MODELOS DE RELATÓRIOS E 
ANÁLISES FINANCEIRAS
Fluxo de Caixa 
Através do Fluxo de Caixa (Contas a Pagar/Receber) podemos controlar todas as entradas e 
saídas, concilia...
Endividamento Bancário 
TMA am 1,61% 
Banco Categoria Data Inicial Data Final Prazo Valor Parcela Juros Amort Sdo Dev Tx a...
Planejamento Orçamentário 
orçado realizado orçado realizado orçado realizado orçado realizado 
JAN/13 FEV/13 MAR/13 ABR/1...
DRE – Demonstrativo de Resultados 
CD Histórico JAN/13 FEV/13 MAR/13 ABR/13 MAI/13 
C RECEITA BRUTA 1.016.825 578.575 706....
Balanço Patrimonial 
ATIVO PASSIVO 
ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE 
Caixa $253.663,76 Fornecedores $55.359,56 
Client...
Indicadores de Performance 
Através do DRE e BP, criamos os 11 indicadores de Performance: liquidez (mostram a 
capacidade...
Indicadores de Atividades (prazos médios) 
A) 2005 2006 2007 E) 2005 2006 2007 
PMRE 75 114 112 Rot Est 5 3 3 
PMRV 63 67 ...
Gráfico de Ponto de Equilíbrio 
Visualizamos qual é o ponto mínimo de faturamento/vendas que precisamos ter para 
obtenção...
Fator de Solvência 
Neste gráfico, acompanhamos, mensalmente, a capacidade de solvência 
(liquidez) dos negócios.
Relatórios de Faturamento/Tendências 
Meses 2009 AV1 2010 AV2 2011 AV3 2012 AV4 2013 AV5 
Jan 74.096 6% 102.070 7% 97.016 ...
Relatório de Resultados 
Dias úteis: 19 
NRO Prev Recurso (mp) Efetivo R$ H/H R$ Recurso Fat Real R$ Hora CF Unit 
1 152 J...
Formação de Preço de Venda 
Podemos analisar/auditar a formação de preço de vendas.
Outros exemplos de Relatórios 
ANALISE DE VENDAS - DEMONSTRATIVO POR ESTADO 
UF Total das Vendas Prazo Médio 
MG 71.808,77...
Conclusão 
Tais relatórios devem ser temporizados em períodos curtos, sendo o mais comum com um 
conjunto de informações d...
Apresentação FINANCE - Exemplos de Relatórios
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação FINANCE - Exemplos de Relatórios

707 visualizações

Publicada em

Exemplos de Relatórios que a Finance desenvolve.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
707
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação FINANCE - Exemplos de Relatórios

  1. 1. MODELOS DE RELATÓRIOS E ANÁLISES FINANCEIRAS
  2. 2. Fluxo de Caixa Através do Fluxo de Caixa (Contas a Pagar/Receber) podemos controlar todas as entradas e saídas, conciliando com extrato bancário e apurando os saldos, diariamente. Tudo lançado e controlado pelo Plano de Contas e Centros de Custos.
