Revista noize 42 abril de 2011

1.418 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.418
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista noize 42 abril de 2011

  1. 1. DO UNDERGROUND AO MAINSTREAM• EXPEDIENTE #42 // ANO 5 // ABRIL ‘11_ • COLABORADORESDIREÇÃO: EDITORA AGENDA: 1. Samuel Esteves_ É nóis que tá. samuelesteves.comKento Kojima NOIZE.COM.BR: shows, festas e eventos 2. Gaía Passarelli_ Gaía Passarelli gosta de descobrir música nova e comanda oPablo Rocha Lidy Araújo agenda@noize.com.br GOO na MTV Brasil.Rafael Rocha lidy@noize.com.br ASSESSORIA 3. Lalai e Ola_ Lalai trabalha com mídias sociais, mas também é promoter, produzCOMERCIAL: ASSESSORIA DE JURÍDICA: a festa CREW e às vezes banca a DJ. Na adolescência foi metaleira e ainda nutre suaPablo Rocha COMUNICAÇÃO: Zago & Martins paixão eterna pelo AC/DC, sua banda do coração. Atualmente tem ouvido muito folkpablo@noize.com.br Pedro Braga Advogados e sons etéreos, mas na pista gosta mesmo de um electro bem pesado e não abreSilvana Fuhrmann pedrobraga@noize. mão de um bom show de rock..silvana@noize.com.br com.br PONTOS: Marília Pozzobom Faculdades Ola é sueco, DJ, fotógrafo, designer entre outras coisas. Está sempre com o fone deDIRETOR DE marilia@noize.com.br Colégios ouvidos e atrás de músicas novas. Gosta de psicodelias sonoras, rock, breaks, dubstepCRIAÇÃO: Cursinhos e foge do pop. Os graves e os grooves são o que mexem com sua cabeça.Rafael Rocha DISTRIBUIÇÃO: Estúdios 4. Kátia Lessa_ Kátia Lessa é repórter da Folha de São Paulo, faz críticas de modarafarocha@noize.com.br Marcos Schneider Lojas de Instrumentos marcos@noize.com.br Lojas de Discos para a Oi FM e no blog “Ka_kaos” salva notícias condenadas a morteEDITORA CHEFE: Lojas de Roupas 5. Guilherme Thiesen Netto_ Emancipate yourself from mental slavery.Cristiane Lisbôa GERENTE DE Lojas Alternativas 6. Camila Mazzini_ Jornalista e fotógrafa morando em são paulo mas não sabe ocristianelisboa@noize. PROJETOS: Agências de Viagens que quer da vida. flickr.com/photos/camila_mazzinicom.br Leandro Pinheiro Escolas de Música leandro@noize.com.br Escolas de Idiomas 7. Ariel Martini_ ainda insiste em fazer fotos de show.EDITOR: Bares e Casas de Show flickr.com/arielmartiniTomás Bello PROJETOS Shows, Festas e Feiras 8. Eduardo Guspe_ Membro fundador do Núcleo Urbanóide, ultimamente setomas@noize.com.br ESPECIAIS: Festivais Independentes dedica a produzir DONUTS. Bruno Nerva Os anúncios e os textos assinados são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da revista.. Revista NOIZE - Alguns Diretos Reservados 9. Leonardo Bomfim_ Jornalista e diretor de cinema, edita o freakiumemeio.REPÓRTER brunonerva@noize. TIRAGEM:ESPECIAL: com.br 30.000 exemplares wordpress.comFernando Corrêa Júlia Lang 10. Ana Malmaceda_ Jornalista desorganizada, tenta picotar o mundo e guardarnando@noize.com.br julialang@noize.com.br CIRCULAÇÃO os pedaços mais bonitos. Não passa um dia sem se encantar com alguma história e Igor Beron NACIONAL socializa até com árvores.REDAÇÃO: igor@noize.com.brAlex Corrêa Laryssa Araújo 11. João Papa_ Asmático desde os 3. Bonito só a partir dos 21. Nunca foialexcorrea@noize.com.br laryssa@noize.com.br engraçado, nem estudioso, mas sempre compensou com um sorrisinho marotoRafa Carvalho 12. Daniel Sanes_ Jornalista por formação, lunático por opção e roqueiro derafacarvalho@noize. ANUNCIE NA nascimento. Um dos editores de música do site www.nonada.com.br.com.br NOIZE: comercial@noize.com.br 13. Fernando Halal_ Jornalista malemolente, fotógrafo de técnica zero e cinéfiloDESIGN: dodói, não morre sem ver um show do Neil YoungFelipe Guimarães ASSINE A NOIZE: www.flickr.com/fernandohalalfelipe@noize.com.br assinatura@noize.com.br 14. Maria Joana Avellar_ Jornalista rainha do besteirol e cabeça de rádio. Replicante tentando escapar do Grande Irmão. 15. Nícolas Gambin_ Jornalista freela. Aprecia tocar The Meters com amigos nas horas vagas. 16. Bruno Felin_ Jornalista que adora a rua, principalmente com trilha sonora. Sempre de olho nos detalhes do extra pauta. • FOTO DE CAPA_ RAFA ROCHA
  2. 2. 1 10 11 9 2 5 312 4 7 14 REVISTA NOIZE. TUMBLR. COM 8 16 13 15 6
  3. 3. _fOTO: RAfA ROCHA
  4. 4. NOME_Steve CaballeroPROFISSÃO_SkatistaUM DISCO_Metallica - Kill ‘Em All“Música é importante poiscaminha lado a lado com oestado de espírito que vocêestá. Em esportes como oskate, a música se encaixaperfeitamente, ambos têmmuita energia.Um dos meus álbuns favo-ritos é Kill ’Em All do Me-tallica. Foi um dos primeirosdiscos que ouvi que melevaram para o metal, asguitarras são demais, muitobem tocadas e vai muitobem com o skate vertical.A energia dos riffs e refrãosse une perfeitamente àenergia do skate.”
