PERFIS DOS SETORES DE SAÚDE DE SÃO PAULOCAPITAL(SPC),
          ESTADO DE SÃO PAULO(ESP) E BRASIL(BR)
                    ...
PERFIS DOS SETORES DE SAÚDE DE SÃO PAULOCAPITAL(SPC),
          ESTADO DE SÃO PAULO(ESP) E BRASIL(BR)
                    ...
0-Indicações Básicas
Use sua sabedoria generosa e aloque algum tempo na síntese numerológica dos setores de saúde de SPc, ...
acordo com os níveis de complexidades das LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(LCA:                  ATENÇÃO BÁSICA, ATENÇÃO A...
REFERENCIAIS EXTRAÍDOS DO ANEXO
                             DISCRIMINAÇÃO                                         SPC    ...
Observam-se que os VALORES FINANCEIROS já convertidos em RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES para atender as
Demandas-AIS d...
Nesses cenários, as diferenças entre os RECURSOS de AIS.RO e AIS.RDID de SPc, ESP e Br – correspondem a
capacidade de aten...
disponibilizações de AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE SOB RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS. É um
CÍRCULO VICI...
7-Visão Holística dos Perfis dos Cenários AIS.RO¹ X AIS.RDID² de São PauloCapital(SPc), São PauloEstado(ESP) e Brasil(Br) ...
Região      São PauloCapital              São PauloEstado                      Brasil               % de SPc sobre       %...
Notas:
           1Ações Integrais de Saúde com Recursos Otimizados no momento de qualidade máxima com custos médios mínim...
ASPECTOS TÉCNICO-OPERACIONAIS EXPLICITADOS EM TERMOS ECONÔMICO-FINANCEIROS
INTERATIVIDADES DOS PROCESSAMENTOS MÚLTIPLOS E ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

5-PAC da SAÚDE\V1a-Evolução Conflitiva Com CPMF: Referenciais para Agenda Positiva\2008-2011 e 2012-2022.

630 visualizações

Publicada em

São novos conhecimentos modelados na Metodologia-SIATOEF ou Administração com Modelo Operacional de Instituições de Saúde - que viabiliza um "Novo Olhar" sobre o Setor de Saúde. Nessa Metodologia os Processos dos Protocolos Técnico-Operacionais são entrelaçados com os Econômico-Financeiros respectivos – em conformidade com o perfil epidemiológico considerado.
Essa Metodologia conta com BD-ESPECIALIZADO(com dados primários e derivados - próprios e das fontes disponíveis), LEIS-DE-FORMAÇÃO e Ferramentas apropriadas para processamentos múltiplos e simultâneos das complexidades dinâmicas e de detalhes das Ações Integrais de Saúde(AIS) por Linhas de Cuidados Assistenciais(LCA ou referências e contra-referências).
Dessa forma pode-se entrelaçar os *Programas-AIS/LCA(em unidades específicas equalizadas com unidade homogênea) com *Recursos-AIS/LCA(investimentos, recursos humanos/equipe e cargo-função, demais recursos), *Custos por Processos-AIS/LCA(indicadores de eficiência econômica), *Receitas por Fontes-AIS/LCA(indicadoras de eficácia econômica) e *Desempenhos-AIS/LCA(Resultado, Valor Agregado e Níveis de desbalanceamentos, inadequações e desarticulações dos recursos).
Essas modelagens são aplicadas com “máscaras-padrão” equalizadas para serem comparáveis. Dessa forma, têm-se o Navegador Orçamentário por Processos - contemplando: *Diagnóstico-AIS/LCA, *Prognóstico-AIS/LCA e Tratamentos-AIS/LCA.
Orlando Cândido dos Passos
passos@siatoef.com.br

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • 11-Título = Jogando.net/mu Venha se divertir de verdade !!!
    [b]Ola,sou o Pr1nceMG,Divulgador oficial do Servidor de Mu online Season 6 do Brasil
    ESTÁ ON HÁ MAIS DE 5 ANOS,Produzindo sua Diversão com qualidade.
    TODOS OS SERVERS ficam ON 24 horas por dia, Sempre Buscamos o Melhor para os Gamers.
    São varios Server esperando por você :
    * MuWar' 1000x/1500x
    * Super - 10.000x ** Pvp 15.000x
    * Very Easy - 5.000x
    * Hard 100 x
    * Extreme 10x
    * Novo servidor Phoenix: Free 3000x | Vip: 4000x Phoenix
    SÓ NO http://www.jogando.net/mu VOCÊ ENCONTRA
    Os Melhores itens e kits mais tops de um server De MU Online:
    * Novas asas level 4
    * Novos Kits DEVASTADOR
    * Novos Kits DIAMOND v3 + Kit Mystical (a combinação da super força)
    * Novos Sets especiais de TIME.
    *CASTLE SIEGE AOS SÁBADOS e DOMINGOS.
    Site http://www.jogando.net/mu/
    Esperamos pela sua visita.Sejam todos muito benvindos ao nosso Servidor.
    *Um mês de grandes eventos e Promoções do dia das Crianças e Sorteio de 1 iPad e 2.000.000 de Golds!
    E obrigado pela atençao de todos voces !!!
    Conheça também animes cloud http://animescloud.com/ São mais de 20.000 mil videos online.
    By:Pr1nceMG divulgador oficial do jogando.net/mu
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
630
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

5-PAC da SAÚDE\V1a-Evolução Conflitiva Com CPMF: Referenciais para Agenda Positiva\2008-2011 e 2012-2022.

  1. 1. PERFIS DOS SETORES DE SAÚDE DE SÃO PAULOCAPITAL(SPC), ESTADO DE SÃO PAULO(ESP) E BRASIL(BR) VIDE CENÁRIOS NUMEROLÓGICOS CONSOLIDADOS E EQUALIZADAS PARA COMPARAÇÕES - ANEXO por Orlando Cândido dos Passos* USANDO FERRAMENTAS E BDs DA SIATOEF passos@siatoef.com.br 1-ARTICULAÇÕES BÁSICAS COM VISÃO OPERACIONAL PROGRAMAS DE PROGRAMAS DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS RECURSOS RECURSOS HUMANOS HUMANOS INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS DESPESAS DIRETAS DESPESAS DIRETAS DESPESAS INDIRETAS DESPESAS INDIRETAS PREÇOS DE VENDA PREÇOS DE VENDA RECEITAS RECEITAS INDICAÇÕES INDICAÇÕES BÁSICAS BÁSICAS 2-DE ANÁLISES, SISTEMATIZAÇÕES E CONSOLIDAÇÕES DE: Aspectos Técnicos QUE PROCEDIMENTOS-AIS/LCA SÃO DISPONIBILIZADOS E NECESSÁRIOS, PARA QUAIS VIDAS, ONDE E COMO Aspectos Operacionais INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIOS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Administrativos FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIAS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Econômico-Financeiros DEMANDAS, OFERTAS, RECURSOS, CUSTOS POR PROCESSOS, RECEITAS E DESEMPENHOS DOS PROGRAMAS-AIS/LCA – DE RDID0 A RNN 3-PARA A NAVEGAÇÃO ORÇAMENTÁRIA POR PROCESSOS DE AIS/LCA - INTEGRADA E INTEGRADORA: DIAGNÓSTICO-AIS.RDID0 PROGNÓSTICO.RON TRATAMENTOS DE RDID1 A RON-1 *Orlando Cândido dos Passos Experiência vivenciada ao longo de 40 anos em administração executiva eou formuladora de soluções integradas e integradoras – nas fases de planejamento, implantação, operação, readequações e mistas - de instituições de saúde de qualquer porte. Pesquisador independente, especialista na integração dos aspectos técnico-operacionais e administrativos com os econômico-financeiros respectivos - de instituições da saúde públicas, filantrópicas, privadas e mistas – com modelo operacional de instituições de saúde. Neste, os processamentos múltiplos e simultâneos das complexidades dinâmicas e de detalhes dos *PROGRAMAS DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE/LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(REFERÊNCIAS E CONTRA- REFERÊNCIAS) – são adequadamente articulados com *RECURSOS(INVESTIMENTOS,RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS), *CUSTOS POR PROCESSOS(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA), *RECEITAS POR FONTES(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA) e *DESEMPENHOS(RESULTADOS+VALOR AGREGADO+NÍVEIS DE ATENUAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS). Assim, mantêm-se a integridade das formulações eou soluções propostas - de OPERACIONALIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES de saúde com SAÚDE ECONÔMICO-FINANCEIRA DE PERENIDADE ou QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS, no tempo, conforme perfis epidemiológicos articulados com respectivos protocolos técnico-operacionais – sem mutilar conceitos universais validados. . OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  2. 