O Eneagrama E O Coaching

11.959 visualizações

Publicada em

0 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.959
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
875
Comentários
0
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Eneagrama E O Coaching

  1. 1.
  2. 2. Competências de Liderança<br />
  3. 3.
  4. 4.
  5. 5.
  6. 6.
  7. 7. O Eneagrama e o Coaching<br />MBA ESAD<br />ESAD<br />
  8. 8. Caminho Coaching<br />
  9. 9. Caminho Eneagrama<br />
  10. 10. Coaching<br />
  11. 11. Os Verbos do Coaching<br />
  12. 12. Quem é o Coach?<br />Técnico, preparador, treinador, instrutor que, respeitando o estilo e as habilidades do jogador, ensina jogadas e estratégias, ensaia, acompanha a prática e avalia os resultados.<br />O objetivo do “coach”, portanto, é treinar o atleta corporativo de uma maneira individual, pessoal.<br />
  13. 13. O que faz o Coach?<br />
  14. 14. Os Verbos do Coaching<br />
  15. 15. O que é Coaching? <br />coacheeformula e persegue novos desafios para si mesmo<br />objetivo de ampliar seu sucesso profissional e aliá-lo ao seu crescimento pessoal.<br />Ferramentas capazes de acrescentar informações úteis e auto-conhecimento<br />Eneagrama.<br />Esta busca traz conquistas e melhorias tanto para o indivíduo quanto para sua empresa.<br />
  16. 16. O que é Coaching?<br />Processo de suporte ao aprendizado e desenvolvimento de habilidades e recursos de um coachee<br />utilização de sua integral potencialidade e satisfação.<br />Os recursos são descobertos – ou percebidos - e sistematizados com a ajuda externa (coach)<br />por meio de um conjunto de técnicas específicas, porém aplicadas à história do coachee.<br />
  17. 17. O que é Coaching?<br />COACHING É:<br /><ul><li>Consultoria individual com foco bem definido.
  18. 18. Treinamento e orientação para questões específicas.
  19. 19. Um programa semelhante ao de um “personaltrainer” para o trabalho.
  20. 20. Reforço de motivação.
  21. 21. Oportunidade para “desabafar”.
  22. 22. Elucidação de questões.
  23. 23. Feedback eficaz e isento.
  24. 24. Levar em conta a individualidade.
  25. 25. Liderança refinada.</li></ul>COACHING NÃO É:<br /><ul><li>Terapia e resolução de problemas da vida pessoal.
  26. 26. Apenas amizade.
  27. 27. Apenas treinamento, pois, na maioria dos casos, o “coach” fica com a pessoa até ela atingir os resultados desejados.
  28. 28. “Mentoring” (monitoria) e “tutoring” (tutoria): papéis quase que exclusivos de aconselhamento feito por um “conselheiro sábio e confiável de uma pessoa inexperiente”.</li></li></ul><li>Características de um Coaching bem Sucedido<br /><ul><li>Visão positiva e não julgadora do coachee.
  29. 29. Cronograma.
  30. 30. Reuniões sem interrupção.
  31. 31. Garantia de sigilo.
  32. 32. Duração adequada do programa (sem exageros).
  33. 33. Cautela para o coachee não se tornar dependente.
  34. 34. Facilidade de acesso ao coach, por diferentes meios.
  35. 35. Medição de resultados.</li></li></ul><li>Quando e Quem Precisa de um Coach?<br /><ul><li>Pessoas em situações de mudança real ou desejada:
  36. 36. Profissionais com potencial, mas que precisem desenvolver competências comportamentais.
  37. 37. Candidatos a uma nova posição, mas que precisem desenvolver novas competências.
  38. 38. Gestores que precisem superar “gaps” ou potencializar pontos fortes para maximizar resultados.
  39. 39. Gestores Seniores (Diretores) que se sentem sós, por não terem com quem trocar idéias.</li></li></ul><li>Modalidades de Coaching<br />Exclusivamente presencial (reuniões ou “shadowing”)<br />Misto<br />Exclusivamente a distância<br />Coaching em grupo<br />
  40. 40. Fatores Críticos de Sucesso em Coaching e Tutoring<br /><ul><li>Coaches e tutores não podem achar que estes seus papéis são eventuais e que coaching é apenas um conceito genéricos.
  41. 41. Coaching e tutoring são ferramentas com formatos específicos que precisam de planejamento e organização (ex: cronograma e agendamento).
  42. 42. Agendar previamente o que é importante e não urgente.
  43. 43. Investimento real dos gestores em auto-desenvolvimento nestes seus papéis, treinamento técnicas específicas.</li></li></ul><li>Fatores Críticos de Sucesso em Coaching e Tutoring<br /><ul><li>Metas específicas a serem atingidas.
  44. 44. Levantamento de informações úteis.
  45. 45. Saber desafiar o coachee.
  46. 46. Conhecer bem o coachee.
  47. 47. Coaches e tutores devem manter a parceria com o RH.
  48. 48. Plano de Desenvolvimento Individual (PDI).
  49. 49. Avaliação e mensuração de resultados.</li></li></ul><li>Coaching x Tutoring<br /><ul><li>Fazer perguntas e extrair respostas do trainee.
  50. 50. Visão de que o trainee já possui as respostas, que precisam ser descobertas.
  51. 51. Inspirar, incentivar, desafiar.
  52. 52. Uso dos talentos em gestão de pessoas.
  53. 53. “Role-model” em liderança, gestão de pessoas e relacionamentos.
  54. 54. Na empresa: Gerentes Executivos.
