Geografia cap 1 a 18

32.584 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
32.584
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
374
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia cap 1 a 18

  1. 1. GEOGRAFIA<br />Página 270 (anglo 1)<br />
  2. 2. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br /> A geografia estuda as relações entre a dinâmica histórica, que regula a formação das sociedades humanas, e a dinâmica da natureza.<br />Para se compreender e utilizar o conhecimento produzido pela Geografia é necessário que se domine uma série de conceitos geográficos, como por exemplo:<br />Espaço Natural; Espaço Geográfico; Lugar.<br />
  3. 3. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Espaço natural: Espaço estendido como a própria natureza, com suas características particulares e sob a ação de forças naturais, biológicas, físicas e químicas.<br />
  4. 4. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Espaço Geográfico: Espaço apropriado e produzido pelo homem, por meio das transformações impostas ao espaço natural.<br />
  5. 5. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Lugar: Espaço compreendido pelo indivíduo com base na sua experiência e relações que mantém com o espaço geográfico. Essas relações são carregadas de afetividade.<br />
  6. 6. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br /> Para que esse conhecimento geográfico adquira utilidade é ainda necessário o conhecimento dos seguintes conceitos:<br />Paisagem<br />Território<br />Região<br />Ecúmeno<br />Anecúmeno<br />
  7. 7. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br /> Paisagem: Ela é composta de objetos naturais e artificiais e está em constante processo de mudança.<br />Floresta Amazônica<br />Sertão Nordestino<br />
  8. 8. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Quando o homem intervém na paisagem natural e a transforma em um espaço geográfico, as conseqüências são desastrosas para a natureza. O uso de certas espécies de animais não domesticados, para a produção direta de alimentos ou para a produção de mercadorias comercializáveis, pode significar a extinção dessas espécies<br />
  9. 9. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Território: Parte do espaço geográfico apropriada por grupos humanos, que passam a viver e produzir nesse espaço. <br />CURDOS – POVO SEM TERRITÓRIO - PETRÓLEO<br />TERRITÓRIO BRASILEIRO<br />
  10. 10. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />A pretendida expansão da Alemanha nazista sobre o território das nações vizinhas foi responsável pela morte brutal de milhões de pessoas, durante a Segunda Guerra Mundial. A disputa por território tornou-se mais importante do que a defesa e a preservação da vida humana.<br />
  11. 11. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Região: Parte do espaço geográfico contínua e homogênea em relação à determinados critérios pelas quais se distingue das regiões vizinhas.<br />
  12. 12. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Ecúmeno: Parte do espaço natural que apresenta condições favoráveis a uma ocupação humana permanente, como por exemplo, as planícies fluviais com solos férteis.<br />
  13. 13. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Anecúmeno – Parte do espaço natural que apresenta grandes dificuldades para a ocupação humana permanente, como por exemplo, os desertos e as zonas glaciais.<br />Partes do Deserto<br />Polos<br />
  14. 14. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />A superfície da Terra é da ordem de 510 milhões de km² das quais cerca de 30% é ocupada pelas terras emersas (acima do nível das águas do oceânicas) e 70% é ocupada pelas terras submersas (cobertas pelas águas oceânicas).<br />
  15. 15. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />
  16. 16. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />As terras emersas correspondem à área ocupada na superfície da Terra pelos continentes (Ásia, América, África, Antártica, Europa e Oceania)e as terras submersas, pelos oceanos (Pacífico, Atlântico e Índico) e os diversos mares que eles formam junto às áreas continentais.<br />
  17. 17. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />
  18. 18. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Os hemisférios norte e sul são também denominados, respectivamente, de hemisférios das terras (por concentrar a maior parte das terras emersas) e das águas (por concentrar a maior parte das terras submersas)<br />