2. PERFIS DOS SETORES DE SAÚDE DE SÃO PAULOCAPITAL(SPC), ESTADO DE SÃO PAULO(ESP) E BRASIL(BR) VIDE CENÁRIOS NUMEROLÓGICOS CONSOLIDADOS E EQUALIZADAS PARA COMPARAÇÕES - ANEXO Orlando Cândido dos Passos* POR USANDO FERRAMENTAS E BDs DA SIATOEF passos@siatoef.com.br SUMÁRIO: 0-Indicações Básicas 1-Apresentação 2-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO1 com Custos-SUS.RO x Recursos Disponíveis para as Ofertas-AIS.RDID2 – em 2008 3-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas nos Cenários de AIS.RO com Custos-SUS.RO e AIS.RDID com Custos-SUS.RDID com Custos-SUS.RDID – em 2008Mercado de Fatores3 4-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO x Recursos Necessários às Demandas- AIS.RDID nos Mercados de Serviços – em 2008 5-Custo Saúde no Custo Brasil com Exclusões4 sob gestões-RDID nos Mercado de Serviços5 – em 6 2008SUS+AMS +PARTICULAR. 6-Custo Saúde no Custo Brasil sem Exclusões sob gestões-RDID nos Mercado de Serviços – em 2008SUS+AMS+PARTICULAR. ARTICULAÇÕES BÁSICAS COM VISÃO OPERACIONAL PROGRAMAS DE PROGRAMAS DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS RECURSOS RECURSOS HUMANOS HUMANOS INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS DESPESAS DIRETAS DESPESAS DIRETAS DESPESAS INDIRETAS DESPESAS INDIRETAS RECEITAS RECEITAS INDICAÇÕES INDICAÇÕES BÁSICAS BÁSICAS 1 Notas: AIS.RO=AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE(AIS) COM RECURSOS OTIMIZADOS NO MOMENTO DE QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNINIMOS E 2 REMUNERAÇÕES DIGNAS(RO); RDID=SITUAÇÃO ATUAL COM NÍVEIS DE DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS ALOCADOS PARAMETRIZADOS E COMPARADOS COM OS DE RO – CONFORME PERFIL EPIDEMIOLÓGICO ARTICULADO COM PROTOCOLOS TÉCNICO-OPERACIONAIS 3 RESPECTIVOS; MERCADO DE FATORES - É O MERCADO QUE CONTEMPLA AS LEIS-DE-FORMAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSOS(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA). NESTE AS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE SÃO DEMANDANTES DE INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS NECESSÁRIOS ÀS DISPONIBILIZAÇÕES DOS PROGRAMAS-AIS POR LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(LCA) E OS OFERTANTES SÃO OS AGENTES ECONÔMICOS DA 4 SOCIEDADE(GOVERNO, FAMÍLIA, EMPRESA E RESTO DO MUNDO); DEMANDAS REPRIMIDAS(EXCLUSÕES) - DADAS PELA DIFERENÇA ENTRE DEMANDAS-AIS.RO E 5 OFERTAS-AIS.RDID OU CAPACIDADES DE ATENDIMENTOS MENOS OFERTAS-AIS.RDID; MERCADO DE SERVIÇOS - É O MERCADO QUE CONTEMPLA AS LEIS-DE- FORMAÇÃO DOS PREÇOS DE VENDA(COM E SEM MARGENS, INDICADORES DE EFICÁCIA ECONÔMICA). NESTE AS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE SÃO OFERTANTES DO 6 PROGRAMAS-AIS/LCA AOS AGENTES ECONÔMICOS DA SOCIEDADE - QUE SÃO OS DEMANDANTES; AMS=ASSISTÊNCIA MÉDICA SUPLEMENTAR=MEDICINA DE GRUPO+COOPERATIVAS MÉDICAS+PLANOS PRÓPRIOS DAS EMPRESAS+INSTITUIÇÕES DE AUTOGESTÃO EM SAÚDE+SEGURADORAS. .1 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  3. 3. 0-Indicações Básicas Use sua sabedoria generosa e aloque algum tempo na síntese numerológica dos setores de saúde de SPc, ESP e Br(anexa) e compare suas DEMANDAS com OFERTAS e CAPACIDADES DE ATENDIMENTOS. Assim, concluirás que estamos distante do que se entende por Administração. Trata-se de cenários desconcertantes, ainda desconhecidos dos dirigentes do SETOR DE SAÚDE e DEMAIS SETORES. Todavia, as reações aos PLEITOS DO SETOR DE SAÚDE demonstram que são intuídas - porque as resistências às posturas das “gestões” do SETOR DE SAÚDE, sob RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS(RDID), continuam crescendo. Estamos diante de um CÍRCULO VICIOSO explicitador de VISÕES FINANCEIRAS COM ASSERTIVAS FALACIOSAS PARA O SETOR DE SAÚDE. Sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no SETOR DE SAÚDE acentuarão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL e as resistências eou interações hostis. Estamos falando de DESECONOMIAS EXTERNAS para os DEMAIS SETORES. São as AMARRAS do Setor de Saúde ao desenvolvimento sustentado do Brasil. Essa visão, por exemplo, enfatiza *MAIS “RECURSOS FINANCEIROS”, *MAIS LEITOS, *MAIS PARTICIPAÇÃO DA SAÚDE NO PIB. Mas, os aspectos importantes que devem ser discutidos são omitidos, tais como: *GESTÕES-RDID, *EXCLUSÕES DE VIDAS COM AIS, *CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL, *PLANEJAMENTO INTEGRADO E INTEGRADOR PARA OTIMIZAR RECURSOS SEM MUTILAR QUALIDADE, *ADMINISTRAÇÃO COM INDICADORES DE EFICIÊNCIA E EFICÁCIA ECONÔMICA QUE DEMONSTREM O QUANTO AGREGA DA E NA SOCIEDADE. Por outro lado, essas amarras refletem o passado e servem para demonstrar que os problemas de hoje são resultantes das soluções do ontem - desprovidas de salvaguardas. Assim, para visualizarmos o SETOR DE SAÚDE que todos merecem devemos eliminar adequadamente essas amarras geradas pelas gestões-RDID. Logo, é necessário operacionalizar o Setor de Saúde com as melhores POSTURAS PROATIVASPROPOSITIVAS DE ADMINISTRAÇÃO POR GESTÕES DE DESEMPENHOS - COM MODELO OPERACIONAL PRÓPRIO – porque é a solução definitiva. Elimina o CÍRCULO VICIOSO-RDID com arquitetura de processamentos que identificam os problemas e, simultaneamente, as alternativas de soluções factíveis, em tempo hábil, que devem ser implementadas. Nessa opção, as interatividades são embasadas com demonstrativos do que é necessário agregar DA e NA Sociedade, em NAVEGADOR ORÇAMENTÁRIO POR PROCESSOS. Para que essa opção pudesse ser visualizada, passamos a elaborar e disponibilizar vários estudos – inclusive os de referenciais articulados e agregados - explicitados nos três perfis: *Setor de Saúde do Brasil-2008: Programas x Recursos x Custos x Receitas x Desempenhos; *Setor de Saúde do Estado de São Paulo-2008: Programas x Recursos x Custos x Receitas x Desempenhos; *Setor de Saúde de São PauloCapital-2008: Programas x Recursos x Custos x Receitas x Desempenhos. Esses perfis contemplam comparações entre Demandas-AIS, Ofertas-AIS, Capacidades de Atendimentos-AIS, Exclusões de Vidas com AIS, Custos Saúde no Custo Brasil e participações da Saúde no PIB – que expõem as VISÕES FINANCEIRAS DA SAÚDE COM SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. As consolidações dos CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL, com referenciais do MERCADO DE SERVIÇOS, explicitam que SPc-2008 pode retornar à sociedade R$ 4,2434 para cada R$ 1,00 internalizado. Essa relação seria de R$ 2,9328/R$ 1,00 no ESP e de R$ 5,6135/R1,00 no Br. Esse é o caminho das interações(INFLUÊNCIA MÚTUA) e interatividades(INTERAÇÕES SOB AGENDA PROGRAMÁTICA) - porque conseguirá as articulações positivas necessárias - que até o momento foram inviabilizadas pelos pleitos textuais sob numerologia inconsistente. Nesse cenário, o SETOR DE SAÚDE se apresenta para FAZER O QUE DEVE SER FEITO e, com isso, viabilizar agendas positivas com interatividades amigáveis junto aos DEMAIS SETORES. Em outras palavras, fazer o que deve ser feito exige transparência para que se operacionalize as posturas de Administração e, em consequência, têm-se e a implementação das agendas positivas indispensáveis com os demonstrativos da importância do SETOR DE SAÚDE para os DEMAIS SETORES e DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO DO BRASIL, com cenários numerológicos que não mutilam conceitos universais validados e articulações dos perfis epidemiológicos com protocolos técnico-operacionais respectivos. 