  55. 55. Desenvolvimento do trainee no cargo.
  56. 56. Dá informações sobre como funciona o trabalho na área específica.
  57. 57. Fazer perguntas, mas também fornecer respostas.
  58. 58. Visão de que o trainee precisa receber conhecimentos específicos e precisa conhecer experiências.
  59. 59. Aconselhamento e ensinamentos.
  60. 60. Transmissão do conhecimento acumulado pela experiência.
  61. 61. “Role-model” em conhecimento e desenvolvimento de carreira.
  62. 62. Na empresa: Diretores.
  63. 63. Desenvolvimento global do trainee.
  64. 64. Dá informações sobre cultura, valores e política da empresa.</li></li></ul><li>Modelo de Coaching<br />
  65. 65. Modelo de Coaching<br />
  66. 66. Modelo de Coaching<br />
  67. 67. Modelo de Coaching<br />
  68. 68. Modelo de Coaching<br />
  69. 69. Modelo de Coaching<br />
  70. 70. Ouça Primeiro, Questione DepoisEscutando de Maneira Pura<br /><ul><li>Ouvidos</li></ul>O que você realmente ouve sem os seus filtros estarem operando?<br /><ul><li>Olhos</li></ul>O que você realmente observa, sem ser seletivo?<br /><ul><li>Coração</li></ul>O que você sente, o que você acha que o coachee sente e você consegue diferenciar estas duas coisas?<br /><ul><li>Instinto</li></ul>O que parece verdadeiro?; você pode confiar no seu instinto?<br /><ul><li>Mente</li></ul>Qual o significado das informações acima?<br />
  71. 71. Ouça Primeiro, Questione DepoisQuestionando de Maneira Pura<br />Questões não conclusivas<br /><ul><li>Faça poucas perguntas do tipo “sim ou não”</li></ul>Espírito de descoberta<br /><ul><li>Aja como um antropólogo, não somente um buscador de fatos.</li></ul>Questionamento respeitoso<br /><ul><li>Siga os assuntos trazidos pelo coachee e simultaneamente guie a conversa.</li></li></ul><li>Como as Pessoas Aprendem<br />Fonte: “Starting Strong: A Guide to Pre-Service Training”, 1996, Mosaica – AmeriCorpsNationalProvider.<br />
  72. 72. Princípios Fundamentais de Coaching*<br />
  73. 73. Como o desenvolvimento acontece<br />
  74. 74. Dicas Práticas em Coaching<br /><ul><li>Falta de tempo não pode ser uma desculpa, pois nós optamos por prioridades.
  75. 75. Agende o que é importante e não urgente.
  76. 76. Seja flexível: use os sistemas misto, à distância ou em grupo.
  77. 77. Use tecnologia!
  78. 78. Qual a duração ideal de uma reunião de coaching?
  79. 79. Café da manhã, almoço, happyhour, jantares...
  80. 80. Use até mesmo o tempo de locomoção como uma oportunidade de coaching!</li></li></ul><li>Quebrando Paradigmas<br /><ul><li>Foco em Resultados
  81. 81. Excelência Gerencial
  82. 82. Ação Estratégica
  83. 83. Gestão de Projetos
  84. 84. Gestão de Pessoas</li></li></ul><li>O Uso do Eneagrama<br />
  85. 85. 9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />4<br />5<br />
  86. 86. Em empresas<br />O eneagrama oferece o conhecimento das motivações profundas e da estrutura de funcionamento de cada indivíduo;<br />
  87. 87. Em empresas<br /><ul><li>Mobilizar os verdadeiros pontos fortes,
  88. 88. Desenvolver a criatividade e a flexibilidade,
  89. 89. Aumentar a capacidade de assumir responsabilidade,
  90. 90. Construir um plano preciso de ampliação da competência humana e profissional,
  91. 91. Comunicar-se com a certeza de compreender os outros e de ser compreendido,
  92. 92. Aumentar a própria motivação e a dos outros,
  93. 93. Trabalhar mais fácil e eficazmente em equipe,
  94. 94. Melhorar e tornar mais coerente a alto-imagem e a imagem da equipe ou da empresa</li></li></ul><li>Estrutura da personalidade<br />
  95. 95. Histórico do Eneagrama<br />“Em 01 de julho de 1970, no City Hospital de ARICA, no Chile, 54 norte-americanos, a maior parte deles de Esalen e Big Sur, iniciaram um treinamento intensivo de 10 meses, supervisionado por um boliviano chamado Oscar Ichazo...”<br />“... Depois de seis meses de exercícios introdutórios, iniciou-se uma nova fase de treinamento intensivo para o grupo norte-americano. <br />Nesta época, cinco membros do grupo original, incluindo Cláudio Naranjo, foram separados para treinamento posterior...”.<br />
  96. 96. Eneagrama: Presuposições<br />O Eneagrama afirma que existem 9, e apenas 9 padrões de personalidade, ou padrões formadores de Tipos de personalidade. Daí o nome <br />“Eneagrama” que quer dizer : o desenho dos 9 ou o símbolo dos nove. <br />
  97. 97. Eneagrama: Presuposições<br />O Eneagrama afirma que esses 9 Tipos são resultantes de fixações do ego em algum momento de sua formação, realizadas de forma absolutamente inconsciente e que acabam se tornando sua motivação básica.<br />
