O Renascimento e a formação da
mentalidade moderna
Trabalho para a disciplina de História – Novembro 2013

Trabalho realiz...
Índice
1.
2.
3.
4.
5.
6.

O Renascimento
Os novos valores do Renascimento – o
despertar do espírito científico
A produção ...
1. O Renascimento
O Renascimento nasceu na Itália
e vigorou entre os séc. XV e XVI.
Inaugura uma nova fase na
trajetória intelectual do ser
...
2. Os novos valores do
Renascimento – o despertar
do espírito científico
O homem do Renascimento confia na razão e nas
aquisições culturais da Antiguidade
Esta mudança no modo de ver
o mundo e o ...
O racionalismo, o experimentalismo
e a nova maneira de abordar o
conhecimento humano
questionaram vários dogmas
medievais
...
A invenção da imprensa, que
ocorrera simultaneamente à queda
de Constantinopla, teve um grande
efeito na sociedade europei...
As grandes navegações, a invenção
do astrolábio e, principalmente, a
invenção da tipografia por
Gutenberg aumentaram a cre...
Como pioneiro da exploração europeia, Portugal
floresceu no final do século
XV com as navegações
para o oriente, auferindo...
O contacto com o
Renascimento chegou através
da influência de ricos
mercadores italianos e
flamengos que investiam no
comé...
O homem e a natureza tornam-se
centros quase que unânimes das
inquietações – antropocentrismo
A natureza que envolvia o ho...
O universo já não era visto de
forma puramente religiosa e
dogmatizado (Teocentrismo),
mas de forma racional e
empírica, i...
Ao valorizar a observação e a
experiência para o
conhecimento da realidade, o
Homem do Renascimento
promoveu o desenvolvim...
Domínios do
Saber

Autores

Obras/Novos Conhecimentos

Astronomia

Copérnico

Teoria do Heliocentrismo

Medicina

Vesálio
...
Há um aprofundamento do Humanismo
O homem deparava-se com a sua própria
existência e também com a natureza que estava à
su...
Nas suas obras analisou as
instituições, as opiniões e os
costumes, debruçando-se
sobre os dogmas (crenças) da
sua época e...
O principal nome na política
foi Maquiavel, que na sua
obra O Príncipe, escreve sobre
o Estado ideal, composto por
uma “po...
A burguesia, que emerge como
nova classe social a partir do
Renascimento, disputará com a
Igreja e a nobreza o poder
polít...
O Renascimento propiciou a chamada Reforma
Protestante, que veio a tornar ainda mais radical a
cisão contra a unidade espi...
Esta primeira grande revolução
burguesa fora iniciada pelo
monge agostiniano
Martinho Lutero (1483-1546)
A ruptura de Lutero com o
catolicismo é uma clara
decorrência da aceitação dos
ideais renascentistas
1. A produção literária
Os que mais se destacaram:
Erasmo Desidério (de Rotterdam) (1467-1536)
François Rabelais (1483-1553)
Thomas More (1478-153...
Erasmo Desidério exerceu uma grande influência
na literatura europeia do
século XVI, principalmente
com sua obra Elogio da...
François Rabelais valorizava a
natureza em detrimento dos livros

Foi um dos principais críticos da
educação escolástica, ...
Rabelais fez os franceses rirem-se da educação
medieval, através do gigante Gargântua*

Ressaltava a importância da nature...
Thomas More
Camões
Cervantes
William Shakespeare
4. A arte renascentista
. Arquitetura
. Pintura
. Escultura
Copiar de “História Trabalho 1” ou de “Trabalho de História renascimento e
natureza”
5. Portugal na Renascença
É sobretudo desde o tempo de D. João II e D.
Manuel que a corte portuguesa se torna
permeável ao movimento humanista
Estes...
A Universidade portuguesa, produto
da sensibilidade e das concepções
científicas medievais, mantivera,
desde a fundação po...
Com o Infante D. Henrique por
protector, a Universidade vai
adquirir instalações próprias e o
seu plano curricular vai ser...
No Renascimento,
predominou em Portugal
o estilo manuelino, nome
que se ficou a dever ao
nome do rei D. Manuel
que reinava...
O estilo manuelino caracteriza-se por se manter
uma estrutura gótica dos monumentos (abóbada
sobre o cruzamento de ogivas,...
6. Bibliografia/Netgrafia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Renascimento
http://pt.wikipedia.org/wiki/Humanismo_renascentista
Trabalho de história sobre o renascimento
Trabalho de história sobre o renascimento
Trabalho de história sobre o renascimento
Trabalho de história sobre o renascimento
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de história sobre o renascimento