  3. 3. Endividamento Bancário TMA am 1,61% Banco Categoria Data Inicial Data Final Prazo Valor Parcela Juros Amort Sdo Dev Tx am Pagas A Pagar Santander Renegociação 13/07/12 13/06/14 24 114.706,79 7.354,34 1.291,18 6.063,15 33.422,62 3,78% 18 6 TMA aa 21,07% Bco Fiat Fiat Strada 22/11/11 22/11/14 36 25.000,00 953,07 171,72 781,35 14.514,07 1,82% 18 18 Caixa Capi tal de Gi ro 28/06/13 28/05/16 36 125.000,00 4.108,93 976,42 3.132,52 100.741,62 1,28% 8 28 Caixa Capi tal de Gi ro 01/07/13 01/10/16 40 100.000,00 3.102,00 937,94 2.164,06 83.331,01 1,10% 8 32 364.706,79 15.518,34 3.377,26 12.141,08 232.009,32 1,61% 15.518,34 3.377,26 3,070% Parcela AV Juros 22% 12.141,08 Principal 78% 110.000,00 Fat Méd Mensal AV 3.377,26 12.141,08 Juros 3,1% Principal 11,0% 94.481,66 MC 85,9% 11,037% 85,892% Importante separar, quando em um endividamento, a Amortização e os Juros dos investimentos/capital de giro. E, também, o grau que isso implica no faturamento/DRE dos negócios, calculando também o Custo Médio do Capital de Terceiros (TMA)
  4. 4. Planejamento Orçamentário orçado realizado orçado realizado orçado realizado orçado realizado JAN/13 FEV/13 MAR/13 ABR/13 VENDAS 1.000.000 1.016.825 1.000.000 578.575 1.000.000 706.041 1.000.000 687.203 (-) DESP ADMINISTRATIVAS 44.677 52.281 22.877 29.181 24.663 31.621 25.960 37.023 AGUA 50 60 50 37 50 46 50 86 ALUGUEL 8.500 10.500 8.500 7.500 8.500 7.500 8.500 7.500 ASSOCIACOES 460 831 460 513 460 367 460 306 CARTORIO/CORREIOS 50 50 333 50 362 50 41 CONSULT/CONTAB/ACESSORIA JUD. 5.367 10.050 5.367 8.066 4.500 6.505 4.200 5.992 CONSULTORIA IMP. SAP 2.750 2.669 CONSUMO/HIG/LIMP 500 1.713 500 454 500 845 500 849 DESPACHANTE 330 DESP. DE VIAGENS IMPLANT. SAP 572 DOACOES ENERGIA ELÉTRICA 500 636 500 544 500 434 500 457 GRAFICA/XEROX - INTERNET 150 139 150 139 150 139 150 139 IPTU - MANUT EQUIPAMENTOS 1.500 17 1.500 1.731 1.500 2.897 1.500 2.276 MANUT PREDIAL 20.000 16.631 500 4.009 500 3.789 500 5.312 MANUT SIST/INFORM/SAP 1.000 1.202 1.000 865 2.153 2.153 1.000 2.053 Com o Planejamento Orçamentário podemos desenvolver, estrategicamente, o que se espera para o futuro, dentro de um horizonte de 1 a 5 anos. Sempre analisado mensalmente através de comparações entre orçado x realizado, para que não tenhamos deslizes na administração.
  5. 5. DRE – Demonstrativo de Resultados CD Histórico JAN/13 FEV/13 MAR/13 ABR/13 MAI/13 C RECEITA BRUTA 1.016.825 578.575 706.041 687.203 1.009.822 D IMPOSTOS (PIS/COFINS/ICMS) (10.147) (8.916) (8.015) (9.728) (15.404) C RECEITA LIQUIDA 1.006.678 569.659 698.026 677.475 994.418 D CMV (762.619) (433.931) (529.531) (515.402) (757.366) = MARGEM CONTRIBUIÇÃO 244.059 135.728 168.495 162.073 237.052 24,00% 23,46% 23,86% 23,58% 23,47% D DESPESAS C/ PESSOAL (68.551) (64.306) (57.671) (69.166) (62.589) -6,74% -11,11% -8,17% -10,06% -6,20% D DESPESAS ADMINISTRATIVAS (52.281) (29.181) (31.621) (37.023) (29.221) -5,14% -5,04% -4,48% -5,39% -2,89% D DESPESAS OPERACIONAIS (24.364) (15.432) (12.795) (18.272) (21.452) -2,40% -2,67% -1,81% -2,66% -2,12% = EBITDA (lucro operacional) 98.863 26.809 66.408 37.611 123.790 9,72% 4,63% 9,41% 5,47% 12,26% D DESPESAS FINANCEIRAS (7.986) (9.497) (7.957) (7.957) (6.313) -0,79% -1,64% -1,13% -1,16% -0,63% = BASE PARA IR/CSLL 90.877 17.311 58.450 29.654 117.477 D IRPJ/CSLL (1.732) (985) (1.202) (6.349) (9.329) RESULTADO (L/P) 89.145 16.326 57.248 23.305 108.148 8,77% 2,82% 8,11% 3,39% 10,71% Está entre os principais relatórios, onde, nele podemos apurar os resultados mensais de receita líquida, margem de contribuição, EBITDA (lucro operacional) e o lucro líquido.
