embasaUNIDADE DE NEGÓCIOS DE IRECÊETA - IBITITÁESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA            PROJETO E S T U D O       DE C A S...
SUMÁRIO1.     IDENTIFICAÇÃO1.1 LOCAL DE APLICABILIDADE DO PROJETO..............................................41.2 PRODUT...
5.7 ESTUDO DE CASOS..................................................................................175.8 ESTUDO DE CASOS...
Local de aplicabilidade do projeto           ETA - Estação de Tratamento de água – Ibititá – BA 433 Km 30                 ...
OBJETIVO GERAL:       Implantar mudanças benéficas e boas práticas operacionais no local de trabalhoque venham preservar o...
CRONOGRAMA ABERTO:                  Obs.: “Aberto” devido às possibilidades de mudanças durante a aplicação do projeto    ...
ASPECTOS           E   IMPACTOS       A M B I E N T A I S NO PROCESSO ATUALESTUDO  DE               ENTRADAS (Aspectos)   ...
ESTUDO  DE               ENTRADAS (Aspectos)    ETAPAS (local)                     SAÍDAS (Impactos) CASOS         Água co...
ESTUDO  DE               ENTRADAS (Aspectos)                      ETAPAS (local)                        SAÍDAS (Impactos) ...
ESTUDO                DE       CASOS     NÚMERO         ESTUDO DE CASOS                       PROCEDIMENTOS               ...
NÚMERO        ESTUDO DE CASOS                          PROCEDIMENTOS                         BARREIRAS                  BE...
NÚMERO         ESTUDO DE CASOS                    PROCEDIMENTOS                            BARREIRAS                BENEFI...
NÚMERO         ESTUDO DE CASOS                    PROCEDIMENTOS                         BARREIRAS                 BENEFICI...
ESTUDO DE CASOS                      PROCEDIMENTOS                        BARREIRAS                BENEFICIOS      NÚMERO ...
ESTUDO DE CASOS                      PROCEDIMENTOS                        BARREIRAS                  BENEFICIOS      NÚMER...
ESTUDO DE CASOS                       PROCEDIMENTOS                          BARREIRAS               BENEFICIOS      NÚMER...
NÚMERO        ESTUDO DE CASOS                      PROCEDIMENTOS                         BARREIRAS                  BENEFI...
NÚMERO       ESTUDO DE CASOS                    PROCEDIMENTOS                          BARREIRAS                BENEFICIOS...
NÚMERO       ESTUDO DE CASOS              PROCEDIMENTOS               BARREIRAS        BENEFÍCIOS                CONTINUAÇ...
AÇÕES                 DE      P+L          OPORTUNIDADE              ETAPA DO           DESCRIÇÃO DA MEDIDA PROPOSTA      ...
OPORTUNIDADE          ETAPA DO            DESCRIÇÃO DA MEDIDA PROPOSTA                        TÉCNICA DE P+L          NÍVE...
ANÁLISES               DOS        BENEFÍCIOS                                                                              ...
TEMPO DE     ESTUDO               CUSTOS E          CUSTOS E              META         INVESTI- CUSTO    CUSTO    BENEFÍCI...
TEMPO DE     ESTUDO            CUSTOS E          CUSTOS E            META       INVESTI- CUSTO    CUSTO    BENEFÍCIO      ...
TEMPO DE     ESTUDO               CUSTOS E            CUSTOS E             META      INVESTI-  CUSTO    CUSTO    BENEFÍCIO...
TEMPO DE     ESTUDO           CUSTOS E           CUSTOS E              META         INVESTI- CUSTO    CUSTO    BENEFÍCIO  ...
RECURSOS MATERIAIS: DESCRIÇÃO E VALORES – INVESTIMENTOS                       ESTUDO                            MATERIAIS ...
ESTUDO                           MATERIAIS PARA IMPLANTAÇÃO                     VALOR      INVESTIMENTO                   ...
ESTUDO                       MATERIAIS PARA IMPLANTAÇÃO           VALOR      INVESTIMENTO                       DE        ...
CASO 01 -                       CASO 02 -                 CASO 03               CASO 04BOMBA SUBMERSA                 ELEV...
CASO 01 - REDUÇÃO DE HORAS TRABALHADAS                        CASO 02 - PERDA DE ÁGUA ANO COM                             ...
CASO 05 - RISCO DE ACIDENTES AO             C A SO 0 6 - M ÉD IA D E F LÚ O R            CASO 06 - CONSUMO DE             ...
CASO 09 - REDUÇÃO DE GASTO COM                              CASO 10 - REDUÇÃO DE GASTO COM                         M ANUSE...
RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO           IMPLANTAÇÃO             RESULTADO APÓS IMPLANTAÇÃOCASO                                  ...
