Seminário                    25 Fevereiro                           2012Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
ConceitoA palavra     autismo provém de termosgregos: “autos” que significa    “o próprio”,acrescido do sufixo “ismo” que ...
“Desde 1938, têm chegadoà nossa atenção um número de criançascuja condição difere tão marcada e unicamente dequalquer cois...
    Um profundo afastamento autista    Um desejo autista pela conservação da    semelhança    Uma boa capacidade de mem...
A partir de estudos posteriores, acrescentou :    Ecolália, "fala de papagaio“    Linguagem extremamente literal    Uso...
Autismo infantil     precoce   Perturbação     autística  Perturbação doEspetro do Autismo                                ...
A partir dos anos 60, a investigaçãocientífica, baseada sobretudo em estudos decasos de gémeos e nas doenças genéticas aqu...
Parece haver genes candidatos, ou seja umapredisposição para o autismo o que explica aincidência de casos de autismo nos f...
O quadro etiológico não seencontra determinado, massão apontadas causasmultifatoriais                  Genéticas          ...
Desde os anos 70 o Autismo deixou deser enquadrado enquanto “psicose”infantil (Rutter, 1972), passando a serdescrito no âm...
PERTURBAÇÃO GLOBAL (PERVASIVA)DO DESENVOLVIMENTO                 Pervasivo - "aquilo que se infiltra num                 s...
Alguns factores pré natais (ex. rubéola materna,hipertiroidismo) e peri natais (ex. prematuridade,baixo peso ao nascer, in...
http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php   “Não há ligação causal entre atitudes e   acções dos pais e o apare...
“De acordo com estudos feitos porpesquisadores da Dinamarca emconjunto com a Universidade deCambridge, as crianças geradas...
Outras revelações do estudo feito emparceria  com    a   Universidade   deCambridge mostram que o risco deautismo é maior ...
A instituição NHS Information Centre -mostrou que enquanto um em cada50 homens carregam informaçõesgenéticas que podem cau...
No entanto, representantes daNational Autistic Society, falaramque "sabemos pouco das causasbiológicas que dão origem aoau...
Disfunções sociais   Perturbações na comunicação e no  jogo imaginativo    Interesses eactividades restritas    e repetiti...
Limitações                 nas relações                    sociais Variedade     deinteresses e          Comunicaçãocompor...
As manifestações têm que estar presentesdesde o nascimento        até aos três anos(aproximadamente) persistindo e evoluin...
Contudo, há relatos de casos em queos    familiares    apontam     umdesenvolvimento     “normal”    nosprimeiros meses de...
Para diagnosticar o autismo é necessáriodiferenciá-lo de outras perturbações (globais)do desenvolvimento: 5 Diagnósticos p...
http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php             PREVALÊNCIA   Há mais rapazes do que raparigas com   auti...
Critérios de diagnóstico      do DSM-IV-TRpara Perturbação Autística              Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernan...
DÉFICES DA INTERAÇÃO SOCIAL         RECÍPROCA               Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
1 a) Dificuldade em usar comportamentos não verbais para regular a interação socialExemplos:      Dificuldades em olhar o...
1 b) Incapacidade para desenvolver relações com os companheiros adequadas à idadeExemplos:       Poucos ou nenhuns amigos...
1 c) Reduzida tendência para partilhar prazeres, objetivos ou interesses com os outrosExemplos:       Aprecia as suas act...
1 d) Ausência de reciprocidade social ou emocionalExemplos:      Não responde aos outros; “parece surdo”      Não se most...
DÉFICES DE COMUNICAÇÃO            Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
2 a) Atraso ou ausência total do desenvolvimento da linguagemExemplos:      Não usa palavras para comunicar aos 2        ...
2 b) Dificuldade para manter uma conversaçãoExemplos:      Dificuldade em saber quando iniciar,        continuar e/ou ter...
2 c) Linguagem invulgar ou repetitivaExemplos:       Repete aquilo que os outros lhe dizem         (ecolália)       Repet...
