Aula02: OSTEOLOGIA

53.767 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
3 comentários
29 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
53.767
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
967
Comentários
3
Gostaram
29
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula02: OSTEOLOGIA

  1. 1. ANATOMIA HUMANA I Leonardo Delgado PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  2. 2. TEMA 02: OSTEOLOGIA PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  3. 3. GENERALIDADES <ul><li>O estudo da osteologia é importante pela ação dos ossos e esqueleto na proteção das partes moles do corpo, conformação e sustentação do corpo, como sistema de alavanca, na produção de células sangüíneas e por ser depósito de íons Ca e P. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  4. 4. CONCEITOS <ul><li>Conceito Etimólogo: </li></ul><ul><li>Osteologia é derivada das palavras ósteon que significa “osso”, e logos, que significa um “ramo de conhecimento”. </li></ul><ul><li>Conceito Anatômico: </li></ul><ul><li>  É o estudo das formações intimamente ligadas ou relacionadas com os ossos, com eles formando um todo (esqueleto). </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  5. 5. OSSOS <ul><li>São órgãos rígidos, esbranquiçados, constituídos por tecido conjuntivo mineralizado que reunidos entre si participam na formação do esqueleto. Possuem nervos e vasos sangüíneos. </li></ul><ul><li>O osso é um tecido dinâmico que cresce até a idade adulta. </li></ul><ul><li>Após a idade adulta, está sob constante remodelamento </li></ul><ul><li>Sofrem modelamento dado um estímulo apropriado </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  6. 6. Funções dos Ossos <ul><li>Suporte para os tecidos moles </li></ul><ul><li>Proteção de órgãos vitais </li></ul><ul><li>Aloja e protege a medula óssea </li></ul><ul><li>Proporciona apoio aos músculos esqueléticos, transformando suas contrações em movimentos úteis </li></ul><ul><li>Constitui um sistema de alavancas que amplia as forças geradas na contração muscular </li></ul><ul><li>Depósito de cálcio, fosfato e íons </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  7. 7. Características Ósseas <ul><li>Dureza: substâncias minerais. </li></ul><ul><li>Elasticidade: substâncias orgânicas. </li></ul><ul><li>Erosão: retirada de sais minerais pelo próprio organismo. </li></ul><ul><li>Coloração: branco amarelado. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  8. 8. Classificação dos Ossos <ul><li>Quanto a sua Posição Topográfica </li></ul><ul><ul><li>Ossos axiais (ou esqueleto axial): são formados pelo crânio, esterno, costelas, caixa torácica, coluna vertebral e osso hióide. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos apendiculares (ou esqueleto apendicular): são formados por estruturas ósseas em torno das quais os membros (inclusive mãos e pés) e suas cinturas são fixadas. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  9. 9. Quanto à Forma dos Ossos <ul><ul><li>Ossos longos: comprimento predomina sobre a largura e a espessura; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos alongados: é um tipo de osso longo sem canal medular </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos curtos: as três dimensões espaciais equivalentes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos planos ou chatos: comprimento e a largura predominam sobre a espessura; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos irregulares: forma indefinida </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos pneumáticos: contém ar em seu interior; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossos sesamóides: extra-numerais; </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  10. 10. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  11. 11. Ossos Longos <ul><li>Comprimento maior que a espessura e largura. Ex: ossos do esqueleto apendicular (fêmur, úmero, rádio, ulna, tíbia, fíbula, falanges). </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  12. 12. Ossos Alongados PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA <ul><li>O comprimento predomina sobre a largura e espessura e não apresentam um canal medular. Ex:costelas e clavícula </li></ul>
  13. 13. Ossos Curtos PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA <ul><li>Apresenta equivalência das 3 dimensões. Ex:ossos do carpo e tarso </li></ul>