1-Apresentação As aspirações de se operacionalizar o SETOR DE SAÚDE COM AS MELHORES POSTURAS DE ADMINISTRAÇÃO estão cada vez mais distante. O SETOR DE SAÚDE está completamente contaminado pela “administração” de RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS(RDID). Esta, é focada no FINANCEIRO sob ORÇAMENTOS HISTÓRICOS que contemplam cenários numerológicos com unidades específicas(HETEROGÊNEAS) não equalizadas e processadas com ferramentas migradas do modelo operacional de indústriacomércio. Nesse cenário, são inviáveis articulações amigáveis com os DEMAIS SETORES – porque as articulações das LEIS-DE- FORMAÇÃO de MERCADO DE FATORES(CUSTOS POR PROCESSOS) com as do MERCADO DE SERVIÇOS(PREÇOS POR FONTES) não são aderentes as posturas de Administração. Assim, os PROCESSOS DO CÍRCULO VIRTUOSO da Administração(PRODUZIR, REGISTRAR, FATURAR, RECEBER E PAGAR) ficam embotados. Além disso, imagine a potencialização negativa desses aspectos com as posturas de Administração que devem resgatar os DESEMPENHOS das REFERÊNCIAS e CONTRA-REFERÊNCIAS considerando o determinismo de recursos alocados de .2 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  4. 4. acordo com os níveis de complexidades das LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS(LCA: ATENÇÃO BÁSICA, ATENÇÃO AMBULATORIAL, ATENÇÃO EM UNIDADES ESPECIAIS, ATENÇÃO DE EMERGÊNCIASURGÊNCIAS, ATENÇÃO NAS INTERNAÇÕESENFERMARIAS, ATENÇÃO NAS INTERNAÇÕESESPECIAIS, SERVIÇOS AUXILIARES AOS DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS, ENSINO E PESQUISA NOS AMBIENTES DE ASSISTÊNCIA, ATENÇÃO NAS do SETOR DE SAÚDE. UNIDADES DE APOIO DIRETO E ATENÇÃO NAS UNIDADES DE APOIO INDIRETO) Lembre-se que a otimização no setor de saúde ocorre com os recursos determinados pelo perfil epidemiológico articulados com os respectivos protocolos técnico-operacionais. Nem mais, nem menos. A eficiência e eficácia da Medicina dependem desse rigor e são determinantes da eficiência e eficácia econômica. Sem esses parâmetros a discussão está fora do que se entende por Administração. Para inicializar as discussões com alternativas à VISÃO FINANCEIRA, disponibilizamos estudos dos SETORES DE SAÚDE, inclusive os últimos sobre SPc, ESP e Br com *PROGRAMAS DE AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDEAIS(EM UNIDADES ESPECÍFICAS EQUALIZADAS COM UNIDADE HOMOGÊNEA) articulados com *RECURSOS(INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS), *CUSTOS POR PROCESSOS(INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA), *RECEITAS POR FONTES(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA) e *DESEMPENHOS(RESULTADOS, VALOR AGREGADO E NÍVEIS DE ATENUAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS ALOCADOS) – na SITUAÇÃO ATUAL(COM RDID PARAMETRIZADOS OU CENÁRIOS-AIS.RDID) e na de RECURSOS OTIMIZADOS NO MOMENTO DE QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS(CENÁRIOS-AIS.RO). Logo, esse artigo é uma visão holística dos estudos enviados – focando o preconizado pelo Art.196 da Constituição da República Federativa do Brasil-1988: “A SAÚDE É DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO”. As tendências dos vários cenários estudados são convergentes e sinalizam que o modelo atual está permeado por GESTÕES-RIDID – evidenciando ser insustentável e dissonante com máxima que surgiu com a criação da ONU: “ADMINISTRAR SAÚDE É UMA BOA FORMA DE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO”. A seguir visualizaremos quatro cenários equalizados, consolidados e comparáveis - extraídos dos estudos referenciados e enviados como subsídios, ou seja: Item-2RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES ÀS DEMANDAS-AIS.RO COM CUSTOS-SUS.RO X RECURSOS DISPONÍVEIS PARA AS OFERTAS-IS.RDID DO SUS, AMS E PARTICULAR – EM 2008. Item-3RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES ÀS DEMANDAS NOS CENÁRIOS DE AIS.RO COM CUSTOS-SUS.RO E AIS.RDID COM CUSTOS-SUS.RDID – EM 2008. Item-4RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES ÀS DEMANDAS-AIS.RO X RECURSOS NECESSÁRIOS ÀS DEMANDAS-AIS.RDID NOS MERCADO DE SERVIÇOS – EM 2008. Item-5CUSTO SAÚDE NO CUSTO BRASIL COM EXCLUSÕES SOB GESTÕES-RDIDMERCADO DE SERVIÇOS – EM 2008. Item-6CUSTO SAÚDE NO CUSTO BRASIL SEM EXCLUSÕES SOB GESTÕES-RDIDMERCADO DE SERVIÇOS – EM 2008. 2008 é um marco preocupante. A campanha eleitoral em curso explicita propostas para a saúde que sinalizam agravamento da situação atual. São propostas que aumentam o “inchaço” existente - sem alcançar o preconizado. Até o momento, inexiste explicitação de compromissos com a melhoria do SETOR DE SAÚDE através de ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSo das gestões de RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS(RDID). O sistema orçamentário é entrelaçado, inclusive orçamentos históricos. Nesse “mundo” determinístico e determinante – o que se alocar inadequadamente na assistência médica-hospitalar, tudo o mais permanecendo constante, gerará retornos negativos para o setor de saúde - através de níveis insatisfatórios na habitação, água potável, esgoto tratado, alimentação, educação, fatores ambientais. Pelo exposto, cabe aos técnicos elaborarem análises, sistematizações e consolidações das Demandas-AIS x Ofertas-AIS e disponibilizar alternativas que, do ponto de vista da Administração, conciliem as propostas com as necessidades das Vidas-Cidadãs – sem agravar os desbalanceamentos, inadequações e desarticulações dos recursos alocados. O foco no Art.196 da Constituição da República Federativa do Brasil-1988: “A saúde é DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO” – é compartimentado por região: SPc, ESP e Br. 2-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Custos-SUS.RO x Recursos Disponíveis para as Ofertas-AIS.RDID do SUS, AMS e Particular – em 2008. As Demandas-AIS.RO são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com RECURSOS nos níveis de Custos-SUS.RO = Receitas-SUS.RO ou SUS com RECURSOS OTIMIZADOS no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. As Ofertas-AIS.RDID são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com RECURSOS sinalizados no Mercados de Serviços para as Ofertas-AIS.RDID(SUS, AMS PARTICULAR) ou com recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. Observam-se que os VALORES FINANCEIROS já convertidos em RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES para atender as Demandas-AIS de SPc, ESP e Br são de R$ 10,007 bilhões/ano, R$ 37,051 bilhões/ano e R$ 174,677 bilhões/ano, respectivamente. Simultaneamente, os RECURSOS DISPONÍVEIS sinalizados para as populações SUS, AMS e Particular são de R$ 16,219 bilhões/ano para SPc, R$ 42,095 bilhões/ano para o ESP e R$ 144,745 bilhões/ano para o Br. .3 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  5. 