SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO I - AMAI-VOS!

1.080 visualizações

Publicada em

Seminário Espírita em dois módulos - MÓDULO I - Amai-vos!, elaborado por Jorge Luiz - Fortaleza - Ceará - Brasil.
email: jorge.grauca@gmail.com

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.080
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO I - AMAI-VOS!

  1. 1. AMAi-VOS!
  2. 2. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA APRENDER A CONVIVER APRENDER A SER APRENDER A AMAR (OLIVEIRA, Wanderley S. in Laços de Afeto)
  3. 3. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA CONFLITOS INTERPESSOAIS FALHAS DE OPINIÕES E PRESSÃO INTERESSES COMUNICAÇÃO TEMPORAL DIVERGENTS EXPECTATIVAS CONFLITOS DE PROBLEMAS DIFERENTES PERSONALIDADES PESSOAIS
  4. 4. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA CONFLITOS INTERPESSOAIS“(....) essas divergências têm por motivo, namaioria das vezes, questões acessórias ouaté mesmo simples palavras. Seria pueril,portanto, cindirem o grupo, formando umoutro à parte por não pensarem da mesmamaneira. Haveria ainda coisa pior, se osdiversos grupos ou sociedades de umamesma cidade se olhassem reciprocamentecom inveja.” (O Livro dos Médiuns, item 349)
  5. 5. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA CONFLITOS INTRAPESSOAL “(...) São conflitos internos que afetam a concentração, a motivação, a vontade de participar e a habilidade de interagir com outros. Nos casos extremados, o indivíduo é levado ao stress”. (DINSMORE, Paul C. in Poder e Influência Gerencial)
  6. 6. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA CONFLITOS E BENEFÍCIOSTÉCNICAS PARA ADMINISTRAR CONFLITOS TODO MUNDO TEM RAZÃO LEI DO REFORÇO POSITIVO SEJA SINCERO SEM OFENDER (OLIVEIRA, Alkíndar in Aprimoramento Espírita)
  7. 7. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA CONFLITOS E BENEFÍCIOS TÉCNICAS PARA ADMINISTRAR CONFLITOS“Administrar conflitos não significa eliminá-los, mas tratá-los de modo inteligente. Épreciso não esquecer que divergências sãopróprias de relações saudáveis. Portanto,dirigentes e dirigidos devem estar preparadospara lidar com elas, pois desta maneira,situações conflituosas podem sertransformadas em benefícios para todos.” (DINSMORE, Paul C. in Poder e Influência Gerencial)
  8. 8. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS“No processo de desenvolvimento dacompetência interpessoal, feedback éum processo de ajuda para mudanças decomportamento; é comunicação de umapessoa, ou grupo, no sentido defornecer-lhe informações sobre como suaatuação está afetando outras pessoas.” (MOSCOVICI, Fela in Desenvolvimento Interpessoal)
  9. 9. I. DESAFIOS NO TRABALHO ESPÍRITA IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS COMO PROCESSO ÚTIL DESCRITIVO AO ESPECÍFICO AO COMPATÍVEL COM INVÉS DE INVÉS DE AS NECESSIDADES AVALIATIVO GERAL DE AMBOS SOLICITADO AO INVÉS DE IMPOSTO DIRIGIDO ESCLARECIDO OPORTUNO
  10. 10. POR QUE É DIFÍCIL RECEBER FEEDBACK? “Às vezes a resolução de um problema pode significardescobrir e reconhecer algumasfacetas da nossa personalidadeque temos evitado ou desejado evitar até de pensar.” (MOSCOVICI, Fela in Desenvolvimento Interpessoal)
