P pts analise do saresp

1.229 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

P pts analise do saresp

  1. 1. E.E Jardim Pedra Branca
  2. 2. o Acolhimento (10 min.) o Quais as dificuldades que poderão surgir no momento da análise pedagógica dos gráficos(10min.). o Dificuldades na compreensão do conceito de competências e habilidades; o que é h1, h2... e grupos G1,G2 e G3 (30min.).     o Gráfico sugerido pelo Coordenador – quais procedimentos de análise pedagógica ele sugere? Análise dos distratores (15min.) o Professores em Grupo – Análise de itens da Avaliação da aprendizagem em Processo LP e Mat. (40min.). o Café (15min)............Pensando bem ......melhor 10 min... o Comentários – exposição das ideias sobre as questões , Professores e Coordenador Pedagógico. (45min.) o Como fazer a devolutiva Ex. utilizando os itens estudados (20min.) o Quais ações necessárias para suprir as dificuldades dos alunos (de preferência utilizando os cadernos) os Professores apresentarão. ( 30 minutos)
  3. 3. Quais as dificuldades que poderão surgir no momento da análise pedagógica dos gráficos?  Porque não houve a aprendizagem pretendida em cada caso (questão analisada). 
  4. 4.  Vídeo : Cipriano Luckesi fala sobre avaliação.  Reflexões
  5. 5. ENSINAMOS PARA AVALIAR? OU AVALIAMOS PARA ENSINAR?
  6. 6.  - Articulação de 2 processos (indissociáveis): DIAGNOSTICAR (constatação e qualificação) DECIDIR (posição e orientação) EMISSÃO DE JUÍZO DE VALOR SOBRE DADOS RELEVANTES PARA UMA TOMADA DE DECISÃO
  7. 7. QUEM AVALIA TEM DECISÕES A TOMAR... NA AÇÃO EDUCATIVA A DECISÃO DEVE SER SEMPRE A FAVOR DA APRENDIZAGEM DO ALUNO.
  8. 8. Para Refletir... Seria possível fazer uma mudança efetiva na avaliação sem ter o professor na condição de sujeito? Avaliar não é para amadores. Cláudio de Moura Castro Como organizar o trabalho pedagógico da escola de tal forma que o professor seja sujeito de sua aprendizagem? Como ajudá-lo a se tornar um profissional avaliador?
  9. 9. Para mudar a avaliação não basta articular um discurso novo; não adianta ter uma nova concepção e continuar com práticas arcaicas. O que altera a realidade é a ação e não as elucubrações mentais; é através de sua atividade que o sujeito deixa sua marca no mundo. (VASCONCELLOS, 2006. p. 24)
  10. 10. • Entende-se por competências as modalidades estruturais da inteligência, ou melhor, o conjunto de ações e operações mentais que o sujeito utiliza para estabelecer relações com e entre os objetos, situações, fenômenos e pessoas que deseja conhecer. (Lino de Macedo)
  11. 11.  Lino de Macedo, apoiado em estudos piagetianos, denomina estes conjuntos ou grupos de Coordenadores Cognitivos. Indica que eles representam os aspectos funcionais da formação e do funcionamento dos esquemas de assimilação e de transformações dos objetos no processo de construção de conhecimentos .
  12. 12.   Envolve essencialmente competências responsáveis pela reprodução de conhecimentos já construídos para o reconhecimento de fatos ou de representações de problemas comuns. Obs: Habilidades para observar; esquemas representativos...
  13. 13.  observar / identificar / reconhecer / indicar/ localizar/ descrever / discriminar / constatar / representar graficamente e representar quantidades .  Obs: É o nível que o aluno vai observar; vai identificar; representar..... Exige uma demanda cognitiva menor
  14. 14. • Apóia-se nas competências do Grupo I, mas incorpora qualidades diferentes, pois envolve operações mentais, competências responsáveis por realizar transformações e não simples correspondências dos esquemas de assimilação às propriedades dos objetos de conhecimento
  15. 15. Classificar / seriar / ordenar / conservar /  compor e decompor / fazer antecipações /  calcular por estimativa / medir / interpretar.   Obs: Neste segundo nível propôe-se explicações para os fenômenos; que o aluno possa estabelecer relações de cálculos, relações quantitativas, ou seja, é mais que apenas identificar as evidências de transformações, é também explicar estas transformações ; é fazer cálculos a partir de alguns dados. Neste segundo nível exige um pouco mais de elaboração
  16. 16.  – Analisar / aplicar relações ou conhecimentos fatos e princípios / avaliar, criticar, analisar e julgar / explicar causas e efeitos / apresentar conclusões / levantar suposições / fazer prognósticos / fazer generalizações indutivas e construtivas / justificar.  Obs: Neste terceiro nível espera-se que o aluno possa avaliar e julgar situações ; emitir juízo de valor e que possa também fazer uso deste conhecimento em outras situações, extrapolar este conhecimento... Este nível exige uma demanda cognitiva mais aprofundada, ou seja, um engajamento intelectual mais intenso.  Observamos que as habilidades do ENEM estão relacionadas principalmente de avaliar, principalmente questões ambientais relacionadas
  17. 17.  – quais procedimentos de análise pedagógica ele sugere?