5. REFERENCIAIS EXTRAÍDOS DO ANEXO DISCRIMINAÇÃO SPC ESP BR 0 0-Demandas - em Vidas com AISN 10.952.708 40.243.882 186.215.986 *PIB per capita – em R$ 34.902,85 25.303,97 15.088,82 1-RECURSOS NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RO C/PV=CUSTO SUS.RO - R$ 10.006.552.135 37.050.680.116 174.677.263.331 I-Custos-SUS.RO=Preços-SUS.RO – em R$/Vida-Ano 913,61 920,65 938,04 II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 2,618% 3,638% 6,217% 2-RECURSOS DISPONÍVEIS NOS MERCADOS DAS OFERTA-AIS.RDID - EM R$ 16.219.056.657 42.094.885.528 144.745.493.515 I-Cobertura-Total com AIS- em R$/Vida-Ano 1.859,70 1.491,58 1.916,35 *Cobertura-SUS com AIS - em R$/Vida-Ano 1.332,67 1.288,15 1.891,26 *Cobertura-AMS com AIS - em R$/Vida-Ano 2.518,77 1.877,80 1.840,29 *Cobertura-Particular com AIS - em R$/Vida-Ano 6.189,01 6.353,01 5.039,90 II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 5,328% 5,895% 12,701% 3-RECURSOS DISPONÍVEIS/RECURSOS NECESSÁRIOS( 2/1) - K1 1,620844 1,136143 0,828645 4-EQUALIZAÇÃO DE K1(RECURSOS DISPONÍVEIS/RECURSOS NECESSÁRIOS) – K2 1,956016 1,371085 1,000000 5-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES(2-1) – EM R$ 6.212.504.522 5.044.205.412 -29.931.769.816 6-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES - EM VIDASNO. 6.799.919 5.478.939 -31.908.984 Em SPc os RECURSOS DISPONÍVEIS excedem os NECESSÁRIOS E SUFICIENTES em 62,1% e, quando equalizados, corresponde a 95,6% dos referenciais sinalizados para o Br. Essas relações para o ESP são de 13,6% e 37,1% respectivamente. Além disso, ambos explicitam inaceitáveis EXCLUSÕES e CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Vide anexo. Os RECURSOS EXCEDENTES em SPc e ESP permitem atender adicionalmente a 6,8 e 5,5 milhões de Vidas com AIS respectivamente. Mas, tudo o mais permanecendo constante, o Br carece de RECURSOS ADICIONAIS de R$ 29,932 bilhões/ano para eliminar as EXCLUSÕES de 31,909 milhões/ano de Vidas com AIS. Os RECURSOS NECESSÁRIOS e suficientes constantes em 2.1, sinalizam os atendimentos plenos das populações de SPc, ESP e Br com participações nos respectivos PIBs de 2,618%, 3,638% e 6,217%. Essas participações com os RECURSOS DISPONÍVEIS constantes em 2.2(Ofertas-AIS.RDID) são de 5,328%, 5,895% e 12,701% e contemplam EXCLUSÕES. Essa numerologia é desconcertante e ainda é desconhecida. Mas, é intuída – incluindo as VISÕES FINANCEIRAS E SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. Nesses cenários, as resistências às posturas de gestões-RDID do SETOR DE SAÚDE tendem a crescer. Fica claro que sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no Setor de Saúde acentuarão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Estes, quando contabilizados pelos DEMAIS SETORES, direta e indiretamente, resultam em amarras do Setor de Saúde ao desenvolvimento sustentado do Brasil. 3-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas nos Cenários de AIS.RO com Custos-SUS.RO e AIS.RDID com Custos-SUS.RDID – em 2008 As Demandas-AIS.RO são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com RECURSOS nos níveis de Custos-SUS.RO = Receitas-SUS.RO ou SUS com RECURSOS OTIMIZADOS no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. As Demandas-AIS.RDID são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com RECURSOS nos níveis de Custos-SUS.RDID = Receitas-SUS.RDID ou SUS sob recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. REFERENCIAIS EXTRAÍDOS DO ANEXO DISCRIMINAÇÃO SPC ESP BR 0 0-Demandas - em Vidas com AISN 10.952.708 40.243.882 186.215.986 *PIB per capita – em R$ 34.902,85 25.303,97 15.088,82 1-RECURSOS NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RO C/PV=CUSTO SUS.ROR$ 10.006.552.135 37.050.680.116 174.677.263.331 I-Custos-SUS.RO=Preços-SUS.RO – em R$/Vida-Ano 913,61 920,65 938,04 II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 2,618% 3,638% 6,217% 2-REC.NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RDID C/PV=CUSTO SUS.RDIDR$ 14.596.325.633 51.840.069.799 352.182.265.685 I-Custos-SUS.RDID=Preços-SUS.RDID – em R$/Vida-Ano 1.332,67 1.288,15 1.891,26 II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 3,818% 5,091% 12,534% 3-RECURSOS-AIS.RDID/RECURSOS-AIS.RO(2/1) – K1 1,458677 1,399166 2,016188 4-EQUALIZAÇÃO K1(RECURSOS-AIS.RDID/RECURSOS-AIS.RO) – K2 1,04253 1,00000 1,44099 5-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES(2-1) – EM R$ 4.589.773.498 14.789.389.683 177.505.002.354 6-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES - EM VIDASNO. 3.444.048 11.481.128 93.855.575 .4 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  6. 6. Observam-se que os VALORES FINANCEIROS já convertidos em RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES para atender as Demandas-AIS de SPc, ESP e Br são de R$ 10,007 bilhões/ano, R$ 37,051 bilhões/ano e R$ 174,677 bilhões/ano, respectivamente. Simultaneamente, os RECURSOS NECESSÁRIOS sinalizados para atender as populações totais de SPc, ESP e Br com Receitas-SUS.RDID = Custos-SUS.RDID são de R$ 14,596 bilhões/ano para SPc, R$ 51,84 bilhões/ano para o ESP e R$ 352,182 bilhões/ano para o Br. Observe que o melhor desempenho sinalizado é o do ESP e por ele equalizamos SPc e Br. Nesse caso, SPc é operacionalizado com 4,25% MAIS RECURSOS que os NECESSÁRIOS E SUFICIENTES. Esse acréscimo no Br é de 44,1%. Mesmo assim, restam inaceitáveis EXCLUSÕES DO RDID-CRÔNICO com CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Vide anexo. Nesses cenários, as diferenças entre RECURSOS de AIS.RO e AIS.RDID para SPc, ESP e Br – correspondem a capacidade de atendimento adicional de 3.444.048, 11.481.128 e 93.855.575 Vidas com AIS - respectivamente. Os RECURSOS NECESSÁRIOS e suficientes constantes em 3.1, sinalizam os atendimentos plenos das populações de SPc, ESP e Br com participações nos respectivos PIBs de 2,618%, 3,638% e 6,217%. Essas participações com os RECURSOS NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RDID constantes em 3.2 - são de 3,818%, 5,091% e 12,534%. Essa numerologia é desconcertante e ainda é desconhecida. Mas, é intuída – incluindo as VISÕES FINANCEIRAS E SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. Nesses cenários, as resistências às posturas de gestões-RDID do SETOR DE SAÚDE tendem a crescer. Fica claro que sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no Setor de Saúde acentuarão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Estes, quando contabilizados pelos DEMAIS SETORES, direta e indiretamente, resultam em amarras do Setor de Saúde ao desenvolvimento sustentado do Brasil. 