2 d) Brincadeiras que não são adequadas ao nível de desenvolvimentoExemplos:      Reduzidos jogos imitativos com brinqued...
COMPORTAMENTOS,INTERESSES OU ATIVIDADES RESTRITOS E REPETITIVOS           Helena Sousa - Hermínia Martins -               ...
 3 a) interesses cujo objectivo é limitado, claramente  intenso e/ou invulgarExemplos:        Preocupação muito forte por...
 3 b) Insistência intransigente em estereótipos em  seguir rotinas habituaisExemplos:        Quer realizar certas ativida...
3 c) Maneirismos motores repetitivosExemplos:      Abana as mãos quando está excitado ou       preocupado      Estala os ...
3 d) Preocupação com partes de objetosExemplos:       Usa os objetos de formas não pretendidas         (ex: faz mover os ...
Psiquiatra e médica inglesa,nascida a 7 de outubro de 1928, comoresultado de ter uma filha autista, procedeu ainvestigaçõe...
Identificou a tríade de Wing(dimensões alteradas no contínuo autista):transtorno da reciprocidade social, transtornoda com...
É autora de muitos livros e documentaçãoacadémica, incluindo Aspergers Syndrome: aClinical Account, um texto de referência...
Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
Define o autismocomo “psicopatia autística”.Descreve que as crianças observadas“têm em comum uma perturbação básica que se...
“Desde 1938, têm chegado à nossa atenção umnúmero de crianças cuja condição difere tãomarcada e unicamente de qualquer coi...
“As pessoas com S. A. manifestam problemasna interacção social, na comunicação e faltade flexibilidade de pensamento, pode...
“Ao contrário das pessoas com autismo, as quepadecem da S. A. têm menos problemas com odesenvolvimento da linguagem e são ...
Varia de indivíduo paraindivíduoA comunicação recetivaparece    ser   (muito)superior à expressivaA memória geralmenteé (m...
As crianças com Síndrome de Asperger têmuma inteligência normal, mas escassa interaçãosocial e expressão emocional.É-lhes ...
Não seguem os padrões de desenvolvimento dafala e a entoação ao falar é monocórdica.Manifestam obsessão por temas pouco us...
A S. A. afeta aproximadamente 2 em cada 10 000pessoas.É menos prevalente que o autismo, pois este afetamais ou menos 10 em...
DSM-5 (Publicação prevista   para Maio de 2013)    © 2012 American Psychiatric Association  Prevê-se que apresente maisres...
“O autismo (…) passou de uma doença quasedesconhecida a um “surto” de diagnósticos.Motivo que está a levar a Associação Am...
Podem estar afetadas respostas adaptativas:   Somatomotoras (motricidade grossa/fina)   Controlo motor   Organização do...
Verificam-se, em grau ligeiro a grave,dificuldades na integração das sensaçõesprovindas do próprio corpo e do ambienteenvo...
As dispraxias são comuns nas pessoascom autismoDificultam:   A ideação (ideia do que fazer com materiais,    actividades ...
Estratégias úteis:   Analisar jogos   Imitar gestos e posturas   Realizar jogos de sequenciação   Copiar desenhos   D...
Os aspectos mais afectados pelas dispraxiasrevelam que:A inibição motora se encontra aparentementeintacta (Ozonoff e Stray...
Os problemas nas praxias orais podemprevalecer (Adams, 1998; Page e Boucher,1998; Rogers et al., 2003).O desenvolvimento d...
As dispraxias dificultam:   Brincar/jogar com os pares.   Seguir instruções/direções.   Ficar à espera (da ação/acontec...
As dispraxias também dificultam:   Realizar o planeamento motor em função    de pistas auditivas (comando verbal) que    ...
   http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php   Capucha, L. (Dir.). (2008b). Unidades de ensino estruturado   ...
