Acessibilidade, Usabilidade e Navegabilidade

14.503 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Acessibilidade, Usabilidade e Navegabilidade

Publicada em: Design, Tecnologia
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.503
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
432
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acessibilidade, Usabilidade e Navegabilidade

  1. 1. Acessibilidade, Usabilidade e Navegabilidade
  2. 2. Acessibilidade <ul><li>Conceito </li></ul><ul><li>Diretrizes de acessibilidade </li></ul><ul><li>Processo de acessibilidade </li></ul><ul><li>Validação de acessibilidade do conteúdo </li></ul>
  3. 3. Acessibilidade Conceito <ul><li>Acessibilidade diz respeito a locais, produtos, serviços ou informações efetivamente disponíveis ao maior número e variedade possível de pessoas independente das suas capacidades físico-motoras, perceptivas, culturais e sociais. </li></ul>
  4. 4. Acessibilidade Conceito <ul><li>Existem 4 situações no que se refere ao acesso ao computador: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Acesso ao computador sem mouse: pessoas com cegueira parcial, dificuldade de controle dos movimentos, paralisia ou amputação do membro superior; </li></ul><ul><li>  Acesso ao computador sem teclado: pessoas com amputações, grande limitações de movimentos e falta de força nos membros. Neste caso, a pessoa poderá utilizar um periférico especial de reconhecimento de fala ou teclado na tela. </li></ul>
  5. 5. Acessibilidade Conceito <ul><li>  Acesso ao computador sem monitor: pessoas com cegueira. Para fazer a leitura os deficientes visuais recorrem aos softwares de que capta a informação da tela e transforma em áudio. Também é utilizado o terminal braile. </li></ul><ul><li>  Acesso a computador sem áudio: encontram-se relacionadas neste caso as pessoas com baixa audição e surdez completa. Este grupo de usuários encontra dificuldades de acessar determinadas informações disponíveis apenas em formato de áudio. </li></ul>
  6. 6. Acessibilidade Diretrizes de acessibilidade <ul><li>Percepção : trata de benefícios relacionados à apresentação do conteúdo, da informação. Ela preocupa-se com elementos gráficos, sons, imagens, multimídia e equivalentes </li></ul><ul><li>Operação : preocupa-se com a manipulação da informação, do conteúdo. Ou seja, a área de operação deve garantir formas alternativas ao acesso às informações através de maneiras diferenciadas de navegação ou técnica similar. Percebe-se, também, que é de responsabilidade da operação garantir sempre ao usuário o controle da navegação e interação com o site. </li></ul>
  7. 7. Acessibilidade Diretrizes de acessibilidade <ul><li>Entendimento : Esta, por sua vez, trata de questões relacionadas ao entendimento do conteúdo publicado. Ela deve garantir que todo conteúdo apresentado seja de fácil compreensão para qualquer tipo de usuário. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Compatibilidade : aborda questões como a necessidade de utilizarmo-nos sempre de tecnologias acessíveis e compatíveis com o modelo proposto pelo eMAG. </li></ul>
  8. 8. Acessibilidade Processo de acessibilidade <ul><li>O processo de acessibilidade ocorre basicamente em 5 etapas distintas: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Verificação da necessidade de acessibilidade do conteúdo; </li></ul><ul><li>Tornar acessível o conteúdo; </li></ul><ul><li>Validação da acessibilidade do conteúdo; </li></ul><ul><li>Promoção da acessibilidade conquistada; </li></ul><ul><li>Garantia contínua da acessibilidade. </li></ul>