REFERÊNCIAS:CMMAD (Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento). Nosso futuro comum, Rio de Janeiro, FUNDAÇÃO G...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto p mais l finalizado

920 visualizações

Publicada em

Projeto de Produção mais Limpa na Estação para Estação de Tratamento

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
920
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto p mais l finalizado

  1. 1. embasaUNIDADE DE NEGÓCIOS DE IRECÊETA - IBITITÁESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA PROJETO E S T U D O DE C A S O S- PRODUÇÃO MAIS LIMP A Irecê 2010
  2. 2. SUMÁRIO1. IDENTIFICAÇÃO1.1 LOCAL DE APLICABILIDADE DO PROJETO..............................................41.2 PRODUTOR DO PROJETO..........................................................................41.3 ESTÍMULOS PARA PRODUÇÃO O PROJETO...........................................41.4 SETORES ENVOLVIDOS.............................................................................41.5 COLABORADORES......................................................................................41.6 COLABORADORES LOTADOS NA ETA......................................................41.7 BENEFÍCIOS COM O PROJETO..................................................................42 APRESENTAÇÃO2.1 OBJETIVO GERAL........................................................................................52.2 JUSTIFICATIVA.............................................................................................53 CRONOGRAMA ABERTO3.1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO.................................................................63.2 AQUISIÇÃO DOS RECURSOS....................................................................63.3 IMPLANTAÇÃ DE PRIORIDADES...............................................................63.4 ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO......................................................63.5 AVALIAÇÃO.................................................................................................64 QUADROS4.1 ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS.....................................................74.2 ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS.....................................................84.3 ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS.....................................................95 ESTUDO DE CASOS.................................................................................105.1 ESTUDO DE CASOS..................................................................................115.2 ESTUDO DE CASOS..................................................................................125.3 ESTUDO DE CASOS..................................................................................135.4 ESTUDO DE CASOS..................................................................................145.5 ESTUDO DE CASOS..................................................................................155.6 ESTUDO DE CASOS.................................................................................16embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 2
  3. 3. 5.7 ESTUDO DE CASOS..................................................................................175.8 ESTUDO DE CASOS..................................................................................185.9 ESTUDO DE CASOS..................................................................................195.9.1 OBSERVAÇÕES......................................................................................206 AÇÕES DE P + L6.1 AÇÕES DE P+ L......................................................................................... 216.2 AÇÕES DE P + L.........................................................................................227 ANÁLISES7.1 ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS....................................................................237.2 ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS....................................................................247.3 ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS....................................................................257.4 ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS....................................................................267.5 ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS....................................................................278 APLICAÇÃO8.1 INVESTIMENTOS........................................................................................288.2 INVESTIMENTOS........................................................................................298.3 INVESTIMENTOS........................................................................................309 REGISTROS COM FOTOS POR CASOS.................................................3110 GRÁFICOS10.1 GRÁFICOS................................................................................................3210.2 GRÁFICOS................................................................................................3310.3 GRÁFICOS................................................................................................3411 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO...................................................................3512 REFERÊNCIAS.........................................................................................36embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 3
