As Crianças e as Midias

1.019 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.019
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As Crianças e as Midias

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA CRIANÇAS E MÍDIAS Arlindo José de Souza Junior Grazielle Eloisa Balduino Outubro de 2009
  2. 2. <ul><li>Toda a vida das sociedades nas quais reinam as condições modernas de produção se anuncia como uma imensa acumulação de espetáculos. Tudo o que era diretamente vivido se afastou numa representação. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>O espetáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre pessoas, mediatizada por imagens. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O espetáculo submete a si os homens vivos, na medida em que a economia já os submeteu totalmente. Ele não é nada mais do que a economia desenvolvendo-se para si própria. É o reflexo fiel da produção das coisas, e a objetivação infiel dos produtores. </li></ul>(DEBORD Guy. A Sociedade do Espetáculo. 1967. apud:BELLONI, Maria Luiza. O que é mídia-educação. 2ed. Campinas: Autores Associados. 2005)
  5. 5. <ul><li>1- Que sociedade é esta em que vivemos? 2- Que tipo de homem caracteriza a sociedade contemporânea? Ou que tipo de pessoa somos nós? Por que somos do jeito que somos? Qual é o lugar das crianças nessa sociedade? O que é para nós infância? 3- Qual tem sido o papel da escola nesse processo? E da família? </li></ul>
  6. 6. Mídia : (do inglês media). Designação dos meios de comunicação social, jornais, revistas, cinema, rádio etc. Propaganda: setor de uma agência de propaganda que planeja e coordena a veiculação de anúncios, filmes, cartazes etc. (Dicionário Aurélio)
  7. 7. No inglês: 1- “ Media ”: (jornais, revistas rádio e televisão considerados em grupo. Aquilo que é visto e/ou lido por muitas pessoas.)
  8. 8. 2- “ Medium ”: adjetivo, estar no meio entre uma quantidade/um valor superior de uma quantidade/um valor inferior, tamanho, nível ou valor, média (MacLuhan, Marshall. Understanding Media. 1964)
  9. 9. Na psicologia histórico-cultural: Vigotski (1896-1934) INTERAÇÃO : ação social de um tipo especial, uma ação que se dá entre pessoas, ou que é realizada por meio da utilização de instrumentos, mas que provoca uma ação completa (plena de significados e sentidos, que provoca movimentos.)
  10. 10. Crianças e infâncias: - conceito histórico de infâncias. - (...) a idéia de infância é uma construção social e histórica do ocidente. Ela não existiu desde sempre, e o que hoje entendemos por infância foi sendo elaborado ao longo do tempo na Europa, simultaneamente com mudanças na composição familiar, nas noções de maternidade e paternidade, e no cotidiano e na vida das crianças, inclusive por sua institucionalização pela educação escolar . ( Cohn, Clarice. 2005:21)
  11. 11. A criança atuante : A criança atuante é aquela que tem um papel ativo na constituição das relações sociais em que se engaja, não sendo portanto passiva na incorporação de papéis e comportamentos sociais. Reconhecê-la é assumir que ela não é um “adulto em miniatura”, ou alguém que treina para a vida adulta. É entender que, onde quer que esteja, ela interage ativamente com os adultos e as outras crianças, com o mundo, sendo importante na consolidação dos papéis que assume e nas suas relações (Idem, p. 28).
  12. 12. Dois aspectos da sociedade contemporânea: 1- a consideração da mídia como um dos elementos deste ambiente técnico em que estamos envolvidos e que fornece estímulos muito diferentes encontrados na natureza;
  13. 13. 2- O caráter organizacional das sociedades contemporâneas em que tudo, até mesmo a satisfação dos instintos humanos, parece obedecer às regras da produção industrial. (Belloni. 2005: 51)
  14. 14. *Ideologia liberal. *As explicação tornam-se técnico-científicas. *Sociedade idealizada. *Moral extremamente individualista. *Homens: planejadores e homens cada vez mais alienados. *Efemeridade, simulação e consumismo: O que importa não é o que somos, sentimos ou mesmos que temos. Importa o que parecemos (Belloni. 2005: 63)
  15. 15. Tudo isso pode se transformar? Como?
  16. 16. Agradecimento Prof. Dr. Myrtes Dias da Cunha por contribuir com tão magnitude nesta discussão que se mostra cada vez mais árdua e complexa. Obrigada de coração!
  17. 17. Referências: <ul><li>BELLONI, Maria Luíza. O que é mídia-educação . 2ed. Campinas: Autores Associados, 2005. </li></ul><ul><li>COHN, Clarice. Antropologia da criança . Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora. 2005. </li></ul>

×