  9. 9. Acessibilidade Validação da acessibilidade do conteúdo <ul><li>Recomenda-se que o processo de avaliação de conformidade ocorra em 3 fases: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Primeiramente, recomenda-se o uso de validadores automáticos de acessibilidade; </li></ul><ul><li>Depois, propões-se que seja realizada uma validação humana através da navegação via softwares de reconhecimento e leitura de tela </li></ul><ul><li>Por último recomenda-se a utilização de softwares leitores de tela utilizados por portadores de deficiência, de forma aleatória e não dirigida, reproduzindo de maneira fiel a utilização do site. </li></ul>
  10. 10. Usabilidade <ul><li>Conceitos gerais </li></ul><ul><li>Usabilidade no cotidiano </li></ul><ul><li>Teste de usabilidade </li></ul>
  11. 11. Usabilidade Conceitos gerais <ul><li>Usabilidade na web nada mais é do que estruturar um site pensando no usuário final, concentrando esforços para a facilidade do uso, criando um sistema transparente e de fácil entendimento e operação. </li></ul>
  12. 12. Usabilidade Conceitos gerais <ul><li>Em outras palavras, é integrar perfeitamente conteúdo, design, serviços e interatividade buscando a experiência do usuário final. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>É preciso também compreender que muitos usuários não são totalmente familiarizados com computadores e com a web, que seus equipamentos possuem limitações e que, na maior parte dos casos, a visita ao site é um meio e não um fim. </li></ul>
  13. 13. Usabilidade Conceitos gerais <ul><li>Sites com boa usabilidade - algumas características importantes: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Clara definição e design para atender diferentes públicos-alvo; </li></ul><ul><li>Navegação lógica e intuitiva; </li></ul><ul><li>Busca eficiente; </li></ul><ul><li>Manutenção Adequada de Conteúdo; </li></ul><ul><li>Textos Adequados para a Web; </li></ul><ul><li>Bons Mapas; </li></ul><ul><li>Peso adequado. </li></ul>
  14. 14. Usabilidade Usabilidade no cotidiano <ul><li>Consultores, web-designers, profissionais variados da área de web com os mais diversos títulos e condecorações, adoram debater o termo &quot;usabilidade&quot;. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Entre o diretor de arte que não admite uma mudança em sua ‘cria’, o pessoal de TI, que exige rigor técnico, o marketing que quer mais espaço para o logo ou a área comercial que precisa de muitos banners sem restrições para poder vender, quem está com a razão? </li></ul>
  15. 15. Usabilidade Usabilidade no cotidiano <ul><li>A verdade é que a usabilidade está em todos os lugares: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Carros </li></ul><ul><li>Copos de requeijão </li></ul><ul><li>Computadores e monitores </li></ul><ul><li>Celulares </li></ul>
  16. 16. Usabilidade Teste de usabilidade <ul><li>O teste de usabilidade simula as condições de utilização do sistema da perspectiva do usuário final. Ele prioriza a análise da facilidade de navegação entre as telas da aplicação e a clareza de textos e mensagens com o objetivo de levantar as dificuldades e problemas de uso para, posteriormente, desenvolver soluções que deixem o site mais simples e intuitivo. </li></ul>
  17. 17. Navegabilidade <ul><li>Navegabilidade ou usabilidade? </li></ul><ul><li>Conceitos gerais </li></ul><ul><li>Navegabilidade/usabilidade em </li></ul><ul><li>dispositivos móveis </li></ul>
  18. 18. Navegabilidade Navegabilidade ou usabilidade? <ul><li>Afinal, qual é a diferença? </li></ul>
  19. 19. Navegabilidade Conceitos gerais <ul><li>Navegabilidade é a propriedade, ou capacidade, que a interface do site possui de facilitar ao usuário chegar ao seu destino da maneira o mais eficiente possível. Corresponde à qualidade da estrutura viária que dá acesso ao conteúdo das informações no site. </li></ul>
  20. 20. Navegabilidade Navegabilidade/Usabilidade em dispositivos móveis <ul><li>Os crescimento do uso de dispositivos móveis (Celulares, PDAs, iPhone, tablets etc) abre uma nova questão: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>“ Que cuidados devemos ter na hora de desenvolver para estes dispositivos?” </li></ul>
  21. 21. Perguntas?

×