Aventura castanha medronho

3.638 visualizações

Publicada em

História formatada pela Ana França, Casa do Folhas, EB1 Póvoa da Galega

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.638
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.622
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aventura castanha medronho

  1. 1. Era o mês de novembro,quando aconteceu…
  2. 2. A aventura da castanha e do medronho
  3. 3. Pai! Pai! Pai! Pai!Estoua ficarvermelho! Gritava o pequeno medronho pendurado no ramo do medronheiro
  4. 4. Ah! Ah! Riam os seus irmãos mais velhos. Ah!Estása ficarmaduro,maninho! E o pai medronheiro, todo satisfeito, mostrava os seus filhos ao sol.
  5. 5. - Quando é que nós amadurecemos? – Perguntaramimpacientes outros medronhos ainda verdes.- Calma, filhos! – interveio o medronheiro. – Cada um tem o seutempo de amadurecer… Para uns acontece mais cedo, para outros maistarde.Assim , à medida que vão ficando docinhos, vocês, os medronhos,podem alimentar as aves durante mais tempo. Nesta altura do ano já hápouca comida para elas…- Pois, eu por exemplo já hoje levei três bicadas! Primeiro umatoutinegra, depois uma carriça… E aquele medronho pendurado lá nocimo, redondo e muito vermelho, de tão maduro que estava, já nãoteve tempo de contar mais nada, porque…
  6. 6. Oh! Exclamaram com medo os outros medronhos.Um grande melro de bico amarelo engoliu de uma só vez o medronho.
  7. 7. - Não se assustem – Disse o pai medronheiro. O vosso irmãoacabou de cumprir uma das três missões dos medronhos!- Missões? O que é isso? – perguntaram os medronhos.1 Alguns medronhos matam a fome a vários animais como as aves;2 Outros, se não forem comidos dão origem a novosmedronheiros, quando as sementes que contêm caem na terra…3 Outros ainda podem ser colhidos pelo Homem, que depois osutiliza na sua alimentação, de várias maneiras…
  8. 8. Perto dali vivia um castanheiro. Nos seus ramos balouçavam muitos ouriços cheios de castanhas já maduras, prontas a cair!Um desses ouriços , já aberto, mostrava três castanhas madurinhas.
  9. 9. O pai castanheiro, árvore já muito antiga, dizia ter para cima de 400 anos. Existem em PortugalDizem os Homens que os e castanheiros muito antigoscastanheiros demoram 300 até um, lá para os lados daanos a crescer, 300 anos a Guarda, numa terraviver e 300Arrifana, que tem chamada anos a morrer… à volta de 1200 anos! Tinha o tronco grosso, cheio de rugas e os ramos compridos e fortes.
  10. 10. Eis que o céu escureceu. O vento e a chuva, de tão fortes, faziam rodopiara copa das duas árvores; os seus ramos dobravam-se e as folhas batiamumas nas outras, num frenesim nunca visto!Castanhas e medronhos começaram a soltar-se e voar em todas as direções!E alguns foram aterrar bem longe dali…
  11. 11. Lá bem do alto desprendeu-se um ouriço com uma só castanhaescondida no seu interior e muito assustada! O medronho também se sentiu a cair, arrastado para o chão…
  12. 12. Nem estou Agoramim, que Ai de as aves me Ficou espetado nos picos do ouriço. querem comer… para aqui, tanto quis Mas diz-me: desfeito e um tornar-mesemCaí aqui mesmo - Quem piada! és tu? medronheiropor baixo do meuE eu? SonheiOra, sou umapai! Não voutanto dar um belocastanha!conseguircastanheiro!crescer… Já cá estáele!Os dois lamentavam a sua sorte. Depois começaram a conversar.
  13. 13. Entretanto o dia foi passando e a noite chegou. Longe da proteção dos ramos docastanheiro e do medronheiro, a castanha e o medronho, ao relento, toda a noitepermaneceram acordados, ouvindo ruídos estranhos e desconhecidos…Passou um ouriço-cacheiro, uma raposa, ratitos do campo, uma coruja do mato...
  14. 14. Começou a chover e os nossos dois heróis apanharam um valente sustoquando um sapo-de-unha-preta decidiu passear um pouco, levando-osàs costas!Finalmente rebolaram para o chão, mas nesse instante tudo começou atremer. O que seria desta vez?Viram correr na sua direção um vulto enorme que foçava, soprava eroncava! E eles sem poderem sair dali! Era um javali que andava àprocura de comida! Por um triz não foram parar àquela bocarra!Foi uma noite agitada e sem pregar olho!
  15. 15. Um novo dia despontou. O medronho, mais animado com o sol a aquecê-lo,chamou pela castanha. Castanhaaaaa! Bom dia! Onde estás tu? Mas ninguém lhe respondeu... O silêncio era total e o medronho sentiu-se mesmo sozinho!
  16. 16. Até que, finalmente, ouviu a voz da castanha a responder-lhe:- Aqui, estou aqui! És tu, medronho?- Claro que sim , sou eu? Onde te meteste?- Não sei bem o que me aconteceu… Só te sei dizer que caí dedentro do ouriço quando o javali foçava a terra e fiquei perdida!Que susto!- Mas agora, estás bem? – perguntou o medronho.- Bem, não sei… Passa-se algo estranho comigo!- Conta lá…- Olha, sinto-me a inchar, a inchar sem parar… E parece que já saiude dentro de mim uma perna fininha e clarinha, que se está a enfiarpara dentro da terra. O que será?
  17. 17. EstamosAh!Ah! Ah! a crescerUm dia destes jáperto um do outro!Não te assustes!seremos plantinhasNão tarda vais sentircom folhas!Vamos tornar-nosoutro braço a crescer!numas belas árvores!
  18. 18. E assim foi... O tempo foi passando e eles foram crescendo…
  19. 19. Um dia, já mais crescidos, repararam que à sua volta muitas novas árvores estavam a desenvolver-se pelo campo! Era uma nova floresta! fim Que maravilha!Tantas novas árvores juntas no Parque Natural, onde podem viver, abrigar-se, alimentar-se e reproduzir-se tantos animais da região!
  20. 20. MEDRONHOS
  21. 21. MEDRONHEIROS
  22. 22. CASTANHAS
  23. 23. CASTANHEIROS
  24. 24. TOUTINEGRA
  25. 25. CARRIÇA
  26. 26. MELRO
  27. 27. OURIÇO-CACHEIRO
  28. 28. RAPOSA
  29. 29. RATO DO CAMPO
  30. 30. CORUJA DO MATO
  31. 31. MOCHO GALEGO
  32. 32. SAPO-DE-UNHA-PRETA
  33. 33. JAVALI

×