GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2013

415 visualizações

Publicada em

DItribuição nos bairros da região Norte de Curitiba

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GAZETA DO SANTA CÂNDIDA SETEMBRO 2013

  1. 1. No dia 21 de Setembro, aconteceu o feirão que expos produtos com o preço cobrado pelo mercado e outro valor, bem menor, do mesmo produto sem a cobrança de impostos. O Feirão do Imposto, organizado pela Associação Comercial do Paraná (ACP), teve barracas espalhadas por Curitiba e em cidades do interior. A ideia é mostrar como os produtos no Brasil poderiam ser mais baratos caso os impostos não fossem tão altos. Ou, então, como os serviços públicos deveriam ser melhores também com base na alta taxa tributária. “Tem muita gente que passou pelo Feirão, viu o pacote de feijão por R$ 2 e estranhou, porque costuma pagar mais que o dobro no Feirão de impostos no calçadão da XV mercado. Os “agentes multiplicadores’’explicavam que a diferença é o imposto. Então vem a dúvida: porque pagar tanto? E eles respondiam que é pra bancar escola pública, saúde,segurança... “Aí ficou claro o contrassenso entre o que é cobrado do povo e o que é dado de volta”, explicou Henrique Domakoski, vice presidente daACP e coordenador do Conselho de Jovens Empresários. Uma diversidade de itens deve ficou a mostra, de itens da cesta básica a carros e uma réplica de Bomba de gasolina. Dentre vários pontos abordado nos feirões o principal foi a necessidade de simplificar a tributação brasileira. Domakoski diz que os impostos no país são caros e extremamente complexos, o que faz uma maioria da população desconhecer o que paga – ele cita que 7 em cada 10 brasileiros não sabe que paga impostos em todos os produtos em consome – e dificulta a criação e o avanço de novos empreendedores. O “tributômetro”, ferramenta instalado na Rua XV de Novembro, no prédio da Associação Comercial do Paraná em Curitiba, mostra o valor de tributos pagos no exercício financeiro de 2013 (de janeiro até agora). No mês deAgosto dia 27, o Impostômetro (placar tributário que marca os impostos pagos pelos brasileiros) atingiu a marca de R$ 1 trilhão em arrecadações. Neste ano, a marca chegou dois dias antes na comparação com 2012, cuja marcação foi em 29 de agosto. Objetivo A parceria do IBPT com a ACpr tem por objetivo a conscientização dos brasileiros em relação à arrecadação dos impostos para que seja possível cobrar um retorno benéfico para a sociedade. Segundo diretores da Associação, “a transparência da contagem possibilita a formação de um senso crítico da população’’. Conhecido como impostômetro, esta ferramenta é de referência para os brasileiros, no sentido de informar , o quanto é pago de tributos diariamente. Como funciona Uma ferramenta eletrônica faz a contagem das arrecadações com dados da Receita Tributos e Impostos pagos chegam a R$ 1 trilhão Federal do Brasil e da Secretaria do Tesouro Nacional, informações da Caixa Econômica Federal, do Tribunal de Contas da União e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)—todasrespectivasaoanovigente. Já para as receitas dos Estados e do Distrito Federal, o tributômetro usa dados do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendário), das Secretarias Estaduais de Fazenda, dos Tribunais de Contas dos Estados e da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. A arrecadação de tributos municipais é informada pela Secretaria do Tesouro Nacional, por meio dos municípios que divulgam seus números devido à Lei de Responsabilidade Fiscal e pelos Tribunais de Contas dos Estados. IMPOSTO E TRIBUTOS Em nosso dia-a-dia nos deparamos com expressões de uso comum, mas que temos dúvidas quanto ao seu real significado. Muitas vezes utilizamos palavras como sinônimas, quando na verdade não querem dizer, exatamente, a mesma coisa. Exemplo disso, são os termos tributo e imposto. Afinal, imposto e tributo são sinônimos? Imposto é um tributo, ou o tributo que é imposto? Para esclarecer: todo tributo é imposto, pois eles são obrigatórios (impositivos) e o imposto, que é espécie, é um tipo de tributo, que é gênero. Nos termos do art. 3º do Código Tributário Nacional , Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Ou seja, tributo é uma prestação que o contribuinte dá ao Estado, de forma obrigatória, em dinheiro (regra geral) ou em títulos ou bens (exceções), que não é uma punição ou pena, criada através de lei e cobrada pela administração pública (fisco) através de procedimentos determinados também na lei. Os tributos são divididos em impostos, taxas e contribuições. Tradicionalmente, os impostos são os tributos que mais arrecadam, apesar de que no Brasil o crescimento da arrecadação das contribuições é vertiginoso.