  14. 14. Ossos Planos ou Laminares PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA <ul><li>Apresenta comprimento e largura equivalentes, predominando sobre a espessura. Ex:ossos do crânio (parietal, frontal, occipital),escápula,ossos do quadril. </li></ul>
  15. 15. Ossos Irregulares PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA <ul><li>Morfologia complexa que não encontra correspondência em formas geométricas conhecidas. Ex:vértebras e osso temporal. </li></ul>
  16. 16. Ossos Pneumáticos PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA <ul><li>Apresenta uma ou mais cavidades (nome – sinus ou seio),de volume variável, revestidas de mucosa e contendo ar.Ex-ossos situados no crânio:frontal, maxilar, temporal, etmóide, esfenóide. </li></ul>
  17. 17. Ossos Sesamóides <ul><li>desenvolvem-se na substância de certos tendões (intratendíneos) ou da cápsula fibrosa (peri-articulares) que envolve certas articulações. Ex:patela. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  18. 18. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  19. 19. ESTRUTURAS DOS OSSOS LONGOS <ul><ul><li>Nível Macroscópico </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Microscópico </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível Molecular </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  20. 20. Nível Macroscópico Externamente <ul><ul><li>Epífises proximal e distal: extremidades do osso </li></ul></ul><ul><ul><li>Metáfises proximal e distal: região entre a epífise e a diáfise. </li></ul></ul><ul><ul><li>Diáfise ou corpo do osso </li></ul></ul><ul><ul><li>Periósteo: </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartilagem articular </li></ul></ul><ul><ul><li>Elementos Descritivos </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  21. 21. Epífises <ul><ul><li>São dilatações nas extremidades dos ossos </li></ul></ul><ul><ul><li>O exterior tem uma camada fina de osso compacto </li></ul></ul><ul><ul><li>O interior é constituído por osso esponjoso </li></ul></ul><ul><ul><li>A zona da epífise com que o osso se articula é revestida por uma camada delgada de cartilagem articular que funciona como uma almofada, amortecendo os movimentos da articulação </li></ul></ul><ul><ul><li>Na junção da diáfise com cada epífise encontra-se a linha epifisária </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  22. 22. Metáfises <ul><ul><li>São as partes intermediárias entre as epífises e a diáfise; no osso em crescimento as metáfises incluem a lâmina epifisal, camada de cartilagem hialina que possibilita o crescimento longitudinal da diáfise do osso; quando cessa o crescimento ela é substituída por osso, e é chamada de linha epifisal. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  23. 23. Diáfises <ul><li>De forma tubular, constitui o eixo longitudinal do osso </li></ul><ul><li>É um cilindro compacto que contem a cavidade medular, onde se encontra a medula óssea. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  24. 24. Periósteo <ul><li>É o tecido conjuntivo que envolve o osso externamente, com exceção das superfícies articulares. </li></ul><ul><li>Camadas: </li></ul><ul><ul><li>Fibrosa (saco periósteo): é a camada mais externa, que forma um saco fibroso que envolve o osso. </li></ul></ul><ul><ul><li>Osteogênica: é a camada mais interna, que tem função osteogênica, permitindo o crescimento ósseo em espessura. Sua responsabilidade é formar o calo ósseo na recomposição das fraturas. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  25. 25. Vascularização e inervação do osso <ul><li>O osso é ricamente vascularizado </li></ul><ul><ul><li>Artérias e veias periosteais </li></ul></ul><ul><ul><li>Artérias e veias nutrícias (forâmen nutrício) </li></ul></ul><ul><ul><li>Artérias e veias metafisárias e epifisárias </li></ul></ul><ul><ul><li>Nervos acompanhando os vasos sanguíneos </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  26. 26. Cartilagem <ul><li>É uma forma elástica de tecido conectivo semi-rígido - forma partes do esqueleto nas quais ocorre movimento. A cartilagem não possui suprimento sangüíneo próprio; conseqüentemente, suas células obtêm oxigênio e nutrientes por difusão de longo alcance. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  27. 27. Cartilagem Articular <ul><li>Cartilagem Articular </li></ul><ul><ul><li>Superfície lisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Não uniforme </li></ul></ul><ul><ul><li>Calcificada na camada mais profunda </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  28. 28. Nível Macroscópico Internamente <ul><li>Substância compacta </li></ul><ul><li>Substância esponjosa </li></ul><ul><li>Endósteo </li></ul><ul><ul><li>Canal medular: cavidade na diáfise do osso para alojar a medula óssea. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  29. 29. Substância Compacta <ul><li>São áreas dos ossos constituídas por uma série de lamelas concêntricas que apresentam canas no seu interior. São responsáveis pela resistência dos ossos. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  30. 30. <ul><ul><li>Poucos espaços entre seus componentes rígidos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Compõe a camada externa dos ossos e a diáfise do osso longo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Está organizado em unidades chamadas ósteons ou sistema de havers. </li></ul></ul><ul><ul><li>Apresenta canais perfurantes de volkmann (penetração no osso compacto de vasos sanguíneos, linfáticos e nervos do periósteo). </li></ul></ul><ul><ul><li>Lacunas: espaço entre as lamelas que contém os osteócitos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Canalículos: processos digitiformes dos osteócitos (via de nutrientes e O 2 carreados pelo sangue e via de produtos de excreção). </li></ul></ul><ul><ul><li>Os ósteons estão alinhados paralelamente ao eixo do osso longo. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  31. 31. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  32. 32. <ul><ul><li>Sistema de Harvers – unidade estrutural do osso compacto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Lamelas – tubos de matriz em formato de coluna, que suportam peso, compostas por colágeno e cristais de fosfato de cálcio. </li></ul></ul><ul><ul><li>Canal de Harvers – canal central contendo vasos sangüíneos e nervos. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  33. 33. Substância Esponjosa <ul><li>São áreas dos ossos constituídas por traves ósseas dispostas em forma de rede. São responsáveis por certa elasticidade dos ossos. </li></ul><ul><li>Tipos: </li></ul><ul><ul><li>Tubular. </li></ul></ul><ul><ul><li>Reticular. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  34. 34. <ul><li>não contém ósteons </li></ul><ul><li>consiste em lamelas, dispostas como trama irregular, de finas colunas ósseas (trabéculas). </li></ul><ul><li>dentro das trabéculas estão os osteócitos </li></ul><ul><li>constitui a maior parte do tecido dos ossos curtos, chatos e irregulares, maior parte da epífise dos ossos longos. </li></ul><ul><li>no adulto os ossos esponjosos responsáveis pela hematopoese são: ossos do quadril, costelas,esterno, coulna e extremidades dos ossos longos. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  35. 35. Endósteo <ul><li>É o revestimento interno do osso </li></ul><ul><li>Contem osteoblastos, osteoclastos células osteoprogenitoras </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  36. 36. Canal ou Cavidade Medular PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  37. 37. Medula Óssea <ul><li>É o tecido conjuntivo situado dentro dos ossos capaz de produzir células sangüíneas. </li></ul><ul><li>Tipos: </li></ul><ul><ul><li>Medula óssea rubra ou vermelha: é a medula óssea produtiva( ossos da bacia, coluna, costelas, esterno e epífise de ossosl ongos-adulto). </li></ul></ul><ul><ul><li>Medula óssea flava ou amarela: tecido conjuntivo gorduroso que substitui a medula vermelha. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  38. 38. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  39. 39. Medula Vermelha <ul><li>Fração hematopoeticamente ativa da medula, que produz células sanguíneas: </li></ul><ul><li>Eritrócitos: Oxigenação </li></ul><ul><li>Granulócitos: Imunidade </li></ul><ul><li>Trombócitos(plaquetas): Coagulação </li></ul><ul><li>Estroma de suporte </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  40. 40. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  41. 