MOVIMENTO ESPÍRITA "Joeirar o Trigo"

1.407 visualizações

Publicada em

Palestra espírita elaborada por Jorge Luiz, Fortaleza, Ceará, Brasil.
jorge.grauca@gmail.com
Visite o blog. www.canteiroideias.blogspot.com.br

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.407
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
461
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MOVIMENTO ESPÍRITA "Joeirar o Trigo"

  1. 1. (O Trabalho de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro – FEB)
  2. 2. 05 de outubro de 1949 Conselho Federativo Nacional Caravana da Fraternidade Leopoldo Machado Movimento de Unificação (O Trabalho de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro – FEB)
  3. 3. Estudo da Doutrina Espírita Estudo, Educação e Prática da Mediunidade Educação Espírita para Crianças e Adultos SAPSE Evangelho no Lar União e Unificação Atividades Administrativas (O Trabalho de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro – FEB)
  4. 4. “As atividades que compõem o Movimento Espírita são realizadas por pessoas, isoladamente ou em conjunto, e por Instituições Espíritas.” (O Trabalho de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro – FEB)
  5. 5. (O Trabalho de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro – FEB)
  6. 6. (CARVALHO, A. César Perri in Espiritismo e Modernidade)
  7. 7. (CARVALHO, A. César Perri in Espiritismo e Modernidade)
  8. 8. “Para liberá-las da satisfação de “egos” e colocálas (as sociedades) a serviço do esclarecimento e da libertação espiritual das criaturas, devem-se superar opiniões pessoais e o missionarismo. Para tanto, é fundamental o real entendimento dos propósitos da Doutrina Espírita, com definições muito claras dos objetivos do Centro Espírita, célula básica do movimento espírita.” (CARVALHO, A. César Perri in Espiritismo e Modernidade)
  9. 9. “Mas vale um inimigo confesso do que um amigo desajeitado.” (Allan Kardec, in Revista Espírita – março 1863)
  10. 10. “Científicos” • Laicidade • CEPA “Místicos” • Kardecistas • Rustanistas “Espíritas Puros” • Filosofia e Religião
  11. 11. “É uma ciência de observação que tem consequências morais e essas consequências são a conformação e a prova dos grandes princípios da religião; quanto às questões secundárias, são deixadas à consciência de cada um.” (Allan Kardec, in O Que é o Espiritismo)
  12. 12. “Bastam esses fatos para mostrar que o Espiritismo é o Grande Desconhecido dos próprios Espíritas. E é por isso, por causa dessa negligência imperdoável no estudo da doutrina, que os próprios adeptos se transformaram em eficientes instrumentos de combate ao Espiritismo” (PIRES, J. Herculano in Curso Dinâmico de Espiritismo)
  13. 13. “Os espíritas atuais, na sua maioria, tanto no Brasil como no mundo, não compreenderam ainda que estão num ponto intermediário da filogênese divina. (...) na sequência fatal de Kardec; mineral, vegetal, animal e homem, temos o ponto neutro de gravidade entre duas esferas celestes, e esse ponto é o que chamamos ESPÍRITA. (PIRES, J. Herculano in O Centro Espírita)
  14. 14. “Sem estudo constante da Doutrina não se faz Espiritismo, cria-se apenas uma rotina de trabalhos práticos que dão a ilusão de eficiência.” (PIRES, J. Herculano in Curso Dinâmico de Espiritismo)
  15. 15. “O Centro Espírita não é templo nem laboratório – é, para usarmos a expressão espírita de Victor Hugo: point d’optique do movimento doutrinário, ou seja, o seu ponto visual de convergência. (...)” (PIRES, J. Herculano in O Centro Espírita)
  16. 16. Renovação Social Perfil do Dirigente Espírita Dinamização dos Órgãos Informais União e Unificação
  17. 17. “Pelo menos alguns princípios são imprescindíveis ao perfil do dirigente espírita, como o conhecimento doutrinário, empatia pelo próximo, direção democrática ou de liderança situacional, um mínimo de noção administrativa, flexibilidade às adequações e renovações necessárias.” (CARVALHO, A. César Perri in Espiritismo e Modernidade)
  18. 18. “É imperioso, pois, colimar os objetivos espiritistas no panorama moral da própria alma. (...) Nem Espiritismo sem assistência social, nem assistência social sem Espiritismo, para nós espiritistas encarnados ou desencarnados. O conhecimento da Doutrina Espírita colima na sua aplicação com a assistência social; no entanto a recíproca não é verdadeira.” (Espírito Joanna de Ângelis” (FRANCO, Divaldo in Dimensões da Verdade)
  19. 19. “O Espiritismo será o que o fizerem os homens. Similia Simibilus! Ao contato da Humanidade as mais altas verdades às vezes se desnaturam e obscurecem. Podem constituir-se uma fonte de abusos. A gota de chuva, conforme o lugar onde cai, continua sendo pérola ou se transforma em lodo.” (DENIS, Léon in “No Invisível” Introdução)

×