  98. 98. O estudo do Eneagrama<br />Isso é feito em 3 etapas:<br />1 - A “posteriori” refletindo sobre os verdadeiros motivos que as levaram a praticar tal ação - a intenção atrás da intenção.<br />2 - No momento em que estão agindo, e isso já é uma fase adiantada do processo.<br />3 - Antes de agir, através de uma percepção de um tipo muito especial e muito pessoal de “mobilização interna”.<br />
  99. 99. PARA QUE SERVE O ENEAGRAMA ?<br />“...Os professores podem tornar-se mais perceptivos de seus alunos .Tipos distintos de personalidade possuem distintas atitudes mentais, distintos enfoques de aprendizagem e distintos modos de interagir com outros alunos..”<br />
  100. 100. PARA QUE SERVE O ENEAGRAMA ?<br />“...Os empresários, homens de negócios, diretores de corporações, podem converter-se em melhores administradores, no momento em que estiverem mais conscientes dos tipos de personalidade de seus auxiliares diretos. <br />A satisfação no trabalho e a produtividade aumentam quando os empregados sentem que a administração compreende e leva em consideração suas características pessoais..”. <br />
  101. 101. Base: Livro<br />O livro "Os Nove Tipos de Personalidade" da Editora Objetiva é de autoria do chileno Cláudio Naranjo, que estudou psicologia, medicina, música e filosofia. Morou nos Estados Unidos, tendo convivido com renomados professores de Psicologia da Personalidade, entre eles Gordon Allport, Henry Murray e Raymond Cattell.<br />
  102. 102. Estrutura dos Tipos:<br />Portanto caro amigo leitor, cada um de nós foi criança e adolescente, e desenvolveu um tipo de compulsão, ou defeito característico no relacionamento com nossos genitores.<br />Observando cada um dos tipos de eneagrama, como um todo, podemos aprender o que pode nos acontecer, caso inflemos o nosso “eu” às custas de outros valores.<br />
  103. 103. preguiça<br />9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />ira<br />luxúria<br />gula<br />orgulho<br />vaidade<br />medo<br />Inveja<br />avareza<br />
  104. 104.
  105. 105.
  106. 106.
  107. 107. 9<br />Centro Instintivo<br />1<br />8<br />2<br />7<br />6<br />3<br />Centro <br />Emocional<br />Centro mental<br />4<br />5<br />
  108. 108. Gerir o desenvolvimento profissional<br />Um perfil do eneagrama<br />representa todo um leque de comportamentos e de competências possíveis,respeitando a orientação do tipo.<br />Nosso desafio<br />exprimir o melhor do nosso tipo,na vida profissional , bem como na vida pessoal .<br />Plano de desenvolvimento profissional<br />Individualizado,baseando-se no posicionamento preciso da pessoa em seu perfil e no subtipo instintivo.<br />
  109. 109. Correspondência e Identificação<br />
  110. 110. 9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />PACIFICADOR<br />PERFECCIONISTA<br />LÍDER<br />ENTUSIASTA<br />SOLICITO<br />EXITOSO<br />LEAL<br />SENSIVEL<br />SABIO<br />
  111. 111. Tipo1 : O perfeccionista<br />Corretos, formais, perfeccionistas, voltados para o dever e não para o prazer. Exigentes e críticos em relação a si. <br />O pecado raiz deste tipo é a Ira, traduzida pelo ressentimento, excessiva racionalização e controle na expressão verbal da raiva. <br />Costumam esconder a tendência destrutiva aparentando uma atitude bem intencionada. <br />Irritam-se com os erros dos outros, vigiam e são impulsionados a reprovar. <br />Costumam ser indulgentes e humildes. <br />Impressionam pela meticulosidade, pela ordem e acham que podem fazer tudo melhor que os outros. <br />Vivem de acordo com um padrão preconcebido e irrevogável, ruminativo e desconfiado.<br />
  112. 112. O TIPO UM<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Racionais, imparciais, justos e conscienciosos.<br />Bons conselheiros, bons ouvintes, corretos.<br />Forte entendimento do certo e errado. Íntegros.<br />NORMALMENTE<br />Impessoais, reformadores, preconceituosos e moralistas.<br />Extremamente críticos. "Donos da verdade". <br />Na busca da perfeição idealizada sempre encontram algum defeito.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Intolerantes, dogmáticos e inflexíveis.<br />Extremamente severos em seus julgamentos.<br />Obsessivos e contraditórios, podem ser cruéis e implacáveis<br />Não assumem a sua ira e justificam suas punições como necessárias e "didáticas".<br />
  113. 113. Movimento Positivo do Tipo 1*<br />O tipo 1 precisa superar sua inflexibilidade e sua busca de perfeição em tudo, movendo-se para a produtividade do 7, na busca da sadia perfeição. <br />Isso lhe trará serenidade e paz, que o tornará uma pessoa tolerante, disciplinada, tenaz e de autocontrole.<br />