  18. 18.  Nesta atividade, você e seus colegas vão realizar uma análise pedagógica dos seguintes itens:  Questão  Questão 4 da Prova da 2ªSérie – E.M. de Língua portuguesa.  Questão 6 da Prova da 1ªSérie – E.M. de Matemática 
  19. 19. Passo 1 Em grupos formados , você e seus colegas vão analisar cada item sob dois aspectos: a)As habilidades que os alunos tiveram que mobilizar para chegar à resposta solicitada, em cada um dos itens; b)As possíveis hipóteses para que não chegassem à resposta correta. Em outras palavras, por que os alunos optaram pelos distratores e não pela alternativa correta?
  20. 20. Sugestão de enunciado da atividade para os grupos: Passo 2 Encerrada essa fase da discussão, ainda organizados nos mesmos grupos, com base nas análises feitas no Passo 1, discutam os seguintes aspectos: a)As habilidades gerais nas quais os alunos demonstraram enfrentar suas maiores dificuldades ao resolver os itens; b)Propostas de intervenções docentes que possam contribuir para resolver essas dificuldades. Passo 3 Todos os grupos deverão socializar com toda a turma as conclusões a que chegaram durante as discussões ocorridas no Passo 2.
  21. 21.  BOA DISCUSSÃO !!!!!!!!!!
  22. 22.  Café
  23. 23.  Exposição por parte dos grupos das reflexões sobre os itens de LP e Matemática.
  24. 24.   Questão 4 Habilidade Justificar a presença, em um texto, de marcas de variação linguística, no que diz respeito aos fatores geográficos, históricos, sociológicos ou técnicos, do ponto de vista da fonética, do léxico, da morfologia ou da sintaxe. .(H24-GIII)   No texto, o uso de uma variedade não padrão da língua portuguesa deve-se ao fato de que   (I) o autor não conhece a norma padrão da língua e escreve todas as palavras erradas. (II) o autor incorpora aspectos de oralidade no poema com a intenção de situar o leitor. (III) as marcas da oralidade permitem reconhecer uma possível não escolarização. (IV) a 3ª estrofe é construída para que o leitor perceba o espaço geográfico do “eu lírico”. Estão corretas as afirmativas: (A) II, III e IV. (9 alunos) (B) I, III e IV. (5 alunos) (C) II e IV. (22 alunos) (D) I, II e III. (6 alunos)
  25. 25.  (I) o autor não conhece a norma padrão da língua e escreve todas as palavras erradas.  Por que o aluno não assinalou a alternativa I – Porque, muito provavelmente, o aluno já tem o conhecimento do que é variedade linguística .
  26. 26.   (II) o autor incorpora aspectos de oralidade no poema com a intenção de situar o leitor. A alternativa II é justificada por esse conhecimento requerido na primeira alternativa, ou seja, o aluno sabe que a variedade linguística é um recurso que os autores utilizam e que este tem uma intencionalidade.
  27. 27.  (III) as marcas da oralidade permitem reconhecer uma possível não escolarização.  Na alternativa III a palavra “possível” exige uma maior atenção e reflexão para responder a questão, pois ela trata de possibilidade e se é possibilidade...
  28. 28.  (IV) a 3ª estrofe é construída para que o leitor perceba o espaço geográfico do “eu lírico”.  A alternativa IV mesmo que o aluno não saiba o que é “espaço geográfico”, “3ª estrofe” ou “eu lírico”, ele, por meio de algumas associações, pode conseguir responder corretamente a questão IV ao associar a “3ª estrofe” com a 3ª divisão do poema, “espaço geográfico” com Norte e sul.