  4. 4. Local de aplicabilidade do projeto ETA - Estação de Tratamento de água – Ibititá – BA 433 Km 30 Produção do Projeto Operadores da ETA Estímulos para produção do projeto Curso de produção mais limpa (P + L) oferecido pela embasa em um total de 40 horas Setores da embasa envolvidos no processo de aplicação do projeto UNI – Operações; UNI – Manutenção, Administrativo, Financeiro e Econômico, Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) Colaboradores Imediatos Gerente Imediato da UNI-O - Odirlei Rocha; Gerente da Unidade - Raimundo Neto; Supervisor de tratamento - Elvis Alon; Colaboradores lotados na ETA Auxiliares: Eleano, Edicarlos, Valfredo, Ancelmo e Cláudio; Operadores: Gervásio, Helder, Tássio, Jadilton, Marcelo e Valdir; Menores Aprendizes: Laíse e Camili. Benefícios com o projeto Ambientais, Humanos e Econômicos. Ao meio ambiente - menos gasto de energia, menos desperdício de água, menosresíduos sólidos e líquidos. Aos operadores e auxiliares - menos exposição ao sol, à chuva e sereno, menosriscos de acidentes, menos riscos de doença ocupacional, menor risco de afastamentopor acidentes; À empresa, com menos gastos nas operações da ETA.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 4
  5. 5. OBJETIVO GERAL: Implantar mudanças benéficas e boas práticas operacionais no local de trabalhoque venham preservar o meio em que vivemos, com uso responsável dos recursosnaturais, proporcionando qualidade ambiental, social e econômica tanto para as pessoasatendidas, ou não, assim como para a empresa embasa.JUSTIFICATIVA: Conseguir produzir com a menor agressão possível ao meio ambiente. Com o aparecimento de novas tecnologias em favor do meio ambiente e comcapacitação proporcionada aos empregados, não é mais permissivo que abusem dosrecursos naturais como se jamais fossem acabar. O projeto vem provocar insatisfação nouso inadequado de equipamentos, no excesso de produtos no tratamento e nas técnicasde operacionalização. O mesmo terá como finalidade: prevenir incidentes operacionais,melhorar a satisfação com o trabalho, melhorar os aspectos sociais, ambientais eeconômicos.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 5
  6. 6. CRONOGRAMA ABERTO: Obs.: “Aberto” devido às possibilidades de mudanças durante a aplicação do projeto Apresentação do projeto aos gerentes e interessados: será apresentado oprojeto, de preferência por meio de slides, mostrando os pontos que sofrerãointerferência de mudança e as possibilidades de realização para não deixar utopias noprojeto. Aquisição dos recursos - provenientes da economia de produtos usados notratamento da água; cota mensal da ETA pelo gerente da Unidade; provenientes defundos para projetos da empresa embasa. Implantação das prioridades: serão nomeados por prioridade os estudos decasos possíveis e necessários de mudança, indo do 1° ao último. Ex: O estudo de cason° 7 do projeto pode se tornar prioridade n° 01. Acompanhamento do processo com relatórios e visitas: cada etapa realizadaserá acompanhada através de um relatório (planilha) com as informações antes e depoisda implantação, assim como o olhar e críticas sugestivas pelos gerentes e supervisor detratamento. Avaliação – Através de relatórios, acompanhamento dos impactos positivos enegativos, sociais, ambientais e econômicos.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 6
  7. 7. ASPECTOS E IMPACTOS A M B I E N T A I S NO PROCESSO ATUALESTUDO DE ENTRADAS (Aspectos) ETAPAS (local) SAÍDAS (Impactos) CASOS Energia Elétrica; Máq. e Equip. avariados; Tubulação; Incomodo; EPI’s; Calor; Água com cloro; Resíduos Sólidos e Líq.(pelo esgoto) Fios e equipamentos elétricos; Coleta de água clorada EPI’s avariados 01 Bomba submersa; para análises laboratoriais Emissão gases; Formulários de duas em duas horas Efluente Líquido; Acúmulo de papel ofício arquivado e depois descartado ao solo Tubulação EPI’s avariados; Equip. Macro medição Materiais de coleta avariados; 02 água Recebimento da água bruta Efluentes líquidos (água na rede de esgoto); Energia Formulários Sulfato de Alumínio Resíduos sólidos e Líq. Tubulação Embalagens Bombas Dosadoras Emissão de gases Energia Incomodo EPI´s Tubulação avariada Formulários Bombas dosadoras avariadas 03 Água Mistura rápida de produtos Calor EPI’s avariados Efluente Líq. embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 7