   Pedrosa, S. (2006). As quatro componentes principais do    ensino estruturado. O autismo na escola para todos -    Est...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Intervenção helena

1.997 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.997
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
612
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intervenção helena

  1. 1. Seminário 25 Fevereiro 2012Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  2. 2. ConceitoA palavra autismo provém de termosgregos: “autos” que significa “o próprio”,acrescido do sufixo “ismo” que remete parauma ideia de orientação ou estado de alguémque apresenta tendência para o alheamento darealidade exterior, a par de uma atitude depermanente concentração em si próprio”(Pereira, 2005: 9). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  3. 3. “Desde 1938, têm chegadoà nossa atenção um número de criançascuja condição difere tão marcada e unicamente dequalquer coisa referida até hoje, que cada casomerece – e eu espero que eventualmente receba –uma consideração detalhada das suasparticularidades” … “Estas características formamuma “síndrome” única e rara, apesar de,provavelmente, ser mais frequente do que é visívelna escassez dos casos observados” (Kanner, L. , 1943:217-250) – Revista Nervous Child, In Pereira e Serra (2005). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  4. 4.  Um profundo afastamento autista Um desejo autista pela conservação da semelhança Uma boa capacidade de memorização mecânica Expressão inteligente e ausente Mutismo ou linguagem sem intenção comunicativa efectiva Hipersensibilidade aos estímulos Relação estranha e obsessiva com objectoshttp://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  5. 5. A partir de estudos posteriores, acrescentou : Ecolália, "fala de papagaio“ Linguagem extremamente literal Uso estranho da negativa Inversão pronominal Outras perturbações da linguagem http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/ autismo.php Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  6. 6. Autismo infantil precoce Perturbação autística Perturbação doEspetro do Autismo PEA Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  7. 7. A partir dos anos 60, a investigaçãocientífica, baseada sobretudo em estudos decasos de gémeos e nas doenças genéticas aque pode estar associado o autismo (x-frágil, esclerose tuberosa, fenilcetonúria,neurofibromatose, diversas anomaliascromossómicas) mostrou a existência de umfactor genético multifatorial e de diversascausas orgânicas relacionadas com a suaorigem. Estas causas são diversas e reflectem a diversidade das pessoas com autismo Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  8. 8. Parece haver genes candidatos, ou seja umapredisposição para o autismo o que explica aincidência de casos de autismo nos filhos deum mesmo casal.É possível existirem factores hereditários comuma contribuição genética complexa emultidimensional. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  9. 9. O quadro etiológico não seencontra determinado, massão apontadas causasmultifatoriais Genéticas Imunulógicas Ambientais Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  10. 10. Desde os anos 70 o Autismo deixou deser enquadrado enquanto “psicose”infantil (Rutter, 1972), passando a serdescrito no âmbito das perturbaçõescontínuas e gerais descritas naliteratura como “perturbações globais(pervasivas) do desenvolvimento”(Pereira e Serra, 2005: 15) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  11. 11. PERTURBAÇÃO GLOBAL (PERVASIVA)DO DESENVOLVIMENTO Pervasivo - "aquilo que se infiltra num sistema, que penetra/invade e persiste de forma indesejada; que acomete um sistema ou grupo“ «ubíquo, universal» (Dicionário Online) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  12. 12. Alguns factores pré natais (ex. rubéola materna,hipertiroidismo) e peri natais (ex. prematuridade,baixo peso ao nascer, infecções gravesneonatais, traumatismo de parto) podem tergrande influência no aparecimento dasperturbações do espectro do autismo.Há uma grande incidência de epilepsia napopulação autista (26% - 47%) enquanto napopulação em geral a incidência é de cerca de0,5%. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  13. 