4-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO x Recursos Necessários às Demandas-AIS.RDID nos Mercado de Serviços – em 2008 As Demandas-AIS.RO - são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com Preços dos Mercados SUS, AMS e Particular - com RECURSOS OTIMIZADOS no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. As Demandas-AIS.RDID - são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com Preços dos Mercados SUS, AMS e Particular sob recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. Observam-se que os VALORES FINANCEIROS já convertidos em RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES para atender as Demandas-AIS.RO de SPc, ESP e Br nos MERCADOS DE SERVIÇOS são de R$ 14,872 bilhões/ano, R$ 49,629 bilhões/ano e R$ 207,538 bilhões/ano, respectivamente. Simultaneamente, os RECURSOS NECESSÁRIOS sinalizados para atender as Demandas-AIS.RDID de SPc, ESP e Br nos MERCADOS DE SERVIÇOS são de R$ 23,453 bilhões/ano para SPc, R$ 64,142 bilhões/ano para o ESP e R$ 355,979 bilhões/ano para o Br. REFERENCIAIS EXTRAÍDOS DO ANEXO DISCRIMINAÇÃO SPC ESP BR 0 0-Demandas - em Vidas com AISN 10.952.708 40.243.882 186.215.986 *PIB per capita – em R$ 34.902,85 25.303,97 15.088,82 1-RECURSOS NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RO C/PV DE MERCADOR$ 14.872.239.484 49.628.662.900 207.537.929.496 I-Cobertura-Total com AIS – em R$/Vida-Ano 1.357,86 1.233,20 1.114,50 *Cobertura-SUS com AIS - em R$/Vida-Ano 913,61 920,65 938,04 *Cobertura-AMS com AIS - em R$/Vida-Ano 1.557,37 1.569,37 1.599,00 *Cobertura-Particular com AIS - em R$/Vida-Ano 4.086,04 4.117,52 4.195,26 3,89% 4,87% 7,39% II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 2-REC.NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RDID C/PV DE MERCADOR$ 23.452.873.408 64.141.678.731 355.979.241.344 I-Cobertura-Total – em R$/Vida-Ano 2.141,29 1.593,82 1.911,65 *Cobertura-SUS com AIS - em R$/Vida-Ano 1.332,67 1.288,15 1.891,26 *Cobertura-AMS com AIS - em R$/Vida-Ano 2.518,77 1.877,80 1.840,29 *Cobertura-Particular com AIS - em R$/Vida-Ano 6.189,01 6.353,01 5.039,90 6,13% 6,30% 12,67% II-Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 3-RECURSOS-AIS.RDID/RECURSOS-AIS.RO(2/1) – K1 1,576956 1,292432 1,715249 4-EQUALIZAÇÃO K1(RECURSOS-AIS.RDID/RECURSOS-AIS.RO) – K2 1,220146 1,000000 1,327148 5-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES(2-1) – EM R$ 8.580.633.924 14.513.015.831 148.441.311.848 6-RECURSOS ADICIONAIS AOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES - EM VIDASNO. 4.007.235 9.105.781 77.651.003 Observe que o melhor desempenho sinalizado é o do ESP e por ele equalizamos SPc e Br. Nesse caso, SPc é operacionalizado com 22,0% MAIS RECURSOS que os NECESSÁRIOS E SUFICIENTES. Esse acréscimo no Br é de 32,7%. Mesmo assim, restam inaceitáveis EXCLUSÕES DO RDID-CRÔNICO com CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Vide anexo. .5 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  7. 7. Nesses cenários, as diferenças entre os RECURSOS de AIS.RO e AIS.RDID de SPc, ESP e Br – correspondem a capacidade de atendimento adicional de 4.007.235, 9.105.781 e 77.651.003 de Vidas com AIS - respectivamente. Os RECURSOS NECESSÁRIOS e suficientes constantes em 4.1, sinalizam os atendimentos plenos das populações de SPc, ESP e Br com participações nos respectivos PIBs de 3,89%, 4,87% e 7,39%. Essas participações com os RECURSOS NECESSÁRIOS NOS CENÁRIOS-AIS.RDID constantes em 4.2 - são de 6,13%, 6,30% e 12,67%. Essa numerologia é desconcertante e ainda é desconhecida. Mas, é intuída – incluindo as VISÕES FINANCEIRAS E SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. Nesses cenários, as resistências às posturas de gestões-RDID do SETOR DE SAÚDE tendem a crescer. Fica claro que sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no Setor de Saúde acentuarão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Estes, quando contabilizados pelos DEMAIS SETORES, direta e indiretamente, resultam em amarras do Setor de Saúde ao desenvolvimento sustentado do Brasil. 5-Custo Saúde no Custo Brasil com Exclusões sob gestões-RDIDMercado de Serviços-2008 Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Preços-AIS.RO x Recursos Necessários às Ofertas-AIS.RDID com Preços-AIS.RDID nos Mercados SUS, AMS E PARTICULAR – EM 2008 Como vimos, os CENÁRIOS DAS DEMANDAS-AIS.RO(SUS, AMS E PARTICULAR) compreendem as disponibilizações de AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE COM RECURSOS OTIMIZADOS NO MOMENTO DE QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. Também vimos que os CENÁRIOS DAS OFERTAS-AIS.RDID(SUS, AMS E PARTICULAR) compreendem as disponibilizações de AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE SOB RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS. É um CÍRCULO VICIOSO gerador de EXCLUSÕES, TRATAMENTOS TARDIOS, RECORRÊNCIAS, TEMPOS MAIORES PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES. Assim, no âmbito deste trabalho os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL são dados pelas Ofertas-AIS.RDID menos Demandas-AIS.RO. Lembre-se que são referenciais do MERCADO DE SERVIÇOS, onde se focalizam as Receitas (NECESSÁRIAS E SINALIZADAS) ou CUSTOS FINAIS DAS VIDAS-CIDADÃS. As consolidações finais indicam CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL - correspondentes a R$ 48,238 bilhões/ano para SPc, R$ 95,925 bilhões/ano para o ESP e R$ 957,482 bilhões/ano para o Br. Em outras palavras, as gestões-RDID de SPc, ESP e Br CUSTAM 324,35%, 193,28% e 461,35% respectivamente - MAIS QUE OS RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES. São DESECONOMIAS EXTERNAS do SETOR DE SAÚDE contabilizadas, direta e indiretamente, pelos DEMAIS SETORES. REGIÃO SPC ESP BR DISCRIMINAÇÃO R$ % S/TOT. R$ % S/TOT. R$ % S/TOT. 0-Demandas - em Vidas com AISN0 10.952.708 5,88% 40.243.882 21,61% 186.215.986 100,00% *PIB per capita – em R$ 34.902,85 231,32% 25.303,97 167,70% 15.088,82 100,00% 1-RECEITAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES P/DEMANDAS-AIS.ROR$ 14.872.239.484 100,00% 49.628.662.900 100,00% 207.537.929.496 100,00% *Cobertura-Total com AIS – em R$/Vida-Ano 1.357,86 *** 1.233,20 *** 1.114,50 *** *Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 3,89% *** 4,87% *** 7,39% *** 2-CUSTO DO MODELO OPERACIONAL-ATUAL COM EXCLUSÕESR$ 63.110.714.898 424,35% 145.553.389.510 293,28% 1.165.019.445.888 561,35% *Cobertura-Total com AIS – em R$/Vida-Ano 5.762,11 *** 3.616,78 *** 6.256,28 *** *Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 16,51% *** 14,29% *** 41,46% *** 2a-RECURSOS DISPONÍVEIS NO MERCADO DE SERVIÇOS - R$ 16.219.056.657 109,06% 42.094.885.528 84,82% 144.745.493.515 69,74% 2b-CUSTOS DAS EXCLUSÕES C/TRATAMENTOS TARDIOS - R$ 42.374.184.271 284,92% 92.860.520.577 187,11% 1.003.360.300.625 483,46% 2c-CUSTOS DOS TEMPOS ADICIONAIS - R$ 4.517.473.969 30,38% 10.597.983.405 21,35% 16.913.651.749 8,15% 3-CUSTO SAÚDE NO CUSTO BRASIL(2AIS.RDID-1AIS.RO) – R$ 48.238.475.414 324,35% 95.924.726.611 193,28% 957.481.516.392 461,35% Observe que os setores de saúde de SPc, ESP e Br que todos merecem só carecem de 3,89%, 4,87% e 7,39% dos PIBs respectivos. Pela VISÃO FINANCEIRA dos atuais gestores-RDID, essas participações seriam de 16,51%, 14,29% e 41,46%. É como se estivessem condicionados a operacionalizarem o SETOR DE SAÚDE A RECURSOS INFINITOS. Essa numerologia desconcertante ainda é desconhecida. Mas, é intuída – incluindo as VISÕES FINANCEIRAS E SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. As resistências a essas posturas de gestões do SETOR DE SAÚDE crescem. Fica claro que sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no SETOR DE SAÚDE acentuarão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Estamos falando de DESECONOMIAS EXTERNAS para os DEMAIS SETORES. São as AMARRAS do SETOR DE SAÚDE ao desenvolvimento sustentado do Brasil. 