  114. 114. Movimento Positivo do Tipo 1*<br />Ponto de segurança: 7<br /><ul><li>Flexibilidade e inovação
  115. 115. Humor, diversão
  116. 116. Relaxamento
  117. 117. Espontaneidade
  118. 118. Crítica à ordem estabelecida</li></ul>Ponto de risco: 4<br /><ul><li>Acesso aos sentimentos, com sensação de alívio
  119. 119. “O que quer fazer” e não “o que precisa fazer”
  120. 120. Trabalho adquire um significado maior</li></li></ul><li>Tipo 2:<br />Generosos, excêntricos, rebeldes, despreocupados, arrogantes, seduzidos pelas novidades. <br />O pecado raiz é o Orgulho, mostram falsa generosidade e comportamento sedutor. <br />A conduta lisonjeira é a forma de se manterem no centro das atenções. Costumam parecer mais do que são. <br />Incapazes de relacionamentos duráveis, costumam viver fases de relacionamento teatral. Experimentam pouco a culpa, mostrando reação excessiva diante de situações que outros consideram sem importância. <br />Costumam mostrar explosões de raiva e são percebidos como superficiais, desprovidos de autenticidade. <br />Mostram pouco empenho na busca intelectual, embora criativos e imaginativos.<br />
  121. 121. TIPO DOIS<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Generosos, atenciosos, despreendidos<br />Altruístas, gostam de ajudar e elogiar.<br />Carinhosos e amorosos<br />NORMALMENTE<br />Sedutores, possessivos, controladores.<br />Procuram se tornar indispensáveis<br />para se sentirem amados.<br />Normalmente não reconhecem suas<br />próprias necessidades.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Invasivos, arrogantes, abusivos.<br />Fazem os outros se sentirem culpados.<br />Chantagistas emocionais. Altamente exigentes de retorno. Vítimas. Mártires.<br />
  122. 122. Movimento positivo do Tipo 2<br />O tipo 2 carece de superar a sua tendência à auto decepção, e a dependência dos outros, com a autocompreensão do 4 saudável, libertando-o de depender da aprovação dos outros, pois só assim se tornará realmente o que é: uma pessoa bondosa, altruísta e que aprecia muito os outros.<br />
  123. 123. Movimento Positivo do Tipo 2*<br />Ponto de segurança: 4<br /><ul><li>Olha para si mesmo
  124. 124. Reconhece suas carências
  125. 125. Separa suas emoções daquilo que os outros sentem
  126. 126. “Dor positiva”</li></ul>Ponto de risco: 8<br /><ul><li>Ação, sem tanta imagem
  127. 127. Fim da “generosidade egocêntrica”; pede para si
  128. 128. Rebela-se e acessa uma “raiva positiva”</li></li></ul><li>Tipo 3<br />Controladores, hipervigilantes, autoconfiantes. O narcisismo é parte do perfil, mobilizam-se para provar seu valor. <br />O pecado raiz é a Vaidade, exteriorizada através da apaixonada preocupação com a própria imagem. Buscam a apreciação dos outros através da realização da eficácia, da aceitação social de um estado característico de neutralidade, de controle dos sentimentos. <br />Não têm dúvida que são pessoas especiais, falam incessantemente sobre suas maravilhosas qualidades. <br />São convictos de que não existe nada que não possam fazer, ninguém que não possam superar. <br />Não aceitam ser questionados e suas manifestações de afeto são muito controladas. <br />São pragmáticos, bons negociadores, capazes de tirar empresas do vermelho.<br />
  129. 129. Movimento positivo do Tipo 3<br />O tipo 3, precisa superar a inveja maliciosa dos outros e sua tendência a preservação exagerada de sua imagem de ser super competente, caminhando para a lealdade do 6, buscando ser autêntico e sincero consigo mesmo, o que o tornará uma pessoa adaptável e de profunda e sadia autoconfiança.<br />
  130. 130. TIPO TRÊS<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Seguros de si, dinâmicos, atraentes.<br />Trabalhadores incansáveis e eficientes.<br />Motivados e motivadores.<br />Excelentes agentes de crescimento.<br />Muito competentes.<br />NORMALMENTE<br />Calculistas, pragmáticos e narcisistas.<br />Buscadores de status, carreiristas.<br />Exibicionistas, podem simular qualquer emoção <br />e normalmente não misturam sentimentos com<br />trabalho. Podem se aproveitar dos outros para<br />proveito próprio.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Exploradores, oportunistas, falsos.<br />Traidores, vingativos, sádicos.<br />Sabotadores e homicidas<br />
  131. 131. Movimento Positivo do Tipo 3*<br />Ponto de segurança: 6<br /><ul><li>Valores de amizade, família e companheirismo
  132. 132. Espírito de equipe
  133. 133. Acessa emoções e cria intimidade com o outro
  134. 134. Atenção ao detalhe
  135. 135. Busca da qualidade</li></ul>Ponto de risco: 9<br /><ul><li>Relaxa (finalmente!)