  29. 29. Perguntas Por que 11 alunos assinalaram a alternativa I? (I) o autor não conhece a norma padrão da língua e escreve todas as palavras erradas. o   Os alunos realmente desconhecem a possibilidade do uso pelos autores de marcas de variação linguística e, assim, não conseguem justificá-la em um texto?
  30. 30.  Alunos que acreditam que a alternativa I está correta (Aqueles que assinalaram a resposta B e C) estão mais longe da resposta adequada, pois, provavelmente desconhecem o que é variedade linguística e qual a sua finalidade.
  31. 31.  20 alunos acreditam que a alternativa III está correta.  Na devolutiva verificar se sabem o significado do termo “marcas da oralidade” e se atentaram para o significado que a palavra “possível” deu a frase.
  32. 32. Matemática 1ª série EM Questão 6 – Habilidade Resolver problemas em diferentes contextos que envolvam as relações métricas dos triângulos retângulos (Teorema de Pitágoras). (SAEB – 2009) Clovis e Claudia partiram da casa dela com destino a escola. Ele foi direto de casa para a escola e ela passou pelo correio e depois seguiu para a escola, como mostra a figura a seguir: De acordo com os dados apresentados, a distância percorrida por Claudia foi maior que a percorrida por Clovis em (A) 400 m. (7 alunos) (B) 500 m. (10 alunos) (C) 700 m. (14 alunos) (D) 1 200 m. (9 alunos
  33. 33. (A) 400 m. Resposta correta, o aluno provavelmente fez os cálculos utilizando o Teorema de Pitágoras para descobrir a distancia percorrida por Clovis. Em seguida calculou a distancia percorrida por Claudia e finalmente a diferença entre Clovis e Claudia. Distancia percorrida por Clovis: h2 = a2 + b2 h2 = 5002 + 12002 = 250000 + 1440000 = 16900000 h = √1690000 = 13000 m Distancia percorrida por Claudia: 500 + 1 200 = 1 700m A diferença: d = 1 700 – 1 300 = 400 m
  34. 34. (B) 500 m. Resposta errada, o aluno provavelmente considera somente a distância da casa da Claudia ao correio.
  35. 35. (C) 700 m. Resposta errada, o aluno provavelmente efetuou a subtração (1 200 – 500) ignorando a distancia percorrida por Clovis.
  36. 36. (D) 1 200 m. Resposta errada, o aluno provavelmente considera somente a distancia do correio a escola percorrida por Claudia. Caso o aluno mostre dificuldade no tratamento do Teorema de Pitágoras, pode-se utilizar as referencias abaixo.
  37. 37.   Professores - Quais as ações necessárias para suprir as dificuldades dos alunos (de preferência utilizando os cadernos). Sugestões.
  38. 38.  a) Porque os alunos, localizados nos níveis Insuficiente e Básico não alcançaram o nível Pleno e Avançado?  b) Quais ações pedagógicas influenciaram positivamente o alcance dos níveis Pleno e Avançado pelos alunos?
  39. 39.    Com base nos resultados da escola, propomos que sejam levantadas as habilidades e conteúdos que necessitam de maior investimento na ação pedagógica. Analisar especialmente os seguintes itens:
  40. 40. Relatório Pedagógico 2012, Língua Portuguesa e Matemática, 3º ano EF, páginas 27 a 86.  Relatório Pedagógico 2012, Língua Portuguesa, 5º ano, páginas 61 a 92.  Relatório Pedagógico 2012, Matemática, 5º ano EF, páginas 72 a 86. 
  41. 41. Com base nas reflexões realizadas até o momento, quais são as ações pedagógicas que a escola propõe para o avanço da aprendizagem em cada nível de proficiência?  É importante que a Unidade Escolar direcione o trabalho de forma a pensar e elaborar ações específicas para cada um dos níveis de desempenho em Língua Portuguesa e Matemática. 
  42. 42. Assim, para os alunos que se encontram nos níveis de proficiência:  Insuficiente - sugerimos um Plano de Ação Emergencial que promova a recuperação da aprendizagem dos alunos, de forma que tenham condições para dar continuidade aos estudos. 
  43. 43. Básico - recomendamos Intervenções Pedagógicas que reforcem o Trabalho Pedagógico Escolar, priorizando atividades que desenvolvam as habilidades previstas para o ano/série.   Pleno - sugerimos ações que visem o aprofundamento dos conteúdos escolares já trabalhados garantindo a aprendizagem em espiral. 
  44. 44.  Ver questão em word

×