560 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
560
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A ArquitecturaA arte renascentista, especialmente a arquitectura, inspirou-se nas obras greco-romanas - Classicismo. As características da arquitectura renascentista são as seguintes:o equilíbrio e a simetria das formas e dos volumes;os elementos da arquitectura clássica: colunas, frontões triangulares, arcos de volta perfeita, abóbadas de berço e cúpulas;a decoração baseada em elementos danatureza e mitológicos;a impressão de horizontalidade definido pelos frisos e balaustradas. Destacam-se como monumentos a Basílica de S. Pedro (Bramante, Miguel Ângelo, Della Porta) e como arquitectos Brunelleschi, Alberti, Bramante, Miguel Ângelo e Andrea Palladio.A PinturaOs principais temas da pintura eram a Natureza, o corpo humano nu, cenas do Cristianismo, mitologia antiga e o retrato. Os pintores renascentistas representavam o que pintavam tal como era observado com naturalidade - Naturalismo. Das inovações da pintura renascentista destacam-se:a pintura a óleo que permitiu maior brilho e durabilidade das cores;a técnica da perspectiva que transmitia a ideia de profundidade;a técnica do sfumato que permitia a gradação da cor e a transição suave da sombra da luz;a distribuição geométrica dos diversos elementos. Na pintura salientaram-se os italianos Fra Angélico, Masaccio, Botticelli, Rafael, Leonardo da Vinci, Miguel Ângelo, o flamengo Van Eyck e o alemão Albert Dürer. Exemplos de quadros / Pintores“A Primavera” de Botticelli“Gioconda” ou “Mona Lisa” de Leonardo da VinciFrescos do tecto da Capela Sistina de Miguel Ângelo“A Virgem da Pradaria” de RafaelA EsculturaNa escultura voltou-se a representação do nu, de tradição greco-romana, com grande perfeição anatómica e realismo.Celebrizaram-se, entre outros, Donatello, Verrocchio, Ghiberti e Miguel Ângelo. Exemplos de Escultura / Escultores“Pietá” de Miguel Ângelo“David” de Donatello 
  • Trabalho de história sobre o renascimento