  5. 5. “Eu passEi minha carrEira tEntando pularfora da sombra do nirvana.” Dave Grohl |Foo Fighters “É bom que os filmes co-“Acho que até o Diabo daTasmânia pareceria cha-pado se estivesse ao lado James Franco | respondendo especulações de que es- mecem a se pagar. en- quanto os filmes não sede Anne Hathaway.” pagarem não teremos taria emaconhado ao apresentar o Oscar uma indústria de fato.” Andrucha Waddington |sobre a indústria cinematográfica brasileira “Não, eu não escuto Justin Bieber nem aqui e nem no inferno.” Ozzy Osbourne | brincando com jornalista brasileiro“Vocês já se senti- “É o tipo de coisa queram estúpidos? eu gosto de ouvir quan-me sinto estúpido do não estou gritan-o tempo todo...” do feito um louco.”Jonathan Pierce, vocalista do The Drums | ao Chino Moreno, vocalista do Deftones | ao definiranunciar “i felt stupid” em são paulo Crosses, seu novo projeto paralelo
  6. 6. “eu defino boa música “É difícil acreditar que 42 anoscomo aquela que me passaram desde que tocamosfaz parar de pensar juntos como buffalo springfield.em qualquer outro agora poderemos dividir nossostipo de música.” corações com vocês novamente!”Andy Ross |Crítico de música da New Yorker Richie Furay | sobre retornar aos palcos ao lado de Neil Young e Stephen Stills “as canções estão “Quando Eu dis- saindo do solo e indo putEi as ElEiçõEs em direção à luz.” para govErnador, Coldplay | comentando as gravações do novo disco Em 2003, E comEcEi a ouvir as pEssoas falando Em ‘o go- “Eu assisto Bob Esponja e amo gatos” vErnator’, achEi a Slash palavra lEgal.” Arnold Schwarzenegger | justificando o nome do personagem que marca sua volta às telas, em par- ceria com o mestre Stan Lee“o red Hot obviamente baseou sua car-reira no gang of four. Há alguns anos,eu esbarrei no flea em uma festa e elefalou,’andy, não entendo como vocêsnunca nos processaram’.”Andy Gill | Gang of Four noize.com.br 13
  7. 7. 014 Marcelo Camelo __ÔÔ | Sabe o looping de cabeça pra baixo da montanha russa? Fazer uma revista é ter exatamente esta sensação. E quando saímos do looping, suados, um pouco mais felizes devido ao excesso de sangue no cérebro e com o frio ainda na barriga já é mês seguinte. E de novo precisamos escolher – dentre a quantidade insana de informações, notícias, sons – o que vale a pena virar papel. Perdemos dias encontrando porquês. Horas tecendo palavras que viram frases que viram textos que viram informação que viram assunto que – será? – abrem uma cortina dentro do pensamento. Do seu. Do nosso. Este mês, fomos rumo ao desconhecido a partir de uma conversa regada a chopp e alheira com Marcelo Camelo, este cara que no auto-retrato aí em cima, serve de apoio para felinos.A cada palavra dele, pergunta nossa, a edição tomava forma. Ecad, poesia, encontros, um pouco de humor, testes de possibilidades. Porque não um auto review? Porque não transformar a voz do jornalista na voz do público no show do Ozzy? Por que não falar em imagens sobre o Loolapaloza? Por quê? Não? Decidimos fazer. E sem medo. Que a imperfeição é uma qualidade humana e, discussões hippies à parte, só gente faz música. Entonces, bora. O mundo é vasto, a música é alta e nós que aqui estamos por vós esperamos.Vem pro looping com a gente. Té mais, Cristiane Lisbôa * “Ôô” é a segunda música do disco Toque dela de Marcelo Camelo. E também uma expressão que pode ser usada para chamar alguém que você não sabe o nome, para dizer “se liga, bico de luz” de maneira mais rápida ou tocar o gado.
  8. 8. //015 _ouVINDo Talking Heads - Stop Making Sense David Bowie - Hunky Dory Blackbird Blackbird - Halo LP Black Sabbath - Volume 4 Marcelo Camelo - Toque delaReprodução Divulgação __sai Liz tayLor, entra tim maia | Elizabeth __Lamba o prato em que cuspiu | Faz mais de Taylor foi enterrada no mesmo dia em que Tim Maia foi dez anos que o Metallica protagonizou uma batalha judi- desenterrado. Sim, aos 79 anos, a eterna diva partiu deste cial contra um dos primeiros softwares de p2p (troca de mundo depois de décadas de encantamento nas telas de arquivos computador-a-computador – na época, principal- cinema e anos lutando para manter o coração em funcio- mente o mp3). Em abril de 2000, James Hetfield e cia. pro- namento. Pelo visto conseguiu: além da filmografia impres- cessaram os criadores do Napster, Sean Parker e Shawn sionante, deixou US$ 600 milhões para uma fundação de Fanning, e deram gás à polêmica em torno do programa de combate à AIDS. Mas pára tudo, você não leu a primeira computador que reinventou a relação Consumidor x Mú- frase desta nota? No 23 de março em que Liz nos deixou, sica. O mundo dá voltas. Parker se deu bem na vida, ajudou mandaram chamar o síndico. Uma mulher de 29 anos ale- a criar o Facebook e juntou-se a uma importante empresa gou ser filha de Tim Maia e conseguiu na justiça – e contra de capital de risco de San Francisco. O Napster até en- a vontade da “família oficial” – o direito de tirar o homem saiou alguns retornos, ultimamente apostando na venda de da tumba. Exame de DNA, essa coisa toda. Se Tim estives- música. Agora, Sean Parker pretende comprar nada menos se vivo, segundo seu eterno parceiro Hyldon, receberia a que a Warner Music, por algo na linha dos US$ 2,5 bilhões. possível filha de coração aberto. Mas ia fazer o DNA no Caso a compra se concretize, adivinha de quais metaleiros Ratinho, só pra poder virar pro técnico de som e pedir, – por quem deve manter profundo apreço – Parker passa- com seu vozeirão: “Mais grave, mais médio, mais agudo... rá a ser chefe? Do Metallica. #WINNING mais tudo!”
  9. 9. 016 Bicicleta Sem Freio Reprodução Reprodução __a voLta de quem não foi | Em 2004, Bowie se submeteu a uma complicada cirurgia no coração. Desde então, ex- __a revoLução não será teLe- ceto por aparições ao lado visionada | No romance 1984, de de amigos como David George Orwell todas as pessoas estão Gilmour, do Pink Floyd e sob vigilância de telas, câmeras, olhos que o pessoal do Arcade Fire, ninguém vê mas sabe que estão ali. A pro- ele estava em completo __mÚsica is my hot business | A paganda do estado repete sem parar que silêncio musical. Até agora. revista Noize – esta que vos fala – acabou “Big Brother is watching you”. Deu medo? O álbum Toy – gravado de receber “Menção Especial” no 20º Pois a realidade superou em surrealismo em 2001 e arquivado por Prêmio Açorianos de Música. A cerimônia a ficção e há onze anos de janeiro a abril, conta de uma briga entre o de entrega será dia 26 de abril. Estaremos Pedro Bial comanda o Big Brother Brasil. cantor e a gravadora – caiu todos lá, orgulhosos, felizes, comemoran- (E a rima não foi proposital). Um zooló- na rede.Você já ouviu? do um sonho que hoje é coletivo. Muito gico de gente que todo mundo discute, obrigada por nos ajudar a escrever o som. comenta no elevador. Este ano, tivemos É uma honra dividir nossas ideias, histórias, à nossa disposição transexuais, excessiva invencionices, descobertas, pensamentos auto-estima, mulheres que amam demais, e os mais delirantes projetos, com você. misoginia e heterofobia.Você está pronto #partiufuturo. para 2012, grande irmão? P.s: fotos não oficiais da festa não serão pu- blicadas por esta equipe. E no dia seguinte, vai estar todo mundo de folga.
