Que imagem, ou imagens, lhe lembram da sua típica experiência de adoração corporativa?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>&quot;Se as particularidades da humanidade que se expressam nas obras artísticas são em última análise um resultad...
Arte:  Uma Experiência Activa Lóbulo Occipital  (“cérebro visual”) Cortex Prefrontal ( decisões, pensamento consciente ) S...
V1 V5 V2 V4 movimento, cor, forma, rostos Cérebro Visual
2 Funções do Cérebro Visual   <ul><li>Constância:   </li></ul><ul><li>Procura de conhecimento das propriedades constantes ...
A arte não reproduz o visível; ela torna as coisas visíveis. -- Paul Klee
<ul><li>Arte para envolver, para suscitar   </li></ul><ul><li>Experiências </li></ul><ul><li>Sentido do próprio ser </li><...
Saul persegue David  D. Schwebel
“ efeito de mudança de pico” :  outro uso da ambiguidade
 
http://www.bildimpuls.de/
 
 
<ul><li>Planear antecipadamente – o uso das artes visuais tomará tempo e direcção   </li></ul><ul><li>Porque estamos a gui...
Demasiado choque é contraproducente: compreensão simbólica  violência poder vergonha, história, divisão
 
Convite Sem Informação   <ul><li>Convidar pessoas para a adoração sem dirigir a atenção delas a um tema específico é como ...
… e qual é a sua imagem de adoração?
Conceitos de Arte?     Lembre-se: Comece com as Perguntas   <ul><li>Sabedoria </li></ul><ul><li>Esperança </li></ul><ul><l...
Histórias & Personagens   <ul><li>Homem orgulhoso & Publicano  *   </li></ul><ul><li>Luta de Jacob *   </li></ul><ul><li>P...
Arte: Debate Histórico   <ul><li>Duas Preocupações Chave:   </li></ul><ul><ul><li>Arte de adoração versus o Deus que possa...
Arte: Debate Histórico   <ul><li>Versão modificada do iconoclasmo durante a Reforma   </li></ul><ul><ul><li>Zwingli era co...
<ul><li>Disto tenho a certeza, que Deus deseja ter as suas obras ouvidas e lidas, especialmente a paixão do nosso Senhor. ...
Anteriormente   <ul><li>Agostinho seguiu a noção platónica de que a beleza que percepcionamos através dos nossos sentidos ...
E  Hoje?   <ul><li>Novo respeito pelo “sentimento-conhecimento” - consciência fora da nossa fé lógica e racional  </li></u...
Arte como   … <ul><li>&quot;visualização do mistério&quot;   </li></ul><ul><li>proclamação </li></ul><ul><li>testemunho da...
… e como todas as formas de adoração   <ul><li>Poderosa – positiva ou negativamente  </li></ul><ul><ul><li>Evitar manipula...
Earlier  <ul><li>Augustine followed the Platonic notion that the beauty that we perceive through our senses and that we co...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arte Visual na Adoração

195 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
195
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Arte Visual na Adoração