6-Custo Saúde no Custo Brasil sem Exclusões sob gestões-RDIDMercado de Serviços-2008 Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Preços-AIS.RO x Recursos Necessários às Demandas-AIS.RDID sem Exclusões com Preços-AIS.RDID nos Mercados SUS, AMS E PARTICULAR – EM 2008 Como vimos, os CENÁRIOS DAS DEMANDAS-AIS.RO(SUS, AMS E PARTICULAR) compreendem as disponibilizações de AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE COM RECURSOS OTIMIZADOS NO MOMENTO DE QUALIDADE MÁXIMA COM CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS. Também vimos que os CENÁRIOS DAS OFERTAS-AIS.RDID(SUS, AMS E PARTICULAR) compreendem as .6 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  8. 8. disponibilizações de AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE SOB RECURSOS DESBALANCEADOS, INADEQUADOS E DESARTICULADOS. É um CÍRCULO VICIOSO gerador de EXCLUSÕES, TRATAMENTOS TARDIOS, RECORRÊNCIAS, TEMPOS MAIORES PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES. Assim, no âmbito deste trabalho os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL são dados pelas Ofertas-AIS.RDID menos Demandas-AIS.RO. Lembre-se que são referenciais do MERCADO DE SERVIÇOS, onde se focalizam as Receitas (NECESSÁRIAS E SINALIZADAS) ou CUSTOS FINAIS DAS VIDAS-CIDADÃS. As consolidações finais indicam CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL - correspondentes a R$ 27,368 bilhões/ano para SPc, R$ 60,426 bilhões/ano para o ESP e R$ 220,826 bilhões/ano para o Br. Em outras palavras, as gestões-RDID de SPc, ESP e Br CUSTAM 184%, 121,8% e 106,4% respectivamente - MAIS QUE OS RECURSOS NECESSÁRIOS E SUFICIENTES. São DESECONOMIAS EXTERNAS do SETOR DE SAÚDE contabilizadas, direta e indiretamente, pelos DEMAIS SETORES. REGIÃO SPC ESP BR DISCRIMINAÇÃO R$ % S/TOT. R$ % S/TOT. R$ % S/TOT. 0-Demandas - em Vidas com AISN0 10.952.708 5,88% 40.243.882 21,61% 186.215.986 100,00% *PIB per capita – em R$ 34.902,85 231,32% 25.303,97 167,70% 15.088,82 100,00% 1-RECEITAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA AIS.ROR$ 14.872.239.484 100,00% 49.628.662.900 100,00% 207.537.929.496 100,00% *Cobertura-Total com AIS – em R$/Vida-Ano 1.357,86 *** 1.233,20 *** 1.114,50 *** *Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 3,89% *** 4,87% *** 7,39% *** 2-MODELO OPERACIONAL-ATUAL SEM EXCLUSÕESR$ 42.240.732.978 284,02% 110.054.430.891 221,76% 428.363.752.756 206,40% *Cobertura-Total com AIS – em R$/Vida-Ano 3.856,65 *** 2.734,69 *** 2.300,36 *** *Participação % de Vidas com AIS no PIB-2008 11,05% *** 10,81% *** 15,25% *** 2a-DISPONÍVEL NO MERCADO DE SERVIÇOS- R$ 16.219.056.657 109,06% 42.094.885.528 84,82% 144.745.493.515 69,74% 2b-RECURSOS P/ELIMINAÇÃO DAS EXCLUSÕES 8.920.880.899 59,98% 19.549.583.279 39,39% 211.233.747.500 101,78% 2c-CUSTOS DE RDID CRÔNICO 12.583.321.452 84,61% 37.811.978.678 76,19% 55.470.859.992 26,73% 2d-CUSTOS DOS TEMPOS ADICIONAIS 4.517.473.969 30,38% 10.597.983.405 21,35% 16.913.651.749 8,15% 3-OPERACIONALIZAÇÃO DE AIS.RDID MENOS AIS.RO(2-1)R$ 27.368.493.494 184,02% 60.425.767.991 121,76% 220.825.823.260 106,40% Observe que os setores de saúde de SPc, ESP e Br que todos merecem só carecem de 3,89%, 4,87% e 7,39% dos PIBs respectivos. Nessa alternativa, pela VISÃO FINANCEIRA dos atuais gestores-RDID as participações seriam de 11,05%SPc, 10,81%ESP e 15,25%Br. Essa numerologia desconcertante ainda é desconhecida da sociedade. Mas, é intuída – incluindo as VISÕES FINANCEIRAS E SUAS ASSERTIVAS FALACIOSAS. As resistências às posturas de gestões do SETOR DE SAÚDE crescem. Fica claro que sem as ações eliminadoras do CÍRCULO VICIOSO das gestões-RDID, MAIS VALORES FINANCEIROS eou RECURSOS no SETOR DE SAÚDE acenturão os CUSTOS SAÚDE NO CUSTO BRASIL. Estamos falando de DESECONOMIAS EXTERNAS para os DEMAIS SETORES. São as AMARRAS do SETOR DE SAÚDE ao desenvolvimento sustentado do Brasil. 7-AnexoVisão Holística dos Perfis dos Cenários de AIS.RO x AIS.RDID de São PauloCapital(SPc), Estado de São Paulo(ESP) e Brasil(Br) – em 2008Consolidações Finais – Equalizadas para Comparações. Vide pág.8 a 10. A idéia é instrumentalizar o leitor para posturas críticas utilizando cenários numerológicos articulados. Logo, as discordâncias implicam em trocas articuladas de números nos *PROGRAMAS-AIS1/LCA2(CONFORME PERFIS EPIDEMIOLÓGICOS E PROTOCOLOS TÉCNICO-OPERACIONAIS RESPECTIVOS), *RECURSOS(INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS), *Custos por Processos (INDICADORES DE EFICIÊNCIA ECONÔMICA: SUS, SISTEMA-AMS E SISTEMA PARTICULAR), *Receitas por Fontes(INDICADORAS DE EFICÁCIA ECONÔMICA: SUS, SISTEMA-AMS E SISTEMA PARTICULAR) e *Desempenhos(RESULTADOS, VALOR AGREGADO E NÍVEIS DE ATENUAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS ALOCADOS) . Assim, visualizam-se os referenciais básicos de Administração. **************************** Notas: 1 AIS=AÇÕES INTEGRAIS DE SAÚDE – EM UNIDADES ESPECÍFICAS(CONSULTAS, 3 2 KG CIRURGIAS, INTERNAÇÕES, M DE OXIGÊNIO, DE ROUPA LAVADA, M DE ÁREA LIMPA,ETC.) EQUALIZADA COM UNIDADE HOMOGÊNEA. 2 LCA=LINHAS DE CUIDADOS ASSISTENCIAIS OU cONJUNTOS DE PROGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DE SAÚDE REALIZADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE, TAIS COMO: POSTO DE SAÚDE, AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES, UNIDADE DE PROGRAMAS ESPECIAIS, PRONTO SOCORRO, HOSPITAIS, CLÍNICAS, POLICLÍNICAS. **************************** .7 OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS ROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
  9. 9. 7-Visão Holística dos Perfis dos Cenários AIS.RO¹ X AIS.RDID² de São PauloCapital(SPc), São PauloEstado(ESP) e Brasil(Br) - 2008 Consolidações Finais - Equalizadas para Comparações por Orlando Cândido dos Passos Usando Ferramentas e BDs-SIATOEF passos@siatoef.com.br Região São PauloCapital São PauloEstado Brasil % de SPc sobre % do ESP Discriminação No.R$ % s/Total No.R$ % s/Total No.R$ % s/Total ESP Br s/Br a-Cenários das Demandas-AIS.RO a1-Demandas-AIS - em UnEqv³No. 372.892.083 1.375.107.258 6.450.959.517 27,12% 5,78% 21,32% 34,04565 34,16935 34,64235 a1-MunicípiosNo. 1 645 5.564 0,16% 0,018% 11,59% 0,02% 11,59% 100,00% a1-Demandas-AIS - em VidasNo. 10.952.708 40.243.882 186.215.986 27,22% 5,88% 21,61% 5,88% 21,61% 100,00% *Cobertura-SUS - em VidasNo. 3.824.665 34,92% 22.435.651 55,75% 143.814.335 77,23% 17,05% 2,66% 15,60% *Cobertura-AMS* - em VidasNo. 7.018.516 64,08% 17.405.793 43,25% 40.539.491 21,77% 40,32% 17,31% 42,94% *Cobertura-Particular - em VidasNo. 