13. http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php “Não há ligação causal entre atitudes e acções dos pais e o aparecimento das perturbações do espectro autista”. “As pessoas com autismo podem nascer em qualquer país ou cultura e o autismo é independente da raça, da classe social ou da educação parental”. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  14. 14. “De acordo com estudos feitos porpesquisadores da Dinamarca emconjunto com a Universidade deCambridge, as crianças geradas porpais acima de 35 anos tem maioreschances de serem autistas”.As informações são do Daily Mail. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  15. 15. Outras revelações do estudo feito emparceria com a Universidade deCambridge mostram que o risco deautismo é maior quando a mãe é maisvelha (65%) em comparação a um paivelho (44%) e também sugerem queoutros motivos, como infecções,medicação ou tratamento de fertilidadetambém devem ser considerados. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  16. 16. A instituição NHS Information Centre -mostrou que enquanto um em cada50 homens carregam informaçõesgenéticas que podem causar oproblema, uma em cada 300 mulheresapresentam a mesma condição. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  17. 17. No entanto, representantes daNational Autistic Society, falaramque "sabemos pouco das causasbiológicas que dão origem aoautismo para afirmar que a idadedos pais é um fator determinantepara desenvolver o problema". Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  18. 18. Disfunções sociais Perturbações na comunicação e no jogo imaginativo Interesses eactividades restritas e repetitivas Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  19. 19. Limitações nas relações sociais Variedade deinteresses e Comunicaçãocomportamentos verbal e não verbal Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  20. 20. As manifestações têm que estar presentesdesde o nascimento até aos três anos(aproximadamente) persistindo e evoluindo deformas diferentes, ao longo da vida (Pereira eSerra, 2005). Dias 36meses … Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  21. 21. Contudo, há relatos de casos em queos familiares apontam umdesenvolvimento “normal” nosprimeiros meses de vida. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  22. 22. Para diagnosticar o autismo é necessáriodiferenciá-lo de outras perturbações (globais)do desenvolvimento: 5 Diagnósticos possíveis: Perturbação autística Perturbação de Asperger Perturbação de Rett Perturbação desintegrativa da 2ª infância Perturbação global do desenvolvimento sem outra especificação Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  23. 23. http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php PREVALÊNCIA Há mais rapazes do que raparigas com autismo. A sua proporção é de 4 a 5 para 1. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  24. 24. Critérios de diagnóstico do DSM-IV-TRpara Perturbação Autística Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  25. 25. DÉFICES DA INTERAÇÃO SOCIAL RECÍPROCA Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  26. 26. 1 a) Dificuldade em usar comportamentos não verbais para regular a interação socialExemplos: Dificuldades em olhar os outros nos olhos Reduzido uso de gestos enquanto fala Expressões faciais reduzidas ou invulgares Dificuldade em saber quão próximo dos outros se deve manter Entoação ou qualidade da voz invulgares Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  27. 27. 1 b) Incapacidade para desenvolver relações com os companheiros adequadas à idadeExemplos: Poucos ou nenhuns amigos Relações apenas com pessoas muito mais velhas ou mais jovens do que a criança ou com membros da família Relacionamentos baseados primariamente em interesses especiais Dificuldade em interagir em grupos e em respeitar regras de jogos em equipa Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  28. 28. 1 c) Reduzida tendência para partilhar prazeres, objetivos ou interesses com os outrosExemplos: Aprecia as suas actividades favoritas, programas televisivos e brinquedos sozinho, sem tentar envolver outras pessoas Não tenta chamar a atenção dos outros para as atividades, interesses, objetivos Reduzido interesse ou reação a manifestações de agrado Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  29. 29. 