  6. 6. Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa $253.663,76 Fornecedores $55.359,56 Clientes $614.923,84 Impostos federais a recolher $15.847,00 Bancos $188.912,00 Impostos estaduais a recolher $30.495,00 Aplicações financeiras $338.129,32 Impostos municipais a recolher $129,00 Estoques $374.593,00 Encargos sociais a recolher $2.645,00 TOTAL CIRCULANTE $1.770.221,92 TOTAL CIRCULANTE $104.475,56 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Créditos judiciais $17.263,00 Empréstimos de longo prazo $12.000,00 TOTAL REALIZÁVEL LONGO PRAZO $17.263,00 TOTAL EXIGÍVEL A LONGO PRAZO $12.000,00 ATIVO PERMANENTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO Máquinas e equipamentos $17.495,00 Capital $150.000,00 Veículos $47.594,00 Correção Monetária $4.476,00 Móveis e utensílios $26.453,00 Lucros acumulados $1.719.885,36 Instalações $65.943,00 TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO $1.874.361,36 Equipamentos de computação $45.867,00 TOTAL PERMANENTE $203.352,00 TOTAL ATIVO $1.990.836,92 TOTAL PASSIVO $1.990.836,92 O Balanço nos mostra os saldos dos bens/direitos (ativo) e obrigações/deveres (passivo) para que possamos analisar toda a movimentação financeira da organização.
  7. 7. Indicadores de Performance Através do DRE e BP, criamos os 11 indicadores de Performance: liquidez (mostram a capacidade de pagamento), estrutura (mostram a composição dos investimentos) e rentabilidade (mostram os resultados do negócio)
  8. 8. Indicadores de Atividades (prazos médios) A) 2005 2006 2007 E) 2005 2006 2007 PMRE 75 114 112 Rot Est 5 3 3 PMRV 63 67 70 Rot Dup 6 5 5 PMPC 85 83 73 Rot For 4 4 5 B) Ciclo Op 138 181 182 C) Ciclo Cx 53 98 109 D) Gráfico 85 75 Ciclo Operacional e Caixa - 2005 53 63 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 Nos mostram uma análise de prazos médios e ciclos de caixa e ciclos operacionais. Muito útil pois enxergamos se qual o prazo de recebimento comparado com o de pagamento.
  9. 9. Gráfico de Ponto de Equilíbrio Visualizamos qual é o ponto mínimo de faturamento/vendas que precisamos ter para obtenção de resultados.
  10. 10. Fator de Solvência Neste gráfico, acompanhamos, mensalmente, a capacidade de solvência (liquidez) dos negócios.
  11. 11. Relatórios de Faturamento/Tendências Meses 2009 AV1 2010 AV2 2011 AV3 2012 AV4 2013 AV5 Jan 74.096 6% 102.070 7% 97.016 4% 337.405 10% 285.532 8% Fev 69.589 6% 68.788 5% 122.309 5% 236.591 7% 254.113 7% Mar 92.174 7% 159.227 11% 132.292 6% 394.353 12% 267.755 8% Abr 118.950 10% 134.774 9% 188.452 8% 249.891 8% 225.127 7% Mai 103.305 8% 160.364 11% 188.260 8% 268.411 8% 317.747 9% Jun 93.677 8% 95.676 7% 162.996 7% 328.478 10% 481.801 14% Jul 128.126 10% 117.045 8% 106.074 5% 217.397 7% 364.196 11% Ago 104.124 8% 114.572 8% 204.610 9% 389.941 12% 269.082 8% Set 69.874 6% 102.501 7% 223.615 10% 278.788 8% 263.858 8% Out 135.003 11% 117.037 8% 144.431 6% 209.131 6% 252.865 7% Nov 115.288 9% 137.297 10% 330.335 14% 239.233 7% 217.238 6% Dez 144.031 12% 118.933 8% 429.669 18% 154.405 5% 201.804 6% TOTAL 1.248.236 1.428.283 2.330.060 3.304.023 3.401.117 Média 104.020 119.024 194.172 275.335 283.426 Crescimento ano a ano 1,14 1,63 1,42 1,03 O gráfico nos mostra uma tendência de crescimento pela reta linear. Podemos acompanhar relatórios de faturamento, expansão dos negócios e tendências estatísticas. FATURAMENTO (Análise da Expansão do Negócio) Tendência Faturamento 2009 a 2013 Série1 Linear (Série1) 1.248.236 1.428.283 2.330.060 3.304.023 3.401.117 4.000.000 3.500.000 3.000.000 2.500.000 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 - FAT em R$ - Expansão dos Negócios 2009 2010 2011 2012 2013
