1
1. ↑ Sumário
01) Verbo Infinitivo ↑ Sumário..............................4
Flexão do infinitivo............................
2
35 Uso Dos Porquês ↑ Sumário .....................347
NOVA ORTOGRAFIA..............................................350
D...
3
1- A Fonologia estuda:
- as sílabas (divisão silábica)
- os encontros vocálicos
- os dígrafos
- ortografia
- acentuação ...
4
01) Verbo Infinitivo ↑ Sumário
FLAVIA RITA CESPE
Flexão do infinitivo
Regras Básicas
Condições:
- Sujeito Próprio ↓
In...
5
Clivagem identificação de um mineral.
Influxo Ato de influir. Influência.
 SUJEITO ORACIONAL
Fumar e Beber (suj. oracio...
6
PARTICÍPIO (adjetivo) –adj adnominal
GERUNDIO (advérbio)adj. Adverbial }
 Flexão do infinitivo
Loc. Verbal  apenas o a...
7
02) Voz passiva ↑ Sumário
01) (1 forma se pode trocar um pelo outro)
Seria possível, mantendo-se o sentido e a correção ...
8
Se trata de (VTI) + OI (de um corte epistemológico)
Distinção importante:
VTD + SE (PA)
VTDI + SE (PA)
VI, VL, VTI + SE ...
9
c) Quando se deseja como recurso estilístico, realçar a oração iniciada
pela conjunção [e], ocasião em que a pausa é mai...
10
 Quer festeje hoje, quer festeje amanhã, não irei ao seu aniversário. (obrigatória)
Oração coordenada sindética conclu...
11
Pois (introduzindo uma explicação) vem, sempre, após a vírgula que
introduz a oração: O exame era difícil, pois nem seq...
12
c) Usa-se a vírgula para separar a oração subordinada adverbial de sua principal.
(Oração subordinada adverbial indica ...
13
As orações subordinadas condicionais se realizam de três formas:
 Realização impossível
Representa uma hipótese irreal...
14
 (F ) 1 e 2 especificam (restrige) o termo antecedente restringindo-o. (F)
Nenhuma entrada de índice remissivo foi enc...
15
C) O ponto e vírgula só pode ser usado para separar orações coordenadas, Ele
será mais adequado que a vírgula sempre qu...
16
5 ( V ) tirar 7 e 8 (para CESPE o adjunto adverbial deslocado mesmo de grande
extensão é facultativo)
6 (V ) colocar ví...
17
CASOS DE VÍRGULA NA ORAÇÃO
1 Isolar aposto.
2 Isolar vocativo.
3 Isolar expressões explicativos
4 separar expressões en...
18
Os brasileiros querem apenas uma coisa: que (conj. Integrante) o governo
cumpra suas promessas.
Quem tem interesse no s...
19
PONTO E VÍRGULA. ↑ Sumário
 Não pode ser usado para separar orações subordinadas e em períodos simples.
Pontuação
1 - ...
20
2 – Ponto de Interrogação (?)
Quando utilizar a ponto de interrogação:
a) Para realizar perguntas.
Você quer perguntar ...
21
c) Depois de vocativos:
Você consegue, garoto!
Se liga, pivete!
OBS1: Para expressar, ao mesmo tempo, questionamento e ...
22
b) Na indicação de fontes bibliográficas.
E disse a Moisés: tira os sapatos, pois estás em terra santa (Êxodo 3:5).
c) ...
23
A raça humana que é mais "inteligente", destrói seu próprio meio.
7 - Travessão (-)
Quando utilizar travessão:
a) Indic...
24
E ele respondeu:
- Cintura solta, da meia volta, dança kuduro.
b) Para indicar explicação, esclarecimento ou resumo do ...
25
9 – Ponto e Vírgula (;)
Quando utilizar o ponto e vírgula:
a) Para separar itens:
Os cinco solas da reforma:
I – Só a e...
26
10 - Vírgula (,)
Quando utilizar a vírgula:
10.1 - Em estruturas específicas.
a) Para separar os nomes dos locais de da...
27
Uma forte paixão, ela viu naqueles olhos.
O complemento do verbo pode ser um objeto direto ou indireto. No exemplo
acim...
28
e) Para separar conjunção, termo explicativo e termos que servem como conectivos.
(mas, contudo, logo, por exemplo, ou ...
29
d) Em oração subordinada adjetiva:
I. Explicativa – Ficam isoladas por vírgula.
A cena do Hulk espancando o "deus" Loki...
30
II. Sindéticas (ligadas por conectivos - a conjunção [e] é um caso a parte):
Penso, logo desisto.
A oração foi perfeita...
31
deslocado. Quando o [pois] tem valor conclusivo, sempre deve estar entre vírgulas.
Ele não se importa, logo é um insens...
32
V. Quando necessário pausa respiratória. Neste caso, a vírgula tem valor
entoativo, não sintático.
A cidade de Salvador...
33
III) Oração reduzida de infinitivo:
A vender tudo, ele está disposto.
(Oração Sub. Substantiva, regra 10.3e.I - desloca...
34
03) Concordância Verbal
Devemos ter cuidado em escrever os verbos das seguintes formas:
a. Houve decisões favoráveis às...
35
Exemplo:
A reforma implicou descontentamento.
Exemplo:
Motoristas não obedecem às Leis de Trânsito.
Emprego da Crase
Ex...
36
Não sabemos, no Brasil, fazer uso do voto.
quando
estes forem oração subordinadas adverbiais reduzidas.
Exemplos:
O MP ...
37
FALHAS TEXTUAIS
Emprego de pronomes demonstrativos
os mais empregados numa dissertação.
a também podem resgatar o que j...
38
egar aspas sobre
coisa. De preferência, não é recomendável trabalhar com isso.
-SE, PORTANTO,... = ou se usa a conjunçã...
39
Aonde é um advérbio, entretanto não deve ser utilizado quando a ideia for de lugar,
no sentido de localização, mas quan...
40
REGRA 3 (concordância verbal)
As coisas em que as pessoas acreditam ( quem acredita acredita em) podem
ser fantasiosas....
41
REGRA 8
ONDEEM (local fixo)
Estar, permanecer, morar, continuar, residir, assistir
AONDEA (movimento
Chegar, comparec...
42
REGRA 11
COMO só é pronome relativo depois de modo, maneira, forma, jeito...
A maneira como o ser humano age diz muito...
43
Sensitivos: Ver, ouvir, sentir.
** O pronome será sempre suj. do infinitivo.
Verbo (defamavos) + pron. (suj.) + v. infi...
44
05) Colocação Pronominal ↑ Sumário
 Ela reconheceu-me.(VTD)
 Ela obedeceu-me. (VTI)
 Ela reconheceu a mim.
 Ela obe...
45
do infinitivo. Ex.: não o deixou de avisar ou não deixou de avisá-lo.
3.8 Locuções verbais formadas por auxiliar mais g...
46
Seria possível, (...) colocar o pronome “-se” em outra posição.
ESQUEMA DE COLOCAÇÃO PRONOMINAL
PRON OBLIQUOS ATONOSme...
47
Começou a ajudá-la nas tarefas. (o verbo está no infinitivo, mas a construção “a
a ajudar” não se craseia preposição co...
48
4. Se não houver caso de próclise nem mesóclise, as duas colocações serão
aceitas. (facultativo)
O governo se manifesta...
49
CASOS DE ÊNCLISE  obrigatória qdo Próclise proibido. (ênclise proibido com
futuro)
O governo se manifestar(-se-)á (fut...
50
Por + inf  causa  Porque
Apesar de + inf  concessão  embora
Afim de / Para  finalidade  a fim de que / para que
A...
51
Nesse sentido, cabe afirmar que se trata de tempos inerentes ao modo subjuntivo, mas
diferentes, aplicáveis a casos par...
52
Chegando ao local do evento, resolveu as pendências.
Tempo 
Quando chegou ao local...
Ela saiu correndo pela casa.
a c...
53
Reduzida: Fiz as mudanças necessárias ao voltar das férias.
Desenvolvida: Fiz as mudanças necessárias quando voltei das...
54
Desenvolvida: O garoto, que desafiou as autoridades, não cumpriu com as
determinações do juiz. (Oração Subordinada Adje...
55
A moça, cuja mãe é deputada, encantou a todos
Nas orações Antipatizei com o rapaz. Você conhece a namorada do rapaz, o ...
56
07) Conectores ↑ Sumário
DICAS PARA DECORAR
Tanto, tudo (coordenadas)
 Adversativa: entretanto, contudo.
 Conclusivas...
57
CONDICIONAL: SE CASO CONTANTO UMA VEZ ME SALVO AO MENOS DESDE QUE EXCETO A NÃO
SER QUE
CONSECUTIVA: Tesão QUE, SORTE (t...
58
SUBORDINATIVAS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES
1. INTEGRANTES QUE / SE (=ISSO)
ADVERBIAIS
CAUSAIS  já que PORQUE, COMO (=PORQUE)...
59
TEMPORAIS  desde que QUANDO, ANTES QUE,
DEPOIS QUE, ATÉ QUE, LOGO QUE,
SEMPRE QUE, ASSIM QUE,
DESDE QUE, TODAS AS VEZE...
60
está conjugado no pretérito Imp. do subjuntivo, não há necessidade de
correção para que a frase se torne verdadeira. “C...
61
A persistir os sintomas, o médico deve ser procurado. (condição) Se
persistir...
Ao persistir os sintomas... (Tempo) Qu...
62
Ela me deve um dinheirão, e não paga.
Estudou muito e foi reprovado.
“Tudo é mistério e tudo está cheio de significado....
63
Valor semântico da conjunção “se”.
Valor condicional:
Se você estudar, conseguirá seu intento. (equivale a "caso");
Val...
64
b) Preciso de dinheiro, que não essa quantia exagerada.
c) Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo.
b) Q...
65
Oração subordinada adverbial consecutiva: “que prostrou-se no outro dia”.
3. Conjunção subordinativa comparativa - O <q...
66
a) Desconfiado que era, mandou instalar câmeras até nos banheiros da
residência.
Oração subordinada adverbial causal: “...
67
Comprei um relógio de ouro. (matéria)
Aquele livro é de Marcelo. (posse)
Ontem, bebemos dois copos de vinho. (conteúdo)...
68
3 No trecho “à medida que as fabricantes, a partir dos anos 90 ERRADO
do século passado, tornavam-se principalmente mon...
69
sentido do texto e da coerência textual (diferente De manter o sentido
do período da frase).(o conector pode ser trocad...
70
O governo investe em educação, falta, no entanto (conector
deslocado na 2ª oração), reconhecimento disso por parte do p...
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
(00 resumex português) cespe gil) 2
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

(00 resumex português) cespe gil) 2

546 visualizações

Publicada em

CESPE

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

(00 resumex português) cespe gil) 2

  1. 1. 1 1. ↑ Sumário 01) Verbo Infinitivo ↑ Sumário..............................4 Flexão do infinitivo......................................................4 02) Voz passiva ↑ Sumário....................................7 02) Pontuação ↑ Sumário ......................................8 **CUIDADO COM ORAÇÃO RESTRITIVA........13 03) Concordância Verbal .....................................34 04) Pronome relativo ↑ Sumário .........................38 05) Colocação Pronominal ↑ Sumário ...............44 06) Orações ↑ Sumário ........................................49 07) Conectores ↑ Sumário...................................56 08) Partícula “SE” ↑ Sumário...............................79 09) Partícula “QUE” ↑ Sumário ..........................83 10) Ter / Haver / Existir ↑ Sumário ....................86 11) Aspectos de Verbo ↑ Sumário....................87 12) Equivalência De Estrutura Verbal ↑ Sumário 89 13) Transitividade Verbal ↑ Sumário................96 14) Classificação do Sujeito e do predicado ↑ Sumário.......................................................................100 Diferenças entre o complemento nominal e o adjunto adnominal. .............................................102 CN X ADJ. ADNOMINAL .......................................102 15) Identificação do Sujeito ↑ Sumário..........114 16) Condordância Nominal ↑ Sumário............122 17) Casos mais comuns CESPE ↑ Sumário..127 18) Outras estruturas ↑ Sumário ....................134 19) Uso de Preposição ↑ Sumário...................137 20) Tipologia Textual ↑ Sumário......................139 21) Acentuação gráfica ↑ Sumário .................152 22) Crase ↑ Sumário.........................................161 23) Regência ↑ Sumário ..................................166 24) Redação Oficial ↑ Sumário .........................184 25) Casos Facultativos ↑ Sumário ..................199 26) Casos Obrigatórios ↑ Sumário.................201 27) Casos Proibidos ↑ Sumário.......................202 28) Semântica ↑ Sumário................................203 29) Interpretação de Texto ↑ Sumário...........215 30) Dicas Locução verbal ↑ Sumário.............219 32) Dicas homônimos ↑ Sumário ...................223 33) Coesão e Coerência ↑ Sumário.................242 34) Fonética e Fonologia ↑ Sumário..............248 35) Separação de silabas ↑ Sumário.............266 36) Emprego De Classes Gramaticais ↑ Sumário.......................................................................282 Artigo ↑ Sumário ................................................282 Numeral ↑ Sumário.............................................284 Pronome ↑ Sumário............................................287 Substantivo ↑ Sumário .......................................300 Adjetivo ↑ Sumário..............................................304 Verbo ↑ Sumário .................................................307 Advérbio ↑ Sumário ............................................310 Preposição ↑ Sumário........................................316 Conjunção ↑ Sumário.........................................321 Interjeição ↑ Sumário..........................................325 37) Ortografia ↑ Sumário ..................................327 EO EI (espontâneo – espontaneidade) .......327 IO  EI (sério – seriedade)................................327 OAR / UAR E (perdoar – perdoe continuar – continue)....................................................................327 AIR / OER /UIR I ( atrair – atrai doer – doi possuir – possui)......................................................327 EAR (penteio- penteias – penteia- penteamos – penteais – penteiam ................................................327 MARIO (mediar – ansiar - remediar – intermediar incendiar - odiar) = verbo odiar.............................327
  2. 2. 2 35 Uso Dos Porquês ↑ Sumário .....................347 NOVA ORTOGRAFIA..............................................350 DICAS COMO A CESPE COBRA!!! ↑ Sumário ....................................................................................355 PAG. 8 QUESTÃO 5................................................355 *** CUIDADO “prejuízo” a assertiva está errada , mas a questão está CERTA...................................355 assertiva está certa, questão “ERRADO”.............355 “está certa a afirmação” assertiva certa, questão “CERTA” ....................................................................355 Assertiva errada, questão “ERRADA”...................355 Acentuação gráfica..................................................355 Pronome..................................................................355 Verbo.......................................................................355 Conjunções..............................................................356 Sentido palavras......................................................356 Coesão e coerência .................................................356 Reescritura de frase................................................356 Vírgulas....................................................................356 Interpretação Texto (tem que estar correta em relação ao textoe não em relação ao consenso da sociedade.)..............................................................356 Correspondência oficial ..........................................357
  3. 3. 3 1- A Fonologia estuda: - as sílabas (divisão silábica) - os encontros vocálicos - os dígrafos - ortografia - acentuação gráfica 2- A Morfologia estuda: - classes gramaticais - estrutura e formação de palavras 3- A Sintaxe estuda: - período simples - período composto - concordância verbal e nominal - regência verbal e nominal - colocação pronominal 4-A Semântica estuda: - sinônimos - antônimos - parônimos - homônimos -hiperônimos
  4. 4. 4 01) Verbo Infinitivo ↑ Sumário FLAVIA RITA CESPE Flexão do infinitivo Regras Básicas Condições: - Sujeito Próprio ↓ Infinitivo Flexionado - Sujeito Explícito↑ - suj. idêntico e oculto  Infinitivo com ou sem flexão (suj. contextual)  1ª regra: Emprega-se o infinitivo impessoal quando se deseja designar um fato, ação de forma vaga – sem sujeito e sem tempo. Ex.: Correr (SUJ. OR.) fortalece (3ª SING.) os músculos das pernas. Jesus mandou amar o próximo.  2ª regra.: Emprega-se obrigatoriamente o infinitivo flexionado quando este possuir sujeito próprio. Ex.: Vovó comprou uns docinhos para seus netinhos (suj.plural) comerem à noite. Não saia (vocês) da empresa antes de os diretores (suj.plural) assinarem o contrato. (ele/ela) Deixou a sala sem serem (inf. Flex.) analisadas as cláusulas do acordo (suj.plural).  3ª regra.: Emprega-se facultativamente quando sujeito é idêntico ao sujeito da oração que o precede. (Emprega-se preferencialmente o infinitivo não flexionado quando o sujeito deste for igual ao sujeito da oração anteposta e vier oculto / elíptico - contextual). a- Os chefes fizeram tudo para (os chefes) sair / saírem bem na foto. **Preferência para a não flexão b- Tu estas doente apesar de (tu não apresentares – flex. obrig.) (tu) não apresentar febre. (Se o suj. estiver explicito o verbo fica flexionado, oculto e idêntico facultativo preferência não flexionado) c- Eles deixaram a sala sem (eles resolverem) resolver o problema. d- (nós)Terminamos o projeto mais cedo para (suj. idêntico desinencial) enviarmos / enviar ao chefe.