  8. 8. ESTUDO DE ENTRADAS (Aspectos) ETAPAS (local) SAÍDAS (Impactos) CASOS Água coagulada Efluente Líq. / Lodo Tubulação Tubulação avariada Formulários Resíduos sólidos e Líq 04 EPI’s Decantação EPi’s avariados Limpeza Equip. e bombas avariados Energia Calor Bombas Água decantada / Filtrada Efluente Líq. / Lodo Tubulação Tubulação avariada Formulários Resíduos sólidos e Líq EPI’s EPi’s avariados 05 Limpeza (material) Filtração Equipamentos. e bombas avariados Energia Calor; Bombas / sopradores Registros avariados Registros manuais Cloro gás; Bombas e Equip. avariados Tubulação Incomodo Formulários Calor EPI’s Resíduos Sólidos e Líq. 06 Limpeza Desinfecção EPI’s avariados Energia Emissão gases Bombas dosadoras Efluente Líquido Água Embalagens Tinas Energia; Equipamentos avariados; Equipamentos elétricos Resíduos sólidos e líquidos; Tubulação; Efluente líquido. 07 Registros; Lavagem de Filtros Calor; Água; Incomodo; Sopradores; embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 8
  9. 9. ESTUDO DE ENTRADAS (Aspectos) ETAPAS (local) SAÍDAS (Impactos) CASOS Energia; Calor; Produtos de limpeza (ácido muriático, água Incomodo; sanitária, sabão, detergentes...) Resíduos sólidos; Materiais de limpeza (pano, vassouras, sacos Resíduos líquidos; plásticos, coletores de lixo, enxadas, pás, Higiene, Limpeza, 08 rastelos, tesouras..) conservação e Graxa; arquivamento. Óleo; Armários; Formulários; Arquivos de papelão e plástico Tubulação; Equipamentos avariados Água; Nível de água do Resíduos sólidos; 09 Tinta; reservatório de contato Resíduos líquidos solventes Água Caixa de passagem de água Resíduos sólidos 10 Madeira dos filtros para o Equipamentos avariados Tela de plástico reservatório de contato embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 9
  10. 10. ESTUDO DE CASOS NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Reduzir o tempo de trabalho Elevar água clorada sem a necessidade Falta de recursos; Economia de 100 kw de da bomba que eleva água de utilizar bomba de elevação, pois será Não aprovação do projeto energia por ano, clorada do contato para o coletada água clorada de outro ponto, apresentado correspondente a 90% da 01 laboratório para coleta e próximo ao laboratório, sem a que era usada para a analise do cloro necessidade da bomba existente. coleta de água clorada. Elevar água clorada para o Elevar a água de coleta para o laboratório Falta de recursos; Economia de 140 metros laboratório direto da EVIII. através dos conjuntos de bomba da Não aprovação do projeto cúbicos ano, de água Com retorno direto na calha elevatória VIII por meio de pressão. apresentado tratada; parshall Redução de 140 m³ de Conectar uma tubulação de meia água que se transforma polegada, com outra tubulação que sai do em efluentes líquidos (a CJMB da elevatória, se encontrando no água coletada é toda 02 canto do decantador; jogada no canal de esgoto); Colocar um registro de ½ polegada para controlar a entrada e a saída da água Redução de contaminação coletada no laboratório através da do solo; tubulação vindo da elevatória VIII Redução de emissão de gases no solo (água com 3 ppm de cloro);embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 10
  11. 11. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Eliminar possibilidades de afastamento do trabalho por acidente por parte do operador e ou coletadores da UNI ao coletar a água bruta; Conectar uma tubulação de meia polegada na rede de chegada de água Eliminar exposição à bruta no ponto em frente a casa de chuva, sereno ou cloração ate o laboratório, por meio de Coletar a água bruta para insolação (dependendo da pressão da rede; analises e jarr teste, direto no Falta de recursos; época e horário) por parte 03 laboratório com retorno da Colocar um registro para controlar a Não aprovação do projeto do operador e dos água direto para a calha apresentado coletadores da UNI, entrada e a saída da água coletada no parshall durante a coleta; laboratório através da tubulação; Ausência de perdas da Obs: a água bruta ficará como um by água bruta nas coletas; pass Diminuir os riscos de saúde ocupacional aos empregados da estaçãoembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 11
  12. 12. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Coleta da água decantada Colocar uma bomba submersa de 0,5 cv Falta de recursos; Eliminar possibilidades direto no laboratório, com no decantador para elevar água para o Não aprovação do projeto de afastamento do retorno direto na calha laboratório para as análises de duas em apresentado trabalho por acidente por parshall duas horas; parte do operador ou outro ao coletar a água Montar a parte elétrica com soleira de decantada; partida, dentro do laboratório; Eliminar exposição a Colocar uma tubulação com um registro chuva, sereno ou para controlar a entrada no laboratório; insolação (dependendo da Colocar um “T” dando passagem da água época e horário) por parte 04 não usada à calha parshall e a coletada no do operador durante a laboratório. coleta; Redução de perdas de água decantada nas coletas; Diminuir os riscos de saúde ocupacional aos empregados da estaçãoembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 12