  2. 2. EXPEDIENTE Diretor: Adilson da Costa Moreira Fones 8433-7462 e 3328-0176 Dep. comerciail: Sharon Simão Zunino Rua Canadá, 2108 - Ap. 31 - Bloco A9 - Bacacheri - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.com.br / www.gazetasantacandida.blogspot.com As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. As obras para aumentar o número de pistas da Rodovia da Uva (PR-417), que liga Curitiba ao município de Colombo, na região metropolitana, começaram nesta semana. O intenso trânsito no trecho de pista simples, cerca de 16 mil veículos por dia, causava transtornos a população, que aguardava pela duplicação há muitos anos. “Com as rodovias fluindo bem é possível transportar cargas e chegar às indústrias da região com mais facilidade, diminuir o tempo de viagens, dar mais segurança aos pedestres e evitar acidentes”, diz o governador Beto Richa. Até o fim de 2014, serão destinados R$ 420 milhões para a construção de contornos e duplicações na Região Metropolitana de Curitiba. Na Rodovia da Uva, o Governo do Estado vai duplicar 6,5 quilômetros – desde o acesso ao Contorno Norte (PR-418) na capital, até a entrada de Colombo. O projeto prevê canteiro central, iluminação, semáforos, calçadas com rampas de acessoeciclovia.Oinvestimentoserá de R$ 35,8 milhões. “Será ampliada a capacidade de tráfego com duas faixas de cada lado, o que evitará congestionamentos”, afirmou Mário Antonio Faraco, gerente da Superintendência Leste do Departamento de Estradas de Rodagem, responsável pelo contrato da obra. A empresa Leão Engenharia venceu a licitação por concorrência de menor preço global. O contrato é de dois anos. A empresa começou a fazer a demarcação topográfica do terreno. “Depois, vamos fazer a limpeza nas áreas que serão cortadas e nas áreas Começa a duplicação da Rodovia da Uva Na Rodovia da Uva, o Governo do Estado vai duplicar 6,5 quilômetros de aterro, iniciando pelo lado esquerdo da rodovia. Do lado direito será montada uma equipe menor para limpar os aterros onde serão construídos os muros de contenção. Em seguida virão os trabalhos de duplicação”, descreveu Thales Héucio Borges, engenheiro responsável pela obra. REGIÃO METROPOLITANA AduplicaçãodaRodoviadaUvaé apenas uma dentre as obras do Governo do Paraná para a Grande Curitiba. No próximo dia 19, às 14 horas, na sede do DER-PR, haverá audiência pública com prefeitos e moradoresdePinhaisePiraquarapara discutir os detalhes das obras de duplicaçãodaPR-415,queligaosdois municípios. O trabalho começa no próximoano,assimcomoaduplicação da Rodovia dos Minérios (PR-092). Empresas executam os contornos rodoviários em Campo Largo (BR-277) e Agudos do Sul (entre a PR-281 e PR-419).Também está programada pavimentação da PR-092, entre Cerro Azul e Doutor Ulysses, trecho onde a estrada ainda é de terra, isolando o município de Doutor Ulysses da malha rodoviária pavimentada do Estado. A Taxa Referencial (TR) é o índice usado para corrigir as contas do FGTS. Porém, desde 1999, o Governo federal não a aplica conforme os números da inflação anual. Com isso, o dinheiro do trabalhador vem ficando defasado. À partir de 1999, a (TR) começou a serreduzida,gradativamente,atéque,em setembro de 2012, chegou a zero. Ou seja, o dinheiro do trabalhador que está no FGTS passou a ficar sem correção. Diantedesseabsurdocomodinheiro dotrabalhador,váriossindicatosajuiza- ram ações para cobrar na Justiça a cor- reçãodascontas.Aaçãoenglobaoperí- odo de 1999 até os dias atuais.Agarfa- da na correção do FGTS chega, depen- dendo dos anos da conta, a 88,3%. FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS), A CORREÇÃO ENTRE 199 E 2013 ENQUADRAMENTO DAAÇÃO Esta correção é cabível para todos que tem ou tiveram conta no FGTS, ou seja, foram registrados pela CLT.Acor- reção que se pede é desde 1999 até os dias atuais. Aqueles que já sacaram o valor em algum período depois de 1999 também terão direito, mas a um percentual me- nor, até o saque somente. Aqueles que têm parentes falecidos quetinhamcontadoFGTStambémpo- demcomlegitimidadeativapediracor- reção, viúvas, viúvos, filhos e filhas de falecidos estão dentro deste rol de pes- soas. (Sucessão) PRESCRIÇÃO/DECADÊNCIA A prescrição do FGTS é trintenária, portanto, nenhum óbice ao ingresso da ação para pedidos de correção de 1999 para frente, pois decorridos apenas 14 anos. Noemi T. Vianna Marchiori Fones: (41) 3357-3905, 9677-3734 e 8483-5733
  3. 3. Um laudo psiquiátrico elaborado sobre Marcelo Pesseghini, de 13 anos, compara o adolescente ao personagem Dom Quixote,... Um laudo psiquiátrico elaborado sobre Marcelo Pesseghini, de 13 anos, compara o adolescente ao personagem Dom Quixote, da obra de Miguel de Cervantes. O laudo foi elaborado pelo psiquiatra forense Guido Palomba e aponta que Pesseghinitevefaltadeoxigenaçãono cérebro,desenvolveu“encefalopatia”, o que o levou ainda a portar um “delírio encapsulado”. O documento reforça que tiros e homicídios eram assuntos recorrentes na casa de Marcelo, por conta da profissão dos pais, e ressalta que o adolescente era influenciado por jogos violentos.As ideias delirantes que misturam imaginário à realidade foram comparadas ao personagem de Cervantes. “Sofrendo de encefalopatia, desenvolveram sobre esse terreno (inconsciente neural) ideias delirantes sistematizadas e circunscritas (delírio encapsulado), nas quais a imaginação e a realidade se misturam morbidamente”, diz o laudo. “Ao matar os familiares viu-se livreparaomundoimaginado,tornou- se de fato um justiceiro e forniu a mochila com perfume, uma calça, uma faca, um pequeno revólver e alguns rolos de papel higiênico - isso porque sabia que sem medicação (sua mochila não tinha remédios) sofreria diarreias e secreções, dadas as graves lesões pancreática e pulmonar - e saiu para dar andamento ao seu ideal quixotesco, na acepção exata do termo”, diz o laudo. O laudo psiquiátrico retoma a Adolescente que matou a família é comparado ao personagem Dom Quixote comparação com Dom Quixote: “Recordando, Dom Quixote perdeu a razão depois de ler muitos livros de cavalaria (Marcelo depois de muitos videojogos) e partiu para se tornar um cavaleiro errante (Marcelo, justiceiro errante). O automóvel de Marcelo no lugar do cavalo Rocinante; a faca e o revólver em vez da lança e do escudo; Sancho Pança (o escudeiro) seria os amigos da escola, convidados no dia seguinte; a saída de Dom Quixote de um lugar de La Mancha, tal qual Marcelo de casa. E em ambos, a empreitada que daria realidade a um ideal justiceiro e andante, com a diferença de que Dom Quixote tinha por amada Dulcineia de El Tobos e Marcelo nunca namorara”. “E ainda mais, o fim de ambos é igual em um ponto: ao retornarem ao lugar de origem, sentiram-se fracassados; porém, o cavaleiro andante morreu de tristeza e o cavaleiro andante se suicidou”, diz o laudo psiquiátrico. O relatório, que está com o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e será anexado ao inquérito, afirma ainda que Marcelo era educado, tímido e calmo, um pouco inibido, que a profissão dos pais o marcou “e fazia parte de seu imaginário”. De acordo com o laudo, a motivação do crime foi “psicopatológica”. O crime aconteceu entre a noite do dia 5 e a madrugada do dia 6 de agosto, na residência da família, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. Marcelo teria matado os pais, que eram policiais, a avó e a tia-avó. Em seguida, teria pegado o carro da mãe e estacionado na rua da escola, onde teria passado a noite. Pela manhã, assistiu às aulas normalmente e ao retornar para casa, teria cometido suicídio.
