
contemplar, pelo menos: *Resultados(ENTRADAS-SAÍDAS), *Valor Agregado e *Níveis-RDID. Assim, podem se explicitar o
quanto ...
1
                                                                  2009RDID
                             DISCRIMINAÇÃO   ...
1                     2
                                                                            2009RDID              ...
DISCRIMINAÇÃO                                  2009             2019               2029
                       0
      1-V...
A internalização dessas competências exige RECURSOS HUMANOS e MATERIAIS necessários e suficientes para atingir
todo o SETO...
apropriados. Simultaneamente, instalar-se-á o aplicativo PGSPCCDPIS(PRÁTICA DE GESTÃO SISTÊMICA DE PLANEJAMENTO E
CONTROLE...
NORMATIVA, FLUXOGRAMA SINTÉTICO, FLUXOGRAMA ANALÍTICO, ROTINAS, NORMAS,                                 FORMULÁRIOS,      ...
Discriminação                                  2009                2019                        2029
                      ...
O quadro a seguir ilustra o impacto dessa discussão típica dos GESTORES-RDID que, ao que parece, não sentem
desconfortos n...
As Ofertas-AIS sinalizam RECURSOS(NO MERCADO DE SERVIÇOS) que custam US$09 2,501 TRILHÕES/ANO e atende até
160,328 de Vida...
6a-PROGRAMAS-IS ENTRELAÇADOS COM RECURSOS-IS, CUSTOS-IS, RECEITAS-IS E DESEMPENHOS-IS
   PROCESSAMENTOS MÚLTIPLOS E SIMULT...
6b-ENTRELAÇAMENTOS DAS OFERTAS-IS E DEMANDAS-IS NOS MERCADOS DE FATORES E DE SERVIÇOS

  O CICLO VIRTUOSO da Administração...
6c-Articulações Básicas de Administração de Transição
 As readequações não significativas são aquelas consideradas ajustes...
6d-Navegador Orçamentário por Processos
   1-Aspectos Técnico-Operacionais Entrelaçados com os Econômico-Financeiros Respe...
2-Operacionalização da Missão, Diretrizes, Objetivos e Metas – em Cenários Numerológicos
  MISSÃO-IS com GARGALOS-IS espec...
3-Monitoramento dos Cenários Numerológicos Observados x Estimados
  MISSÃO-IS com GARGALOS-IS especificados, quantificados...
6e-MODELAGENS DE PROCESSAMENTOS DOS CENÁRIOS-AISARTICULAÇÕES DE PROCESSAMENTO GERAL

  As AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE(AIS) de...
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Plano de Obama para a Saúde  por Orlando Cândido dos Passos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Plano de Obama para a Saúde por Orlando Cândido dos Passos

2.737 visualizações

Publicada em

Trata-se de estudo que explicita numerologicamente como eliminar as armadilhas nativas do Plano de Obama para a Saúde com Indicações Básicas para 2009, 2019 e 2029.
Para eliminar essas armadilhas geradas pelas posturas das gestões-RDID(modelo operacional de indústria\comércio) focada no financeiro - tem-se as modelagens da Metodologia de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS(Modelo Operacional de Instituição de Saúde - como instituição de conhecimento).
Essa Metodologia foca os aspectos Técnico-Operacionais entrelaçados com os Econômico-Financeiros respectivos. Assim, os *Programas de Ações Integrais de Saúde(AIS - equalizado com unidade homogênea) são sinergicamente articulados com *Recursos-AIS(investimentos, recursos humanos/equipe, demais recursos), *Custos por Processos-AIS(indicadores de eficiência econômica), *Receitas por Fontes-AIS(indicadoras de eficácia econômica) e *Desempenhos-AIS(resultados, valor agregado e níveis de desbalanceamentos, inadequações e desarticulações dos recursos alocados).
Dessa forma mantem-se a integridade das informações conforme processos dos protocolos técnico-operacionais de AIS e perfis epidemiológicos das populações(infantil, gestante, adulta e terceira idade).
Nesse cenário as posturas transcendem os controles convencionais. Estamos falando das compentências internalizadas que fazem Planejamento e Controle com Simulações.

2-A leitura evidenciará que o estudo é embasado com cenários numerológicos entrelaçados. Os programas são equalizados com unidade homogênea. Isto atenua margens de indeterminações, principalmente as das áreas de intersecções. Além disso, acredito que a formatação permite que o leitor possa agregar conhecimentos próprios - do tipo: trocar o número dos referenciais disponibilizados.

3-A população excluída conhecida é a da estatística consensual(em torno de 47 milhões de americanos) - que não tem acesso ao Setor de Saúde. Todavia, o número é cerca de 3,1 vezes maior. Para isso, há que se computar as restrições dos sistemas públicos, planos e seguros-saúde. Além disso, têm-se o Custo Saúde no Custo-EUA que é gigantesco e deve está comprometendo a competitividade dos EUA.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de Obama para a Saúde por Orlando Cândido dos Passos

  1. 1. PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE2009-2019 COMO ELIMINAR ARMADILHAS NATIVAS AO SEU SUCESSO INDICAÇÕES BÁSICAS por Orlando Cândido dos Passos* USANDO FERRAMENTAS E BDs DA SIATOEF passos@siatoef.com.br OFERTAS DEMANDAS MERCADO DE SERVIÇOS CONTRAPRESTAÇÕES ÀS DEMANDAS DOS PROGRAMAS-AIS PV = CT + EF + LUCRO OFERTAS DOS PROGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DE SAÚDE DISPONIBILIZAÇÃO DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE ENTIDADES ECONÔMICAS: GOVERNO INSTITUIÇÕES DE SAÚDE REALIZA- DORAS DOS PROCEDIMENTOS DAS EMPRESA FAMÍLIA LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCI- AISAÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE RESTO DO MUNDO INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS, DEMAIS RECURSOS REMUNERAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS, DEMAIS RECURSOS E DOS INVESTIMENTOS: CT = RHMÉD + RHENF + RHMULTDIR + RHMULTINDIR + DD + DI + DR + RI MERCADO DE FATORES OFERTAS DEMANDAS *Orlando Cândido dos Passos Experiência vivenciada ao longo de 40 anos em administração executiva eou formuladora de soluções integradas e integradoras – nas fases de planejamento, implantação, operação, readequações e mistas - de instituições de saúde de qualquer porte. Pesquisador independente, especialista na integração dos aspectos técnico-operacionais e administrativos com os econômico-financeiros respectivos - de instituições da saúde públicas, filantrópicas, privadas e mistas – com modelo operacional de instituições de saúde. Neste, os processamentos múltiplos e simultâneos das complexidades dinâmicas e de detalhes dos *PROGRAMAS DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE/LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(referências e contra- referências) – são adequadamente articulados com *RECURSOS, *CUSTOS POR PROCESSOS, *RECEITAS POR FONTES e *DESEMPENHOS. Assim, mantêm- se a integridade das formulações eou soluções propostas - de OPERACIONALIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES de saúde com SAÚDE ECONÔMICO-FINANCEIRA DE PERENIDADE ou QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS, no tempo, conforme protocolos e conceitos universais. 0 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  2. 2. PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE2009-2019 COMO ELIMINAR ARMADILHAS NATIVAS AO SEU SUCESSO INDICAÇÕES BÁSICAS por Orlando Cândido dos Passos* USANDO FERRAMENTAS E BDs DA SIATOEF passos@siatoef.com.br Sumário Geral 1-IntroduçãoPág.2 2-O Círculo Vicioso das Gestões-RDID ou Armadilhas ao Plano de Obama para a SaúdePág.2 3-Metodologia de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituição de SaúdePág.4 4-Providência Imediatas Pág.6 4.1-Fase-I6 meses Pág.7 a-Navegador Orçamentário por Processos das Instituições de Saúde Pág.7 b-Personalização e Disponibilização do Aplicativo PGSPCCDPIS Pág.7 c-Recursos Humanos Necessários e Suficientes Pág.7 4.2-Fase-II12 mesesPág.7 a-Cronograma Físico da Internalização da Nova Metodologia e da Instalação do Aplicativo PGSPCCDPIS b-Recursos Humanos Necessários e SuficientesPág.8 4.3-Fase-III18 mesesPág.8 a-Módulos Integrados e Integradores do GESTORISPág.8 b-Recursos Humanos Necessários e Suficientes Pág.9 5-Elucidações Complementares Pág.9 5.1-Referenciais de PIBs x Demandas-AIS.RO x Ofertas-AIS.RDID x Exclusões de Vidas com AIS x Taxa de Cobertura em 2009, 2019 e 2029 Pág.9 5.2-AIS são Direitos ou Deveres da Vida-Cidadã? Pág.10 5.3-Demandas-AIS x Ofertas-AIS x Exclusões de Vidas com AIS x Taxa de Cobertura nos EUAPág.10 5.4-Recursos na Saúde mais Custo Saúde no Custo-EUA2009, 2019 e 2029 – nos Cenários de AIS.RDID e AIS.ROPág.11 6-AnexosDiagramas de Alguns Aspectos da Metodologia de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituições de SaúdePág.13 Siglas: *AIS/LCA=Ações Integrais de Saúde/Linhas de Cuidados Assistenciais(referências e contra-referências). *CT=Custo Total – Custos por Processos-AIS são os indicadores de eficiência econômica. *DD=Despesas Diretas – que são apropriáveis diretamente nos setores eou procedimentos. *DI=Despesas Indiretas – que são as não classificáveis como DD. *DR=Depreciação para Reposições – conforme legislação vigente. Os investimentos acima do FUNDO DE DEPRECIAÇÃO são Expansões. *EF=Encargos sobre Faturamentos. *GT=Grupo de Trabalho do Plano de Obama para a Saúde. *IS=Instituição de Saúde(Unidade Básica de Saúde, Ambulatório, Pronto Socorro, Hospital, Distrito de Saúde, etc.) *MOIC=Modelo Operacional de IndústriaComércio – contempla arquiteturas de controles inerentes ao foco no financeiro. Quando aplicado nas Instituições de Saúde resulta nos processos de tentativas e erros próprios das gestões-RDID. São gestões de vôo quase cego. *MOIS=Modelo Operacional de Instituições de Saúde com arquitetura para processamentos entrelaçados das complexidades dinâmicas e de detalhes dos *PROGRAMAS-AIS/LCA(EM UNIDADES ESPECÍFICAS EQUALIZADAS COM UNIDADE HOMOGÊNEA) com *RECURSOS-AIS/LCA(INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS/EQUIPE E CARGO-FUNÇÃO, DEMAIS RECURSOS), *CUSTOS POR PROCESSOS-AIS/LCA(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA), *RECEITAS POR FONTES- AIS/LCA(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA) e *DESEMPENHOS-AIS/LCA(Resultados, Valor Agregado e Níveis-RDID). *PV=Preço de Venda - Preços de Vendas-AIS embasados em Custos por Processos-AIS são os indicadores de eficácia econômica. *RHMÉD=Equipe Médica/Cargo-Função. *RHENF=Equipe de Enfermagem/Cargo-Função. *RHMultDir=Equipe Multiprofissional Direta/Cargo-Função. *RHMultIndir=Equipe Multiprofissional Indireta/Cargo-Função. *RI=Remuneração de Investimentos. *RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulados – parametrizados. *RO=Recursos Otimizados no Momento de Qualidade Máxima com Custos Médios Mínimos e Remunerações DignasBenchmark. 