Explicação da Célula Vegetal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Explicação da Célula Vegetal

on

  • 907 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
907
Visualizações no SlideShare
907
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
0
Downloads
3
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Explicação da Célula Vegetal Explicação da Célula Vegetal Presentation Transcript

  • Explicação: Maquete da Célula Vegetal:
  • Parede celular:  A parede celular é uma estrutura extracelular que envolve células, sendo composta por diferentes substâncias dependendo do organismo. É uma estrutura que confere proteção à célula pela sua rigidez.  As primeiras camadas formam a parede primária, que mantém a sua elasticidade permitindo que a célula possa crescer.  Na parede primária, as microfibrilas não apresentam uma direção definida e encontram-se ligadas por ligações de hidrogênio, o que torna a estrutura mais flexível.  Após a formação desta, algumas plantas podem formar a parede secundária, com a qual as células não podem mais crescer.  Na parede secundária, as microfibrilas já se apresentam orientadas numa determinada direção, conferindo maior rigidez à parede celular.
  • Vacúolos:  Os vacúolos são estruturas celulares, muito abundantes nas células vegetais, contidas no citoplasma da célula, de forma mais ou menos esféricas ou ovalado, geradas pela própria célula ao criar uma membrana fechada que isola um certo volume celular do resto do citoplasma.  Seu conteúdo é fluido, armazenam produtos de nutrição ou de excreção, podendo conter enzimas lisossômicas ou até mesmo pigmentos, caso em que tomam o nome de vacúolos de suco celular.  Os vacúolos de suco celular são delimitados pelo tonoplasto, membrana lipoprotéica, e são exclusivos das células de plantas e de certas algas.
  • Cloroplasto:  O Cloroplasto é uma organela presente nas células das plantas e outros organismos fotossintetizadores, como as algas e alguns protistas. Possui clorofila, pigmento responsável pela sua cor verde. Possui clorofila, pigmento responsável pela sua cor verde.  Cloroplasto é a organela onde se realiza a fotossíntese. Os cloroplastos distinguem-se bem dos restantes organelos da célula, quer pela cor, quer pela sua estrutura, geralmente laminar, possuem RNA, DNA e ribossomos, podendo assim sintetizar proteínas e multiplicar-se.  No seu interior apresenta um líquido semelhante ao que preenche as mitocôndrias, o estroma. O sistema de membranas onde se encontra a clorofila encontra-se organizado em tilacóides, agrupados em grana.
  • Núcleo:  O núcleo celular, é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. É delimitado pelo envoltório nuclear, e se comunica com o citoplasma através dos poros nucleares.  O núcleo possui duas funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem dentro da célula (metabolismo), e armazenar as informações genéticas da célula.  Além do material genético, o núcleo também possui algumas proteínas com a função de regular a expressão gênica, que envolve processos complexos de transcrição, pré-processamento do RNA mensageiro, e o transporte do RNA mensageiro formado para o citoplasma.  Dentro do núcleo ainda se encontra uma estrutura denominada nucléolo, que é responsável pela produção de subunidades dos ribossomos.
  •  A carioteca é responsável tanto por separar as reações químicas que ocorrem dentro do citoplasma daquelas que ocorrem dentro do núcleo, quanto por permitir a comunicação entre esses dois ambientes. Essa comunicação é realizada pelos poros nucleares que se formam da fusão entre a membrana interna e a externa do envoltório nuclear.  cromatina é o complexo de DNA e proteínas que se encontra dentro do núcleo celular nas células eucarióticas. Os ácidos nucléicos encontram-se geralmente na forma de dupla-hélice.
  • Reticulo endoplasmático granuloso:  O retículo endoplasmático granuloso é formado por sistemas de vesículas achatadas com ribossomos aderidos à membrana, o que lhe confere aspecto granular.  Participa da síntese de proteínas, que serão enviadas para o exterior das células. Esse tipo de retículo é muito desenvolvido em células com função secretora.  O retículo endoplasmático granuloso aumenta a superfície interna da célula, o que amplia o campo de atividade das enzimas, facilitando a ocorrência de reações químicas necessárias ao metabolismo celular, síntese de proteínas e armazenamento.