  19. 19. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Entre as diversas formas de analisar a organização dos países, uma delas é agrupá-los com base nas desigualdades sociais e econômicas existentes entre os países do mundo. Com base nesse critério costuma-se dividir o mundo em 2 blocos de países: o dos países norte ou desenvolvidos e os países do sul ou subdesenvolvidos.<br />
  20. 20. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />
  21. 21. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />Nas últimas décadas, a economia mundial tem apresentado uma forte tendência à formação de megablocos que aglutinam diversos países de uma determinada área geográfica. Esses blocos, segundo as suas características de inteiração social e econômica, são classificadas como zona de livre-comércio, como é o caso do Nafta, o MERCOSUL e a União Européia.<br />
  22. 22. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />MERCOSUL:<br />ALIANÇA COMERCIAL<br />
  23. 23. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />NAFTA: <br />ACORDO DE LIVRE COMÉRCIO<br />
  24. 24. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />NAFTA: <br />
  25. 25. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />UNIÃO EUROPÉIA: <br />
  26. 26. O ESPAÇO GEOGRÁFICO<br />UNIÃO EUROPÉIA: TRATADO DE MAASTRICHT<br />UNIÃO POLÍTICA E MONETÁRIA (EURO). <br />
  27. 27. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />A teoria mais aceita para explicar a formação do Universo é a do Big Bang (Grande Explosão). Segundo essa teoria (desenvolvida e anunciada em 1948, pelo físico russo George Gamow) há cerca de 15 bilhões de anos toda a massa existente no Universo concentrava-se em um só ponto.<br />
  28. 28. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  29. 29. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  30. 30. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />VIA LÁCTEA<br />
  31. 31. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />GALÁXIA<br />
  32. 32. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Entre os corpos celestes que são encontrados no Universo, encontram-se milhões de galáxias, entre as quais a Via Láctea, sendo essa a galáxia onde está localizado o Sistema Solar, sistema estelar em que se localiza a Terra. Esse sistema estelar é composto pelo Sol e por uma série de corpos celestes que orbitam em torno dessa estrela, entre os quais se encontram:<br />
  33. 33. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Quatro planetas internos e de composição rochosa (Mercúrio, Vênus, Terra, Marte);<br />
  34. 34. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Quatro planetas externos de composição gasosa (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno);<br />
  35. 35. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Planetas-anões (como Plutão, que até há pouco tempo tinha status de planeta);<br />
  36. 36. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Satélites naturais (corpos celestes que orbitam em torno dos planetas, como a lua);<br />
  37. 37. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Asteróides (pequenos corpos celestes de composição rochosa e metálica);<br />
  38. 38. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Meteoróides (corpos celestes de pequena dimensão que vagam no espaço);<br />
  39. 39. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Cometas (de órbita irregular, constituídos de gelo, poeira e gases);<br />
  40. 40. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Entre os movimentos da Terra destacam-se o da rotação e o da translação. O movimento de rotação é o que a terra realiza, de oeste para leste, aproximadamente em 24 horas, em torno do seu eixo imaginário. Esse movimento explica a existência dos dias e das noites na superfície terrestre.<br />
  41. 41. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  42. 42. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />O movimento de translação é o que a Terra realiza em torno do Sol, em uma órbita elíptica, no período de um ano. Esse movimento aliado ao fato de eixo imaginário da Terra apresentar-se inclinado, aproximadamente 23,5 graus, explicam a existência das zonas climáticas e das estações do ano, de forma alternada nos hemisférios.<br />