  13. 13. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Coleta da água coagulada Colocar uma bomba submersa no canal Recursos para aquisição Eliminar possibilidades direto no laboratório, com de água coagulada para elevar água ao de bomba submersa de de afastamento do retorno direto na calha laboratório para as analises de duas em 0,5 cv e seus trabalho por acidente por parshall duas horas; complementos; parte do operador ou outro, ao coletar a água Montar a parte elétrica com soleira de decantada; partida, dentro do laboratório; Não aprovação do projeto apresentado; Eliminar exposição à Colocar uma tubulação com um registro chuva, sereno ou para controlar a entrada no laboratório; insolação (dependendo da época e horário) por parte 05 Colocar um “T” dando passagem da água do operador durante a não usada à calha parshall e a coletada no coleta; laboratório Redução de perdas de água decantada nas coletas; Diminuir os riscos de saúde ocupacional aos empregados da estaçãoembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 13
  14. 14. ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS NÚMERO Mudar o ponto de dosagem Mudar o ponto de dosagem do flúor, Redução do consumo em de flúor da água bruta para a tirando a dosagem na água bruta e Falta de recursos; torno 10% do produto água filtrada colocando direto nas caixas de passagem Não aprovação do projeto fluossilicato de sódio; de água filtrada; apresentado Mais equidade nas Colocar uma tubulação de 40 mm, do analises de duas em duas cone de saturação ao ponto a dosar; horas sem diferenciar muito uma da outra; Colocar água de arraste, ligando da rede da EVIII Atender a portaria aumentando a dosagem média mensal que está 06 em torno de 0,5 mg/l, para 0,7 mg/lembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 14
  15. 15. ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS NÚMERO Maior durabilidade e segurança; Melhor manuseio nas Mudança no layout na casa Substituir as serpentinas de cobre por Falta de recursos; reposições dos cilindros; dos cilindros de cloro, outras maiores de teflon Não aprovação do projeto Correção de rede do cloro gás apresentado; Espaço suficiente para Distanciar em um metro e vinte o usar o kit de ar respirável barrilête da conexão da válvula do a uma possível correção cilindro; de vazamento de cloro gás ou liquefeito; Deixar o barrilête na mesma altura que se encontra, facilitando a mudança do Redução de escapamento 07 processo de layout. de cloro durante as trocas de cilindros; Maior segurança ao colocar e tirar o cilindro de operaçãoembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 15
  16. 16. ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS NÚMERO Menos resíduos sólidos ao meio ambiente; Economia de 1440 folhas de papel ofício ao ano; Agilidade nas informações colhidas e prestadas; Programar planilhas do Excel para Informatizar os relatórios de digitar todas as informações necessárias Falta de recursos; Acompanhamento dos 08 acompanhamento de todo o da ETA, sem a necessidade do uso de Não aprovação do projeto gastos e estoques de processo da estação papel. apresentado produtos com mais eficiência;embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 16
  17. 17. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Eliminar possibilidades de acidente por parte do operador ao acompanhar o nível do contato; Colocar uma tubulação de 100 mm com 4 metros de comprimento, dentro do Eliminar exposição à contato; chuva, sereno ou insolação (dependendo da Colocar uma bóia de garrafa peti, no tubo época e horário) por parte dentro do contato; do operador durante o Colocar um sistema para acompanhamento do acompanhar o nível de água Prender um cordão, resistente, da bóia nível do contato; do contato dentro do peti, até o canto esquerdo do contato e Falta de recursos; laboratório para melhorar a também ao laboratório; Não aprovação do projeto Melhoria ergonômica por operacionalização no apresentado não ser necessário processo de distribuição de Colocar pequenas roldanas (10) para levantar a régua e escorar água tratada e nas possíveis facilitar o correr do cordão ligado à bóia; durante a recuperação do 09 perdas por extravasamento nível do contato; Colocar a bóia pequena no poste de iluminação próximo á EVIII que servirá Eliminar gastos com de escala; reparos da bóia e da régua existentes;embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 17
  18. 18. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFICIOS Melhoria nos indicadores operacionais e no acompanhamento da operação, por não ser preciso destravar a régua (para este procedimento pede a presença de duas pessoas); Ativar, operar e desativar a EEAT VIII e a bomba do elevado, com segurança (os conjuntos motor-bomba da elevatória não podem trabalhar quando o nível do contato estiver abaixo de 2,9 m). Criar um sistema simples Colocar uma tubulação de 60 mm com Falta de recursos; Não precisar levantar para acompanhar a pressão de altura de 1m, com uma bóia peti dentro, Não aprovação do projeto uma tampa e subir para trabalho dos filtros em cada caixa de passagem; apresentado visualizar a pressão de trabalho do filtro; Colocar duas roldanas pequenas em cada 10 caixa de passagem; Lavar o filtro que realmente esteja com Colocar um cordão, resistente, ligando a maior necessidade de bóia ao ponto de visualização de pressão limpeza devido à baixa em cada caixa de passagem; pressão;.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 18