1 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  3. 3. 1-Introdução É meritória a discussão operacional de reforma do sistema de saúde dos EUA como prioritária e com a participação direta do presidente Obama. Com a constituição do GRUPO DE TRABALHO(GT DE 150 PROFISSIONAIS) melhora-se as consolidações das propostas e formas de implementações das soluções atenuadoras dos atuais DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DO RECURSOS ALOCADOS(RDID) nas AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE(AIS)/LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(LCA OU REFERÊNCIAS E CONTRA-REFERÊNCIAS). Além disso, melhoram-se as percepções de legitimação das ações de reversão – considerando que os membros do GT serão facilitadores de suporte. É indispensável alertar para as armadilhas de estarmos diante do que é necessário mas, não o suficiente. Ao que tudo indica, as discussões estão sendo feitas no entorno do que é conhecido e, preponderantemente, com os mesmos - que utilizam estatísticas que demonstram muito e escondem o essencial para o sucesso do plano. Nesse cenário inexistem alternativas. As escolhas serão as conhecidas. Observa-se que o Setor de Saúde dos EUA está permeado pelas GESTÕES-RDID FOCADA NO FINANCEIRO COM MOIC(MODELO OPERACIONAL DE INDÚSTRIACOMÉRCIO) - que é inviável ao que se entende por Administração de Instituições de Saúde. Assim, têm-se as inaceitáveis Exclusões de Vidas com AIS – que remetem ao Custo Saúde no Custo-EUA. Para eliminar o CÍRCULO VICIOSO das GESTÕES-RDID é fundamental operacionalizar as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE com as melhores posturas proativas e propositivas de Gestões de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituições de Saúde(MOIS). Com essa metodologia, os gestores são instrumentalizados e contemplados com Navegador Orçamentário por Processos de AIS/LCA – que permitem simulações(JOGOS DE EMPRESAS) a qualquer momento. Nesse cenário, têm-se as informações numerológicas sistematizadas e consolidadas através de processamentos dos processos dos protocolos TÉCNICO-OPERACIONAIS de AIS/LCA entrelaçados com ECONÔMICO-FINANCEIROS respectivos - conforme perfis epidemiológicos das populações(INFANTIL, GESTANTE, ADULTA E TERCEIRA IDADE). Estamos falando e MODELAGENS DE CONHECIMENTOS EM METODOLOGIA DE PROCESSAMENTOS PARA AIS/LCA. Com essa METODOLOGIA fazem-se CONTROLES dos INDICADORES TÉCNICO-OPERACIONAIS e ECONÔMICO- FINANCEIROS correlacionados com os de PLANEJAMENTO. Agora os membros do GT do Plano de Obama para a Saúde contam com alternativas: a-Gestões-RDID com MOIC gerador de Exclusões e Custo Saúde no Custo-EUA ou b-Gestões de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS. Trata-se de metodologia resultante de readequações e revitalizações amigáveis das GESTÕES-RDID. A METODOLOGIA de GESTÕES DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MOIS - funciona como espécie de Princípio de Causação Circular de Gunnar Karl Myrdal, “segundo a qual o círculo vicioso do atraso e da pobreza pode ser rompido pela aplicação planejada de reformas econômicas.” Vide Dicionário de EconomiaPaulo SandroniEd.Beste Seller-1987. Ao contrário das GESTÕES-RDID que são desorbitadas em relação ao que se entende por Administração, a METODOLOGIA de GESTÃO DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MOIS assegura que os gestores estejam sempre orbitados com leis-de-formação que contemplam os processos dos protocolos técnico-operacionais de AIS/LCA. Assim, têm, todo o tempo e o tempo todo, os entrelaçamentos necessários e suficientes de *PROGRAMAS-AIS/LCA(EM UNIDADES ESPECÍFICAS EQUALIZADAS COM UNIDADE HOMOGÊNEA) entrelaçados com *RECURSOS- AIS/LCA(INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS/EQUIPE E CARGO-FUNÇÃO, DEMAIS RECURSOS), *Custos por Processos- AIS/LCA(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA), *Receitas por Fontes-AIS/LCA(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA) e *DESEMPENHOS-AIS/LCA(Resultados, Valor Agregado e Níveis-RDID). Nesse cenário, viabilizam-se os demonstrativos de quanto o Setor de Saúde agrega DA e NA sociedade. Em outras palavras viabiliza a operacionalização da Administração nas Instituições de Saúde com Navegador Orçamentário por Processos. Logo, inexistem os cortes percentuais. É o “mundo” da Administração, onde os Programas-AIS/LCA são os determinantes da alocação de Recursos-AIS/LCA – que, por sua vez, norteiam o APOIO FINANCEIRO ou FINANCIAMENTOS DOS CUSTOS DOS RECURSOS em questão. 2-O Círculo Vicioso das Gestões-RDID ou Armadilhas ao Plano de Obama para a Saúde Os objetivos de uma organização – parecem clara e universal para modelagens operacionais de indústriacomércio(MOIC) porque focam a excelência no produto ou excelência operacional ou excelência no cliente – visando maximizar os objetivos de LUCRO, em ambiente competitivo. Nos últimos anos essa visão foi exacerbada e, preponderantemente, tornou o LUCRO desorbitado para atender interesses imediatos de poucos. A resultante é a crise que prejudica a todos. Quando se olha as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE(IS) enxergam-se instituições de conhecimentos que se complementam conforme a atenção progressiva por tipos de cuidados assistenciais(REFERÊNCIAS E CONTRA-REFERÊNCIAS) e devem ser operacionalizadas, simultaneamente, com excelência nos procedimentos, excelência operacional e excelência no paciente. Seus objetivos encerram importantes interdependências entre as LCA e AIS - disponibilizadas num dado período eou durante toda à Vida Cidadã - que se realimentam em tempo real. Por isso, os Desempenhos-IS devem 2 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  4. 4. contemplar, pelo menos: *Resultados(ENTRADAS-SAÍDAS), *Valor Agregado e *Níveis-RDID. Assim, podem se explicitar o quanto agregam DA e NA Sociedade. Observe que as AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE devem ser realizadas conforme os processos de seus protocolos técnico- operacionais, para atenderem as doenças das Vidas Cidadãs, no tempo. Estamos falando de processos entrelaçados com complexidades de detalhes e dinâmicas conforme perfis epidemiológicos e metabolismos das populações respectivas(INFANTIL, GESTANTE, ADULTA E TERCEIRA IDADE) – que são inadequados aos processamentos com MODELO OPERACIONAL DE INDÚSTRIACOMÉRCIO. Por isso, é determinístico e determinante que as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE sejam contempladas com as melhores posturas proativas e propositivas da Administração com Modelo Operacional de Instituições de Saúde. Com a criação da ONU, surgiu à máxima: ADMINISTRAR A SAÚDE É UMA BOA FORMA DE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO. Está claro que ainda não descobrimos essa verdade porque as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE continuam sendo operacionalizadas com GESTÕES-RDID, que geraram o inaceitável CÍRCULO VICIOSO composto por: *RDID, *DEMANDAS REPRIMIDAS, *RECORRÊNCIAS, *TRATAMENTOS TARDIOS, *RDID MAIORES, *AUMENTO DAS DEMANDAS REPRIMIDAS, *AUMENTO DAS RECORRÊNCIAS, *AUMENTO DOS TRATAMENTOS TARDIOS e assim por diante – até que se implementem as ações de reversão. Enquanto não temos os detalhamentos do GT DO PLANO OBAMA PARA SAÚDE, fiquemos com os cenários numerológicos possíveis como referenciais para ilustrar o impacto das GESTÕES-RDID – porque são armadilhas que geraram, geram e potencializam amarras ao desenvolvimento dos EUA e, em consequência, prejudicam o mundo. Utilizando-se ferramentas e bancos de dados especializados têm-se sinalizações desconcertantes. Lembrando, que os indicadores de coberturas abrigam as melhores hipóteses. Parece que a situação é bem pior. Trata-se de sistema com todas as características de burocracia cartorial, muito boa para que o financeiro comande o técnico- operacional - que resultam nas inaceitáveis EXCLUSÕES e CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA. Todavia é péssima para os CUSTOS, dado que em saúde, tratamentos tardios custam 375% mais que os em tempo hábil, pelo menos. Acho que se pode visualizar esses aspectos com o artigo de Lee Ann Obringer. quot;HowStuffWorks - Como funcionam os planos de saúde nos EUAquot;. Publicado em 04 de fevereiro de 2006 (atualizado em 04 de abril de 2007) http://saude.hsw.uol.com.br/planos-de-saude2.htm(08 de março de 2009). Nesse artigo têm-se: 1-Introdução; 2-Definição de plano de saúde; 3-A cobertura; 4-Tipos de planos de saúde; 5-Como funciona o seguro saúde; 6-Como funciona a assistência médica administrada; 7-Limitações e impedimentos comuns; 8-Escolhendo uma apólice; 9-Mais informações. Para