Cariologia

37.392 visualizações

Publicada em

aula decariogologia 3 periodo

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
2 comentários
33 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Bom resumo Só não ficou claro o termo associado a transmissão da cárie dentária; o que se transmite é o microrganismo causador da doença cárie; tendo em vista que a cárie é a cavidade causada pelos S. Mutans e outros ( Esse sim é transmitido) e como sabemos a lesão cariosa é causada devido a aderência e metabolismo desses microrganismos cariogênicos associados ao biofilme e a dieta rica em carboidratos, fruto de uma má higienização entre outros aspectos.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • MUIIIIIIIIIITO , MUITO BOM.DEUS ABENÇÕE.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37.392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
232
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
228
Comentários
2
Gostaram
33
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cariologia

  1. 1. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença Flávio Salomão Miranda
  2. 2. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença Cárie dentária “doença infecciosa” Transmissibilidade: água, alimentos, saliva 300 espécies microbianas Sequência colonizadora Homeostasia Microbiana Mudança fisiológica
  3. 3. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença • Papel da saliva: – ajuda a manter o pH 6,75- 7,25 temperatura entre 35-36°C. – Contem glicoproteinas e proteína que atuam como fonte de carboidratos. – Libera fatores inatos e específicos de defesa imunológica. • ↑ carboidrato = ↑ Crescimento bacteriano
  4. 4. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença • ↑ Sacarose =↓pH logo inibi crescimento de algumas bactérias e seleciona outras • Sacarore ≈ Glicosiltransferase, Frutosiltransferase = maior adesão , estoque extracelulares. • Cada placa tem uma característica microbiológica
  5. 5. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença • O metabolismo bacteriano gera flutuações de pH, levando a dissolução e redistribuição mineral nas camadas superficiais do dente. Limiar para detecção clínica Perda Tempo Ganho
  6. 6. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença Limiar para detecção clínica Perda Tempo Ganho
  7. 7. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença Classe Social Educação Saliva Renda Fluxo salivar Deposito Dente Microbiano Flúor pH Capacidade Dieta Tempo Tampão Deposito Microbiano Dente pH Comportamento Conhecimento Saliva Composição
  8. 8. Prevenção da Cárie e o controle da progressão da doença • A taxa de progressão de uma lesão reflete a atividade do biofilme. • As lesões podem aparecer ativas ou controladas.
  9. 9. Progressão de Perdas Minerais em relação ao tempo Destruição Total Formação de cavidade Lesão no Esmalte Visível MO MEV Tempo
  10. 10. Cárie Primária: termo utilizado para diferenciar as lesões presentes em superfícies não restauradas daquelas que se desenvolvem adjacentes a restaurações, geralmente denominadas de cáries recorrentes ou secundárias. Cárie residual: termo empregado para se referir ao tecido desmineralizado e infectado que foi deixado no local da lesão cariosa, previamente à inserção de um material restaurador
  11. 11. Lesão cariosa ativa: lesão considerada progressiva Lesão cariosa controlada ou inativa: lesão que pode ter sido formada há anos e então interrompeu sua progressão. ( Lesão cariosa remineralizada ou crônica)
  12. 12. Lesão de Mancha branca = 1º Sinal de uma lesão em esmalte (visível). (cuidado com termo lesão inicial ou incipiente). Característica Clínica: Mancha branca opaca.
  13. 13. Cárie rampante: múltiplas lesões cariosas ativas ocorrendo num mesmo paciente. (cárie de mamadeira, cárie por radiação e cárie por uso de drogas)
  14. 14. Cárie Oculta: lesões em dentina que não são detectadas pelo exame visual, porém, estão extensas e desmineralizadas o suficientes para serem detectadas pelo exame radiográfico.
  15. 15. Qual o tempo necessário para que as alterações no esmalte coberto por placa dental possam ser detectadas microscopicamente e clinicamente? Após 1 semana = nenhuma alteração pode ser visualisada clinicamente. (Micro = dissolução das superfícies dos cristais, perda de 20 a 100мm) Após 14 dias = alterações visíveis, mancha esbranquiçada e opacas. (Micro = aumento da porosidade, perda dos minerais localizados na porção mais profunda) Após 3 a 4 semanas = Dissolução mais marcante, maiores irregularidades, inicio das cavitações.
  16. 16. A parte mais brilhante do esmalte, é a parte externa, por isso, a lesão inicial torna-se opaca.
  17. 17. •Remoção mecânica/química da placa (higiene Bucal) •Modificação química da placa •Uso de flúor •Composição da dieta •Composição e fluxo salivar

×