VIDA APÓS A MORTE

2.202 visualizações

Publicada em

Palestra espírita elaborada por Jorge Luiz, Fortaleza, Ceará.
Contato: jorge.grauca@gmail.com
Visitem os blogs:
http://canteiroideias.blogspot.com.br/
https://bancadocoaching.wordpress.com/

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.409
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

VIDA APÓS A MORTE

  1. 1. pós-morte e as religiões “Do ponto de vista religioso o Espiritismo tem por base as verdades fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma, a imortalidade, as penas e as recompensas futuras, sendo, porém, independente de qualquer culto em particular. Seu objetivo é provar àqueles que negam, ou que duvidam, que a alma existe, que ela sobrevive ao corpo e que sofre, após a morte, as consequências do bem e do mal que praticar durante a vida corpórea: o objetivo de todas as religiões”. “O Espiritismo na sua Expressão mais Simples – Allan Kardec
  2. 2. j u d a í s m o “(...) Os saduceus mantinham a crença mais antiga de que os mortos não retornavam e negavam, portanto a ressurreição e a imortalidade da alma. Os essênios acreditavam na imortalidade da alma e negavam a ressurreição. E os fariseus, os percussores do judaísmo rabínico, mantinham a crença na ressurreição e na imortalidade da alma, crença esta partilhada com os primeiros cristãos.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Rabino Alexandre Leone.
  3. 3. j u d a í s m o “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Rabino Alexandre Leone. “Não é difícil ler no pensamento de Hillel indícios de uma outra crença que começará a se delinear nos meios místicos judaicos a partir da Idade Média: a ideia da reencarnação. Não que Hillel já tivesse no século I uma clara ideia da reencarnação, mas sua visão da ressurreição se parece muito com a crença na reencarnação.”
  4. 4. j u d a í s m o “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Rabino Alexandre Leone. “Essa interpretação é corroborada por alguns estudiosos que leem as afirmações de Flávio Josefo passagens como em Antiguidades Judaicas (18:1,3) e em As Guerras dos Judeus (2:8,14) alusões à crença na reencarnação já no período dos primeiros rabinos do primeiro século.”
  5. 5. c a t o l i c i s m o “Ressurreição não é a revitalização do cadáver, mas a transformação humana inteira e global por dentro de novas dimensões do ser.”(...) Tal ressurreição, porém, não mais está sendo compreendido como revitalização de um cadáver depois de um longo intervalo entre morte e ressurreição. (...) Deus, na morte da pessoa, ressuscita esta pessoa humana inteira e global, com todas as suas dimensões.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Renold Blank.
  6. 6. c a t o l i c i s m o “Para poder participar porém, da nova maneira de ser, oferecida por Deus numa existência pós-morte, esta pessoa ainda precisa de evolução. É a convicção da teologia católica, que tal evolução, depois da única vida vivida, é possível na morte. Ela está sendo compreendida como uma das experiências marcantes do primeiro encontro com Deus. O seu nome tradicionalmente é conhecido como “experiência de Purgatório.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Renold Blank.
  7. 7. i s l a m i s m o “Após a morte nossa alma entra no universo denominado barzakh, que é o universo intermediário entre o universo material e o espiritual, onde ficará até o fim dos tempos, o Dia do Julgamento Final. (...). Neste dia, todas as almas serão ressuscitadas e colocadas diante do Senhor para o Julgamento Final que determinará a sua morada Eterna, Paraíso ou Inferno.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Sheikh Muhammad Ragip.
  8. 8. i s l a m i s m o “O primeiro a ser ressuscitado será o Profeta Muhammad, depois os demais profetas. Ao Profeta Muhammad será concedida a graça de interceder pela sua comunidade junto a Allah.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Sheikh Muhammad Ragip.
  9. 9. i s l a m i s m o “As almas serão levadas à Balança para que suas ações e intenções sejam pesadas, serão depois conduzidas a passar pela ponte de Sirat, imensa ponte que passa sobre o Inferno em toda a sua extensão, mais afiada que uma espada e mais fina que um fio de cabelo. Os infiéis, por decreto de Allah escorregarão e cairão no Inferno, e os pés dos fiéis serão feitos rápidos por conta da generosidade e misericórdia de Allah.” “A Arte de Morrer” – Visões Plurais – Sheikh Muhammad Ragip.
  10. 10. “Dirige-se apenas (o Espiritismo) aos que a ele vêm livremente, e dele necessitam. Não se dirige aos que têm uma fé qualquer e que esta fé basta, mas aos que não a têm ou que duvidam, e lhes dá a crença que lhes falta, não mais particularmente a do catolicismo, do protestantismo, do judaísmo ou do islamismo, mas a crença fundamental, base indispensável de toda religião. Aí termina o seu papel. Estabelecida esta base, cada um é livre para seguir a rota que melhor satisfaça à sua razão.” (Allan Kardec) “Revista Espírita” – setembro de 1867.