  4. 4. A imagem acima é de 1972 mostra um ônibus FNM com carroceria Nimbus/Furcare trafegando pela canaleta bairro Santa Cândida. Esta foto foi tirada antes da implantação dos ônibus expressos, em 1974. O veículo pertencia à empresa Transporte Coletivo Glória, e percorria a linha Olaria. A foto abaixo é atual. Canaleta no Santa Cândida: Ontem e hoje A Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (Setran) inicia nesta segunda-feira a descentralizou de seus serviços, com a abertura de um posto de atendimento na Rua da Cidadania Boa Vista..Aprevisão da prefeitura da cidade é que, até o fim de 2013, todas as administrações regionais tenham um posto da Setran. Com isso, o cidadão não Posto de atendimento da Secretaria de trânsito (Setran) agora na Rua da Cidadania Boa Vista precisará mais se deslocar ao centro da capital, na sede da Secretaria (Rua Benjamin Constant, 157), para pedir informações sobre autos de infração, fazer protocolos de processos, emitir boleto para regularização de avisos do Estacionamento Regulamentado (EstaR), realizar o pré-atendimento e a triagem de documentação ou fazer cadastro, emitir e renovar as credenciais de idosos e de pessoas com deficiência A Regional Boa Vista abrange 13 bairros de Curitiba (Abranches, Atuba, Bacacheri, Bairro Alto, Barreirinha, Boa Vista, Cachoeira, Pilarzinho, Santa Cândida, São Lourenço, Taboão, Tarumã e Tingui), atendendo uma população de quase 250 mil habitantes. Postos da Setran: Rua da Cidadania Boa Vista Avenida Paraná, 3.600 PARA QUEM DUVIDAVA: ESTÁ PRONTO O METRÔ DE CURITIBA
  5. 5. Umadasferramentasparaexercer oControleSocialnosconselhoslocais de saúde é a presença da Caixa de Suges-tões na recepção. Deixá-la diariamente e visível aos usuários e trabalhadores da saúde é uma poderosa forma de in-teragir e acompanhar o que acontece nos serviços de saúde. Utilizando esse que é um dos ca-nais de comunicação- os usuários do SUS podem se aproximar com a chefia da unidade, bem como com os conse-lheiros de saúde que abrem as suges-tões, críticas e avaliações na reunião mensal do conselho local. “Apesar de ser uma idéia antiga do CMS, o gestor vem se comprometendo nas conferên-cias a incentivar a implementação” conta o presidente do CMS Luiz Pinhei-ro. Para ele, a Caixa de Sugestões, seja ela com chave do cadeado em posse do conselho local, ou até mesmo de papelão “é uma forma de aperfeiçoar o funcionamento e “Caixa de sugestões” das Unidades de Saúde devem ser utilizadas pelos usuários e trabalhadores do SUS as ações no bairro e na cidade, democratizando as infor-mações” diz. No conselho local de saúde, Mãe Curitibana a caixa de sugestões é uti-lizada há muito tempo e nunca deixou defuncionar.São6caixinhas, duasemcadarecepçãoeumaemcada andar. Segundo a presidente do CLS, Heliana Maria da Silva Mendes, a missão do conselho local: participar, fiscalizar, incentivar ações humanizadas,garantin-doaqualidade dos serviços prestados aos usuários do SUS vai de encontro com a propostadestatrocadeinforma-ções. “É o local e o momento correto de apresentar sugestões, ideias, críticas c o n s t r u t i v a s , reivindicações e opiniões sobre a Saúde”, afirma. Heliana ainda conta que os papéis são lidos sempre na presença de outroconselheiro e ficam responsáveis pjír’ ligar a todas as pessoas que disponibi-lizamseusdados e em seguida fazem os devidosencaminhamentos. “Che-gamosnasreuniõese apresentamos as medidas que foram tomadas” explica. “Já tivemos uma resposta do gestor, de que as reclamações da unidade di-minuíram até mesmo na ouvidoria” enfatiza. A usuária de saúde, Fátima Rodri-gues, estava na unidade Mãe Curiti-bana, e disse já conhecer a Caixa de Sugestões. Ela utilizou a ferramenta, na unidade vila Hauer, próxima à suaresidência. “Na verdade fiz um elogio ao atendimento e me ligaram do CLS para agradecer” conta. “É importante a gente utilizar e saber que o pessoal é atencioso” completa. Informativo do Conselho Municipal de Curitiba,nº 84,Julho de 2013 Café da manhã reúne jornais de bairros no Palácio Diretores da maioria dos jornais de bairros de Curitiba estiveram reu- nidos na última terça-feira no Palá- cio Iguaçu, durante café da manhã com o governador Beto Richa. Durante o evento o governador Beto Richa e o Secretário Marcelo Cattani, da Secretaria de Comuni- cação Social do Estado, falaram sobre as principais realizações e di- versas obras do Governo estadual na melhoria da qualidade de vida dos paranaenses. Durante o evento os jornais Ga- zeta do Santa Cândida, Jornal Água Verde, Jornal Centro Cívico e O Portão entregaram o Diploma Des- taque Comunitário ao governador Beto Richa, em reconhecimento ao apoio dado à imprensa comunitária, os jornais de bairros do Paraná. Na foto ao lado, da esquerda para a direita, Rafael Rosa (O Portão), Adilson da Costa Moreira (Gazeta do Santa Cândida), governador Beto Richa, José Gil (Jornal Água Verde) e Maurício Grabowski (Jor- nal Centro Cívico), no ato da entre- ga do diploma ao governador.