    1. 2. Que imagem, ou imagens, lhe lembram da sua típica experiência de adoração corporativa?
    2. 29. <ul><li>&quot;Se as particularidades da humanidade que se expressam nas obras artísticas são em última análise um resultado da variabilidade ainda-não-tabelada na estrutura e funcionalidade do córtex cerebral, assim é a variabilidade de como experimentamos arte. Esta a razão porque normalmente atribuímos arte a um mundo privado e subjectivo; a sua riqueza baseia-se no facto do seu poder, em perturbar e despertar, varia entre indivíduos. Ao fazer isto, não reconhecemos suficientemente, se é que alguma coisa, a extensão até à qual essa subjectividade e variabilidade são baseadas sobre uma base comum. É essa base comum que nos permite comunicar acerca da e através da arte, com ou sem o uso da palavra escrita ou falada.” </li></ul><ul><li>- Semir Zeki, neurobiologista, University College London </li></ul>
    3. 30. Arte: Uma Experiência Activa Lóbulo Occipital (“cérebro visual”) Cortex Prefrontal ( decisões, pensamento consciente ) Sistema Límbico (emoção & memória)
    4. 31. V1 V5 V2 V4 movimento, cor, forma, rostos Cérebro Visual
    5. 32. 2 Funções do Cérebro Visual <ul><li>Constância: </li></ul><ul><li>Procura de conhecimento das propriedades constantes e essenciais dos objectos e superfícies (embora a informação esteja em contaste mudança) </li></ul><ul><li>Abstracção: </li></ul><ul><li>Processo onde o particular fica subordinado ao geral – assim para “saber” não ficamos dependentes de cada pormenor </li></ul>
    6. 33. A arte não reproduz o visível; ela torna as coisas visíveis. -- Paul Klee
    7. 34. <ul><li>Arte para envolver, para suscitar </li></ul><ul><li>Experiências </li></ul><ul><li>Sentido do próprio ser </li></ul><ul><li>Emoção </li></ul>Ambiguidade: A “consciência” começa quando uma experiência se tornar a minha experiência … versus a arte para responder ou ilustrar
    8. 35. Saul persegue David D. Schwebel
    9. 36. “ efeito de mudança de pico” : outro uso da ambiguidade
    10. 38. http://www.bildimpuls.de/
    11. 41. <ul><li>Planear antecipadamente – o uso das artes visuais tomará tempo e direcção </li></ul><ul><li>Porque estamos a guiar a mente, precisamos ser muito intencionais…. criando um contexto versus somente uma experiência isolada e momentânea </li></ul>
    12. 42. Demasiado choque é contraproducente: compreensão simbólica violência poder vergonha, história, divisão
    13. 44. Convite Sem Informação <ul><li>Convidar pessoas para a adoração sem dirigir a atenção delas a um tema específico é como convidá-las para as Olimpíadas mas não lhes dizer em quais dos eventos irão participar. . </li></ul><ul><li>Não entrar no seu mundo de experiência é um desperdício… mesmo da própria obra de Deus, na vida deles. </li></ul>
    14. 45. … e qual é a sua imagem de adoração?
    15. 46. Conceitos de Arte? Lembre-se: Comece com as Perguntas <ul><li>Sabedoria </li></ul><ul><li>Esperança </li></ul><ul><li>Compaixão </li></ul><ul><li>Cura </li></ul><ul><li>Santidade </li></ul><ul><li>Fé </li></ul><ul><li>Paz </li></ul><ul><li>Perdão </li></ul><ul><li>Graça </li></ul><ul><li>Inimigo </li></ul><ul><li>Orgulho </li></ul><ul><li>Ira </li></ul><ul><li>Vergonha </li></ul><ul><li>Redenção </li></ul><ul><li>Reconciliação </li></ul><ul><li>Dor </li></ul>
    16. 47. Histórias & Personagens <ul><li>Homem orgulhoso & Publicano * </li></ul><ul><li>Luta de Jacob * </li></ul><ul><li>Parábolas? </li></ul><ul><li>Bem-aventuranças ou Sermão do Monte? </li></ul><ul><ul><li>Labirinto da oração? </li></ul></ul><ul><li>??? </li></ul>
    17. 48. Arte: Debate Histórico <ul><li>Duas Preocupações Chave: </li></ul><ul><ul><li>Arte de adoração versus o Deus que possa representar </li></ul></ul><ul><ul><li>Imagens do mundo temporal poderão distrair-nos do reino celestial… foco errado para a nossa atenção </li></ul></ul><ul><li>Resposta: Iconoclasmo – em 726, Leão III do Império Bizantino tomou uma posição contra a veneração de ícones </li></ul><ul><ul><li>Esta era de Iconoclasmo durou um pouco mais de um século </li></ul></ul>