  136. 136. Aprende a esperar, diminuir o ritmo e não ter pressa
  137. 137. Pára de ultrapassar os outros
  138. 138. Diferencia os verdadeiros dos falsos sentimentos
  139. 139. Vira sua energia para dentro</li></li></ul><li>Tipo 4;<br />Personalidade auto-derrotista, têm sensação dolorosa de carência e anseio em direção ao que sentem que está faltando. <br />O pecado raiz é a Inveja, estando sempre querendo alcançar o inatingível. <br />Pessimistas, céticos, sérios e amargurados. Consideram o sofrimento coisa nobre. <br />Contemplam a si mesmos de forma aristocrática. Preocupação com a estética, apresentando um jeito diferente de vestir e de viver. São melancólicos, resmungões. <br />Rejeitam ofertas razoáveis de ajuda. Evitam companhia pois temem ser depreciados, ou mesmo aborrecer os outros. <br />O amor é a única coisa que confere um conteúdo positivo à sua vida.<br />
  140. 140. Movimento positivo do Tipo 4<br />O tipo 4 deve superar a sua auto destrutiva subjetividade, buscando a objetividade e autodisciplina do 1, o que a tornará uma pessoa sensível, criativa e de enorme capacidade de sentir a dificuldade e os problemas dos outros.<br />
  141. 141. TIPO QUATRO<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Inspirados, criativos, intuitivos,<br />expressivos e sensíveis. <br />Emocionalmente fortes e honestos.<br />NORMALMENTE<br />Melancólicos, românticos, irritadiços.<br />Atraídos pelo não disponível,<br />pelo que está ausente.<br />Sonhadores pouco práticos.<br />Auto-indulgentes e auto-iludidos.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Depressivos, alienado dos outros,<br />deprimidos, auto depreciativos,<br />mórbidos e suicidas.<br />
  142. 142. Movimento Positivo do Tipo 4*<br />Ponto de segurança: 1<br /><ul><li>Disciplina
  143. 143. Ação para concretizar metas
  144. 144. Vive o momento presente
  145. 145. Adquire praticidade
  146. 146. Idéias criativas em ação</li></ul>Ponto de risco: 2<br /><ul><li>Enxerga e aceita o outro
  147. 147. Ajuda e torce pelo outro
  148. 148. O ato de dar livremente afasta a sensação de perda e a depressão</li></li></ul><li>Tipo 5;<br />Tipo 5: O desapego, o isolamento, a capacidade de retenção. <br />O pecado raiz é a Avareza. Minimizam as suas próprias necessidades, mostrando obediência compulsiva. Seu forte superego os leva ao sentimento de culpa. <br />Mostram auto distanciamento e uma exagerada vulnerabilidade. São, ao mesmo tempo, sensíveis e frios. Vida rica em pensamentos e pobre em ações. Amam a privacidade, são discretos na expressão dos sentimentos. <br />Se têm problemas preferem ficar sós. Nem sempre colocam no papel as suas boas idéias. Adiam, procrastinam, recusam-se a assumir responsabilidades. Seu grande traço é o intelectualismo: adoram teorizar, racionalizar. Costumam substituir a vida pela leitura. <br />Precisam desenvolver a capacidade de amar e de se relacionar.<br />
  149. 149. Movimento Positivo do Tipo 5*<br />O tipo 5, deve superar sua auto-anulação movendo-se para a coragem do 8, buscando se envolver, sair do anonimato, usar toda sua capacidade e conhecimentos acumulados.<br />
  150. 150. TIPO CINCO<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Originais, compreensivos, inventivos,<br />brilhantes, perceptivos.<br />Estudiosos, dedicados, racionais e discursivos.<br />Muitas vezes responsáveis por soluções<br />nunca imaginadas.<br />NORMALMENTE<br />Abstratos, reducionistas, complicados,<br />retraídos, excêntricos e desapegados. Tentam apenas<br />observar a realidade, não vive-la. <br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Extremistas, radicais, obsessivos,<br />cínicos, hostis, isolados e niilistas. <br />
  151. 151. Movimento Positivo do Tipo 5*<br />Ponto de risco: 7<br /><ul><li>Experimentação
  152. 152. “Investigador aventureiro”
  153. 153. Divertido e desinibido
  154. 154. Busca prazer e companhia</li></ul>Ponto de segurança: 8<br /><ul><li>Vai para o corpo
  155. 155. Assertividade
  156. 156. Espontaneidade
  157. 157. Energiza-se nos conflitos</li></li></ul><li>Tipo 6;<br />Tipo 6: Cautelosos, guerreiros, obsessivos, desconfiados. São tensos, hipersensíveis, não toleram suspense. Buscam clareza de regras, regulamentos. <br />O pecado raiz é o Medo. São corteses e afáveis, mas conseguem desarmar o oponente. No rumo de suas idéias são obstinados, teimosos, pouco receptivos às influências. Estruturam tudo, mostram necessidade de liderar. <br />Pensamento empírico e objetivo, são extrovertidos e, por medo de cometer erros, podem ficar imobilizados, temendo as conseqüências futuras das ações presentes. Estão sempre de sobreaviso, procurando os significados ocultos.<br />
  158. 158. TIPO SEIS<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Confiantes e confiáveis. Comprometidos.<br />Atraentes, leais e responsáveis.<br />Solidários e amigos.<br />NORMALMENTE<br />Ambivalentes, indecisos e defensivos.<br />Obedientes/desobedientes/autoritários.<br />Superam seus medos por atitudes arrojadas.<br />Não acreditam em seus próprios recursos<br />e precisam de confirmação e apoio.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Inseguros, dependentes, irracionais.<br />Paranóicos com mania de perseguição.<br />Angustiados e receosos, ficam sempre<br />esperando o pior.<br />
  159. 159. Movimento Positivo do Tipo 6*<br />O tipo 6 deve superar suas suspeitas dos outros movendo-se para a receptividade do 9, deixando de ver o mundo como algo ameaçador e hostil, que são uma ilusão de seu ego, levando-o a tornar-se uma pessoa leal, e cumpridora de seus deveres e de absoluta confiança.<br />
  160. 160. Movimento Positivo do Tipo 6*<br />Ponto de segurança: 9<br /><ul><li>Checa a realidade
  161. 161. Visão ampla e coerente
  162. 162. Mais receptivo, menos desconfiado
  163. 163. Confia na sua autoridade
  164. 164. Relaxa</li></ul>Ponto de risco: 3<br /><ul><li>Executa, age, realiza
  165. 165. Confia em si mesmo
  166. 166. Sente-se bem, satisfeito com o que realiza
  167. 167. Anda para a frente, apesar do medo</li></li></ul><li>TIPO SETE<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Entusiastas, produtivos e excitantes.<br />Muito talentosos, diplomatas,<br />sempre otimistas, excelentes para dar início e praticabilidade em qualquer projeto. <br />Podem executar várias tarefas diferentes com o mesmo entusiasmo<br />NORMALMENTE<br />Superficiais, inconseqüentes e materialistas.<br />Consumistas, compulsivos e imoderados.<br />Gostam das coisas fáceis e, otimistas crônicos, tendem a viver na fantasia.<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS <br />Impulsivos, infantis e descontrolados.<br />Dissipados, egocêntricos e maníacos.<br />Tendem à histeria e à psicose maníaco-depressiva.<br />
  168. 168. Movimento Positivo do Tipo 7*<br />O tipo 7, procurar a superação de sua impulsividade, movendo-se para o envolvimento do 5, buscando a sua qualidade essencial que é a sobriedade e comedimento, que o tornará centrado, usando seu entusiasmo e alegria em ser prático e produtivo.<br />
  169. 169. Movimento Positivo do Tipo 7*<br />Ponto de risco: 1<br /><ul><li>Foco, uni-direcionamento
  170. 170. Conclui tarefas
  171. 171. Ideal futurista em ação
  172. 172. Abre-se para receber feedback.</li></ul>Ponto de segurança: 5<br /><ul><li>Introspecção, solitude.
