Na obra “O Livro dos Abraços”, o escritor uruguaio Eduardo Galeano compartilha  um comovente relato.
“ Diego não conhecia o mar.  O pai, Santiago Kovakloff, levou-o  para que descobrisse o mar.  Viajaram para o Sul.”
“ Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando. Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de...
“ E foi tanta a imensidão do mar,  e tanto seu fulgor, que o menino  ficou mudo de beleza.”
“ E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai:  - Me ajuda a olhar!”
“ Pai, me ajuda  a olhar!”
Diante do mar, somos todos crianças.
Frente à Eternidade, a existência terrena  não é senão a primeira infância.
Os breves anos da jornada terrena assemelham-se  à espuma, que, tão logo  chega, desaparece.
Para aquele que tem  o coração desperto, o visível é testemunho  do Invisível.
“ O real não está  na saída  nem na chegada:  ele se dispõe  para a gente é no  meio da travessia.” Guimarães Rosa
“ Há um tempo  em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já  têm a forma do  nosso corpo...
...e esquecer os  nossos caminhos,  que nos levam  sempre aos  mesmos lugares.”
“ É o tempo  da travessia:  e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre,  à margem de  nós mesmos.”  Fernando ...
A travessia é o que embeleza e justifica uma existência; o resto são pormenores, o resto é detalhe.
A criança pequena  da história, diante  da magnitude do mar,  recorre ao seu pai,  e diz “Me ajuda  a olhar!”
Que sabem os  olhos humanos  acerca da vastidão  e dos mistérios  que o mar esconde?
O mundo  é um mar.
Cada novo dia traz junto de si  pesos e obrigações,  e também bênçãos e oportunidades.
Cada novo dia  desvenda preciosas oportunidades, únicas e inestimáveis.
O segredo do bem viver talvez seja permanecer desperto para as bênçãos que cada novo amanhecer anuncia.
O mar da existência é certamente muito mais rico e profundo do que qualquer  ser vivente jamais possa sondar.
E diante da vastidão  e do fulgor da existência, é sinal de sabedoria de coração pedir com sinceridade:...
“ Pai, me ajuda a olhar!”
“ O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é bom, todo o teu corpo se encherá de luz”,  ensinou-nos o incomparável Mestre.
“ Pai, me ajuda  a olhar!” Tema musical:  “Maria Elena”, de  Ernesto Cortazar   Formatação: um_peregrino@hotmail.com
“ Pai, me ajuda  a olhar!” Tema musical:  “Maria Elena”, de  Ernesto Cortazar   Formatação: um_peregrino@hotmail.com
“ Pai, me ajuda  a olhar!”
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

OLHAR

937 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
937
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

OLHAR

  1. 1. Na obra “O Livro dos Abraços”, o escritor uruguaio Eduardo Galeano compartilha um comovente relato.
  2. 2. “ Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovakloff, levou-o para que descobrisse o mar. Viajaram para o Sul.”
  3. 3. “ Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando. Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos.”
  4. 4. “ E foi tanta a imensidão do mar, e tanto seu fulgor, que o menino ficou mudo de beleza.”
  5. 5. “ E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai: - Me ajuda a olhar!”
  6. 6. “ Pai, me ajuda a olhar!”
  7. 7. Diante do mar, somos todos crianças.
  8. 8. Frente à Eternidade, a existência terrena não é senão a primeira infância.
  9. 9. Os breves anos da jornada terrena assemelham-se à espuma, que, tão logo chega, desaparece.
  10. 10. Para aquele que tem o coração desperto, o visível é testemunho do Invisível.
  11. 11. “ O real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia.” Guimarães Rosa
  12. 12. “ Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo...
  13. 13. ...e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.”
  14. 14. “ É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.” Fernando Pessoa
  15. 15. A travessia é o que embeleza e justifica uma existência; o resto são pormenores, o resto é detalhe.
  16. 16. A criança pequena da história, diante da magnitude do mar, recorre ao seu pai, e diz “Me ajuda a olhar!”
  17. 17. Que sabem os olhos humanos acerca da vastidão e dos mistérios que o mar esconde?
  18. 18. O mundo é um mar.
  19. 19. Cada novo dia traz junto de si pesos e obrigações, e também bênçãos e oportunidades.
  20. 20. Cada novo dia desvenda preciosas oportunidades, únicas e inestimáveis.
  21. 21. O segredo do bem viver talvez seja permanecer desperto para as bênçãos que cada novo amanhecer anuncia.
  22. 22. O mar da existência é certamente muito mais rico e profundo do que qualquer ser vivente jamais possa sondar.
  23. 23. E diante da vastidão e do fulgor da existência, é sinal de sabedoria de coração pedir com sinceridade:...
  24. 24. “ Pai, me ajuda a olhar!”
  25. 25. “ O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é bom, todo o teu corpo se encherá de luz”, ensinou-nos o incomparável Mestre.
  26. 26. “ Pai, me ajuda a olhar!” Tema musical: “Maria Elena”, de Ernesto Cortazar Formatação: um_peregrino@hotmail.com
  27. 27. “ Pai, me ajuda a olhar!” Tema musical: “Maria Elena”, de Ernesto Cortazar Formatação: um_peregrino@hotmail.com
  28. 28. “ Pai, me ajuda a olhar!”

×