  10. 10. 018 thiago pethit | Nightwalker #NIGHTWALKER _“Dançando, dançando, @yessicakm Nightwalker vale você aparece no fundo da pelos cinco segundos finais de Thiago Pethit sorrindo <3 :) minha mente”. É Alice Bra- ga quem encarna os versos @marcot @thiagopethit é muito de Thiago Pethit em fino mesmo. Alice Braga no novo “Nightwalker”, clipe dirigi- clipe dele. do por Vera Egito e Renata Chebel. A produção em @Ipeq Something cute, peaceful and romantic;Thiago Pethit - plano contínuo coloca a Nightwalker. atriz global (no sentido internacionalizante da @netturegert Thiago Pethit  “Ni- palavra) a ditar passos de ghtwalker”: Ideias simples geram uma vida apaixonada. A grandes resultados.  aventura noturna é bonita @andretnk Bom dia! Realmente e teatral em sua singeleza. lindo o clipe novo do Thiago Pethit, Nightwalker, com a Alice Braga (via Tags: pethit nightwalker um monte de gente). quatro horas de Lcd soundsystem #LCD LAST SHOW _ James Murphy aguentou no osso, com a ajuda de convi- @thefader LCD Soundsystem do dados especiais da linha de Arcade Fire. LCD Soundsystem “All My Friends,” possibly/probably mais intenso e duradouro do que nunca: 3 horas e 40 minu- their best song, at MSG. A shame tos de despedida garganta à fora, hits e mais hits pisoteados this will never happen again. por uma multidão que lotou o Madison Square Garden. @SilkEWilk Reliving LCD at MSG via youtube. Dancing/Crying Tags: lcd last show at work. TIMELINE O Radiohead lançou seu Will Ferrell é o mais cotado para Daniel Galera, André Conti e Quando você fica velho demais jornal(zinho) Universal Sigh (Suspi- cobrir a falta que fará Steve Carell papel imaginário: as correspon- para montar no seu cachorro, vem ro Universal) em tiragem limitada. em The Office. Dia 14 de abril, dências que os escritores trocaram a ideia GÊNIA de calçá-lo feito O zine pode ser baixado a partir sai o primeiro episódio com Will. no site do Instituto Moreira Salles. um skate! daqui: http://bit.ly/jornalhead  http://bit.ly/carellferrell http://bit.ly/cartasdeescritor http://bit.ly/skatecao
  11. 11. “um brINDe pra Você aquI ó, Dos baNaNas aquI ó! //019 FIm De papo.” _Banana Mecânica (a.k.a Hermes e Renato) em Divulgação resposta às acusações de Gil Brotheremicida | Rua Augusta #ÁUDIO _Emicida reitera a crueza e o realismo do rap Booker T | Representing Memphis com um clipe de tratamento bonito, mas re- Booker T chama a nova-iorquina Sharon Jones e o frontman do National, Matt Berninger. trato triste: a vida de uma mulher que, além de Juntos gravam uma canção representante da mãe, é prostituta. “A mesma grana que compra negritude relax, cheia de soul, que vem dando o sexo mata o amor.” as caras com força nos últimos 2 ou 3 anos. Tags: emicida augusta Justice | Civilization A reprodução em uma rádio francesa revelou para o mundo o novo single do Justice, parte da nova campanha da Adidas. Punch, distor-fleet foxes | Grown Ocean ção, house medieval – justíssimo. Holger | Let’em shine below” _O vídeo de uma das mais belas faixas do novo (Database remix) Fleet Foxes, Helplessness Blues, é como um ca- O Database leva o Holger para a pista com lafrio visual: a neve fica quente e as harmonias ainda mais intensidade ao repaginar “Let’em shine below” em um remix fervente, lançado de sons e imagem dão vontade de sair febril e junto à versão japonesa do disco de estreia sarar enquanto derretem as paisagens. dos paulistanos. Tags: fleetfoxes ocean Mixhell | Antigalatic O trânsito de São Paulo visto por um moto- queiro. O clipe é do Mixhell, então parece jogo de video game. O som bacana ganhou remixskank interagindo de repente de Gui Boratto. Tune-Yards | Bizness _O Skank deu uma bela cartada na onda 2.0 Bizness coloca o Tune-Yards em sintonia com com um videoclipe interativo em que você hypes mais ou menos recentes, como Dirty pode, mesmo, substituir um ou mais instrumen- Projectors,Yeasayer e Vampire Weekend. tistas da banda pelo seu próprio talento. E pior é que funciona. http://bit.ly/skankderepente @REVISTANOIZEO que será que os usuários do me- A criatividade rende grafites em Saca o Blu, gênio dos grafitis que As sessions produzidas pelotrô paulistano andam escutando? que a rua é mais personagem do ganham movimento em vídeos de Daytrotter constróem uma paisa-É isso que se propõe a mostrar o que nunca. stop motion não menos geniais? O gem musical formada por novosMetrophones. http://metropho- http://bit.ly/criafit site dele é uma belezura. artistas ou versões para velhasnes.tumblr.com/ http://blublu.org/ canções. http://daytrotter.com/
  12. 12. 020 _Por Lalai e Ola Person ESPECIAL SxSW MAS DEVERIA_ mapuche Divulgação Origem: Florianópolis, Brasil Som: O músico Isaac Varzim, metade do Superpose, acaba de lançar seu projeto solo, o Mapuche. O projeto já surge com o álbum de estreia Sanctity, com músicas introspectivas, orgânicas, arranjos delicados, bases eletrônicas, violões, bandolins e até saxofone marcando algumas canções. O C álbum nos deliciou e surpreendeu aqui em casa, tanto que já está no repeat há alguns M dias.Vale ficar de olho,Varzim aparentemen- Y te tem muito a mostrar. CM Escute: mapucheways.com MY Fm BELFAST CY CMY Eles vêm da gélida Islândia para convites para tocar em outras cida- esquentar a pista como ninguém. A des do mundo. Em 2008 lançaram o K banda de electro-pop, com pitadas de primeiro álbum, How to make friends, doLL and the KicKs synth e bases cruas, é formada pelo que se traduz muito bem no palco Origem: quarteto Lóa, Árni, Árni e Örvar, além com uma banda que surpreende, Inglaterra de um quinto elemento que varia a contagia, diverte a quem assiste. O Som: cada apresentação. FM Belfast transforma seus shows em Fez um dos shows O casal Lóa e Árni criou a banda grandes festas. que mais me encan- em 2005 para gravar uma música de O grande hit é “Underwear”, que vai taram no SXSW.A natal e presentear os amigos. Todos crescendo lentamente com bases vocalista Doll, assim como o nome, parece uma boneca. Linda, que ouviram, adoraram e a música marcantes – no refrão, você já está performática, com uma voz que já ganhou se espalhou por Reykjavick afora, cantando junto, para depois colocá-la comparações com Siouxsie. Considerada tanto que no verão seguinte a dupla no repeat. Não lançaram nada desde por Morrissey a melhor cantora britânica da acabou se apresentando ao vivo. Para How to Make Friends, que se mantém atualidade. Em 2008, a banda foi convidada as apresentações seguintes, acabaram atual e cria expectativas pro que vem pelo próprio cantor para abrir sua turnê. Para quem adora indie rock britânico, vai ter o convidando o outro Árni e Örvar, que por aí. Afinal, a banda está apenas co- álbum homônimo como um dos preferidos acabaram entrando para a banda. meçando a mostrar pro que veio. dos últimos tempos. Com certeza. Colaboração com nomes como Tren- Escute: http://fmbelfast.com Escute: temøller e Kasper Björk renderam http://soundcloud.com/fmbelfast myspace.com/dollandthekicks menções na mídia internacional e