41. Medula Amarela <ul><li>Composta predominantemente por adipócitos mas também possui elementos celulares ativos. </li></ul><ul><li>MV: 40% água 40% gordura 20%proteína </li></ul><ul><li>MA: 15% água 80% gordura 5%proteína </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  42. 42. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  43. 43. Estrutura Microscópica do Osso (Tecido Ósseo) <ul><li>As observações microscópicas revelam dois tipos de ossos: </li></ul><ul><ul><li>osso primário, conhecido também como osso imaturo ou osso trabecular, e </li></ul></ul><ul><ul><li>osso secundário, conhecido também, como osso maduro ou lamelar. </li></ul></ul><ul><li>A microestrutura dos ossos longos é formada por 2% de células (osteoblastos, osteócitos e osteoclastos) e 98% de matriz óssea. A matriz óssea é constituída por uma parte mineral e outra de matriz orgânica. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  44. 44. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  45. 45. Tecido Ósseo <ul><li>É composto por: </li></ul><ul><ul><li>Matriz Óssea, </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Orgânica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inorgânica </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Células </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Osteogênicas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Osteoblastos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Osteócitos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Osteoclastos </li></ul></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  46. 46. Células Osteoprogenitoras ou Osteogênicas <ul><ul><li>Células de origem mesenquimal </li></ul></ul><ul><ul><li>Localizadas no periósteo, revestindo os canais de Havers. </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacidade de sofrer divisões mitóticas </li></ul></ul><ul><ul><li>Tem o potencial de se diferenciar em osteoblastos. </li></ul></ul><ul><ul><li>São mais ativas durante o período de crescimento ósseo intenso </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  47. 47. Osteoblastos <ul><li>Derivados das células osteoprogenitoras, sem atividade mitótica </li></ul><ul><li>Sintetizam a porção orgânica da matriz(colágeno, proteoglicanos e glicoproteínas) </li></ul><ul><li>Localizam-se na superfície do tecido ósseo </li></ul><ul><li>A medida que essas células realizam exocitose de seus produtos de secreção, cada célula fica envolvida pela matriz que ela acabou de secretar, ficando aprisionada, essa célula passa a se chamar osteócito. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  48. 48. Osteoblastos <ul><li>A maior parte da matriz torna-se calcifica da, exceto onde estão localizados os osteócitos e osteoblastos-matriz não calcificada(osteóide). </li></ul><ul><li>Apresentam receptores para o paratôrmonio induzindo a diferenciação dos pre-osteoclastos para os osteoclastos </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  49. 49. Osteócitos <ul><ul><li>Derivados dos osteoblastos que ficaram aprisionados nas suas lacunas </li></ul></ul><ul><ul><li>Irradiando-se em todas as direções a partir das lacunas, estão estreitos espaços (canalículos) os quais abrigam os prolongamentos citoplasmáticos dos osteócitos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estes prolongamentos entram em contato com os prolongamentos dos osteócitos vizinhos formando junções comunicantes, permitindo o transporte de nutrientes e metabólitos, nutrindo os osteócitos </li></ul></ul><ul><ul><li>Secretam fatores decrescimento que facilita o recrutamento de pré-osteblastos para facilitar o remodelamento ósseo. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  50. 50. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  51. 51. Osteoclastos <ul><ul><li>São células multinucleadas, móveis, derivadas de progenitores da linhagem de macrófagos </li></ul></ul><ul><ul><li>Desempenham papel na reabsorção óssea, e após terminar em desfazê-la sofrem apoptose. </li></ul></ul><ul><ul><li>Localizados em lacunas de Howship (depressões da matrizes cavadas pela atividade dos osteoclastos) </li></ul></ul><ul><ul><li>A reabsorção óssea é controlada pelo paratôrmonio (paratireóide) e calcitonina (tireóide). </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  52. 