  173. 173. Acessa a dor e os medos e sai do pseudo prazer
  174. 174. Aprofunda relações, cria intimidade e enxerga o outro</li></li></ul><li>Tipo 7;<br />Tipo 7: Narcisismo, a intemperança, a paixão pelo prazer. Aproximam-se do mundo pela estratégia da palavra. Manipulam através do intelecto, tomam os sonhos como realidade. <br />O pecado raiz é a Gula. Sensíveis e altamente influenciáveis pelo mundo exterior. Inclinados à auto-análise, sujeitos a excessos ocasionais de tristeza e irritação, apesar do excessivo otimismo. Conduta social radiante, acessíveis às novas idéias.<br />Seu estoque de pensamentos é inexaurível. Encaram com desprezo quem os desrespeitam. Expansivos, não colocam limites nas fantasias. Afeto relaxado, alegre, despreocupado. Condições estáveis o sufocam. Olham para o futuro e não para o passado, tendem à satisfação excessiva dos desejos e a uma aparente modéstia.<br />
  175. 175. Tipo 8;<br />Tipo 8: Rebeldia, desobediência e reserva. Considerado provocador, seu narcisismo se expressa pela autoconfiança. <br />O pecado raiz é a Luxúria. Não é de bajulador, tendo um caráter forte, estilo provocador e afetividade hostil. Não se deixa intimidar pelo outro e mostra grande determinação para alcançar objetivos e superar obstáculos. São peritos em frustrar os outros em suas expectativas, esperanças, alegrias. <br />Criticam mas não gostam de ser criticados. Têm postura auto suficiente, e sentem prazer em dominar. Tendentes ao vício e ao prazer pelo que é proibido. <br />Seu comportamento é de confrontação, intimidação. Tipo divertido, espirituoso.<br />
  176. 176. TIPO OITO<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Auto confiantes, generosos, encorajadores,batalhadores e persistentes. Excelentes agentes de desenvolvimento, enorme capacidade de <br />liderança. Grande senso de justiça. Gostam de ter pessoas sob sua proteção. Não têm medo de se expor e não evitam confrontos. <br />NORMALMENTE<br />Práticos, objetivos, com grande necessidade de ter poder, encaram o mundo como uma grande arena onde só existem <br />vencedores. Farão tudo para estar entre os vencedores. Tendem a dominar agressivamente o seu meio ambiente. <br />Intimidadores, "pavios curtos". Não costumam<br />respeitar os direitos e as necessidades dos outros<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS <br />Ditadores. Dominadores. Agressivos e arrogantes.<br />Descobrem rapidamente os pontos fracos das pessoas.<br />Gostam de humilhar e de expor as fraquezas dos outros.<br />Tiranos, violentos. anti-sociais. Enorme capacidade de destruição<br />
  177. 177. Movimento Positivo do Tipo 8*<br />O tipo 8 deve superar seu egocentrismo movendo-se para a consideração pelos outros do 2, deixando o temor e suspeita de estar se sentindo agredido pelos outros, para uma atitude de inocência, sem preconceitos de como devem ser as coisas; isso o tornará uma pessoa auto confiante, magnânima, decidida e corajosa.<br />
  178. 178. Movimento Positivo do Tipo 8*<br />Ponto de segurança: 2<br /><ul><li>Torna-se gentil, amável, bom ouvinte e apoiador
  179. 179. Revela-se vulnerável, com poder feminino
  180. 180. Acessa seus sentimentos</li></ul>Ponto de risco: 5<br /><ul><li>Relaxa; distancia-se para refletir antes de agir
  181. 181. Estimula sem impor, ofender ou dominar
  182. 182. Torna-se independente</li></li></ul><li>Tipo 9: O Indolente<br />Tipo 9: A tolerância, a acomodação, a indiferença, a generosidade. Caráter resignado, busca excessiva de estabilidade e inclinação conservadora. <br />O pecado raiz é a Preguiça. Conduta tranqüila, facilidade de comunicar sentimentos. Buscam companhia quando estão com problemas. Inclinados ao dever, tendem a se sacrificar pelos outros. Por medo de serem rejeitados, concordam com o outro, procurando sempre agradar. <br />Adaptam o seu comportamento para agradar aqueles de quem dependem. São solidários, honram os seus compromissos. Tendem a adiar, dispersar, gastar tempo com coisas não prioritárias, desgastar-se com pormenores. Podem trabalhar exageradamente como forma de compensar a sua lentidão.<br />
  183. 183. Movimento Positivo do Tipo 9*<br />Finalmente, o tipo 9 pode superar sua complacência, indolência e sentimento de isolamento, movendo-se para a ambição do 3, tornando-se uma pessoa que se aceita a si mesmo, amável e paciente.<br />
  184. 184. O TIPO NOVE<br />QUANDO SAUDÁVEIS<br />Receptivos, apaziguadores, calmos, otimistas.<br />Pacientes e compreensivos. São pessoas <br />genuinamente agradáveis, sem preocupações com posições de destaque ou querendo algo em troca.<br />NORMALMENTE<br />Desligados, indiferentes, indolentes.<br />Passivos, fatalistas, complacentes,<br />ignoram o que está errado para manter sua tranqüilidade<br />QUANDO NÃO SAUDÁVEIS<br />Reprimidos, inúteis, negligentes.<br />Obstinados, dissociados, desorientados.<br />Despersonalizados.<br />
