Automação e controle

474 visualizações

Publicada em

Eccentric presses line automation

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Automação e controle

  1. 1. AUTOMAÇÃO E CONTROLE PROJETO DE AUTOMAÇÃO: LINHA DE PRENSAS EXCÊNTRICAS Graduandos: ANTONIO MARCOS LINO DOS SANTOS - RA3800591 ISAC NEGREIROS DOS SANTOS JUNIOR - RA3800608 JOÃO PAULO FERREIRA - RA 3800605 GERSON ROBERTO DA SILVA - RA 3800701 TIAGO VALERIO FRANCO - RA 3800576
  2. 2. QUANDO SURGIRAM AS PRIMEIRAS PRENSAS HIDRÁULICAS ? A primeiras prensa foram inventadas em 1795 por Joseph Bramah, a prensa hidráulica é também conhecida como a prensa Bramah Como era seu funcionamento? Era constituído por dois cilindros munidos de êmbolos bombas, êmbolos estes com diâmetros muito diferentes e que comunicam entre si por um tubo metálico. A bomba de diâmetro menor aspira água de um reservatório. Este, de seguida,e comprimida contra o êmbolo de secção maior sendo a sua passagem realizada através da tubagem que liga os 2 êmbolos. Esta operação é realizada por uma manivela ligada a uma alavanca inter-resistente que comunica com o embolo de secção menor. A prensa hidráulica é uma aplicação direta do princípio de Pascal.
  3. 3. PRENSAS E SUAS APLICAÇÕES. Prensa excêntrica GTX – 300 – Fabricante Chinesa As prensas são usadas para conformar, moldar, cortar, furar, cunhar e vazar peças. No mercado, encontramos prensas com capacidade de carga de poucos quilos até prensas de mais de 50.000 toneladas de força. No parque industrial brasileiro a maioria das prensas é do tipo excêntrica que é a mais perigosa
  4. 4. ROBÔS INDUSTRIAIS Os robôs, de acordo com a Associação de Indústrias de Robôs dos Estados Unidos (Robot Industries Association - RIA), são "manipuladores reprogramáveis e multifuncionais, projetados para manipular materiais, peças, ferramentas ou dispositivos especializados, através de movimentos variáveis programados para a realização de tarefas diversas“. O número de juntas de um robô determina seus graus de liberdade; a maioria dos robôs possui de 3 a 6 eixos.
  5. 5. O QUE FOI PROPOSTO ? Como forma de otimização do processo produtivo. Foi escolhido executar a implementação de uma linha de produção onde todas as tarefas repetitivas, insalubres e que ofereciam grandes riscos aos colaboradores, agora seriam efetuadas pelos sistemas automatizados conhecidos como Robôs.
  6. 6. SEGURANÇA NR – 12, ISO10218 Norma ISO10218 Foi criada devido aos riscos particulares presentes nos sistemas robóticos. fornece orientações sobre as considerações de uso, projeto de segurança, construção, programação, operação, manutenção e reparo de robôs industriais e sistema robótico. Considere como um sistema robótico, o robô, o efetuador e qualquer dispositivo, equipamento ou sensor necessário para que o robô execute sua tarefa.
  7. 7. NORMA NBR 14153- SEGURANÇA COM MAQUINAS
  8. 8. O PROJETO. Programação Pode ser realizada diretamente no console do robô ou via computador. Layout Foi definido por consenso técnico que a distribuição dessa linha de prensas deveria comtemplar em primeiro lugar a segurança e a disposição dos robôs.
  9. 9. Rotina O fluxograma de rotina ao lado nos mostra um exemplo dos passos que o robô ira seguir depois de programado.
  10. 10. CONTROLE DO PROCESSO. Controle Todo controle do equipamento ou seja, todos os dispositivos necessários para controle dos robôs e a segurança das operações foram alocadas dentro dos painéis de controlo dos próprios robôs.
  11. 11. PRINCIPAIS SISTEMAS DE SEGURANÇA. Podemos citar entre eles: - Comandos bi manuais - Barreiras de Proteção - Scaners 3D. -Enclausuramento da maquina com acesso restrito,
  12. 12. RESULTADOS 180 190 200 180 190 193 182 179 240 235 242 230 240 242 240 239 50 45 42 50 50 49 58 59 40 90 140 190 240 1 Hora 2 Horas 3 horas 4 Horas 5 Horas 6 Horas 7 Horas 8 Horas Comparação entre a produção Manul vs. Automatica Linha Manual Linha Automatica Diferença A comparação aconteceu dentro de um período normal de trabalho de 8 horas por turno ou seja, se fizermos uma média para a produção dos 3 turnos podemos ter mais um comparativo entre as duas formas de produção.
  13. 13. CONCLUSÃO As aplicações dos robôs nas indústrias brasileiras são diversas. Em termos percentuais, por exemplo, os robôs da ABB são utilizados para soldagem por resistência por pontos (33%), manipulação de materiais/paletização (25%), soldagem por arco (18%), pintura (10%) e outras aplicações tais como corte a jato de água, corte por gás, acabamento e montagem (14%) (fonte ABB Internal Report). fica evidente que a instalação desta linha automatizada de produção em todos os aspectos supera as linhas manuais pela sua versatilidade e capacidade de produção. E como uma perspectiva futura existem estudos que querem comprovar a viabilidade da inclusão de novas linhas de prensas automáticas, reduzindo riscos, aumentando a produção e melhora na qualidade dos produtos.
  14. 14. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS - ARAÚJO, Adriene Pereira de. Revolução Industrial. Julio Battisti, Santa Cruz do Sul, jun. 2006. Seção História. Disponível em: < http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/adrienearaujo/historia025.asp>. - Armada, M.A., Control de Robots, XV Curso de Automática en la Industria, Aguadulce (Almería), Junio de 1995. - “Conceito Empresarial - ABB Robotics", ABINEE TEC'93, 1993. - ABB Internal Report, 2000. - Abackerli, A. J., 1992. Sistema de Rastreamento Interferométrico para Calibração Volumétrica de Robôs Industriais, Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, EESC, São Carlos. - Introducing Robotics, Technical Specifications of Pegasus II - Articulated Servo Robot System, Edacom Tecnologia, São Caetano do Sul, Brasil - Spong, M.W., Vidyasagar, M., Robot Dynamics and Control, John Wiley & Sons, Inc., 1989.
  15. 15. VIDEOS

×