O valor das escrituras_prof. Gil da Silva

248 visualizações

Publicada em

Palestra sobre A reforma protestante e o valor das escrituras ministrada no EBD da IEC em Mangabeira João Pessoa-PB... Com dicas para estudar e interpretar a Bíblia.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
248
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O valor das escrituras_prof. Gil da Silva

  1. 1. Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. (2 Pe 3:16) Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. (1 Co. 1.18)
  2. 2. REFORMA PROTESTANTE
  3. 3. 1. Movimento restaurador. 2. Primariamente religiosa; dimensões políticas, econômicas e sociais. 3. Origem das igrejas históricas do protestantismo. 4. Quatro manifestações principais: luteranismo, calvinismo, anabatismo e anglicanismo.
  4. 4.  A situação da Igreja Católica medieval.  A insatisfação política e religiosa dos povos europeus.  O nacionalismo emergente.  A ansiedade e insegurança provocadas pela espiritualidade vigente. Papa Leão X
  5. 5.  Martinho Lutero foi um monge alemão.  Lutero questionava a ação da igreja, fazendo duras críticas à venda de indulgências, de relíquias sagradas e a simonia.  Foi expulso da Igreja e excomungado pelo papa.  Lutero, com a proteção dos nobres alemães, fundou a Igreja Luterana Alemã.  Foi o primeiro a traduzir a Bíblia para uma língua nacional popular (o alemão).
  6. 6.  A Igreja Católica reagiu à reforma através do CONCÍLIO DE TRENTO.  O Concílio de Trento foi uma reunião de todos dos líderes da Igreja Católica em busca de soluções para a impedir a expansão do protestantismo.  Dentre as medidas tomadas pela Igreja, destacam- se:
  7. 7.  A criação do Tribunal do Santo Ofício  Manter os dogmas da Igreja, os sete sacramentos e a hierarquia do clero.  Confirmar o celibato.  Acabar com os abusos (indulgências, venda de relíquias, simonia, etc)  A criação da Companhia de Jesus.
  8. 8.  A Reforma Religiosa provocou três importantes transformações:  Quebrou a unidade da Igreja Católica  Pôs em dúvida a autoridade do Papa  Negou dogmas religiosos  Fatores do sucesso da Reforma:  Espírito crítico da burguesia  Política nacionalista dos reis  Problemas internas da Igreja Católica
  9. 9. Declaração de Cambridge E a Herança da Reforma Protestante
  10. 10. OBJETIVOS  Motivar para o estudo da Bíblia  Fornecer orientação sobre como estudar  Sugerir instrumentos de estudo  Orientar sobre o perigo das heresias
  11. 11. Porque a maioria dos cristãos não estuda a Palavra de Deus? Não sabem como estudar Rick Warren São preguiçosas Não são motivadas Importância do Estudo da Bíblia
  12. 12. Importância do Estudo da Bíblia Nos torna aceitáveis 2 Tm 2:15 Obreiro aprovado  “não tem do que se envergonhar”  “maneja corretamente a Palavra da Verdade”
  13. 13. Importância do Estudo da Bíblia Gera Transformação Rm 12:2 “renovação da mente” Fp 4:8 “ocupe o vosso pensamento” “O que estudamos determina que tipos de hábitos devem ser formados” Richard J. Foster – Celebração da Disciplina
  14. 14. Importância do Estudo da Bíblia Fornece conhecimento e fé para salvação “São capazes de torná-lo sábio para salvação mediante a fé em cristo Jesus”
  15. 15. Importância do Estudo da Bíblia Produz Crescimento 2 Tm 3:16-17 Ensino Repreensão Correção Instrução  Preparação Utilidade da Escritura
  16. 16. Como estudar a Bíblia 1. Leitura TIPOS DE LEITURA Leitura Devocional Plano de Leitura Leitura para Estudo “a pessoa que não adquiriu o hábito de ler regularmente a Bíblia, nunca cultivará o de estudá-la” Tim LaHaye
  17. 17. Como estudar a Bíblia 2. Pesquisa  Captação de Informações (contexto, características, etc.)  Identificação de detalhes importantes  Perguntas certas  Anotações
  18. 18. Como estudar a Bíblia 3. Seleção  Definição do Escopo do Trabalho e do Tema principal  Identificação das informações relacionadas com o tema/escopo
  19. 19. Como estudar a Bíblia 4. Interpretação  Conclusão do Trabalho  Resposta às perguntas: o que o autor queria dizer ou o que o destinatário deveria saber.
  20. 20. Como estudar a Bíblia 5. Aplicação  Reflexão e Meditação  Contextualização
  21. 21. Ferramentas de Estudo Bíblico 1. Várias Traduções da Bíblia  Revista e Atualizada  NVI  Linguagem de Hoje (Sociedade Bíblica)
  22. 22. 2. Bíblias de Estudo  Cometários de rodapé  Estudos  Cadeia Temática (Thompson e Vida Nova)
  23. 23. 3. Concordância Bíblica 4. Dicionário e Enciclopédia da Bíblia  Dicionário – Davis  Manual Bíblico – Halley
  24. 24. 5. Comentários  Versículo por Versículo – Champlin  Série Cultura Bíblica – Mundo Cristão e Vida Nova
  25. 25. 6. Informática  Bíblia On-line  Mundo Bíblico  Bíblia Hábil  Bíblia Eletrônica  e-Sword
  26. 26. 7. Internet  bibliaonline.net  bibliaonline.com.br  biblia.com.br  google
  27. 27. PRINCÍPIOS DA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA
  28. 28. INTRODUÇÃO À INTERPRETAÇÃO 1º Princípio - Iluminação do Espírito Santo 2º Princípio - Unidade 3º Princípio – Autoridade divina 4º Princípio – Estilo literário 5º Princípio – Contexto
  29. 29. DEPÓSITO AG. 1911 Op. 013 C/ 43843-7 Gildelânio Da Silva

×