  5. 5. 5 Clivagem identificação de um mineral. Influxo Ato de influir. Influência.  SUJEITO ORACIONAL Fumar e Beber (suj. oracional) é terminantemente proibido.(mesmo tendo 2 suj. oracional o verbo mantem-se na 3ª pess. Do sing.) É fundamental que você compareça à reunião É importante .... Sabe-se(PA) que Rômulo não gosta de Paulo. Convém que não se atrase para a entrevista. Algo convém a alguém.  Núcleos do sujeito no infinitivo. O verbo fica no singular. – Andar e nadar faz bem à saúde. – Ver-te e não te querer é improvável, é impossível. (Skank – adaptado) Obs.: Se os infinitivos vierem determinados ou se forem antônimos, o verbo ficará no plural: O andar e o nadar fazem bem à saúde. / Rir e chorar se alternam no ser humano. 1 Inovar é recriar de modo a agregar valor e incrementar a eficiência, a produtividade e a competitividade nos processos gerenciais e nos produtos e serviços das organizações. Ou seja, 4 é o fermento do crescimento econômico e social de um país. 1.(MPU)- analista 2010) A forma verbal “é” (L. 4) está flexionada no singular porque, na oração em que ocorre, subentende-se “inovar” (L1) como sujeito. (CERTO) Inovar  sujeito (função substantiva) – suj. oracional ↓ infinitivo Forma verbal do verbo { INFINITIVO (substantivo)-suj. OD, OI, CN, AG. Passiva, Aposto, Predicativo, Vocativo.
  6. 6. 6 PARTICÍPIO (adjetivo) –adj adnominal GERUNDIO (advérbio)adj. Adverbial }  Flexão do infinitivo Loc. Verbal  apenas o auxiliar varia o infinitivo não se flexiona. Verbos Auxiliares: Ter, haver, voltar, começar, ser, estar, poder, dever, ir, continuar,... As pessoas têm que avaliar o futuro ... avaliarem ...  **Em caso de período composto, quando a 2ª oração for introduzida pela preposição a, a flexão do inf. Será facultativo. Os mais velhos (suj.) incentivam os mais novos (suj.) a deixar (deixarem) o lar. (oração com sujeitos diferentes.)  CASO (DEFAMAVOS) 3ª Sing.  **Caso (DEFAMAVOS) –deixar, fazer, mandar, ver, ouvir, sentir (DEFAMAVOS) + infinitivo Se suj. for pronome a flexão será proibida. Se o suj. for nome a flexão será facultativa. Deixou os meninos dormir / dormirem. (Ele)Deixou-os dormir. Deixou as mães pensarem. Deixou-as pensarem **CESPE ** ( ) Seria possível sem prejuízo para a norma substituir o pronome oblíquo as.
  7. 7. 7 02) Voz passiva ↑ Sumário 01) (1 forma se pode trocar um pelo outro) Seria possível, mantendo-se o sentido e a correção gramatical....  A decisão do governo não foi justificada por ninguém. ...substituir a expressão “foi justificada” por “se justificou”. (V) (equivalência passiva sintética e analítica), tempo verbal (se justifica), palavra atrativa, Voz passiva sintética e analítica são formas equivalentes do ponto de vista semântico e estrutural.  Fique atento a colocação pronominal Seria expresso o tema do acordo. Expressaria-se o tema do acordo. (fut. Do pretérito) (F) Expressar-se-ia ...  Tempo verbal Ninguém foi encontrado no local. Não se encontrava ninguém no local. (F) Não se encontrou... (mesmo tempo verbal)  Concordância (não pode trocar para a voz ativa. Ainda não foram discutidos os projetos do governo. ...se discutiu...(F) (concordância ...se discutiram...)  Loc. Verbal  apenas o auxiliar varia o infinitivo não se flexiona. Verbos Auxiliares: Ter, haver, voltar, começar, ser, estar, poder, dever, ir, continuar,... (a transitividade do verbo auxiliar é a mesma do verbo Principal) Volta-se (IIS) a falar(VTI) em (...) Volta-se (PA) a pedir (VTD) apoio no país Apoio volta a ser pedido no país. Sabe-se, que o governo é corrupto. (+ formal) Sabemos ... (- formal, traços de subjetividade) Sei... (1ª singular, visão pessoal, particular) **1ª pessoa do plural e 3ª p. são equivalentes do ponto de vista argumentativo.**
  8. 8. 8 Se trata de (VTI) + OI (de um corte epistemológico) Distinção importante: VTD + SE (PA) VTDI + SE (PA) VI, VL, VTI + SE (IIS) Índice de indeterminação do suj. TERMO REGIDO POR PREPOSIÇÃO JAMAIS EXERCERÁ A FUNÇÃO DE NÚCLEO DE SUJEITO. Ex.: No trecho “assim se faz um livro” L 26, a expressão “um livro” exerce a função de sujeito. (CERTO) VTD + SE (PA) + suj. (um livro) 02) Pontuação ↑ Sumário a) Ordem Indireta (Sujeito (S) + Verbo ou Locução Verbal (V ou LV) + Objeto direto (OD) + Objeto indireto (OI) + Adjunto Adverbial (AA - termo que se refere ao verbo e – entre muitos valores semânticos – traduz lugar, modo, tempo, causa, condição, concessão, conformidade, finalidade, meio e instrumento;) b) Aposto c) Vocativo d) Termos semelhantes e) Coordenadas Sindéticas; ( coordenadas aditivas não apresentam vírgulas) f) Coordenadas adjetivas explicativas g) Coordenadas substantivas apositivas h) Coordenadas adverbiais ordem indireta As coordenadas sindéticas aditivas [e, ou e nem] Não devem ser usadas com vírgulas, exceto nestes casos: a) Quando a conjunção [e] e o [nem] vierem, várias vezes, repetidos, constituindo aquilo que, em figura de linguagem, chama-se polissíndeto: ● Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! ● Ela não era bela, nem elegante, nem culta. b) Quando as orações ligadas pela conjunção [e] tiverem os sujeitos diferentes: ● O menino não se mexeu, e Paulo desejou matá-lo. ● À noite não acabava, e às vezes a miséria se reproduzia.
  9. 9. 9 c) Quando se deseja como recurso estilístico, realçar a oração iniciada pela conjunção [e], ocasião em que a pausa é mais forte: ● Deitara-se cedo, e sonhou. ● Em todo caso repugnava-lhe a idéia de recuar, e foi andando. Oração coordenada sindética adversativa: transmite uma ideia de oposição à oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas adversativas. São utilizadas conjunções coordenativas adversativas ou locuções conjuncionais coordenativas adversativas: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante, nada obstante, antes, ainda assim, etc. Exemplos: Usa-se a vírgula para separar orações coordenadas (aditivas) iniciadas pela conjunção [e] com valor adversativo, ou seja, igual a [mas]: ● Tivera a felicidade entre as mãos, e (mas) a deixara fugir.  Eu queria ir à festa, mas minha mãe não deixou.  Gostava de ter sido aeromoça, contudo não tive essa oportunidade. Emprega-se [mas] sempre no começo da oração; as demais podem vir ora no início da oração, ora após um dos seus termos:  • Vá onde quiser, mas fique morando conosco.(mas somente antes da 2ª oração)  ● Vá onde quiser, porém fique morando conosco.(demais conj. Pode deslocar na oração)  ● Vá onde quiser, fique, porém, morando conosco. Oração coordenada sindética alternativa: transmite uma ideia de alternância em relação à oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas entre orações coordenadas sindéticas alternativas. Caso haja apenas uma oração coordenada sindética alternativa o uso da vírgula é opcional. São utilizadas conjunções coordenativas alternativas ou locuções conjuncionais coordenativas alternativas: ou, ou...ou, já…já, ora...ora, quer...quer, seja...seja, nem…nem, etc. Exemplos:  Faça o que o juiz manda ou irá preso. (facultativa)  Ora você gosta de mim, ora não gosta. (obrigatória)
  10. 10. 10  Quer festeje hoje, quer festeje amanhã, não irei ao seu aniversário. (obrigatória) Oração coordenada sindética conclusiva: transmite a conclusão de uma ideia expressa na oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas conclusivas. São utilizadas conjunções coordenativas conclusivas ou locuções conjuncionais coordenativas conclusivas: logo, pois, portanto, assim, por isso, por consequência, por conseguinte, consequentemente, de modo que, desse modo, então, etc. Exemplo:  Reprovei na quinta série, portanto não seremos mais da mesma turma.  Ela fez um belíssimo trabalho, por isso será contratada novamente.  Nós presenciamos o acidente; seremos, pois, chamados para depor. (entre vírgulas após o verbo, deslocada da oração) Pois (introduzindo uma conclusão) vem sempre posposto a um termo da oração a que pertence e, portanto, isolado por vírgulas: • Não obedece à ordem, é, pois, um rebelde. Oração coordenada sindética explicativa: transmite a explicação de uma ideia expressa na oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas explicativas. São utilizadas conjunções coordenativas explicativas ou locuções conjuncionais coordenativas explicativas: que, porque, porquanto, pois, na verdade, isto é, ou seja, a saber, etc. Exemplos:  Não consegui ir trabalhar hoje, pois estava tudo alagado.  Sai cedo da festa, porque precisava dormir. Existem dois tipos de porquês: o coordenativo explicativo e o subordinativo casual. Antes do explicativo sempre use a vírgula, pois ele introduz uma oração explicativa precedida por uma pequena pausa. Como reconhecer o [porque] explicativo? Toda vez que você puder substituí-lo pela palavra que ele será explicativo: ● Não faça isso, (que, pois) porque estamos aqui para ouvi-lo. ● Não corra, porque (que, pois) você pode cair. Já o porquê que introduz a oração causal não pode ser substituído pelo que e, neste caso, a vírgula é facultativa.
  11. 11. 11 Pois (introduzindo uma explicação) vem, sempre, após a vírgula que introduz a oração: O exame era difícil, pois nem sequer havíamos estudado. Vírgula após pois (explicativo) só se houver outra oração intercalada na seqüência da frase: ● Os meninos jogaram bem, pois, como fora combinado, dariam tudo de si. Para intercalar termos e expressões num período simples: «Tentei tudo, isto é, quase tudo.» «Paulo não pode vir, ou melhor, recusou-se a vir.» b) Usa-se vírgula para separar as orações coordenadas: adversativas, conclusivas e explicativas.:  Alguns estudiosos do Direito esforçaram-se muito, mas não conseguiram aprovação no último exame da OAB. (Adversativa).  O exame da OAB tem sido cada vez mais exigente, portanto é necessário um estudo continuado para solidificar o conteúdo das disciplinas. (Conclusiva).  Ultimamente deve ter havido pouca concentração nos estudos, pois os resultados têm sido desanimadores. (Explicativa). “No entanto, foi somente depois da Segunda Guerra Mundial que a afirmação da cidadania se completou”: Mas, apenas depois da Segunda Guerra Mundial é que a cidadania solidificou-se. O conector "mas" é o único que não admite a vírgula após Ele. A história constitucional brasileira está repleta de referências difusas à segurança pública, mas, até a Constituição Federal de 1988 (CF), esse tema não era tratado em capítulo 4 próprio nem previsto mais detalhadamente no texto constitucional A correção gramatical do texto seria prejudicada caso se suprimisse a vírgula antes da conjunção “mas” (R.2). JUSTIFICATIVA – Nesse caso, a vírgula é obrigatória, pois separa oração coordenada adversativa.
