Trabalhopronto projeto 2011

281 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalhopronto projeto 2011

  1. 1. PROJETO INTERDISCIPLINAR – 2012.2<br />ESTUDO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E A TECONOLOGIA<br />
  2. 2. COMPONENTES DO GRUPO ODISSEIA<br />ELIZABETH<br />REINILDES<br />ROSANA<br />SELMA<br />
  3. 3. A TECNOLOGIA EM FOCO: PENSANDO INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS CRÍTICAS<br />Introdução:<br />TIC’s, tecnologias da informação e comunicação.<br /> Cada vez mais, parece impossível imaginar a vida <br />sem elas. A tecnologia tem um papel importante no desenvolvimento de habilidades para atuar no mundo hoje. Pensando no enriquecimento sociocultural, enfatizamos a importância de educar para a sociedade informatizada, buscando uma readaptação profunda, a fim de acompanhar as evoluções tecnológicas, possibilitando uma transformação significativa na Educação, ressaltando que o computador não substitui o professor, é mais um recurso de que este se utiliza para atingir os objetivos educacionais e melhorar a qualidade do ensino. Tendo por objetivo a utilização da informática como princípio educativo através do desenvolvimento de projetos inter e multidisciplinares, com atividades a partir de uma interface computacional que utilize recursos multimídia para o processo de ensino e aprendizagem. <br />
  4. 4. “Para os Parâmetros Curriculares Nacionais Brasileiros (PCNs 1998) a incorporação das novas tecnologias só tem sentido se contribuir para a melhoria da qualidade do ensino. A presença de aparato tecnológico na sala de aula não garante mudanças na forma de ensinar e aprender, serve como ferramenta e instrumento de mediação. “<br />Assim, acreditamos que o professor deverá utilizar a tecnologia com seus alunos como veículo que mobilize, prepare e os incite a aprender, refletir, compreender, testar hipóteses, saber filtrar e selecionar informações, sendo capazes de abrir horizontes científicos e históricos, e ainda, procurem dar sentido à revolução tecnológica. Que servirá para enriquecer o ambiente educacional, propiciando a construção de conhecimentos por meio de uma atuação ativa, crítica e criativa de educadores e educandos. <br />
  5. 5. Qual o papel das ciências sociais em um cenário de progressiva massificação do uso de tecnologias no cotidiano das pessoas?<br />Todas as ciências sociais se caracterizam por estudar, com rigor, a conduta humana. Elas têm um foco comum no comportamento social das pessoas, mesmo que cada uma delas tenha uma orientação particular. Tendo como objeto de interesse o ser humano em suas relações sociais, o objetivo das ciências sociais é ampliar o conhecimento sobre o ser humano e suas interações sociais. Assim, as ciências sociais contribuem para um melhor entendimento da sociedade em que vivemos e dos fatos e processos sociais que nos rodeiam. Desta forma temos que no mundo atual há o encurtamento das distâncias favorecendo a aglutinação de Culturas e Costumes, estreitando laços e identidades e convergindo então para uma cultura mundial e para o surgimento de uma nova Sociedade: a Sociedade da Informação. A única certeza que temos é que a educação é fundamental nesse processo. A Sociedade da Informação exige novas metodologias e práticas de ensino-aprendizagem e um novo ambiente que atenda as necessidades para uma nova educação onde o ser humano possa ser constantemente valorizado como ser humano que é.<br />É essencial que a educação se paute no lado mais humanístico das pessoas de forma que elas não se tornem egocêntricas, individualistas como vêm ocorrendo. É importante pautar o coletivo, o bem comum, demonstrando que somos parte de um todo.<br />
  6. 6. Que tipo de acervo tecnológico os alunos manipularam durante este período?<br />Em um laboratório de informática, o professor inicia um diálogo sobre a paisagem que os cerca, para despertar o interesse e a curiosidade dos alunos. <br />Utiliza filmes através de um data show comparando e verificando a diferença entre a paisagem urbana e a da rural. Além, do conhecimento geográfico um dos filmes apresenta a arquitetura e história da cidade do Rio de Janeiro e o outro um documentário sobre a Bonito no Mato Grosso do Sul. <br />Aproveitando a distância entre os estados, apresenta-se o mapa do Brasil, para localização espacial.<br />Utilizando o Paint, (software utilizado para a criação de desenhos simples e também para a edição de imagens) construir uma cidade urbana com a utilização dos recursos do paint. <br />
  7. 7. Atividade no word, o professor cria uma tabela na qual terão frases, descrevendo locais rurais e outros urbanos. Com o auxílio da internet os alunos copiarão e colarão as imagens conforme a descrição das frases.<br />No paint, terá um mapa do Brasil para colorir os estados, utilizando outros recursos será traçado no mapa um caminho do Rio de Janeiro até Bonito.<br />Para concluir o trabalho será feito uma maquete com a paisagem rural e a urbana, utilizando recicláveis, onde a turma será dividida me dois grupos.<br />Através destas experiências os alunos perceberão e entenderão melhor sobre paisagem urbana e rural.<br />