  6. 6. BETO RICHA REPASSA R$ 70 MILHÕES E VIABILIZA HOSPITAL ZONA NORTE NO BAIRRO SANTA CÂNDIDA O governado Beto Richa cumpriu mais uma promessa a população da Capital e con- selheiros de Saúde de Curitiba, formalizou no dia 30 de Setembro o repasse de mais de R$ 70 milhões para cidade. Mais de R$ 62 milhões são para melhoria da saúde dos curitibanos. Isso inclui a construção do hospital da Zona Norte, e centro de espe- cialidades de Curitiba. Tam- bém agrega a compra de equi- pamentos e mobiliários médi- cos e o repasse de recursos de convênios do VigiaSus e na área de saúde mental. Os pro- tocolos foram assinados por Richa e Fruet em solenidade no Palácio Iguacu. O Bairro Santa Cândida, re- gião do JardimAliança alem da unidade básica de saúde Jar- dim Aliança que já se encontra com 40% de obras concluída, terá o Hospital Zona Norte de Curitiba e o Centro de especia- lidades regional. Foi a luta dos Conselheiros de saúde ( usuá- rios e servidores) locais, distri- to de saúde Boa Vista e repre- sentantes no CMSC, Conselho Municipal de saúde de Curitiba. Nova unidade do Hospital au- mentará em 30% a oferta na rede de urgência da cidade. O sistema de atendimento de urgência e emergência de Curitiba, que hoje funciona no limite, só deve ter um aumen- to expressivo de capacidade em 2016, quando o governo do Estado e prefeitura pretendem colocar em funcionamento o Hospital Zona Norte. Uma área de 20 mil metros quadrados de área construida, distribuidos em dois pavimentos, com es- trutura para atendimento de 250 leitos,um pronto-socorro amplo capacitado para atender acidente vascular cerebral (AVC), enfarte e ortopedia, ca- sos que ainda têm uma de- manda reprimida no estado. O açúcar é uma droga, como o álcool e o tabaco, por isso deve ser controlado e rotulado, insiste o chefe de Saúde de Amsterdam, o cientista Paul van der Velpen. “Como o álcool e o tabaco, o açúcar é realmente uma droga. Aqui é importante e necessária uma ação por parte do governo. O uso de açúcar devem ser desencorajado e os usuários devem estar cientes dos perigos”, diz o artigo Paul van der Velpen , publicado no site oficial da área de Saúde Pública deAmsterdam, na Holanda. “Isto pode parecer exagerada e irracional , mas o açúcar é a droga mais perigosa de todos os tempos e pode ser facilmente adquirido em todos os lugares”, diz o especialista. Na verdade, o açúcar é uma forma de vício Ele cita uma pesquisa afirmando que o açúcar, ao contrário de gordura e outros nutrientes, interfere com o apetite do corpo, criando um desejo insaciável de comer, um efeito que a indústria alimentar usa para aumentar Cientista afirma que “Açúcar é a droga mais perigosa da história” o consumo de seus produtos. “Abster- se interrompe esse mecanismo. Quem usa o açúcar quer mais e mais, mesmo quando não está com fome. Por exemplo, alguém pode oferecer ovos e essa pessoa vai parar de comer após um ou dois ovos. Mas ao receber cookies (biscoitos) vai continuar comendo, apesar de dores de estômago que possam surgir” , argumentou Van der Velpen . “Na verdade , o açúcar é uma forma de vício. Tão difícil de se livrar da tentação de comer doces, como parar de fumar. Assim, dietas só funcionam temporariamente. Terapia é a melhor neste caso Van der Velpen quer a criação de impostos sobre o açúcar e os limites legais para o valor que é adicionado aos alimentos processados . Você também tem que colocar avisos no estilo dos cigarros, em doces e refrigerantes, para informar os consumidores de que “açúcar é viciante e prejudicial à saúde.” “As escolas não devem vender doces e refrigerantes . Produtores de bebidas esportivas são cheios de açúcar e seus fabricantes devem ser processados por propaganda enganosa”, propõe o especialista holandês. O açúcar, como as drogas, foi criado artificialmente pelo homem. Seus efeitos sobre o corpo dos mamíferos ainda é desconhecida, mas nas últimas décadas surgiram estudos que associam o consumo de açúcar para diabetes e câncer, bem como problemas no sistema cardiovascular, nervoso e digestivo. Além disso, provoca perturbações na função das células, aumenta o nível de plaquetas e provoca a síndrome de déficit de atenção e desordem da hiperatividade em crianças. Por outro lado, adoçantes à base de ciclamato de sódio causam câncer e mal de alzheimer. A saída, portanto, é voltar ao velho e milenar mel de abelhas. RT
  7. 7. É um direito das partes que estão sendo julgadas, sejam “eles” ou nós, se irresignar quando, em sua avaliação, a decisão proferida pelo órgão julgador, contiver algum ponto obscuro, contraditório ou omisso. Desta decisão, assim avaliada pela parte que está sendo julgada, cabe a interposição de um recurso que se chama “EMBARGOS DE DECLARAÇÃO” e que visa justamente chamar o Estado Juiz a se declarar sobre a contradição, a obscuridade ou a omissão que estão sendo apontadas. Nas instâncias inferiores, se o tal recurso, denominado embargos de declaração, for interposto no prazo correto (cinco dias, após a publicação em Diário Oficial, da decisão a ser embargada), ele tem, OBRIGATORIAMENTE, que ser recebido pelo julgador. É um direito de TODOS (nosso, vosso, deles). Ponto. Acontece que, se esses embargos, por força das eventuais obscuridades, omissões ou contradições contidas na própria decisão que está sendo recorrida, trouxerem em si a mínima possibilidade de alguma modificação na decisão anterior (sim, nela mesma, na decisão embargada), ai muda-se o nome do recurso, de embargos de declaração para EMBARGOS INFRINGENTES, por que infringência significa algo como “mudança” “alteração”. É também um direito de TODOS (nosso, vosso, deles). Ponto. A discussão havida nos últimos dias sobre a admissão no STF, aos imputados da Ação Penal 470 foi apenas e tão somente para decidir se os EMBARGOS INFRINGENTES propostos pelos imputados poderiam ser aceitos ou não, uma vez que, já tendo os imputados a prerrogativa de foro, questionava-se se ali, na Suprema Pequeno dicionário sobre embargos infringentes Corte, caberia ou não esse tipo de recurso, como cabe nas outras instâncias. Lembrando que os imputados na Ação Penal 470, justamente por terem prerrogativa de foro, não passaram pelas outras instâncias, tendo sido julgados e condenados diretamente pelo STF, é bom rever a garantia constitucional: “aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes” (está lá, no inciso LV do art. 5º da Constituição