aprimorar nossas sinalizações se faz necessário utilizar detalhes do GT referenciado, quando forem disponibilizados. Ressalte-se que as inaceitáveis Exclusões de Vidas com AIS mais visíveis são os 47 milhões de americanos sem acesso ao sistema de saúde – que conta com insistente consenso estatístico. Todavia, as especificidades das instituições públicas de saúde e dos contratos dos planos de saúdeseguros-saúde asseguram números absolutos muito mais expressivos. Também são muito conhecidos e discutidos. O que não se têm são modelagens de quantificações dessas EXCLUSÕES - não menos inaceitáveis e perversas. A percepção de impotência plena para cuidar da própria saúde eou de seus entes queridos remete aos piores níveis de estresse que afetam os níveis imunológicos e agravam a situação - já muito constrangedora. Talvez, esses aspectos estejam ilustrados no filme “Sicko, o doente sistema de saúde dos EUA” de Michael More. A numerologia a seguir não explicita diretamente esses constrangimentos mas, permite visualizá-los. Isto posto vamos ao tamanho das AMARRAS DAS GESTÕES-RDID através dos cenários numerológicos sinalizados. A AGENDA POSITIVA para o PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE com seus 150 FACILITADORES poderá ampliar os US$09 634 BILHÕES até US$09 1,830 TRILHÕES/ANO até 2019. Nesse magnífico esforço resolutivo conseguirão ELIMINAR EXCLUSÕES de 72,098 MILHÕES DE VIDAS COM AIS – incluindo-se o crescimento populacional de 27,04 MILHÕES(37,5% desse total). Todavia, ainda restará EXCLUSÕES DE 101,143 MILHÕES DE VIDAS COM AIS que remetem ao Custo Saúde no Custo-EUA de US$09 4,626 TRILHÕES/ANO. Essas DESECONOMIAS DO SETOR DE SAÚDE somadas com os RECURSOS ALOCADOS atingem o montante de US$09 9,188 TRILHÕES/ANO em 2009; US$09 8,957 TRILHÕES/ANO em 2019(2,51% MENOR QUE 2009) e US$09 10,594 TRILHÕES/ANO(18,27% MAIOR QUE 2019). Ao final dos primeiros dez anos evidenciam-se: *AVANÇO com economia de US$09 230,711 BILHÕES/ANO com INCLUSÕES de 72,098 MILHÕES DE VIDAS COM AIS e *PENDÊNCIAS das inaceitáveis Exclusões de 101,143 MILHÕES DE VIDAS COM AIS que geram DESECONOMIAS de US$09 4,626 TRILHÕES/ANO. A essa altura estará metabolizada a percepção de que a ENTROPIA NATIVA das GESTÕES-RDID eliminará esse avanço rapidamente, nos anos subsequentes. Na melhor das hipóteses, em 2029 os RECURSOS ALOCADOS NO SETOR DE SAÚDE serão 123,6% MAIOR que os de 2009 e contemplará Exclusões 109,342 MILHÕES DE VIDAS COM AIS com DESECONOMIAS de US$09 5,001 TRILHÕES/ANO. Assim, essas duas grandezas totalizam US$09 10,594 TRILHÕES/ANO ou 15,3% MAIOR que a de 2009 e 18,3% MAIOR que a de 2019. É uma década que integrará indicadores negativos. 3 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  5. 5. 1 2009RDID DISCRIMINAÇÃO 2019RDID 2029RDID US$ e Vidas % s/Tot US$ e Vidas % s/Tot US$ e Vidas % s/Tot *RECURSOS NA SAÚDE + DESECONOMIAS DA SAÚDEUS$09 BILHÃO 9.188,023 100,0% 8.957,312 100,0% 10.594,164 100,0% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 97,49% *** 115,30% *** 2 0 *DEMANDAS-AIS EM VIDASN .- EM MILHÃO 306,529 100,0% 333,569 100,0% 360,609 100,0% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 108,82% *** 117,64% *** *US$09/VIDA COM AIS 29.974 *** 26.853 *** 29.378 *** *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 89,59% *** 98,01% *** *VIDAS ATENDIDAS COM AISN0. EM MILHÃO 160,328 52,30% 232,426 69,68% 251,267 69,68% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 144,97% *** 156,72% *** *RECEITAS DAS OFERTAS-AIS.RDID - EM US$09 BILHÃO 2.501,274 27,22% 4.331,338 48,36% 5.593,190 52,80% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 173,17% *** 223,61% *** *VIDAS EXCLUÍDAS COM AISN0. EM MILHÃO 146,201 47,70% 101,143 30,32% 109,342 30,32% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 69,18% *** 74,79% *** *CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA - EM US$09 BILHÃO 6.686,749 72,78% 4.625,974 51,64% 5.000,974 47,20% *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% *** 69,18% *** 74,79% *** 1 2 Notas: RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulados; AIS=Ações Integrais de Saúde. Do exposto, fica claro que a “aliança” com as gestões-RDID assegura futuro incerto e as inaceitáveis Exclusões de Vidas com AIS com Custo Saúde no Custo-EUA - que prejudica toda a sociedade americana e o mundo inter- relacionado com os EUA. As vantagens de eliminação de exclusões ocorrem por conta do extraordinário esforço de se agregar mais recursos no setor – QUE SERÃO GRADATIVAMENTE CORROÍDOS PELA ENTROPIA NATIVA DAS GESTÕES- RDID. É preciso atentar para as resultantes dos entrelaçamentos de: a)Discussões sobre AIS como Direito da Vida-Cidadã e AIS como Dever da Vida-Cidadã; b)Transparência insatisfatória dos sistemas público e privado com eficiência e eficácia comprometidas; c)Interatividades dos sistemas público e privado desfavoráveis aos economicamente mais carentes; d)Percepção óbvia de que o cidadão vive no município e que é premente operacionalizar melhores modelagens de comprometimento; e)Coberturas nos Sistemas Públicos x AIS Necessárias x Tratamentos Tardios; f)Coberturas Contratadas e Realizadas nos Planos de Saúde x AIS Necessárias x Tratamentos Tardios; g)Coberturas Contratadas e Realizadas nos Seguros Saúde x AIS Necessárias x Tratamentos Tardios; h)Cabe ao sistema público operacionalizar novo paradigma de Administração para Instituições de Saúde gerando espelhamentos e, simultaneamente, disponibilizá-lo para os sistemas privados; i)Inexistência de explicitação das Demandas-AIS.RO x Ofertas-AIS.RDID x Exclusões x Custo Saúde no Custo-EUA, contemplando unidades específicas equalizadas com unidade homogênea; j)Inexistência de explicitação articulada de perfis epidemiológicos da população(INFANTIL, GESTANTE, ADULTA E TERCEIRA IDADE) com os processos dos protocolos técnico-operacionais de AIS/LCA; k)Inexistência de explicitações de indicadores de eficiência e eficácia técnico-operacional integrados com os econômico-financeiros respectivos. Com essas reflexões fica claro que continuar com as POSTURAS DAS GESTÕES-RDID numa AGENDA POSITIVA PARA O SETOR DE SAÚDE - corresponde a operacionalizar o “feedback de compensação” descrito pelo Peter M. Senge em seu livro a “A Quinta Disciplina”: “Todos sabemos o que é enfrentar um feedback de compensação – quanto mais você empurra, mais o sistema empurra de volta; quanto mais se esforça para resolver os problemas, maior parece ser o esforço necessários para solucioná-los.” 3-Metodologia de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituição de Saúde(MOIS) A METODOLOGIA de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS(MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÃO DE SAÚDE) é o CÍRCULO VIRTUOSO desenvolvido como antíduto ao CÍRCULO VICIOSO DAS GESTÕES-RDID. A AGENDA POSITIVA para o PLANO DE OBAMA PARA A SAÚDE com seus 150 FACILITADORES instrumentalizados com a METODOLOGIA de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS - sinaliza como factível atender plenamente as Demandas-AIS/LCA com RECURSOS ALOCADOS de US$09 3,212 TRILHÕES/ANO até 2019. Assim, com MAIS 28,41% de RECURSOS ALOCADOS no SETOR DE SAÚDE - eliminam-se as inaceitáveis Exclusões de 146,201 Vidas com AIS e respectivo Custo Saúde no Custo-EUA de US$09 6,687 TRILHÕES/ANO - existentes em 2009. 1 2 2009RDID 2019RO DISCRIMINAÇÃO 2029RO 3 *US$09/VIDA COM AIS 15.601 9.629 5.834 *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% 61,72% 37,40% 4 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  6. 6. 1 2 2009RDID 2019RO DISCRIMINAÇÃO 2029RO *RECURSOS NA SAÚDE+CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA - EM US$09/HAB 29.974 9.629 5.834 *EVOLUÇÃO PERCENTUAL 100,00% 32,12% 19,46% 1 2 Notas: RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulados; RO=Recursos Otimizados no momento de Qualidade Máxima com 3 Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas; AIS=Ações Integrais de Saúde. O valor médio referencial dado é de US$09 8.160/Habitante - que muda para US$09 15.601/Vida com AIS – quando considera-se que a cobertura média é de 52,3%. Em outras palavras, os RECURSOS correspondentes a US$09 2,5 trilhões, alocados no SETOR DE SAÚDE, só atendem a 160,328 milhões de Vidas com AIS. Com a implementação da METODOLOGIA de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS, essa média baixa para US$09 9.629/Vida com AIS em 2019 ou 32,12% do valor médio de 2009. Nesse cenário, inexiste as inaceitáveis Exclusões inclusive as de 146,201 milhões de Vidas com AIS e o respectivo CUSTO SAÚDE NO CUSTO- EUA de US$09 6,687 trilhões sinalizados em 2009. Em 2029 a média em questão baixa para US$09 5.834/Vida com AIS em 2029 ou 19,46% do valor médio de 2009. Também inexiste Exclusões de Vidas com AIS e CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA. Em termos absolutos, os RECURSOS necessários em suficientes para atender plenamente as Demandas-AIS são maiores que os de 2009 em US$09 710,596 BILHÕES/ANO. Todavia, em 2029, são menores em que os de 2009 em US$09 397,361 BILHÕES/ANO. Esses recursos em 2029, em relação aos de 2019, são US$09 1,108 TRILHÃO/ANO. Somando-se RECURSOS NA SAÚDE com CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA têm-se a evolução percentual: 100%2009 ou US$09 29.974/Habitante; 32,12%2019 ou US$09 9.629/Habitante e 19,46%2029 ou US$09 5.834/Habitante. DISCRIMINAÇÃO 2009RDID 2019RO 2029RO US$ e Vidas % s/Tot US$ e Vidas % s/Tot US$ e Vidas % s/Tot *Recursos na Saúde + Deseconomias da SaúdeUS$09 Bilhão 9.188,023 100,0% 3.211,870 35,9% 2.103,913 19,9% *Evolução Percentual 100,00% *** 34,96% *** 22,90% *** *Demandas-AIS em VidasNo.