A revolução puritana e a revolução gloriosa

1.166 visualizações

Publicada em

A revolução puritana e a revolução gloriosa

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.166
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A revolução puritana e a revolução gloriosa

  1. 1. A Revolução Puritana e a Revolução Gloriosa Inglaterra - Século XVII
  2. 2. Henrique VIII Elizabeth I
  3. 3. Antecedentes das Revoluções. A Dinastia Tudor – Reforma Protestante: Anglicanismo. – Cercamentos: agricultura e pecuária (lã) comercial;Indústria doméstica; leis sanguinárias – Mercantilismo transformou a Inglaterra em potência marítima – Transformações sociais: nova burguesia e nova nobreza (gentry) beneficiadas pelo processo de transformação. Religiões e classes sociais: – Religião como veículo de expressão dos interesses políticos das diferentes classes sociais – Anglicanos - absolutistas – Católicos - absolutistas – Calvinistas: puritanos e presbiterianos. - antiabsolutistas
  4. 4. Jaime I Mary Stuart
  5. 5. Henriqueta Carlos I
  6. 6. Carlos I
  7. 7. Execução de Carlos I
  8. 8. A Dinastia Stuart Tentativa de imposição de uma monarquia absolutista de direito divino – Jaime I (1603-1625) e Carlos I (1625-1642/49) – Aumento de impostos: exército, autonomia econômica e jurídica. – Conflito com Parlamento – Câmara dos Comuns representa as classes beneficiadas pelo processo de transformação – maioria calvinista – buscava a constante reafirmação da Magna Carta – Perseguições político religiosas – Dissoluções constantes do Parlamento – Rebeliões na Escócia e Irlanda levam ao confronto armado entre o Parlamento e o Rei – Guerra Civil.
  9. 9. A Guerra Civil (1642-1649) Cavaleiros X “Cabeças redondas” – Cavaleiros:anglicanos e católicos – Cabeças Redondas: puritanos, presbiterianos e seitas radicais – Parlamento: regiões Sul, Leste e centros urbanos: regiões economicamente avançadas. – Realistas: Norte e Oeste Novo exército Modelo – Cromwell – Promoção por mérito – Liberdade de organização e discussão: sementeira de idéias radicais Rompimento entre puritanos (independentes) e presbiterianos – Julgamento e execução de Carlos I – Presbiterianos expulsos do Parlamento
  10. 10. Oliver Cromwell
  11. 11. O Pensamento Radical: levellers e diggers. Levellers: niveladores – Sociedade de Pequenos Proprietários – Defesa da igualdade de propriedade (não coletivista) • Fim dos cercamentos; prisão por dívidas; dízimos. • Perseguidos e derrotados em 1649 Cromwell e independentes se apóiam nos niveladores para conseguir executar Carlos I Diggers: cavadores ou verdadeiros niveladores – Comunidade cooperativa com a propriedade comum. • Ocupação de terras abandonadas. – Winstanley – Um Programa para a lei da liberdade, 1652 • Perseguidos e esmagados em 1653
  12. 12. A República Puritana – Commonwealth (1649-1660) A Questão da Irlanda – Rebelião católica em 1649 – Cromwell (Inglaterra): confiscou as terras dos católicos e as entregou aos protestantes (escoceses em maioria - colonização) – Massacre dos católicos rebelados. Os Atos de Navegação (1651) – Decreto: somente embarcações inglesas poderiam realizar o comércio de mercadorias procedentes da Inglaterra ou a ela destinada (ou do país de origem). – Guerra com os Holandeses: vencidos em 1654. – Inglaterra: grande potência marítima até o século XX (IGM)
  13. 13. A República Puritana – Commonwealth (1649-1660) Dissolução do Parlamento: Ditadura pessoal de Cromwell – Apoio do exército e da burguesia beneficiada pelas transformações econômicas (cercamentos/ manufaturas/ comercio marítimo) – Cromwell: Lorde Protetor (1653-1658) – 1658-1660: fim da República • Morte de Cromwwell • Filho Richard deposto pelo Exército e Parlamento Restauração dos Stuart – Temor da rebelião popular A Revolução voltada para a defesa da propriedade privada
  14. 14. Carlos II
  15. 15. Restauração Stuart (1660-1688) Parlamento: perde setores radicais (independentes) Tentativas de restauração do absolutismo e do catolicismo Carlos II (1660-1685) – Habeas – Corpus • Proteção do indivíduo contra o Estado (prisões arbitrárias) e liberdade de expressão. – Ato de Exclusão • Católicos excluídos de postos do governo e cargos públicos • Aproximação com a França (principal rival da Inglaterra) e o catolicismo – Dissolução do Parlamento - 1683
  16. 16. Jaime II
  17. 17. Revolução Gloriosa (1689) Jaime II (1685-1688) – Defesa do absolutismo e do catolicismo Parlamento: união de Whigs (burguesia liberal) e Tories (conservadores) contra o Rei. – Convidam o holandês Guilherme de Orange, casado com Maria Stuart (filha mais velha de Jaime II e protestante), para ser o novo monarca Locke – ideólogo da revolução (Pai do liberalismo político) – Direitos naturais e o contrato social – Direito á rebelião contra a tirania
  18. 18. Guilherme de Orange Maria II
  19. 19. Revolução Gloriosa (1689) Guilherme de Orange (1689-1702) – Declaração dos Direitos: • Assegurava ao Parlamento: aprovar ou rejeitar impostos; liberdade individual e propriedade privada. • Princípio da divisão de poderes (executivo, legislativo, judiciário) – Monarquia Constitucional em formação e parlamentarismo Revolução Gloriosa foi uma Revolução Burguesa – Monarquia parlamentar: solução de compromisso entre a burguesia e a nobreza – Liberalismo político e econômico

×