  19. 19. NÚMERO ESTUDO DE CASOS PROCEDIMENTOS BARREIRAS BENEFÍCIOS CONTINUAÇÃO DO CASO Fazer réguas de 16 cm para acompanhar Verificar a pressão de 10 a pressão. trabalho do filtro visualizando no marcador por fora da caixa de passagem; Melhoria ergonômica por não ser necessário esforço físico para acompanhar a pressão do filtro; 10 Redução de gastos com tampa de madeira e naylon; Diminuir em 10% o número de lavagens; A caixa de passagem ficará fechada, evitando cair sujeiras dentro.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 19
  20. 20. AÇÕES DE P+L OPORTUNIDADE ETAPA DO DESCRIÇÃO DA MEDIDA PROPOSTA TÉCNICA DE P+L NÍVEL DEESTUDO DE MELHORIA PROCESSO UTILIZADA EFICIÊNCIA DE (ASPECTO DE P+L CASOS AMBIENTAL) Reduzir o tempo de trabalho da bomba submersa que eleva água clorada para o laboratório para 01 Eliminar resíduos Coleta de água Mudança no processo - análises, criando outro ponto de coleta sem uso de sólidos em uso; clorada para Redução na fonte 01 bomba para elevação; Calor (energia) análises Reduzir a quantidade de perda de água, gasta no processo de análises de cloro e outras. Elevar água clorada para o laboratório, direto do Coleta de água Mudança de tecnologia e CJMB que opera durante toda operação. Menos resíduos sólidos; clorada para de processo - 01 02 Obs.: exceção quando houver vazamento na rede Calor (energia) análises Redução na fonte da EVIII Diminuição de resíduos 03 Criar um by pass do ponto em frente à casa de sólidos (baldes, beques, Chegada de Mudança de processo - cloração à calha parshall, com entrada para o 01 EPI,s) água bruta Redução da fonte laboratório, evitando a coleta com baldes na calha. Diminuição de resíduos Mudança de tecnologia e sólidos (baldes, beques, Colocar uma bomba submersa de 0,5 cv para elevar 04 EPI,s) Decantação água decantada para o laboratório para análises de processo 01 Redução da fonte Resíduos sólidos Colocar uma bomba submersa de 0,5 cv para elevar Mudança de tecnologia - 05 (baldes, beques, EPI,s) Coagulação água coagulada para o laboratório para análises Redução da fonte 01embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 20
  21. 21. OPORTUNIDADE ETAPA DO DESCRIÇÃO DA MEDIDA PROPOSTA TÉCNICA DE P+L NÍVEL DEESTUDO DE MELHORIA PROCESSO UTILIZADA EFICIÊNCIA DE (ASPECTO DE P+L CASOS AMBIENTAL) Diminuição dos resíduos sólidos e Tirar o ponto de dosagem de flúor da água bruta e Mudança de processo – 06 líquidos Fluoretação colocar na água filtrada Redução na fonte 01 Eliminar gases; Redução de resíduos Mudança de processo – 07 sólidos Cloração Modificar o layout do barrilête na casa de cloração Redução na fonte 01 Redução de resíduos Criar formulários eletrônicos, planilhas no Excel, Mudança no processo – 08 sólidos Formulários para informar todos os dados da ETA Redução na fonte 01 Redução de resíduos Nível do Colocar um sistema de bóia (garrafa peti) que Mudança no processo e 01 09 sólidos reservatório de permite acompanhar o nível do reservatório dentro de tecnologia – contato do laboratório e no poste próximo a EVIII Redução na fonte Redução de resíduos Colocar um sistema de bóia (garrafa peti) que Mudança de processo e 01 Caixa de 10 sólidos passagem permite acompanhar a pressão do filtro sem ter que tecnologia – levantar a tampa Redução na fonteembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 21
  22. 22. ANÁLISES DOS BENEFÍCIOS TEMPO DE ESTUDO CUSTOS E CUSTOS E META INVESTI- CUSTO CUSTO BENEFÍCIO RETORNO DE RISCOS NO RISCOS COM DE REDUÇÃO MENTO ANTES DE DEPOIS DE ECONÔMICO payback CASOS PROCESSO O NOVO (%) (R$) P+L (R$) P+L (R$) (R$) (ano) ATUAL/ANO PROCESSO/ANO (a) (b) (c) (d) = b - c (e) = a/d 01 - Reduzir o 110 kw de nenhum Reduzir em 95%tempo de trabalho energia; a energiada bomba que eleva consumida noágua clorada do 200 reais com processo;contato para o manutenção elaboratório para reparos Reduzir em 90% 0,00 300,00 0,0 300,00 0,0 anocoleta e analise do a perda de águacloro captada paraeconomizando análises, que iaenergia e evitando para o esgoto.perda de águatratada02 - Elevar água 100 kw de 20 kw de Diminuir 80 %clorada para o energia; energia; os gastos comlaboratório direto energia;da EVIII. Com 160 reais com 20 reais comretorno direto na manutenção e manutenção e Diminuir 90% os 76,50 160,00 40,00 120,00 0,6 anocalha parshall reparos reparos gastos com manutenção e reparos embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 22
  23. 23. TEMPO DE ESTUDO CUSTOS E CUSTOS E META INVESTI- CUSTO CUSTO BENEFÍCIO RETORNO DE RISCOS NO RISCOS COM DE REDUÇÃO MENTO ANTES DE DEPOIS DE ECONÔMICO payback CASOS PROCESSO O NOVO (%) (R$) P+L (R$) P+L (R$) (R$) (ano) ATUAL/ANO PROCESSO/ANO (a) (b) (c) (d) = b - c (e) = a/d03 - Coletar a água 200 reais com 20 reais com Diminuir 80% osbruta para analises materiais materiais gastos come jarr teste, direto (baldes, beques. (baldes, beques. materiaisno laboratório com EPI) EPI)retorno da águadireto para a calha Risco constante Zero risco de Diminuir em 78,50 200,00 20,00 180,00 0,4 anoparshall de acidente ao acidente ao 100% o risco de coletar a água coletar a água acidentes04 - Coleta da água 200 reais com 50 kw de energia Diminuir 80% osdecantada direto no materiais gastos comlaboratório, com (baldes, beques. materiaisretorno na calha EPI)parshall Risco constante Zero risco de Diminuir em 682,50 200,00 70,00 130,00 5,2 anos de acidente ao acidente ao 100% o risco de coletar a água coletar a água acidentes ao coletar a água embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 23