  43. 43. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  44. 44. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  45. 45. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />SOLSTÍCIO (sol que não se mexe)<br />*ocorre 2 vezes por ano<br />DEZEMBRO E JUNHO (VERÃO, INVERNO)<br />
  46. 46. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />EQUINÓCIO (noite igual)<br />SETEMBRO E MARÇO (PRIMAVERA, OUTONO)<br />Equinócio de primavera no hemisfério norte<br />OUTONO NO SUL<br />SUL<br />NORTE<br />
  47. 47. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />O antagonismo ideológico existente entre as duas superpotências mundiais, os Estados Unidos (capitalista) e a União Soviética (Socialista), acabou determinando a eclosão, após o término da Segunda Guerra Mundial, de um novo conflito, a Guerra Fria.<br />
  48. 48. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  49. 49. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />A eclosão desse conflito exigia o tempo todo que as duas superpotências se mostrassem mais poderosas do que a outra, o que contribuiu, para que se verificasse, entre outros aspectos, um grande avanço científico em vários ramos de conhecimento humano.<br />
  50. 50. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Um dos ramos que mais se desenvolveu no âmbito da Guerra Fria, como decorrência da disputa hegemonia científica e tecnológica no mundo, foi o aeroespacial. Nessa disputa, quem saiu na frente foi a URSS, que lançou o Sputnik 1 e o Sputnik 2, os dois primeiros satélites artificiais a entrarem em órbita em torno da terra.<br />
  51. 51. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  52. 52. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  53. 53. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  54. 54. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Em relação a esse feito da URSS, os Estados Unidos criaram a NASA (National Aeronautics & Space Administration), que passa a ser a responsável pelo desenvolvimento do programa espacial desse país.<br />
  55. 55. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  56. 56. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Em 1959, a URSS, no âmbito do projeto Luna que se desenvolveu até 1976 e resultou em várias conquistas, entre as quais, pode-se citar como por exemplo, a realizada pelo Luna 3, que conseguiu fotografar a face oculta da Lua (assim denominada por não ser vista da Terra); Luna 9, que fez o primeiro pouso suave na Lua e nos enviou imagens de TV de sua superfície e o Luna 10, que entrou em órbita da Lua, tornando-se, dessa forma, o primeiro satélite artificial da Lua.<br />
  57. 57. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Luna 3<br />Luna 9<br />
  58. 58. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Luna 10<br />
  59. 59. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Apesar do sucesso do projeto Luna, os norte-americanos foram os primeiros a chegarem na superfície lunar em 20 de julho de 1969, data que o módulo lunar Eagle, da nave Apolo 11, pousou no solo com o primeiro ser humano, o astronauta Neil Armstrong.<br />
  60. 60. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  61. 61. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />Guerra Fria ainda...<br />“GUERRA NAS ESTRELAS”<br />URSS envia míssel para destruir os EUA<br />Strategic Defense Initiative (EUA) <br />EUA intercepta o míssel da URSS com laser.<br />
  62. 62. NOÇÕES DE ASTRONOMIA<br />
  63. 63. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Os pontos de orientação mais importante para a determinação de uma posição de referência na superfície da Terra são os cardeais ou principais.<br />Os pontos de orientação quando representados em uma só figura ou desenho, formam o que se denomina de rosa dos ventos, rosa dos rumos ou náutica.<br />
  64. 64. NOÇÕES ESPACIAIS<br />
  65. 65. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Entre as referências usadas para se determinar sem nenhum instrumento os pontos cardeais ou principais, destaca-se o nascer e o pôr do Sol. O movimento de rotação da Terra ocorre de oeste para leste e isso determina que, aos olhos de um observador, o sol apareça no horizonte diariamente no seu lado leste.<br />
  66. 66. NOÇÕES ESPACIAIS<br />
