Anestesiologia

11.679 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.679
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
142
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Anestesiologia

    1. 1. Considerações no atendimento a Pacientes com Necessidades Especiais <ul><li>Anestesiologia </li></ul><ul><li>Interação Medicamentosa </li></ul>
    2. 2. Considerações sobre o atendimento a PNE
    3. 3. Anestesiologia <ul><li>Anestésicos Locais </li></ul><ul><li>Bloqueiam a geração e condução de impulso nervoso, bloqueando, assim a sensação de dor na região onde foi aplicada a droga </li></ul>
    4. 4. Anestésicos Locais <ul><li>02 Grupos: </li></ul><ul><li>Amidas </li></ul><ul><li>Ésteres </li></ul>Grupo Éster Grupo Amida Procaína Lidocaína Cocaína Mepivacaína Novocaína Prilocaína Bupivacaína Etilocaína Articaína*
    5. 5. Mecanismo de Ação <ul><li>Teoria do Receptor Específico </li></ul><ul><li>Anestésicos se ligam a receptores específicos no canal de sódio (Na+), bloqueando a transferência de sódio necessária para a condução do impulso nervoso </li></ul>
    6. 6. Metabolismo e eliminação Os anestésicos tipo ésteres são biotransformados mais rapidamente que as amidas Fígado Rim
    7. 7. Vasoconstrictores <ul><li>Os anestésicos sem vasoconstrictor: </li></ul><ul><li>Vasodilatação </li></ul><ul><li>Aumento do fluxo </li></ul><ul><li>Maior velocidade de absorção </li></ul><ul><li>Aumento nos níveis da droga </li></ul><ul><li>Risco de toxicidade </li></ul>
    8. 8. Vasoconstrictores <ul><ul><li>Anestésicos com vasoconstrictor </li></ul></ul><ul><ul><li>Reduz fluxo sanguíneo </li></ul></ul><ul><ul><li>Retarda velocidade de absorção </li></ul></ul><ul><ul><li>Prolonga em 60 ou 90 minutos </li></ul></ul><ul><ul><li>Reduz toxicidade </li></ul></ul>
    9. 9. Anestésico Tópico <ul><li>Anestésicos tópicos são usados para anestesiar superficialmente a mucosa onde será aplicada a injeção anestésica, sendo efetivos por somente 2 a 3 mm de profundidade. </li></ul>
    10. 10. Reações Adversas <ul><li>Pacientes sensíveis </li></ul><ul><li>Combinação inadequada </li></ul><ul><li>Quantidade inadequada </li></ul>Evitando reações de superdosagem: Idade Estado Físico Peso corporal do paciente
    11. 11. Sinais e Sintomas de superdosagem dos anestésicos locais <ul><li>Enxaqueca </li></ul><ul><li>Fala lenta </li></ul><ul><li>Tremor nos membros </li></ul><ul><li>Palpitação </li></ul><ul><li>Fraqueza </li></ul><ul><li>Palidez </li></ul><ul><li>Transpiração </li></ul><ul><li>Dificuldade respiratória </li></ul>
    12. 12. Reações Alérgicas <ul><li>Os anestésicos locais raramente causam reações alérgicas, entretanto, podem acontecer quando relacionadas a outras substâncias químicas. </li></ul>
    13. 13. Sinais e sintomas da alergia <ul><li>Erupções urticariformes </li></ul><ul><li>Exantemas eritematosos </li></ul><ul><li>Broncoespasmo </li></ul><ul><li>Fotossensibilidade </li></ul><ul><li>Anafilaxia </li></ul>
    14. 14. Seleção do Anestésico Devemos considerar a duração da ação para cada procedimento cirúrgico e a necessidade de controlar a dor depois do tratamento
