ESQUECIMENTO DO PASSADO

2.971 visualizações

Publicada em

Palestra espírita elaborada por Jorge Luiz, Fortaleza, Ceará.
contato: jorge.grauca@gmail.com
Visite os blogs:
http://canteiroideias.blogspot.com.br/
https://bancadocoaching.wordpress.com/

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.971
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.719
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ESQUECIMENTO DO PASSADO

  1. 1. reencarnação “Não te maravilhes de eu te dizer que vos importa nascer de novo. O espírito sopra de onde quer, e tu ouves a sua voz, mas não sabes de onde ele vem, nem para onde vai.” Jesus (João, III:1-12)
  2. 2. (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 166-b)
  3. 3. “É uma tarefa que Deus lhes impõe, no princípio da existência, como primeira prova do uso que farão do seu livre- arbítrio.(...)” (“O E.S.E.”, cap. IV:25)
  4. 4. finalidades do esquecimento “ – O homem nem pode nem deve saber tudo; (...) Pelo esquecimento do passado ele é mais ele mesmo.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 392)
  5. 5. “Por outro lado, o esquecimento não é tão absoluto quanto o supõem. Ele só se dá na vida exterior de relação, no próprio interesse da Humanidade, mas a vida espiritual não sofre solução de continuidade. Tanto na erraticidade quanto nos momentos de emancipação, o Espírito se lembra perfeitamente, e essa lembrança lhe deixa uma intuição que se traduz na voz da consciência, que o adverte do que deve ou não deve fazer.” (Allan Kardec – “Revista Espírita” – Set/1863)
  6. 6. “(...) há prostração psíquica nos primeiros sete anos de tenra instrumentação fisiológica dos encarnados, tempo em que se lhes reaviva a experiência terrestre.” “...) E, como todo esse tempo é ocupado em prover-se a criança de novos conceitos e pensamentos acerca de si própria, é compreensível que toda criatura sobrenade na adolescência como alguém que fosse longamente hipnotizado para fins edificantes.” (XAVIER, Fco. C. in “Religião dos Espíritos”, pelo Espírito Emmanuel)
  7. 7. “Usualmente a recordação aflora aos três anos de idade, quando a criança começa a falar. Frequentemente, suas recordações diminuem entre as idades de sete e nove anos.” (STEVENSON, Ian, apud TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação)
  8. 8. “(...) A lembrança do passado é mais clara para aqueles que habitam os mundos de uma ordem superior.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 397)
  9. 9. “A lembrança de nossas individualidades anteriores teria gravíssimos inconvenientes. Poderia, em certos casos, humilhar-nos extraordinariamente; em outros, exaltar o nosso orgulho e por isso mesmo entravar o nosso livre-arbítrio. (...).” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 394) inconvenientes da lembrança
  10. 10. “Não seria agradável para eles se reconhecerem? – Nem sempre. A recordação das existências passadas teria inconvenientes maiores do que acreditais. Apôs a morte eles se reconhecerão e saberão em que tempo estiveram juntos.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 386 “a”)
  11. 11. “No estado errante, antes de nova existência corpórea, o Espírito tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida? - Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer; nisto consiste o seu livre-arbítrio.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 258)
  12. 12. recordação do passado “Nem sempre. Muitos sabem, entretanto, o que foram e o que fizeram, se lhes fosse permitido dizê-lo abertamente, fariam singulares revelações sobre o passado.” (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 396)
  13. 13. “(...) a recordação de vidas passadas é desencadeada por associações aparentemente em conformidade com os mesmos mecanismos de armazenagem e resgate da recordação normal. Independe da crença prévia da reencarnação.” (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)  r e co rd a ç ã o e s p o ntâ n e a
  14. 14. lugares pessoas sonhos objetos situações similares circunstâncias físicas/ emocionais primeira infância adulto (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)
  15. 15. “Se não temos, durante a vida corporal, uma lembrança precisa do que fomos e do que fizemos de bem ou mal em existências anteriores, temos a intuição disso, e nossas tendências instintivas são uma lembrança do nosso passado, às quais nossa consciência, que é o desejo que concebemos de não mais cometer as mesas faltas, nos adverte para resistir.” (Allan Kardec)  s i n a i s d e v i d a s p a s s a d a s (“O Livro dos Espíritos”, questão nº 393)
  16. 16. “Em crianças, os comportamentos peculiares podem indicar diretamente uma vida passada. Por exemplo, os rituais para se levantar, comer ou cumprimentar que são desconhecidos ou não usuais em seu ambiente, porém conhecido em algum outro local.” (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)
  17. 17. (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)
  18. 18. Walter Pater (1839-1894) “O gosto é a memória de uma cultura uma vez conhecida”.
  19. 19.  r e co rd a ç ã o i n d u z i d a - T RV P “A maneira de lembrar-se de vidas passadas é a mesma de lembrar-se de memórias perdidas desta vida. Isso é chamado de regressão de idade. Uma regressão completa, originalmente num estado hipnótico, traz de volta memórias mais intensas, que são mais como reviver do que lembrar.” (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)
  20. 20. Níveis Divisão da consciência Conteúdos da consciência Presente Passado Memória Recordação Regressão Revivência Identificação Informações + Impressões Sensoriais + Sentimentos/ Pensamentos + Esquecimento de tudo + Transporte do presente para o passado (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol.I)
  21. 21. “Uma recordação pode ser tão completa eu você não somente ouve os barulhos, mas também sente o odor e o sabor do espinafre comido quando criança, ou do primeiro sorvete com creme de chantilly, e mesmo os sentimentos e pensamentos que voltam a aflorar. Isso é reviver, o terceiro nível de lembrar-se do passado.” (TENDAN, Hans in “Panorama Sobre a Reencarnação” – vol. I)

×