1 d) Ausência de reciprocidade social ou emocionalExemplos: Não responde aos outros; “parece surdo” Não se mostra consciente dos outros; “ausenta-se” da sua existência Não se apercebe de quando os outros estão tristes ou perturbados; não oferece consolo Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  30. 30. DÉFICES DE COMUNICAÇÃO Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  31. 31. 2 a) Atraso ou ausência total do desenvolvimento da linguagemExemplos: Não usa palavras para comunicar aos 2 anos de idade Não profere frases simples (ex: “mais leite”) aos 3 anos Depois do discurso se desenvolver, a gramática é imatura ou dá erros repetidos Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  32. 32. 2 b) Dificuldade para manter uma conversaçãoExemplos: Dificuldade em saber quando iniciar, continuar e/ou terminar uma conversação Reduzida variação; pode falar sem parar num monólogo Incapacidade para responder às observações dos outros; responde apenas a perguntas diretas Dificuldade em conversar sobre assuntos que não sejam de especial interesse Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  33. 33. 2 c) Linguagem invulgar ou repetitivaExemplos: Repete aquilo que os outros lhe dizem (ecolália) Repete palavras a partir de vídeos, livros ou anúncios publicitários em alturas inapropriadas ou fora do contexto Usa palavras ou frases criadas por si ou que têm significado apenas para si Estilo de discurso claramente formal, eloquente ou pedante (parece “um pequeno professor”) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  34. 34. 2 d) Brincadeiras que não são adequadas ao nível de desenvolvimentoExemplos: Reduzidos jogos imitativos com brinquedos Raramente finge que um objeto é outra coisa (ex: uma banana é um telefone) Prefere usar os brinquedos de forma concreta (ex: alinhar ou empilhar peças, lápis, canetas… dispor mobílias de bonecas …) em vez de brincar com elas Reduzido interesse por jogos sociais (ex: apanhada…) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  35. 35. COMPORTAMENTOS,INTERESSES OU ATIVIDADES RESTRITOS E REPETITIVOS Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  36. 36.  3 a) interesses cujo objectivo é limitado, claramente intenso e/ou invulgarExemplos: Preocupação muito forte por determinados assuntos com exclusão de outros Dificuldade em abandonar determinados assuntos ou actividades Interferência com outras atividades (ex: atrasa- se para refeições ou higiene pessoal devido à preocupação com as atividades) Interesse por assuntos invulgares (sistemas antifogo, classificação de filmes, astrofísica, códigos de emissores radiofónicos…) Excelente memória para pormenores e interesses especiais Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  37. 37.  3 b) Insistência intransigente em estereótipos em seguir rotinas habituaisExemplos: Quer realizar certas atividades de forma exata (ex: fechar as portas dos automóveis segundo uma ordem determinada) Facilmente perturbado por alterações mínimas da rotina (ex: percorrer um caminho diferente da escola para casa) Necessidade de ser avisado antecipadamente de quaisquer alterações Fica altamente ansioso e preocupado se as rotinas ou rituais não forem respeitados Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  38. 38. 3 c) Maneirismos motores repetitivosExemplos: Abana as mãos quando está excitado ou preocupado Estala os dedos em frente aos olhos Posturas bizarras com as mãos ou outros movimentos com elas Roda e balança o corpo durante longos períodos Caminha e/ou corre nas pontas dos pés Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  39. 39. 3 d) Preocupação com partes de objetosExemplos: Usa os objetos de formas não pretendidas (ex: faz mover os olhos das bonecas, abre e fecha repetidamente as portas de um automóvel de brincar…) Interesse pelas qualidades sensoriais dos objetos (ex: cheirar objetos ou olhar para eles de muito perto…) Gosta de objetos que se movem (ex: rodas que giram…) e de ver água a correr… Ligação a objetos invulgares (ex: cordéis, electrodomésticos…) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  40. 40. Psiquiatra e médica inglesa,nascida a 7 de outubro de 1928, comoresultado de ter uma filha autista, procedeu ainvestigações sobre os transtornos docomportamento, particularmente sobre osrelacionados com o espetro do autismo.Em 1962 iniciou, com outros pais, a NAS(National Autistic Society) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  41. 