Cempi – aula antropologia cultural 1

834 visualizações

Publicada em

Slade show da disciplina de antropologia cultural!!

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
834
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cempi – aula antropologia cultural 1

  1. 1. CEMPI – FACULDADES ANTROPOLOGIA CULTURAL Prof. Adailson Regis de Oliveira
  2. 2.  DISCPLINA : ANTROPOLOGIA CULTURAL  Carga horária: 32h  Datas: 16, 23 e 30 de novembro  OBJETIVO: Socializar com os alunos conceitos iniciais da antropologia de forma introdutória, perceber como se insere no debate das Ciências Sociais, o estudo do homem em sua totalidade, a noção de cultura e diversidade. “Os outros em nós”.  Metodologia : Aulas expositivas e dialogadas , debates e pesquisa em sala de aula.  Avaliação: são três avaliações , todas em sala de aula , sendo um Estudo dirigido, e duas avaliações escritas individuais, todavia a participação em sala durante os debates serão levados em consideração no somatório final da disciplina.
  3. 3. A divisão da disciplina Dia 16 de Novembro - Apreendendo Antropologia.  Introdução a antropologia  O que é ?  Qual o contexto que se insere;  Suas divisões ;  Principais representantes. Texto Base: LAPLANTINE, François. “Aprender Antropologia” Brasiliense , São Paulo 2003. Leitura complementar: BOAS, Frans. “Antropologia Cultural” , Jorge Zahar, RJ. 2004.
  4. 4. Alteridade  Texto para discussão em sala: “O ritual do corpo entre os Sonacirema”  Quem é o outro  Quem somos nós ?  Qual a relação que alteridade tem com o fazer do profissional da educação?  Quem são os Sonacirema?  Leitura complementar :VELHO, Gilberto, “Observando O famíliar”.  DAMATTA, Roberto . Relativizando, Introdução a antropologia social.
  5. 5.  DIA 23 DE NOVEMBRO DE 2014.  ANTROPOLOGIA CULTURAL  Introdução ao conceito de cultura .  O Conceito de cultura para compreensão da humanidade ;  Existe uma cultura ou várias culturas?  1ª Avaliação  Textos:  A interpretação das Cultura –GEERTZ , CLIFORD  O QUE É CULTURA COLEÇÃO PRIMEIROS PASSOS , Brasiliense
  6. 6. DIA 30 DE NOVEMBRO 2ª AVALIAÇÃO . A ANTROPOLOGIA E A EDUCAÇÃO – Uma relação possível ?!  Elementos para construção de um debate .
  7. 7. Antropologia no contexto das descobertas.  O início de um pensamento sobre a antropologia está inscrito em um contexto de mudanças na sociedade, seu surgimento ocorre em meio a “descobertas” Europeias à outros continentes. (Século XIV,  Grandes navegações;  Cronistas e viajantes ;  O papel da Igreja – no registro;  As questões sobre os povos “descobertos” – tão iguais porém, tão diferentes.
  8. 8.  A expansão da Europa sobre outros continentes, formam o cenário do surgimento da antropologia como ciência.  Primeiro Espanha e Portugal  Logo em seguida: França , Inglaterra com o neocolonialismo – no século XVIII (dominação indireta).
  9. 9. 1ª A revolução industrial
  10. 10. Mudança de paradigma  No final do século XVIII inicio do século XIX – a antropologia começa a se estabelecer como ciência – desta forma , segue as mudanças que também incorrem neste período:  Inicio da 1ª revolução industrial - A constituição de um saber cientifico O homem passa então a está nos centro do debate científico; O domínio da natureza pelo homem ; E a antropologia ?
  11. 11. O homem como objeto  Mas o projeto de fundar uma ciência do homem – uma antropologia – é ao contrário , muito recente . De fato , apenas no final do século XVIII é que começa a se constituir um saber cientifico (ou pretensamente cientifico ) que torna no homem como objeto de conhecimento , e não mais a natureza; ( LAPLANTINE , p.13)  Métodos de outras ciências aplicados ao estudo do homem ( biologia , física , geografia ).
  12. 12.  Na segunda metade do século XIX – a antropologia atribui objetos empíricos autônomos : Sociedades ditas primitivas, exteriores as sociedades europeias e norte americana.  Dualidade da ciência – observador/objeto.  Não existe experimentação em laboratório - biologia ;física.  Nem observação ao longo do tempo a exemplo da história .  Sociedades longínquas
  13. 13. Que tipo de sociedades eram essas  As sociedades estudadas pelos antropólogos são sociedades longínquas , as quais são atribuídas as seguintes características: Sociedades de dimensões restritas ; que tiveram poucos contatos com os grupos vizinhos ; cuja tecnologia é pouco desenvolvida em relação à nossa; e nas quais há uma menor especialização das atividades e funções sociais . São também qualificadas como “simples”; (LAPLANTINE , p.14)
  14. 14. SOCIEDADE “PRIMITIVAS”