- em Milhão 306,529 100,0% 333,569 100,0% 360,609 100,0% *Evolução Percentual 100,00% *** 108,82% *** 117,64% *** *US$09/Vida com AIS 29.974 *** 9.629 *** 5.834 *** *Evolução Percentual 100,00% *** 32,12% *** 19,46% *** *Vidas Atendidas com AISN0. em Milhão 160,328 52,30% 333,569 100,00% 360,609 100,00% *Evolução Percentual 100,00% *** 208,05% *** 224,92% *** *Receitas das Ofertas-AIS.RDID - em US$09 Bilhão 2.501,274 27,22% 3.211,870 35,86% 2.103,913 19,86% *Evolução Percentual 100,00% *** 128,41% *** 84,11% *** *Vidas Excluídas com AISN0. em Milhão 146,201 47,70% 0,000 0,00% 0,000 0,00% *Evolução Percentual 100,00% *** 0,00% *** 0,00% *** *Custo Saúde no Custo-EUA - em US$09 Bilhão 6.686,749 72,78% 0,000 0,00% 0,000 0,00% *Evolução Percentual 100,00% *** 0,00% *** 0,00% *** Para as GESTÕES-RDID são numerologias impossíveis porque lidam com conceitos desorbitados, simples e lineares. Todavia, são os que interessam aos resultados que querem e obtêm. Os seus cenários podem ser aumentados ou diminuídos em percentuais determinados. Essas posturas inexistem na METODOLOGIA de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com MOIS. Nesta, METODOLOGIA têm-se o domínio dos indicadores TÉCNICO-OPERACIONAIS entrelaçados com os ECONÔMICO- FINANCEIROS respectivos e, portanto, os pré-requisitos para Diagnóstico-AIS/LCA, Prognóstico-AIS/LCA e Tratamentos-AIS/LCA - em nível de Programas de Procedimentos sinergicamente articulados com Recursos por Processos, Custos por Processos, Receitas por Fontes e Desempenhos. Tomemos, por exemplo, os setores de Ressonância Magnética(RM) e visualize os EUA com perfis epidemiológicos que carecem de uma RM para cada 494.401 habitantes em 2009, 452.045 habitantes em 2019 e 414.721 habitantes em 2029. Além disso, que têm 3.600 RM instaladas ou 11,1 vezes mais que o necessário - para o nível de cobertura sinalizada. Nesse cenário, o planejamento contemplará os dez anos de vida útil dos equipamentos e as ações aderentes de realocação dos RECURSOS HUMANOS para agregarem valor em outros setores - evitando-se efeitos indesejáveis. Assim, até 2019 ter-se-á o desempenho equalizado aumentado em 3,824 vezes. Em 2029, esse desempenho será de 8,825 vezes em relação a 2009 e 2,308 vezes em relação a 2019. Em termos de PREÇOS DE VENDA para cada US$09 100 de Receita-RM em 2009 - o factível sinalizado para 2019 será de US$09 26,15 e de US$09 11,33 para 2029. 5 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  7. 7. DISCRIMINAÇÃO 2009 2019 2029 0 1-VIDAS COM AISN . - EM MILHÃO 160,328 333,569 360,609 2-INDICAÇÕES DE RM PELO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO - EM HABITANTES/RM – N0. 494.401 452.045 414.721 3-SETORES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NECESSÁRIOSN0. 324 738 870 0 4-SETORES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA INSTALADOSN . 3.600 1.800 900 5-RELAÇÃO DE RM INSTALADAS/RM NECESSÁRIAS – K1 11,101 2,439 1,035 6-DESEMPENHO EQUALIZADO COM TODOS OS RECURSOS – K2 11,101 2,903 1,258 Agora visualizemos SETOR DE SAÚDE dos EUA pela “porta de entrada”: CONSULTAS MÉDICAS. Nessa porta excluem-se as consultas de EMERGÊNCIASURGÊNCIAS e as de ENFERMARIAS. Considere que as consolidações de simulações só captam as posturas dos protocolos respectivos. Nesse caso, as estimativas de médicos alocados nessas consultas realizarão cerca de 489 milhões em 2009. Nesse cenário, qualquer número a maior significa que os protocolos estarão sendo comprometidos e remetem a tratamentos tardios na proporção do quanto se subtrai do tempo médio dos protocolos respectivos. Nesse exemplo, considerando os retornos, o tempo médio aplicado é de 18,35 minutos. Caso a CONSULTA MÉDICA seja feita em, por exemplo, 5,5 minutos têm-se tratamentos tardios em 70% dos atendimentos. Lembrando que os tratamentos tardios serão 375% mais onerosos que os precoces. Nesse cenário, ao que parecem, as RECEITAS dessas CONSULTAS MÉDICAS deverão ser de US$09 263,934 bilhões ou US$09 539,74/Consulta Médica. A transparência dessas informações carece avançar muito. Enquanto isso é necessário inferi-las usando informações diversas e consegui-las por eliminação de áreas de intersecções, interpolações e extrapolações. Explicitando as sinalizações dos grupos de custos que compõem a remuneração digna da CONSULTA MÉDICA, nos padrões dos EUA – tem-se US$09 57,55/Consulta Médica. Esse CUSTO MÉDIO contempla eficiência e eficácia econômica e representa 10,66% da média sinalizada como praticada, ou seja: GRUPO DE CUSTOS US$09/CONS.MÉD. % S/CUSTO % S/PREÇO 1-CUSTO DOS RECURSOS HUMANOSMÉDICO 31,60 83,20% 54,91% 2-CUSTOS DOS DEMAIS RECURSOS HUMANOS NA CONSULTA MÉDICA 3,95 10,40% 6,86% 3-DESPESA APROPRIÁVEIS DIRETAMENTE NAS CONSULTAS MÉDICAS 0,45 1,18% 0,78% 4-DESPESAS APROPRIÁVEIS INDIRETAMENTE NAS CONSULTAS MÉDICAS 0,51 1,34% 0,89% 5-DEPRECIAÇÃO PARA REPOSIÇÕES DOS INVESTIMENTOS DESTINADOS ÀS CONSULTAS MÉDICAS 0,52 1,37% 0,90% 6-REMUNERAÇÃO DE INVESTIMENTOS DESTINADOS ÀS CONSULTAS MÉDICAS 0,95 2,50% 1,65% I-REFERENCIAL MÉDIO DE CUSTO TOTAL DE CONSULTAS MÉDICAS 37,98 100,00% 66,00% 7-REFERENCIAIS DE LUCRO E ENCARGOS S/FATURAMENTOS DE CONSULTAS MÉDICAS 19,57 51,52% 34,00% II-MÉDIA REFERENCIAL DE PREÇO DE VENDA DE CONSULTAS MÉDICAS 57,55 151,52% 100,00% Nesse caso podemos dizer que um posto de trabalho de qualidade para o médico contemplando eficiência e eficácia requer 1.824 horas úteis/ano(228 DIAS DE 8 HORAS/DIA). Nos 137 dias complementares têm-se: fins de semana, feriados e dias destinados às especializações eou educação continuada. Nesse cenário cada MÉDICO pode realizar 5.964 Consultas/Ano e o seu CUSTO MÉDIO é de US$09 188.462/Médico-Ano ou 15.705/Médico-Mês. A REMUNERAÇÃO MÉDIA fica em torno de US$09 12.000/Médico-Mês. Agora, ao compararmos as duas médias temos um excedente de US$09 482,20/CONSULTA MÉDICA - que corresponde a 8,38 vezes o VALOR MÉDIO necessário e suficiente. Para fins comparativos, esse VALOR ADICIONAL(GORDURA+INCHAÇO) é adicionável as rubricas de Lucro e Encargos s/Faturamentos. A percepção de que os exemplos referenciados são exceções é um equívoco. Ao contrário, sinalizam a tendência geral – desde que se façam análises, sistematização e consolidações entrelaçadas com eliminação das áreas de intersecções. 4-Providência Imediatas É premente instrumentalizar o Grupo de Trabalho do Plano de Obama para a Saúde com a Metodologia da Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituições de Saúde. Assim, assegurarão as internalizações de novos CONHECIMENTOS, TECNOLOGIAS e SISTEMAS que viabilizam a eliminação das armadilhas determinísticas do CÍRCULO VICIOSO EXISTENTE ou GESTÕES-RDID. Dessa forma ter-se-á um Grupo de Trabalho composto de Facilitadores(GERAIS E DE SUPORTE) e de Consultores de Suporte - porque têm as competências determinantes ao sucesso indispensável do SETOR DE SAÚDE QUE TODOS OS AMERICANOS MERECEM - com manutenção atualizada e inteligência dinâmica. Logo, o Plano de Obama para a Saúde potencializará o desenvolvimento dos EUA e demonstrará a validade da máxima, surgida com a criação da ONU: ADMINISTRAR SAÚDE É UMA BOA FORMA DE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO. 6 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  8. 8. A internalização dessas competências exige RECURSOS HUMANOS e MATERIAIS necessários e suficientes para atingir todo o SETOR DE SAÚDE DOS EUA – cujos CUSTOS, em termos absolutos e relativos, podem ser considerados insignificantes. Estamos falando de três fases que demandarão 121.276 horas da Equipe-Âncora, em 36 meses. No período de execução têm-se 1 HORA DA EQUIPE-ÂNCORA/157.285 HORAS-ÚTEIS DO SETOR DE SAÚDE e no período de amortização(5 ANOS POR SER INVESTIMENTOS EM NOVO PARADIGMA) têm-se 1 HORA DA EQUIPE-ÂNCORA/271.231 HORAS-ÚTEIS DO SETOR DE SAÚDE. Cada uma dessas três fases foca disponibilizações de grupos de “produtos” necessários e interdependentes, ou seja: *Fase-I8,37% em 6 meses - disponibilização do aplicativo PGSPCCDPIS(EM LINGUAGEM MODERNA E PERSONALIZADA) e de Navegador Orçamentário por Processos com Diagnóstico-AIS/LCA1.RDID2, Prognóstico-AIS/LCA.RO3 e Tratamentos de RDID a RO; *Fase-II16,65% em 12 meses - disponibilização de 5.153 Profissionais da Saúde-EUA (2% do total) com as novas competências internalizadas; instalação do aplicativo PGSPCCDPIS abrigando cerca de 14% dos RECURSOS ALOCADOS NO SETOR DE SAÚDE e implantação dos Núcleos de Suporte. *Fase-III74,98% em 18 meses - disponibilização e implantação dos demais módulos integrados e integradores do GESTORis com consolidação dos Núcleos de Suporte. 1 2 Nota: AIS/LCA=Ações Integrais de Saúde/Linhas de Cuidados Assistenciais(referências e contra-referências); RDID=Recursos 3 Desbalanceados, Inadequados e Desarticulados – parametrizados; RO=Recursos Otimizados com Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas(benchmark). 