Federal). Quando o Ministro Celso de Melo, no último dia 18/09, desempatou a questão, votando pelo cabimento dos EMBARGOS INFRINGENTES, isto apenassignificouqueaCortedecidiuque osrecursosserãorecebidosparaposterior julgamento.Apenas isso, nada mais. Para o julgamento dos EMBARGOS INFRINGENTES, deverá realizado um novo julgamento; esse novo julgamento será, no mérito da questão, para decidir sobre a existência, ou não, das contradições, omissões ou obscuridades apontadas na decisão anterior. FIQUE CLARO: não será, em hipótese alguma, um “novo julgamento” dos imputados e sim, apenas e tão somente, um julgamento dos recursos por eles interpostos. Pelas regras processuais, para julgar os EMBARGOS INFRINGENTES, já foi sorteado um relator, pois não poderia ser o mesmo que julgou a ação principal. O Ministro Luiz Fux será o novo relator e, agora sim, teremos a discussão, no mérito, sobre a matéria dos EMBARGOS INFRINGENTES. De acordo com o Regimento Interno do STF, o prazo para apresentação dos embargos infringentes naquela corte é de 15 dias, mas por maioria de votos - 7 votos contra 4 -, no julgamento do último dia 18/09, o Plenário admitiu a dobra de prazo para apresentação dos embargos infringentes aos imputados na Ação Penal 470. Nessa etapa, se os julgadores aceitarem as modificações apontadas pelos imputados em seus EMBARGOS INFRINGENTES poderá haver alguma modificação (infringência) na decisão condenatória inicial. Caso contrário, a decisão inicial que os condenou, será mantida por seus próprios fundamentos. Particularmente, não vejo a mínima possibilidade de uma alteração (infringência) tão substancial na decisão embargada, a ponto de levar a absolvição de algum dos imputados. EMBARGOS INFRINGENTES são recursos de defesa e não beatos milagreiros. Assim colocado, vamos concluir, não há motivos para tanta celeuma, há? Eu seguirei vibrando e torcendo pelo acolhimento dos embargos, não porque acho o José Dirceu bonito, mas porque, há cinco anos, fiz o seguinte juramento e tenho que respeitá-lo: “Prometo exercer a advocacia com dignidade e independência, observar a ética, os deveres e prerrogativas profissionais e defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, os direitos humanos, a justiça social, a boa aplicação das leis, a rápida administração da Justiça e o aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas”. (Por Tânia Mandarino – Advogada OAB/PR 47811) Tânia Mandarino Avenida Mal. Floriano Peixoto, 228 – 15º andar Cj. 1503 Curitiba (41) 3045-2232, 3045-2262, 9886- 2356 (Tim) e 9199-8854 (Vivo)
  8. 8. Governo do Estado autoriza a nomeação de mais 2.226 policiais militares O governador Beto Richa autorizou nesta sexta-feira (27/09) a nomeação de mais 2.226 policiais militares apro- vados em concurso público no início deste ano. Os novos PMs serão convo- cados por edital e farão curso prepara- tório em novembro. “Desde o início do nosso governo, temos investido de forma vigorosa na área de segurança pública, adquirindo novos equipamentos e contratando mais policiais”, disse o governador. Desde 2011, o Governo do Estado contratou 3.127 policiais (militares, ci- vis e bombeiros) e abriu concurso pú- blico para mais 5.264 profissionais. Também houve concurso para preen- chimentode26vagasdedelegado(mais formação de cadastro reserva). O secretário da Segurança Pública, Cid Vasques, lembra que além das no- vas contratações foi instituído o paga- mento de salário por subsídio, que ga- rante aos policiais paranaenses uma das melhores remunerações do País. PARANÁ SEGURO - A contratação de policiais faz parte das ações do programa Paraná Seguro. O Anuncie aqui Quem anuncia, vende mais! 8433-7462 3328-0176 www.santacandida.blogspot.com programa também inclui a entrega de 1.220 novas viaturas para reequipar as polícias, além da compra de armamen- tos, soluções de inteligência e instala- ção de novos batalhões, como o da Fronteira. Além disso, o governador determi- nou a instalação de Unidades Paraná Seguro (UPS), estruturas de policia- mento comunitário montadas em áreas com altos índices de criminalidade. Hoje, são 14 bases em Curitiba, Lon- drina e Cascavel. As medidas O programa já registra bons resultados. Em junho deste ano foi registrada a menor taxa de homicídios no Estado desde que o índice começou a ser computado, em 2007, com 170 mortes. No comparativo entre os pri- meiros semestres de 2013 e 2012, a queda também é significativa, chegan- do a 17%. A queda da taxa de homicí- dios é o principal indicador usado para medir a eficiência de ações na área da segurança pública.Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em: www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br A reforma do Terminal Santa Cândida entrará em uma nova etapa de obras nesta semana. Programada para iniciou dia 16, a intervenção tinha sido adiada, em função da chu- va. Assim que o tempo permitiu foi iniciada a pavimentação em concre- to da pista lenta da Avenida Paraná, sentido Santa Cândida, e de pistas internas do terminal. A previsão de duração dos trabalhos é de 60 dias. Os biarticulados continuarão en- trando no terminal pela canaleta da Avenida Paraná e sairão pelaAveni- da Marechal Mascarenhas de Morais para retornar à Av. Paraná. Haverá bloqueio total da pista lenta da Paraná sentido Santa Cândida de- pois da Rua Dr. Satilas do Amaral Camargo. Para os veículos que qui- serem seguir pelaAv. Paraná, o des- Obras no Terminal Santa Cândida mudam trânsito na região vio de trânsito deve ser feito pela Rua Dr. Satilas doAmaral Camargo, Rua São João e Avenida Marechal Mascarenhas de Morais. Com a reforma, o Terminal San- ta Cândida vai ganhar mais 4 mil metros de área construída, passan- do a ter 12,6 mil metros quadrados. A ampliação é uma das obras do Pro- grama deAceleração do Crescimen- to (PAC) da Copa em Curitiba e vai permitir a ampliação da integração do transporte com municípios vizi- nhos e a implantação do Expresso Ligeirão Norte. O terminal também vai ganhar novas plataformas de embarque e desembarque e nova área de comér- cio e serviços, mais ampla e com mais conforto para usuários e lojis- tas. O Armazém da Família será re- formado e ampliado. No subsolo também ficará uma área de carga e descarga de produtos fora do espa- ço de passagem de ônibus. O termi- nal também vai ganhar novo paisagismo e nova iluminação, além de sistema de segurança com câmeras de monitoramento.