  13. 13. 022 _Por Lalai e Ola Person ESPECIAL SxSW MAS DEVERIA_ modern caveman Divulgação Origem: Suécia Som: É uma banda sueca, vinda de Gotembur- go, que afirma que rock, em primeiro lugar, é para ser ouvido ao vivo. Formada em 2005, lançou apenas um álbum, Jonnhywi- se, cheio de canções de atitude. Ouvi-los nos faz querer estar num festival dançando na grama, celebrando com os amigos num clássico show de rock’n roll. Escute: myspace.com/moderncavemanmusic vIvA CITy Eu caminhava sozinha atrás de um café David Sinclair, do The Times, escreveu da manhã quando o som de sintetiza- que o Viva City é o Prodigy escreven- naturaL chiLd dores mesclados a uma guitarra baru- do boas músicas e o Tom Robinson, da Origem: lhenta chamou minha atenção. Subi as BBC 6, considera-os geniais. EUA escadas do bar e me deparei com um Já foram comparados com Depeche Som: show para um público pequeno. Fiquei. Mode, LCD Soundsystem, Justice,The É uma banda de O Viva City é isso: conquista de cara Faint e o próprio Prodigy. Começaram Nashville, que toca com suas músicas bem produzidas e a ganhar espaço após terem emplaca- garage rock dos regadas a batidas de electro, riffs de do “Hot Wax”, produzida pelo Koshe- bons, com fortes guitarra, bateria e bases pesadas feitas en DJs, num comercial de TV sobre influências de punk e country. Fazem música despretensiosa e com letras bem-humo- com sintetizadores, além de uma per- marcas britânicas de moda. radas e simples, como “My best friend’s at formance enérgica comandada pelo Já está disponível em mp3 o álbum home with his wife/ Nobody wants to party frontman Ali, que sabe como fazer Remove Money Maker, que será lança- with me”. Música que dá vontade de ouvir todo mundo dançar. do oficialmente neste próximo verão em lugar pequeno, bebendo cerveja com A banda inglesa, de Newcastle, é europeu. São 13 faixas de eletrorock os amigos e, claro, chacoalhando a cabeça. formada por Ali, vocal e guitarra;Trey, dançantes, que fazem qualquer um se Lançaram apenas um EP, The Jungle, mas que já faz a gente se apaixonar por eles e vocal e samples; Bruce, baixo e sinteti- derreter pela banda. Ao vivo, também querer mais. zadores e o baterista Chris. Na edição mostram que merecem ser vistos. Escute: do SXSW de 2010, a banda ganhou Escute: http://myspace.com/vivacityuk myspace.com/naturalchildband elogios que já faz valer a pena ouvi-la: http://soundcloud.com/vivacitymusic
  14. 14. nixonbrasil
  15. 15. 024 1. 2. LOGAN’S RUN (FILME) DAFT PUNK “Aborda o escapismo. Grande influência pro nosso single ‘Sometimes’” “Basicamente criaram a dance music moderna. Eles são demais!” 3. 4. FLORES DARK SIDE OF THE MOON “Quem não gosta de flores? Flores são lindas. Elas mudam seu humor. “Expande a mente. A faz explodir no final” Te deixam feliz” 1. FICçãO CIENTíFICA DE WILLIAM F. NOLAN E GEORGE C. JOHNSON.VIROU FILME EM 1976. Dá VIDA A UMA SOCIEDADE FUTURIS- TA QUE MANTÉM EQUILíBRIO ATRAVÉS DA MORTE DE PESSOAS. 2. DAFT PUNK É GUY-MANUEL DE HOMEM-CHRISTO E THOMAS BANGALTE. FRANCESES, ‘HOMENS-ROBÔ’ E CAMPEõES DA ELETRÔNICA. 4. THE DARK SIDE OF THE MOON É A PSICODELIA EM FORMA DE MúSICA. LANçADO PELO PINK FLOYD EM 1973, ESTá NA LISTA DOS 200 áLBUNS DEFINITIVOS DO ROCK AND ROLL HALL OF FAME.
  16. 16. MIAMI HORROR //025 _Miami Horror é uma banda de Melbourne, na Austrália. É resultado da mente criativa de Benjamin Plant. Cozinha grooves, beats, sintetizadores e psicodelia – o recheio de Illumination, seu álbum de estreia. 5. 6.SINTETIZADORES LED ZEPPELIN“Também fazem meu cérebro explodir.” “Jimmy page na guitarra, é do caralho.” 7. 8.THE HOLy MOUNTAIN (FILME) ALAN BRAxE“Os temas são incríveis, profundos, soturnos. A direção de arte é incrível. É “Eu o coloco na mesma categoria que o Daft Punk. Ele também mudouo melhor filme que já assistimos. “ a dance music.”5. INSTRUMENTO QUE FAZ MúSICA ATRAVÉS DE CORRENTES ELÉTRICAS OU POR UMA COMBINAçãO DE VáRIOS MÉTODOS. OMOOG É O MAIS FAMOSO, CRIADO EM 1964. 7. UM HOMEM QUE É A CARA DE JESUS CRISTO É REANIMADO POR UM BANDO DEANõES. NO CUME DE UMA MONTANHA SAGRADA, FORMA O SISTEMA SOLAR. É O FILME DE ALEJANDRO JODOROWSKY. 8. ALANBRAxE É PEçA CENTRAL NA MúSICA ELETRÔNICA FRANCESA. FAMOSO POR SEUS REMIxES PRA GOLDFRAPP, RöYKSOPP, KYLIEMINOGUE E JUSTICE.
  17. 17. 026 _ por Gaía Passarelli COLUNISTAS OUÇA_ soundfromwayout ben L’oncLe souL Lançamento de 2010 da Mo- town francesa, é bem pop e tem referências diversas (e um videoclipe genial): vá ao youtube e procure por “Soul Man”. A versão que ele fez de “Seven Nation Army” do White Stripes é um colosso. _ Soul music não é novida- rado, uso de metais, backing por exemplo, está (no mo- de. Nem neo-soul, por mais vocals, melodias grudentas mento em que entrego esse que o nome passe uma ur- – tudo isso pode estar no texto) comemorando dois gência novidadeira. O termo pacote. Misture com outras meses no topo da parada cee Lo Green é usado desde os distantes tags (hip-hop, funk, rock, britânica com sua “Rolling Com estatura vocal para ser um anos 90 para identificar bem ao gosto dos nossos in the Deep”. O sucesso de Percy Sledge (google it!) dos nos- artistas como Erykah Badu tempos) e o resultado é, Amy ajudou a tirar do limbo sos tempos, Cee-Lo ficou conhe- cido no wmundo todo ao cantar e, a bem da verdade, soul normalmente, irresistível. a genial Sharon Jones (que as faixas de Gnarls Barkley, seu music é um termo elástico Desde que os triunfos do já com bons 60 anos de projeto com o produtor Danger demais, como rock ou jazz. indie rock e da eletrônica idade, segue excursionando Mouse. Ele voltou esse ano, mais Pode querer dizer qualquer dos anos 00 começaram a com seus Dap Kings) e pop e furioso. coisa entre James Brown baixar a bola, a soul music, tornou possível o furacão a Gnarls Barkley, passando que nunca deixou de acon- Janelle Monaé.A eletrônica por Seal e Barry White. tecer, voltou a aparecer com também assimilou o suingue Neo-soul e variantes vêm vontade. Mark Ronson fez do soul. Gente como Jamie na mesma estética e se uma parte importante da Lidell, um inglês ruivo que referem de alguma forma história, ajudando a moldar fazia IDM para a Warp até raphaeL saadiq a um som que tem como Lily Allen e Amy Winehouse descobrir que podia cantar Instrumentista e produtor, era base a música negra clássica para as paradas pop lá em – e montou uma (excelen- membro da banda Tony! Toni! norte-americana dos anos 2006, 2007. O que veio de te) banda para ganhar os Toné! - e encarou carreira solo lá nos anos 2000. Já trabalhou cinquenta em diante.Vocais cantora com vozeirão e ma- palcos –, já está no terceiro com a Joss Stone e com o dramáticos, intenção dan- lícia na cola das duas.. álbum – e vem ao Brasil em D’angelo e tem lançado faixas çante, instrumental elabo- A também inglesa Adele, maio próximo. geniais como “Good Man”.