  12. 12. 12 c) Usa-se a vírgula para separar a oração subordinada adverbial de sua principal. (Oração subordinada adverbial indica uma circunstância em relação à oração principal.) Exemplos: Circunstância de causa: .  Não cheguei a tempo para a aula, porque choveu torrencialmente na serra. “Porque” pode ser substituído por: uma vez que, visto que, pois que. Circunstância de concessão:  Embora seja possível, é improvável uma terceira guerra mundial.  É improvável uma terceira guerra mundial, embora seja possível.  É improvável, embora seja possível, uma terceira guerra mundial. Admite ideia contrária à ideia expressa na oração principal. A conjunção “embora” pode ser substituída por: ainda que, mesmo que e outras. d) Usa-se a vírgula para separar a oração reduzida do infinitivo, do gerúndio ou do particípio. Exemplos:  Ao perder a chave, mantenha a calma. (ou Mantenha a calma, ao perder a chave).  Perdida a chave, não se desespere.  Perdendo a chave, não se desespere * Há neste grupo somente uma exceção: o fato de que as orações subordinadas apositivas são regidas pelo uso da vírgula ou pelos dois pontos: Apenas tenho um desejo, que você volte em breve. * Já as subordinadas adjetivas explicativas aparecem sempre demarcadas pela vírgula: Machado de Assis, | que é autor de Dom Casmurro|, tornou-se canonizado. Or. subordinada adjetiva explicativa As orações condicionais são antecedidas por vírgula.
  13. 13. 13 As orações subordinadas condicionais se realizam de três formas:  Realização impossível Representa uma hipótese irrealizável: verbo da oração principal e da subordinada representam ação completa, isto é, tempo perfectum: «Se a prova tivesse sido hoje, eu teria me preparado melhor.» (pretérito imperfeito do subjuntivo e futuro do pretérito do indicativo)  Realização possível Tanto o verbo da oração principal quanto o da subordinada estão em ação incompleta. É possível que se dê a ocorrência do fato: «Se ela me chamasse, eu iria correndo.» «Podem dizer o que quiserem, contanto que não mintam.» (principal -> condicional) «Sem que obtenhas o visto no passaporte,não viajarás.» (condicional -> principal)  Representa um desejo e esperança (situações indefinidas, não claras: frases reticenciosas e exclamativas) «- Ah, iria, se eu pudesse!...» **CUIDADO COM ORAÇÃO RESTRITIVA O histórico dos crimes cibernéticos, por sua 14vez, remonta à década de 70, quando, pela primeira vez, foi 15definido o termo hacker, como sendo aquele indivíduo que, (sem vírgula antes do que, logo restritiva) 16 dotado de conhecimentos técnicos, promove a invasão de 17sistemas operacionais privados e a difusão de pragas virtuais. 13 A oração “que, dotado (...) pragas virtuais” (R. de 15 a 17) é de natureza restritiva. Explicação ou restrição Retirada Troca Sentido O jornalista1, Roberto Teixeira dos Santos 2, estava no local do crime 3, mas 4, segundo testemunhas 5, não registrou fatos , cenas ou imagens 6 que comprometessem o rapaz.
  14. 14. 14  (F ) 1 e 2 especificam (restrige) o termo antecedente restringindo-o. (F) Nenhuma entrada de índice remissivo foi encontrada.) aposto (LEMBRETE: VIRGULA E RESTRIÇÃO NÃO COMBINA)  ( V ) 1 e 2 podem ser substituídos por parênteses. (V)  (V ) 3 poderia ser substituído por “;” e isto melhoraria a coesão textual. (V) (Ponto E Vírgula Pode Separar As Orações Coordenadas)  ( F ) 4 e 5 isolam um seguimento de natureza explicativa. (F)  (F ) 6 a colocação de uma virgula antes do “que” melhoraria a correção gramatical e o sentido. (F) (RESTRITIVA EXPLICATIVA) A) O menino, de quinze anos, assinou o texto. Expl.  aposto Os pais, responsáveis pelos filhos, educam. Expl.  aposto O governo, que investe a em turismo, deve ser valorizado. Expl.  or. adj. Expl. aposto Explicação = (entre vírgulas)  conj. Unitário ou generalização (um / todos) Meu irmão, que é médico, chegou. (só há um irmão e ele é medico) Meus irmãos, que são médicos chegaram. (todos os irmãos são médicos Restrição = (sem vírgulas) parte de um conj. (Um dos / Alguns dos) Meu irmão que é médico chegou. (mais de um irmão e um deles é medico) Meus irmão que são médicos chegaram. (mais de um irmão e um alguns deles são médicos) Meu pai, que é médico, chegou. (um pai e ele é médico.)(vírgula obrigatória pois temos um só pai) ** cuidado com determinadas frases que não é possível generalizar pelo fato de ser único. ** restrição é um “tipo de”. B) Expressões de natureza explicativa podem vir entre vírgulas, parênteses ou travessões. O Brasil, a China – país em abertura- o Canadá e outras nações assinaram o acordo. Brigam muito, por isso querem o divórcio. Brigam muito: querem o divórcio. - É usual usar (:) entre orações coordenadas sem conector. - Os dois pontos entre orações coordenadas, normalmente, marcam relação de Explicação ou conclusão. - Não pode ser trocado por conectores (mas) consecutivos.
  15. 15. 15 C) O ponto e vírgula só pode ser usado para separar orações coordenadas, Ele será mais adequado que a vírgula sempre que já - houver vírgula no interior das orações. - houver ideia de oposição - houver simetria entre as orações. - as orações estiverem agrupadas. Pedro me ama; José, não. (a vírgula é possível, mas, causa perda de coerência) { , ,} ;{ , ,} D) O sistema eleitoral será de tal,ordem que o poder (...) 1- Conj. Consecutiva Adverbial depois da Principal  vírgula facultativa(pode-se colocar uma vírgula depois de ordem) O Brasil, se houvesse mais investimento, cresceria. 2- Se a or. Adverbial estiver antes da principal ou intercalada, a vírgula será obrigatória. E) Confundem, e (...) , o povo(CV) 1- Não se separa por vírgula: Suj. x predicado, verbo x complemento, nome CN / Adj. Adnominal. 2- Entre os constituintes diretos da oração pode haver termos intercalados entre vírgulas (aposto, explicações). Os sinais de pontuação servem para dar sentido aos textos escritos. Alterações na pontuação podem modificar o sentido de um texto. Os homens 1, as mulheres 3 – com menos frequência – 2 , os adolescentes e as crianças são 4, ao mesmo tempo 5 , críticos e receptivos às mudanças 6 , que 7 , de modo geral 8 , são vistas como assustadoras quando não estamos preparados. 1 (V ) As vírgulas usadas em 1 e 2 têm a mesma justificativa. (separa enumeração, mesma classe gramatical) 2 ( V ) os travessões poderiam ser substituídos por vírgulas ou parênteses....(Vírgulase a explicação não der ambiguidade) 3 ( F ) tirar a vírgula em 4 (ou entre vírgula ou sem vírgulas “advérbio”) 4 ( F ) tirar 6 (“ or adj. Explicativa”)
  16. 16. 16 5 ( V ) tirar 7 e 8 (para CESPE o adjunto adverbial deslocado mesmo de grande extensão é facultativo) 6 (V ) colocar vírgula antes de quando (or. Subord.. adverbial no final da frase facultativa) O governo investiu no setor, no entanto a população (,no entanto,) ainda não viu resultados. 1 ( F ) colocar uma vírgula após no entanto.(o conector coordenativo no início da segunda oração “somente uma vírgula antes do conector” – se deslocado na oração o conector deve vir entre vírgulas “interior de oração” 2 ( C ) substituir a vírgula por “;” (orações coordenadas pode ser separado por ”ponto e vírgula” ou “ponto final”. 3 ( ) colocar o termo ainda entre vírgulas. (adj adverbial independente da extensão pode ser separado por vírgulas) NÃO SE USA VÍRGULAS 1 Entre Sujeito E Predicado. Quem ama não trai. As pessoas que investem no futuro (or. Adj. Restritiva  se separar por vírgulas fica incoerente) apresentam postura mais otimista diante da vida. 3 Entre verbo e complemento. O governo discute propostas de médio e longo prazo. 3 Entre nome e complemento ou adjunto adniminal. A atual crise política brasileira 2 divulgada pela imprensa 1 prejudicará a imagem do país no exterior. 1 ( E ) Apenas uma vírgula em 1. (separaria o sujeito do predicado) 2 ( F )Colocar um par de vírgulas (2 – 1) sem alterar o sentido e a correção. (gramaticalmente possível , mas altera o sentido – Restritiva para explicativa) 3 ( V ) Apenas uma vírgula após “país” para dar mais ênfase a expressão adverbial.
  17. 17. 17 CASOS DE VÍRGULA NA ORAÇÃO 1 Isolar aposto. 2 Isolar vocativo. 3 Isolar expressões explicativos 4 separar expressões enfáticas ou retificativas. Quanto ao projeto, já o divulgamos. (caráter enfático) Já divulgamos o projeto. 5 Separar itens de enumeração. 6 Isolar complementos pleonástico 7 Separar local de data. 8 Indicar Zeugma ou Elipse 9 Indicar deslocamento de adjunto adverbial . (sempre facultativo – desde que não altere o sentido da frase) 10 Indicar deslocamento de conjunção coordenativa. ( porém, portanto, contudo, entretanto, por isso, no entanto, assim, então, logo...- deve vir no interior de oração) O Brasil é um país rico, a população, no entanto, passa fome) VÍRGULA ENTRE ORAÇÕES 1 Separar orações coordenadas sindéticas ou assindéticas, Penso, logo existo. 2 VÍRGULA ANTES DO CONECTOR “E”  Mesmo Sujeito  Não Se Usa Vírgula O governo investe em educação e demonstra seus projetos.  Sujeitos distintos O governo investe em educação, e o país evolui.  Valor adversativo O governo prometeu investir em educação, e (mas) não cumpriu.(facultativo)  Polissíndeto Ela chorava, e pedia, e implorava pela volta do amigo. (mesmo suj., mas caráter obrigatório de vírgula)  3 Isolar or. Subord. Apositiva
  18. 18. 18 Os brasileiros querem apenas uma coisa: que (conj. Integrante) o governo cumpra suas promessas. Quem tem interesse no setor adquire experiência com a prática. As demais orações substantivas não podem ser separadas de sua or. Principal por vírgula. 4 isolar or. Subord. adjetiva explicativa A menina, que tinha 10 anos, não se feriu. A expressão introduzida pelo pronome “que” restringe, delimita o termo antecedente ( F ) (apenas explica) existe apenas 1 garota de 10 anos.  A retirada das vírgulas não implica erro gramatical , mas altera o sentido do texto. ( V ) Os políticos brasileiros, que são corruptos, não merecem apoio do povo. O autor adota uma postura generalista ao afirmar no texto, que nenhum político brasileiro merece apoio do povo. ( v ) (todos os políticos brasileiros são corruptos) A retirada das vírgulas não implica erro gramatical, mas altera o sentido do texto. ( V ) 5 Isolar or. Subor. Adverbial anteposta ou intercalada à principal. Quando o governo resolver o caso, (Subor. Adverbial temporal) a população ficará tranquila. (a or. Sub. Adv. poderá ser colocada para o final da frase) Os cidadão, embora não entendam o processo, estão sempre disposto a questioná-lo. (a or. Sub. Adv. Não poderá ser colocada para o final da frase porque tem um pronome que retoma de forma anafórico o termo processo – deslocando-o para o final perde-se a coesão textual da frase) O governo resolveria o problema se quisesse. . (a or. Sub. Adv. Não poderá ser colocada para o inicio da frase, sem devidas alterações “,”. 6 Isolam-se as orações interferentes por vírgulas. O pai, dizia ele, não o apoiava.
  19. 19. 19 PONTO E VÍRGULA. ↑ Sumário  Não pode ser usado para separar orações subordinadas e em períodos simples. Pontuação 1 - Ponto (.) Quando utilizar o ponto simples: a) Para indicar o fim de um período simples, de uma frase com sentido completo. Nada mais tenho a dizer. b) Para abreviar: Sr. (Senhor) a.C. (antes de Cristo) num. (numeral) adj. (adjetivo) etc. (et cetera) Significa "e outras coisas". Observe que como já possui o conectivo "e", não é necessário escrever "e etc.", nem precisa ser precedido por vírgula, embora seja aceito por alguns gramáticos que argumentam que o termo se tounou um item enumerativo. Gostamos de tablets, smartphones, notebooks e etc. (Errado) Gostamos de tablets, smartphones, notebooks etc. (Certo) Gostamos de tablets, smartphones, notebooks, etc. (Aceito) Quanto ao uso de reticências com etc. (etc...), devemos optar ou pelo uso do etc., ou pelo uso das reticências: Gostamos de tablets, smartphones, notebooks etc... (Errado) Gostamos de tablets, smartphones, notebooks etc. (Certo) Gostamos de tablets, smartphones, notebooks... (Certo) Lembre-se que "etc." refere-se a "e outras coisas", então não use para pessoas, pois obviamente não são coisas. Para pessoas utilize "et al." (abreviatura de et alii, que significa "e outros").
  20. 20. 20 2 – Ponto de Interrogação (?) Quando utilizar a ponto de interrogação: a) Para realizar perguntas. Você quer perguntar alguma coisa ? b) Pode-se utilizar desta pontuação para indicar diversos sentimentos (surpresa, indignação, expectativa): Os alagoanos elegeram Renan Calheiros ? (indignação) Lula não sabia do mensalão ? (indignação) Você está me pedindo em casamento ? (surpresa) Ganhamos na loto ? (expectativa) O seu time finamente venceu ? (Ironia) 3 – Ponto de Exclamação (!) Quando utilizar o ponto de exclamação: a) Para expressar sentimentos tais como: empolgação, súplica, reclamação, surpresa, horror: Vamos sair do Brasil ! (empolgação) Por favor, votem direito ! (súplica) Mais rápido, amor ! (reclamação) Que negócio grande ! (surpresa) Que horror ! (horror) b) Para interjeições e locuções interjetivas: "Oh! Meu Deus! É só você e eu". "Eu te amo, porra!"