  185. 185. Movimento Positivo do Tipo 9*<br />Ponto de segurança: 3<br /><ul><li>Ação, energia, dinamismo
  186. 186. Adquire auto-confiança
  187. 187. Assume o controle da sua vida
  188. 188. Pára de fazer para os outros e foca suas prioridades
  189. 189. Valoriza seus esforços</li></ul>Ponto de risco: 6<br /><ul><li>Posiciona-se, expressa opiniões e assume conflitos necessários
  190. 190. Pára de adiar prioridades
  191. 191. Põe o foco em si mesmo
  192. 192. Torna-se um grande líder e um agente de mudanças</li></li></ul><li>9<br />Centro Instintivo<br />1<br />8<br />2<br />7<br />6<br />3<br />Centro <br />Emocional<br />Centro mental<br />4<br />5<br />
  193. 193. As Tentações<br />A tentação do Nove é acreditar que a tranqüilidade é um valor maior;<br />a do Oito é acreditar no seu próprio poder;<br />a do Sete é acreditar que possessões materiais o realizarão;<br />a do Seis é acreditar na segurança proporcionada pelas outras pessoas;<br />a do Cinco é acreditar que o conhecimento é um fim em si mesmo;<br />a do Quatro é acreditar na sua liberdade para fazer o que quiser;<br />a do Três é acreditar na sua própria excelência;<br />a do Dois é acreditar na sua própria importância e,<br />a tentação do Um é acreditar na sua própria retidão.<br />
  194. 194. Destinos;<br />Forçando os outros a amá-los, os Dois terminam sendo odiados.<br />Engrandecendo-se, os Três acabam sendo rejeitados.<br />Seguindo somente seus sentimentos, os Quatro acabam desperdiçando suas vidas.<br />Impondo suas idéias sobre a realidade, os Cinco terminam desligados da realidade.<br />Sendo muito dependentes dos outros, os Seis terminam sendo abandonados.<br />Vivendo para o prazer, os Sete acabam frustrados e insatisfeitos.<br />Dominando os outros para terem o que querem, os Oito acabam destruindo tudo.<br />Acomodando-se demais, os Nove tornam-se conchas subdesenvolvidas e fragmentadas.<br />Tentando perfeição sem sensibilidade humana, os Um acabam pervertendo a própria sensibilidade.<br />
  195. 195. Cada tipo de personalidade tende a buscar, o que ele pensa que é bom para ele, nos lugares errados, da maneira errada, ou ambos.<br />O Dois pensa que será feliz se for amado (ou adorado) pelos outros,<br />o Três se for admirado pelos outros,<br />o Quatro se ele for totalmente livre para ser ele mesmo,<br />o Cinco se ele tiver certeza intelectual,<br />o Seis se ele tiver absoluta segurança,<br />o Sete se ele possuir tudo que quiser,<br />o Oito se tiver as coisas da sua maneira,<br />o Nove se ele puder "fundir-se" com alguém, e<br />o Um se ele for perfeito.<br />
  196. 196. 98<br />TEMPO: PRESENTE<br />CENTRO<br />CONDUCTUAL<br />9<br />CENTRO<br />INTELECTUAL<br />CENTRO<br />EMOCIONAL<br />1<br />8<br />TEMPO: PASADO<br />TEMPO: FUTURO<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />CENTRO PREFERENCIAL Y TIEMPO<br />
  197. 197. 9<br />1<br />8<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />TRIADAS TIEMPO Y TRIUNFO<br />Ganhar e Perder é o Mesmo<br />Enfase no Presente<br />Ação<br />Emoção<br />Intelecto<br />NãoSabem Perder<br />Enfase no Passado<br />NãoSabemGanhar<br />Enfase no Futuro<br />
  198. 198. 100<br />CONFRONTAR<br />AGREGA VALOR<br />AMOR é<br />Fusão<br />9<br />AMOR é Dor<br />AMOR é Confiança<br />1<br />8<br />Abrigar-se<br />AGREGA VALOR<br />Fugir<br />AGREGA VALOR<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />AMOR Y FRONTERAS<br />
  199. 199. Nove estilos de comunicação<br />9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />Saga<br />Ensinamento sermão<br />Imperativos<br />Ajuda Opinião<br />História<br />Propaganda<br />limites<br />Drama<br />Tratado<br />
  200. 200. A Principal fonte de motivação dos nove tipos <br />9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />...ela está relaxada e em harmonia com os outros e com a organização<br />...o quadro é bem definido e os princípios e a qualidade são privilégios<br />...a liderança é garantida com força e coragem<br />..ela se sente apreciada e amada<br />...ela está satisfeita e otimista acerca do futuro<br />...ela pode conseguir alcançar seus objetivos numa atmosfera de competição<br />...ela tem um sentimento de dependência e de segurança<br />...ela é respeitada em sua espeficidade<br />...a estrutura e o gerenciamento são lógicos<br />
  201. 201. A Principal fonte de motivação dos nove tipos <br />9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />...ela está relaxada e em harmonia com os outros e com a organização<br />...o quadro é bem definido e os princípios e a qualidade são privilégios<br />...a liderança é garantida com força e coragem<br />..ela se sente apreciada e amada<br />...ela está satisfeita e otimista acerca do futuro<br />...ela pode conseguir alcançar seus objetivos numa atmosfera de competição<br />...ela tem um sentimento de dependência e de segurança<br />...ela é respeitada em sua espeficidade<br />...a estrutura e o gerenciamento são lógicos<br />