52. Tipos de células ósseas <ul><ul><li>Células osteogênicas: células-tronco não-especializadas encontradas no periósteo, endósteo e canais que contém vasos sanguíneos. Participam do processo de ossificação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Osteoblastos: células produtoras de osso. Sintetizam e secretam colágeno e outros componentes da matriz. </li></ul></ul><ul><ul><li>Osteócitos: osteoblastos maduros que realizam a troca de nutrientes e metabólitos com o sangue. </li></ul></ul><ul><ul><li>Osteoclastos: fusão de até 50 monócitos (glóbulo brancos do sangue) que ficam concentradas no endósteo. Liberam enzimas que digerem componentes protéicos e minerais do osso adjacente. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  53. 53. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  54. 54. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  55. 55. Componentes da Matriz Óssea <ul><li>Parte orgânica: 25-35% do peso </li></ul><ul><ul><li>colágeno I (90-95%) </li></ul></ul><ul><ul><li>proteoglicanas e proteínas de adesão </li></ul></ul><ul><li>Parte inorgânica (mineral): 65-75% do peso </li></ul><ul><ul><li>principalmente cálcio e fósforo </li></ul></ul><ul><ul><li>outros minerais: Mg, Na, K </li></ul></ul><ul><li>O colágeno confere resistência e os cristais a dureza do tecido ósseo </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  56. 56. ADAPTAÇÕES DO TECIDO ÓSSEO <ul><li>Crescimento: ossos crescem em comprimento e em diâmetro (em comp. ~20 anos) em função de fatores genéticos, biomecânicos, fisiológicos e ambientais. </li></ul><ul><li>Modelamento: aumento da massa óssea (ocorre na idade adulta). </li></ul><ul><li>Remodelamento: processo pelo qual a massa óssea é mantida ou diminuída. </li></ul><ul><li>Reparo: processo pelo qual o osso é reparado após uma lesão. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  57. 57. Formação do osso <ul><li>ocorre por ossificação ou osteogênese </li></ul><ul><ul><li>Ossificação intramembranosa: formado pela condensação de células mesenquimais; se formam sem passar pelo estágio inicial de cartilagem. Ex.: ossos chatos do crânio e mandíbula. Passos: célula osteogênica -> osteoblasto (secreção de matriz) -> osteócito. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ossificação endocondral: formação do osso dentro da cartilagem hialina. Passos: células mesenquimais -> condrobastos (“molde” da cartilagem hialina do osso) -> osteoblastos substituem a cartilagem por osso. Ex. osso longo. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  58. 58. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  59. 59. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  60. 60. Disco Epifisário <ul><li>Cartilagem de crescimento presente na epífise de ossos longos jovens que modula seu crescimento em comprimento. Dividido histologicamente em 5 zonas: </li></ul><ul><ul><li>Zona de repouso - Cartilagem hialina sem modificações </li></ul></ul><ul><ul><li>Zona de cartilagem seriada (multiplicação) – fileiras de condrócitos </li></ul></ul><ul><ul><li>Zona de cartilagem hipertrófica – condrócitos volumosos ricos em glicogênio e lipídeos </li></ul></ul><ul><ul><li>Zona de cartilagem calcificada </li></ul></ul><ul><ul><li>Zona de ossificação </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  61. 61. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  62. 62. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  63. 63. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  64. 64. FATORES DE INFLUÊNCIA NA RESISTÊNCIA ÓSSEA <ul><li>Dimensões </li></ul><ul><li>Geometria de Aplicação das Forças </li></ul><ul><li>Idade </li></ul><ul><li>Sexo </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  65. 65. Reparo de Fraturas ósseas <ul><li>Formação do hematoma de fratura </li></ul><ul><li>Formação do calo fibrocartilaginoso </li></ul><ul><li>Formação do calo ósseo </li></ul><ul><li>Remodelamento do osso </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  66. 66. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  67. 67. Pesquisas <ul><li>MARINO (1984) correntes elétricas estimulam a formação de calo ósseo; </li></ul><ul><li>BRIGHTON (1981) estimulação elétrica e magnética estimulam a consolidação de fraturas. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  68. 