  11. 11. a hora final “Dolorosas, cheias de angústias para uns, a morte não é, para outros, senão um sono agradável seguido de um despertar silencioso. O desprendimento é fácil para aquele que previamente se desligou das coisas deste mundo, para aquele que aspira, aos bens espirituais e que cumpriu os seus deveres. Há, ao contrário, luta, agonia prolongada, no Espírito preso à Terra, que só conheceu os gozos materiais e deixou de preparar-se para essa viagem.” “Depois da Morte”, Léon Denis.
  12. 12. r e e n c o n t r o s “(...) Quase sempre eles o vêm receber na sua volta ao mundo dos Espíritos e o ajudam a se libertar das faixas da matéria.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 160.
  13. 13. o e s p í r i t a “O conhecimento do Espiritismo tem alguma influência sobre a duração, mais ou menos longa, dessa perturbação? - Uma influência muito grande, uma vez que o Espírito já compreendia antecipadamente sua situação. Mas a prática do bem e a consciência pura exercem maior influência.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 165.
  14. 14. vida espírita “O ensino dos Espíritos sobre a vida de além-túmulo faz-nos saber que no espaço não há lugar algum destinados à contemplação estéril, à beatitude ociosa. Todas as regiões do espaço estão povoadas por Espíritos laboriosos.” “Depois da Morte”, Léon Denis.
  15. 15. “ – Espírito errante, que aspira a um novo destino e o espera.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 224.
  16. 16. “O Espírito progride no estado errante? - Pode melhorar-se bastante, sempre de acordo com a sua vontade e o seu desejo; mas é na existência corpórea que ele põe em prática as novas ideias adquiridas.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 230.
  17. 17. “ – Estudam o seu passado e procuram meio de se elevarem. Veem, observam o que se passa nos lugares que percorrem; escutam os discursos dos homens esclarecidos e os conselhos dos Espíritos mais elevados que eles e isso lhes proporcionam ideias que não possuíam.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 227.
  18. 18. Mundos Transitórios Percepções e Sensações Relações de Além-Túmulo Relações Simpáticas e Antipáticas Lembrança da Existência Corpórea
  19. 19. “- Sim, sem dúvida, se ela se baseia numa verdadeira simpatia: mas se as causas de ordem física tiverem maior influência que a simpatia, ele cessa com as causas. As afeições, entre os Espíritos, são mais sólidas e mais duráveis que na Terra, porque não estão subordinadas ao capricho dos interesses materiais e do amor próprio.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 297.
  20. 20. provas da vida espírita “(...) Mas é uma consolação poderdes comunicar-vos com os vossos amigos, enquanto esperais o aparecimento de outros mais diretos e mais acessíveis aos vossos sentidos.” “O Livro dos Espíritos”, questão nº 934.
  21. 21. t c i “A palavra Transcomunicação foi criada pelo físico e estudioso de TCI, Dr. Ernst Senkowski. Surgiu com a finalidade de ser um termo genérico para designar as formas tradicionais de comunicação mediúnica, como suas novas formas por meio de equipamentos eletrônicos.” “Espiritismo e Transcomunicação, Djalma Argollo.
  22. 22. “Ambos (Padre Pellegrino Ernetti e Padre Gemelli) levaram ao conhecimento do Papa Pio XII, que os teria tranquilizado, ao considerar que esse fenômeno é do domínio da ciência, estimulando-os a prosseguir porque esse fato "poderá, talvez, marcar o início de um novo estudo científico que virá a confirmar a fé no além." “Linha Direta do Além”, Pe. François Brune e Rèmy Chauvin. t c i
  23. 23. t c i “(...) o manual explica a necessidade de se combinar a tecnologia eletrônica com um tipo incomum de energia psíquica como a do tipo utilizada por nosso associado William O’Neil. Ele é o único membro de nossa equipe de pesquisa que a possui em um nível necessário.” George Meek anunciando em uma conferência para a imprensa sobre o projeto Mark, abril de 1982.
  24. 24. Já está bem... Tá mais gordo... Não será nada fácil... Eu te amo... Ermezinda vai quinta-feira... t c i “O Além da Esperança”, Sonia Rinaldi.
  25. 25. t c i Abade Aloisio Wiesinger Konstantin Raudive
  26. 26. t r v p “Sempre que há um trauma na luta para nascer, a forma do trauma revela-se um espelho simbólico e fiel das experiências acumuladas de mortes em vidas passadas, com todo o terror e sofrimento que as acompanham.” “As Várias Vidas da Alma”, Roger Woolger.
  27. 27. e q m “Na ausência de prova científica consistente, as pessoas frequentemente perguntam se eu acredito que as EQMs são uma evidência da vida depois da vida. Minha resposta é “Sim.” “A Luz que vem do Além”, Dr. Raymond A. Moody Jr.
  28. 28. e q m “Ele me disse: “Irmão Heber, eu estive no mundo do espírito duas noites sucessivas, e de todos os medos que enfrentei, o pior foi ter de retornar ao meu corpo, apesar de eu ter de fazê-lo.” “A Luz que vem do Além”, Dr. Raymond A. Moody Jr.

×