  • Reticulo endoplasmático não granuloso:  O retículo endoplasmático não granuloso é formado por sistemas de túbulos cilíndricos e sem ribossomos aderidos à membrana.  Participa principalmente da síntese de esteróides, fosfolipídeos e outros lipídeos. O reticulo endoplasmático não granuloso tem, como uma de suas principais funções, a desintoxicação do organismo, atuando na degradação do etanol ingerido em bebidas alcoólicas, assim como a degradação de medicamentos ingeridos pelo organismo como antibióticos e barbitúricos. Esse tipo de retículo é abundante principalmente em células do fígado das gônadas e pâncreas.  O retículo endoplasmático não granuloso é composto por uma rede tridimensional de túbulos e cisternas interconectados, que vai desde a membrana nuclear até a membrana plasmática.
  • Citoplasma:  O citoplasma é o espaço intra-celular entre a membrana plasmática e o carioteca em seres eucariontes.  O componente água do citoplasma (cerca de 80%) é composta por íons e macromoléculas solúveis como enzimas, carboidratos, sais, proteínas e uma grande porção de RNA. Este componente aquosa também é denominada citosol.  O citosol pode ter uma maior ou menor consistência gelificada, isso dependendo das condições do meio e da fase de atividade em que a célula se encontra.  Além de servir de meio reacionário, é onde se localizam as mitocôndrias e o citoesqueleto, este mantendo a consistência e a forma da célula. É também o local de armazenamento de substâncias químicas indispensáveis à vida. As reações metabólicas vitais têm lugar neste compartimento celular: glicólise anaeróbia e a síntese protéica.
  • Ribossomos:  Os ribossomos são organelas presentes em qualquer tipo de estrutura celular cuja principal função é a síntese de proteínas e enzimas usadas na célula.  Podem ser encontrados espalhados no citoplasma, presos uns aos outros por uma fita de RNA formando polissomas ou no retículo endoplasmático, formando o reticulo endoplasmático granuloso.
  • Complexo golgiense:  complexo golgiense é uma organela encontrada em quase todas as células eucarióticas. Muitas proteínas produzidas pelos ribossomos do reticulo granuloso são enviadas diretamente para outra estrutura membranosa citoplasmática: O complexo golgiense.  Nas células vegetais, há conjuntos de cisternas dispersos pelo citoplasma, sendo cada conjunto denominado golgiossomo. Nas cisternas do complexo golgiense, certas proteínas e lipídios produzidos no reticulo endoplasmático são quimicamente modificados pela adição de glicídios, processo denominado glicosilação. É também no complexo golgiense que ocorre a síntese de determinados carboidratos.
  • Mitocôndria:  A mitocôndria é um dos organelos celulares mais importantes, sendo extremamente relevante para a respiração celular. É abastecida pela célula que a hospeda por substâncias orgânicas como a glicose, as quais processa e converte em energia sob a forma de ATP, que devolve para a célula hospedeira, sendo energia química que pode ser usada em reações bioquímicas que necessitem de dispêndio de energia. A sua função é vital para a célula, sem a qual há morte celular.
  • Membrana plasmática:  A membrana plasmática é a estrutura que delimita todas as células vivas, tanto as procarióticas como as eucarióticas. Ela estabelece a fronteira entre o meio intracelular, o citoplasma, e o ambiente extracelular, que pode ser a matriz dos diversos tecidos.  A membrana celular é responsável pela manutenção de uma substancia do meio intracelular, que é diferente do meio extracelular, e pela recepção de nutrientes e sinais químicos do meio extracelular.  As membranas celulares possuem mecanismos de adesão, de vedação do espaço intercelular e de comunicação entre as células. Os microvilos ou microvilosidades são muito frequentes e aumentam a superfície celular.
  •  Através da membrana plasmática ocorre o transporte passivo: Quando não envolve o consumo de energia do sistema, sendo utilizada apenas a energia cinética das moléculas; a movimentação dá-se a favor do gradiente de concentração. E o transporte ativo: quando o transporte das moléculas envolve a utilização de energia pelo sistema; no caso da célula viva, a energia utilizada é na forma de Adenosina tri-fosfato (ATP); a movimentação das substâncias dá-se contra o gradiente de concentração.
  • Microtúbulo:  Microtúbulo são estruturas protéicas que fazem parte do citoesqueleto nas células.  As extremidades de um microtúbulo são designadas como (+) (a que se polimeriza mais rapidamente) e (-) (a que se polimeriza mais vagarosamente).  São polimerizados a partir de um centrossomo que geralmente fica no centro do citoplasma celular. Além da função estrutural, os Microtúbulo têm outras funções.