TRABALHO
DE
GEOGRAFIA
(IRA)
Que e o terrorismo?
Formalmente, terrorismo é o uso da violência sistemática, com objetivos
políticos, contra civis ou mil...
significado ira :
O Exército Republicano
Irlandês, popularmente conhecido
como IRA (siglas para Irish Republican
Army), fo...
Outra questão que motivava a ação deste grupo também tinha a ver com as
diferenças religiosas encontradas no território no...
Ao longo de sua trajetória, o IRA foi responsável por
mais de 3500 mortes e manchou a famosa reputação
diplomática inglesa...
A primeira e a maior dessas facções é o chamado IRA Provisional.
Entre 1969 e 1997, este grupo foi responsável por uma sér...
O segundo episódio a expor a faceta mafiosa do IRA foi o assassinato de
Robert McCartney e a posterior campanha de suas ir...
O IRA Real (também conhecido como RIRA ou True IRA)
estabeleceu um segundo momento de ruptura política interna
dentro do m...
Em 1984, membros do grupo terrorista
IRA – Exército Republicano Irlandês – realizaram
o mais devastador ataque até então l...
quarto andar do prédio, de maneira a provocar o maior dano possível. A
força da explosão, além de abrir um rombo na fachad...
FIM DO “IRA”
Num comunicado que vinha sendo aguardado há muito tempo, a organização
anunciou que vai seguir o "caminho dem...
DEBATE:
A decisão de depor as armas foi tomada depois de um debate dentro do
próprio IRA, provocado pelo presidente do Sin...
ATENTADO DO PREDIO Policial iraquiano inspeciona
carro destruído pelo ataque
em Kirkuk, cidade localizada
250 km ao norte ...
Trab geografia (2)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trab geografia (2)

395 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
395
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trab geografia (2)

  1. 1. TRABALHO DE GEOGRAFIA (IRA)
  2. 2. Que e o terrorismo? Formalmente, terrorismo é o uso da violência sistemática, com objetivos políticos, contra civis ou militares que não estão em operação de guerra. Existem muitas formas de terrorismo. Os terroristas religiosos praticam atentados em nome de Deus; já os mercenários recebem dinheiro por suas ações; os nacionalistas agem movidos por um ideal patriótico. Há ainda os ideólogos, que armam bombas motivados por uma determinada visão de mundo. E, muitas vezes, o que se vê é uma mistura de tudo isso com desespero e ódio. Por outro lado, houve no século XX o crescimento do terrorismo de Estado, em que é adotada a política de eliminação física de minorias étnicas ou de adversários de um regime. Um exemplo é o regime racista da África do Sul, responsável por ações terroristas contra a maioria negra do país até o fim do apartheid, no início dos anos 90. Na América Latina, as ditaduras militares dos anos 60 e 70 promoveram o terrorismo de Estado contra seus opositores, torturando e matando milhares de pessoas. No Oriente Médio, os palestinos de cidadania israelense e os habitantes dos territórios de Gaza e Cisjordânia foram segregados e sofreram ataques das forças armadas de Israel, entre 1967 e 1993. O terrorismo de extremistas muçulmanos contra judeus de Israel, por sua vez, também aterrorizou e matou pessoas inocentes, principalmente a partir da década de 80. Muitos historiadores e intelectuais avaliam que as bombas atômicas jogadas pelos Estados Unidos sobre o Japão, em agosto de 45, foram o maior atentado terrorista já praticado até hoje. Mais de 170 mil civis perderam a vida num ataque que não tinha como objetivo vencer a guerra, mas fazer uma demonstração de força para a União Soviética.