41. Identificou a tríade de Wing(dimensões alteradas no contínuo autista):transtorno da reciprocidade social, transtornoda comunicação verbal e não verbal e ausênciade capacidade simbólica e condutaimaginativa.Posteriormente acrescentou os padrõesrepetitivos de actividade e interesses. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  42. 42. É autora de muitos livros e documentaçãoacadémica, incluindo Aspergers Syndrome: aClinical Account, um texto de referência de1981, que popularizou as investigações deHans Asperger e introduziu o termo Síndromede Asperger.É autora do Autism Spectrum ScreeningQuestionnaire (ASSQ), um questionário para odiagnóstico de transtornos do espetro autistaem crianças dos 7 aos 16 anos. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  43. 43. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  44. 44. Define o autismocomo “psicopatia autística”.Descreve que as crianças observadas“têm em comum uma perturbação básica que semanifesta de uma maneira muito característica emtodos os fenómenos expressivos ecomportamentais.Esta perturbação resulta em consideráveisdificuldades, típicas de integração social. Emmuitos casos, esta dificuldade é compensada poruma originalidade particular do pensamento e daexperiência, que pode resultar em desempenhosposteriores excecionais na vida futura”. (Asperger, 1944, citado por Frith, 1989: 9). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  45. 45. “Desde 1938, têm chegado à nossa atenção umnúmero de crianças cuja condição difere tãomarcada e unicamente de qualquer coisareferida até hoje, que cada caso merece – e euespero que eventualmente receba – umaconsideração detalhada das suasparticularidades” … “Estas característicasformam uma “síndrome” única e rara, apesarde, provavelmente, ser mais frequente do que évisível na escassez dos casos observados” (Kanner, L. , 1943: 217-250) – Revista Nervous Child. In Pereira e Serra (2005). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  46. 46. “As pessoas com S. A. manifestam problemasna interacção social, na comunicação e faltade flexibilidade de pensamento, podendoassim ter uma imaginação pobre, interessesmuito intensos ou limitados e muito apego àsrotinas”.E fraco sentido de humor.“Para se poder fazer um diagnóstico, énecessário encontrar diferentes tipos e grausde incapacidade em cada uma destas trêsáreas”. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  47. 47. “Ao contrário das pessoas com autismo, as quepadecem da S. A. têm menos problemas com odesenvolvimento da linguagem e são menos propensasa ter dificuldades adicionais de aprendizagem”.“A base psicológica do Autismoe da Síndrome de Asperger,não é muito clara”.adequado Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  48. 48. Varia de indivíduo paraindivíduoA comunicação recetivaparece ser (muito)superior à expressivaA memória geralmenteé (muito) boa mas aarticulação entre osconhecimentos é(muito) fraca Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  49. 49. As crianças com Síndrome de Asperger têmuma inteligência normal, mas escassa interaçãosocial e expressão emocional.É-lhes difícil interpretar as expressões faciais eestabelecer relações com os seus companheiros(apropriadas para a idade). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  50. 50. Não seguem os padrões de desenvolvimento dafala e a entoação ao falar é monocórdica.Manifestam obsessão por temas pouco usuais etêm condutas repetitivas.Têm dificuldade em corresponder àsexigências sociais, escolares e de trabalho. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  51. 51. A S. A. afeta aproximadamente 2 em cada 10 000pessoas.É menos prevalente que o autismo, pois este afetamais ou menos 10 em cada 10 000 pessoas.Devido à sua inteligência, relativamente normal,e à sua linguagem, aparentemente adequada paraa idade, costumam identificar-se mais tarde do queos afectados por autismo.http://www.aboutourkids.org/files/articles/spanish_parent_letter_jan_05.pdf Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  52. 52. DSM-5 (Publicação prevista para Maio de 2013) © 2012 American Psychiatric Association Prevê-se que apresente maisrestrições de diagnóstico das PEA Público.pt - 20 Jan 2012 Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  53. 