109.527 1,00% 402.439 1,00% 1.862.160 1,00% 27,22% 5,88% 21,61% a2-Receitas Necessárias e Suficientes(AIS.RO) - R$ 14.872.239.484 7,17% 49.628.662.900 23,91% 207.537.929.496 100,00% 29,97% 7,17% 23,91% *Cobertura-Total - em R$/Vida-Ano 1.357,86 100,00% 1.233,20 100,00% 1.114,50 100,00% 10,11% 21,84% 10,65% *Cobertura-SUS - em R$/Vida-Ano 913,61 23,50% 920,65 41,62% 938,04 65,00% -0,76% -2,60% -1,85% *Cobertura-AMS - em R$/Vida-Ano 1.557,37 73,50% 1.569,37 55,04% 1.599,00 31,23% -0,76% -2,60% -1,85% *Cobertura-Particular - em R$/Vida-Ano 4.086,04 3,01% 4.117,52 3,34% 4.195,26 3,76% -0,76% -2,60% -1,85% a3-Recursos Necessários e Suficientes(Custos) R$ 10.390.514.876 5,87% 38.028.602.887 21,47% 177.130.226.900 100,00% 27,32% 5,87% 21,47% *Cobertura-Total - em R$/Vida-Ano 948,67 100,00% 944,95 100,00% 951,21 100,00% 0,39% -0,27% -0,66% *Cobertura-SUS - em R$/Vida-Ano 913,61 33,63% 920,65 54,32% 938,04 76,16% -0,76% -2,60% -1,85% *Cobertura-AMS - em R$/Vida-Ano 966,15 65,26% 973,59 44,56% 991,97 22,70% -0,76% -2,60% -1,85% *Cobertura-Particular - em R$/Vida-Ano 1.052,94 1,11% 1.061,05 1,12% 1.081,09 1,14% -0,76% -2,60% -1,85% a4-Receitas-Despesas nos Cenários de AIS.RO - R$ 4.481.724.608 14,74% 11.600.060.012 38,15% 30.407.702.596 100,00% 38,64% 14,74% 38,15% b-Cenários das Ofertas-AIS.RDID b1-Ofertas de AIS.RDID - em UnEqvNo. 296.922.965 11,35% 964.314.347 36,85% 2.616.597.538 100,00% 30,79% 11,35% 36,85% b1-Ofertas de AIS.RDID - em VidasNo 8.721.318 100,00% 28.221.619 100,00% 75.531.755 100,00% 30,90% 11,55% 37,36% *Cobertura-SUS - em VidasNo. 5.006.612 57,41% 19.061.869 67,54% 50.580.256 66,97% 26,27% 9,90% 37,69% *Cobertura-AMS - em VidasNo. 3.662.822 42,00% 9.083.725 32,19% 23.961.591 31,72% 40,32% 15,29% 37,91% *Cobertura-Particular - em VidasNo. 51.884 0,59% 76.025 0,27% 989.908 1,31% 68,25% 5,24% 7,68% b2-Receitas Disponíveis no MercadoR$ 16.219.056.657 11,21% 42.094.885.528 29,08% 144.745.493.515 100,00% 38,53% 11,21% 29,08% *Cobertura-Total - em R$/Vida-Ano 1.859,70 100,00% 1.491,58 100,00% 1.916,35 100,00% 24,68% -2,96% -22,17% *Cobertura-SUS - em R$/Vida-Ano 1.332,67 41,14% 1.288,15 58,33% 1.891,26 66,09% 3,46% -29,54% -31,89% *Cobertura-AMS - em R$/Vida-Ano 2.518,77 56,88% 1.877,80 40,52% 1.840,29 30,46% 34,13% 36,87% 2,04% *Cobertura-Particular - em R$/Vida-Ano 6.189,01 1,98% 6.353,01 1,15% 5.039,90 3,45% -2,58% 22,80% 26,05% b3-Despesas Sinalizadas pelo MercadoR$ 13.007.645.517 9,68% 38.708.757.522 28,81% 134.345.152.651 100,00% 33,60% 9,68% 28,81% *Cobertura-Total - em R$/Vida-Ano 1.491,48 100,00% 1.371,60 100,00% 1.778,66 100,00% 8,74% -16,15% -22,89% *Cobertura-SUS - em R$/Vida-Ano 1.332,67 51,29% 1.288,15 63,43% 1.891,26 71,20% 3,46% -29,54% -31,89% *Cobertura-AMS - em R$/Vida-Ano 1.695,43 47,74% 1.538,88 36,11% 1.523,87 27,18% 10,17% 11,26% 0,98% *Cobertura-Particular - em R$/Vida-Ano 2.417,92 0,96% 2.308,35 0,45% 2.192,68 1,62% 4,75% 10,27% 5,28% b4-Receitas-Despesas nos Cenários de AIS.RDID - R$ 3.211.411.141 30,88% 3.386.128.006 32,56% 10.400.340.864 100,00% 94,84% 30,88% 32,56% c-Capacidades de Atendimentos c/Recursos Disponíveis c1-Com Receitas-AIS.RO - em VidasNo. 13.305.566 100,00% 37.656.963 100,00% 130.745.873 100,00% 35,33% 10,18% 28,80% *Cobertura-SUS - em VidasNo. 7.303.029 54,89% 26.670.727 70,83% 101.979.323 78,00% 27,38% 7,16% 26,15% *Cobertura-AMS - em VidasNo. 5.923.950 44,52% 10.868.934 28,86% 27.577.341 21,09% 54,50% 21,48% 39,41% *Cobertura-Particular - em VidasNo. 78.588 0,59% 117.301 0,31% 1.189.209 0,91% 67,00% 6,61% 9,86% c2-Com Receitas-AIS.RDID - em VidaNo. 8.721.318 100,00% 28.221.619 100,00% 75.531.755 100,00% 30,90% 11,55% 37,36% *Cobertura-SUS - em VidasNo. 5.006.612 57,41% 19.061.869 67,54% 50.580.256 66,97% 26,27% 9,90% 37,69% *Cobertura-AMS - em VidasNo. 3.662.822 42,00% 9.083.725 32,19% 23.961.591 31,72% 40,32% 15,29% 37,91% *Cobertura-Particular - em VidasNo. 51.884 0,59% 76.025 0,27% 989.908 1,31% 68,25% 5,24% 7,68% 8
  10. 10. Região São PauloCapital São PauloEstado Brasil % de SPc sobre % do ESP Discriminação No.R$ % s/Total No.R$ % s/Total No.R$ % s/Total ESP Br s/Br d-Exclusões por RDID e Falta de Recursos d1-Demandas Reprimidas de AISTotal - em VidasNo 4.584.248 100,00% 12.022.263 100,00% 110.684.231 100,00% 38,13% 4,14% 10,86% >Exclusões por RDID - em VidasNo. 3.027.498 66,04% 9.435.344 78,48% 55.470.113 50,12% 32,09% 5,46% 17,01% >Exclusões por Falta de Recursos - em VidasNo. 1.556.750 33,96% 2.586.919 21,52% 55.214.118 49,88% 60,18% 2,82% 4,69% d2-Cobertura-SUS - em VidasNo. 2.296.417 50,09% 7.608.859 63,29% 93.234.080 84,23% 30,18% 2,46% 8,16% >Exclusões por RDID - em VidasNo. 2.296.417 50,09% 7.608.859 63,29% 41.835.013 37,80% 30,18% 5,49% 18,19% >Exclusões por Falta de Recursos - em VidasNo. 0 0,00% 0 0,00% 51.399.067 46,44% 0,00% 0,00% 0,00% d3-Cobertura-AMS - em VidasNo 2.261.128 49,32% 4.086.991 34,00% 16.577.900 14,98% 55,33% 13,64% 24,65% >Exclusões por RDID - em VidasNo. 719.848 15,70% 1.785.209 14,85% 12.962.149 11,71% 40,32% 5,55% 13,77% >Exclusões por Falta de Recursos - em VidasNo. 1.541.280 33,62% 2.301.781 19,15% 3.615.750 3,27% 66,96% 42,63% 63,66% d4-Cobertura-Particular - em VidasNo. 26.703 0,58% 326.414 2,72% 872.252 0,79% 8,18% 3,06% 37,42% >Exclusões por RDID - em VidasNo. 11.234 0,25% 41.276 0,34% 672.951 0,61% 27,22% 1,67% 6,13% >Exclusões por Falta de Recursos - em VidasNo. 15.470 0,34% 285.138 2,37% 199.301 0,18% 5,43% 7,76% 143,07% e-Referenciais das Demandas-AIS.RO x Ofertas-AIS.RDID e1-Cenários-AIS.RORec.Necessários c/PV=Custo SUS.RO** - R$ 10.006.552.135 5,73% 37.050.680.116 21,21% 174.677.263.331 100,00% 27,01% 5,73% 21,21% e2-Recursos Disponíveis no Mercado-AIS.RDID - em R$ 16.219.056.657 11,21% 42.094.885.528 29,08% 144.745.493.515 100,00% 38,53% 11,21% 29,08% I-Recursos de AIS.RDID-Custo de AIS.RO(e2-e1)R$ 6.212.504.522 *** 5.044.205.412 *** -29.931.769.816 *** *** *** *** II-Recursos de AIS.RDID-Custo de AIS.RO - em VidasNo. 6.799.919 *** 5.478.939 *** -31.908.984 *** *** *** *** f-Referenciais das Demandas-AIS com Referenciais-SUS f1-Cenários-AIS.RORec.Necessários c/PV=Custo SUS.RO** - R$ 10.006.552.135 5,73% 37.050.680.116 21,21% 174.677.263.331 100,00% 27,01% 5,73% 21,21% f2-Cenários-AIS.RDIDRec.Necessários c/PV=Custo-SUS.RDIDR$ 14.596.325.633 4,14% 51.840.069.799 14,72% 352.182.265.685 100,00% 28,16% 4,14% 14,72% I-Recursos de AIS.RDID-Custo de AIS.RO(f2-f1)R$ 4.589.773.498 2,59% 14.789.389.683 8,33% 177.505.002.354 100,00% 31,03% 2,59% 8,33% II-Recursos de AIS.RDID-Custo de AIS.RO - em VidasNo. 3.444.048 3,67% 11.481.128 12,23% 93.855.575 100,00% 30,00% 3,67% 12,23% g-Referenciais das Demandas-AIS.RDIDMercado de Serviços g1-Recursos Necessários com Preços-AIS.ROR$ 14.872.239.484 7,17% 49.628.662.900 23,91% 207.537.929.496 100,00% 29,97% 7,17% 23,91% g2-Recuros Necessários com Preços-AIS.RDIDR$ 23.452.873.408 6,59% 64.141.678.731 18,02% 355.979.241.344 100,00% 36,56% 6,59% 18,02% I-Recursos-AIS.RDID menos Recurso-AIS.RO(g2-g1)R$ 8.580.633.924 5,78% 14.513.015.831 9,78% 148.441.311.848 100,00% 59,12% 5,78% 9,78% II-Recursos de AIS.RDID-Custo de AIS.RO - em VidasNo. 