  3. 3. significado ira : O Exército Republicano Irlandês, popularmente conhecido como IRA (siglas para Irish Republican Army), foi um dos mais ativos grupos terroristas do século XX. Sua atuação ficou marcada pela formação de grupos paramilitares que arquitetavam diversos atentados terroristas contra seu maior alvo: a Inglaterra. A oposição à nação inglesa era prioritariamente motivada pelo interesse de tornar a Irlanda do Norte uma região politicamente independente da Inglaterra significado: (IRA) O Exército Republicano Irlandês, popularmente conhecido como IRA (siglas para Irish Republican Army), foi um dos mais ativos grupos terroristas do século XX. Sua atuação ficou marcada pela formação de grupos paramilitares que arquitetavam diversos atentados terroristas contra seu maior alvo: a Inglaterra. A oposição à nação inglesa era prioritariamente motivada pelo interesse de tornar a Irlanda do Norte
  4. 4. Outra questão que motivava a ação deste grupo também tinha a ver com as diferenças religiosas encontradas no território norte-irlandês. A maioria da população – cerca de 60% – era praticante do cristianismo protestante e, por isso, acabava impondo seus costumes e interesses políticos em oposição a uma minoria de católicos. Com isso, parte dessa minoria religiosa viu no discurso nacionalista, militar e anti-britânico uma via de afirmação política.
  5. 5. Ao longo de sua trajetória, o IRA foi responsável por mais de 3500 mortes e manchou a famosa reputação diplomática inglesa com a resistência de seus integrantes. No ano de 2005, depois de uma série de tentativas de negociação, o IRA declarou o fim de sua “luta armada”. Entretanto, no final de 2007, um grupo que se intitulava parte integrante do movimento nacionalista irlandês tentou instalar uma bomba nas proximidades de um posto policial. Em maio de 2008, um novo atentado à bomba ligado ao IRA feriu um policial. Esses dois episódios acabaram confundindo a opinião pública. Afinal de contas, o IRA acabou ou continua sendo uma ameaça latente? De fato, a grande maioria que engrossava as fileiras do movimento irlandês chegou à conclusão de que a via da luta armada não fazia mais sentido. Porém, a declaração de cessar fogo de 2005 acabou estabelecendo um “racha” que dividiu o IRA em três diferentes facções.
  6. 6. A primeira e a maior dessas facções é o chamado IRA Provisional. Entre 1969 e 1997, este grupo foi responsável por uma série de ações terroristas, focos de guerrilha e atentados ocorridos na Inglaterra e na própria Irlanda do Norte. Em seu auge, o IRA Provisional tornou-se a maior organização do continente europeu. No entanto, o início das negociações na década de 1990 desarticulou as ações de assalto do grupo provisional. Os diálogos iniciais se deram entre os diversos grupos políticos norte-irlandeses e o governo do Reino Unido. Uma das mais expressivas vias de negociação foi estabelecida com o partido Sinn Fein, que representava politicamente as tendências separatistas irlandesas. No ano de 1996, grupos mais radicais negavam-se a reconhecer o esforço político britânico e, por isso, realizaram uma série de pequenos ataques. No ano seguinte, esse mesmo grupo fundou o chamado IRA Real.
  7. 7. O segundo episódio a expor a faceta mafiosa do IRA foi o assassinato de Robert McCartney e a posterior campanha de suas irmãs por justiça. Os detalhes da morte de Robert, no fim de janeiro, mostraram a disposição do grupo terrorista em atuar como um Estado paralelo dentro da comunidade católica. O crime não teve motivação política. Operário de 33 anos e pai de dois filhos, McCartney era filiado ao Sinn Fein e participava de uma festa do partido em um pub do setor católico de Belfast. Em determinado momento, começou uma pancadaria no bar e Robert tentou impedir que outros participantes da festa – que por acaso eram terroristas do IRA – agredissem um amigo. McCartney morreu esfaqueado. Após o crime, os assassinos destruíram as câmeras de segurança e, antes de fugir, ameaçaram de morte todos os presentes que se arriscassem a contar o que viram à polícia. Pelo menos setenta pessoas estavam no
  8. 8. O IRA Real (também conhecido como RIRA ou True IRA) estabeleceu um segundo momento de ruptura política interna dentro do movimento terrorista irlandês. No ano de 1986, disputas pelo controle político do Irish Republican Army deram origem a um grupo dissidente anterior chamado de O grupo da Continuidade (popularmente conhecido como CIRA). Os dois recentes atentados atribuídos ao IRA foram arquitetados por esses dois grupos de ruptura. De fato, o grupo “Real” e “da Continuidade” constituem uma pequena minoria que não acredita em uma resolução pacífica para o problema entre irlandeses e ingleses.