  9. 9. As armas químicas secretas de Israel Os inspetores da ONU, que contro- lam as armas químicas da Síria teriam muito mais trabalho se fossem manda- dos controlas as armas nucleares, bio- lógicas e químicas (NBQ) de Israel. Mas, pelas regras do ‘direito internaci- onal’, não podem controlar nenhuma arma israelense. Israel não assinou o Tratado de Não Proliferação, nem a Convenção que proíbe armas biológi- cas; assinou, mas não ratificou o trata- do que proíbe armas químicas. Segundo o blog Jane’s Defense Weekly,Israel–aúnicapotêncianuclear em todo o Oriente Médio – tem de 100 a 300 ogivas nucleares e os respectivos vetores(mísseisbalísticosedecruzeiroe caças-bombardeiros).Segundoestimati- vasdoCentroInternacionaldePesquisas para a Paz de Estocolmo [Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI), Israel produziu entre 690 e 950 kgdeplutônio,econtinuaaproduzirplu- tônio suficiente para montar, por ano, de 10 a 15 bombas do tipo usado em Nagasaki.Israeltambémproduztrítio,um gás radiativo com o qual se produzem ogivasneurotrônicas,quecausamconta- minação radiativa menor, mas de mais altaletalidade. Segundo vários relatórios internaci- onais, citados também pelo jornal isra- elense Ha’aretz, as armas biológicas e químicas são desenvolvidas no Institu- to para Pesquisa Biológica, situado em Ness-Ziona, próximo a Telavive. Ofi- cialmente, ali trabalham 160 cientistas e 170 técnicos, e o Instituto trabalha há mais de 50 anos em pesquisas em bio- logia, bioquímica, biotecnologia, far- macologia, física e outras especialida- des. O Instituto é, com o Centro Nucle- ar de Dimona, “uma das instituições mais secretas de Israel”, sob jurisdição direta do primeiro-ministro. Omaiorsigilocercaapesquisadear- masbiológicas:bactériasevírusque,lan- çadoscontraoinimigo,podemgerarepi- demias. Dentre eles, a bactéria da peste bubônica (a “peste negra” da Idade Mé- dia) e o vírus Ebola, contagioso e letal, contra o qual ainda não há terapia dispo- nível.Abiotecnologiaéinstrumentopara criar novos tipos de agente patogênicos contra os quais as populações-alvo não têmresistências,nemhávacina.Hátam- bém informação confiável sobre pesqui- sas, em Ness-Ziona, para desenvolver armasbiológicassuficientementepoten- tes para neutralizar todo o sistema imunológicohumano. Oficialmente, o Instituto israelense em Ness-Ziona pesquisa vacinas con- tra bactérias e vírus, como sobre o antrax financiadas pelo Pentágono. Mas é evidente que o mesmo tipo de pesqui- sa permite desenvolver novos agentes patogênicos a serem usados como arma de guerra. O mesmo tipo de trabalho é feito também nos EUA e em outros pa- íses, para escapar às leis, acordos e con- venções que proíbem o uso de armas biológicas e químicas. Em 1999, a carapaça de sigilo que protege as pesquisas de armas nuclea- res, biológicas e químicas em Israel foi quebrada em parte pela investigação, realizada com a colaboração de cien- tistas, do jornalista holandês Karel Knip, editor sênior de ciências do diá- rio holandês NRC- Handelsblad, e publicada sob o título de “Biologia em Ness Ziona”. Ali ficou afinal compro- vado que as substâncias tóxicas desen- volvidas pelo Instituto são utilizadas pelo Mossad para assassinar dirigen- tes palestinos. Depoimentos de médicos indicam que em Gaza e no Líbano, as forças is- raelenses utilizaram armas de concep- ção recente: deixam intactos os cadá- veres, vistos externamente, mas agem por dentro, carbonizando o fígado e os ossos e fazendo coagular o sangue. É perfeitamente possível, com recursos de nanotecnologia. A Itália também cola- bora no desenvolvimento dessas armas, ligada a Israel por um acordo de coo- peração militar e principal parceiro dos israelenses na pesquisa & desenvolvi- mento de armas biológicas. O orçamen- to italiano prevê dotação anual de 3 mi- lhões de euros para esses projetos de pesquisa conjunta ítalo-israelenses. Exemplo dessa colaboração aparece no mais recente pedido de verbas para pes- quisa do Ministério de Relações Exte- riores italiano, que pede verbas para “novas abordagens para o combate de agentes patogênicos resistentes aos tra- tamentos.” Com essas verbas, o Insti- tuto israelense para pesquisa biológica poderá tornar os agentes patogênicos ainda mais resistentes. Manlio Dinucci - www.marchaverde.com.br Quem nunca ouviu o palhaço Tiririca chamar algum companheiro de cena pela alcunha de “Baitola”?! Na linguagem coloquial, baitola, viado e gay têm o mesmo significado: trata-se de um homossexual. A palavra “baitola” surgiu no Ceará, nas primeiras décadas do século 20. Vamos à história. Por volta de 1913, chegou ao Ceará o inglês de nome Francis Reginald Hull, o conhecido Mr. Hull (pronuncie-se mister ráu), que deu o nome a uma famosa avenida na cidade de Fortaleza, Ceará Mister Hull (fotos ao lado) fora designado superintendente de uma Rede Ferroviária no Ceará e passou, em muitas situações, a fiscalizar algumas obras de construção e reparo na própria Ferrovia. Mr. Hull era homossexual assumido. Quando ia pronunciar a palavra “bitola”, que significa a distância entre dois trilhos, pronunciava “baitôla”. Quando ele se aproximava de onde estavam os trabalhadores, estes, que não gostavam do modo como eram tratados pelo chefe, diziam: “Lá vem o baitola, lá vem o baitola”. A partir daí passou-se a associar a palavra baitola ao homossexualismo masculino. Baitolagem também é cultura! A ORIGEM DA PALAVRA “BAITOLA”
