"Passeio maravilhoso"
História inédita - "Passeio maravilhoso"   Olha que lindo! – exclama o Rui. Como eu gosto da Natureza ... de pas...
 
O Luís chega ainda meio ensonado, esfregando os olhos diz: - Olá Rui, eu ainda tenho tanto sono! ... - Ora, ora, anda lá! ...
 
Rui e Luís dirigiram-se para casa da Joana. - Joana! Ó Joana! – gritam os dois amigos. - Vou já, vou já. - Olá, então vamo...
 
Os três amigos lá vão rua fora, cantando e brincando até chegarem ao campo. De repente, no meio das árvores, ao olharem pa...
 
-Ah! Já apareceste?! - pergunta o Rui. O Sol espantado diz: - Já apareci? Mas eu ainda não saí daqui! - Não saíste? Então ...
 
E lá continuaram o seu passeio. Depois de andarem um bom bocado, decidiram ir para casa. Já eram quase horas do almoço e, ...
 
- Deixa lá, nós vamos ajudar-te; a ti e a todas as tuas amigas Flores. - diz a Joana. Vamos pedir aos outros meninos para ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Passeio Maravilhoso

1.373 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.373
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Passeio Maravilhoso

  1. 1. "Passeio maravilhoso"
  2. 2. História inédita - "Passeio maravilhoso" Olha que lindo! – exclama o Rui. Como eu gosto da Natureza ... de passear, sentir o cheiro das flores e ouvir o canto dos passarinhos!                         Continuando o passeio, chega a casa do seu amigo Luís e grita-lhe: - Luís! Ó Luís! Olha que o Sol já acordou e já está bem alto e tu ainda não estás despachado, seu preguiçoso!
  3. 4. O Luís chega ainda meio ensonado, esfregando os olhos diz: - Olá Rui, eu ainda tenho tanto sono! ... - Ora, ora, anda lá! Logo vais despertar. - diz-lhe o amigo. - És capaz de ter razão. Espera um pouco que eu vou lavar a cara a correr. Volto já. Eu gosto tanto de passear! ...
  4. 6. Rui e Luís dirigiram-se para casa da Joana. - Joana! Ó Joana! – gritam os dois amigos. - Vou já, vou já. - Olá, então vamos passear? Está uma linda manhã ...
  5. 8. Os três amigos lá vão rua fora, cantando e brincando até chegarem ao campo. De repente, no meio das árvores, ao olharem para o céu não vêem o Sol. Então o Luís exclama: - Vejam, o Sol desapareceu! - É verdade, onde se terá metido o malandro? - pergunta o Rui. -Talvez se tenha escondido atrás de uma árvore. Se calhar gosta de jogar às escondidas. - diz a Joana. E lá começaram todos a procurá-lo atrás das árvores. - Bem, já que não o achamos, o melhor é continuarmos o nosso passeio. E lá foram os três caminhando. Depois de passarem por todas aquelas árvores ... o Sol começou a espreitar.
  6. 10. -Ah! Já apareceste?! - pergunta o Rui. O Sol espantado diz: - Já apareci? Mas eu ainda não saí daqui! - Não saíste? Então por que é que te procuramos no meio das árvores grandes e não te vimos? - pergunta o Luís muito admirado. O Sol que já era muito velhinho e sabia muitas coisas da vida, respondeu-lhes: - Então meninos não sabem? Eu não posso aparecer no meio dessas árvores grandes porque elas não deixam que a minha luz e o meu calor cheguem até ao chão. Por isso, as pessoas quando olham para o céu não me vêem. - Então é por isso que estava tudo húmido ali ... - diz a Joana. - ... e mais escuro. - completa o Luís. O Sol um pouco desanimado diz-lhes: - Pois é, mas não se pode fazer nada; são coisas da mãe Natureza! Bem meninos, agora que já sabem mais este segredo podem ir embora, porque ainda falta muito tempo para eu desaparecer de novo. - Adeusinho, senhor Sol. - despedem-se os três amigos.
  7. 12. E lá continuaram o seu passeio. Depois de andarem um bom bocado, decidiram ir para casa. Já eram quase horas do almoço e, como o passeio lhes abriu o apetite ... estavam cheios de fome! Mas ... quando regressavam a casa encontraram uma Flor que estava muito triste, como eles nunca tinham visto. Aproximaram-se dela e o Rui perguntou-lhe: - Que tens tu, linda Flor? Estás tão triste! - Não estou triste, isso é impressão vossa. - respondeu-lhe a Flor. Estás triste, sim senhora. - repete a Joana. Tu costumas gritar toda sorridente à luz do Sol e sacudir as tuas pétalas tão bonitas, sua vaidosa. - Sabem, é que nem todos os meninos gostam de mim como vocês. - diz a Flor muito triste. - O que é que queres dizer? Ah ... por que é que a tua pétala está caída? - pergunta-lhe o Rui. - Foi um menino que vinha a beber um sumo e quando acabou de o beber "zás" ... mandou a lata para o chão e quebrou-me uma pétala. Eu bem gritei, mas como não me posso deslocar, fiquei neste estado! - murmura a Flor.
  8. 14. - Deixa lá, nós vamos ajudar-te; a ti e a todas as tuas amigas Flores. - diz a Joana. Vamos pedir aos outros meninos para nunca mais deitarem lixo para o chão. Todos se apressaram a pôr terra e água em volta do caule da Flor. - Pronto, agora já te sentes melhor? - pergunta-lhe o Luís. - Com todo o vosso carinho até parece que já estou boa! - responde a Flor. - Adeus Flor, até qualquer dia. - Adeus meninos. E assim os três amigos terminaram o seu passeio e de volta para casa iam cantando alegremente e felizes por terem aprendido tantas coisas ... ficaram a saber uma vez mais que se deve tratar com carinho tudo aquilo que a Mãe Natureza nos dá. História de Paula Perna           

×