  18. 18. 028 BLOGS www.sxc.hu Bweez __ a era de ouro dos teasers I Em tempos __ mstrKrft, Justice e as boas novas de vários discos sendos lançados – e esquecidos – por dia, I Meses depois de ensurdecer os fãs com o live deliciosa- a preocupação quanto a forma de lançamento só aumenta. mente pesado do SWU (lembra de “Roots Bloody Roots” Mas teasers não garantem êxito: antes do lançamento do fechando o set?), o MSTRKRFT reaparece com um single questionável Angles, do Strokes, sites tinham previews de 30 de densidade semelhante. “BEARDS AGAIN” surpreende segundos das faixas.Tem coisa mais broxante que ouvir frag- ao trazer guitarras à la heavy metal conduzidas por uma mentos de algo tão esperado? Por outro lado, o Radiohead, base eletrônica típica dos caras e coroadas com um solo de com sua aura de music trendsetter, avisou que o 8° disco bateria furioso no final. O tipo de música que vai fazer o seu estava pronto e seria lançado 7 dias depois. Nesse caso, amigo headbanger fritar na pista sem nenhum receio: http:// quem precisa de teaser quando já se é responsável por uma tiny.cc/novadomstrkrft das mudanças no consumo de música? E chegamos ao Foo E o Justice também volta do seu sono produtivo. O novo Fighters, que lançou mão de MUITAS possibilidades para single dos franceses, “Civilization”, tem sido amplamente di- divulgar o novo álbum. Dave Grohl abraçou as redes sociais: vulgado como trilha da nova campanha da Adidas (se vacilar postou fotos das gravações, deu dicas de shows surpresas você já ouviu na sua TV) e é o primeiro single do próximo – nos quais tocaram o tal disco na íntegra – e, numa jogada álbum dos caras, que sai pela Ed Banger ainda em 2011. de mestre, armou um concurso no qual o ganhador terá http://tiny.cc/novadojustice o grupo tocando em sua garagem! Baita marketing – mas que não vale nada se o LP não corresponder às altíssimas expectativas.
  19. 19. 030 BLOGS __ resumão do Grito rocK l A edição 2011 Morena Pérez Joachin do Festival Grito Rock, o maior festival colaborativo das Américas, foi uma edição de números redondos. Tivemos em torno de 130 cidades, 10 campanhas, 2 mil bandas e 200 mil pessoas. Consolidamos o Grito Rock como uma plataforma de integração de diversas linguagens artísticas, com produtos como o #OrFEL, fanzine produzido pela frente de letras do Circuito, o #GritoEncena, mostras de artes cênicas da respectiva frente e #ExpoGritoRock, ex- posição virtual organizada pelo núcleo de Poéticas Visuais do Fora do Eixo. Além disso, houve o registro de toda essa movimentação, através do #Grito.Doc, um documentário colaborativo realizado em episódios pelos diversos Gritos espalhados pela América. www.gritorock.com.br __ compacto.rec - coLetÂnea especiaL l Divulgação O Compacto.REC é um selo virtual que já lançou bandas como Porcas Borboletas, Nevilton, Diego de Morais e o Sindicato, Rinoceronte. Mês a mês, quem acessa o compac- torec.foradoeixo.org.br, pode baixar de graça um álbum novo de artistas independentes. Em junho deste ano, o projeto lança uma coletânea especial, que registrará o momento da música emergente brasileira no último ano com 12 faixas escolhidas entre os artistas selecionados. Para participar, as bandas - de qualquer estilo - devem se cadastrar até o dia 15/04 no Toque no Brasil: é tudo grátis. Em seguida, uma curadoria vai escolher as melhores músi- cas respeitando critérios de diversidade de gêneros e de regiões. Depois, a gente baixa e aproveita o som. www.compactorec.foradoeixo.org.br DIRETO AO PONTO Os fãs da banda Macaco Bong já podem agendar seus shows Você pode ter acesso a todos os arquivos e números que movi- favoritos durante todo o ano de 2011. O trio cuiabano lançou mentam e registram as ações do Circuito Fora do Eixo. o projeto Macaco Bong e Convidados. Em uma quinta de cada A plataforma para esse tipo de busca é o Diário Oficial Fora mês, a banda faz uma apresentação conjunta com convidado(s). do Eixo, que, mensalmente, registra seus indicativos, relatórios, Grandes nomes da música brasileira já estão cotados para o balanços e gastos em moeda social e real. Lá, você acessa, por projeto. O pontapé inicial foi em março, quando os Macacos exemplo, o balanço do Grito Rock na América Latina e os aces- levaram ao palco do Studio SP o rapper Emicida. sos à plataforma Toque no Brasil. http://bit.ly/eGALb6 http://bit.ly/h3mKJC
  20. 20. 032 _Por Kátia Lessa kakaos.wordpress.com BLOGS Biel Carpenter / Reprodução __entre dois amo- samento poético, tem que res - quando arte ralar muito. e mÚsica se en- Quando decidiu que se- contram | Foi quando ria artista plástico? conferi a exposição Das Eu tinha essa vontade de Naturezas, uma coletiva de estar envolvido com este gravura, pintura e fotografia fazer artístico. Comecei na Galeria Mezanino, que como músico, depois quis descobri Biel Carpenter, ser jogador de futebol, ado- 27. O artista nascido em lescente eu escrevia muito, Marília, interior de São e depois comecei a pintar Paulo, mas que hoje mora e trabalhar com gravura. que bati com Biel: tade, ele é um cara muito Acho que demorei até em Curitiba, me chamou a Você fez o encarte do criativo e trabalhou como ter essa convicção de que atenção com um trabalho novo disco do Marcelo um diretor de arte durante definitivamente seria artista delicado, surreal e de temas Camelo. Como foi feito todo esse processo. plástico. fabulosos. Comprei duas esse trabalho? telas, uma pintura e uma Encontrei com o Marcelo Qual a sua lembrança Nossa geração usa a gravura, enfeitei as paredes em São Paulo e ele cantou mais antiga no mundo internet como galeria de casa e desabafei a paixão as músicas do disco novo das artes? de arte.Você é dessa artística no blog. pra mim. Passei uma tarde Acho que foram umas telas turma? Como as pesso- Meses depois, recebo um com ele no estúdio e aí do meu tio que vi na casa as podem conseguir um e-mail do cantor Marcelo voltei pra Curitiba com da minha avó. Eu ficava trabalho seu? Camelo dizendo: “Estou algumas ideias e comecei meio que hipnotizado na Estou atualizando meu site, certo de que você vai a trabalhar. Foi tudo muito frente daqueles quadros. em breve com algumas gostar do encarte do novo manual e arcaico.Todo o novidades. Se alguém quiser disco”. encarte foi feito a mão.Tra- Qual a técnica que você um trabalho meu, é só Música e traço, fino do fino, balhei com pinturas sobre mais domina? passar na Galeria Mezanino tudo misturado. A minha papel, gravuras e com as Gravura em metal. Mas (atualmente na Rua Augusta, tela virou capa do CD. Os próprias matrizes. As letras estou sempre em constan- 2.559 - Jardins - São Paulo). outros originais ainda estão foram datilografadas numa te aprendizado, trabalho Quem mora longe pode à venda. Ao lado um papo antiga máquina de escrever. com incertezas. No caso me escrever ou marcar Encarei o encarte como um específico da gravura, é um uma visita aqui no atelier. livro de artista. O Marcelo processo vivo. É preciso me deixou muito à von- associar a técnica ao pen-
  21. 21. 034 PUBLIEDITORIAL Tonho Meira Arquivo Pessoal __histÓrias de edu K | Nascido em Porto Alegre, __cLássico, os eLes no paLco | Curta, porém Eduardo Dornelles foi criado fora da cidade. Voltou em intensa, foi a vida d’Os Eles. A banda nasceu em 1984 e, 1983, quando já atendia por Edu K e, um ano depois, em quatro anos, encerrava os trabalhos. Dos integran- fundou o Defalla, cuja formação original contava ainda tes, apenas Leo Henkin segue na música e, hoje, integra com Carlo Pianta (baixo) e Biba Meira (bateria). a banda Papas da Língua. Leandro Branchtein (voz), Da- Com a banda, subiu muitas vezes ao palco do Araújo rwin Gerzson (baixo) e Régis e Dannie Dubin (bateria Vianna. Numa das ocasiões, levou uma mala cheia de e guitarra, respectivamente) optaram por outros cami- roupas e trocou de figurino diversas vezes diante do nhos, como medicina e publicidade. público. Na mesma noite, o Nenhum de Nós também As apresentações d’Os Eles eram marcadas por inter- se apresentou, mas é da passagem de som que Edu K pretações teatrais e causavam polêmica. Para interpretar guarda a lembrança mais bizarra. a música “Prendo e Arrebento”, por exemplo, o vocalista Acesse http://araujovianna.com.br/beta/?post=1104 para vestia uniforme da polícia (foto). E foi assim que fez um saber que história é esta. show num clube militar, a contragosto da direção. O auditório também foi escolhido pelo Defalla como Há poucos registros da banda, mas o produtor Ilton cenário para suas fotos de divulgação. Clicadas por To- Carangacci guarda relíquias, como uma imagem do nho Meira, as imagens foram feitas no palco e nas cadei- show realizado no Araújo Vianna, em 1985, veja em ras do Araújo Vianna. Uma dessas relíquias, você pode http://araujovianna.com.br/beta/?post=1050 e aproveite ver em http://araujovianna.com.br/beta/?post=1105. para escutar o hit “Silicone”. outras O Capital Inicial apresentou-se No último dia 20,Vitor Ramil tocou Ainda na festa de 47 anos do audi- no Araújo Vianna em 2001, e o no aniversário do Araújo Vianna. tório, Bebeto Alves subiu ao palco. histÓrias baterista Fê Lemos conta por Na ocasião, gravou um depoimento Antes, porém, contou histórias ARAÚJO quê este show foi importante sobre o auditório, que pode ser vividas no Araújo Vianna. O vídeo VIANNA. para a banda em http://araujo- visto em http://araujovianna.com. está em http://araujovianna.com. COM.BR vianna.com.br/beta/?post=1082. br/beta/?post=1079. br/beta/?post=1077.