4.1-Fase-I6 meses Nessa fase focam-se as disponibilizações do NAVEGADOR ORÇAMENTÁRIO POR PROCESSOS com Diagnóstico- AIS/LCA.RDID, Prognóstico-AIS/LCA.RO e Tratamentos de RDID a RO e a PRÁTICA DE GESTÃO SISTÊMICA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE CUSTOS DECISORIAIS POR PROCESSOS DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDEPGSPCCDPIS. a-Navegador Orçamentário por Processos das Instituições de Saúde Consistem de análises, sistematizações e consolidações das estatísticas disponíveis do Setor de Saúde dos EUA para disponibilizar as modelagens, conforme perfis epidemiológicos determinantes dos *Programas-AIS/LCA(EM articulados com *Recursos-AIS/LCA(INVESTIMENTOS, RECURSOS UNIDADES ESPECÍFICAS EQUALIZADAS COM UNIDADE HOMOGÊNEA) HUMANOS/EQUIPE E CARGO-FUNÇÃO, DEMAIS RECURSOS), *Custos por Processos-AIS/LCA(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA), *Receitas por Fontes(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA) e *Desempenhos(Resultado, Valor Agregado e Níveis de Desbalanceamentos, Inadequações e Desarticulações dos Recursos alocados). Essas modelagens configurarão *DIAGNÓSTICOS-AIS/LCA.RDID, *PROGNÓSTICOS-AIS/LCA.RO(BENCHMARK) e *TRATAMENTOS DE AIS/LCA.RDID à AIS/LCA.RO(BENCHMARKINGS). b-Personalização e Disponibilização do Aplicativo PGSPCCDPIS Esse aplicativo deve contemplar linguagem moderna e a legislação vigente nos EUA para, a partir do sexto mês, ser instalado nas Instituições de Saúde dos EUA. Essa ferramenta é um integrado e integrador que viabiliza a visualização entrelaçada das informações numerológicas equalizadas e destaca os indicadores de eficiência e eficácia econômica. Como é uma ferramenta de planejamento e controle, permite simulações ou jogo de empresas. c-Recursos Humanos Necessários e Suficientes O quadro a seguir explicita a Equipe-Âncora INTERNALIZADORA DA METODOLOGIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE. Essa equipe deverá contar com EQUIPE-INTERFACE DOS EUA DE 30 PROFISSIONAIS DA SAÚDE. HORAS/FASE FASE-I6 MESES O O CARGOS-FUNÇÕES N. HORASN . % S/TOT *COORDENADOR ANALISTA FORMULADOR-SIMULADOR DOS PROCESSOS TÉCNICO-OPERACIONAIS INTEGRADOS COM OS ECONÔMICO-FINANCEIROS RESPECTIVOS 1 1.970 19,40% *ASSISTENTE MÉDICO INTEGRADOR DOS PROTOCOLOS TÉCNICOS INTEGRADOS COM OPERACIONAIS RESPECTIVOS. 1 1.364 13,43% *ASSISTENTE ENGENHEIRO ANALISTA INTEGRADOR DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES COM PROGRAMAS-AIS/LCA RESPECTIVOS. 1 1.364 13,43% *ANALISTA DE SISTEMAS SÊNIOR DE LINGUAGEM MODERNASUPERVISOR 1 1.364 13,43% *ANALISTA DE SISTEMAS PLENO DE LINGUAGEM MODERNA 3 4.091 40,30% TOTAL 7 10.151 100,0% 4.2-Fase-II12 meses Nessa fase foca internalizar a METODOLOGIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MOIS(MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE) em 5.153 Profissionais da Saúde dos EUA, através de cursos 7 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  9. 9. apropriados. Simultaneamente, instalar-se-á o aplicativo PGSPCCDPIS(PRÁTICA DE GESTÃO SISTÊMICA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE CUSTOS DECISORIAIS POR PROCESSOS DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE) para processamentos entrelaçados equalizados com unidade homogênea. Também, montam-se os Núcleos de Suporte à distância - com Analistas de Sistemas e Analistas Integradores. a-Cronograma Físico da Internalização da Nova Metodologia e da Instalação do Aplicativo PGSPCCDPIS Os cursos estão modelados para serem ministrados à distância com parte presencial destinada às consolidações necessárias - através de workshops do tipo RIT(REUNIÃO INTERATIVA DE TRABALHO). Nessa fase disponibilizar-se-á: *4.415 Facilitadores Gerais, *642 Facilitadores de Suporte e *96 Consultores de Suporte. Esses 5.153 Profissionais, com as novas competências, viabilizam a operacionalização das INSTITUIÇÕES DE SAÚDE respectivas com a Cultura de Gestão de Custos por Setor, Procedimento e Patologia. Os alunos que não passarem, integrarão turmas subsequentes. As INSTITUIÇÕES DE SAÚDE desses alunos são contempladas com instalação do aplicativo PGSPCCDPIS(PRÁTICA DE GESTÃO SISTÊMICA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE CUSTOS DECISORIAIS POR PROCESSOS DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE) para processamentos entrelaçados, com suas participações. Além disso, montam-se os Núcleos de Suporte a distância com Analistas de Sistemas e de Analistas Integradores. Com essas novas competências internalizadas, as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE serão operacionalizadas com seus Navegadores Orçamentários por Processos(DIAGNÓSTICO-IS1.RDID2, PROGNÓSTICO-IS.RO3 E TRATAMENTOS DE RDID A RO), com simulador. Esses primeiros 5.153 profissionais representam cerca de 2% do total a ser instrumentalizado com essas novas competências. Mas, a abrangência será de 14%, pelo menos, em termos RECURSOS ALOCADOS NO SETOR DE SAÚDE. 1 2 3 Notas: IS=Instituição de Saúde; RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulados – parametrizados; RO= Recursos Otimizados com Qualidade Máxima, Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas. DISCRIMINAÇÃO ANO 1 ANO 2 ANO 3 ANO 4 ANO 5 1-CURSO DE PRÉ-QUALIFICAÇÃOFACILITADOR GERALN0. 4.415 17.661 57.399 136.875 236.220 0 2-CURSO DE QUALIFICAÇÃOFACILITADOR DE SUPORTEN . 642 2.569 8.349 19.909 34.359 3-CURSO DE ESPECIALIZAÇÃOCONSULTOR DE SUPORTEN0. 96 385 1.252 2.986 5.154 TOTAL DE PROFISSIONAIS COM NOVAS COMPETÊNCIASN0. 5.154 20.616 67.000 159.770 275.733 *PARTICIPAÇÃO % SOBRE TOTAL DE PROFISSIONAIS 1,9% 7,5% 24,3% 57,9% 100,0% *PARTICIPAÇÃO % SOBRE TOTAL DE RECURSOS ALOCADOS 14,0% 41,1% 66,8% 87,5% 100,0% b-Recursos Humanos Necessários e Suficientes São os mesmos da Fase-I, em período de doze meses. O quadro a seguir explicita a Equipe INTERNALIZADORA DA METODOLOGIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MOIS(MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE). A EQUIPE-INTERFACE DOS EUA DE 30 PROFISSIONAIS DA FASE-I deve continuar nesta fase. Mas, têm suas atribuições ampliadas para participarem fazerem monitoramentos dos Alunos x Cursos e Alunos x Implantações em suas INSTITUIÇÕES DE SAÚDE. HORAS/FASE FASE-II12 MESES NO . HORASNO. CARGOS-FUNÇÕES % S/TOT *COORDENADOR ANALISTA FORMULADOR-SIMULADOR DOS PROCESSOS TÉCNICO-OPERACIONAIS INTEGRADOS COM OS ECONÔMICO-FINANCEIROS RESPECTIVOS 1 3.924 19,43% *ASSISTENTE MÉDICO INTEGRADOR DOS PROTOCOLOS TÉCNICOS INTEGRADOS COM OPERACIONAIS RESPECTIVOS. 1 2.712 13,43% *ASSISTENTE ENGENHEIRO ANALISTA INTEGRADOR DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES COM PROGRAMAS-AIS/LCA RESPECTIVOS. 1 2.712 13,43% *ANALISTA DE SISTEMAS SÊNIOR DE LINGUAGEM MODERNASUPERVISOR 1 2.712 13,43% *ANALISTA DE SISTEMAS PLENO DE LINGUAGEM MODERNA 3 8.136 40,29% TOTAL 7 20.196 100,0% 4.3-Fase-III18 meses É nessa fase que ocorrem as disponibilizações e implantações dos demais módulos integrados e integradores do GESTORIS - com consolidação dos Núcleos de Suporte. a-Módulos Integrados e Integradores do GESTORIS Na medida em que se conclui cada MÓDULO INTEGRADO INTEGRADOR DO GESTORIS - começa as implantações respectivas nas IS. Estima-se em cerca de 194 PRÁTICAS GERENCIAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE – que em, em conjunto, abrigam FINALIDADE, ÂMBITO, APLICAÇÃO, CONCEITUAÇÃO, ESTRUTURA ORGANIZACIONAL, ESTRUTURA 8 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  10. 10. NORMATIVA, FLUXOGRAMA SINTÉTICO, FLUXOGRAMA ANALÍTICO, ROTINAS, NORMAS, FORMULÁRIOS, RELATÓRIOS, ARQUIVAMENTOS, RECUPERAÇÕES, SOFTWARES E DOCUMENTAÇÃO DE INFORMÁTICA. Essas PRÁTICAS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE contemplam as LEIS-DE-FORMAÇÃO contidas nos PROCESSOS DOS PROTOCOLOS TÉCNICO-OPERACIONAIS DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE/LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(REFERÊNCIAS E CONTRA-REFERÊNCIAS). Estas convergem para aplicativos integrados e integradores de processamentos múltiplos e simultâneos das complexidades dinâmicas e de detalhes das INSTITUIÇÕES DE SAÚDE dos EUA. a01-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção Básica; a02-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção em Ambulatório de Especialidades; a03-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Unidades de Programas Especiais; a04-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção de EmergênciaUrgência; a05-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Internações em Enfermarias; a06-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Internações Especiais; a07-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção em Centros Cirúrgicos; a08-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção em Centros Gineco-Obstétricos; a09-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nos Serv. Auxiliares aos Diagnósticos e Terapêuticos; a10-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Ensino nos Ambientes de Assistência; a11-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Pesquisa nos Ambientes de Assistência; a12-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Unidades de Apoio Direto; a13-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Unidades de Apoio Indireto e a14-Sistema de Gestão de Planejamento e Controle de Atenção nas Unidades de Administração Geral. b-Recursos Humanos Necessários e Suficientes Nessa fase as equipes das fases I e II são acrescidas em 15 analistas de sistemas. O quadro a seguir explicita a Equipe INTERNALIZADORA DA MEDOLOGIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO SUSTENTÁVEL DA ADMINISTRAÇÃO COM MOIS(MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE). A EQUIPE-INTERFACE DOS EUA DE 30 PROFISSIONAIS DA FASE-III deve continuar nesta fase. Além disso, é quase certo a necessidade de um ou dois analistas de sistemas dos EUA em cada equipe para trabalhar em conjunto e assimilar as nuances de cada módulo como integrado e integrador. HORAS/FASE FASE-III18 MESES NO . HORASNO. CARGOS-FUNÇÕES % S/TOT *COORDENADOR ANALISTA FORMULADOR-SIMULADOR DOS PROCESSOS TÉCNICO-OPERACIONAIS INTEGRADOS COM OS ECONÔMICO-FINANCEIROS RESPECTIVOS 1 5.869 6,45% *ASSISTENTE MÉDICO INTEGRADOR DOS PROTOCOLOS TÉCNICOS INTEGRADOS COM OPERACIONAIS RESPECTIVOS. 1 4.051 4,45% *ASSISTENTE ENGENHEIRO ANALISTA INTEGRADOR DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES COM PROGRAMAS-AIS/LCA RESPECTIVOS. 