  15. 15. A morte do objeto  Com a chegada do século XX a antropologia passa por uma crise de identidade, impulsionado pelo desenvolvimento capitalista que chegou até a população ditas “primitivas” .  Existiram três perspectivas :  1.Aceitar a morte do objeto e se voltar para outras ciências;  2. Buscar uma nova área de investigação: tomando para si o estudo sobre o camponês tratando-o como “selvagem”;  3. E por último algo que não exclui o anterior , mas que assume uma nova perspectiva de olhar o todo e não mais a parte  a) O estudo do homem inteiro;  b) O estudo do homem em todas as sociedades , sob todos os seus estados e todas épocas;
  16. 16. O estudo do Homem por inteiro.
  17. 17. O que caracteriza a antropologia. Aquilo que, de fato caracteriza a unidade do homem , de que a antropologia , como já dissemos e voltaremos a dizer ,... Formas de organização social extremamente diversos.
  18. 18. O projeto antropológico consiste , portanto, no reconhecimento , conhecimento , juntamente com a compreensão de uma humanidade plural .
  19. 19.  A base do conhecimento antropológico, é entender que para conhecer a nossa cultura, precisamos conhecer outras “ e devemos essencialmente reconhecer que somos uma cultura possível entre tantas outras, mas não a única” (LAPLANTINE , p.21)
  20. 20. Tipos de antropologia Antropologia biológica Antropologia Cultural /Social Antropologia Linguística Antropologia Pré-histórica Antropologia Psicologica
  21. 21. Tipos de antropologia Antropologia biológica – Busca estuda a relação dos aspectos genéticos e o meio em que o homem vive . Antropologia pré-histórica – manter relação com a arqueologia porém vai além das descobertas e vestígios deixados pelos antepassados, concentra- se no estudo das organizações desses povos;
  22. 22. Antropologia linguística Só através Como pensam da língua os homens Como se expressam podem compreender Como eles interpretam seu próprio saber
  23. 23. •Compreende os aspectos psicológico dos indivíduos , uma vez que não lidamos apenas com processos sociais , mas com indivíduos Antropologia Psicológica
  24. 24. •Abrange tudo que constitui uma sociedade : seus modos de produção econômica , suas técnicas , sua organização política e jurídica , seus sistemas de parentesco; crenças religiosas ; língua etc. Antropologia cultural e social.
  25. 25. Lévi- Strauss, - os antropólogos estudam aquilo que não encontra-se registrado nem na pedra nem no papel, mas nos gestos, costumes , nas trocas simbólicas , os menores detalhes do comportamento humano (adaptado)
  26. 26. Estudo do Homem em sua diversidade  A Antropologia nasce estudando apenas o exótico, as sociedades extra-europeias.  Produz um tipo de conhecimento especifico para contribuir nas ciências humanas, a partir do tipo de observação direta e dos métodos utilizados;  O distanciamento dessas sociedades observadas, é a chave de leitura da própria sociedade, onde o que antes era percebido como natural passa a ser reconhecido como cultural.
  27. 27. Observar sociedades distantes possibilitou a antropologia criar a ideia de estranhamento, que é “ a perplexidade provocada pelo encontro vai levar a uma modificação do olhar que se tinha sobre si mesmo.” (LAPLANTINE , p.21)
  28. 28. ALGUNS AUTORES REPRESENTANTES DA ANTROPOLOGIA
  29. 29. Edwar R. Taylor 1832-1917 Pensava a cultura como evolução.
  30. 30. TARDE
  31. 31. ALTERIDADE  A palavra alteridade possui o prefixo latino alter, que significa outro, colocar-se no lugar de outro na relação interpessoal, com valorização, consideração, identificação, e diálogo com o outro. A prática da alteridade se conecta tanto entre indivíduos, quanto entre grupos, bem ainda entre indivíduo e a natureza. A prática alteritária leva em conta sempre os fenômenos da complementaridade e da interdependência, no modo de pensar, de sentir, de agir, sem a preocupação com a sobreposição, assimilação ou destruição do outro com o qual nos relacionamos.  A prática da alteridade pretende conduzir da diferença à soma nas relações interpessoais entre os seres humanos, na medida em que propõe estabelecer uma relação pacífica e construtiva com os diferentes, na medida em que se identifique, entenda e aprenda a aprender com o contrário. Leia mais: http://jus.com.br/artigos/10241/alteridade-categoria-fundamental-da-etica- ambiental/2#ixzz3JAewx1yz
  32. 32. Quem é o outro?
  33. 33.  “ A descoberta da alteridade é a de uma relação que nos permite deixar de identificar nossa pequena província de humanidade, e correlativamente deixar de rejeitar o presumido “selvagem” fora de nós mesmos.” (LAPLANTINE , p.23)
  34. 34. Questões para o debate Quem somos nós ? Qual o nosso papel como educador ? Como podemos estimular a alteridade? Quem são os Sonacirema ?

×