  22. 22. www.edutattoo.com.br
  23. 23. __eNTreVIsTa __FoTos __reporTaGem __aGraDecImeNTosraFa carVaLHo samueL esTeVes TomÁs beLLo peu e bIaNca
  24. 24. THE DRUMS //039 THE DRUMS eles são de Nova Iorque, mas soam ingleses. Vivem o brooklyn mas respiram manchester. pra muitos, Jonathan pierce+1, Jacob Graham, connor Hanwick e Tom Haslow são os “novos Smiths”. Desde que 2010 bateu à porta, o nome The Drums figura entre os trending topics de blogs, sites e revistas mais antenados do mundo pop. seu autointitulado álbum de estreia+2 chegou às prateleiras em junho passado. No brasil, o quarteto desembarcou em março pra apresentação única em são paulo. colamos neles.Vocês são de NY, mas as pessoas adoram vocês experiência incrível tocar para um público tão grande.na Inglaterra. Como se sentem com isso? Mas isso não nos levou automaticamente a ser mais [+1] Jonathan e Jacob são os fundadoresJonathan: Achamos que isso é consequência do famosos do que éramos antes. Nos ajudou muito a do Drums. Amigos de infância, senosso foco de influências. Temos muitas influências perceber como se conduz uma platéia que não está ali conheceram nosdo rock inglês+3. E também projetamos toda a nossa necessariamente pra te ver. tradicionais summer camps. Criaram aprimeira turnê na Europa, o que nos faz ser mais banda em 2006, quando cansaramconhecidos por lá do que em nossa terra natal. De Vocês estão cozinhando um novo álbum, certo? de antigos projetosqualquer maneira, é ótimo ser amado em todos os O que esperar, vem algo completamente novo? voltados à música eletrônica. Trocaramlugares, seja em NY, seja em Londres. Jonathan: Eu acho que não. Um disco é como um os sintetizadores pelas guitarras. relacionamento, leva algum tempo para que amadure- [+2] The Drums, oE como vocês enxergam toda a badalação ça, que tome forma e estilo, e quando finalmente você disco, foi todo gravadoem torno do The Drums no decorrer do ano chega lá você simplesmente muda tudo? Eu acho que em clima lo-fi - no apartamento de Jacob,passado? Estar no topo da lista de melhores de não. Fizemos muita coisa que gostamos nesse novo ál- na Flórida, na casa do quarteto em NY e2010+4 da New Musical Express, por exemplo? bum+5, assim como no primeiro. E as nossa influências em uma cabana emJonathan: Foi uma grande surpresa pra gente, mas continuam as mesmas. Woodstock, mesmo local que sediou oao mesmo tempo a realização de um longo ciclo lendário festival de 1969.de trabalho. Nos sentimos recompensados e, claro, Tocar para plateias enormes, como em festi-reconhecidos profissionalmente. vais+6, e tocar em lugares pequenos, como o [+3] O quarteto é fã confesso de gruposJacob: Mas o que dita mesmo o que somos é o Estudio Emme. Qual a maior diferença? como The Cure e The Smiths, que nos 80’spúblico. Afinal, sucesso de crítica nem sempre significa Tom: Eu não achei aqui tão pequeno. Não acho duas ajudaram a mudarter um sucesso musical estrondoso. mil pessoas uma plateia pequena. o rumo da música britânica. Jonathan: Acho que a maior diferença é justamente [+4] Em janeiroTocar ao lado do Kings Of Leon: colocou o sentir que em uma plateia dita pequena, as pessoas daquele ano, a banda cravou o #5 na famosaDrums num outro patamar? estão ali justamente porque gostam do seu som e se BBC Sound of 2010.Jonathan: Tocar com eles foi bem legal. Eles são identificam mais intimamente com a banda. São essas Ao mesmo tempo, foram #1 na lista depessoas ótimas e nos ajudaram bastante. Foi uma pessoas que falam com a gente no twitter, postam coi- apostas da NME..
