Arte/Ciência(fim do antropocentrismo?)Textos:L. Santaella. Pós-humano por quê?G. Beiguelman. Arte pós-virtual
BIOARTE, ECOARTEE A CONSCIÊNCIA PLANETÁRIA
Bioarte
Eduardo Kac – Genesis (1999)
Eduardo Kac – GFP Bunny (2002 - )
Eduardo Kac – O Oitavo Dia (2003 - )
Eduardo Kac – História Natural do Enigma (2008)
Patricia Piccinini – The Young Family, 2008
Consciência Planetária
Alice Miceli, Chernobyl, A Marca do Invisível (2006 –11)
HeHe (Helen Evans & HeikoHansen) Nuage Vert, Helsinki, 2008
Nuage Vert, Paris, 2012
Beatriz Costa, Pigeon Blog, 2006
CONCEPÇÕES E ESTÉTICASDO PÓS-HUMANO
O que é autenticamente humano quando se tornamindefinidas as fronteiras entre humanidade etecnologia? O que é identidade h...
O pós-humano representa a construção do corpocomo parte de um circuito integrado de informação ematéria que inclui compone...
Valendo-se da nova alquimia tecnocientífica, o ‘homempós-biológico’ teria condições de superar as limitaçõesimpostas pela ...
“O corpo pós-humano é uma tecnologia, uma tela, uma imagemprojetada; é um corpo sob o signo da Aids, um corpo contaminado,...
O mito ciborgue é cartesiano. Implica o o ódio ao corpo,uma síndorme cultural de ansiedade pós-traumáticaprovaocada pelo f...
…é um reconforto e um profundo alívio pensar queo homem não passa de uma invenção recente, umafigura que não tem dois sécu...
Frankestein com Boris Karloff, 1930
C3-PO e R2-D2, Star Wars
Rachael, Blade Runner, 1980
Lara Croft, 2001
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Auh2302 aula11 12
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Auh2302 aula11 12

291 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
291
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auh2302 aula11 12

  1. 1. Arte/Ciência(fim do antropocentrismo?)Textos:L. Santaella. Pós-humano por quê?G. Beiguelman. Arte pós-virtual
  2. 2. BIOARTE, ECOARTEE A CONSCIÊNCIA PLANETÁRIA
  3. 3. Bioarte
  4. 4. Eduardo Kac – Genesis (1999)
  5. 5. Eduardo Kac – GFP Bunny (2002 - )
  6. 6. Eduardo Kac – O Oitavo Dia (2003 - )
  7. 7. Eduardo Kac – História Natural do Enigma (2008)
  8. 8. Patricia Piccinini – The Young Family, 2008
  9. 9. Consciência Planetária
  10. 10. Alice Miceli, Chernobyl, A Marca do Invisível (2006 –11)
  11. 11. HeHe (Helen Evans & HeikoHansen) Nuage Vert, Helsinki, 2008
  12. 12. Nuage Vert, Paris, 2012
  13. 13. Beatriz Costa, Pigeon Blog, 2006
  14. 14. CONCEPÇÕES E ESTÉTICASDO PÓS-HUMANO
  15. 15. O que é autenticamente humano quando se tornamindefinidas as fronteiras entre humanidade etecnologia? O que é identidade humana, se ela forprogramável? O que é ‘realidade’, se ela é capaz detanta simulação?Lucia Santaella
  16. 16. O pós-humano representa a construção do corpocomo parte de um circuito integrado de informação ematéria que inclui componentes humanos e não-humanosK. Hayles
  17. 17. Valendo-se da nova alquimia tecnocientífica, o ‘homempós-biológico’ teria condições de superar as limitaçõesimpostas pela sua organicidade, tanto em nível espacialquanto temporal”Paula Sibilia
  18. 18. “O corpo pós-humano é uma tecnologia, uma tela, uma imagemprojetada; é um corpo sob o signo da Aids, um corpo contaminado,um corpo morto, um corpo-tecno; ele é, como veremos, um corpogay. O corpo humano em si não faz mais parte ‘da família do homem’,mas de um zôo de pós-humanidades”(Halberstam & Livingston)
  19. 19. O mito ciborgue é cartesiano. Implica o o ódio ao corpo,uma síndorme cultural de ansiedade pós-traumáticaprovaocada pelo fato que de que transferimos, cada vezmais, boa parte de nosso trabalho cognitivo e muscular àstecnologiasM. Dery
  20. 20. …é um reconforto e um profundo alívio pensar queo homem não passa de uma invenção recente, umafigura que não tem dois séculos, uma simplesdobra do nosso saber, e que desaparecerá, assimque se encontre uma nova formaMichel Foucault
  21. 21. Frankestein com Boris Karloff, 1930
  22. 22. C3-PO e R2-D2, Star Wars
  23. 23. Rachael, Blade Runner, 1980
  24. 24. Lara Croft, 2001

×