  21. 21. 21 c) Depois de vocativos: Você consegue, garoto! Se liga, pivete! OBS1: Para expressar, ao mesmo tempo, questionamento e admiração, pode-se usar interrogação e exclamação juntos. Que coisa, não?! OBS2: Para intensificar ainda mais a situação ou os sentimentos expressos, pode-se repetir várias vezes estes sinais de pontuação. -Você topa, mesmo??? -Topo sim!!! 4 - Reticências (…) Quando utilizar as reticências: a) Para suprimir trechos: Era uma vez (...) e viveram felizes para sempre. b) Para indicar continuidade de pensamento ou de enumerações: Eu gostei do novo técnico, mas dos novos jogadores... E veio uma sensação de alegria, euforia, felicidade... 5 - Parênteses ( ) Quando utilizar os parênteses: a) Para indicar uma explicação. E Deus disse: Moshé Moshé, erés codó! (Eretz Kadóch – terra santa).
  22. 22. 22 b) Na indicação de fontes bibliográficas. E disse a Moisés: tira os sapatos, pois estás em terra santa (Êxodo 3:5). c) Para isolar um comentário ou pensamento. Votarei nulo (político nenhum me representa). 6 - Aspas (“ ”) Quando utilizar aspas: a) Para destacar transcrições: Dessa música todos lembram:“Para nooossa alegria!” (Galhos secos, banda Êxodos). b) Para destacar uma frase escrita ou dita por alguém. É como ele sempre diz: “Só querem saber do venha a nós e nada do ao vosso reino”. c) Para indicar expressões estrangeiras, neologismos, arcaísmos, gírias, apelidos ou para dar ênfase a qualquer expressão: Dei um "joinha" e "printei". (arcaísmo e neologismo) Também foi preso Luiz Romão, o “Macarrão”. (apelido) A plateia respondeu com um sonoro "não". (destacar expressão) Já treinamos bastante, agora "let's rock". (expressão extrangeira) d) Para indicar ironia. Apertando várias vezes o botão, o elevador entra em “modo de urgência”. (Esse modo não existe realmente. Alguém pode dizer isso para criticar os impacientes que apertam o botão várias vezes na esperança de que seja mais rápido. Explicação necessária para pessoas com SIEI - "Síndrome da Incapacidade de Entender Ironia".) e) Para relativizar o sentido de uma expressão.
  23. 23. 23 A raça humana que é mais "inteligente", destrói seu próprio meio. 7 - Travessão (-) Quando utilizar travessão: a) Indicar a mudança de interlocutor em um diálogo: – Ôh mainha, leva eu pro circo? (Junim) – Não sinhô! Quem quiser lhe ver venha aquin. (Dona Zefa) – Armaria mainha, nãm! (Junim) b) Separar orações intercaladas, como se fossem vírgulas: Quanto à água no copo – disse o oportunista – enquanto vocês discutiam, eu a bebi. c) Colocar em evidência uma frase, expressão ou palavra: Gostaria de agradecer a pessoa mais importante para mim – eu. d) Expressar comentário ou opinião do autor do texto: Quem já teve chance – e o privilégio – de presenciar filhotes de animais brincando, sabe como são divertidos. 8 – Dois pontos (:) Quando utilizar os dois pontos: a) Para fazer uma citação ou introduzir uma fala: Ela foi vaiada porque declarou: “Me impressionou como a tecnologia pode ajudar os portadores de deficiência”. O policial disse: - Mãos para cima!
  24. 24. 24 E ele respondeu: - Cintura solta, da meia volta, dança kuduro. b) Para indicar explicação, esclarecimento ou resumo do que foi dito: - É o país do carnaval, bunda e futebol: é o Brasil. (resumo) - Lá estava a feliz família: alegres, risonhos, vivendo sua rotina. (explicação) c) Antes de orações apositivas: Viverás para Deus com uma condição: que morra para o mundo. (A oração subordinada apositiva tem a função de aposto, indica uma explicação. No exemplo dado, "morrer para o mundo" explica qual é a condição citada.) d) Quando se quer indicar uma enumeração: - O Brasil não progride porque só lhe interessa: carnaval, bunda e futebol. e) Na introdução de exemplos, notas e observações: Obs.: Não use linguagem coloquial em correspondências oficiais. f) Em invocações de correspondências: Prezados Senhores: Convido-lhes para o meu aniversário dia 30 de Fevereiro. g) Em citações e referências: Parafraseando Jesus: nem sempre sua sede será de água, sua fome será de pão, sua nudez será de roupas e sua prisão será de algemas. É como diz um probérbio Chinês: "um sábio não diz que sabe, um tolo não sabe o que diz".
  25. 25. 25 9 – Ponto e Vírgula (;) Quando utilizar o ponto e vírgula: a) Para separar itens: Os cinco solas da reforma: I – Só a escritura sagrada é veículo de revelação; II – Só Jesus Cristo salva, mas nenhum outro(a); III – Só o Espírito Santo nos leva a Deus, só a sua graça; IV – A salvação vem pela fé dada pela graça; V – Glória somente a Deus, a nada ou ninguém mais. b) Este sinal de pontuação pode ser usado para evitar o excesso de vígulas quando for preciso separar orações coordenadas que já possuem vírgulas: Ela não comentou nada, apenas olhou nos meus olhos, sentou-se ao meu lado; queria ficar comigo. Quando criança, roubava queimado; moço, roubava armado; agora, adulto, político formado. Vote em qualquer um; fique, depois, arrependido. c) Para separar antítese. Muitos querem; poucos podem. Uns mandam; outros trabalham. d) Para dar maior pausa a conjunções adversativas (mas, porém, contudo, todavia, entretanto, etc.) O time estava completo; porém, perdeu o jogo.
  26. 26. 26 10 - Vírgula (,) Quando utilizar a vírgula: 10.1 - Em estruturas específicas. a) Para separar os nomes dos locais de datas: Salvador, 11 de julho de 2009. b) Em correspondências, após a saudação. Atenciosamente, Com amor, 10.2 - A vírgula no interior da oração. a) Para separar termos com mesma função sintática: Há um partido ladrão, traidor e enganador. (vírgula separando predicativos) A criança brincou, correu, pulou e dormiu. (vírgula separando verbos.) b) Para separar o vocativo: Brasileiro, deixe de se orgulhar dessa sua "experteza". c) Para separar o aposto: O João, brasileiro típico, jogou seu lixo pela janela do carro. d) Após termos deslocados: 1. Complemento do verbo deslocado: Ela viu uma forte paixão naqueles olhos.
  27. 27. 27 Uma forte paixão, ela viu naqueles olhos. O complemento do verbo pode ser um objeto direto ou indireto. No exemplo acima, o verbo ver pede um complemento direto - quem vê, vê algo. Quando o complemento do verbo for deslocado, utilize vírgula. OBS: Nunca separe o sujeito do verbo nem o verbo de seu complemento na ordem direta: Ela, viu uma forte paixão naqueles olhos. (ERRADO) Ela viu, uma forte paixão naqueles olhos. (ERRADO) Ela viu, uma forte paixão, naqueles olhos. (ERRADO) 2. Antecipação de adjunto adverbial: Ela viu uma forte paixão naqueles olhos. Naqueles olhos, ela viu uma forte paixão. Ela viu, naqueles olhos, uma forte paixão. OBS: É facultativo o uso de vírgulas em adjuntos pequenos (no máximo três palavras curtas), pois podem prejudicar a linearidade do texto. Entretanto, quando presente, fornece ênfase: Infelizmente o juiz marcou pênalti. Infelizmente, o juiz marcou pênalti. (com ênfase) Lá em cima vimos o pênalti. (facultativa, adjunto curto) Sentados na arquibancada, vimos o pênalti. (obrigatória, adjunto longo) Na ordem direta, em geral, não se usa vírgula para separar o adjunto adverbial. Mas esta pode ser usada para fornercer ênfase, como em: Limpamos e cozinhamos todo santo dia. Limpamos e cozinhamos, todo santo dia. (com ênfase)
  28. 28. 28 e) Para separar conjunção, termo explicativo e termos que servem como conectivos. (mas, contudo, logo, por exemplo, ou seja, aliás, etc.) Nós viajaremos para Madrid, aliás, para Barcelona. f) Para indicar um elemento elíptico no período: Uma disse que era um urso, a outra disse que era um lobo. Uma disse que era um urso, a outra, que era um lobo. g) Quando um complemento pleonástico estiver antecipado. O presente, eviei-o por correio. (Objeto Direto Pleonástico) 10.3 A vírgula entre orações: a) Para separar oração intercalada. Nenhuma pesquisa, que saibamos, explorou tal assunto. Então publique um artigo, respondi prontamente. Obs.: Orações intercaladas (ou interferentes), são independentes e acrescentam esclarecimento, observação, ressalva, etc. Pode-se usar outro sinal de pontuação para realizar este isolamento: o travessão. b) Para separar o paralelismo de provérbios. Ladrão de tostão, ladrão de milhão. c) Para isolar elementos repetidos: Estou morto, morto de cansado. Eu vou ficar, ficar com certeza maluco beleza. A massa, a massa foi amassada.
  29. 29. 29 d) Em oração subordinada adjetiva: I. Explicativa – Ficam isoladas por vírgula. A cena do Hulk espancando o "deus" Loki, que ocorre no filme, é muito hilária. II. Restritiva – Proibido anteceder com vírgula. O Iron Man é o herói que mais me cativou no filme. e) Orações subordinadas substantivas são separadas por vírgula nos seguintes casos: I) Quando antepostas à principal. "É necessário que pensem rápido." (principal: É necessário) "Que pensem rápido, é necessário." II) Subordinada substantiva apositiva pode estar após dois pontos (comum) ou após vírgula. Há uma lei principal na vida: que devemos ser felizes. Há uma lei principal na vida, que devemos ser felizes. f) Subordinadas adverbiais: A pontuação obedece às mesmas regras dos adjuntos adverbiais: Tomará uma atitude quando mudar. Tomará uma atitude, quando mudar. (ênfase, facultativo) Quando mudar, tomará uma atitude. (deslocada, obrigatório) Tomará, quando mudar, uma atitude. (deslocada, obrigatório) g) Para separar orações coordenadas: I. Assindéticas (não ligadas por conectivos). Todos comeram, beberam, dividiram a conta, deu tudo certo.
  30. 30. 30 II. Sindéticas (ligadas por conectivos - a conjunção [e] é um caso a parte): Penso, logo desisto. A oração foi perfeita, pois Deus a conduziu. OBS0: No início de período , é facultativo usar vírgula após conjunção, exceto no caso do [mas]. Jamais vi um ovni. Portanto não acredito. Jamais vi um ovni. Portanto, não acredito. Jamais vi um ovni. Mas conheço quem viu. Jamais vi um ovni. Mas, conheço quem viu. (Errado) OBS1: Aditivas – Não são antecedidas por vírgula: conjunções [e, nem, ou, mas] com valor aditivo. Eu e ele vimos. Nem eu nem ele vimos. Não apenas eu mas também ele vimos. Não apenas eu, mas também ele vimos. (Errado) OBS2: Adversativas – Conjunções adversativas [mas, porém, contudo...] são antecedidas por vírgula. Ficam entre vírgulas apenas quando deslocadas ou seguidas de expressão intercalada. Comprarei, mas quero um desconto. Comprarei, mas, quero um desconto. (Errado) Comprarei; quero, porém, um desconto. (adversativa deslocada) Comprarei, mas, sem desconto, não pago à vista. OBS3: Alternativas – Conjunções [ora...ora, ou...ou] ficam separadas por vírgulas. Estava sempre ora trabalhando, ora estudando. Tenho que conseguir, ou serei um fracassado. OBS4: Conclusivas – Conjunções [logo, então, assim, portanto, pois] são antecedidas por vírgulas. São seguidas por vírgula apenas se houver termo
  31. 31. 31 deslocado. Quando o [pois] tem valor conclusivo, sempre deve estar entre vírgulas. Ele não se importa, logo é um insensível. Ele não se importa, logo, sem dúvidas, é um insensível. Não se importa, é, pois, um insensível. (pois com valor de portanto) OBS5: Explicativas – Conjunções [que, porque, porquanto, pois] são antecedidas por vírgula. Quando o [pois] tem valor explicativo, não é seguido por vírgula (exceção se houver termo ou oração deslocada). Tente sempre, porque você é capaz. Tente sempre, pois você é capaz. (pois com valor de porque) Tente, pois, quando chegar a hora, você conseguirá. A conjunção [e] geralmente não está acompanhada do uso da vírgula, mas existem exceções: I. Quando as orações possuem sujeitos diferentes. O silêncio engoliu o ego, e a escuridão engoliu o silêncio. Conheça (tu) a si e ao inimigo, e ninguém vencerá a ti. II. Quando houver repetição da conjunção (polissíndeto). E canta, e dança, e imita, e tudo faz. III. Quando possuir valor não aditivo: Treinou tanto, e foi reprovado. ( e com valor adversativo) Treinou tanto, mas foi reprovado. IV. Quando houver aposto, termo ou expressão deslocados ou intercalados, o e estará acompanhado por vírgula. O presidente, líder do Executivo da Banânia, e seus 40 ladrões afundaram o país. (aposto) O atacante cobrou o pênalti e, implacável, converteu. (adjunto deslocado) Tendo decidido, e nada mudaria tal decisão, desistiu. (oração intercalada)
  32. 32. 32 V. Quando necessário pausa respiratória. Neste caso, a vírgula tem valor entoativo, não sintático. A cidade de Salvador é uma das capitais que está localizada na região Nordeste do Brasil, e é também a capital cultural do país. Vírgula em Orações Reduzidas Em geral, nas orações reduzidas, o uso da vírgula obedecerá às regras acima. Ao estender a oração reduzida fica mais fácil saber qual regra aplicar. Nem sempre é possível realizar este procedimento, neste caso, basta analisar se a oração configura subordinação e qual tipo é (substantiva, adjetiva ou adverbial) e aplicar as regras para orações subordinadas descritas acima. I) Oração reduzida de gerúndio: Quando possuir valor de oração coordenada aditiva, deve estar isolada por vírgula. Liguei para o Palácio, tentando contactar o presidente. (valor aditivo) Liguei para o Palácio e tentei contactar o presidente. Jogando granadas, você matará aquelas aranhas. Caso jogue granadas, você matará aquelas aranhas. (Oração Subordinada Adverbial, regra 10.3f - deslocada) O monstro, guardando a entrada, foi obterado. O monstro, que guardava a entrada, foi obterado. (Oração Sub. Adjetiva Explicativa, regra 10.3d.I) II) Oração reduzida de particípio: A comida indicada pelo garçom estava ruim. A comida que o garçom indicou estava ruim. (Oração Sub. Adjetiva Restritiva, regra 10.3d.II - sem vígulas) A lista de comidas, descrita no cardápio, é ruim. A lista de comidas, que o cardápio descreve, é ruim. (Oração Sub. Adjetiva Explicativa, regra 10.3d.I) Terminadas as provas, todos passaram. Quando terminaram as provas, todos passaram. (Oração Sub. Adverbial, regra 10.3f)
  33. 33. 33 III) Oração reduzida de infinitivo: A vender tudo, ele está disposto. (Oração Sub. Substantiva, regra 10.3e.I - deslocada) Aquela, a dançar no palco, namorou comigo. Aquela, que dança no palco, namorou comigo. (Oração Sub. Adjetiva Explicativa, regra 10.3d.I) Fui um dos poucos a apreciar a dança. Fui um dos poucos que apreciou a dança. (Oração Sub. Adjetiva Restritiva, regra 10.3d.II - sem vírgulas) Vendi tudo para alimentar os pobres. Vendi tudo para que alimentasse os pobres. (Oração Sub. Adverbial, regra 10.3f - vírgula facultativa) Vendi, para alimentar os pobres, tudo. (Oração Sub. Adverbial, regra 10.3f - deslocada)
  34. 34. 34 03) Concordância Verbal Devemos ter cuidado em escrever os verbos das seguintes formas: a. Houve decisões favoráveis às minorais (Haver = existir: o haver fica no singular). b. Pode haver decisões favoráveis às minorias (o auxiliar é contaminado pela impessoalidade do verbo haver e fica no singular por isso). c. Trata-se de novos projetos de lei. (o verbo TRATAR-SE é impessoal e deve, por isso, não ser precedido de nenhuma palavra que pareça sujeito e deve ser empregado apenas no singular). d. Mantiveram-se os artigos polêmicos (=os artigos polêmicos foram mantidos – portanto, há plural). e. Precisa-se de revisões constantes. (como não é possível reescrever a frase, o verbo ficou no singular). f. A revisão da lei e do decreto ocorreu em meio à polêmica. (há uma revisão para os dois). g. A revisão da lei e a do decreto ocorreram em meio à polêmica. (notem que há dois artigos, o que indica sujeito composto que leva o verbo para o plural). Emprego de pronomes relativos só empregue ONDE, como relativo, se este pronome fizer menção a lugar físico. Exemplos: Foi em Brasília onde o grupo se reuniu. Foi na década de 80 onde [em que, quando] o Brasil conheceu seu rock urbano. É em Brasília aonde o grupo irá para fazer o protesto. [se há verbo de movimento e ideia de lugar físico, empregamos AONDE]. Regência Verbal Exemplos: As pessoas visam a um país melhor. As pessoas visam ter um país melhor. (seguido de verbo, não há preposição A). sição.