  25. 25. 040 noize.com.br sas na nossa página do facebook e enchem nossa caixa – Vila Olímpia). Preocupado, o tour manager liga pra de entrada dizendo “sou do Brasil, gostaria muito de produtora e ela informa que estão parados no transi- ver ser show aqui”. Sabe? to da 23 de maio. Jacob: É, e tocando em um festival é muito mais fácil de ser rejeitado, eu acho. Tipo, a pessoa está passando @10h47: Os Drums chegam ao hotel. Todos acom- de um palco pro outro e para pra ouvir apenas uma panhados de belas olheiras, com cara de cansado, mas música sua. Ela ouve uma estrofe da música e te joga tranquilos. Só querem saber de dormir um pouco. uma garrafa gritando “voces são um lixo!”. Aí, ela anda “Tem piscina?”, pergunta Jacob. pro próximo palco dizendo pros amigos “aquela banda é um lixo”. @11h00: Povo faz o check in rápido e se manda pro quarto. O manager da banda ficou pela recepção Boas impressões do Brasil até agora? Somos resolvendo algumas encrencas e conversando com a famosos por ter um povo muito caloroso... Bianca, a produtora. É nesse momento que ele ganha Jacob: Sim! Eu entrando aqui na loja e veio uma me- uma sacola com alguns presentes - entre eles, uma nina pedir pra tirar fotos com ela. Ela não falava muito amarelinha número 9 da Seleção Brasileira. Feliz, ficou inglês, e eu não falo nada de português, mas ela estava celebrando a camiseta. realmente animada! Jonathan: Estamos animados de fato. Essa cidade @11h40: De sopetão, o quarteto abandona os quar- parece enorme, diferente de outros lugares que já tos com uma pessoa da produção e sai a procurar um conhecemos. Faltam algumas horas pro show e já vi Starbucks. Caem num brazilian coffee mesmo. que tem pessoas na porta desde cedo. Acho que será um show muito animado. É nosso primeiro show fora @12h17: De volta ao hotel. de NY em 4 meses, estamos realmente animados com isso. @12h30: Enquanto eles descansam, palco e instru- mentos começam a ser montados. 24 horas - ou quase - com the drums @15h45: Jacob, Connor e Tom despertam. Se jogam @08h15: The Drums está em solo brasileiro. Jona- na van em direção ao Emme. Jonathan fica com a cara than Pierce, Jacob Graham, Connor Hanwick e Tom no travesseiro. Já Nolan, o manager, aproveita os minu- Haslow desembarcam no Aeroporto Internacional de tos de trânsito pra tirar dúvidas linguísticas. “Obrigado Guarulhos em meio a mochilas e instrumentos. é tudo que eu preciso saber, certo?’’, pergunta. Zoando, indicamos que ele também precisa saber “foda-se!”. [+5] Segundo o @08h45: Ao passar por um túnel, o trânsito para. batera Connor Hanwick, o novo Todos se assustam: a grande fila de motos que passam @16h20: Van estaciona em frente ao Emme. “Is it aálbum deve sair aindaeste ano, uma vez que por entre os carros sem nenhum impedimento parece nice neighbourhood?’’, pergunta Connor, o batera. E está “75% finalizado” não ser comum aos olhos nova-iorquinos. assim o povo sai pra conhecer os arredores do club. [+6] Ao deixar Sampa, o Drums foidireto ao Chile, onde @09h38: Parada rápida em um posto de gasolina pra @16h30: Uma fã chega na entrada de serviço pra se apresentou na comprar água pra geral. Os músicos não descem do tentar ver a banda. Ela quer fotos. Um autógrafo. E dá primeira edição do festival Lollapalooza carro, mas olham um tanto assustados pra o tamanho azar. Afinal, eles haviam acabado de sair – mas ela ga- fora de Chicago. ANoize também esteve da cidade. rante: “Vou chegar bem cedo pra poder ficar grudada por lá. Basta pular no palco” (e de fato chegou, era tipo a décima pessoa pra página 56 e ver como foi. @10h00: Nada da banda chegar no hotel (ITC Park da fila horas depois).
  26. 26. THE DRUMS //04108:15hs 10:47hs15:45hs 17:00hs18:15hs 18:50hs
  27. 27. 042 23:14hs @17h00: Os caras retornam do passeio. Antes de desenhada. “O que é isso?”, pergunta. Sem titubear, Jonathan chegar do hotel, Connor, Tom e Jacob dão explicam que a tal lata é uma cerveja brasileira chama- a largada na passagem de som. Brincando e rindo, da Devassa, e que em sua última campanha era Paris ensaiam trechos de Blink 182 e Offspring. Hilton a garota propaganda. “No way!”, responde o baterista. O que segue é uma risada contida. @17h45: O vocalista chega ao Emme. A banda deixa o palco e se concentra no camarim pra dar início a @20h10: Eles saem em busca de um restaurante bateria de entrevistas. pelo bairro de Pinheiros. É hora da janta. @18h50: Chega de imprensa. O quarteto deixa o @21h40: Uma fila grande vai se formando do lado de camarim, toma o palco, e começa a passagem de som. fora do Emme. Enquanto o club enche de Drums- -maníacos, os Funhell DJs vão animando a pista. @19h35: Alguns acordes mais tarde, camarim. Con- nor abre a geladeira e vê que além refrigerante e água @22h25: Pista enchendo. Quase hora do show. tem uma lata branca com a silhueta de uma mulher A banda retorna. “Comemos countryside chicken”.
  28. 28. //043 00:15hsPra acompanhar? Algumas caipirinhas. “Pra matar a que havia ganhado mais cedo. Nas costas, o número 9curiosidade”, justifica. Não à toa, Jonathan caminha até e o escrito, “The Drums”.o camarim se apoiando pelas paredes. @00h15: Com a tristonha “Down by the Water”, o@23h12: The Drums no palco. É hora do show. show acaba do jeito que começou: público em delírio, cantando em coro, como se cada palavra fosse sua@23h14: Soam os acordes de “What You Were”. É a última. “Este deve ser um dos melhores shows que jáprimeira música. Casa cheia e todos cantando junto. fizemos. E, claro, por causa de vocês. Esperamos voltar assim que pudermos”, declara Jonathan.@23h41: “Best friend” já foi, assim como “I FeltStupid” e “Let’s Go Surfing”. Jonathan Pierce está visi- @00h45: “Bye bye”, dizem os new-yorkers. Do Estú-velmente surpreso com a animação do público. Entre dio Emme, seguem pra o Bar Secreto, a cerca de duasuma música e outra, “thank you, thank you, thank you”. quadras. É hora de comemorar. @00h08: Chega o bis. Jonathan deixa sua regatapreta, a jaqueta de couro, e veste a camiseta do Brasil
  29. 29. 046 noize.com.br Marcelo camelo “Nem só de música eu vivo”raFa rocHa Marcelo Camelo é um homem de passos largos e já – por mais que mudasse muito –, mas era um ca-_FoTos quase rápidos. Emenda uma conversa na outra, dá coete, era uma relação de carreira. Agora eu me sinto voltas, muda, volta ao início. “Qualquer assunto é livre pra escolher dentro das músicas que eu faço, assunto”. Ri largo. Embora não tanto. Gosta de gente, porque no Los Hermanos tinha músicas que acabavam boteco e teorias conspiratórias. Acaba de lançar seu não servindo pra gente, daí eu acabava não dandocrIsTIaNe LIsbÔa segundo disco solo, Toque dela+1, por selo próprio - Zé muita atenção para elas. Hoje em dia eu me sinto mais_reporTaGem Pereira – em parceria com a Universal Music. Gravou livre pra caminhar sobre esse aspecto de musicalidade, novamente com a banda Hurtmold e chamou o piano de timbre de música e tal, me sinto mais à vontade na de Marcelo Jeneci para algumas faixas. Em três mú- prática. E isso traz uma coisa de interiorizar e você sicas, toca todos os instrumentos sozinho. Em todas leva isso pra outros lugares da nossa observação, elas, mostra quem é e onde pisa. enfim me sinto livre pra sei lá, fazer um xaxado, saca? É um fim de manhã com sol morno, ele chega para um chopp em um bar semi-vazio perto de onde mora, em Quem vê a música.raFa carVaLHo e JoÃo papa São Paulo. Tem lugar pra você na mesa. Chopp com O primeiro disco eu fiz muito em contato com os colarinho ou sem? amigos e fui mostrando os trechos, como eu tava no Rio, eu encontrava com eles lá em casa e ia mostran- Criar sozinho. Criar com hermanos. do. Mas como a ideia agora é mudar o método, o jeito A diferença fundamental é que eu já conheço meus de fazer eu não mostrei pra quase ninguém. Pra Malu,_eNTreVIsTa amigos do Los Hermanos há muito tempo, aprendi a sim. Como a gente tá sempre junto, a gente acom- tocar com eles, então quando eu fazia a música eu já panha o nascimento das ideias um do outro, é tudo imaginava eles tocando, já sabia de saída as músicas muito próximo. que não iam rolar. A banda tinha uma coisa estética