1 4.051 4,45% *ANALISTA DE SISTEMAS SÊNIOR DE LINGUAGEM MODERNASUPERVISOR 5 20.253 22,27% *ANALISTA DE SISTEMAS PLENO DE LINGUAGEM MODERNA 14 56.707 62,36% TOTAL 22 90.929 100,0% 5-Elucidações Complementares 5.1-Referenciais de PIBs x Demandas-AIS1.RO2 x Ofertas-AIS.RDID3 x Exclusões de Vidas com AIS x Taxa de Cobertura em 2009, 2019 e 2029 1 2 Notas: AIS=Ações Integrais de Saúde; RO=Recursos Otimizados com Qualidade Máxima, Custos Médios Mínimos 3 e Remunerações Dignas; RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulas – parametrizados. Discriminação 2009 2019 2029 RDID RO RDID RO RDID a)PIB DOS EUA - EM BILHÃO DE US$09 14.227,642 18.495,935 18.495,935 24.044,715 24.044,715 a1-US$09/HABITANTE 46.415 55.449 55.449 66.678 66.678 a2-VARIAÇÃO % *** 19,46% 19,46% 20,25% 20,25% b)REFERENCIAIS DAS DEMANDAS-AIS.RO b1-DEMANDAS-AIS EM VIDASN0.- EM MILHÃO 306,529 333,569 333,569 360,609 360,609 b2-RECEITAS DAS DEMANDAS-AIS - EM BILHÃO DE US$09 4.782,147 3.211,870 6.216,182 2.103,913 8.027,147 I-PARTICIPAÇÃO DA SAÚDE NO PIB - EM % 33,61% 17,37% 33,61% 8,75% 33,38% b3-US$09/VIDA-ANO DAS DEMANDAS-AIS DA COBERTURA REAL 15.601 9.629 18.635 5.834 22.260 c)REFERENCIAIS DAS OFERTAS-AIS.RDID c1-OFERTAS-AISN0.DE VIDAS - EM MILHÃO 160,328 333,569 232,426 360,609 251,267 9 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  11. 11. Discriminação 2009 2019 2029 RDID RO RDID RO RDID c2-RECEITAS DAS OFERTAS-AIS.RDID - EM BILHÃO DE US$09 2.501,274 3.211,870 4.331,338 2.103,913 5.593,190 II-PARTICIPAÇÃO DA SAÚDE NO PIB - EM % 17,58% 17,37% 23,42% 8,75% 23,26% c3-US$09/VIDA-ANO DAS OFERTAS-AIS.RDID DA COBERTURA REAL 15.601 9.629 18.635 5.834 22.260 d)REFERENCIAIS DAS EXCLUSÕES DE VIDAS COM AIS d1-EXCLUSÕES DE VIDAS COM AIS - EM MILHÃO 146,201 0,000 101,143 0,000 109,342 d2-RECEITAS DAS OFERTAS-AIS.RDID - EM BILHÃO DE US$09 2.280,872 0,000 1.884,844 0,000 2.433,957 III-PARTICIPAÇÃO DA SAÚDE NO PIB - EM % 16,03% 0,00% 10,19% 0,00% 10,12% d3-US$09/VIDA-ANO DAS OFERTAS-AIS.RDID DA COBERTURA REAL 15.601 9.629 18.635 5.834 22.260 e-CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA - EM BILHÃO DE US$09 6.686,749 0 4.625,974 0 5.000,974 5.2-AIS são Direitos ou Deveres da Vida-Cidadã? Essa discussão, no âmbito da Administração, é falaciosa porque inexiste embasamentos norteadores. As posturas de Administração são fundamentadas nos indicadores de EFICIÊNCIA(Visão da Instituição de Saúde) e EFICÁCIA(Visão da Vida- Cidadã) técnico-operacionais entrelaçados com os econômico-financeiros respectivos - de cada INSTITUIÇÃO DE SAÚDE. Na visão das GESTÕES-RDID QUE É FOCADA NO FINANCEIRO, essa é uma discussão ideológica visando a preponderância da iniciativa privada desorbitada, frequentemente, avançando com posturas expropriativas nas instituições públicas e filantrópicas. Na Administração com MOIS(Modelo Operacional de Instituições de Saúde) é uma questão de semântica - porque as ações integrais de saúde(AIS) são “DIREITO e DEVER” da Vida-Cidadã. Essas Vidas devem ter suas necessidades de AIS supridas – por serem básicas e alavancar as demais atividades da sociedade e, simultaneamente, devem incorrer nas contraprestações necessárias e suficientes à manutenção atualizada da SAÚDE ECONÔMICO-FINANCEIRA DE PERENIDADE das INSTITUIÇÕES DE SAÚDE. É determinístico e determinante que as INSTITUIÇÕES DE SAÚDE, PÚBLICAS E PRIVADAS(COM E SEM FINS LUCRATIVOS), sejam operacionalizadas com os processos de seus protocolos. Estes devem contemplar, simultaneamente - “excelência no produto”, “excelência operacional” e “excelência no cliente”. O “mutuamente exclusivo”, típico do MODELO OPERACIONAL DE INDÚSTRIACOMÉRCIO, não é aplicável nas INSTITUIÇÕES DE SAÚDE. Está implícito que os sistemas governamentais e particulares devem atender suas populações com eficiência e eficácia técnico-operacional e econômico-financeira. Em caso contrário, é determinante que os sistemas insatisfatórios sejam readequados e revitalizados eou incorporados eou substituídos. Logo, é pouco provável poder se tomar ao pé da letra que AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE possam ser responsabilidade pessoal. Os processos dos protocolos técnico-operacionais entrelaçados com os econômico-financeiros respectivos, operacionalizados conforme perfis epidemiológicos das populações(INFANTIL, ADULTO, GESTANTE E TERCEIRA IDADE) - passam ao largo das percepções objetivas das vidas-cidadãs. Estamos falando de PLANEJAMENTOS, IMPLANTAÇÕES, OPERACIONALIZAÇÕES e READEQUAÇÕES de *Progrmas- AIS/LCA1(em unidades específica equalizadas com unidade homogênea) entrelaçados com *Recursos-AIS/LCA(Investimentos, Recursos Humanos/Equipe e Cargo-Função, Demais Recursos), *Custos por Processos-AIS/LCA(indicadores de eficiência econômica), *Receitas por Fontes-AIS/LCA(indicadoras de eficácia econômica) e *Desempenhos-AIS/LCA(Resultados, Valor Agregado e Níveis-RDID). Lembrando que os Programas-AIS/LCA devem ser os necessários e suficientes ao atendimento pleno das Demandas-AIS/LCA. Para isso, há que se contar com competências altamente especializadas e, adequadamente, internalizadas no Setor de Saúde. São inteligências atualizadas e dinâmicas com visão profissional de disponibilização de AIS/LCA – que são distintas das Vidas-Cidadãs demandantes de AIS/LCA. Nesse caso, o foco é o de Usuário e Pagante(DIRETO EOU INDIRETO). 1 Nota: AIS/LCA=Ações Integrais de Saúde/Linhas de Cuidados Assistenciais(referências e contra-referências). A Vida-Cidadã, por exemplo, DEMANDA o exame de ressonância magnética sem a necessidade de saber que o perfil epidemiológico carece de um Setor de Ressonância Magnética para 497.250 habitantes; DEMANDA a consulta médica de clínico geral sem saber que sua abrangência pode ser de até 7.296 Vidas/Ano ou que a sociedade carece de um médico para cada 733 habitantes(Assistência com Ensino e Pesquisa); DEMANDA re-vascularização típica de adulto sem saber que os processos dos protocolos respectivos exigem um Sala Cirúrgica cujos investimentos são, em média, de R$08 1,842 milhão(EDIFICAÇÕES, EQUIPAMENTOS, CAPITAL DE GIRO) e que a cirurgia demandará cerca de 5(CINCO) horas com 7(SETE) profissionais(1º.Cirurgião, 2º.Cirurgião, Anestesiologista, Médico para Circulação Extra-Corpórea, Médico para Auto- Transfusão, Enfermeiro Instrumentador e Auxiliar de Higienização). Também não sabe que são necessárias duas salas dessas para atender 497.250 habitantes. Essa lista de exemplos situa-se em torno de 6.000 procedimentos utilizados nos tratamentos de cerca de 22.000 patologias. Portanto, fiquemos por aqui. 5.3-Demandas-AIS x Ofertas-AIS x Exclusões de Vidas com AIS x Taxa de Cobertura nos EUA 10 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  12. 12. O quadro a seguir ilustra o impacto dessa discussão típica dos GESTORES-RDID que, ao que parece, não sentem desconfortos nas inaceitáveis Exclusões de Vidas com AIS e CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA. Talvez estejamos diante de posturas da máxima: A IGNORÂNCIA É UMA BÊNÇÃO. Ao que tudo indica o Setor de Saúde dos EUA conta com MAIS RECURSOS ALOCADOS do que são necessários e, mesmo assim sinaliza EXCLUIR 146,2 MILHÕES de Vidas com AIS(46% do Total). Na percepção dos GESTORES-RDID alocam-se RECURSOS que CUSTAM US$09 8.160/Vida-Ano mas, na verdade, CUSTAM US$09 15.601/Vida-Ano - porque a cobertura sinalizada é de 52,3% – sem computar o CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA. Assim, para que os EUA atenda seus 306,53 milhões de Vidas com AIS, tudo o mais permanecendo constante, carece de US$ 09 4,782 trilhões ou 33,61% do PIB09. Para tornar mais amigável os entendimentos das DIMENSÕES DAS AMARRAS DO SETOR DE SAÚDE DOS EUA, façamos uma leitura do quadro: 1 2 3 AIS .RDID 2009 AIS.RO 2029 DISCRIMINAÇÃO % RO/RDID 1-RECURSOS NO MERCADO DE SERVIÇOS – EM BILHÃO DE US$09 2.501,27 2.103,91 -15,89% 2-OFERTAS-AIS – N0.EM MILHÃO DE VIDAS 160,33 360,61 124,92% I-US$09/VIDA COM AIS – EM US$09 15.600,98 5.834,32 -62,60% 3-CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA – EM BILHÃO DE US$09 6.686,75 0,00 -100,00% 4-RECURSOS ALOCADOS+CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA – EM BILHÃO DE US$09 9.188,02 2.103,91 -77,10% II-US$09/VIDA COM AIS – EM US$09 57.307,64 5.834,32 -89,82% 1 2 Notas: AIS=Ações Integrais de Saúde; RDID2009=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulas – parametrizados; 3 RO2029=Recursos Otimizados com Qualidade Máxima, Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas Parece claro que o resgate do Setor de Saúde dos EUA com eficiência e eficácia técnico-operacional e econômico- financeira demandará os próximos 20(vinte) anos com novo paradigma de Administração. Referenciais de Demandas-AIS x Ofertas-AIS x Exclusões de Vidas com AIS x Taxa de Cobertura – nos EUA Discriminação Demandas-AIS Ofertas-AIS Exclusões-AIS Taxa de NoMilhão % s/Tot NoMilhão % s/Tot NoMilhão % s/Tot Cobertura 1-População sem Seguro-Saúde 47,000 15,33% 0,000 0,00% 47,000 32,15% 0,00% 2-MedicareSeguro Saúde Federal p/3a.Idade 43,000 14,03% 20,425 12,74% 22,575 15,44% 47,50% 3-MedicaidPop.Pobre e Dontes Crônicos ou Deficientes Financiado pelos Governos Federal e Estados 59,000 19,25% 30,975 19,32% 28,025 19,17% 52,50% 4-População com Seguro-Saúde Financiada por Empresas 152,931 49,89% 105,275 65,66% 47,656 32,60% 68,84% 5-População Particular 4,598 1,50% 3,653 2,28% 0,945 0,65% 79,45% TotalEUA-2009 306,529 100,0% 160,328 100,0% 146,201 100,0% 52,30% % Sobre Total 100,0% *** 52,30% *** 47,70% *** *** 6-Orçamento-2009 para SaúdeGoverno Obama 2.501.274 17,58% do PIB-EUA *** *** *** a-US$/Vida-Ano 8.160 *** 15.601 *** 0 *** 52,30% Fontes: 1-http://www.indexmundi.com; 2-http://www.census.gov; 3-BD-SIATOEF(dados primários e derivados); 4-Folha de S. Paulo: A11 de 27fev09Obama propõe Orçamento quot;Robin Hoodquot;, A15 de 03mar09O Plano de Obama para a Saúde, A14 de 06mar09Em cúpula, Obama defende urgência de reformar saúde. Que a grande lição do momento seja metabolizada. Hoje temos uma percepção mais generalizada de que focar lucros no curto prazo e especular em bolsa é posturas pouco éticas e resultam em efeitos contrários e encerra efeitos multiplicadores. O que dizer daqueles que compraram, leram livros e aplaudiram os chamados oráculos do sucesso. Agora imagine essas posturas no Setor de Saúde que têm efeitos silenciosos mais devastadores em toda a sociedade. 