4.007.235 5,16% 9.105.781 11,73% 77.651.003 100,00% 44,01% 5,16% 11,73% h-Custo Saúde no Custo BrasilMer.de Serviços - com Exclusões h0-Custo Saúde no Custo Brasil(h2-h1)R$ 48.238.475.414 324,35% 95.924.726.611 193,28% 957.481.516.392 461,35% 50,29% 5,04% 10,02% h1-Receitas Necessárias e Suficientes para AIS.ROR$ 14.872.239.484 100,00% 49.628.662.900 100,00% 207.537.929.496 100,00% 29,97% 7,17% 23,91% h2-Modelo Operacional-Atual com ExclusõesR$ 63.110.714.898 424,35% 145.553.389.510 293,28% 1.165.019.445.888 561,35% 43,36% 5,42% 12,49% I-Disponível no Mercado de Serviços - R$ 16.219.056.657 109,06% 42.094.885.528 84,82% 144.745.493.515 69,74% 38,53% 11,21% 29,08% II-Custo Saude no Custo Brasil s/Custos Adicionais - R$ 42.374.184.271 284,92% 92.860.520.577 187,11% 1.003.360.300.625 483,46% 45,63% 4,22% 9,25% III-Custos dos Tempos Adicionais - R$ 4.517.473.969 30,38% 10.597.983.405 21,35% 16.913.651.749 8,15% 42,63% 26,71% 62,66% i-Custo Saúde no Custo BrasilMerc.de Serviços - sem Exclusões i0-Operacionalização de AIS.RDID menos AIS.RO(g2-g1)R$ 27.368.493.494 184,02% 60.425.767.991 121,76% 220.825.823.260 106,40% 45,29% 12,39% 27,36% i1-Receitas Necessárias e Suficientes para AIS.ROR$ 14.872.239.484 100,00% 49.628.662.900 100,00% 207.537.929.496 100,00% 29,97% 7,17% 23,91% i2-Modelo Operacional-Atual sem ExclusõesR$ 42.240.732.978 284,02% 110.054.430.891 221,76% 428.363.752.756 206,40% 38,38% 9,86% 25,69% I-Disponível no Mercado de Serviços- R$ 16.219.056.657 109,06% 42.094.885.528 84,82% 144.745.493.515 69,74% 38,53% 11,21% 29,08% II-Recursos p/Eliminação das Exclusões 8.920.880.899 59,98% 19.549.583.279 39,39% 211.233.747.500 101,78% 45,63% 4,22% 9,25% III-Custos de RDID Crônico 12.583.321.452 84,61% 37.811.978.678 76,19% 55.470.859.992 26,73% 33,28% 22,68% 68,17% IV-Custos dos Tempos Adicionais 4.517.473.969 30,38% 10.597.983.405 21,35% 16.913.651.749 8,15% 42,63% 26,71% 62,66% j-PIBProduto Interno Bruto - R$ 382.280.736.000 13,61% 1.018.330.078.000 36,24% 2.809.779.000.000 100,00% 37,54% 13,61% 36,24% *PIB per capita - R$ 34.902,85 231,32% 25.303,97 167,70% 15.088,82 100,00% 137,93% 231,32% 167,70% 9
  11. 11. Notas: 1Ações Integrais de Saúde com Recursos Otimizados no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas. 2Ações Integrais de Saúde na Situção Atual com recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados(RDID). 3UnEqv=Unidade equivalente a uma consulta médica sem procedimentos(unidade homogênea) - contextualizada nos cenários AIS.RDID e AIS.RO. Obs.: *AMS=Assistência Médica Suplementar=Medicina de Grupo+Cooperativas Médicas+Planos Próprios das Empresas+CIEFAS+Seguradoras. A População-AMSBr-2008 sinaliza uma cobertura contratual média de 59,1% das AIS necessárias. Esse referencial para SPc-2008 e ESP-2008 situa-se em 52,2%. **quot;A saúde é direito de todos e dever do Estadoquot;Art.196 da Constituição da República Federativa do Brasil-1988. Fontes: 1-Dados Primários: *IBGE, *DataSUS, *ANS(Ag.Nacional de Saúde Suplementar, *SIOPS(Sistema de Informações sobre Orçamentos Púclicos em Saúde), *Senado, *SES(Secretarias Estaduais de Saúde), *SMS(Se.Mun.de Saúde), *MP(Min.Planejamento), *MF(Min.Fazenda), *SEF(Sec.Estaduais de Fazenda), *SMF(Sec.Municipais de Finanças, *FGV-Dados, *BC(Banco Cental), *IPEA(Inst.Pesq.Econômica Aplicada), *Outros. 2-Dados Primários e Derivados dos BDs-SIATOEF: *2.164 linhas de cuidados assistenciais com 664 hospitais; *Leis-de-Formação de AIS/LCA - conforme perfis epidemiológicos e protocolos técnico-operacionais respectivos; *Referenciais de investimentos, recursos humanos, despesas diretas e despesas necessários às disponibilizações de AIS/LCA; *Leis-de-Formação de Custos por Processos-AIS/LCA. Cenários: 1-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Custos-SUS.RO x Recursos Disponíveis para as Ofertas-IS.RDID do SUS, AMS e Particular – em 2008. 1a-As Demandas-AIS.RO são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com recursos nos níveis de Custos-SUS.RO = Receitas-SUS.RO ou SUS com recursos otimizados no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. 1b-As Ofertas-AIS.RDID são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com recursos sinalizados no Mercados de Serviços para as Ofertas-AIS.RDID(SUS, AMS Particular) ou com recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. 2-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas nos Cenários de AIS.RO com Custos-SUS.RO e AIS.RDID com Custos-SUS.RDID – em 2008. 2a-As Demandas-AIS.RO são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com recursos nos níveis de Custos-SUS.RO = Receitas-SUS.RO ou SUS com recursos otimizados no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. 2b-As Demandas-AIS.RDID são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com recursos nos níveis de Custos-SUS.RDID = Receitas-SUS.RDID ou SUS sob recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. 3-Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO x Recursos Necessários às Demandas-AIS.RDID nos Mercado de Serviços – em 2008. 3a-As Demandas-AIS.RO - são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com Preços dos Mercados SUS, AMS e Particular - com recursos otimizados no momento de qualidade máxima com custos médios mínimos e remunerações dignas ou de saúde econômico-financeira de perenidade. 3b-As Demandas-AIS.RDID - são cenários de atendimentos das populações de SPc, ESP e Br com Preços dos Mercados SUS, AMS e Particular sob recursos desbalanceados, inadequados e desarticulados. 4-Custo Saúde no Custo Brasil com Exclusões sob gestões-RDIDMercado de Serviços – em 2008. Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Preços-AIS.RO x Recursos Necessários às Ofertas-AIS.RDID com Preços-AIS.RDID nos Mercados SUS, AMS e Particular – 2008 4-Custo Saúde no Custo Brasil sem Exclusões sob gestões-RDIDMercado de Serviços – em 2008. Recursos Necessários e Suficientes às Demandas-AIS.RO com Preços-AIS.RO x Recursos Necessários às Ofertas-AIS.RDID com Preços-AIS.RDID nos Mercados SUS, AMS e Particular – 2008 VisãoOperacionalização das Instituições de Saúde com Qualidade Máxima, Custos Médios Mínimos e Remunerações Dignas MissãoAtenuações dis Desbalanceamentos, Inadequações e Desartações dos Recursos Alocados nas Institções de Sade 10
  12. 12. ASPECTOS TÉCNICO-OPERACIONAIS EXPLICITADOS EM TERMOS ECONÔMICO-FINANCEIROS INTERATIVIDADES DOS PROCESSAMENTOS MÚLTIPLOS E SIMULTÂNEOS DAS COMPLEXIDADES DE DETALHES E COMPLEXIDADES DINÂMICAS *Consolidados em: Aspectos Técnicos QUE PROCEDIMENTOS-AIS/LCA SÃO DISPONIBILIZADOS E NECESSÁRIOS, PARA QUAIS VIDAS, ONDE E COMO Aspectos Operacionais INVESTIMENTOS, RECURSOS HUMANOS E DEMAIS RECURSOS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIOS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Administrativos FERRAMENTAS ADMINISTRATIVAS DISPONÍVEIS E NECESSÁRIAS AOS PROGRAMAS-AIS/LCA.RO Aspectos Econômico-Financeiros DEMANDAS, OFERTAS, RECURSOS, CUSTOS POR PROCESSOS, RECEITAS E DESEMPENHOS DOS PROGRAMAS-AIS/LCA - DE RDID0 A RON *Com Navegador Orçamentário: DIAGNÓSTICOMISSÃO.RDID0 PROGNÓSTICOVISÃO.RON TRATAMENTOGESTÕES DE RDID1 A RON-1 *Processando os entrelaçamentos: ASPECTOS ASPECTOS TÉCNICOS TÉCNICOS ASPECTOS ASPECTOS OPERACIONAIS OPERACIONAIS ASPECTOS ASPECTOS ADMINISTRATIVOS ADMINISTRATIVOS PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO E GESTÃO E GESTÃO ASPECTOS TÉCNICOS ASPECTOS TÉCNICOS ASPECTOS OPERACIONAIS ASPECTOS ADMINISTRATIVOS PLANEJAMENTO E GESTÃO . OPERACIONALIZAÇÃO DAS IS COM QUALIDADE MÁXIMA, CUSTOS MÉDIOS MÍNIMOS E REMUNERAÇÕES DIGNAS PROCESSOS DE ELIMINAÇÕES DOS DESBALANCEAMENTOS, INADEQUAÇÕES E DESARTICULAÇÕES DOS RECURSOS DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

×