  24. 24. TEMPO DE ESTUDO CUSTOS E CUSTOS E META INVESTI- CUSTO CUSTO BENEFÍCIO RETORNO DE RISCOS NO RISCOS COM DE REDUÇÃO MENTO ANTES DE DEPOIS DE ECONÔMICO payback CASOS PROCESSO O NOVO (%) (R$) P+L (R$) P+L (R$) (R$) (ano) ATUAL/ANO PROCESSO/ANO (a) (b) (c) (d) = b - c (e) = a/d05 - Coleta da água 200 reais com 50 kw de energia Diminuir 80% oscoagulada direto no materiais gastos comlaboratório, com (baldes, beques. materiaisretorno direto na EPI)calha parshall 651,50 200,00 70,00 130,00 5 anos Risco constante Zero risco de Diminuir em de acidente ao acidente ao 60% o risco de coletar a água coletar a água acidentes ao coletar a água06 - Mudar o ponto Consumo de 13 Consumo de 12 Diminuir emde dosagem de toneladas de toneladas de 10% o gasto comflúor da água bruta flúor ano flúor ano o produtopara a água filtrada Dosagem média Melhorar em de 0,52 ppm 20% a dosagem de flúor em ppm 311,50 27.820,00 25.680,00 2.140,00 0,14 ano embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 24
  25. 25. TEMPO DE ESTUDO CUSTOS E CUSTOS E META INVESTI- CUSTO CUSTO BENEFÍCIO RETORNO DE RISCOS NO RISCOS COM DE REDUÇÃO MENTO ANTES DE DEPOIS DE ECONÔMICO payback CASOS PROCESSO O NOVO (%) (R$) P+L (R$) P+L (R$) (R$) (ano) ATUAL/ANO PROCESSO/ANO (a) (b) (c) (d) = b - c (e) = a/d07 - Mudanças no Risco constante Menos risco de Diminuir emlayout na casa dos de acidentes; acidentes; 60% o risco decilindros de cloro, acidentes comCorreção de rede do Impossibilidade Possibilidade de manuseio doscloro gás de usar o kit de usar o kit de ar cilindros ar respirável ao respirável; tentar sanar Aumentar em possíveis 99% a segurança vazamentos de ao usar o kit de 6.030,00 100,00 20,00 80,00 75 anos cloro gás ar respirável; Gasto de 100 Gasto de 20 reais Diminuir em reais com com manutenção 80% os gastos manutenção e e reparos das com manutenção reparos serpentinas de e reparos cobre08 - Informatizar os Gasto de 400 Gasto de 100 Diminuir emrelatórios de reais com folhas, reais com 75% o gasto comacompanhamento materiais de material de materiais;de todo o processo arquivo e arquivo (mídiasda estação papelaria; de cd ou dvd); Reduzir em 90% 28,00 400,00 100,00 300,00 0,1 ano os resíduos Geração de 100 Geração de 0,2 sólidos quilos de quilos de resíduos sólidos resíduos sólidos embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 25
  26. 26. TEMPO DE ESTUDO CUSTOS E CUSTOS E META INVESTI- CUSTO CUSTO BENEFÍCIO RETORNO DE RISCOS NO RISCOS COM DE REDUÇÃO MENTO ANTES DE DEPOIS DE ECONÔMICO payback CASOS PROCESSO O NOVO (%) (R$) P+L (R$) P+L (R$) (R$) (ano) ATUAL/ANO PROCESSO/ANO (a) (b) (c) (d) = b - c (e) = a/d09- Colocar um Gasto de 150 Gasto de 10 reais Reduzir em 90%sistema para reais com com os gastos comacompanhar o nível manutenção e manutenção; manutenção;de água do contato reparos da bóia edentro do régua de nível; Aumentar em 187,00 150,00 20,00 130,00 1,4 anoslaboratório 90% a eficiência Baixa eficiência Maior eficiência nas operações10 – Criar um Gasto de 100 Gasto de 20 reais Reduzir em 80%sistema simples reais com com manutenção os gastos compara acompanhar a manutenção e e reparos; manutenção epressão de trabalho reparos; reparos;dos filtros 172,00 100,00 20,00 80,00 2,2 anos Riscos de Menos riscos de Reduzir os riscos acidentes ao acidentes ao de acidentes em verificar a verificar a 90% pressão pressão 8.217,50 25.350,00 21.760,00 3.590,00 2,28 anos RESUMO GERAL embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 26
  27. 27. RECURSOS MATERIAIS: DESCRIÇÃO E VALORES – INVESTIMENTOS ESTUDO MATERIAIS PARA IMPLANTAÇÃO VALOR INVESTIMENTO DE UNITÁRIO POR CASO e TOTAL CASOS DO PROJETO 01 - Reduzir o tempo de trabalho da bomba que eleva Humano 0,00 0,00água clorada do contato para o laboratório para coletae analise do cloro, economizando energia e evitandoperda de água tratada.02 - Elevar água clorada para o laboratório direto da 01 registro de metal 9,00 9,00EVIII. Com retorno direto na calha parshall 06 joelhos de ½ pol 1,00 6,00 01 Tê de ½ pol 1,50 1,50 20 metros de tubo de ½ pol 3,00 60,00 Total 76,5003 - Coletar a água bruta para analises e jarr teste, 08 joelhos de ½ pol 1,00 8,00direto no laboratório com retorno da água direto para a 01 Tê de ½ pol 1,50 1,50calha parshall 01 registro de metal 9,00 9,00 20 metros de tubo de ½ pol 3,00 60,00 Total 78,5004 - Coleta da água decantada direto no laboratório, 50 metros de tubo de ½ pol 3,00 150,00com retorno na calha parshall 08 joelhos de ½ pol 1,00 8,00 01 Tê de ½ pol 1,50 1,50 01 registro de metal 9,00 18,00 01 bomba submersa 0,5 cv 150,00 150,00 100 metros de fio 3,50 350,00 01 interruptor com caixa 5,00 5,00 Total 682,50 embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 27