5.4-Recursos na Saúde mais Custo Saúde no Custo-EUA2009, 2019 e 2029 – nos Cenários de AIS1.RDID2 e AIS.RO3 1 2 Notas: AIS=Ações Integrais de Saúde; RDID=Recursos Desbalanceados, Inadequados e Desarticulas – parametrizados; 3 RO=Recursos Otimizados com Qualidade Máxima, Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas Enquanto não temos detalhes do Grupo de Trabalho do Plano de Obama para a Saúde, consolidemos as informações já referenciadas considerando RECURSOS ALOCADOS NA SAÚDE MAIS DESECONOMIAS GERADAS PELA SAÚDE em dois cenários numerológicos para 2019 e 2029, para comparar com 2009, ou seja: 1-O resultante dos processos de modernização de sua operacionalização com as melhores posturas de Administração com MOIS(MODELO OPERACIONAL DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE); 2-O resultante da continuação das GESTÕES-RDID com MOIC(MODELO OPERACIONAL DE FOCADA NO FINANCEIRO. INDÚSTRIACOMÉRCIO), 11 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  13. 13. As Ofertas-AIS sinalizam RECURSOS(NO MERCADO DE SERVIÇOS) que custam US$09 2,501 TRILHÕES/ANO e atende até 160,328 de Vidas com AIS. Assim, têm-se EXCLUSÕES de 146,201 MILHÕES de Vidas com AIS – que geram DESECONOMIAS aos DEMAIS SETORES da ordem de US$09 6,687 TRILHÕES/ANO. São amarras indicadoras de que os EUA também ignoram a máxima surgida com a criação da ONU: ADMINISTRAR SAÚDE É UMA BOA FORMA DE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO. Fazendo-se o QUE DEVE SER FEITO, o Setor de Saúde dos EUA chegará em 2019 sem as inaceitáveis Exclusões de Vidas com AIS e respectivo Custo Saúde no Custo-EUA. Além disso, os Recursos necessários e suficientes para Assistência com Ensino e Pesquisa custará US$ 09 3,212 TRILHÕES/ANO, sem Exclusões e Custo Saúde no Custo- EUA, com CUSTO MÉDIO de US$09 9.629/Vida-Ano. Esse custo médio corresponde a 16,8% do de 2009(RECURSOS ALOCADOS+CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA). Nos cenários de AIS.RO todos ganham – inclusive os Planos Privados que terão seus LUCROS absolutos aumentados. A consolidação final só ocorrerá nos dez anos subsequentes. Restam inchaços que só podem ser eliminados com o tempo e ampliação do atendimento. Assim, a Saúde representará cerca 8,75% do PIB com CUSTO MÉDIO de US$09 5.834/Vida-Ano ou 10,18% do de 2009 ou 15,14% de 2019RDID ou 60,59% de 2019RO. DISCRIMINAÇÃO 2009 2019 2029 1 2 RDID RO RDID RO RDID *RECURSOS NA SAÚDE+DESECONOMIAS DA SAÚDE – EM BILHÃO DE US$09 9.188,023 3.211,870 8.957,312 2.103,913 10.594,164 3 *VIDAS ATENDIDAS COM AIS N0. EM MILHÃO 160,328 333,569 232,426 360,609 251,267 *RECEITAS DAS OFERTAS-AIS.RDID - EM BILHÃO DE US$09 2.501,274 3.211,870 4.331,338 2.103,913 5.593,190 *US$09/VIDA-ANO DAS OFERTAS-AIS.RDID DA COBERTURA REAL 15.601 9.629 18.635 5.834 22.260 *VIDAS EXCLUÍDAS COM AISN0. EM MLHÃO 146,201 0,000 101,143 0,000 109,342 *US$09/VIDA COM AIS – EM US$09 57.308 9.629 38.538 5.834 42.163 *VARIAÇÃO PERCENTUAL EM RELAÇÃO A US$09/VIDA COM AIS DE 2009 100,00% 16,80% 67,25% 10,18% 73,57% *CUSTO SAÚDE NO CUSTO-EUA - EM BILHÃO DE US$09 6.686,749 0 4.625,974 0 5.000,974 1 2 Notas: RDID=RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS – PARAMETRIZADOS; RO=RECURSOS OTIMIZADOS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS 3 MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS(BENCHMARK); AIS=AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE. Caso o Setor de Saúde dos EUA continue fazendo O QUE PODE SER FEITO através das GESTÕES-RDID chegará em 2019 com RECURSOS ALOCADOS que CUSTARÃO US$09 4,331 TRILHÕES/ANO(73,165% MAIOR QUE O ATUAL) – com CUSTO MÉDIO de US$09 18.635/Vida-Ano(19,45% MAIOR QUE O ATUAL OU 93,54% MAIOR DO QUE O NECESSÁRIO E SUFICIENTE). Nesse cenário, ainda amargará Exclusões de 101,143 MILHÕES de Vidas com AIS(30,8% MENOS QUE A ATUAL) com Custo Saúde no Custo-EUA de US$09 4,626 TRILHÕES/ANO. Ao final, contará com a saída honrosa de que os CUSTOS DOS RECURSOS alocados mais o CUSTO SAÚDE NO CUSTO- EUA foi reduzido em 2,51%(US$09 230,711 bilhões/ano). Além disso, atende-se 72,088 de Vidas com AIS a mais que em 2009, sendo: *62,5%ELIMINAÇÃO DE EXCLUSÕES EXISTENTES EM 2009 e *37,5%ABSORÇÃO DO CRESCIMENTO POPULACIONAL. A partir daí, será visível a degradação do SETOR DE SAÚDE pelo CÍRCULO VICIOSO das GESTÕES-RDID. É quase certo que chegaremos em 2029 numa situação crítica pior que a de 2009. É a tal da profecia auto-realizável. 6-AnexosDiagramas de Alguns Aspectos da Metodologia de Gestão de Desempenho Sustentável da Administração com Modelo Operacional de Instituições de Saúde ******************************************* 12 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  14. 14. 6a-PROGRAMAS-IS ENTRELAÇADOS COM RECURSOS-IS, CUSTOS-IS, RECEITAS-IS E DESEMPENHOS-IS PROCESSAMENTOS MÚLTIPLOS E SIMULTÂNEOS NOS MERCADOS DE FATORES E DE SERVIÇOS 1 PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO IMPLANTAÇÃO IMPLANTAÇÃO OPERAÇÃO OPERAÇÃO READEQUAÇÕES READEQUAÇÕES 2 VISÃO VISÃO MISSÃO MISSÃO GARGALOS GARGALOS DIRETRIZES DIRETRIZES OBJETIVOS OBJETIVOS METAS METAS 3 DIAGNÓSTICOMISSÃO0 PROGNÓSTICOVISÃON TRATAMENTOS1 a N-1 Aspectos Técnicos QUE PROCEDIMENTOS-AIS/LCA SÃO DISPONIBILIZADOS E NECESSÁRIOS, PARA QUAIS VIDAS, ONDE E COMO Aspectos Operacionais INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIOS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Administrativos FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIAS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Econômico-Financeiros DEMANDAS, OFERTAS, RECURSOS, CUSTOS POR PROCESSOS, RECEITAS E DESEMPENHOS DOS PROGRAMAS-AIS/LCA - DE RDID0 A RON 13 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  15. 15. 6b-ENTRELAÇAMENTOS DAS OFERTAS-IS E DEMANDAS-IS NOS MERCADOS DE FATORES E DE SERVIÇOS O CICLO VIRTUOSO da Administração contempla os PROCESSOS QUE VISAM SAÚDE ECONÔMICO-FINANCEIRA DE PERENIDADE. Para isso, naturalmente, terá de lidar com as distinções das ações gerenciais inerentes às OFERTAS-IS e DEMANDAS- IS nos seus MERCADOS de SERVIÇOS e de FATORES. Para ilustrar esses entrelaçamentos, resgatamos a matéria estudada em meados da década de 60 com o livro do mesmo do mesmo nome, “Introdução à Análise Econômica”(Agir-1963) do notável economista Paul Anthony Samuelson. Assim, pudemos fazer uma adaptação das articulações das OFERTAS e DEMANDAS de AIS nos MERCADOS DE FATORES E DE SERVIÇOS. A visualização dos entrelaçamentos das entidades econômicas, com as instituições de saúde, nos mercados de fatores e de serviços é referenciada a seguir. Ressalte-se - que as leituras sobre as entidades econômicas são diretas, ou seja: *Família, instituições sem fins lucrativos; *Empresa, instituições com fins lucrativos; *Resto do Mundo, conjunto de instituições(Família, Empresa, Governo) de outros países; *Governo, conjunto de instituições atenuadoras de conflitos entre Família, Empresa e Resto do Mundo. OFERTAS DEMANDAS MERCADO DE SERVIÇOS CONTRAPRESTAÇÕES ÀS DEMANDAS DOS PROGRAMAS-AIS PV = CT + EF + LUCRO OFERTAS DOS PROGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DE SAÚDE DISPONIBILIZAÇÃO DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE ENTIDADES ECONÔMICAS: GOVERNO INSTITUIÇÕES DE SAÚDE REALIZA- DORAS DOS PROCEDIMENTOS DAS EMPRESA FAMÍLIA LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCI- AISAÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE RESTO DO MUNDO INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS, DEMAIS RECURSOS REMUNERAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS, DEMAIS RECURSOS E DOS INVESTIMENTOS: CT = RHMÉD + RHENF + RHMULTDIR + RHMULTINDIR + DD + DI + DR + RI MERCADO DE FATORES OFERTAS DEMANDAS 14 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  16. 16. 