  35. 35. 35 Exemplo: A reforma implicou descontentamento. Exemplo: Motoristas não obedecem às Leis de Trânsito. Emprego da Crase Exemplo: a partir desta ideia, definiremos os termos. tes de masculino. Exemplo: tudo será divulgado a prazo. “toda”, “uma” etc.). Exemplo: a cada ano, diminuem os recursos naturais. inos: esta, essa, ela. Exemplo: dia a dia, face a face etc. definido feminino também flexionado no plural. Exemplos: Não vou a festas./Não vou às festas. 10 medida que, às vezes, à vista, à proporção que, à direita, à luz de etc. Uso da vírgula e de outras pontuações ra separar adjunto adverbial descolado (início ou meio da frase). Exemplos: No Brasil, ainda há muita tolerância em relação à corrupção.
  36. 36. 36 Não sabemos, no Brasil, fazer uso do voto. quando estes forem oração subordinadas adverbiais reduzidas. Exemplos: O MP entrará com uma ação, objetivando corrigir o desvio legal. O MP entrará com uma ação. Objetivando corrigir o desvio legal. [erro] a conjunção explicativa. Exemplo: É preciso conciliar a manutenção da justiça social com os direitos humanos, pois um implica a construção do outro. [correto]. Exemplos: Na política há um conflito que envolve o interesse dos defensores das minores, a questão agrária, e a contrapartida dos evangélicos. [errado] Na política há um conflito que envolve o interesse dos defensores das minores, a questão agrária e a contrapartida dos evangélicos. [correto] Exemplo: Há diversos atores que fiscalizam o uso dos recursos naturais, como, por exemplo, o Ibama. Exemplos: Há diversos atores que fiscalizam o uso dos recursos naturais, como: o Ibama. [errado] Há diversos atores que fiscalizam o uso dos recursos naturais, como os seguintes: o Ibama e a Polícia Federal.[correto] s. Exemplo: Banco do Brasil (BB).
  37. 37. 37 FALHAS TEXTUAIS Emprego de pronomes demonstrativos os mais empregados numa dissertação. a também podem resgatar o que já se passou, mas devem se referir pontualmente a substantivos, não a ideias. Exemplos: a.O Banco do Brasil está financiando imóveis do programa Minha Casa Minha Vida. Isso ajudará milhões de família a conseguirem comprar seu primeiro imóvel. b. O Banco do Brasil está financiando imóveis do programa Minha Casa Minha Vida. Este ajudará milhões de família a conseguirem comprar seu primeiro imóvel. Uso de conjunções – não é conjunção causal!!!) medida em que = porque e é diferente de à medida que. errar o uso de uma conjunção e perder pontos até mesmo na coerência entre as ideais. Vocabulário mpregado somente quando se quer destacar, diferenciar algo. Em provas, é melhor empregá-lo apenas quando houver uso do verbo DESTACAR. Em outros casos, melhor será o uso de ENTRE. -SE = como é de uso muito restrito, deve-se investir em outro verbo para evitar complicações. atravessar meio físico. No entanto, ele pode ser empregado livremente, quando já se usou “por meio de” na redação.
  38. 38. 38 egar aspas sobre coisa. De preferência, não é recomendável trabalhar com isso. -SE, PORTANTO,... = ou se usa a conjunção conclusiva ou o verbo concluir. aísmos e devem ser evitados. deve ficar em segundo plano. É bom dar preferência ao sentido real, objetivo e claro do que se escreve. Portanto, o emprego de vocabulário simples é a melhor resposta ao tecnicismo vazio. 04) Pronome relativo ↑ Sumário (coesivo, anafórico, antecedente, relação de sentido, cadeias remissivas, concordância. QUE  A QUAL, O QUAL (depende do elemento anafórico retomado e sentido da frase , observar a concordância do verbo Em uma situação... (situação é tempo) Em janeiro... (janeiro é tempo) No casamento (local da festalugar / no período do casamento  tempo) Em uma sociedade na qual se avaliam homens e mulheres, tudo é possível.(Dentro da sociedade, só não é um local geográfico normal ,lugar) o que não é lugar tempo, situação ***CESPE cobra: Sociedade, internet, Constituição...==> como lugar. ( V ) Seria possível (...) substituir a expressão “na qual” por “onde”.  Onde é só para lugar, no entanto, o CESPE tem uma visão ampla do que seja lugar. Mantendo-se a coerência e a correção gramatical do texto, o trecho “em que se situam esses princípios fundamentais” (R.18) poderia ser substituído por aonde se situam esses princípios fundamentais. JUSTIFICATIVA – A substituição de em que por aonde prejudica a correção gramatical do texto. **A TROCA POR “ONDE” ESTARIA CORRETA.** Os verbos que devem ser utilizados ao lado da palavra “onde” ou no contexto em que esse termo aparece são os que indicam estado ou permanência.
  39. 39. 39 Aonde é um advérbio, entretanto não deve ser utilizado quando a ideia for de lugar, no sentido de localização, mas quando transmitir a ideia de movimento. Portanto, preste atenção aos verbos, pois os que indicam movimento, tais como: ir, chegar, dirigir, entre outros, pedem o uso de “aonde”.  O pronome cujo é usado para indicar posse e não possui sinônimo perfeito. Os cidadãos a cujos princípios se fez alusão estiveram lá. As quais REGRA 1 ( especificam os antecedentes) O Brasil é uma nação que (NAÇÃO) investe em turismo. A maioria das pessoas que obtém ((v. sing.) retoma MAIORIA) média em provas. Jovens escolarizados (suprimindo-se a palavra escolarizados o “QUE” retoma jovens e crianças) e crianças que ( quem não teve acesso à educação? Crianças ) não tiveram acesso à educação formal têm os mesmos direitos. REGRA 2 (sentido restritivo) Os trabalhadores brasileiros, que são mal remunerados, precisam se qualificar mais. OR. Adj. EXPLICATIVA ( entre vírgulas, visão generalista, retirada vírgula muda sentido) UM SÓ / TODOS (explica  caracteriza) OR. RESTRITIVA ( sem vírgulas, refere-se A uma parte de um conjunto maior) UM DOS / ALGUNS DOS. (especificarestringe, limita) A oração o termo “homem”... O Canadá, que é um país frio, recebe muitos turistas. ( A retirada das vírgulas implicaria em incoerência textual e erro de pontuação , caso obrigatório no uso das vírgulas) O tiro, que acertou o rapaz, saiu da arma de um policial. ((Com vírgulas houve somente um tiro) sem as vírgulas houve mais tiros e um deles acertou o rapaz) Vírgula Facultativo quando não tem mudança de sentido *Nas OR. ADJ. A vírgula nunca será facultativa. A decisão, tomada pelo governo, gerou polêmica. (pode ser trocada por “, que o governo tomou,”)
  40. 40. 40 REGRA 3 (concordância verbal) As coisas em que as pessoas acreditam ( quem acredita acredita em) podem ser fantasiosas. A reunião em que o governo compareceu foi produtiva (que compareceu compareceu a  a que ou à qual O local onde chegaram parecia deserto. (quem chega chega a  aonde REGRA 4 (QUE / QUEM com prep.. monossílabo) A pessoa da qual falávamos estava no local. Sobre quem (pode ser sobre a qual ou de quem) Os pronomes “QUE, QUEM só podem ser acompanhados por preposição mono silábica  com uma silaba. Em caso com preposição com mais de uma sílaba, use “O QUAL e variações” REGRA 5 A pessoa a quem conheci merece respeito. (a preposição a foi exigida pelo pronome quem, qdo seguido de VTD, para melhorar a sonoridade da frase ajuste fonético. A pessoa a quem fiz alusão esteve no local. (“a” exigido do VTI alusão. REGRA 6 “QUEM”PESSOAS / ENTES PERSONIFICADOS A Justiça(termo personificado), a quem o cidadão comum recorre, está à sua disposição. (“a” regido pelo verbo recorrer) REGRA 7 “ONDE” LUGAR (LOCAL GEOGRÁFICO) Sociedade, internet, constituição ... ONDE EM QUE sempre pode EM QUE  ONDE nem sempre pode ser trocado (pode ser tempo ou lugar) Em uma sociedade (onde ou em que) todos têm acesso à cultura, tudo caminha bem Na semana (em que ou na qual) (não pode ser usado “onde“ sentido de tempo e não de lugar) eles assinaram o acordo, algo ocorreu.
  41. 41. 41 REGRA 8 ONDEEM (local fixo) Estar, permanecer, morar, continuar, residir, assistir AONDEA (movimento Chegar, comparecer, retornar, ir, voltar O local (onde / em que)ela chegou. (aonde, ao qual, a que) REGRA 9 CUJO E VARIAÇÕES - Indicam posse -Vêm entre dois substantivos -Referem-se a um antecedente -Não admitem posposição de artigo -Não apresentam sinônimo perfeito. (NÃO pode ser trocado por DAS QUAIS, DE QUE, DE ONDE) só com devidas alterações) A criação do imposto cuja decretação ocorreu ontem levou anos. CUJA * evita a repetição da expressão “ criação de imposto” (F “imposto”) * pode ser substituído por a qual (F não pode ser substituído por nenhum outro pronome relativo) * pode ser substituído por cujo a (F não pode ser posposto por artigo) * indica posse e tem como referente o termo “imposto” (C) * introduz uma informação de natureza explicativa (F não há vírgula ,logo, natureza restritiva, indica possessiva) O rapaz de cujas ( retoma rapaz e concorda com decisões)decisões duvidamos foi questionado. REGRA 10 O QUAL E VARIAÇÕES - podem ser usados para coisas, pessoas ou lugares. - o artigo faz parte do pronome - o pronome concorda sempre com o antecedente que ele substitui -admite contração ou combinação da preposição ao artigo O homem a qual me refiro está lá. ( ao qual concorda com “homem”) A pessoa a qual me refiro estava lá. (à qual quem se refere se refere “a”) A pessoa da qual gostava estava lá.(quem gosta gosta de)
  42. 42. 42 REGRA 11 COMO só é pronome relativo depois de modo, maneira, forma, jeito... A maneira como o ser humano age diz muito de sua natureza. (restritivo) que REGRA 12 QUANTOsó é pronome relativo depois de tudo, nada, isso, aquilo Tudo quanto queremos é possível. (restritivo) que AMBIGUIDADE A situação da moça sobre a qual falávamos é considerada delicada. Rapaz ( a qual , da qual) - a frase apresentada, fora de contexto, é ambígua, pois o pronome “a qual” pode, em termos gramaticais, se referir a qualquer um dos antecedentes. *pronominal  dupla referenciação O professor deseja apenas que o aluno entenda seu texto. *vocabularpolissemia “Respeito as casadas como as solteiras” *estrutural formulação do período “Ele viu o incêndio do prédio.” Cespe  se há ambiguidade  intenciona (recurso expressivo)correção USO DE O / LHE O, A OS,AS (E VARIAÇÕES)  m, til  no, na, nos, nas  r/s/z corta-se o consoante final  lo, la, los, las Pronome com Função de sujeito Caso: DEFAMAVOS + PRONOME + V. INFINITIVO Verbos Causativos: deixar, fazer, mandar.
  43. 43. 43 Sensitivos: Ver, ouvir, sentir. ** O pronome será sempre suj. do infinitivo. Verbo (defamavos) + pron. (suj.) + v. infinitivo (eu) Mandei-o (suj. do verbo ficar) ficar aqui. Não o (suj. entrar) vi(VTD) entrar em casa.OD (Eu) Mandei o rapaz entrar. Mandei os rapazes entrarem. Mandei que o rapaz entre. (Eu) ... ele .... (Eu) ... lhe .... (Eu) ... o .... LHE, LHES  A ELE(S) / A ELA(S)  SUBSTITUEM TERMOS COM PREPOSIÇÃO Sem prejuízo do sentido ou da correção gramatical do texto. Eis a razão por que (pela qual) a matéria/ (de) que eram compostos os seus mundos imaginados (Os seus mundos imaginários eram compostos “de” matéria / era toda de riso.