    18. 49. Arte: Debate Histórico <ul><li>Versão modificada do iconoclasmo durante a Reforma </li></ul><ul><ul><li>Zwingli era contra o uso de imagens artísticas… mas não as revogou completamente como uma forma de meditação ou instrução </li></ul></ul><ul><ul><li>Calvin achou-as úteis para ilustras histórias bíblicas ou lições </li></ul></ul><ul><ul><li>Luther argumentou que as artes visuais poderiam ser meios da graça, tal como o uso de sacramentos… imagens em acção </li></ul></ul>
    19. 50. <ul><li>Disto tenho a certeza, que Deus deseja ter as suas obras ouvidas e lidas, especialmente a paixão do nosso Senhor. Mas é-me impossível ouvir e ter em mente sem formar imagens mentais disso no meu coração. Porque quer eu queira ou não, quando ouço de Cristo, uma imagem de um homem pendurado na cruz forma-se no meu coração, tal como o reflexo do meu rosto naturalmente aparece na água quando me olho nela. Se não é um pecado, mas algo bom ter a imagem de Cristo no meu coração, porque seria pecado tê-la nos meus olhos? </li></ul><ul><li>- Martin Luther </li></ul>
    20. 51. Anteriormente <ul><li>Agostinho seguiu a noção platónica de que a beleza que percepcionamos através dos nossos sentidos e que passamos a amar ardentemente leva-nos à fonte inicial da própria beleza. Se Deus não fosse a origem e o criador da beleza, estas coisas maravilhosas não teriam existido de todo. </li></ul><ul><li>--  Augustine, Confessions , como citadas em &quot;The Arts in Protestant Worship,&quot; by Robin M. Jensen in Theology Today, 2001 . </li></ul>
    21. 52. E Hoje? <ul><li>Novo respeito pelo “sentimento-conhecimento” - consciência fora da nossa fé lógica e racional </li></ul><ul><li>Reconhecimento que a nossa consciência/experiência é altamente subjectiva </li></ul><ul><ul><li>Nós criamos um mundo interno para fazer sentido daquilo que experimentamos, para dar-lhe significado </li></ul></ul><ul><ul><li>&quot;conhecimento subjectivo” versus “conhecimento objectivo” </li></ul></ul><ul><ul><li>Especialmente claro nas crianças… mas não desaparece </li></ul></ul><ul><li>Os adoradores não chegam à igreja “vazios” </li></ul><ul><li>Eles não esperam que a adoração somente os ajude a compreender o seu mundo exterior… mas também o seu mundo interior </li></ul>
    22. 53. Arte como … <ul><li>&quot;visualização do mistério&quot; </li></ul><ul><li>proclamação </li></ul><ul><li>testemunho da escolha de Deus em perdoar </li></ul><ul><li>… e a nossa escolha em seguir </li></ul><ul><li>&quot;prolongando a presença&quot; </li></ul><ul><li>envolvimento </li></ul><ul><li>desafio </li></ul><ul><li>Afirmando o mundo ordeiro </li></ul><ul><li>afectando a nossa vontade </li></ul><ul><li>ajudando-nos a reflectir sobre o que somente conseguimos agora “ver em parte </li></ul><ul><li>expressão e exortação </li></ul>
    23. 54. … e como todas as formas de adoração <ul><li>Poderosa – positiva ou negativamente </li></ul><ul><ul><li>Evitar manipulação </li></ul></ul><ul><ul><li>Evitar o quer que seja desagradável ou humilhante, vergonhoso </li></ul></ul><ul><ul><li>Ser consciente de mensagens enviadas através das peças </li></ul></ul><ul><li>Correctas bíblica e teologicamente </li></ul><ul><ul><li>Não deve contradizer outras fontes de verdade </li></ul></ul><ul><li>Fortalecer o Corpo, a comunidade dos adoradores </li></ul>
    24. 55. Earlier <ul><li>Augustine followed the Platonic notion that the beauty that we perceive through our senses and that we come to love ardently draws us toward the ultimate source of the beauty itself. If God were not the origin and creator of beauty, these beautiful things could not have existed at all. </li></ul><ul><li>-- Augustine, Confessions , as quoted in “The Arts in Protestant Worship,” by Robin M. Jensen in Theology Today, 2001. </li></ul>

    ×