  67. 67. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Para viabilizar a localização, com precisão, de um ponto na superfície da Terra, foi criado um sistema de linhas imaginárias, denominadas de paralelos e meridianos. Um dos paralelos, o equador, divide os hemisférios em norte e sul. Um dos meridianos, o Inicial ou de Greenwich, divide a Terra em hemisfério leste (oriental) e oeste (ocidental).<br />
  68. 68. NOÇÕES ESPACIAIS<br />MERIDIANOS<br />
  69. 69. NOÇÕES ESPACIAIS<br />
  70. 70. NOÇÕES ESPACIAIS<br />
  71. 71. NOÇÕES ESPACIAIS<br />As coordenadas geográficas de um lugar qualquer na superfície da Terra correspondem ao que se denomina de latitude e longitude desse lugar.<br />LATITUDE<br />LONGITUDE<br />
  72. 72. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Por convenção internacional, existem 24 fusos horários na superfície do nosso planeta. Cada um desses fusos mede 15 graus e dentro deles a hora não se altera. A hora em casa um dos fusos é definida tomando-se como referência a Greenwich Mean Time (GMT) ou Tempo Médio de Greenwich, portanto, a hora vigente no fuso inicial.<br />
  73. 73. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Como a Terra realiza o seu movimento de rotação de oeste para leste ou no sentido anti-horário, os 12 fusos horários no hemisfério oriental apresentam as suas horas adiantadas em relação ao do fuso inicial e os 12 fusos horários situados no hemisfério ocidental apresentam as suas horas atrasadas em relação à hora do fuso inicial<br />OC<br />OR<br />
  74. 74. NOÇÕES ESPACIAIS<br />Os limites desses fusos nem sempre são respeitados, pois muitos países se utilizavam, por conveniência de ordem administrativa, limites práticos para delimitá-los. Entre esses limites se encontra o Brasil, que apresentava, até abril de 2008, 4 fusos horários em seu território e a partir dessa data, por lei sancionada nesse ano, 3 fusos horários:<br />
  75. 75. NOÇÕES ESPACIAIS<br />O PRIMEIRO, COM 2 HORAS ATRASADAS EM RELAÇÃO À GMT.<br />O SEGUNDO, COM 3 HORAS ATRASADAS EM RELAÇÃO À GMT.<br />O TERCEIRO, COM 4 HORAS ATRASADAS EM RELAÇÃO À GMT.<br />
  76. 76. NOÇÕES ESPACIAIS<br />A razão para o fuso-horário:<br />ECONOMIA DE ENERGIA: com base na maior duração do dia (verão no centro sul)<br />Alguns estados ficaram de fora: porque estão próximos a linha do Equador e os dias praticamente tem a mesma duração o ano todo.<br />Desde 2008 o Brasil passou a ter 3 fusos-horários.<br />
  77. 77. CARTOGRAFIA<br />A cartografia tem como objetivo a representação da Terra ou de parte dela, o que significa fazer a transcrição gráfica dos fenômenos geográficos por meio da elaboração de mapas e cartas, a fim de se obter um retrato – o mais preciso possível da realidade.<br />
  78. 78. CARTOGRAFIA<br />A capacidade da Cartografia de produzir informações precisas e articuladas sobre determinada realidade geográfica, por meio da elaboração de mapas que retratam de forma precisa uma realidade, lhe confere, inclusive, um caráter estratégico. A representação da superfície curva da Terra no plano, como acontece nos mapas, é realizada por meio da projeção dos vários pontos da superfície curva representada sobre uma superfície que possa ser transformada num plano, como, por exemplo, um cilindro.<br />
  79. 79. CARTOGRAFIA<br />A projeção mais utilizada no processo de elaboração de mapas-múndi em todo mundo é a cilíndrica conforme de Mercator, assim denominada por ter sido desenvolvida inicialmente pelo belga Gerhard Kremer, conhecido como Mercator, em 1569.<br />
  80. 80. CARTOGRAFIA<br />GROELANDIA É 4X MENOS QUE O BRASIL NA REALIDADE<br />VALORIZA O HEMISFÉRIO NORTE<br />
  81. 81. CARTOGRAFIA<br />Como toda projeção, a cilíndrica conforme Mercator provoca distorções, nesse caso específico, nos tamanhos relativos aos continentes representados, pois os que se encontram em áreas de média e alta latitude parecem ser bem maiores do que são na realidade. Essa distorção explica, em parte, a elaboração, nos anos de 1950, pelo cartógrafo alemão Arno Peters, de um planisfério (denominado de “mapa do mundo solidário”) elaborado por meio do uso de uma projeção cilíndrica denominada cilíndrica equivalente.<br />
  82. 82. CARTOGRAFIA<br />
  83. 83. CARTOGRAFIA<br />Nesse planisfério, elaborado ao contrário do que foi feito por Mercator, provoca deformações na forma dos continentes, mas conserva as suas dimensões relativas, valorizando, dessa forma, os tamanhos relativos dos países subdesenvolvidos.<br />Paralelamente à valorização do mapa-múndi desenvolvido por Peters, ganha divulgação a representação gráfica que coloca o hemisfério sul acima do norte, invertendo a representação tradicional, valorizando, dessa forma, o posicionamento dos países do hemisfério sul no mapa.<br />