  12. 12. Relatório de Resultados Dias úteis: 19 NRO Prev Recurso (mp) Efetivo R$ H/H R$ Recurso Fat Real R$ Hora CF Unit 1 152 Julio César Silva 188 25,00 4.700,00 14.587,00 77,59 22,81 2 76 Eduardo Gonçalves 94 35,00 3.290,00 7.382,00 78,53 22,81 3 152 Ricardo Costa 132 25,00 3.300,00 10.602,00 80,32 22,81 1 Valor Hora Mínimo 64,01 4 152 Leandro Martins 187 30,00 5.610,00 15.340,78 82,04 22,81 2 Valor Hora Máximo 85,46 5 152 Luiz Felipe Campos 162 25,00 4.050,00 12.549,00 77,46 22,81 3 Valor Hora Média 76,55 6 152 Luciana Pio 46 25,00 1.150,00 2.970,00 64,57 22,81 4 Valor Hora Med Pond 77,63 7 152 Adolfo Bruno 213 35,00 7.455,00 17.253,00 81,00 22,81 8 120 Marcos Vinicius dos Santos 133 40,00 5.320,00 9.078,00 68,26 22,81 FAT Estimado 9 152 Kelly Lugones 167 25,00 4.175,00 14.271,20 85,46 22,81 1 Valor Hora Mínimo R$ 125.274,63 10 152 Vanderson Correa 160 40,00 6.400,00 12.798,00 79,99 22,81 2 Valor Hora Máximo R$ 167.237,95 11 152 Estevão Santana 147 25,00 3.675,00 9.410,00 64,01 22,81 3 Valor Hora Média R$ 149.798,70 12 152 Joana Angélica 144 25,00 3.600,00 10.800,00 75,00 22,81 4 Valor Hora Med Pond R$ 151.920,68 13 152 Danielle Ribeiro 184 25,00 4.600,00 14.879,70 80,87 22,81 14 Marcelo Sousa - 25,00 - - 22,81 PEC em horas 15 Tatiane Borges - 25,00 - - 22,81 1 Valor Hora Mínimo 1.710,17 16 Leonardo Moura - 25,00 - - 22,81 2 Valor Hora Máximo 1.281,06 17 - - - - 22,81 3 Valor Hora Média 1.430,19 18 - - - - 22,81 4 Valor Hora Med Pond 1.410,22 1.868 Horas potenciais 1.957 R$ 57.325,00 R$ 151.920,68 77,63 Podemos criar relatórios para análises de resultados por colaborador, cliente, etc, onde temos, faturamento por hora, ponto de equilíbrio, hora potenciais, etc.
  13. 13. Formação de Preço de Venda Podemos analisar/auditar a formação de preço de vendas.
  14. 14. Outros exemplos de Relatórios ANALISE DE VENDAS - DEMONSTRATIVO POR ESTADO UF Total das Vendas Prazo Médio MG 71.808,77 39% 25 PR 25.079,31 14% 15 SP 18.966,12 10% 24 GO 18.239,91 10% 37 RJ 13.866,97 8% 24 RS 10.046,41 5% 31 CE 8.021,16 4% 31 BA 6.224,59 3% 15 DF 3.329,58 2% 35 ES 2.747,72 2% 0 AL 2.690,48 1% 30 MS 1.838,04 1% 32 TOTAL 182859,06 24,57971014 80.000,00 70.000,00 60.000,00 50.000,00 40.000,00 30.000,00 20.000,00 10.000,00 0,00 MG PR SP GO RJ RS CE BA DF ES AL MS Podemos desenvolver vários relatórios específicos de negócios, como por região, por cliente, por período, por departamento etc.
  15. 15. Conclusão Tais relatórios devem ser temporizados em períodos curtos, sendo o mais comum com um conjunto de informações de trinta dias. Outros podem vir com periodicidade maior ou menor, porém dependerá da relevância dos departamentos envolvidos, do contexto financeiro, do segmento ou ramo empresarial, e até por fim do mapa de influência em que a organização está inserida. Esta sequencia da arquitetura é primordial para que os resultados possam ser alcançados, a confiança dos envolvidos, sejam funcionários, fornecedores, clientes, principalmente dos gestores e administradores. Uma boa dose de conhecimento dessas etapas também faz com que as organizações se diferenciem deste mercado tão competitivo e tecnológico da atualidade.

×