  44. 44. 44 05) Colocação Pronominal ↑ Sumário  Ela reconheceu-me.(VTD)  Ela obedeceu-me. (VTI)  Ela reconheceu a mim.  Ela obedeceu a mim. Quando o verbo exigir outra preposição, que não a a, somente se usam os pronomes oblíquos tônicos:  Ela gosta de mim.  Ela mentiu perante mim.  Ela faz tudo por mim. “No entanto, foi somente depois da Segunda Guerra Mundial que a afirmação da cidadania se completou”: Mas, apenas depois da Segunda Guerra Mundial é que a cidadania solidificou-se.  “que a cidadania solidificou-se”. (que palavra atrativa , mesmo que haja outras palavras entre o “que” e o verbo, recomenda-se que se coloque na próclise.) Locuções verbais formadas por auxiliar mais infinitivo: 3.6.1 Não havendo atração, o pronome fica depois do auxiliar ou do infinitivo. Ex.: quero te provar algo ou quero provar-te algo – o juiz deve se ater ao pedido ou o juiz deve ater-se ao pedido. 3.6.2 Havendo atração, o pronome fica antes do auxiliar ou depois do infinitivo. Ex.: não te quero provar algo ou não quero proManual de Redação do Ministério Público do Estado de Goiás 107 var-te algo – o juiz não se deve ater ao que disse ou o juiz não deve ater-se ao que disse. 3.7 Locuções verbais formadas por auxiliar mais preposição e infinitivo: 3.7.1 Não havendo atração, o pronome fica depois da preposição ou do infinitivo. Ex.: deixou de o avisar ou deixou de avisá-lo. 3.7.2 Havendo atração, o pronome fica antes do auxiliar ou depois
  45. 45. 45 do infinitivo. Ex.: não o deixou de avisar ou não deixou de avisá-lo. 3.8 Locuções verbais formadas por auxiliar mais gerúndio: 3.8.1 Não havendo atração, o pronome fica depois do auxiliar ou do gerúndio. Ex.: vinha se queixando ou vinha queixando-se. 2.8.2 Havendo atração, o pronome fica apenas antes do auxiliar. Ex.: não se vinha queixando. 3.9 Locuções verbais formadas por auxiliar mais particípio: 3.9.1 Não havendo atração, o pronome fica antes ou depois do auxiliar. Ex.: a médica lhe havia recomendado descanso ou a médica havia lhe recomendado descanso. 3.9.2 Havendo atração, o pronome fica apenas antes do auxiliar. Ex.: a médica não lhe havia recomendado descanso. Observação: não se admitem construções em que o pronome átono se posicione depois do particípio. Ex.: use o chefe lhe havia dito ou o chefe havia lhe dito no lugar de o chefe havia dito-lhe. CESPE  cobrou como loc. Verbal Verbos Auxiliares: Ter, haver, voltar, começar, ser, estar, poder, dever, ir, continuar,... 1. (V ) PODE-SE RESOLVER O PROBLEMA DE OUTRA FORMA. Seria possível, mantendo-se o sentido e a correção gramatical, retirar o hífen da forma “Pode-se”, mas isso implicaria mudança na posição do pronome. Enclise do auxiliar “pode” Se tirar hífen torna-se próclise do verbo “resolver”, então, muda de posição e é possível eliminar na norma culta. Casos Com O Verbo “PODER E DEVER” (FCC) Pode (V. Aux.)-se (PA) resolver (VTD) conflitos (Suj.). CESPE Podem (VTD)-se(PA) resolver conflitos(Suj. Oracional). (pouco cobrado como suj. oracional) Deve-se (PA) discutir(VTD) os prazos. (Suj.). CESPE Devem (VTD)-se (PA) discutir os prazos (Suj. Oracional). (pouco cobrado como suj. oracional) 2. (V) O rapaz (se) lembra-se de outro fato.
  46. 46. 46 Seria possível, (...) colocar o pronome “-se” em outra posição. ESQUEMA DE COLOCAÇÃO PRONOMINAL PRON OBLIQUOS ATONOSme, te, se, nos, vos, Lhe, lhes O, a, os, as, (variações)  Próclise Não me disse a verdade  Mesóclise Dar-me-á a verdade  Ênclise Contou-me a verdade. CASOS PROIBIDOS DE COLOCAÇÃO 1. Inicio de frase (Se) Discutiu-se a proposta do político. Se concentravam(-se) nas tarefas domésticas. (típica da oralidade) 2. Depois de particípio ado, ido, do, to, go, so... Tinha se expressado (-se) com clareza. 3. Depois do futuro do indicativo  Futuro do Presente -rei, rás, rá -remos, reis, rão  Futuro do Pretérito -ria, rias, ria -ríamos, ríeis, riam (se) Contar-se-ia (-se) o caso de outra maneira. (se) Encontrar-se-ão (-se) tais produtos em outros países. Obs.: 1. Com infinitivos impessoais, a colocação será sempre facultativa. *Pediu para me ajudar(-me) hoje. **Cai muito na Cespe** Se o encontrar na cidade, dê-lhe nas tarefas. (a conjunção “Se”(caso) inicial indica que o verbo está conjugado no futuro do subjuntivo, logo este verbo não está no infinitivo.) CAP-QUE (Conjunção “Se” atrai a preposição caso de próclise obrigatório.)
  47. 47. 47 Começou a ajudá-la nas tarefas. (o verbo está no infinitivo, mas a construção “a a ajudar” não se craseia preposição com pronome obliquo , logo é um caso proibido, única construção possível é “ajudá-la”(ajudar a). Começou a ajudar-me nas tarefas. (A construção é possível “a me ajudar” preposição “a” + pronome obliquo “me”.) 2. Se não houver palavra atrativa a colocação será sempre facultativa. O governo (-se) (facultativo) comprometer-se-ia (-se) (proibido)com o caso. A moça se mostrou (-se)(facultativo) uma pessoa responsável. Os homens se contentam(-se)(facultativo) com pouco. A humanidade se esqueceria (-se) (proibido)do fato. (Pode haver mesóclise) Nunca nos esqueceremos (-se) (proibido)do fato. (caso de Próclise com palavra atrativa) CASOS DE PRÓCLISE OBRIGATÓRIA (ATRAÇÃO SÓ ANTES só se for a 1ª vista) CAP- QUE EM GERUNDIO –Próclise 1. Palavra de sentido negativo não, nunca, nem, jamais, nada, coisa alguma ”se”, nenhuma Coisa alguma se divulga aqui. 2. Conjunções subordinativas(se, como, quando, quanto, enquanto, caso, que) 3. Pronomes relativo (que, cujo, o qual,...) 4. Advérbios curtos sem vírgulas ( hoje, já, ainda, ontem, agora,... ) 5. Gerúndio precedido de “em” Em se tratando de Brasil, tudo é possível. A moça se convenceu(-se)(facultativo) hoje do fato. (ATRAÇÃO SÓ ANTES só se for a 1ª vista) CASOS DE MESÓCLISE 1. A mesóclise só poderá ser empregado se não tiver caso de próclise. 2. A mesóclise só pode ser usada com verbos nos Futuros do indicativo. 3. A mesóclise só será obrigatória no Futuro, iniciar o período.
  48. 48. 48 4. Se não houver caso de próclise nem mesóclise, as duas colocações serão aceitas. (facultativo) O governo se manifestar(-se-)á (futuro do ind.)(facultativo) acerca do ocorrido. Faria-se um acordo entre as partes.(Não pode ter próclise, mas é caso de mesóclise, logo, ênclise proibido) “Far-se-ia” CASOS DE ÊNCLISE  obrigatória qdo Próclise proibido. (ênclise proibido com futuro) Dê-me outra chance. (Próclise proibido) Tratando-se do tema, o problema foi resolvido. (Próclise proibido) Em se tratando....(outra possibilidade) COLOCAÇÕES EM LOCUÇÕES VERBAIS Verbos Auxiliares: Ter, haver, voltar, começar, ser, estar, poder, dever, ir, continuar,... 1 V aux. 2 + 3 V principal 4  forma nominal (gerúndio, particípio, infinitivo) O governo 1se pode 2-se 3se manifestar 4se sobre o fato. Ninguém 1se pode 2-se (ênclise proibido, caso de próclise obrigatório com palavra negativa) 3se manifestar 4-se sobre o fato. O governo 1se tinha2-se 3se manifestado 4-se (ênclise proibido, com particípio no verbo principal) sobre o fato. Assim que 1se pôde 2-se 3se vingar 4-se da ofensa sofrida ...  Verbos precedidos das conjunções coordenativas não só... mas também, quer... quer, já... já, ou... ou, ora... ora. Exemplo: Não só me trouxe a encomenda, mas também me ofereceu um presente./ Quer se retire, quer se acomode.../ Ou se afasta ou se enquadra nas normas./ Ora se irrita, ora se mostra alegre. OBS.: As conjunções coordenativas e, mas, porém, todavia, contudo e portanto não atraem o verbo.  Com as formas verbais proparoxítonas. Exemplo: Nós lhe perdoaríamos a desfeita./ Nós o teríamos feito./ Nós nos derramávamos em elogios.
  49. 49. 49 CASOS DE ÊNCLISE  obrigatória qdo Próclise proibido. (ênclise proibido com futuro) O governo se manifestar(-se-)á (futuro do ind.)(facultativo) acerca do ocorrido. Faria-se um acordo entre as partes.(Não pode ter próclise, mas é caso de mesóclise, logo, ênclise proibido) “Far-se-ia” Dê-me outra chance. (Próclise proibido) Tratando-se do tema, o problema foi resolvido. (Próclise proibido) Em se tratando....(outra possibilidade) 06) Orações ↑ Sumário CESPE – AULA ORAÇÕES REDUZIDAS  As orações reduzidas são, por estrutura subordinadas, mas podem aparecer coordenadas entre si.  Não apresentam conector e o verbo deve, obrigatoriamente, estar em uma forma nominal (gerúndio , infinitivo ou particípio).  Para desenvolver uma oração reduzida, basta inserir conector e conjugar o verbo. A decisão tomada pelo juiz agradou a todos. Que foi tomada pelo juiz (que o juiz tomou) voz ativa A considerar os fatos, teria outro tipo de atitude. A + condição  (se) Se considerasse os fatos, teria outro... Ao entrar no local do evento, verificou o que estava acontecendo. Ao quando (ver conjugação do verbo) Quando entrou no local do evento, verificou ... O VERBO DA ORAÇÃO PRINCIPAL SERVE COMO REFERÊNCIA PARA CONJUGAÇÃO DA ORAÇÃO SUBORDINADA. Correlação fixas de infinitivo A + inf.==> condição  se/ caso Ao + inf  tempo quando
  50. 50. 50 Por + inf  causa  Porque Apesar de + inf  concessão  embora Afim de / Para  finalidade  a fim de que / para que Ao retornarem á base do país, perceberam quais seriam os problemas. ( F ) Seria possível (...), substituir a expressão “ao retornarem” por “quando retornarem” Quando retornaram... (tempo verbal) verifique sempre a concordância e conjugação do verbo depende da OP – oração principal - ) O vocábulo “caso” usado como uma condicional Gramática Formas verbais específicas são aplicadas ao vocábulo “caso” usado como uma condicional. PUBLICIDADE A começar pela ilustração que abre o artigo, convido você, caro (a) usuário (a), a observar ambas as colocações, uma vez expressas por: CASO EU FOR...* CASO EU VÁ... Analisemos juntos dois aspectos preponderantes na questão que se evidencia: o primeiro deles se refere ao vocábulo “caso”, ora retratado por um substantivo, mas que pode ser também aplicado com valor de conjunção, cuja noção se revela pelo aspecto condicional. Em se tratando desse mesmo aspecto, lembramo-nos naturalmente da conjunção “se”, básica, por excelência. Dessa forma, analisemos os enunciados que seguem, cujos discursos se manifestam tanto pelo uso da conjunção “se”, como da conjunção “caso”: Se eu for ao cinema, avisarei com antecedência. Caso eu vá ao cinema, avisarei com antecedência. Ratificando, ambas as conjunções revelam uma noção hipotética, um fato provável, ou seja, tanto pode ser que ele se realize, quanto pode ser que não. Dessa forma, nosso intento é fazer com que você compreenda e perceba que as formas verbais foram aplicadas de maneiras distintas, tendo em vista a conjunção utilizada.
  51. 51. 51 Nesse sentido, cabe afirmar que se trata de tempos inerentes ao modo subjuntivo, mas diferentes, aplicáveis a casos particulares, respectivamente demarcados pelo futuro do subjuntivo (se eu for) e presente do subjuntivo (caso eu vá) A encontrar (se encontrar ) uma solução para o fato, mudará de atitude. (caso encontre)  caso não admite o modo subjuntivo Ao reconquistar sua liberdade, mudará de atitude. Quando reconquistar Por terem pouco juízo, os adolescentes sofrem mais. Porque têm pouco... Apesar de ser um país rico, o Brasil oferece poucos empregos. Embora seja um país rico,... (presente do subjuntivo) Para ele estudar, a mãe fez de tudo. Para que ele estudasse,... Possibilidade Semânticas do Gerúndio CESPE cobra (causa / condição/tempo) Estudando muito, ela conseguiu realizar seu sonho. Causa Como estudou muito,... Já que estudou muito, ... Estudando muito, ela conseguiria realizar seu sonho. Condição/ possibilidade Se estudasse muito,... Caso estudasse muito,...