  202. 202. Os 9 tipos de Organização<br />9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />Harmonia,Colaboração Estabilidade,procedimento<br />Força,poder Ação Autoridade, Intimidação<br />Controle de qualidade Regras e procedimento<br />Necessidade humanas Serviço à estrelas<br />Satisfação inovação Flexibilidade<br />Resultados Eficácia Competição<br />Sistema de gestão da informações Informações a concorrência Lealdade,segurança<br />Imagem única,elitista e sensível Respeito pelo indivíduo e pelas suas emoções<br />Racionalidade da estrutura e das decisões Segredo Excelência Técnica<br />
  203. 203. Desafio do “E SE...”<br />Desafiando a premissa de que algo é importante e inviolável<br /><ul><li>Sandra, uma Nove, recebeu feedback de que ela tem dificuldade de recusar os pedidos dos clientes. Como conseqüência, sua equipe fica muito sobrecarregada e brava. A resposta de Sandra a esta informação foi “eu tenho que honrar os pedidos dos clientes”.
  204. 204. O coach de Sandra lhe perguntou: “e sevocê não honrar todos os pedidos dos clientes?”
  205. 205. Como conseqüência do desafio do “E SE...”, o coachee muda seu curso de ação ou se torna mais comprometido com o plano original.</li></li></ul><li>Desafio do “E SE...”<br />Desafiando a premissa de que algo é importante e inviolável<br /><ul><li>Sérgio, um Três, expressou frustração por não conseguir impressionar seu chefe, apesar de tentar isto de muitas maneiras.
  206. 206. O coach de Sérgio perguntou: “esevocê não tentasse impressionar o seu chefe?”
  207. 207. Como conseqüência do desafio do “E SE...”, o coachee muda seu curso de ação ou se torna mais comprometido com o plano original.</li></li></ul><li>Desafio do “Por que você faria isto?”<br />Esclarecendo os verdadeiros desejos e intenções do coachee<br /><ul><li>Sidney, um Seis, contou ao seu coach que depois de revisar os dados e pensar sobre sua situação, ela realmente gostaria de aprimorar o relacionamento com seu chefe.
  208. 208. Seu coach respondeu usando um tom de voz calmo e questionando: “Você consegue me dizer por que você gostaria de fazer isto?”
  209. 209. A seqüência foi um extenso monólogo de Sidney sobre porque ele faria isto. Assim, ficou mais claro que Sidney queria uma nova posição na empresa.</li></li></ul><li>Desafio do “Por que você faria isto?”<br />Esclarecendo os verdadeiros desejos e intenções do coachee<br /><ul><li>William, um Oito, contou ao seu coach que ele queria ser mais paciente com seus colegas.
  210. 210. Seu coach riu e perguntou: “Por que você gostaria ser mais paciente?”
  211. 211. William também riu e perguntou: “Bem, talvez eu não queira. Mas, eu certamente gostaria que o desempenho deles melhorasse. Talvez, você possa me ajudar a descobrir como fazer isto”.</li></li></ul><li>Desafio do “Por que você faria isto?”<br />Esclarecendo os verdadeiros desejos e intenções do coachee<br /><ul><li>Fábio, um Cinco, contou ao seu coach que ele queria aprimorar sua empatia.
  212. 212. Seu coach lhe perguntou, com grande sinceridade: “Por que você quer isto?”
  213. 213. Fábio listou suas razões: “As pessoas conseguiriam se aproximar mais de mim, eu teria relações mais próximas no trabalho e eu seria capaz de ter conversas mais honestas com meus colegas – dois deles, em particular.”
  214. 214. Com esta informação, o coach de Fábio soube que ele tinha um coachee comprometido.</li></li></ul><li>Cabe a você!<br />Cabe a você empreender a experiência dinamizadora do autoconhecimento. <br />Cabe a você utilizar o que você apreendeu para reforçar as suas competências naturais e desenvolver harmoniosamente aquelas que vocês negligenciou um pouco até agora. <br />
  215. 215. Cabe a você!<br />Cabe a você realização profissional,estando totalmente de acordo com a sua verdadeira personalidade.<br />Cabe a você desenvolver a sua compreensão dos outros para melhor comunicar-se com eles e para melhor motivá-los a se desenvolver.<br />
  216. 216. Cabe a você!<br />Cabe a você aceitar e a valorizar a competência alheia para q fique profundamente seguro acerca de sua liderança <br />Cabe a você reunir os membros de sua organização com os quais está em contato e em comunidade, ou seja,numa equipe formada por pessoas que partilham uma visão e que fortemente envolvidas para atingir objetivos comuns.<br />
  217. 217. Perguntas e Respostas<br />
  218. 218.
  219. 219. 9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />
  220. 220. 9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />
  221. 221. 9<br />8<br />1<br />2<br />7<br />6<br />3<br />5<br />4<br />

×