História da Igreja - Cruzadas

1.806 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.806
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
177
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
115
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da Igreja - Cruzadas

  1. 1. Igreja Medieval As Cruzadas 1095 – 1270
  2. 2. Definindo Cruzadas • Sentido estrito – Movimento religioso-militar do século XI ao XIII • Surgido na Europa Ocidental – Objetivo: reconquistar a Terra Santa das mãos dos infiéis muçulmanos • Sentido lato – Abuso do termo: Toda guerra de caráter religioso • O termo Cruzada é moderno – Chamava-se: peregrinação, passagem, viagem, expedição de além-mar
  3. 3. Notas Sobre as Cruzadas • Cristandade – União das pessoas e soberanos sob a direção dos Papas • Cruzadas foram anunciadas através da pregação • Todos os participantes faziam um Voto solene – Peregrinar até a Terra Santa e livrar os lugares sagrados – Recebiam cruz vermelha para vestir no ombro – Eram considerados soldados da Igreja • Aos Cruzados estavam garantidas indulgências – E privilégios temporais: inviolabilidade de pessoas e terras • Comumente divididas em 8 eventos – Porém houve o envio constante de peregrinos e exércitos
  4. 4. Fatos Históricos (1) • Oriente cristão era Lugar de peregrinações • Em 637 o islã conquista a Palestina – Povos do Livro (judeus e cristãos) foram deixados em paz • Em 800, Árabes cederam a Carlos Magno as chaves do Santo Sepulcro – Protetorado franco sobre os cristãos de Jerusalém – Esmolas foram enviadas a Terra Santa a partir do Ocidente • Até o século X as peregrinações não cessaram • Em 1009 o Califa Hakem destruiu a Igreja do Santo Sepulcro • Em 1027, os Francos perderam o protetorado – O imperador Bizantino assumiu e reconstruiu o Santo Sepulcro
  5. 5. Fatos Históricos (2) • A chegada dos Turcos muda o cenário – Compromete a segurança dos peregrinos – Em 1071 derrota bizantina na batalha de Manzikert • Em 1092 nenhuma das sés da Ásia pertencia aos cristãos
  6. 6. Fatos Históricos (3) • 1073, o Imperador trocou cartas com São Gregório VII – Pedia auxílio para expulsar os Turcos – Papa desejava enviar exércitos • Projeto não foi concretizado, devido a querela das investiduras • Em 1095, Urbano II retomou os planos de São Gregório VII – Solicitado pelo Imperador Alexius – Concílio de Clermont (1095), Urbano II pregou aos assistentes exortando-os a resgatar o Santo Sepulcro – Sob as aclamações de “Deus o quer!” muitos fizeram os votos
  7. 7. Fatos Históricos (4) • Iniciam-se expedições desorganizadas e indisciplinadas – Uma horda matou e pilhou Judeus de cidades alemãs – Pedro, o Eremita, liderou tropa que foi massacrada pelos turcos • A cruzada iniciou-se em 1096, liderada por nobres – Em Constantinopla fizeram-se vassalos do Imperador – Deviam restaurar as terras para o imperador
  8. 8. Fatos Históricos (5) • Tomada de Antioquia em 1098 • Tomada de Jerusalém em 1099 • Estabelecido os Estados Latinos do Oriente • 1144 Queda da Cidade de Edessa • Eugênio III convoca a 2ª Cruzada – São Bernardo convence Luís VII (França) e Conrado III (Sacro-Império) em 1146 • Derrota em Damasco (1148) • 1169, Saladino assume o poder no Egito
  9. 9. Fatos Históricos (6) • Saladino torna-se soberano de Damasco (1174) • Saladino derrota os cruzados (1187) – Reino de Jerusalém eliminado • Papas Gregório VIII e Clemente III promovem a 3ª Cruzada que parte em 1189 – Cruzada dos Reis: Filipe II, Ricardo Coração de Leão, e Frederico Barbaroxa • Conquista de São João de Acre em 1191 • Ricardo faz acordo com Saladino para não maltratar os cristãos (1192)
  10. 10. Fatos Históricos (7) • 4ª Cruzada convocada pelo Papa Inocêncio III (1202) – Instigados pelos Venezianos Cruzados tomaram Zara em 1202 – Aproveitando disputa sucessória no Império e após aliança com Alexius IV, um dos pretendentes, os Cruzados tomaram Constantinopla em 1204 – Fundação do Império Latino do Oriente • Em 1212 ocorre a Cruzada das Crianças
  11. 11. Fatos Históricos (8) • IV Concílio Lateranense (1215) – Inocêncio III promove a 5ª Cruzada que parte em 1217 • Conquista de Damieta em 1218 • Perdida em 1221 • A 6ª Cruzada ocorre em 1229 – Dirigida pelo Imperador Frederico II – Mediante tratado com o sultão do Egito, restituiu as cidades de Jerusalém, Belém, Nazaré, Tiro e Sidon para os cristãos – A mesquita de Omar, em Jerusalém, ficou nas mãos dos muçulmanos