68. <ul><li>Sobrecarga Traumática: aplicação de uma força simples de magnitude suficiente para causar lesão ao tecido biológico (fratura traumática) </li></ul><ul><li>Sobrecarga Repetitiva: aplicação repetida de uma carga não traumática (baixa magnitude). (fratura de fadiga, fratura de stress) </li></ul><ul><li>Resultado da distribuição interna da Força aplicada externamente sobre o corpo (F / área) Mais importante a geometria do que a magnitude </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  69. 69. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  70. 70. Tipos de Solicitação Mecânica no Corpo Humano PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  71. 71. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  72. 72. Esqueleto <ul><li>É um conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unidos entre si para dar conformação ao corpo, proteção e sustentação de partes moles. </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  73. 73. As Funções do Esqueleto são: <ul><li>Mecânicas: </li></ul><ul><ul><li>Suporte para o corpo contra forças externas </li></ul></ul><ul><ul><li>Age como um sistema de alavanca para transferir força </li></ul></ul><ul><ul><li>Proteção para os órgãos internos </li></ul></ul><ul><li>Fisiológicas: </li></ul><ul><ul><li>Formar células sanguíneas (hemopoiese) </li></ul></ul><ul><ul><li>Armazenar cálcio (homeostase mineral) </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  74. 74. Divisão do Esqueleto <ul><li>Esqueleto Axial: Porção mediana, formando o eixo do corpo. Sustenta e protege os órgãos da cabeça, pescoço e tronco. </li></ul><ul><ul><li>Componentes: crânio, ossículos da audição, osso hióide, coluna vertebral e caixa torácica. </li></ul></ul><ul><li>Esqueleto Apendicular: Porção mediana (membros superiores e inferiores). A união entre estas duas porções se faz por meio de cinturas escapular ou torácica e pélvica. </li></ul><ul><ul><li>Componentes: Cintura escapular: Membro superior:Cintura pélvica: Membro inferior: </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  75. 75. Esqueleto Axial PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  76. 76. Esqueleto Apendicular PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  77. 77. Número de Ossos no Esqueleto Humano <ul><li>No individuo adulto, idade na qual se considera completa o desenvolvimento orgânico, o número de ossos é de 206 a 208, o que pode varia se levarmos em consideração os seguintes fatores: </li></ul><ul><ul><li>Idade: o número de ossos diminui do nascimento à senilidade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Fatores Individuais: persistência da divisão do osso frontal e ossos extranumerários. </li></ul></ul><ul><ul><li>Critério de contagem: varia de autor para autor. </li></ul></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  78. 78. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  79. 79. DESCRIÇÃO DAS SUPERFÍCIES ÓSSEAS <ul><li>As superfícies dos ossos possuem várias características estruturais adaptadas a funções específicas.Estas características são denominadas marcas ósseas (acidentes ósseos) </li></ul><ul><li>Surgem em qualquer lugar onde haja inserção de tendões, ligamentos e fáscias ou onde haja artérias adjacentes ou penetrando nos ossos. Outras formações estão relacionadas à passagem dos tendões e ao fornecimento de maior alavanca </li></ul>PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  80. 80. Saliências PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  81. 81. Depressões PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA
  82. 82. Depressões e Aberturas PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA Vista superior do assoalho do crânio. A . Forame ( foramen = orifício) Ex. forame Magno do osso Occipital Abertura no osso onde passam vasos sangüíneo, nervos ou ligamentos
  83. 83. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA Meato acústico externo B- Meato ( meatus = canal) Uma passagem em forma de tubo correndo dentro do osso.
  84. 84. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA C- Seio paranasal ( Sinus = cavidade) Cavidade cheia de ar dentro de um osso conectado à cavidade nasal.
  85. 85. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA Processo condilar da mandíbula Fossa mandibular do osso temporal D- Fossa (fossa = fenda, trincheira) Depressão sobre um osso.
  86. 86. PÓLO DE BARRA DO CORDA/MA

×