Brasil colonia natania parte 01

5.253 visualizações

Publicada em

Resumo de História do Brasil nos séculos XVI e XVII

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.253
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.364
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brasil colonia natania parte 01

  1. 1. Natania A S Nogueira nogueira.natania@gmail.comwww.historiadoensino.blogspot.com.br
  2. 2.  CARACTERÍSTICAS - Expedições de reconhecimento e defesa - Exploração do pau-brasil: > monopólio real > mão-de-obra indígena (escambo) > instalação de feitorias
  3. 3. - investidas estrangeiras- decadência do comércio com Oriente- economia portuguesa em péssimo estado- esperança de encontrar ouro no Brasil
  4. 4.  A primeira expedição colonizadora ocorreu em 1530, sob a chefia de Martim Afonso de Souza, que veio para o Brasil com as seguintes atribuições: - expulsar piratas das costas brasileiras - organizar expedições em busca de ouro - iniciar o povoamento da colônia - criar organizações administrativas
  5. 5.  Sistema através do qual o território foi dividido em faixas invendáveis e doadas a homens de confiança do rei, denominados donatários, cujas principais funções eram: . Administrar as terras e protegê-las . Exercer a justiça e cobrar impostos . Fundar vilas . Incentivar a produção de artigos lucrativos . Distribuir grandes lotes de terras chamados “sesmarias”, a outros portugueses que quisessem vir para o Brasil.
  6. 6.  Das capitanias criadas, duas prosperaram. As demais fracassaram, principalmente pelas seguintes razões: Falta de recursos Falta de interesse dos donatários Grandes distâncias entre as capitanias Distância entre a colônia e a metrópole
  7. 7. - OBJETIVOS: . Acompanhar, avaliar e auxiliar o desempenho das capitanias; . Estimular o desenvolvimento da prioridade econômica: CANA-DE-AÇÚCAR; . Apoiar o reconhecimento e a exploração do interior do território; . Promover o povoamento, fundando vilas; . Controlar a relação com os índios; . Defender as terras contra estrangeiros.- Foram criadas as câmaras municipais e Salvador capital da colônia.
  8. 8. Os Homens Bons simbolizavam o poder local na colônia
  9. 9.  Em 1551, no governo de Tomé de Sousa, foram instaladas as Câmaras Municipais: órgãos políticos compostos pelos "homens bons". Os Homens Bons eram donos de terras, senhores de engenho, membros das milícias e do clero. Eles comandavam as pequenas regiões, enquanto o governo-geral representava o poder central da colônia no Brasil. Estes ricos proprietários definiam os rumos políticos das vilas e cidades. O povo não podia participar da vida pública nesta fase.
  10. 10.  Em meados do século XVI, Portugal começou a implantar no Brasil a produção de açúcar. A agricultura canavieira determinou a colonização portuguesa no Brasil, concentrada no litoral, onde estavam as melhores terras, além de ser a grande responsável pela introdução da escravidão africana. A instalação da economia açucareira no Brasil se encaixava na política mercantilista . Os holandeses foram os responsáveis pelo financiamento da instalação dos engenhos na colônia e pelo transporte, refino e comercialização do açúcar na Europa.
  11. 11.  Pouca mobilidade social Escravista Patriarcal Mulheres e crianças se submetem à vontade do “chefe” Relações sociais baseadas em laços de lealdade (compradinho).
  12. 12.  Nas principais regiões produtoras de açúcar, litoral da Bahia e de Pernambuco, foram rapidamente instaladas dezenas de unidades produtoras, os engenhos. Entendido como o conjunto formado pelas terras (canaviais, pastagens e matas) e demais instalações onde se processava a produção do açúcar, o engenho era o centro de gravitação da vida do mundo açucareiro. Existiam também as pequenas unidades, voltadas para a produção de melaço, rapadura e aguardente,denominadas engenhocas ou molinetes.
  13. 13.  A sociedade brasileira dos séculos XVI e XVII estava dividida em dois grupos principais: senhores e escravos. Os senhores de engenho eram portugueses ricos que se dedicavam à produção e ao comércio do açúcar. Sua autoridade estendia-se por toda a região através de sua participação nas câmaras municipais. Os escravos trabalhavam nas plantações, na moenda, nas fornalhas e nas caldeiras. Havia uma camada intermediária de pessoas que serviam aos interesses dos senhores: trabalhadores assalariados (feitores, mestres de açúcar, purgadores etc.); os agregados (moradores do engenho que prestavam serviços em troca de proteção e auxílio); alguns raros profissionais liberais (médicos, advogados, engenheiros).
  14. 14.   São características dessa sociedade:  O patriarcalismo: o senhor do engenho era o  patriarca (chefe), que concentrava em suas mãos o  poder econômico, político e ideológico (isto é, da  formação das idéias dominantes).  O ruralismo: o campo era o centro dinâmico dessa  sociedade.  A estratificação social: era uma sociedade dividida  em camadas bem definidas, sendo muito raro alguém  conseguir ascender na posição social. Não havia a  possibilidade do escravo chegar à condição de senhor  ou do senhor descer à posição de escravos.
  15. 15.  Durante o período colonial brasileiro, a mão-de-obra predominante foi a dos escravos. Inicialmente, os escravizados foram os indígenas. O alto lucro que gerava, levou à prática do tráfico de escravos africanos

×