53. “O autismo (…) passou de uma doença quasedesconhecida a um “surto” de diagnósticos.Motivo que está a levar a Associação Americanade Psiquiatria a reformular a definição deautismo e de outras patologias do mesmoespectro.A mudança deverá traduzir-se numa reduçãodo número de diagnósticos – o que segundo osespecialistas pode ser um passo positivo (…)” Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  54. 54. Podem estar afetadas respostas adaptativas: Somatomotoras (motricidade grossa/fina) Controlo motor Organização do comportamento Autoregulação Motivação intrínseca Desenvolvimento cognitivo Interação social Desenvolvimento emocional (flexibilidade, estabilidade) Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  55. 55. Verificam-se, em grau ligeiro a grave,dificuldades na integração das sensaçõesprovindas do próprio corpo e do ambienteenvolvente.Essas dificuldades afectam, em menor oumaior grau, a sua capacidade de efetivar,espontaneamente, respostas adaptativasaos diversos contextos e momentos. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  56. 56. As dispraxias são comuns nas pessoascom autismoDificultam: A ideação (ideia do que fazer com materiais, actividades e lugares novos) A imitação A iniciação A integração e uso do tempo - sequenciação O planeamento motor das ações A execução das tarefas Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  57. 57. Estratégias úteis: Analisar jogos Imitar gestos e posturas Realizar jogos de sequenciação Copiar desenhos Desenhar a figura humana Realizar jogos de construção Trabalhar a representação de objectos e atribuir-lhes as respectivas funções Trabalhar a criatividade a partir de objectos concretos Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  58. 58. Os aspectos mais afectados pelas dispraxiasrevelam que:A inibição motora se encontra aparentementeintacta (Ozonoff e Strayer, 1997).Podem existir problemas com a sequenciação ouantecipação de como se mover (Hughes, 1998;Rinehart et al., 2001).Os problemas de imitação podem revelar-se naimitação de esquemas corporais, mais do que naimitação da utilização de objectos. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  59. 59. Os problemas nas praxias orais podemprevalecer (Adams, 1998; Page e Boucher,1998; Rogers et al., 2003).O desenvolvimento de competências deimitação é essencial para aintersubjectividade, a comunicação e ainteração social. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  60. 60. As dispraxias dificultam: Brincar/jogar com os pares. Seguir instruções/direções. Ficar à espera (da ação/acontecimento seguinte). Manter-se sentado. Preparar-se para dormir. Controlar os esfíncteres (durante o sono). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  61. 61. As dispraxias também dificultam: Realizar o planeamento motor em função de pistas auditivas (comando verbal) que implicam uma sequência de ações. Antecipar eventos futuros e situá-los no tempo. Imitar. Compreender a natureza de um jogo de modo a fazer ajustes apropriados às mudanças (ex. gincana). Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  62. 62.  http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php Capucha, L. (Dir.). (2008b). Unidades de ensino estruturado para alunos com perturbações do espectro do autismo. Lisboa: Ministério da Educação – DGIDC. Delaney, T. (2010). 101 Games and activities for children with autism, Asperger´s, and sensory processing disorder. New York: McGraw-Hill. Lobo, M. C., Correia, M. C. & São Miguel, T. (2007). Perturbações do Espectro do Autismo e Modelo de Ensino Estruturado. Lisboa: Ministério da Educação. Ozonoff, S., Rogers, S. J. & Hendren, R. L. (2003). Perturbações do espectro do autismo – Perspectivas da investigação actual. Lisboa. Climepsi Editores. Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado
  63. 63.  Pedrosa, S. (2006). As quatro componentes principais do ensino estruturado. O autismo na escola para todos - Estratégias para a inclusão na escola. Folha Informativa Periódica, Outubro de 2004. Federação Portuguesa de Autismo. Pereira, M. C. & Serra, H. (2005). Autismo – A família e a escola face ao autismo. Autismo – Uma perturbação pervasiva do desenvolvimento. Vila Nova de Gaia: Gailivro. http://1.bp.blogspot.com/_IAKlGJLq6s0/TMeKpidANfI/AAAA AAAAAD8/dYotjaVvZLc/s1600/interroga%C3%A7%C3%A3o.jp g http://1.bp.blogspot.com/_sI9FbLLGYJM/TGcxsNZXC- I/AAAAAAAAADE/2ufldLz0A34/s1600/interrogacao.jpg Helena Sousa - Hermínia Martins - Fernando Machado

×