  28. 28. ESTUDO MATERIAIS PARA IMPLANTAÇÃO VALOR INVESTIMENTO DE UNITÁRIO POR CASO e TOTAL CASOS DO PROJETO05 - Coleta da água coagulada direto no laboratório, 50 metros de tubo de ½ pol 3,00 130,00com retorno direto na calha parshall 06 joelhos de ½ pol 1,00 6,00 01 Tê de ½ pol 1,50 1,50 01 registro de metal 9,00 9,00 01 bomba submersa 0,5 cv 150,00 150,00 100 metros de fio 3,50 350,00 01 interruptor com caixa 5,00 5,00 Total 651,5006 - Mudar o ponto de dosagem de flúor da água bruta 60 metros de tubo de 25 mm 4,00 240,00para a água filtrada 20 metros de tubo de ½ pol 3,00 60,00 10 joelhos de 40 mm 1,00 10,00 01 Tê de ½ pol 1,50 1,50 Total 311,5007 - Mudanças no layout da casa dos cilindros de 03 serpentinas de Teflon com 3m cada 2.000,00 6.000,00cloro, para correção da rede do cloro gás. 01 rosca na peça de metal 30,00 30,00 Total 6.030,0008 - Informatizar os relatórios de acompanhamento de 01 mídia de cd 3,00 3,00todo o processo da estação 01 pen drive 25,00 25,00 Total 28,0009- Colocar um sistema para acompanhar o nível de 08 roldanas pequenas 7,00 72,00água do contato dentro do laboratório 100 metros de cordão resistente 5,00 5,00 04 metros de tubo de 100 mm (tem/eta) 10,00 60,00 02 garrafas peti – média 0,00 0,00 1,5 metros de tubo de ferro (tem na eta) 40,00 40,00 02 buchas de 12mm com parafusos 1,00 1,00 16 buchas de 6mm com parafusos 0,50 9,00 Total 187,00 embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 28
  29. 29. ESTUDO MATERIAIS PARA IMPLANTAÇÃO VALOR INVESTIMENTO DE UNITÁRIO POR CASO e TOTAL CASOS DO PROJETO 16 roldanas pequenas 7,00 154,0010 – Criar um sistema simples para acompanhar a 20 metros de cordão resistente 2,00 2,00pressão de trabalho dos filtros 16 mini-garrafas peti 0,00 0,00 32 buchas 6 mm com parafusos 0,50 16,00 Total 172,00 TOTAL DO INVESTIMENTO 8.217,50 embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 29
  30. 30. CASO 01 - CASO 02 - CASO 03 CASO 04BOMBA SUBMERSA ELEVAR ÁGUA CLORADA COLETA ÁGUA BRUTA COLETA ÁGUA DECANTADA CASO 05 CASO 06 CASO 07COLETA ÀGUA COAG FLÚOR NA ÀGUA BRUTA LAYOUT ATUAL CASO 08 CASO 09 CASO 10 RELATÓRIOS MANUAIS VERIFICANDO NÍVEL VERIFICANDO PRESSÃO embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 30
  31. 31. CASO 01 - REDUÇÃO DE HORAS TRABALHADAS CASO 02 - PERDA DE ÁGUA ANO COM POR BOMBA DE 0,5 CV ANÁLISE 140 150 120 Horas trabalhadas 100 100 80 M³ 60 40 50 20 0 0 ATUAL FINAL ATUAL FINAL META META CASO 03 - RISCO DE ACIDENTES AO CASO 04 - RISCO DE ACIDENTES AO COLETAR ÁGUA BRUTA COLETAR ÁGUA DECANTADA 120 120 100 100 PERCENTUAL PERCENTUAL 80 80 60 60 40 40 20 20 0 0 ATUAL FINAL ATUAL FINAL META METAembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 31
  32. 32. CASO 05 - RISCO DE ACIDENTES AO C A SO 0 6 - M ÉD IA D E F LÚ O R CASO 06 - CONSUMO DE ao ano COLETAR ÁGUA COAGULADA FLÚOR 0,9 14 120 0,8 0,7 100 PERCENTUAL 0,6 80 13 0,5 60 0,4 40 0,3 12 20 0,2 0 0,1 ATUAL FINAL 0 ATUAL FINAL ATUAL FINAL 11 META META M ET A CASO 07 - RISCOS DE ACIDENTES AO CASO 08 - REDUÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS MANUSEIAR CILINDROS DE CLORO 100 100 80 80 60 Percentual 60 40 Kg 40 20 20 0 0 ATUAL FINAL ATUAL FINAL META METAembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 32
  33. 33. CASO 09 - REDUÇÃO DE GASTO COM CASO 10 - REDUÇÃO DE GASTO COM M ANUSEIO DE RÉGUA DE NÍVEL VERIFICAÇÃO DE PRESSÃO DOS FILTROS 100 100 80 80 Percentual Percentual 60 60 40 40 20 20 0 0 ATUAL FINAL ATUAL FINAL META METAembasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 33
  34. 34. RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO IMPLANTAÇÃO RESULTADO APÓS IMPLANTAÇÃOCASO OBSERVAÇÃO INÍCIO FIM RUIM BOM EXCELENTE 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 34
  35. 35. REFERÊNCIAS:CMMAD (Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento). Nosso futuro comum, Rio de Janeiro, FUNDAÇÃO GETÚLIOVARGAS, 2ª edição, 1991.EMBASA/UNI.PPRA, Programa de Prevenção de Risco Ambiental. ETA Ibititá. 2007.HOUSEKEEPING. Disponível em: < http://www.5s.com.br/e/a_oquee5s/a_oquee5s.htm>. Acesso em 15 abr 2010.MANUAL DE OPERAÇÃO. Operacionalizar. Operadores ETA Ibititá. EMBASA, UNI. 2007MCG QUALIDADE, Apostila de Auditoria de Gestão Ambiental, MCG, Rio de Janeiro 1995.MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Resolução CONAMA 001, DE 23.01.1986. Disponível em:http://www.mma.gov.br/conama/legiabre.cfm?codlegi=23. Acesso em: 9 abr 2010.NEILTON E NOELSON. Consultores. Estudos de Casos. ETA de Ipiaú. 01 fl.SACHS, ignacy, Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo, Vértice Ed., 1986.SCHENINI, Pedro Carlos. Avaliação dos padrões de Competitividade à Luz do Desenvolvimento Sustentável. Brasil. 1999. 223p.SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE. Entendendo o meio ambiente/ coordenação geral do Secretário de Estado do MeioAmbiente de São Paulo.SENAI/SETIND. Apostila de Educação Ambiental, CETIND, Salvador, 1996..SENAI-DR BA. Produção Mais Limpa. – Lauro de Freitas: CETIND, 2008. 67P, il.VAZ, Bastos. M. Elmo/CARLOS OLIVEIRA Antonio. Consultores. Estudos de Casos. ETA do SAA de Irecê. 01fl.YONG, Carlos Eduardo Frickmann. Competitividade e Tecnologias Limpas. Disponível em: <http://www.nicad.ufrj.br/. Acesso em 05 abr2010.embasa – UNI-O ETA- IBITITÁ 2010 35

×