  84. 84. CARTOGRAFIA<br />PAISES “ESTICADOS”<br />VALORIZA O HEMISFÉRIO SUL<br />
  85. 85. CARTOGRAFIA<br />As escalas cartográficas podem ser definidas como a relação matemática entre a dimensão de um objeto ou fenômeno representado (continente, país, cidade, bacia hidrográfica, dinâmica das massas de ar) em um mapa e sua dimensão real.<br />Quanto menor a escala usada para a elaboração de um mapa, maior será a possibilidade de ampliar a abrangência da área representada. Quanto maior for a escala usada para a elaboração de um mapa, maior será a possibilidade de ampliar o detalhamento da área representada.<br />
  86. 86. CARTOGRAFIA<br />Escala grande<br />Escala pequena<br />
  87. 87. CARTOGRAFIA<br />A legenda é o elemento dos mapas que contém a explicação sumária do significado da simbologia usada para representar diferentes feições naturais e artificiais da área que neles encontram-se representadas.<br />
  88. 88. CARTOGRAFIA<br />A DISTÂNCIA EM LINHA RETA ENTRE AS CIDADES “A” E “B” É DE 1,5 CM. NA REALIDADE, ESTA DISTÂNCIA É DE APROXIMADAMENTE 375 KM.<br />A ESCALA NUMÉRICA É DE 1:25.000.000<br />1 – 25.000.000<br />1,5 – X<br />1x = 1,5 . 25.000.000<br />1x = 375.000.000 m -> transformando em km = 375km<br />
  89. 89. CARTOGRAFIA<br /> 1: 25.000.000<br />
  90. 90. CARTOGRAFIA<br />
  91. 91. O BRASIL NO MUNDO<br />O Brasil apresenta uma extensão territorial da ordem de 8,5 milhões de quilômetros quadrados, o que o classifica entre os cinco maiores países do mundo em extensão territorial, uma vez que ele só é superado pela dos seguintes países:<br />
  92. 92. O BRASIL NO MUNDO<br />1 – RÚSSIA<br />2 – CANADÁ<br />3 – CHINA<br />4 – ESTADOS UNIDOS<br />5 – BRASIL<br />
  93. 93. O BRASIL NO MUNDO<br />Maiores em população:<br />1- CHINA<br />2- ÍNDIA<br />3- EUA<br />4- INDONÉSIA<br />5- BRASIL<br />
  94. 94. O BRASIL NO MUNDO<br />Ele está situado a oeste do Meridional Inicial, portanto, inteiramente no hemisfério ocidental é atravessado ao norte pelo equador ao sul pelo Trópico de Capricórnio, o que faz com que ele apresente terras na Zona Intertropical e na Zona Temperada do Sul. <br />
  95. 95. O BRASIL NO MUNDO<br />OCIDENTAL<br />ORIENTAL<br />
  96. 96. O BRASIL NO MUNDO<br /> Na América do Sul, o Brasil faz fronteira com nove países independentes (Suriname, Guiana, Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai) e um Departamento Ultramarino da França – a Guiana Francesa. <br />
  97. 97. O BRASIL NO MUNDO<br />
  98. 98. O BRASIL NO MUNDO<br />A República Federativa do Brasil, segundo a Constituição de 1998, compõe-se de 27 unidades políticas, sendo 26 estados e um Distrito Federal, onde se localiza a sede do governo federal.<br />
  99. 99. O BRASIL NO MUNDO<br /> O IBGE identifica a existência no país de 5 grandes macrorregiões – Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste.<br />
  100. 100. O BRASIL NO MUNDO<br />
  101. 101. O BRASIL NO MUNDO<br /> Norte: AM, AP, RR, RO, TO, AC e PA.<br />
  102. 102. O BRASIL NO MUNDO<br />Sul: PR, SC e RS.<br />
  103. 103. O BRASIL NO MUNDO<br />Nordeste: SE, AL, BA, PE, PB, RN, CE, PI e MA.<br />
  104. 104. O BRASIL NO MUNDO<br />Centro-Oeste: MT, MS, GO, e DF (Brasília)<br />
  105. 105. O BRASIL NO MUNDO<br />Sudeste: RJ, ES, SP e MG.<br />
  106. 106. O BRASIL NO MUNDO<br />Regiões divididas economicamente em: AMAZÔNIA, NORDESTE e CENTRO-SUL.<br />
  107. 107. O BRASIL NO MUNDO<br />
  108. 108. O BRASIL NO MUNDO<br />Pela constituição, a Lei Maior do País, o Brasil é um Estado democrático e de direito, o que significa que o governo reconhece a soberania popular e a obrigatoriedade de se submeter à lei.<br />
  109. 109. O BRASIL NO MUNDO<br />A constituição brasileira define os direitos e deveres dos cidadãos e afirma também a independência dos 3 poderes: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.<br />
  110. 110. O BRASIL NO MUNDO<br />EXECUTIVO: PRESIDENTE, GOVERNADOR, PREFEITO.<br />
  111. 111. O BRASIL NO MUNDO<br />LEGISLATIVO: SENADOR, DEPUTADOS FEDERAIS.<br />
  112. 112. O BRASIL NO MUNDO<br />JUDICIÁRIO: JUÍZES, SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL...<br />

×