0
INTERTEXTUALIDADE, INTERDISCURSIVIDADE E PARÓDIA
DIALOGISMO: A LINGUAGEM SÃO NO MÍNIMO DOIS <ul><li>Mikhail Bakhtin afirma que a linguagem é, por natureza, dialógica. Ou s...
INTERTEXTUALIDADE <ul><li>O sufixo Inter-, de origem latina, se refere à noção de relação (entre) </li></ul><ul><li>Logo, ...
IMPORTANTE ! <ul><li>A referência intertextual poderá ser  explícita  ou  implícita .  </li></ul><ul><li>Em textos científ...
 
 
PARÓDIA <ul><li>A paródia é um tipo de relação  intertextual  em que um texto cita outro geralmente com o objetivo de faze...
Aliás, a intertextualidade não é paródia, paródia é um tipo de intertextualidade.
INTERDISCURSO <ul><li>A  interdiscursividade  é o conversar entre discursos. Onde um age como resposta, ou se refere a out...
INTERTEXTO ≠ INTERDISCURSO <ul><li>A interdiscursividade é o conversar entre  discursos . Onde um age como resposta, ou se...
Meus oito anos Oh que saudades que eu tenho Da aurora de minha vida Das horas De minha infância Que os anos não trazem mai...
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Intertextualidade

3,434

Published on

Gramatica

Published in: Negócios, Tecnologia
0 Comentários
1 pessoa curtiu isso
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3,434
No Slideshare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
137
Comentários
0
Curtidas
1
Incorporar 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Intertextualidade"

  1. 1. INTERTEXTUALIDADE, INTERDISCURSIVIDADE E PARÓDIA
  2. 2. DIALOGISMO: A LINGUAGEM SÃO NO MÍNIMO DOIS <ul><li>Mikhail Bakhtin afirma que a linguagem é, por natureza, dialógica. Ou seja, sempre estabelece diálogo entre pelo menos dois seres, dois discursos, duas palavras. </li></ul><ul><li>“ Os enunciados não são indiferentes uns aos outros, nem autossuficientes; [...] refletem um ao outro” </li></ul>
  3. 3. INTERTEXTUALIDADE <ul><li>O sufixo Inter-, de origem latina, se refere à noção de relação (entre) </li></ul><ul><li>Logo, intertextualidade , será uma relação entre dois textos caracterizada por um citar o outro. </li></ul>
  4. 4. IMPORTANTE ! <ul><li>A referência intertextual poderá ser explícita ou implícita . </li></ul><ul><li>Em textos científicos será explícito, já em outros casos, como na poesia, pode ser implícito. Por isso é importante o leitor possuir conhecimento de mundo, para identificar o diálogo entre os textos. </li></ul><ul><li>Pode ocorrer em outras formas além de texto. Toda vez que um texto fizer alusão à outro texto, será intertextualidade. </li></ul>
  5. 7. PARÓDIA <ul><li>A paródia é um tipo de relação intertextual em que um texto cita outro geralmente com o objetivo de fazer-lhe uma crítica ou inverter ou distorcer suas ideias. </li></ul><ul><li>A paródia é uma forma de contestar ou ridicularizar outros textos, há uma ruptura com as ideologias impostas. </li></ul>
  6. 8. Aliás, a intertextualidade não é paródia, paródia é um tipo de intertextualidade.
  7. 9. INTERDISCURSO <ul><li>A interdiscursividade é o conversar entre discursos. Onde um age como resposta, ou se refere a outro. </li></ul><ul><li>A interdiscursividade é o caráter principal do texto, já que para Bakhtin todo texto é atravessado por um outro, ou outros anteriores. Isto é, o texto sempre &quot;fala&quot; o que já foi falado (escrito, expresso). Para o linguista russo, portanto, nenhum discurso tem total originalidade. </li></ul>
  8. 10. INTERTEXTO ≠ INTERDISCURSO <ul><li>A interdiscursividade é o conversar entre discursos . Onde um age como resposta, ou se refere a outro. </li></ul><ul><li>Enquanto a intertextualidade é o texto produzido com base em outro(s) texto(s). </li></ul><ul><li>A interdiscursividade evidencia os elementos da situação de produção – quem fez, para que, em que momento histórico, finalidade, etc. </li></ul>
  9. 11. Meus oito anos Oh que saudades que eu tenho Da aurora de minha vida Das horas De minha infância Que os anos não trazem mais Naquele quintal de terra Da Rua de Santo Antônio Debaixo da bananeira Sem nenhum laranjais. [...] (Oswald de Andrade) Meus oito anos Oh! Que saudades que eu tenho Da aurora da minha vida, Da minha infância querida Que os anos não trazem mais! Que amor, que sonhos, que flores, Naquelas tardes fagueiras À sombra das bananeiras, Debaixo dos laranjais! [...] (Casimiro de Abreu)
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×