Digitalização e Preservação

2.683 visualizações

Publicada em

Apresentação para a aulda da disciplina Formação e desenvolvimento de coleções do curso de graduação em Biblioteconomia da UnB
Colaborou: Denis Novaes

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.683
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Digitalização e Preservação

    1. 1. Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict [email_address] Digitalização e preservação de acervos
    2. 2. CONCEITOS <ul><li>REPRODUÇÃO CROMÁTICA </li></ul><ul><li>RESOLUÇÃO DE IMAGEM </li></ul><ul><li>PRESERVAÇÃO DIGITAL </li></ul><ul><li>REPOSITÓRIO DIGITAL </li></ul><ul><li>ARMAZENAMENTO </li></ul><ul><li>COMPRESSÕES </li></ul><ul><li>CONVERSÃO </li></ul><ul><li>METADADOS </li></ul>
    3. 3. A era digital da Fotografia <ul><li>1965 – primeiras fotos sem filme (câmera de televisão) </li></ul><ul><li>1969 – primeiro sensor para câmeras digitais (CCD) </li></ul><ul><li>1973 – primeira versão comercial (201ADC) </li></ul><ul><li>1975 – primeiro protótipo de câmera digital sem filme </li></ul><ul><li>(Kodak) </li></ul><ul><li>1976 – primeiro modelo de câmera digital comercial </li></ul><ul><li>(MV-101) </li></ul><ul><li>1981 – primeira câmera de vídeo estático (modelo Mavica </li></ul><ul><li>da Sony) </li></ul><ul><li>1989 – primeira câmera comercial com software para </li></ul><ul><li>tratamento digital de imagens </li></ul>
    4. 4. Geração de versões digitais de fotografias <ul><li>Uncompressed Baseline TIFF v.6 –TIF </li></ul><ul><li>Portable Network Graphics – PNG </li></ul><ul><li>Joint Photographic Expert Group – JPG </li></ul><ul><li>Graphics Interchange Format – GIF </li></ul><ul><li>Bit-Mapped Graphics Format – BMP </li></ul><ul><li>PhotoCD – PCD </li></ul><ul><li>Photoshop (Adobe) – PSD </li></ul>
    5. 5. Produtos derivados da digitalização de imagens <ul><li>Bases de dados de imagens; </li></ul><ul><li>Álbuns navegáveis; </li></ul><ul><li>Imagens avulsas; </li></ul><ul><li>Informações sobre imagens; </li></ul><ul><li>Websites; </li></ul><ul><li>CD-ROM’s </li></ul><ul><li>DVD’s </li></ul><ul><li>Livros eletrônicos </li></ul><ul><li>Catálogos on-line </li></ul>
    6. 6. QUESTÃO DA QUALIDADE <ul><li>INTEGRIDADE DOS DADOS </li></ul><ul><li>TIPOS DE DOCUMENTOS </li></ul><ul><li>TIPOS DE INSTITUIÇÕES </li></ul><ul><li>ACESSIBILIDADE </li></ul>
    7. 7. QUESTÃO DA QUALIDADE <ul><li>MAIOR RESOLUÇÃO = MELHOR REGISTRO DAS CORES </li></ul><ul><li>MAIOR TAMANHO DO ARQUIVO DIGITAL = MAIS ONEROSO O ARMAZENAMENTO </li></ul>
    8. 8. Recomendações para geração de versões digitais master de fotografias <ul><li>8 bits-cinzas, com resolução entre 200 e 300 ppi </li></ul><ul><li>24 bits-cores, com resolução entre 200 e 300 ppi </li></ul><ul><li>Imagens TIFF sem compressão </li></ul>
    9. 9. Digitalização <ul><li>Processamento de conversão de um dado qualquer (gráfico, texto . . .) para o formato digital </li></ul>
    10. 10. Digitalização
    11. 12. Digitalização Gráfica <ul><li>Câmera Digital </li></ul><ul><li>Page Scanner </li></ul><ul><li>Flatbed Scanners </li></ul><ul><li>Film Scanners </li></ul><ul><li>Drum Scanners </li></ul>Tipos de Scanners
    12. 13. Digitalização Gráfica <ul><li>Limpeza e recuperação </li></ul><ul><ul><li>PaperPort </li></ul></ul><ul><li>OCR </li></ul><ul><ul><li>OminiPage </li></ul></ul><ul><ul><li>FineReader </li></ul></ul><ul><li>Edição de imagens </li></ul><ul><ul><li>Corel Draw </li></ul></ul><ul><ul><li>Photo Shop </li></ul></ul><ul><ul><li>Print Shop Pro </li></ul></ul>Alguns software de edição
    13. 14. Fluxo de Digitalização
    14. 15. PaperPort
    15. 16. PaperPort
    16. 17. PaperPort
    17. 18. PaperPort
    18. 19. PaperPort
    19. 20. Acrobat
    20. 22. FineReader
    21. 23. FineReader
    22. 24. FineReader
    23. 25. FineReader
    24. 26. INFORMAÇÃO DIGITAL
    25. 27. <ul><li>imaterial, binário, abstrato, visual, materializável </li></ul><ul><ul><li>viabiliza a interatividade de vários conhecimentos que não eram acessíveis, e </li></ul></ul><ul><ul><li>promove novos desafios a serem abordados na construção de uma infra-estrutura avançada de informação para aplicativos próprios da comunicação científica. </li></ul></ul>DOCUMENTO DIGITAL
    26. 28. <ul><li>A SOCIEDADE MODERNA </li></ul>ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL UMA INFRA-ESTRUTURA QUE SUSTENTE A DISSEMINAÇÃO , O ACESSO , A CURADORIA E A PRESERVAÇÃO DE TODO TIPO DE INFORMAÇÃO DIGITAL
    27. 29. E O FUTURO.... <ul><li>QUEM VAI USAR </li></ul><ul><li>TIPO DE ACERVO QUE VAI EXISTIR </li></ul><ul><li>POSSIBILIDADES TECNOLÓGICAS </li></ul>