6c-Articulações Básicas de Administração de Transição As readequações não significativas são aquelas consideradas ajustes típicos de manutenção preventiva eou corretiva. As readequações aqui tratadas são as indicadas para eliminar o peso maior das DESVANTAGENS sobre as VANTAGENS. Estamos falando de Cenários-IS.RDID em estágios comprometedores de sua saúde econômico- financeira de perenidade – sinalizada pelos indicadores técnico-operacionais e econômico-financeiros respectivos. Nesses casos, a escala de Programas-IS e Qualidade-IS é insatisfatórios e agrava a relação RECEITA/CUSTO. Por isso, se fez as análises, sistematizações e consolidações em projeto aprovado, contemplando novos níveis de Programas-IS com qualidade satisfatória que restabelecem os resultados desejados. Em tais circunstâncias, geralmente, as READEQUAÇÕES E/OU EXPANSÕES, HORIZONTAIS E/OU VERTICAIS não devem atenuar os níveis de programas observados. A trajetória de TRANSFORMAÇÃO da IS.RDID em IS.RO, determina que os posicionamentos sejam convergentes para IS.RO. Assim, implementam-se soluções parciais que integram as definitivas. Em outras palavras, as pressões inerentes ao dia-a-dia da IS.RDID não devem mutilar a trajetória na direção da Visão-IS.RO. Geralmente, recomenda-se que as ações resolutivas de execução sejam confiadas a pessoas distintas. Uma dirige a IS.RDID e a outra as ações resolutivas de transformação, visando a IS.RO. Como a trajetória numerológica é conhecida, as defesas de posições são bem vindas. O acompanhamento pela Administração Geral, a quem cabe fazer novas escolhas – agregará valor ao processo de transição. Assim, todo o tempo e o tempo todo, implementam-se as melhores posturas proativas e propositvas de Administração de Transição com a eliminação dos desbalanceamentos, inadequações e desarticulações dos recursos alocados – em tempo hábil. VANTAGENS NOS CENÁRIOS DESVANTAGENS IS.AIS.RON DE IS-AIS.RON MISSÃO-IS, GARGALOS-IS E DIRETRIZES PARA METAS E OBJETIVOS NA DIREÇÃO DA VISÃO-IS OU PROGRAMAS-IS ENTRELAÇADOS COM RECURSOS-IS, CUSTOS POR PROCESSOS- IS, RECEITAS-IS E DESEMPENHOS-IS – NO TEMPO. CENÁRIOS-IS.RON ADMINISTRAÇÃO RDID1aNRON RDID1aNRO N DE TRANSIÇÃO -1 CENÁRIOS-IS.RDID0 MISSÃO-IS, GARGALOS-IS E DIRETRIZES PARA METAS E OBJETIVOS NA DIREÇÃO DA VISÃO-IS OU PROGRAMAS-IS ENTRELAÇADOS COM RECURSOS-IS, CUSTOS POR PROCESSOS- IS, RECEITAS-IS E DESEMPENHOS-IS – NO TEMPO. DESVANTAGENS NOS VANTAGENS IS.AIS.RDID0 CENÁRIOS DE IS-AIS.RDID0 15 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  17. 17. 6d-Navegador Orçamentário por Processos 1-Aspectos Técnico-Operacionais Entrelaçados com os Econômico-Financeiros Respectivos Observe que a Metodologia-SIATOEF é inovadora porque contempla convergência de Métodos com modelagens de processamentos integrados e integradores. Trata-se de Metodologia que faz os entrelaçamentos das Instituições de Saúde como instituições de conhecimentos – em conformidade com os processos de seus protocolos técnico-operacionais e conceitos universais validados. DIAGNÓSTICOMISSÃO0 PROGNÓSTICOVISÃON TRATAMENTOS1 a N-1 Aspectos Técnicos QUE PROCEDIMENTOS-AIS/LCA SÃO DISPONIBILIZADOS E NECESSÁRIOS, PARA QUAIS VIDAS, ONDE E COMO Aspectos Operacionais INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIOS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Administrativos FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIAS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Econômico-Financeiros DEMANDAS, OFERTAS, RECURSOS, CUSTOS POR PROCESSOS, RECEITAS E DESEMPENHOS DOS PROGRAMAS-AIS/LCA - DE RDID0 A RON PROGRAMAS-AIS/LCA PROGRAMAS-AIS/LCA RECURSOS RECURSOS HUMANOS HUMANOS INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS DESPESAS DIRETAS DESPESAS DIRETAS DESPESAS NDIRETAS DESPESAS INDIRETAS CUSTOS CUSTOS RECEITAS RECEITAS INDICADORES INDICADORES 16 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  18. 18. 2-Operacionalização da Missão, Diretrizes, Objetivos e Metas – em Cenários Numerológicos MISSÃO-IS com GARGALOS-IS especificados, quantificados e configurados como METAS-IS e OBJETIVOS-IS - conforme DIRETRIZES-IS na direção da VISÃO-IS. Passo-1 ATENÇÃO BÁSICA DEMANDAS-LCA/IS; DEMANDAS-AIS.RO POR DST, REGIÃO E UF. AT.EM AMBUL.DE ESPECIALIDADES AT.EM PROGRAMAS ESPECIAIS Passo-2 AT.DE EMERGÊNCIAURGÊNCIA OFERTAS-LCA/IS; OFERTAS-AIS.RDID POR AT.NAS INTERNAÇÕESENFERMARIA DST, REGIÃO E UF(EM UNESP E UNEQV). AT.NAS INTERNAÇÕES ESPECIAIS Passo-3 ATENÇÃO EM CENTRO CIRÚRGICO CAPACIDADE INSTALADA DE LCA/IS E DE AT.CENTRO GINECO-OBSTÉTRICO AIS.RO POR DST, REGIÃO E UF EM UNESP E AT.SERV.AUX.DIAG.TERAPÊUTICOS UNEQV). ENSINO E PESQUISA NAS IS Passo-4 AT.NAS UNIDADES DE APOIO DIRETO DIRETRIZES GERAIS E ESPECÍFICAS TÉCNICAS, AT.NAS UNIDADE DE APOIO INDIRETO OPERACIONAIS, ADMINISTRATIVAS, ECONÔMI- CAS E FINANCEIRAS – ARTICULADAS COM DEMANDAS, OFERTAS CAPACIDADE E INSTALADA DE LCA/IS E DE AIS.RO POR DST, REGIÃO E UF EM UNESP E UNEQV). Passo-5 MAPEAMENTO DOS PONTOS DE ESTRANGULAMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS, ADMINISTRATIVOS, ECONÔMICOS E FINANCEIROS COM ESPECIFICAÇÕES E QUANTIFICAÇÕES DOS RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES ÀS REMOÇÕES RESPECTIVAS NO TEMPO. ASSIM, TÊM-SE A REDE DE PRECEDÊNCIA DAS AÇÕES ELIMINADORAS DOS GARGALOS NA DIREÇÃO DA VISÃO-IS. Passo-6 CONFORME DIRETRIZES-IS, ELABORAM-SE AS METAS-IS E OBJETIVOS-IS POR SETOR – ENTRELAÇANDO SINERGICAMENTE Passo-7 OS ASPECTOS TÉCNICO-OPERACIONAIS COM OS ECONÔMICO- FINANCEIROS RESPECTIVOS. Passo-8 DOS PASSOS DE “1” A “7” COM MODELAGENS DE NAVEGADOR ORÇAMENTÁRIO POR *CONSOLIDAÇÃO PROCESSOS – SEM MUTILAR CONCEITOS UNIVERSAS VALIDADOS CONTIDOS NOS PROCESSOS-IS; *LEIS DE FORMAÇÃO DE CUSTOS-IS APLICÁVEIS, MODELAGENS QUANTIFICADORAS, CRITÉRIOS DE RATEIOS DOS RECURSOS ALOCADOS NAS UNIDADES DE APOIO INDIRETO E NAS DE ENSINO E PESQUISA NAS IS E CRITÉRIOS DE APROPRIAÇÕES DOS RECURSOS ALOCADOS NAS UNIDADES DE APOIO DIRETO; *CRITÉRIOS DETERMINANTES DE UNEQV(HOMOGÊNEA) E DE EQUALIZAÇÃO DAS UNESP(HETEROGÊNEA); *LEIS-DE-FORMAÇÃO DE PREÇOS-IS APLICÁVEIS E MODELAGENS QUANTIFICADORAS; *PREÇOS DE MERCADOS E CRITÉRIOS DETERMINANTES DOS PREÇOS-IS – QUE MANTENHAM A INTEGRIDADE DOS PROCESSOS-IS E ASSEGUREM A SAÚDE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA IS; *REDE DE PRECEDÊNCIA DAS PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES – TÉCNICO-OPERACIONAIS ENTRELAÇADAS COM ECONÔMICO-FINANCEIRAS RESPECTIVAS; *SISTEMA DE INDICADORES DE DESEMPENHOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS, ADMINISTRATIVOS, ECONÔMICOS, FINANCEIROS E CONTÁBEIS – NECESSÁRIOS E SUFICIENTES; *CRITÉRIOS DAS MODELAGENS DE INTERNALIZAÇÕES DE VARIÁVEIS EXÓGENAS. 17 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  19. 19. 3-Monitoramento dos Cenários Numerológicos Observados x Estimados MISSÃO-IS com GARGALOS-IS especificados, quantificados e configurados como METAS-IS e OBJETIVOS-IS - conforme DIRETRIZES-IS na direção da VISÃO-IS. ORÇAMENTO DE OPERAÇÃO ORÇAMENTO DE EXPANSÃO ESTIMADOOBSERVADO ESTIMADOOBSERVADO Programas de Procedimentos de *Atenção Básica; *Ambulatório de Especialidades; *Programas Especiais; *EmergênciaUrgência; *Internações em Enfermaria; *Internações Especiais; *Centro Cirúrgico; *Centro GinecoObstétrico; *Serv. Aux. aos Diagnósticos e Terapêuticos; *Ensino e Pesquisa nas IS; *Apoio Direto e *Apoio Indireto – com unidades específicas(UnEsp) equalizadas com unidade homogênea(UnEquv). Recursos Humanos por Cargo-Função e Equipe: *Médica; *Enfermagem; *Multipro- fissional Direta e *Multiprofissional Indireta – com números equalizados com 40 horas/semana e explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. 1 Investimentos Readequações, Reposições e Aquisições: *Terrenos; *Edificações *Equipamentos(CLÍNICOS, CIRÚRGICOS, SADT, APOIO DIRETO, (OBRAS CIVIS, INSTALAÇÕES, MÓVEIS, ACESSÓRIOS); *Projetos(ARQUITETURAENGENHARIA - DIGITALIZADOS); *Capital de Giro; *Ferramentas DEMAIS); Administrativas; *RequalificaçõesEspecializações – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. 1 ATÉ O LIMITE DO FUNDO DE DEPRECIAÇÃO É CUSTEIO, E O EXCEDENTE É EXPANSÃO. Despesas Diretas: *Medicamentos e Drogas; *Gases Medicinais; *Materiais(CLÍNICOS, CIRÚRGICOS, LABORATORIAIS, ESPECIAIS); *Gêneros Alimentícios; ; *Roupas; *Materiais de EscritórioCPD; *Materiais de Limpeza; *Materiais de Manutenção; *Serviços Terceirizados; *Outras da mesma natureza – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. Despesas Indiretas: *Combustíveis; *Telefonia; *Energia Elétrica; *Água e Esgoto; *Impostos; *Taxas; *Multas; *Viagens e Estadias; *Campanhas Institucionais; *Serviços Terceirizados; *Outras de mesma natureza – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. Faturamentos por Fonte: *SUS; *SISTEMA-AMS(ASSISTÊNCIA MÉDICA SUPLEMENTAR=MEDICINA DE GRUPO + COOPERATIVAS MÉDICAS + PLANOS PRÓPRIOS DAS EMPRESAS + INSTITUIÇÕES DE AUTOGESTÃO EM SAÚDE + SEGURADORAS) e *Sistema-Particular – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. FinanceiroFluxo de Caixa: *Contas a Pagar; *Contas a Receber; *Movimento Bancário – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. Balanços: Balanço Patrimonial; Balanço de Resultados – explicitados conforme modelagens de Procedimento/Setor. 18 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS
  20. 20. 6e-MODELAGENS DE PROCESSAMENTOS DOS CENÁRIOS-AISARTICULAÇÕES DE PROCESSAMENTO GERAL As AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE(AIS) devem ter suas interatividades adequadamente articuladas através de processamentos múltiplos e simultâneos contemplando: *Aspectos Técnicos, *Aspectos Operacionais, *Aspectos Administrativos, *Aspectos Econômico-Financeiros, *Indicadores Técnico-Operacionais integrados com os Econômico-Financeiros respectivos. Cada uma dessas “janelas” deve permitir acessar por setor: “para quem”, “onde”, “o que”, “como”, “com quem”, “com o que”, “quando” – explicitados em termos de: *Recursos, *Custos por Processos, *Receitas por Fontes e *Desempenhos, *Leis de Formação de Custos e de Preços de Venda. MISSÃO-IS E PONTOS DE ESTRANGULAMENTOS-IS COM ADMINISTRAÇÃO DIRETRIZES-IS PARA ELIMINAÇÃO DOS GARGALOS-IS ATRAVÉS DE METAS-IS E OBJETIVOS-IS DE PROGRAMAS-IS GERAL ARTICULADOS COM RECURSOS-IS, CUSTOS-IS, RECEITAS- IS E DESEMPENHOS-IS, NA DIREÇÃO DA VISÃO-IS. DIRETORIA EXECUTIVA DOCUMENTAÇÃO CADASTRO RELATÓRIO1 ASPECTOS ENTRADASAÍDA TÉCNICOS RELATÓRIO2 ASPECTOS RELATÓRIO3 OPERACIONAIS PROCESSAMENTO RELATÓRIO4 ARMAZENAMENTO ASPECTOS RELATÓRIO5 ADMINISTRATIVOS UNIDADES HD BACKUP RELATÓRIO6 ASPECTOS ECONÔMICO-FINANCEIROS RELATÓRIO7 INDICADORES DE RELATÓRION DESEMPENHOS USUÁRIOS AGDE SETORES 19 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS IS

×