  30. 30. MARCELO CAMELO //047Parceria em Toque Dela pela genialidade individual deles – supostamente deO Hurtmold+2 tocou em várias faixas, foi bem legal. nós todos –, mas do aprendizado coletivo. Uma coisaMas eu participo bastante dos arranjos, eu fico com que você [percebe] ali junto com todo mundo. Qual oumas coisas na cabeça e dirijo bastante. Eu me envol- papel do baixo na composição, o que a bateria podevo bastante assim, gosto de tocar várias coisas, mas acrescentar, que tipo de jogo que dá pra fazer entreé muito bom tocar com gente que nem o Hurtmold a guitarra e a bateria, sabe? Essas coisas todas vocêporque os caras tocam pra caralho, né? Você dá uma aprende jogando ali no dia a dia.idéia e só de o cara tocar pra te perguntar se é issomesmo ele já melhora mil vezes o que você queria. adj. e s.m. Diz-se de, ou pessoa sujeita a distrações; abstraído; entretido; ocupado;Como defini o repertório descuidado.Fiz umas quatorze músicas ao todo (NR: São dez mú- Os processos todos, de escolha, de filtro, de peneira,sicas no CD) e fiz outras que não serviram e tal, mas o objeto que eu uso hoje em dia é a distração, é meiono meio do caminho eu parei pra fazer trilha sonora que não estar atento à parada, à escolha em si. E jápro negócio lá da Globo – a mini série Afinal o Que foi ao contrário, o negócio do peso da escolha é umaQuerem as Mulheres –, compus várias músicas, gravei, coisa que eu quero voltar a fazer, e eu tô tentandoarranjei, um trabalho colossal e os caras acabaram fazer sem o peso dela. Por isso que quando você meusando pouquíssimo do négocio, e eu vou acabar pergunta o porquê de uma coisa muito específica, eudando uso pra outras coisas dessas músicas. Mas deu nunca sei direito o que responder, tipo na hora que euum trabalho filha da puta. Chamei o Rob Mazurek+3, escolhi eu não fiz questão de escolher um motivo, éque é um cara de Chicago que toca cordas e veio pra tudo na base do insight. Eu não escolho pensando emfazer esse trabalho comigo. Enfim, acabei compondo depois como é que eu vou justificar certa coisa oumuita música ao longo desse ano. No final, acaba não certa música.sendo só um trabalho de peneira, é meio no feeling deo que cabe no disco. A extensão da arte Acho que hoje as pessoas consomem música noInfluência caseira audiovisual. Isso é muito próprio da música. QuandoA música funciona também como uma forma de sen- você ouve uma coisa, imaginar ela visualmente faztimento, né? Que nem uma pintura, um quadro, tudo parte, a imagem é música, e a música é imagem. Euexpressa algum tipo de sentimento. Tudo que gira em tenho uma certa dificuldade porque eu assumi umatorno desse caminho, o sentimento e o desdobramen- narrativa que contempla minha própria narração dasto dele caminha pra você melhorar o seu aparelho coisas, sabe? Minha linguagem narrativa é meio.... euperceptor, sua linguagem cognitiva. Nesse sentido a senti muita identificação quando li os textos de umainfluência é meio com os amigos que a gente (NR: portuguesa que se chama Maria Gabriela Lançol. [+1] Arte de BielMallu e ele) tem em comum e tal, como em outros Ela escreve um pouco do jeito que eu acho que eu Carpentertrabalhos, vocês que estão aqui me entrevistando, as escrevo também, não é uma observação narrativa docoisas que vocês trazem pra entrevista e as coisas que mundo, é como se o mundo estivesse em mim. Nãovocês carregam de informação pra vocês, são fruto sei explicar direito. Mas é como se a minha escrita le-de coisas que os amigos trouxeram, das conversas vasse em conta só aquilo que eu sinto, e como eu vejoque vocês tiveram com outras pessoas. E quando o mundo. Eu tenho meio dificuldade de enxergar ovocê tem uma mulher, uma companheira, ela também visual fora disso, eu tendo a enxergar coisas análogas [+2] myspace.com/faz parte desse mundo. Eu tive a sorte de começar ao meu próprio olhar sobre o mundo. hurtmoldcom os Hermanos e aprender muita coisa, não só [+3] robmazurek.com/
  31. 31. 048
  32. 32. MARCELO CAMELO //049“Hoje em dia eu me sinto mais livre pra caminhar sobre esse aspectode musicalidade, de timbre de música e tal. Me sinto mais à vontadena prática. E isso traz uma coisa de interiorizar, e você leva isso praoutros lugares da nossa observação, enfim me sinto livre pra, sei lá,fazer um xaxado, saca?”Coletivo NoiteA coisa da banda te coloca mais a par de uma neces- Eu acompanho muitos os projetos paralelos dossidade coletiva, você fica mais emparelhado com o meninos do Hurtmold. Tem um show que vocês nãocoletivo, te coloca de igual pra igual com os outros, e podem deixar de ver que é do MDM+5, do Marinho, éisso tem seus aspectos positivos e negativos, já que no dó caralho o som o deles. Um igualmente foda é doindividual você se cobra das próprias expectativas. Na Chancas, que é irmão dele. E o MDM é foda, eu adoreiprática isso [carreira solo] me faz ter mais tempo so- ter visto. Foi tipo pequenininho, umas cinquenta pes-brando, eu posso me dedicar à fotografia, ao cinema, a soas, chutando. Mas foi muito bom.tocar um monte de instrumentos. Do Los Hermanospra cá eu aprendi a tocar um monte de coisa, comprei Twitterum monte de instrumento. Eu gosto muito do clarone, Não tenho interesse nenhum em ficar no twitter oeu acho um instrumento bonito. É um clarinete baixo. dia todo. É uma falta de interesse pessoal mesmo, nãoBateria eu sempre gostei, sempre toquei. (NR: em é nada contra ninguém ou método. Mas eu não tenhovárias músicas de Toque dela a bateria é muito bem opinião fixa sobre nada cara. Mas eu mudei muito,marcada.) Eu guardo uma bateria em casa pra na hora assim, minha maior distração é comer na frente dodo Garage Band+4. Dá pra compor tendo uma bateria computador assistindo ao documentaryheaven.com.em casa. Twittar coisas que eu leio, vejo, eu atá faria, mas eu te- nho uma falta de interesse sobre a ferramenta mesmo.InstrumentosO baixo eu acho meio misterioso, sabe? Eu gosto Gravando sem gravadoramuito. Mas nunca senti firmeza no meu jeito de tocar A gravadora tem muito pouca força hoje em dia [+4] Software debaixo, e nesse disco pela primeira vez eu me permiti dentro da obra de um artista. Estar sem gravadora gravação de música multi-canais paratocar e gostei bastante. Gostei muito de poder tocar significa pagar do seu próprio bolso o custo da feitura os computadoresbaixo, bateria e guitarra, de ter construído a estrutura de um disco, e não é barato. Estar com ela significa Macintosh, da Appleda música compondo assim. um parceiro pra ajudar a pagar uma coisa que não é [+5] myspace.com/ mdmsp barata. Se você for buscar gente sem gravadora noPrimeiro lugar Brasil, são pessoas que num modo geral tem outros [+6] Causou polêmica no mês de abril aO disco que eu mais gosto na minha vida, o meu empregos e conjugam sua vida a ter a música como aprovação de R$ 1,3 milhão em verba paraChega de Saudade, o melhor disco já feito pela humani- uma parte. A não ser que o cara vá pra uma coisa de um blog em que adade, se eu tivesse que eleger algum – apesar de odiar música experimental e vá pra um museu e tal, talvez artista postaria, ao longo de um anoessa coisa de eleger, porque quando você elege você consiga. inteiro, vídeos diários dela lendo grandestira todos os que são bons do caminho –, é o disco da poemas. Os vídeosGuiomar Novaes, o ultimo disco que ela gravou em É lei devem ter direção de Andrucha Waddington,vida, que é surreal. Eu tenho uma relação meio conturbada com a Lei que dirigiu Maria Bethânia - pedrinha de Rouanet, sabe? Desde que a lei existe as pessoas vêm Aruanda.

×