  12. 12. Fatos Históricos (9) • Cerco de Jerusalém pelos muçulmanos (1244) • Concílio de Lião, 1245 – Inocêncio IV proclama a 7ª Cruzada – São Luís IX atendeu ao chamado • Conquista de Damieta, no Egito em 1249 • Derrota em Mansurah em 1250 – São Luís foi preso e libertado, em troca de altíssimo resgate – Transferiu-se para a Terra Santa e Retornou à França em 1254
  13. 13. Fatos Históricos (10) • Muçulmanos iniciam novos ataques aos cristãos – Destruição da igreja de Nazaré (1263) – Conquista de Cesaréia e Jafa (1265) – Captura de Antioquia (1268) • 1261, os gregos reconquistaram Constantinopla. • O entusiasmo pelas Cruzadas arrefeceu • A oitava e última Cruzada – 1267 São Luís e seus três filhos fazem os votos – 1270 Desembarca em Túnis, na Africa do Norte – Após 2 meses São Luís morre vitimado por uma praga • Seguiram-se ainda outras expedições
  14. 14. Mitos • Listamos 8 mitos – Registram as principais lendas negras acerca das Cruzadas • Retirados de artigo de Thomas F. Madden – http://www.quadrante.com.br/Pages/servicos02.asp?i d=164&categoria=Historia
  15. 15. Primeiro Mito “Cruzadas foram guerras contra os pacíficos muçulmanos” • Desde Maomé, os muçulmanos foram à conquista – Tomaram todo o norte da África, o Oriente Médio, a Ásia Menor e a maior parte da Península Ibérica • Muçulmanos continuaram pressionando pelo leste em direção a Constantinopla • As Cruzadas foram uma guerra defensiva – Cruzadas foram resposta à agressão muçulmana
  16. 16. Segundo Mito “Os Cruzados queriam terras, e as intenções piedosas não passavam de máscara.” • Falácia: aumento da população criou nobres sem terra – Cruzadas seriam uma válvula de escape – Hoje sabe-se que os nobres cruzados eram ricos • Empreender uma Cruzada era caro – Hipoteca de terras para angariar fundos • Não estavam interessados em reinos no além-mar – Após a Primeira Cruzada quase todos os Cruzados voltaram – Praticamente nenhum Cruzado recuperou seus gastos – Objetivo: fazer penitência e merecer a própria salvação
  17. 17. Terceiro Mito “Massacre de Jerusalém em 1099 foi cruel e encheu as ruas de sangue até os tornozelos” • Costume vigente: se uma cidade fosse tomada à força, sua posse caberia aos vitoriosos – Isso incluía edifícios, bens e pessoas – Defensores de Jerusalém resistiram até o último instante • Muitos morreram, mas outros foram aprisionados ou libertados • Cidades que se renderam foram deixadas em paz – Propriedades e religião foram intocadas • Quanto às ruas cheias de sangue é recurso literário
  18. 18. Quarto Mito “Cruzadas foram forma de colonialismo” • Estados da 1ª Cruzada não eram latifúndios católicos – Presença católica de menos de um décimo da população – Nenhum país europeu funcionava como metrópole • Não havia relações de exploração econômica – Pelo Contrário: Cruzadas e Manutenção dos Estados escassearam os recursos europeus • Estados Latinos não eram colônia agrícola/industrial – Papel militar – Intenção: defender os Lugares Santos e garantir um ambiente seguro para os peregrinos cristãos
  19. 19. Quinto Mito “As Cruzadas combateram também os judeus” • Nenhum Papa conclamou Cruzada contra os judeus • 1ª Cruzada, Cruzados atacaram e roubaram judeus – Bando de arruaceiros gananciosos – Os Papas condenaram energicamente esses ataques – Bispos locais defenderam os judeus • Pouco sucesso • No início da 2ª Cruzada ocorreu fato parecido – São Bernardo interveio • Tristes falhas causadas pelo entusiasmo das Cruzadas – Nunca foram o objetivo das Cruzadas
  20. 20. Sexto Mito “As Cruzadas foram algo tão vil e degenerado que houve até uma Cruzada das Crianças” • A “Cruzada das Crianças” de 1212 não foi um exército de crianças – Onda de entusiasmo religioso que levou jovens – maior parte adolescentes – a se auto-proclamarem Cruzados e marchar rumo ao Mediterrâneo • O Papa Inocêncio III não convocou essa tal “Cruzada” – Insistiu para que os não combatentes ficassem em casa e apoiassem a Cruzada com jejuns, orações e esmolas
  21. 21. Sétimo Mito “O Papa João Paulo II pediu perdão pelas Cruzadas” • João Paulo II pediu perdão por todas as injustiças que os cristãos cometeram ao longo dos séculos – Pelo Contrário: foi criticado por não ter pedido perdão expressamente pelas Cruzadas • João Paulo II pediu perdão aos gregos pelo saque de Constantinopla em 1204 – Mas o Papa da época, Inocêncio III, também já tinha manifestado o seu pesar – Da sua parte, Inocêncio III fizera tudo para evitar que isso acontecesse
  22. 22. Oitavo Mito “Os muçulmanos têm toda a razão em odiar o Ocidente” • Muçulmanos têm lembrança incorreta das Cruzadas – Assim como os ocidentais • Autores ocidentais passaram a pintar as Cruzadas como uma agressão aos muçulmanos “pacíficos”

×