    28. 30. Cronologia das mídias para armazenamento Cartões Perfuráveis 1970 Cassette Início 1980s Floppy Disk 5’’ Final 1980s Floppy Disk 3 ½ ’’ Início 1990s CD-ROM Final 1990s DVD Início 2000s Blu-ray; Hard drives Desde 2005
    29. 31. <ul><li>Qual é o tempo de vida de um objeto digital? </li></ul>Mídia Tipo Expectativa de vida (anos) Estabilidade Papel ANSI/NISO Permanente 200-300 Boa Microformas Microfilme 500 Ótima Microficha 100 Boa Mídia Óptica WORM (write once, read many) 25 Limitada CD-R 100 Boa CD-ROM 25 Limitada Mídia Magnética Disquete Magnético 5 Limitada Fitas magnéticas 10-20 Limitada
    30. 32. TECNOLOGIAS
    31. 33. Informação arquivística Informação bibliográfica Autenticidade Metadados Capacidade probatória Normas Integridade das informações Políticas institucionais Contexto de produção Interoperabilidade Manutenção Ciclo de informação Custódia responsável Gerenciamento digital Ciclo de vida Repositórios Administração, Ciência da informação, Informática, Estatística, Comunicação social
    32. 34. <ul><li>INFORMAÇÃO CIENTÍFICA </li></ul>ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL A biblioteca está mudando seu papel de custódia para contribuir ativamente na mudança do modelo de comunicação científica.
    33. 35. <ul><li>OS DILEMAS DOS FORMATOS DE SUPORTE </li></ul><ul><li>IMPRESSAS ELETRÔNICAS </li></ul><ul><li>LEGITIMAÇÃO </li></ul><ul><li>DISSEMINAÇÃO </li></ul><ul><li>ACESSO </li></ul><ul><li>PRESERVAÇÃO </li></ul><ul><li>CURADORIA </li></ul><ul><li>MERCADO </li></ul>INFORMAÇÃO DIGITAL
    34. 36. “ (é)...o planejamento, alocação de recursos e aplicação de métodos e tecnologias para assegurar que a informação digital de valor contínuo permaneça acessível e utilizável” Margaret Hedstrom (1996) Preservação digital
    35. 37. PRESERVAÇÃO DIGITAL <ul><li>DEPENDE: </li></ul><ul><li>DOS SUPORTES </li></ul><ul><li>DAS ESTRATÉGIAS ADOTADAS </li></ul><ul><li>DOS SISTEMAS DE ARMAZENAMENTO </li></ul><ul><li>DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO </li></ul>
    36. 38. <ul><li>Library of Congress:The American Memory project </li></ul><ul><li>European Commission on Preservation and Access (ECPA): SEPIA project </li></ul><ul><li>(Safeguarding European Photographic Images for Access) </li></ul><ul><li>Cornell University Library’s Digital Imaging for Libraries and Archives, </li></ul><ul><li>The Digital Library Federation’s Guides to Quality in Visual Resource Imaging </li></ul><ul><li>The National Archives (Guidelines for Digitizing Archival Materials for Electronic Access) </li></ul><ul><li>Colorado Digitization Project </li></ul>Projetos de preservação digital
    37. 40. Refere-se aos mecanismos que permitem o armazenamento em repositórios de dados digitais, e garantem a perenidade dos seus conteúdos . Preservação digital
    38. 41. Softwares para Repositórios digitais Institucionais Temáticos Centrais Preservação Archimede Greenstone Greenstone LOCKSS ARNO DAITSS CDSware DSpace DSpace DSpace DSpace Driver Eprints Eprints Eprints Fedora Fedora Fedora i-Tor MyCoRe OPUS
    39. 42. Ferramentas e serviços para repositórios digitais Formatos Metadados Serviços Arquivamento Web DROID Metadata Extraction Tool GDFR WCT PUID Content JHOVE PRONOM XENA OCLC Digital Archive Service ContentE PLANET Testbed PORTICO
    40. 48. <ul><li>NOVOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO </li></ul><ul><ul><li> </li></ul></ul><ul><ul><li>Novos conhecimentos </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ontologias </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Padrões de metadados </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Terminologia </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Preservação e curadoria digitais </li></ul></ul></ul></ul>ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><ul><ul><li>Novas Habilidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Arquitetura da informação </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Modelagem de ontologias </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Modelagem de interfaces </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Aplicações dos padrões de metadados na indexação de: </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Texto </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Imagens </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Vídeo </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Áudio </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Colaboração em rede </li></ul></ul></ul></ul>
    41. 49. Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict [email_address] Digitalização e preservação de acervos

    ×