  8. 8. Qual o significado, em termos gerais, estas tecnologias parecem ter para os alunos?<br />Os alunos tem como objetivo sempre valorizar o aspecto ferramental, do que os aspectos informativos e de fundo científico. Pois, utilizam o computador como veículo de comunicação, através dos mail’s, orkut’s, msm e joguinhos. Não atrelam também, como meio investigativo e de informação científica.<br />Estas novas concepções levam-nos a indagar em que condições econômicas, políticas e culturais estão sendo produzidas, mostrando que é preciso tornar possível o exame das relações entre os saberes e as aplicações técnicas, entre as práticas tecnológicas e suas repercussões, entre as políticas e as ideologias; que é preciso observar, para poder então interferir, como esses saberes contribuem para a solução das questões éticas e humanas e, ainda, de que forma a ciência e a tecnologia fazem parte do mundo contemporâneo. A tecnologia tem um papel importante no desenvolvimento de habilidades para atuar no mundo hoje. As atividades propostas têm o objetivo de fazer com que os alunos desenvolvam as seguintes capacidades cognitivas: observação; descrição; comparação; relação e conclusão.<br />
  9. 9. Qual a perspectiva do observador a respeito do uso e inserção destas tecnologias, em termos de benefícios e potenciais de riscos à formação do caráter e à saúde do aluno?<br />Neste sentido, ressaltamos os Parâmetros Curriculares Nacionais, como uma proposta a ser pensada com carinho por todos que querem fazer educação para a cidadania e ter na escola um convívio mais ético. Acreditamos, por fim que ele é um instrumento, uma, espécie de manual, que pode auxiliar aos técnicos educacionais e professores nas suas atividades. Mas não é uma receita de bolo que dispense os profissionais da reflexão e da criação. Nesse caminho somos todos aprendizes onde o, caminho vai sendo feito pelo próprio caminhar.<br />A segurança de crianças e adolescentes na Internet é hoje alvo da atenção de famílias, escolas, comunidades, governos (locais e centrais). <br />A segunda das ideias básicas a destacar é a de que a Internet, para além de um possível risco, é também, e sobretudo, uma oportunidade. As oportunidades com que brinda o ciberespaço são quase ilimitadas: a Internet é, na atualidade, um elemento chave na educação, iguala as classes sociais ao permitir o acesso às mesmas informações, possibilita a interação com pessoas de outros países e culturas, serve como ferramenta integradora para os incapacitados e aumenta as possibilidades de entretenimento, entre muitas outras vantagens.<br />
  10. 10. As vantagens e oportunidades que a Rede das redes oferece são evidentes. Em todo o mundo, os mais jovens utilizam cada vez mais a Internet como uma fonte de informação, comunicação, socialização e entretenimento. A Internet permite aos jovens cultivar diferentes pontos de vista e oferece um acesso à informação mais igualitário. Apesar das vantagens da Internet<br />serem sobejamente conhecidas, considera-se aqui oportuno destacar uma das principais oportunidades com que a Rede nos brinda e que tem, todavia, um longo caminho a percorrer: a oportunidade educativa.<br />
  11. 11. CONCLUSÃO:<br />Sem dúvida estamos vivendo num mundo contemporâneo sustentado pela tecnologia onde a evolução tecnológica cresce cada vez mais.<br />O educador tem que estar preparado para desempenhar o seu papel de mediador de forma que saiba aproveitar o recurso da informática, num meio transformador do ambiente da aprendizagem, estimulando o aluno e rompendo paradigmas do passado. A escola deve ter em mente que a tecnologia é um instrumento que pode facilitar o aprendizado, mas é complexo e rico em recursos que, para ser bem utilizado. A sua principal função é efetuar uma "apresentação" desse instrumento tão presente no cotidiano, para que seu aluno perceba as suas diversas aplicabilidades e se beneficie delas.<br />No texto "Diferentes usos do computador na educação", J.A.Valente diz que "a implantação da Informática na Educação consiste, basicamente, em quatro ingredientes: o computador, o software educativo, o professor capacitado para usar o computador como ferramenta educacional e o aluno.<br />Quando utilizamos o termo tecnologia educacional, os educadores consideram como um paradigma do futuro, mas a tecnologia educacional está relacionada aos antigos instrumentos utilizados no processo ensino-aprendizagem. (TAJRA, 2000, p.33).<br />
  12. 12. Bibliografia:<br />httwww.rieoei.org/deloslectores/2400Vieira.pdf<br />www.ne.org.br.<br />COX, K. K. (2003): Informática na educação escolar. Campinas, SP:<br />(1998): Tecnologias da comunicação e informação, 5ª parte. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais, pp. 133-57. Brasília: MEC/SEF.<br />ALMEIDA, F. J. (1988): Educação e informática: os computadores na escola. São Paulo: Cortez.<br />GLÁUCIA MARIA C. SANTOS e DANIELA M. VIEIRA BARROS – Univ.Estadual de Campinas, Brasil<br />http://www.scielo.br<br />http://portaldoprofessor.mec.gov.br<br />http://www2.fcsh.unl.pt/<br />Tito de Morais,<br />http://sididani.vilabol.uol.com.br<br />Fundador, ProjectoMiudosSegurosNa.Net<br />(TAJRA, 2000, p.33<br />

×