  10. 10. GAZETADO SANTACÂNDIDA Atingindo a maioria dos bairros da nossa região. Anuncie 8433-7462 3328-0176 A meninada pricisa ser seduzida. Ler pode ser divertido e interessante, pode entusiasmar, distrair e dar prazer Não é a primeira vez que falo nesse assunto, o da quantidade assustadora de analfabetos deste nosso Brasil. Não sei bem a cifra oficial, e não acredito muito em cifras oficiais. Primeiro, precisa ser esclarecida a questão do que é analfabetismo. E, para mim, alfabetizado não é quem assina o nome, talvez embaixo de um documento, mas quem assina um documento que conseguiu ler e... entender.Aimensa maioria dos ditos meramente alfabetizados não está nessa lista, portanto são analfabetos – um dado melancólico para qualquer país civilizado. Nem sempre um povo leitor interessa a um governo (falo de algum país ficcional), pois quem lê é informado, e vai votar com relativa lucidez. Ler e escrever faz parte de ser gente. Sempre fui de muito ler, não por virtude, mas porque em nossa casa livro era um objeto cotidiano, como o pão e o leite. Lembro de minhas avós de livro na mão quando não estavam lidando na casa. Minha cama de menina e mocinha era embutida em prateleiras. Criança insone, meu conforto nas noites intermináveis era acender o abajur, estender a mão, e ali estavam os meus amigos. Algumas vezes acordei minha mãe esquecendo a hora e dando risadas com a boneca Emília, de Monteiro Lobato, meu ídolo em criança: fazia mil artes e todo mundo achava graça. BRASILEIRO NÃO GOSTA DE LER? E a escola não conseguiu estragar esse meu amor pelas histórias e pelas palavras. Digo isso com um pouco de ironia, mas sem nenhuma depreciação ao excelente colégio onde estudei, quando criança e adolescente, que muito me preparou para o mundo maior que eu conheceria saindo de minha cidadezinha aos 18 anos. Falo da impropriedade, que talvez exista até hoje (e que não era culpa das escolas, mas dos programas educacionais), de fazer adolescentes ler os clássicos brasileiros, os românticos, seja o que for, quando eles ainda nem têm o prazer da leitura. Qualquer menino ou menina se assusta ao ler Macedo, Alencar e outros: vai achar enfadonho, não vai entender, não vai se entusiasmar. Para mim esses programas cometem um pecado básico e fatal, afastando da leitura estudantes ainda imaturos. Como ler é um hábito raro entre nós, e a meninada chega ao colégio achando livro uma coisa quase esquisita,eleituraumachatice,talvez ela precise ser seduzida: percebendo que ler pode ser divertido, interessante, pode entusiasmar, distrair,darprazer.Eusugirocrônicas, pois temos grandes cronistas no Brasil, a começar por Rubem Braga e Paulo Mendes Campos, além dos vivoscomoVerissimoeoutrostantos. Além disso, cada um deve descobrir o que gosta de ler, e vai gostar, talvez, pela vida afora. Não é preciso que todos amem os clássicos nem apreciem romance ou poesia. Há quem goste de ler sobre esportes, explorações, viagens, astronáutica ou astronomia, história, artes, computação, seja o que for. O que é preciso é ler. Revista serve, jornal é ótimo, qualquer coisa que nos faça exercitar esse órgão tão esquecido: o cérebro. Lendo a gente aprende até sem sentir, cresce, fica mais poderoso e mais forte como indivíduo, mais integrado no mundo, mais curioso, mais ligado. Mas para isso é preciso, primeiro, alfabetizar-se, e não só lá pelo ensino médio, como ainda ocorre. Os primeiros anos são fundamentais não apenas por serem os primeiros, mas por construírem a base do que seremos, faremos e aprenderemos depois. Ali nasce a atitude em relação ao nosso lugar no mundo, escolhas pessoais e profissionais, pela vida afora. Por isso, esses primeiros anos, em que se aprende a ler e a escrever, deviam ser estimulantes, firmes, fortes e eficientes (não perversamente severos). Já se faz um grande trabalho de leitura em muitas escolas. Mas, naquelas em que com 9 ou 10 anos o aluno ainda não usa com naturalidade a língua materna, pouco se pode esperar. E não há como se queixar depois, com a eterna reclamação de que brasileiro não gosta de ler: essa porta nem lhe foi aberta. Lya Luft é escritora
  11. 11. NÃO ACREDITE NAS PESQUISAS As pesquisas são manipuladas e não refletem a tendência do eleitorado. Realizei um levantamento por conta própria - chamado “trekking”, que é consulta por telefone - e concluí que a próxima Prefeita de Curitiba seria minha mãe. Vejam o resultado: Telefonei para 1.253 pessoas entre duas e quatro horas da madrugada e perguntei: - EM QUEM VOCÊ VAI VOTAR PARAA PREFEITURA? 98% dos entrevistados responderam: - NA PUTA QUE TE PARIU! Somente 2% disseram: - NAQUELE CORNO DO SEU PAI! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Uma senhora vaidosa pergunta a um senhor sincero: - Que idade o senhor me dá? - Bem... pelos cabelos, dou-lhe vinte anos, pelo olhar, dezenove, pela sua pele, dezoito, e pelo seu corpo, dezessete anos! - O senhor é tão legal! - Nada disso, sou sincero... Agora espere que vou fazer a soma. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- VIDA A DOIS Marido chega preocupado em casa e diz à esposa: - Tenho um problema no serviço. Esposa: - Não diga tenho um problema, diga temos um problema, porque os teus problemas são meus também. Marido: - Tá bem, temos um problema no serviço. A nossa secretária vai ter um filho nosso. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- A mulher entra num restaurante e encontra o marido com outra: - Pode me explicar o que é isto? E ele responde: - Só pode ser azar! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- - Fernanda, você está doente? Te pergunto porque eu vi sair um médico da sua casa, esta manhã... - Olha, minha querida, ontem eu vi sair um militar da sua e nem por isso você está em guerra, não é verdade? -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- A mulher diz, apavorada, ao amante: - O meu marido está chegando! - E agora, o que eu faço? - Pule pela janela! - Mas nós estamos no 13o. andar! - Agora não é hora para superstições! -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- - A senhorita aceita um uísque? - Não posso. Me faz mal para as pernas. - As suas pernas incham? - Não, abrem. -o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o- Diga-me, por que motivo você quer divorciar-se de seu esposo? - Meu marido me trata como se eu fosse um cão! - A maltrata? Bate? - Não. Quer que eu seja fiel! Cuidado comigo, meus remédios são faixas preta! Ladrão que rouba ladrão vive no Distrito Federal. O problema do gordo é a compunção. Compunção de porcaria e fica gordo! Eu vim do nada e sou fiel as minhas origens. Na cadeia se dorme com um olho aberto e dois fechados. A vida é assim mesmo. Num dia a gente perde, no outro ganham da gente... Pobre não troca de roupa, a roupa que troca de pobre. Se eu for eleito vou melhorar as ruas... Vou tirar as subidas e deixar só as decidas! Se for eleito prometo que vou tirar os mendigos da rua... e vou colocar na calçada! Tamanho não é documento e dinheiro não traz felicidade. Aprendi essa valiosa lição com um mendigo japonês. É foda passar dos 70. A coisa que a gente mais ouve é: sabe quem morreu? Homem é um pouco mosquito: fala no ouvidinho, pica e depois voa. Batizar gasolina não é um ato cristão. Crente não vê televisão porque não acredita em imagens. O Ministério da Cultura Adverte: Universitário não é exemplo de inteligência e tampouco exemplo de alguma coisa. Estou mais desconfiado que Noé quando viu um casal de cupins entrar na Arca. Saudade é igual prostituta: dá e vai embora. Sou candidato a governador, meu nome é Ninguém Rodrigues. Prometo que Ninguém vai melhorar a educação e Ninguém vai fazer mais hospitais. Quando somos jovens costumamos fazer caretas em frente do espelho. Quando envelhecemos o espelho se vinga! Você é o que come! E isso explica a cara de bunda de algumas pessoas. Se você pensa em ser atriz pornô, saiba que você pode ganhar muito dinheiro, mas a concorrência é enorme e o caminho é duro.
  12. 12. A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), emitiu nota onde orienta a população a rejeitar as cédulas que estiverem manchadas de tinta. Isto porque, boa parte dos caixas eletrônicos está equipada com um dispositivo que mancha as cédulas com tinta rosa após a explosão do terminal por ladrões de banco. A federação informa que as cédulas Dinheiro manchado de tinta deve ser recusado manchadas estão sendo tratadas da mesma forma que as notas falsificadas. A Febraban esclarece que o dinheiro não perde seu valor, mas diz em nota publicada em seu site que as pessoas podem se recusar a receber o dinheiro marcado. Os bancos estão orientados a reter as notas marcadas, fazer a identificação do seu portador e encaminhar as cédulas suspeitas para análise do Banco Central – o que pode demorar bastante tempo. A Febraban e o Banco Central têm se reunido constantemente para adotar procedimentos que ajudem a coibir os roubos a terminais e dificultar o uso do produto roubado, uma vez que tem aumentado muito o número de caixas eletrônicos roubados ou detonados por explosivos. Quem já não ouviu uma bela história do avô ou da avó, e conseguiu entrar naquela história como se fosse tudo real, mágico e interessante! O poder de contar histórias cativa qualquer mente pensante, pois instiga o imaginário a percorrer mundos, causos, situações de reflexão, fazendo-nos chorar, dar risadas, sentir tristeza, admiração e motivação para tornarmos algo novo e diferente. O Instituto História Viva sabe disso muito bem! Por isso capacita e gerencia voluntários que percorrem hospitais, asilos e casas lares de Curitiba e Região e da capital São Paulo para contarem e arrecadarem Histórias Vivas. Em parceria com o site de crowdfunding Catarse, o Instituto HISTÓRIA VIVA , PROJETO OUVIR E CONTAR História Viva está arrecadando doações para realização do projeto Ouvir e Contar - Causos de Inverno. Nossa intenção é de unir crianças e idosos em situação de fragilidade junto com a gratidão de poder ser voluntário, para valorizar as verdadeiras Histórias Vivas. O projeto visa reacender e captar as histórias contadas por idosos abrigados em asilos e, em um segundo momento, transformar em contos de fadas para crianças que estão passando por tratamento em hospitais, ou recolhidas em casas de apoio. Serão selecionadas e transformadas 20 histórias para serem apresentadas às crianças, que vão desenvolver uma arte para o idoso, em forma de agradecimento. Destas histórias, cinco serão escolhidas para s e r e m transformadas em esquete cênica e apresentadas com figurinos de época aos velhinhos, que não têm acesso a e s p e t á c u l o s teatrais. Para tudo isso a c o n t e c e r , precisamos da ajuda de todos. Através do financiamento coletivo vamos capacitar voluntários contadores de histórias, e reunir fundos para todo o material do processo, como figurinos, e o aparato audiovisual. Todo o processo será documentado, desde a captação das histórias nos asilos até a transformação e apresentação dessas histórias às crianças. Assim, com vídeo e os depoimentos sobre as experiências de transformação de vidas, podemos chamar a atenção de pessoas e atingir cada vez mais crianças e idosos que precisam de carinho e atenção. As colaborações serão divulgadas em no site e nas redes sociais. A campanha de captação de fundos está no facebook do Instituto História Viva.Colabaore, conheça mais:www.historiaviva.org.br confira quem são os nossos colaboradores e voluntários e dissemnadores da c a u s a : w w w. f a c e b o o k . c o m / intitutohistoriaviva.

×