  52. 52. 52 Chegando ao local do evento, resolveu as pendências. Tempo  Quando chegou ao local... Ela saiu correndo pela casa. a correr NGB (não considera como modo) é uma locução verbal (saiu correndo) Modo  (se não tiver outra nomenclatura deve-se classificar como modo) CESPE valor do gerúndio --modo • Orações Reduzidas de Infinitivo: *Infinitivo: terminações –ar, -er, -ir. O infinitivo também pode vir conjugado, sendo chamado “infinitivo pessoal”. Reduzida: É preciso comer frutas e legumes. Desenvolvida: É preciso que se coma frutas e legumes. (Oração Subordinada Substantiva Subjetiva) Reduzida: O vendedor afirmou ser de qualidade a mercadoria. Desenvolvida: O vendedor afirmou que era de qualidade mercadoria. (Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta) Reduzida: Não gosto de você sair sozinho. Desenvolvida: Não gosto de que você saia sozinho. (Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta) Reduzida: Meu desejo era ganhar uma viagem. Desenvolvida: Meu desejo era que eu ganhasse uma viagem. (Oração Subordinada Substantiva Predicativa) Reduzida: Tenho esperança de não haver fome no futuro. Desenvolvida: Tenho esperança de que não haja fome no futuro. (Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal) Reduzida: Decidiram o seguinte: comemorarem juntos o Ano Novo. Desenvolvida: Decidiram o seguinte: que comemorarão juntos o Ano Novo. (Oração Subordinada Substantiva Apositiva) Reduzida: Ela foi a única a apreciar o show. Desenvolvida: Ela foi a única que apreciou o show. (Oração Subordinada Adjetiva Restritiva)
  53. 53. 53 Reduzida: Fiz as mudanças necessárias ao voltar das férias. Desenvolvida: Fiz as mudanças necessárias quando voltei das férias. (Oração Subordinada Substantiva Adverbial Temporal) Reduzida: Se estudar será recompensado. Desenvolvida: Caso estude será recompensado. (Oração Subordinada Substantiva Adverbial Condicional). Reduzida: Por ficar doente, não fui trabalhar. Desenvolvida: Porque fiquei doente, não fui trabalhar. (Oração Subordinada Substantiva Adverbial Causal). • Orações Reduzidas de Particípio: *Particípio: terminações –ado, -ido. Reduzida: Temos apenas um filho, criado com muito amor. Desenvolvida: Temos apenas um filho, que criamos com muito amor. (Oração Subordinada Adjetiva Explicativa) Reduzida: A criança sequestrada foi resgatada. Desenvolvida: A criança que sequestraram foi resgatada. (Oração Subordinada Adjetiva Restritiva) Reduzida: Ferido, não foi escalado para a partida. Desenvolvida: Porque se feriu, não foi escalado para a partida. (Oração Subordinada Adverbial Causal) Reduzida: Cumpridas as exigências, serão dispensados. Desenvolvida: Se cumprirem as exigências, serão dispensados. (Oração Subordinada Adverbial Condicional) Reduzida: Rimos muito depois de passado tudo. Desenvolvida: Rimos muito depois que tudo passou. (Oração Subordinada Adverbial Temporal) Orações Reduzidas de Gerúndio: Gerúndio: terminação –ndo. Reduzida: Emocionei-me com a criança cantando. Desenvolvida: Emocionei-me com a criança que cantava. (Oração Subordinada Adjetiva Restritiva) Reduzida: O garoto, desafiando as autoridades, não cumpriu com as determinações do juiz.
  54. 54. 54 Desenvolvida: O garoto, que desafiou as autoridades, não cumpriu com as determinações do juiz. (Oração Subordinada Adjetiva Explicativa) Reduzida: Não enviando o relátorio a tempo, perdeu a bolsa de estudos. Desenvolvida: Porque não enviou o relatório a tempo, perdeu a bolsa de estudos. (Oração Subordinada Adverbial Causal) Reduzida: Mesmo fazendo de tudo, não consegui convencê-la a voltar. Desenvolvida: Mesmo que eu tenha feito de tudo, não consegui convencê-la a voltar. (Oração Subordinada Adverbial Concessiva) Reduzida: Respeitando as normas, não terão problemas. Desenvolvida: Desde que respeitem as normas, não terão problemas. (Oração Subordinada Adverbial Condicional) O fiscal verificou se (conj. Integrante) todos os dados estavam corretos.. Tente examinar todos quantos (pron relativo)OS QUAIS) comparecerem ao consultório. OR. SUB. ADJ. RESTRITIVA Toda oração subordinada adjetiva (explicativa ou restritiva) exerce apenas uma função sintática: adjunto adnominal. EM QUE ONDE ( GEOGRÁFICO) a sociedade (no lugar) (em que)onde nos encontramos merece outras referências. ONDE quando podemos colocar ou tirar (TODO LOCAL EM QUE PODE SE ESTAR) SOCIEDADE, CONSTITUIÇÃO, INTERNET A QUE À QUAL “QUE” RETOMA TERMO ANAFÓRICO (retoma de acordo com o sentido) Homens e mulheres, que (quem sempre foram vítimas de preconceitoAS MULHERES) sempre foram vítimas de preconceito no mercado de trabalho. CUJO O. S. A. EXPLICATIVA
  55. 55. 55 A moça, cuja mãe é deputada, encantou a todos Nas orações Antipatizei com o rapaz. Você conhece a namorada do rapaz, o substantivo repetido rapaz possui namorada. Deveremos, então, usar o pronome relativo cujo, que será colocado entre o possuidor e o possuído: Algo de alguém = Alguém cujo algo. Então, a namorada do rapaz = o rapaz cujo a namorada. Não se pode, porém, usar artigo definido (o, a, os, as) depois de cujo. Ele deverá contrair-se com o pronome, ficando assim: cujo + o = cujo; cujo + a = cuja; cujo + os = cujos; cujo + as = cujas. Então a frase ficará o rapaz cuja namorada. Somando as duas orações: Antipatizei com o rapaz cuja namorada você conhece.
  56. 56. 56 07) Conectores ↑ Sumário DICAS PARA DECORAR Tanto, tudo (coordenadas)  Adversativa: entretanto, contudo.  Conclusivas: portanto  Explicativas: porquanto (imperativo + 2ª oração) Quanto (Subordinadas)  Causais: porquanto. (Causa e consequência)  Concessiva: conquanto.  COMPARATIVAS: tanto quanto  Temporal: enquanto. Pois (Coordenadas)  Conclusiva (deslocado, ENTRE VÍRGULAS)  Explicativa 1º(causa) imperativo 2º explicação (consequência) (QUE, PORQUE, POIS, PORQUANTO)  Causal (subordinada) 1º na causa Porque (Coordenada explicativa)  Verbo no imperativo  Conectivo 2ª oração, 2º ato da oração Porque (Subordinada causal)  Conectivo 1º ato causa e consequência na 2ª oração CAUSA: PORQUE? JA, POIS! UMA VEZ VISTO DADO SENDO NA MEDIDA QUE. CONCESSIVA: EMBORA CON (quanto) POSTO, NEM MAL (grado) MESMO AINDA BEM, APESAR DE SE BEM EM QUE (PESE)
  57. 57. 57 CONDICIONAL: SE CASO CONTANTO UMA VEZ ME SALVO AO MENOS DESDE QUE EXCETO A NÃO SER QUE CONSECUTIVA: Tesão QUE, SORTE (toda) DE FORMA, MANEIRA, E MODO QUE COMPARATIVA : Tesão QUAL COMO TANTO QUANTO PROPORÇÃO: À MEDIDA QUE Brigam muito: querem o divórcio. Brigam muito, por isso querem o divórcio, 1. É usual “ : ” entre orações coordenadas sem conector. 2. Os dois pontos entre as orações coordenadas, normalmente marcam relação de explicação ou conclusão. CONJUNÇÃO COORDENATIVAS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES ADITIVAS 1 E, NEM, NÃO SÓ...MAS TAMBÉM ADVERSATIVAS 2 MAS, ENTRETANTO, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, E (=MAS), NO ENTANTO ALTERNATIVAS (demais vírgula obrigatória) 3 OU (vírgula facultativa), ORA...ORA, OU...OU, NEM...NEM, QUER...QUER, SEJA...SEJA CONCLUSIVAS 4 POIS (deslocado, entre vírgulas), LOGO, PORTANTO, POR CONSEGUINTE, POR ISSO, ASSIM EXPLICATIVAS QUE, 5 PORQUE, POIS, PORQUANTO (geralmente o verbo da primeira está no imperativo) O subjuntivo na oração subordinada pode também denotar causa, concessão, finalidade, referência temporal, condição e consequência. VERBOS NO MODO SUBJUNTIVO VERBOS NO MODO INDICATIVO
  58. 58. 58 SUBORDINATIVAS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES 1. INTEGRANTES QUE / SE (=ISSO) ADVERBIAIS CAUSAIS  já que PORQUE, COMO (=PORQUE), POIS, JÁ QUE, UMA VEZ QUE, desde que, PORQUANTO, POIS QUE, POR ISSO QUE, VISTO QUE, VISTO COMO, QUE CONDICIONAIS  se, caso SE, CASO, SEM QUE (=SE NÃO), UMA VEZ QUE, desde que, CONTANTO, SALVO SE, DADO QUE, DESDE QUE, A MENOS QUE, A NÃO SER QUE CONCESSIVAS  ainda que EMBORA, MESMO QUE, AINDA QUE, CONQUANTO, POSTO QUE, BEM QUE, SE BEM QUE, POR MAIS QUE, POR MENOS QUE, APESAR DE QUE, NEM QUE, QUE (=EMBORA) COMPARATIVAS tanto quanto COMO, QUE (DO QUE) - DEPOIS DE MAIS, MENOS, MAIOR, MENOR, MELHOR E PIOR-, QUANTO (DEPOIS DE TANTO), QUAL (DEPOIS DE TAL), ASSIM COMO, BEM COMO, COMO SE, QUE NEM CONSECUTIVAS  tanto que (vírgula facultativa qdo depois da oração principal) QUE (PRECEDIDA DE TÃO, TAL, TAMANHO, TANTO), DE FORMA QUE, DE MANEIRA QUE, DE MODO QUE, DE SORTE QUE CONFORMATIVAS conforme CONFORME, COMO (= CONFORME), SEGUNDO, CONSOANTE FINAIS  para que PARA QUE, A FIM DE QUE, PORQUE (= PARA QUE)
  59. 59. 59 TEMPORAIS  desde que QUANDO, ANTES QUE, DEPOIS QUE, ATÉ QUE, LOGO QUE, SEMPRE QUE, ASSIM QUE, DESDE QUE, TODAS AS VEZES QUE, CADA VEZ QUE, APENAS, MAL, QUE (= DESDE QUE), ENQUANTO PROPORCIONAIS  à medida que À MEDIDA QUE, AO PASSO QUE, À PROPORÇÃO QUE Quando  tempo Se condição , mas muda o sentido Quando encontrar recursos para o projeto, volte a apresentá-la ( V ) Seria possível, do ponto de vista gramatical, substituir o conector “Quando” pelo conector “SE” sem comprometimento do sentido do texto e da coerência textual (diferente De manter o sentido do período da frase).(o conector pode ser trocado gramaticalmente, mas teremos uma mudança de sentido .) 1. Observar se o CESPE pede gramaticalmente ou sentido do texto), é possível que haja mudança de sentido no período que não afete de modo significativa o texto (sentido do texto). 2. Há conectores que são sinônimos do ponto de vista semântico, mas não se ajustam gramaticalmente (necessário adaptação). ( F )Se houver outro projeto do mesmo tipo, caberá ao governo analisá-la. “Se” pelo conector “Caso” sem comprometimento do sentido do texto e da coerência textual. (“Se” e “caso” são sinônimos, mas é necessário fazer ajustes no verbo para “haja”. “Caso”, não aceita fut. Do subjuntivo) Quando , Se  Fut. Do subjuntivo Caso  Pres. Do Subjuntivo 3. Observar o CESPE : cobra a concordância verbal, tempo verbal. ( V )Se houvesse outro projeto do mesmo tipo, caberia ao governo analisá- la. “Se” pelo conector “Caso” sem comprometimento do sentido do texto e da coerência textual. (“Se” e “caso” são sinônimos neste caso como o verbo
  60. 60. 60 está conjugado no pretérito Imp. do subjuntivo, não há necessidade de correção para que a frase se torne verdadeira. “Caso” pode ser empregado no pret. Do subj. , única restrição para o Fut. Do Subj.. ) Apesar de ser... (sinônimos, mas não se ajustam gramaticalmente) Embora (concessivas) fos se responsável pelo fato, nada lhe foi cobrado. “contanto que” (condição) por “ainda que” por “Mesmo que” ( F )Seria possível, (...) substituir o conector “embora” pelos 3 conectores acima? ( V ) A conjugação do verbo (no subjuntivo) se deve ao conector (subordinativo)“embora”. Quando chegar ... 4. O modo subjuntivo (hipótese, incerteza) é utilizado em função de uma conjunção subordinativa ou de outro mecanismo coesivo. O governo investe em educação, falta, no entanto (conector deslocado na 2ª oração), reconhecimento disso por parte do povo. Mas (não pode ser colocado deslocado)/ Contudo / Entretanto / Todavia 5. Mas / ou /”e”  não podem ser trocados qdo os conectores estiver deslocado na oração. Estes 3 só é admitido no início da oração coordenadas. 6. “Pois” deslocado, muda de sentido. Explicativo conclusivo (entre virgulas) ( F ) Seria possível, (...) substituir o conector “no entanto” pelos 4 conectores acima? ** Sem estudar, passou. (Concessiva  Embora não tenha estudado, passou) **Sem estudar, não passa. (Condição  Se você não estudar, não passa.)
