Casa Caminho

366 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Casa Caminho

  1. 1. Solidariedade Projecto “Ajuda ao Futuro” Instituição: Casa Caminho
  2. 2. Instituição <ul><li>A casa do caminho é uma instituição particular de solidariedade social, situada na Senhora da Hora, concelho de Matosinhos. É o primeiro centro de emergência infantil do Norte que acolhe CRIANÇAS em perigo, vitimas de maus tratos, negligência ou quaisquer outras formas de violação. </li></ul><ul><li>É uma casa toda cor-de-rosa, que está bem protegida por um gradeamento bege e alto, e só a placa identificativa revela a natureza daquele local. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A instituição foi fundada em 1988 por um grupo de amigos envolvidos em serviços de voluntariado, que se empenharam em construir “uma casa do caminho” como símbolo de um local onde se recuperam energias de corpo e alma para a grande caminhada que cada criança tem pela frente. </li></ul><ul><li>Inicialmente apta para acolher dez crianças, a Casa foi crescendo e mudando de instalações até ao edifício actual, inaugurado em 1997. O lema da Casa está gravado logo na parede frontal do edifício cor-de-rosa: &quot;Todas as crianças têm direito a ter um colo!&quot; , </li></ul><ul><li>E é isso que os profissionais que lá trabalham, bem como os diversos voluntários, tentam dar a cada um dos meninos e meninas até ao encaminhamento para a adopção ou o regresso à família biológica. </li></ul>
  4. 4. Crianças vitimas de maus tratos <ul><ul><li>Portugal vive hoje uma situação de emergência infantil, há uma centena de menores todos os dias vítimas de alguma forma de mau trato. E há neste momento cerca de 110 mil crianças em perigo e que deviam ser alvo de toda a atenção para que não se transformem em vítimas. </li></ul></ul><ul><ul><li>É aconselhável que o Estado e a sociedade civil se unam na protecção de menores - é uma tarefa de todos. Como essa prevenção não é feita, acontece que estamos a detectar muito mais a vitimização e pouco o perigo. É tempo de parar de acolher vítimas. Temos é de acolher os menores em perigo e em risco. </li></ul></ul><ul><ul><li>Nos casos de abuso sexual intra-familiar, as comissões não deveriam tentar fazer acordos, mas entregar imediatamente o caso aos tribunais. Não há acordo possível, é um crime. Porém, por diversos motivos, privilegia-se ainda a família biológica, apesar de tudo. Nos casos de abuso sexual, o grande risco que se corre ainda continua a ser o silêncio. </li></ul></ul>
  5. 5. <ul><li>Porque batem os adultos? </li></ul><ul><li>Porque a vida lhes corre mal, porque não têm paciência, porque o seu dia a dia está repleto de contrariedades e dificuldades com as quais não sabem lidar e por isso descarregam todas as suas frustrações naqueles que são mais fracos, mais desprotegidos e que não têm condições para se defender. </li></ul>
  6. 6. Bater numa criança é um sinal de covardia, é uma forma animalesca de dizer a alguém que tem um terço, ou metade do nosso tamanho, “Eu é que mando, e tu tens de obedecer”, é uma forma grotesca de dizer “Não aprendes a bem, aprendes a mal” e é principalmente uma manifestação de intolerância, de falta de carinho e de amor.
  7. 7. Objectivo da instituição <ul><li>Desde o início do seu funcionamento, em 1990, até aos dias de hoje, a Casa do Caminho acolheu 433 crianças e encaminhou 235 para adopção, 144 para famílias, biológicas ou adoptivas, e 44 para outras instituições de acolhimento. </li></ul><ul><li>O principal objectivo da instituição é “dar um colo a estas crianças e encontrar uma família onde possam desenvolver-se harmoniosamente”. O desejo passa sempre pelo regresso à família biológica, desde que esta reúna as condições para proporcionar esse desenvolvimento saudável, mas “o fundamental é que a criança tenha uma FAMÍLIA, seja biológica ou adoptiva”. </li></ul>
  8. 8. Direitos da criança <ul><li>• Direitos à sobrevivência (ex. o direito a cuidados adequados) </li></ul><ul><li>• Direitos relativos ao desenvolvimento (ex. o direito à educação) </li></ul><ul><li>• Direitos relativos à protecção (ex. o direito de ser protegida contra a exploração) </li></ul><ul><li>• Direitos de participação (ex. o direito de exprimir a sua própria opinião) </li></ul>
  9. 9. Objectivos <ul><li>Os nossos objectivos, como grupo, consistem em: </li></ul><ul><li>Descobrir o modo de vida das crianças da instituição; </li></ul><ul><li>Interagir com elas, através de uma visita; </li></ul><ul><li>Angariar donativos para doar à instituição; </li></ul><ul><li>… </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><li>11º CLH </li></ul><ul><li>Antónia Vanuza, Nº 8 </li></ul><ul><li>Cátia Magano, Nº 10 </li></ul><ul><li>Gabriel Soares, Nº 11 </li></ul><ul><li>José Eduardo, Nº 14 </li></ul><ul><li>11º TPG </li></ul><ul><li>David, Nº 3 </li></ul><ul><li>João Luís, Nº11 </li></ul><ul><li>Mariana Calisto, Nº12 </li></ul>

×