Desafios do Ensino de História Local

5.285 visualizações

Publicada em

Algumas considerações sobre o ensino da história regional e local.

2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.285
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.149
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
158
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desafios do Ensino de História Local

  1. 1. O ENSINO DA HISTÓRIALOCAL DE SEUS DESAFIOS Natania Nogueira nogueira.natania@gmail.com
  2. 2. SOBRE A HISTÓRIA LOCAL• A História local é a história que trata de assuntos referentes a uma determinada região, município, cidade, distrito.• Apesar de estar relacionada à uma história global, a história local se caracteriza pela valorização das particularidades, das diversidades.• Ela é um dos pontos de partida para a formação de uma identidade regional.
  3. 3. O RECONHECIMENTO DO VALOR DA HISTÓRIA LOCAL• Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), recomendam a inserção da História Local nos currículos escolares.• É a partir do local que o aluno começa a construir sua identidade e a se tornar membro ativo da sociedade civil, no sentido de que faz prevalecer seu direito de acesso aos bens culturais, representados aqui pelo patrimônio histórico cultural, tanto em sua forma material ou imaterial.
  4. 4. A REALIDADE DA HISTÓRIA LOCAL NAS ESCOLAS• A escola peca no que diz respeito ao ensino da história local.• Mesmo havendo, como no caso de Leopoldina, sua obrigatoriedade, falta estímulo e material para se trabalhar o tema.• Não há, também, preocupação com formação. Os professores muitas vezes não ensinam porque também não sabem.• Esta realidade está presente em todo o país, onde o regional perde espaço para o global e não são valorizadas iniciativas de se resgatar a memória.
  5. 5. A FALTA DE INFORMAÇÃO OU A INFORMAÇÃO MAL UTILIZADA• As informações muitas vezes se perdem com o tempo ou são repassadas de forma simplificada.• Algumas datas comemorativas, por exemplo são mal exploradas.• Um exemplo é o dia 27 de abril de 1854, em Leopoldina (MG). A data refere-se à criação do Município de Leopoldina e à elevação do arraial à Vila de São Sebastião do Feijão Cru.• No entanto, muitos atualmente comemoram a data como sendo aniversário da cidade. A cidade de Leopoldina foi criada apenas em 16 de outubro de 1861.
  6. 6. PERDENDO VÍCIOS• Muitas cidades atrelam sua história a uma elemento simbólico e criam vácuos de conhecimento.• Isso acontece quando super valorizamos alguns eventos e personagens.• A história local fica congelada em determinado momento histórico negando-se a ela o direito à continuidade e ruptura. Nada antes ou depois passa a ter valor e, pior ainda, se contam histórias pela metade.
  7. 7. Conhecemos toda a Augusto dos Anjos é ohistória de Carlos Luz? único representante da nossa literatura?
  8. 8. CAMINHOS A SEREM SEGUIDOS• Ações em torno da educação patrimonial e do ensino de história local podem ser tomadas a curto e médio prazos.• Sua iniciativa não deve ser exclusivamente governamental: é preciso que a comunidade se mobilize, faça propostas, exija resultados.• Entre estas ações está:
  9. 9. 1. Atualização do material didático2. Acesso a este material3. Formação de professores por meio de cursos e oficinas periódicas4. Incentivo à pesquisa5. Criação e manutenção de centros de memória que possibilite á comunidade em seu todo o acesso ao nosso patrimônio histórico e cultural.
  10. 10. CONCLUINDO• Somos nós que fazemos a história e é, também, nossa responsabilidade garantir sua socialização.• A comunidade deve entender que preservar e conhecer o passado não significa impedir o progresso.• Nada sinaliza mais para o desenvolvimento do que a união entre passado e presente.

×