  61. 61. 61 A persistir os sintomas, o médico deve ser procurado. (condição) Se persistir... Ao persistir os sintomas... (Tempo) Quando os sintomas persistirem... 7* Os brasileiros estão acostumados à toda sorte de desrespeito. Não questionam o governo nem compreendem seus direitos como cidadãos. ( F ) Seria possível, mantendo-se o sentido e a correção gramatical.... colocar antes da 2ª oração que compõe o trecho o conector “no entanto” fazendo as adaptações necessária de maiúscula e minúscula e na pontuação. (No entanto (concessivo),...) no entanto  dá ideia de oposição a 1ª ideia Acostumado  por isso não questiona (conclusão) *** Se as orações estiverem desvinculadas com “.”, no máximo poderemos colocar uma conjunção coordenativas entre elas, subordinativas nunca, além do verbo necessitar ser colocado no modo subjuntivo. *** Não se esqueçam de verificar a relação semântica a partir dos verbos existentes nas relações. Oposição, conclusão ou explicação (os 3 mais comuns) Polissemia – Valor dos Conectivos O valor significativo dos conectivos é definido quando se consegue compreender o caráter e o papel desempenhados por eles na estrutura oracional. As orações conectadas traduzirão por si mesmas, com a presença do conector sintático, o valor semântico, isto é, o significado do período por elas composto. Valor semântico da conjunção “e”. Valor aditivo: Ele é aplicado e muito inteligente. Valor adversativo:
  62. 62. 62 Ela me deve um dinheirão, e não paga. Estudou muito e foi reprovado. “Tudo é mistério e tudo está cheio de significado.” (PESSOA, 1986) Valor conclusivo: Estudou muito e passou. Valor final: O garoto ia buscar o livro e entregá-lo à diretora. Valor semântico da conjunção “mas”. Valor aditivo: Não só é aplicado, mas inteligente. É um aluno estudioso, mas principalmente dedicado. Valor de compensação: Perdeu o ano, mas conheceu vários países. Valor de não compensação: Estudou muito, mas foi reprovada. Valor de restrição: Terás o dinheiro, mas apenas parte dele. Valor de atenuação: Estava triste, mas disfarçava. Valor de retificação: Super-heróis são famosos, mas os verdadeiros heróis poucos conhecem. Valor semântico da conjunção “como”. Valor aditivo: Não apenas é aplicado, como inteligente. Valor comparativo: Simples e rápido como um passe de mágica. Valor conformativo: Faço o trabalho como o regulamento prescreve. Valor causal: Como estava chovendo, não fui ao trabalho.
  63. 63. 63 Valor semântico da conjunção “se”. Valor condicional: Se você estudar, conseguirá seu intento. (equivale a "caso"); Valor causal: Se você sabia que era proibido entrar lá, por que não me avisou. (equivale a "já que"); Valor concessivo: Se não ofendeu a todos, ainda assim insultou os mais velhos. (equivale a “apesar de”) Valor temporal Se fala, irrita a todos. (equivale a “quando”) Conjunção integrante: Não sei se ficarei lá muito tempo. (se funciona como objeto direto do verbo "saber".) Valor da conjunção “que”. a) QUE = CONJUNÇÃO COORDENATIVA 1. Conjunção coordenativa aditiva – O <que> como conjunção coordenativa aditiva aparecerá sempre entre duas formas verbais de idêntico valor, correspondendo ao conectivo e. a) Reclama que reclama, mas não toma nenhuma atitude séria. b) A mim que não a ti cabe intervir na empresa. 2. Conjunção coordenativa explicativa – O <que> como conjunção coordenativa explicativa pode ser substituído por pois ou porque (também conjunções coordenativas explicativas). a) Levante-se, que o sol já vai alto. b) Apressemos o passo, que a noite já vai chegar. c) Ande na ponta dos pés, que os músculos serão reforçados. 3. Conjunção coordenativa adversativa – O <que> como conjunção coordenativa adversativa corresponde a mas, porém. a) Outros livros, que não estes aqui, poderiam ajudá-los na prova de vestibular.
  64. 64. 64 b) Preciso de dinheiro, que não essa quantia exagerada. c) Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo. b) QUE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA 1. Conjunção subordinativa integrante – O <que> como conjunção subordinativa integrante estará sempre iniciando uma oração subordinada substantiva, a qual vai exercer, em relação à oração anterior, uma das funções do substantivo (sujeito, predicativo do sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal e aposto). a) Foi preciso que a polícia interviesse. <que a polícia interviesse> é sujeito de <Foi preciso>. que = Sujeito. b) O importante é que façamos tudo com muita cautela. <que façamos tudo com muita cautela> é predicativo do sujeito <O importante>. que = Predicativo do sujeito. c) Quero que você me perdoe. <que você me perdoe> é objeto direto de <Quero>. que = Objeto direto. d) É conveniente esquecer-se de que ela já foi sua esposa. <de que ela já foi sua esposa> é objeto indireto de <esquecer-se> que = Objeto indireto. e) Sempre haverá necessidade de que o povo fiscalize as ações dos políticos. <de que o povo fiscaliza as ações dos políticos> é complemento nominal de <necessidade>. que = Complemento nominal. f) Só desejamos uma coisa: que a nova geração seja melhor que a anterior. <que a nova geração seja melhor que a anterior> é amposto de <coisa>. que = Aposto. 2. Conjunção subordinativa consecutiva - O <que> tem este valor, normalmente, quando aparece nas expressões tão… que, tanto… que, tamanho… que e tal… que. a) Tanto perseguiu o sonho que conseguiu realizá-lo. Oração subordinada adverbial consecutiva: “que conseguiu realizá-lo”. b) Ficou tão cansada de caminhar que prostrou-se no outro dia.
  65. 65. 65 Oração subordinada adverbial consecutiva: “que prostrou-se no outro dia”. 3. Conjunção subordinativa comparativa - O <que> tem este valor, normalmente, nas expressões <mais que, menos que>. Fora dessas expressões, corresponde a <do que ou como>. a) Em situação normal, ela corre mais que o irmão. Oração subordinada adverbial comparativa: “mais que o irmão (corre)”. b) Pegada em flagrante, ela ficou corada que nem pimentão maduro. Oração subordinada adverbial comparativa: “que nem pimentão maduro (fica)”. 4. Conjunção subordinativa concessiva - O <que> tem este valor quando corresponde a <embora> ou a <ainda que, por mais que>. a) Boa que seja a moça, ela não é nenhuma santa. Oração subordinada adverbial concessiva: “Boa que seja a moça”. b) Algumas mudanças que fossem, ainda assim seria muita conquista para os operários. Oração subordinada adverbial concessiva: “Algumas mudanças que fossem”. 5. Conjunção subordinativa temporal – O <que> tem este valor quando corresponde a <depois que, logo que, antes que, assim que, depois que, sempre que>. a) Convocados que fomos, dirigimo-nos à sala do diretor. Oração subordinada adverbial temporal: “Convocados que fomos”. b) Sempre que lhe conto uma história, ela adormece. Oração subordinada adverbial temporal: “Sempre que lhe conto uma história”. 6. Conjunção subordinativa final – O <que> tem este valor quando corresponde a <para que, a fim de que>. a) Ganharam o matagal para que ninguém os perturbasse. Oração subordinada adverbial final: “para que ninguém os perturbasse”. b) Enxergando-a sobre a árvore, fez sinal que descesse. Oração subordinada adverbial final: “fez sinal que descesse”. 7. Conjunção subordinativa causal – O <que> tem este valor quando corresponde a <porque, visto que, já que>.
  66. 66. 66 a) Desconfiado que era, mandou instalar câmeras até nos banheiros da residência. Oração subordinada adverbial causal: “Desconfiado que era”. b) Já que todos exigiam, candidatou-se a prefeito. Oração subordinada adverbial causal: “Já que todos exigiam”. 8. Conjunção subordinativa modal – O <que> tem este valor quando corresponde a <sem que>. a) Farás tudo com normalidade sem que desconfiem de ti. Oração subordinada adverbial modal: “sem que desconfiem de ti”. b) Sem que percebas, ela irá subtraindo as tuas energias. Oração subordinada adverbial modal: “sem que percebas”. Valor semântico de A A persistirem os sintomas, o médico deve ser consultado. (condição) O filho puxou ao pai. (conformidade, semelhança) Nas férias passadas, viajamos a Roma. (destino) A prova deve ser feita a caneta. (instrumento) Valor semântico de COM Com as enchentes, eles perderam tudo. (causa) Amanhã sairei com amigos. (companhia) Na final, o Bahia jogará com o Vitória. (oposição) A idosa bateu no ladrão com a bengala. (instrumento) A moça estava atrasada, caminhava com pressa. (modo) Com certeza, iremos ao teatro no feriado. (afirmação) No sistema capitalista, as pessoas somente sobrevivem com recursos. (condição) Valor semântico de DE Saí de casa. (origem) Falaram de você. (assunto) Veio de táxi. (meio) A menina chorou de raiva. (causa) Os siris andam de lado. (modo) Voltemos de noite. (tempo)
  67. 67. 67 Comprei um relógio de ouro. (matéria) Aquele livro é de Marcelo. (posse) Ontem, bebemos dois copos de vinho. (conteúdo) Escondeu-se embaixo de uma mesa. (lugar) Valor semântico de EM Hoje à noite, estarei em casa. (lugar) Formou-se em Direito. (especialidade) O relógio é feito em ouro. (matéria) Tenho que apresentar o tema em quinze minutos. (tempo) Valor semântico de PARA O bombeiro veio para socorrê-lo. (finalidade) Viajou para a Itália. (destino) Para João, o Flamengo é o melhor time. (conformidade) É proibida a venda de bebidas para menores. (restrição) Chegarei lá para as oito da noite. (tempo) Valor semântico de preposição POR Soube por telefone. (meio) Sofreu muito por amor. (causa) “Eu sei que vou te amar por toda a minha vida” (tempo) Viajamos por diversas cidades. (lugar) Fiz isso por te querer muito. (finalidade) Comprei o livro por cem reais. (preço) O Brasil foi colonizado por portugueses. (agente da passiva) Cuidado para não levar gato por lebre. (troca). Questões cobradas CESPE 2014 *** Analisar a relação que a oração exerce sobre a outra.*** COORDENADAS 6 Seriam mantidos o sentido do texto e a correção gramatical CERTO caso o termo “contudo” (R.9) fosse substituído por todavia. (CONECTOR ADVERSATIVA) SUBORDINADAS
  68. 68. 68 3 No trecho “à medida que as fabricantes, a partir dos anos 90 ERRADO do século passado, tornavam-se principalmente montadoras de itens importados” (R.19-21), a expressão “à medida que” introduz uma oração que exprime ideia de conformidade.(PROPORÇÃO) à medida que (PROPORÇÃO) = A PROPORÇÃO QUE na medida em que (CAUSA) = PORQUE 9 Sem prejuízo para a correção gramatical e o sentido original do CERTO texto, poderia ser inserida a expressão do modo ou a expressão da maneira imediatamente após a forma verbal “resistem” (R.23). CONJUNÇÃO COORDENATIVAS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES ADITIVAS 1 E, NEM, NÃO SÓ...MAS TAMBÉM ADVERSATIVAS 2 MAS, ENTRETANTO, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, E (=MAS), NO ENTANTO ALTERNATIVAS 3 OU, ORA...ORA, OU...OU, NEM...NEM, QUER...QUER, SEJA...SEJA CONCLUSIVAS 4 POIS (deslocado, ENTRE VÍRGULAS), LOGO, PORTANTO, POR CONSEGUINTE, POR ISSO, ASSIM EXPLICATIVAS QUE, 5 PORQUE, POIS, PORQUANTO (GERALMENTE O VERBO DA PRIMEIRA ESTÁ NO IMPERATIVO) Quando  tempo Se condição , mas muda o sentido Quando encontrar recursos para o projeto, volte a apresentá-la ( V ) Seria possível, do ponto de vista gramatical, substituir o conector “Quando” pelo conector “SE” sem comprometimento do
  69. 69. 69 sentido do texto e da coerência textual (diferente De manter o sentido do período da frase).(o conector pode ser trocado gramaticalmente, mas teremos uma mudança de sentido .) 1. Observar se o CESPE pede gramaticalmente ou sentido do texto), é possível que haja mudança de sentido no período que não afete de modo significativa o texto (sentido do texto). 2. Há conectores que são sinônimos do ponto de vista semântico, mas não se ajustam gramaticalmente (necessário adaptação). ( F )Se houver outro projeto do mesmo tipo, caberá ao governo analisá-la. “Se” pelo conector “Caso” sem comprometimento do sentido do texto e da coerência textual. (“Se” e “caso” são sinônimos, mas é necessário fazer ajustes no verbo para “haja”. “Caso”, não aceita fut. Do subjuntivo) Quando , Se  Fut. Do subjuntivo Caso  Pres. Do Subjuntivo 3. Observar o CESPE : cobra a concordância verbal, tempo verbal. ( V )Se houvesse outro projeto do mesmo tipo, caberia ao governo analisá-la. “Se” pelo conector “Caso” sem comprometimento do sentido do texto e da coerência textual. (“Se” e “caso” são sinônimos neste caso como o verbo está conjugado no pretérito Imp. do subjuntivo, não há necessidade de correção para que a frase se torne verdadeira. “Caso” pode ser empregado no pret. Do subj. , única restrição para o Fut. Do Subj.. ) Apesar de ser... (sinônimos, mas não se ajustam gramaticalmente) Embora (concessivas) fosse responsável pelo fato, nada lhe foi cobrado. “contanto que” (condição) por “ainda que” por “Mesmo que” ( F )Seria possível, (...) substituir o conector “embora” pelos 3 conectores acima? ( V ) A conjugação do verbo (no subjuntivo) se deve ao conector (subordinativo)“embora”. Quando chegar ... 4. O modo subjuntivo (hipótese, incerteza) é utilizado em função de uma conjunção subordinativa ou de outro mecanismo coesivo.
  70. 70. 70 O governo investe em educação, falta, no entanto (conector deslocado na 2ª oração), reconhecimento disso por parte do povo. Mas (não pode ser colocado deslocado)/ Contudo / Entretanto / Todavia 5. Mas / ou /”e”  não podem ser trocados qdo os conectores estiver deslocado na oração. Estes 3 só é admitido no início da oração coordenadas. 6. “Pois” deslocado, muda de sentido. Explicativo conclusivo (entre virgulas) ( F ) Seria possível, (...) substituir o conector “no entanto” pelos 4 conectores acima? ** Sem estudar, passou. (Concessiva  Embora não tenha estudado, passou) **Sem estudar, não passa. (Condição  Se você não estudar, não passa.) A persistir os sintomas, o médico deve ser procurado. (condição) Se persistir... Ao persistir os sintomas... (Tempo) Quando os sintomas persistirem... 7* Os brasileiros estão acostumados à toda sorte de desrespeito. Não questionam o governo nem compreendem seus direitos como cidadãos. ( F ) Seria possível, mantendo-se o sentido e a correção gramatical.... colocar antes da 2ª oração que compõe o trecho o conector “no entanto” fazendo as adaptações necessária de maiúscula e minúscula e na pontuação. (No entanto (concessivo),...) no entanto  dá ideia de oposição a 1ª ideia Acostumado  por isso não questiona (conclusão) *** Se as orações estiverem desvinculadas com “.”, no máximo poderemos colocar uma conjunção coordenativas entre elas, subordinativas nunca, além do verbo necessitar ser colocado no modo subjuntivo.

×