  11. 11. POR QUE É DIFÍCIL DAR FEEDBACK?“Mas isso é também uma razão para ofazerdes com moderação, com umaintenção útil e não, como geralmente sefaz, pelo prazer de denegrir. Nesteúltimo caso, a censura é uma maldade;no primeiro, é um dever que a caridademanda cumprir com todas as cautelaspossíveis; (...).” (Espírito S. Luiz) (O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. X, item 19)
  12. 12. COMO SUPERAR AS DIFICULDADESCONFIANÇA EXAMERECÍPROCA CONJUNTOAPRENDENDO EQUILÍBRIO A OUVIR EMOCIONAL
  13. 13. II. RELACIONAMENTO HARMONIOSO HOMOGENEIDADE“A comunhão de pensamentos e desentimentos para o bem é, assim, uma coisade primeira necessidade, e essa comunhãonão pode encontrar-se num meioheterogêneo, onde teriam acesso as baixaspaixões do orgulho, da inveja e do ciúme,paixões que sempre se trairiam pelamalevolência e pela acrimônia de linguagem,(...).” (KARDEC, Allan in Revista Espírita-jul/1869)
  14. 14. II.RELACIONAMENTO HARMONIOSO ASSISTÊNCIA DOS BONS ESPÍRITOS “A natureza dos sentimentos que dois homens se manifestem um pelo outro é a pedra de toque pela qual podemos conhecer a natureza dos Espíritos que os assistem.” (O Livro dos Médiuns – 2ª parte – Cap. XXXI, 22)
  15. 15. III. A TRILOGIA KARDEQUIANATRABALHO  SOLIDARIEDADE  TOLERÂNCIA HUMANIZAR
  16. 16. IV.A UNIÃO – “O ESPÍRITO DA VERDADE”“Felizes serão os que houverem dito aosseus irmãos: “Trabalhemos juntos e unamosnossos esforços, a fim de que o Senhor, nasua vinda, encontre a obra acabada”,porque a esse o senhor dirá: “Vinde a mim,vós que sois os bons servidores, vós quesoubestes calar os vossos melindres e asvossas discórdias para que a obra nãosofresse!” (Espírito da Verdade)(O Evangelho Segundo o Espiritismo–Cap. XX, item 5)
  17. 17. IV.A UNIÃO – “ALLAN KARDEC”“Esses grupos, correspondendo-se entresi, visitando-se, permutando suasobservações, podem, desde logo, formarum núcleo da grande família espíritaque um dia reunirá todas as opiniões,unindo os homens no mesmosentimento de fraternidadecaracterizado pela caridade cristã.”(O Livro dos Médiuns, 2ª parte – Cap. XXIX, item 334)
  18. 18. I.A UNIÃO – “BEZERRA DE MENEZES”“Solidários, seremos união. Separadosuns dos outros, seremos pontos de vista.Juntos, alcançaremos a realização denossos propósitos. Distanciados entrenós, continuaremos à procura do trabalhocom que já nos encontramos honradospela Divina Providência.” (Psicografia de F. C. Xavier – Mensagem de União - “Unificação” nov/dez-1980)
  19. 19. NA EQUIPE CRISTÓ...um grupo espírita é umaequipe de Jesus em ação. Equipe em que somente o propósito do Mestre Divino prevalece, na produção de amor e luz a que todas as expressões do Evangelho são chamadas.
  20. 20. ...procuremos no trabalho, queo Senhor nos reserva, a posição de serviço que nos é própria, nela buscando a felicidade deobedecer ao Celeste Orientador.
  21. 21. Nem queixas, nem exigências. Nem deserção, nem exclusivismo. Nem lamentação que é indisciplina, nem exameprecipitado do concurso alheio que redunda em desordem.
  22. 22. “...busquemos a tarefa que nos cabe realizar e a edificação coletiva com Jesus erguer-se-á sublime, lançando segurosalicerces no presente para que o futuro pertença ao reino de Deus.
  23. 23. ...não nos esqueçamos de que somos os braços do Senhor emserviço d’Ele e, aceitando a nossa condição nesse clima de fraternidade e interdependência, ante a Supervisão Divina, estejamos convencidos de quecomo equipe do Benfeitor Eterno, estaremos concretizando o Seuexcelso programa de luz e amor.” (Espírito Bezerra de Menezes)

×