    1. 1. O Renascimento e a formação da mentalidade moderna Trabalho para a disciplina de História – Novembro 2013 Trabalho realizado por: Flávia Ribeiro| Nº Gonçalo Tavares| Nº Maria Neves | Nº Simão Silva| Nº 8ºA – ESDJCCG, Ílhavo
    2. 2. Índice 1. 2. 3. 4. 5. 6. O Renascimento Os novos valores do Renascimento – o despertar do espírito científico A produção literária A arte renascentista Portugal na Renascença Bibliografia/Netgrafia
    3. 3. 1. O Renascimento
    4. 4. O Renascimento nasceu na Itália e vigorou entre os séc. XV e XVI. Inaugura uma nova fase na trajetória intelectual do ser humano O período foi marcado por transformações em muitas áreas da vida humana, que assinalam o final da Idade Média e o início da Idade Moderna
    5. 5. 2. Os novos valores do Renascimento – o despertar do espírito científico
    6. 6. O homem do Renascimento confia na razão e nas aquisições culturais da Antiguidade Esta mudança no modo de ver o mundo e o próprio homem teve uma estreita relação com os avanços da ciência e com as descobertas tecnológicas
    7. 7. O racionalismo, o experimentalismo e a nova maneira de abordar o conhecimento humano questionaram vários dogmas medievais O geocentrismo foi intensamente contestado pelos novos observadores dos movimentos celestes que propuseram novas explicações – o heliocentrismo
    8. 8. A invenção da imprensa, que ocorrera simultaneamente à queda de Constantinopla, teve um grande efeito na sociedade europeia A disseminação mais fácil da palavra escrita democratizou a aprendizagem e permitiu a propagação mais rápida de novas ideias
    9. 9. As grandes navegações, a invenção do astrolábio e, principalmente, a invenção da tipografia por Gutenberg aumentaram a crença nas possibilidades do homem, favorecendo o pioneirismo e a aventura
    10. 10. Como pioneiro da exploração europeia, Portugal floresceu no final do século XV com as navegações para o oriente, auferindo lucros imensos que fizeram crescer a burguesia comercial e enriquecer a nobreza, permitindo luxos e o cultivar do espírito
    11. 11. O contacto com o Renascimento chegou através da influência de ricos mercadores italianos e flamengos que investiam no comércio marítimo O contacto comercial com a França, Espanha e Inglaterra era assíduo, e o intercâmbio cultural intensificou-se
    12. 12. O homem e a natureza tornam-se centros quase que unânimes das inquietações – antropocentrismo A natureza que envolvia o homem, a razão que o dominava, as ciências que se desenvolviam, tudo isto mudou de forma significativa a maneira como o homem vislumbrava o mundo
    13. 13. O universo já não era visto de forma puramente religiosa e dogmatizado (Teocentrismo), mas de forma racional e empírica, imparciais aos valores da cultura medieval
    14. 14. Ao valorizar a observação e a experiência para o conhecimento da realidade, o Homem do Renascimento promoveu o desenvolvimento de vários domínios do saber
    15. 15. Domínios do Saber Autores Obras/Novos Conhecimentos Astronomia Copérnico Teoria do Heliocentrismo Medicina Vesálio Estudos sobre a circulação do sangue Matemática Pedro Nunes “Tratado da Esfera” Invenção do nónio Geografia Duarte Pacheco “Esmeraldo de Situ Orbis” Botânica Garcia da Orta “Colóquios dos Simples e Drogas das Cousas Medicinais da Índia”
    16. 16. Há um aprofundamento do Humanismo O homem deparava-se com a sua própria existência e também com a natureza que estava à sua volta, a qual deveria ser explorada para ser compreendia de forma racional e sistematizada Michel de Montaigne escreve duas grandes obras: “Da educação das crianças” e “Pedantismo”
    17. 17. Nas suas obras analisou as instituições, as opiniões e os costumes, debruçando-se sobre os dogmas (crenças) da sua época e tomando a generalidade da humanidade como objecto de estudo
    18. 18. O principal nome na política foi Maquiavel, que na sua obra O Príncipe, escreve sobre o Estado ideal, composto por uma “política como resultado da experiência das coisas modernas”
    19. 19. A burguesia, que emerge como nova classe social a partir do Renascimento, disputará com a Igreja e a nobreza o poder político que, finalmente, conquistará, no século XVIII, com o advento da Revolução Francesa
    20. 20. O Renascimento propiciou a chamada Reforma Protestante, que veio a tornar ainda mais radical a cisão contra a unidade espiritual do Ocidente A quebra da disciplina eclesiástica e a corrupção moral e religiosa, interesses políticos estimulados pela cobiça dos bens da Igreja e a própria agitação social, provocada pela pregação luterana, aceleraram o movimento de Reforma
    21. 21. Esta primeira grande revolução burguesa fora iniciada pelo monge agostiniano Martinho Lutero (1483-1546)
    22. 22. A ruptura de Lutero com o catolicismo é uma clara decorrência da aceitação dos ideais renascentistas
    23. 23. 1. A produção literária
    24. 24. Os que mais se destacaram: Erasmo Desidério (de Rotterdam) (1467-1536) François Rabelais (1483-1553) Thomas More (1478-1535) Michel de Montaigne (1533-1592), Luís de Camões (1524-1580) Miguel de Cervantes (1547-1616) William Shakespeare (1564-1616)
    25. 25. Erasmo Desidério exerceu uma grande influência na literatura europeia do século XVI, principalmente com sua obra Elogio da loucura Defendia que o homem deveria criar o seu próprio caminho, enquanto ser inteligente e livre Como todo humanista, defendia a possibilidade de chegar à perfeição por via do conhecimento
    26. 26. François Rabelais valorizava a natureza em detrimento dos livros Foi um dos principais críticos da educação escolástica, enaltecendo as ciências naturais e as ciências do homem
    27. 27. Rabelais fez os franceses rirem-se da educação medieval, através do gigante Gargântua* Ressaltava a importância da natureza em oposição aos livros O livro trata da história do gigante Gargântua, pai de Pantagruel, rei dos dipsodos (do Grego: “os que têm sede”). Os livros ficaram famosos na França, mas foram proibidos pela Sorbonne pelo seu conteúdo obsceno.
    28. 28. Thomas More
    29. 29. Camões
    30. 30. Cervantes
    31. 31. William Shakespeare
    32. 32. 4. A arte renascentista . Arquitetura . Pintura . Escultura
    33. 33. Copiar de “História Trabalho 1” ou de “Trabalho de História renascimento e natureza”
    34. 34. 5. Portugal na Renascença
    35. 35. É sobretudo desde o tempo de D. João II e D. Manuel que a corte portuguesa se torna permeável ao movimento humanista Estes reis rodeiam-se de letrados: juristas e homens da ciência, matemáticos, cosmógrafos, astrónomos, homens com conhecimentos teóricos e práticos na arte de navegar e cartografar, que tornam possível o prosseguimento e o êxito da expansão ultramarina
    36. 36. A Universidade portuguesa, produto da sensibilidade e das concepções científicas medievais, mantivera, desde a fundação por D. Dinis até ao século XV, a mesma estrutura e o mesmo plano de estudos
    37. 37. Com o Infante D. Henrique por protector, a Universidade vai adquirir instalações próprias e o seu plano curricular vai ser reestruturado e revitalizado com o ensino integral das sete artes liberais*, como estipula na carta de 12 de Outubro de 1431 * a lógica, a gramática, a retórica, a aritmética, a música, a geometria e a astronomia
    38. 38. No Renascimento, predominou em Portugal o estilo manuelino, nome que se ficou a dever ao nome do rei D. Manuel que reinava em Portugal
    39. 39. O estilo manuelino caracteriza-se por se manter uma estrutura gótica dos monumentos (abóbada sobre o cruzamento de ogivas, arcos quebrados, arcobotantes e o predomínio da ideia de verticalidade) mas também por ter uma inovação fundamental no âmbito da decoração inspirada nos Descobrimentos: - motivos naturalistas: plantas e animais - motivos religiosos: cruz de Cristo - motivos dos Descobrimentos: cordas, redes, esfera armilar, …
    40. 40. 6. Bibliografia/Netgrafia
    41. 41. http://pt.wikipedia.org/wiki/Renascimento http://pt.wikipedia.org/wiki/Humanismo_renascentista

    ×