    15. 15. Seleção do Anestésico A lidocaína é o anestésico de maior escolha hoje em dia, o mais popular com adrenalina 1:100.000 . <ul><li>Podemos usar a Mepivacaina (3% SV) para pacientes que não podem fazer uso de vasoconsrictor, o único problema será a hemostasia. </li></ul><ul><li>Prilocaina 1:200.000 fornece anestesia de menor ação e é menos tóxica que a lidocaína, mas a hemostasia não é intensa. </li></ul><ul><li>Articaína 4%, possui melhor difusão em tecidos moles e uma baixa toxicidade. </li></ul><ul><li>Bupivacaína com adrenalina 1:200.000 , possui ação mais lenta e maior duração da ação prolongada, propícia para alívio de dor pós-cirurgica </li></ul>A bupivacáina não é recomendada para criança e PNE devido ao risco de injúria pós-operatória em cirurgia oral
    16. 16. Anamnese tem a função de descobrir todas as lembranças que esse indivíduo ou seu acompanhante tem acerca de sua vida. O conjunto de dados é o que identifica o indivíduo, assim como os cuidados que ele requer.
    17. 17. Anestésicos locais são drogas relativamente seguras quando usadas de forma apropriada, porém, existe a possiblidade de respostas indesejadas, razão pela qual é importante o conhecimento das possiveis comlicações sistêmicas aos anestésicos locais
    18. 18. Sinais e sintomas da alergia <ul><li>Erupções urticariformes </li></ul><ul><li>Exantemas eritematosos </li></ul><ul><li>Broncoespasmo </li></ul><ul><li>Fotossensibilidade </li></ul><ul><li>Anafilaxia </li></ul>
    19. 19. Pacientes com problemas Cardiovasculares <ul><li>Anestésico Local com VC, deve ser evitado ou mantido em nível mínimo: </li></ul><ul><li>PA ↑ 200 x 115 mm Hg </li></ul><ul><li>Cardiovascular grave </li></ul><ul><li>Menos 6 meses AVC </li></ul><ul><li>Episódios de Angina </li></ul><ul><li>Arritimias </li></ul><ul><li>Uso de bloqueadores da MAO </li></ul><ul><li>Uso Antidepressivos tricícliclos </li></ul>
    20. 20. Pacientes hipertensos compensados <ul><li>limite 160 x 100 mm Hg: </li></ul><ul><li>Prescrever ansiolítico </li></ul><ul><li>Procedimentos curtos </li></ul><ul><li>Caso longos, aferir PA durante procedimento </li></ul><ul><li>Uso de adrenalina não está contra-indicado, podendo ser usado em concentração mínimas (1:1000.000 ou 1:2000.000) . </li></ul><ul><li>Injeção sempre lenta e fazer sempre a aspiração </li></ul>
    21. 21. <ul><li>Distúrbios Hepáticos </li></ul><ul><li>Distúrbios Renais </li></ul><ul><li>Dificuldades de biotransformar os agentes, o que pode levar a um nível tóxico mais rapidamente. </li></ul><ul><li>Hepatogenia grave, está contra-indicado anestésico tipo amida. </li></ul><ul><li>Pseudocolinestarese atipica, contra-indicado anestésico tipo éster. </li></ul><ul><li>Dificuldade de eliminar os agentes, aumenta o risco de superdosagem. </li></ul><ul><li>Nefropatias, pacientes de diálise, glomerulonefrite crônica, deve-se avaliar o risco. </li></ul><ul><li>A medida que a Ins. Renal se agrava, podem apresentar hipertensão. </li></ul>Complicações sistêmicas
    22. 22. O estresse pode ocasionar convulsões durante o tratamento odontológico, portanto recomenda-se a utilização de um ansiolítico antes do procedimento
    23. 23. Anemias <ul><li>Cuidado com : </li></ul><ul><li>Prilocaína </li></ul><ul><li>Articaína </li></ul><ul><li>Vasoconstrictores </li></ul>
    24. 24. Diabéticos Paciente Controlado Paciente não Controlado

    ×