  9. 9. Em 1984, membros do grupo terrorista IRA – Exército Republicano Irlandês – realizaram o mais devastador ataque até então lançado contra o governo britânico em quase 15 anos de guerra civil: a explosão de uma bomba em um hotel, em Londres, no momento em que os principais membros do governo estavam reunidos sob o mesmo teto para participar da Convenção Anual do Partido Conservador. O atentado matou três pessoas, feriou pelo menos 30, entre elas o Ministro da Indústria e Comércio, Norman Tebbit, e um dos líderes do Partido Conservador, John Wakegam, e quase matou a Primeira-Ministra Margaret Thatcher, que escapou da explosão por pouco.
  10. 10. quarto andar do prédio, de maneira a provocar o maior dano possível. A força da explosão, além de abrir um rombo na fachada do velho e nobre edifício, trouxe abaixo pelo menos sete andares. Seus destroços esmagaram quartos e corredores, e bloquearam totalmente a porta de entrada principal Esta foi uma tentativa desumana e indiscriminada de massacrar gente inocente e fora de qualquer suspeita – diria Margaret Thatcher emocionada, horas depois da explosão da bomba, à audiência da Convenção do Partido Conservador. Até o instante em que a bomba explodiu, Margaret Thatcher vivia um dos piores momentos dos seus seis anos de governo, criticado severamente por sua austera política econômica e falta de iniciativa de combater o desemprego, que atingiu o recorde para a Inglaterra de quase quatro milhões de pessoas. Ao realizar atentados terroristas contra o governo britânico, o grupo IRA visava combater o domínio inglês na Irlanda do Norte, e criar uma Irlanda “unida, independente e socialista”
  11. 11. FIM DO “IRA” Num comunicado que vinha sendo aguardado há muito tempo, a organização anunciou que vai seguir o "caminho democrático", pondo fim a mais de 30 anos de violência. O comunicado afirma que a decisão entra em vigor a partir da tarde desta quinta-feira e que todas as unidades da organização foram ordenadas a depor suas armas. Voluntários do IRA foram instruídos a ajudar no desenvolvimento do que a organização chamou de programas "puramente políticos e democráticos". O primeiro ministro britânico, Tony Blair, disse que o comunicado do IRA marca o dia em que "a paz finalmente substituiu a guerra e a política substituiu o terror" na Irlanda do Norte. Blair afirmou que a declaração do IRA é "de uma importância inédita, diferente de tudo que foi feito antes". Mas Ian Paisley, líder do Partido Unionista Democrático, principal partido político protestante da Irlanda do Norte, disse que vai julgar a declaração do IRA nos próximos meses e anos, acrescentando que, na
  12. 12. DEBATE: A decisão de depor as armas foi tomada depois de um debate dentro do próprio IRA, provocado pelo presidente do Sinn Fein (o braço político da organização), Gerry Adams, para que a organização lutasse por seus objetivos exclusivamente por meios políticos. O IRA é responsabilizado por cerca de 1,8 mil assassinatos nos últimos 30 anos. Quando fez o apelo à organização, em abril passado, Adams disse que se tratava de uma "tentativa genuína de levar o processo de paz adiante". O IRA luta pelo fim da presença britânica na Irlanda do Norte, que levaria a uma Irlanda unida. Na declaração desta quinta-feira, o IRA também lida com a questão da entrega de suas armas, um dos pontos que vinha complicando o processo de paz na Irlanda do Norte. O grupo afirma que quer colocar suas armas fora de uso o mais rápido possível. Um representante do IRA vai trabalhar com o órgão internacional que fiscalizará a entrega das armas. Segundo a declaração, o IRA também vai convidar testemunhas independentes entre católicos e protestantes para tomar parte do processo.
  13. 13. ATENTADO DO PREDIO Policial iraquiano inspeciona carro destruído pelo ataque em Kirkuk, cidade localizada 250 km ao norte de Bagdá

×